O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Ética deontológia versus ética utilitarista

1.287 visualizações

Publicada em

Uma revisão tópica sobre os dois fundamentos da Ética

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Ética deontológia versus ética utilitarista

  1. 1. ÉTICA DEONTOLÓGICA VERSUS ÉTICA UTILITARISTA Duas perspectivas diferentes para fundamentar a moral
  2. 2. Em que diferem estas perspectivas:  Na aplicação e utilização de conceitos  Na forma de considerar a moral  Nos fins a que deve estar submetida a acção
  3. 3. Distinção dos princípios  A moral deontológica baseia-se no princípio da autonomia da vontade face às inclinações naturais. Moral é a ação que obedece apenas ao dever. Porque só a obediência ao dever torna o ser humano livre.  A moral utilitarista baseia-se na utilidade das ações para o bem estar e para aliviar o sofrimento das pessoas. Moral é a ação que produz maior bem estar ao maior número.
  4. 4. Dever? OU Vida Boa? Uma conciliação?
  5. 5. A moral deontológica privilegia a forma e a moral utilitarista o resultado material da ação.  A forma da acção moral é colocada a priori, é a forma que é boa ou má independentemente do resultado da acção.  Uma forma boa é aquela em que a motivação da acção pode ser universalizável.  A forma - o motivo ou intenção do sujeito é substituída pela previsão que o sujeito deve fazer do resultado da sua acção. O sujeito deve prever, fazer um cálculo ou um juízo dos prós e contras e dos riscos que corre. Se intenção for boa e o resultado mau essa previsão racional não foi bem feita.
  6. 6. Haverá conciliação entre prazer e dever ou são inconciliáveis?  O que se entende por prazer?  Tanto Kant como Stuart Mill consideram o prazer intelectual superior ao sensual.  A questão é: Será que o prazer deve ser o fim da acção moral?  Para Kant esse fim já existe naturalmente e a moral não é o reino da natureza mas sim da liberdade.  Para Stuart Mill não temos motivação para a acção moral se ela não satisfizer também um fim natural, desejável.
  7. 7. O Prazer só tem valor moral se não for um prazer egoísta. (altruísmo)  Princípio da imparcialidade da acção moral (contraria a natureza primária) o prazer do outro ou o seu sofrimento é igual ao nosso.  Uma acção não é moral, não é correcta se o seu resultado for apenas o prazer do próprio.  Para a moral deontológica o prazer não é um fim, o único fim em si absoluto é a dignidade da pessoa. (não especifica apenas diz que essa dignidade é a sua capacidade de ser autónoma, obedecer às leis da razão, às leis que cada um faz)
  8. 8. Objecções à teoria deontológica:  Por ser formal e não ter em conta a totalidade da experiência do indivíduo está afastada das condições de vida concreta e impõe-se como algo demasiado exigente. Pode também legitimar actos morais com resultados práticos prejudiciais para o sujeito ou para os outros.
  9. 9. Vantagens da perspectiva deontológica sobre a teleológica:  Valoriza a pessoa e perspectiva da intenção visto que a pessoa só pode ter domínio sobre si própria não pode ter o domínio das situações exteriores.  Ao exigir respeito pelos princípios morais impede a instrumentalização da pessoa por outra.
  10. 10. Objeções à teoria utilitarista:  Pode criar situações de justificação moral de acções contra os princípios morais.  Pode confirmar a máxima de que os fins justificam os meios.
  11. 11. Vantagens da teoria utilitarista sobre a deontológica:  Aproxima-se do Senso Comum e da realidade vivencial. Preocupa-se com as condições de vida da humanidade. Privilegia o altruísmo.
  12. 12. Conclusão?  Poderemos conciliar o prazer e o dever?  Será a obediência a princípios preponderante sobre a avaliação das situações concretas?  Não haverá leis morais absolutas?  Será o homem a estabelecer, segundo o seu juízo e tendo em conta a circunstância, o melhor e o pior?  Deverá ser a lei moral independente da experiência e ditada pela razão?

×