Síntese as questões filosóficas

34.301 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Síntese as questões filosóficas

  1. 1. AS QUESTÕES FILOSÓFICAS Viver implica defrontar problemas. Porém nem todos são filosóficos. Se, por exemplo,estou preocupado com a roupa que hei-de levar ao casamento do meu amigo, talvez seja umproblema, mas não é filosófico.Normalmente as questões filosóficas são: 1) existenciais e valorativas, exigindo uma resposta que influi nos nossos comportamentos, no modo como nos relacionamos com o mundo e com os outros. 2) não têm solução científica ou técnica Há problemas importantes e graves e que podem parecer filosóficos, mas não são. Exemplo: · Como acabar com a toxicodependência? · Como curar o cancro? · Como evitar os efeitos de um sismo sobre as populações? As questões anteriores não são filosóficas já que a resposta pode ser dada por especialistas no campo da ciência e da técnica. Mas podemos transformá-las para que exijam uma reflexão filosófica: · Porquê a existência de seres humanos que vivem em função da droga? · Qual a razão de ser da doença e do sofrimento? · Para que há-de haver catástrofes naturais? 3) Não são questões de facto, estas incidem sobre fenómenos observáveis ou sobre informações que possam obter, de que são exemplo as questões: · Quais foram os ideólogos da revolução francesa? · Qual a composição química de um hidrato de carbono? · Em que países da Europa se conduz pela esquerda?As questões de facto exigem uma resposta objectiva; apelam a conhecimentos provenientesdo senso comum ou da ciência. 4) Ultrapassam o campo da legalidade – são de natureza legal as perguntas sobre as leis vigentes: · É possível não entregar a declaração do IRS? · Que me acontece se exceder, injustificadamente, o número de faltas previsto? · É permitido dar emprego a menores? Ao contrário das questões mencionadas nos pontos anteriores as questões filosóficas colocam o problema da legitimidade, o que remete para o campo dos valores morais como exemplificam as seguintes:
  2. 2. · Devo furtar-me aos impostos, se todos os outros pagam? · Será correcto faltar às aulas, se nada me impede de estar presente? · Será eticamente correcto servir-se do trabalho infantil? ELABORAÇÃO DAS QUESTÕES FILOSÓFICAS 1) Traduzem-se por enunciados gerais e abstractos: Ainda que originados por vivências individuais, as perguntas devem ser colocadas de modo a permitir respostas racionais, libertas de interesses pessoais e de visões apaixonadas dos acontecimentos. Não Filosóficas: 1) Posso ser cruel? 2) O que sou eu? 3) Posso suicidar-me? Podem transformar-se em questões filosóficas: 1) Pode a humanidade ser cruel? 2) O que é o Homem? 3) É legítimo o suicídio? 2) Traduzem-se por enunciados abertos:Na Filosofia não há soluções únicas nem definitivas, por isso, é comum que mestre e discípulotenham opiniões divergentes. Esta divergência significa a vitalidade do espírito filosófico. Quais os elementos propostos por Empédocles para a origem das coisas? Como é que Maslow hierarquiza as motivações? Qual o lugar de Deus no pensamento de Santo Agostinho?As questões anterioressão fechadas = admitem uma só resposta = não filosófica O progresso da ciência e da tecnologia contribuirá para uma humanidade mais feliz? Será a religião o ópio do povo? A beleza será uma característica essencial da arte? A vida do homem acabará com a morte do corpo? As questões anteriores são abertas = várias perspectivas de solução 3) Enunciados interrogativos e negativos devem ser evitados = podem influenciar

×