SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
FALÁCIAS
DE
RELEVÂNCIA;INSUFICIÊNCIA
das PREMISSAS;
PRESSUPOSIÇÃO,
O que são falácias?
• Os argumentos falaciosos não são
logicamente válidos e portanto não podem
ser aceites enquanto argumentos.
• Podem, no entanto ter força psicológica e
conseguir manipular o auditório que é, não
apenas racional, mas emocional.
"Porque sou a melhor
pessoa para este
trabalho? Descobri que,
entre todos os outros
candidatos, considerando
as minhas qualificações,
eu sou a melhor pessoa
para o trabalho.”
Petição
de
princípio
"Se legalizarmos o aborto
teremos uma diminuição da
natalidade e se diminuir a
natalidade haverá menos gente
a trabalhar, logo mais pobreza,
a legalização do aborto só traz
pobreza."
Bola de neve ou
derrapagem
"A Filosofia de Nietzsche não vale o papel que
se gastou a imprimi-la. Nietzsche era um
imoralista que, antes de morrer, ficou
completamente louco. Por ter contraído sífilis na
juventude."
Ad hominem
Falácia de ataque ao homem
“ad hominem” . Não tem
validade o argumento que
visa atacar pessoalmente
alguém em vez de atacar
logicamente as suas ideias.
"O Ronaldo andou nas discotecas
à noite, daí o seu mau rendimento
e por causa disso Portugal perdeu
com a Polónia. "
Falsa causa
ou depois
disso por
causa disso
Falácia da
amostra não
representativa
Aqui no bairro os
jovens leem
muito, logo este
bairro é um bairro
de gente que lê.
Eu como cientista sou
muito distraído, o meu
colega também, saímos
de casa esquecemo-nos
de atar as botas…
Todos os cientistas são
distraídos.
Generaliza
ção
apressada
Apelo ao povo
ad populum
• As pessoas em geral detestam os
políticos. Acham que é só corrupção. Logo
só pode ser verdade que os políticos são
corruptos.
“Tom Cruise é um excelente ator,
portanto a Igreja da Cientologia a
que pertence e da qual faz
propaganda, deve ser um caminho a
seguir "
Falácia de apelo a uma
autoridade não
qualificada
Falsa analogia
“Criei quatro filhos com armas
dentro de casa e os meus filhos
nunca se feriram porque
ensinei –lhes o quanto era
perigoso. É como o lume do
fogão. As armas são tão
perigosas como o lume, e
ninguém vai proibir o lume
dentro de casa.”
Falso dilema
Coloca-se uma opção que
não é exclusiva , isto é não
esgota todas as
possibilidades.
Ou és
fraco ou
defendes
a guerra.
Não és
fraco,
logo
defendes
a guerra
Boneco de Palha
I
Falácia do Boneco de
palha ou espantalho
Interpretação tendenciosa do
argumento do adversário,
deturpação do argumento
adversário.
Quem quer legalizar o aborto,
quer legalizar a promiscuidade
sexual. Somos por uma
sexualidade responsável.
Somos contra o aborto!
Falácia de apelo à
ignorância
Falácia de dados
insuficientes
Quando concluímos que
algo é verdadeiro porque
não se provou que era
falso ou vice-versa.
Ninguém sabe se
Deus existe logo
Deus não existe.
Existo eu, eu sou
Deus.
Persuadir não é
necessariamente manipular
BOM USO DA RETÓRICA;
PERSUASÃO
• Na persuasão o auditório
e o orador são colocados
em pé de igualdade.
• São dadas razões para
aceitar algo, com
argumentos válidos.
• Não são omitidos os
objetivos, há
transparência.
•
• .
Mau uso da Retórica
Manipulação
• O orador assume uma
atitude superior, de
instrumentalização do
auditório.
• São cometidas falácias
lógicas com poder
psicológico.
• Apela-se à emoção.
• São omitidos dados
relevantes.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Falcias 121204140007-phpapp01

MéTodos De RaciocíNio
MéTodos De RaciocíNioMéTodos De RaciocíNio
MéTodos De RaciocíNioWalace Cestari
 
Falácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFalácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFernanda Clara
 
Leaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostorsLeaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostorsMateus Cozer
 
1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento
1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento
1º ano- Filosofia - Distorções do ConhecimentoKaroline Rodrigues de Melo
 
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2HelenaBray
 
Erro - Comunicação e Expressão
Erro - Comunicação e ExpressãoErro - Comunicação e Expressão
Erro - Comunicação e ExpressãoMarciano Machado
 
Do texto dissertativo ao artigo de opinião
Do texto dissertativo ao artigo de opiniãoDo texto dissertativo ao artigo de opinião
Do texto dissertativo ao artigo de opiniãoAna Paula Felipe
 
Aula sobre argumentação
Aula sobre argumentaçãoAula sobre argumentação
Aula sobre argumentaçãoJamille Rabelo
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. ediçãoSuicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. ediçãoRicardo Azevedo
 
Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?
Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?
Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?Murilo Pinto
 
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoaAd hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoaLuis De Sousa Rodrigues
 
Aula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah Arendt
Aula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah ArendtAula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah Arendt
Aula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah ArendtMairaM
 
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1AnaKlein1
 
Falácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas parece
Falácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas pareceFalácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas parece
Falácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas pareceLucas Heber Mariano
 

Semelhante a Falcias 121204140007-phpapp01 (20)

MéTodos De RaciocíNio
MéTodos De RaciocíNioMéTodos De RaciocíNio
MéTodos De RaciocíNio
 
Falácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - FilosofiaFalácias Informais - Filosofia
Falácias Informais - Filosofia
 
Leaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostorsLeaders fools and_impostors
Leaders fools and_impostors
 
Jeitinho brasileiro
Jeitinho brasileiroJeitinho brasileiro
Jeitinho brasileiro
 
1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento
1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento
1º ano- Filosofia - Distorções do Conhecimento
 
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº2
 
Erro - Comunicação e Expressão
Erro - Comunicação e ExpressãoErro - Comunicação e Expressão
Erro - Comunicação e Expressão
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
Do texto dissertativo ao artigo de opinião
Do texto dissertativo ao artigo de opiniãoDo texto dissertativo ao artigo de opinião
Do texto dissertativo ao artigo de opinião
 
Aula sobre argumentação
Aula sobre argumentaçãoAula sobre argumentação
Aula sobre argumentação
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. ediçãoSuicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
 
Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?
Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?
Comunicação pública em mídias sociais: há espaço para o humor?
 
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoaAd hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
Ad hominem falacioso ou ataque indevido à pessoa
 
Falácias e sofismas
Falácias e sofismasFalácias e sofismas
Falácias e sofismas
 
Aula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah Arendt
Aula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah ArendtAula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah Arendt
Aula 2 - Verdade, Mentira e Política em Hannah Arendt
 
A contra argumentação
A contra argumentaçãoA contra argumentação
A contra argumentação
 
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1
Jornal de Filosofia - Versão Papel - nº1
 
Capitu e o nome da rosa
Capitu e o nome da rosaCapitu e o nome da rosa
Capitu e o nome da rosa
 
Falácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas parece
Falácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas pareceFalácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas parece
Falácias e sofismas - quando o que você diz não é verdade, mas parece
 
0205
02050205
0205
 

Mais de Helena Serrão

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxHelena Serrão
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxHelena Serrão
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxHelena Serrão
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxHelena Serrão
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pietaHelena Serrão
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Helena Serrão
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Helena Serrão
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesHelena Serrão
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaHelena Serrão
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificialHelena Serrão
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daHelena Serrão
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidasHelena Serrão
 

Mais de Helena Serrão (20)

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartes
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Pp4
Pp4Pp4
Pp4
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
 
Logica informal
Logica informalLogica informal
Logica informal
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidas
 

Último

PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 

Último (20)

PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 

Falcias 121204140007-phpapp01

  • 2. O que são falácias? • Os argumentos falaciosos não são logicamente válidos e portanto não podem ser aceites enquanto argumentos. • Podem, no entanto ter força psicológica e conseguir manipular o auditório que é, não apenas racional, mas emocional.
  • 3. "Porque sou a melhor pessoa para este trabalho? Descobri que, entre todos os outros candidatos, considerando as minhas qualificações, eu sou a melhor pessoa para o trabalho.” Petição de princípio
  • 4. "Se legalizarmos o aborto teremos uma diminuição da natalidade e se diminuir a natalidade haverá menos gente a trabalhar, logo mais pobreza, a legalização do aborto só traz pobreza." Bola de neve ou derrapagem
  • 5. "A Filosofia de Nietzsche não vale o papel que se gastou a imprimi-la. Nietzsche era um imoralista que, antes de morrer, ficou completamente louco. Por ter contraído sífilis na juventude." Ad hominem
  • 6. Falácia de ataque ao homem “ad hominem” . Não tem validade o argumento que visa atacar pessoalmente alguém em vez de atacar logicamente as suas ideias.
  • 7. "O Ronaldo andou nas discotecas à noite, daí o seu mau rendimento e por causa disso Portugal perdeu com a Polónia. " Falsa causa ou depois disso por causa disso
  • 8. Falácia da amostra não representativa Aqui no bairro os jovens leem muito, logo este bairro é um bairro de gente que lê.
  • 9. Eu como cientista sou muito distraído, o meu colega também, saímos de casa esquecemo-nos de atar as botas… Todos os cientistas são distraídos. Generaliza ção apressada
  • 10. Apelo ao povo ad populum • As pessoas em geral detestam os políticos. Acham que é só corrupção. Logo só pode ser verdade que os políticos são corruptos.
  • 11. “Tom Cruise é um excelente ator, portanto a Igreja da Cientologia a que pertence e da qual faz propaganda, deve ser um caminho a seguir " Falácia de apelo a uma autoridade não qualificada
  • 12. Falsa analogia “Criei quatro filhos com armas dentro de casa e os meus filhos nunca se feriram porque ensinei –lhes o quanto era perigoso. É como o lume do fogão. As armas são tão perigosas como o lume, e ninguém vai proibir o lume dentro de casa.”
  • 13. Falso dilema Coloca-se uma opção que não é exclusiva , isto é não esgota todas as possibilidades. Ou és fraco ou defendes a guerra. Não és fraco, logo defendes a guerra
  • 14. Boneco de Palha I Falácia do Boneco de palha ou espantalho Interpretação tendenciosa do argumento do adversário, deturpação do argumento adversário. Quem quer legalizar o aborto, quer legalizar a promiscuidade sexual. Somos por uma sexualidade responsável. Somos contra o aborto!
  • 15. Falácia de apelo à ignorância Falácia de dados insuficientes Quando concluímos que algo é verdadeiro porque não se provou que era falso ou vice-versa. Ninguém sabe se Deus existe logo Deus não existe. Existo eu, eu sou Deus.
  • 16. Persuadir não é necessariamente manipular BOM USO DA RETÓRICA; PERSUASÃO • Na persuasão o auditório e o orador são colocados em pé de igualdade. • São dadas razões para aceitar algo, com argumentos válidos. • Não são omitidos os objetivos, há transparência. • • .
  • 17. Mau uso da Retórica Manipulação • O orador assume uma atitude superior, de instrumentalização do auditório. • São cometidas falácias lógicas com poder psicológico. • Apela-se à emoção. • São omitidos dados relevantes.