SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
 O que significa dizer que alguém formulou um juízo
sobre determinado assunto.
 Significa geralmente que alguém formou ou deu uma
opinião.
 Esta opinião é comunicada oralmente ou por escrito
através de uma frase declarativa, que exprime o juízo
formulado.
 Se a frase pôde expressar a opinião ou juízo de alguém
é porque há um significado associado a frase.
Fatos e valores
 Em geral distinguimos dois tipos de juízo:
1. Juízo de fato
2. Juízo de valor.
 Um exemplo do primeiro seria: o sol é uma estrela;
 Um exemplo do segundo seria: o aborto – em certas
circunstancias – é moralmente permissível.
Mas o que são valores?
valores
 Os valores intervêm e influenciam em nossas decisões
nos mais variados campos;
 Os valores morais orientam nossas ações quando está
em causa o bem e o mal, o certo e o errado. A amizade,
o respeito pelos outros, a honestidade e a generosidade
são exemplos de valores éticos (morais).
Juízo de fato
 São descritivos;
 Informam sobre o que se passa na realidade – dizem de
que forma as coisas são.
“A atmosfera terrestre contem oxigênio”
 O juízos de fato tem valor de verdade: são verdadeiros
ou falsos.
 São objetivos;
 A realidade que descrevem, quer nos agrade quer não,
é como é.
 Não depende do que possamos pensar ou sentir
Juízo de valor
“A pena de morte é injusta”
 Este juízo exprime uma atitude desfavorável em
relação a pena de morte;
 Alguém que acredite nele sinceramente não está
apenas a dizer-nos como as coisas se passam na
realidade.
 Não está apenas a descrevê-las;
 Está a dizer-nos como as coisas deveriam ser;
 Está a avaliá-las.
 Dizer que a pena de morte é injusta significa fazer uma
avaliação negativa desta prática;
 Não nos limitamos, portanto, a descrever um fato;
 Estamos a propor a adoção de uma norma de
comportamento
 As normas servem para indicar a maneira como devemos
agir;
 É devido a esta norma que os juízos de valor são
normativos.
 Juízos de fato são descritivos;
 Juízos de valor são normativos.
 Os juízos de fato tratam daquilo que as coisas são;
 Os juízos de valor tratam daquilo que as coisas devem ser.
Filosofia moral de Kant
 Ele estudou detalhadamente duas formas de
manifestação da razão:
 a razão teórica
 a razão prática
 A razão teórica pura permite ao sujeito elaborar o
conhecimento do mundo e da natureza.
 A razão prática pura abre o caminho para o
conhecimento da sociedade
Porque razão pura?
 Kant acredita que existam faculdades que são:
1. “a priori” – por exemplo a razão;
2. “a posteriori” - por exemplo: os conhecimento
adquiridos pela experiência.
 A razão teórica pura corresponde ao “imperativo
categórico”;
 É um instrumento do julgamento moral da razão
prática pura.
No domínio da razão pratica somos livres!
 Por isso a moralidade trata do uso prático e livre da
razão.
Todos os princípios da razão prática são leis universais
que definem nossos deveres, por isso aplicam-se a
todos os indivíduos em qualquer circunstância.
 Existe uma lei moral em nós que é objetiva, e que não
é conhecida pela experiência , mas pela razão.
 Essa lei nos obriga a agir ou nos abster de agir,
simplesmente em razão da ação ser permitida ou
proibida por ela.
A ética de Kant
Age de modo que a máxima da tua vontade possa sempre
valer de lei universal.
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A necessidade de fundamentação da moral introdução
A necessidade de fundamentação da moral   introduçãoA necessidade de fundamentação da moral   introdução
A necessidade de fundamentação da moral introdução
Luis De Sousa Rodrigues
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informais
Isabel Moura
 
A filosofia moral utilitarista de stuart mill
A filosofia moral utilitarista de stuart millA filosofia moral utilitarista de stuart mill
A filosofia moral utilitarista de stuart mill
Filazambuja
 
Posições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrioPosições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrio
Filazambuja
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
António Daniel
 
A filosofia moral de kant
A filosofia moral de kantA filosofia moral de kant
A filosofia moral de kant
Filazambuja
 

Mais procurados (20)

Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
 
Rm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moralRm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moral
 
Rede Concetual da Ação
Rede Concetual da AçãoRede Concetual da Ação
Rede Concetual da Ação
 
A necessidade de fundamentação da moral introdução
A necessidade de fundamentação da moral   introduçãoA necessidade de fundamentação da moral   introdução
A necessidade de fundamentação da moral introdução
 
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informais
 
Teoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de KantTeoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de Kant
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informais
 
A filosofia moral utilitarista de stuart mill
A filosofia moral utilitarista de stuart millA filosofia moral utilitarista de stuart mill
A filosofia moral utilitarista de stuart mill
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valor
 
Posições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrioPosições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrio
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Iniciação à atividade filosófica
Iniciação à atividade filosóficaIniciação à atividade filosófica
Iniciação à atividade filosófica
 
Relativismo e Subjetivismo Moral
Relativismo e Subjetivismo MoralRelativismo e Subjetivismo Moral
Relativismo e Subjetivismo Moral
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
 
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º AnoDeterminismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
 
Tipos de conhecimento
Tipos de conhecimentoTipos de conhecimento
Tipos de conhecimento
 
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do PoetaCanto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
 
A filosofia moral de kant
A filosofia moral de kantA filosofia moral de kant
A filosofia moral de kant
 

Semelhante a Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral

Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)
Aida Cunha
 
Texto25 P7
Texto25 P7Texto25 P7
Texto25 P7
renatotf
 
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio
Resumofilosofia10e11anos testeintermedioResumofilosofia10e11anos testeintermedio
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio
leonor rentroia
 
Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8
Filipe Prado
 
Filosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro anoFilosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro ano
Fabio Santos
 

Semelhante a Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral (20)

Apresentacao filosofia
Apresentacao filosofiaApresentacao filosofia
Apresentacao filosofia
 
Valor
ValorValor
Valor
 
A natureza dos valores L -.pdf
A natureza dos valores L -.pdfA natureza dos valores L -.pdf
A natureza dos valores L -.pdf
 
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e RegrasO que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
 
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio (1)
 
èTica profissional ii
èTica profissional iièTica profissional ii
èTica profissional ii
 
Texto25 P7
Texto25 P7Texto25 P7
Texto25 P7
 
Ética e Cidadania: Compromisso Social
Ética e Cidadania: Compromisso SocialÉtica e Cidadania: Compromisso Social
Ética e Cidadania: Compromisso Social
 
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio
Resumofilosofia10e11anos testeintermedioResumofilosofia10e11anos testeintermedio
Resumofilosofia10e11anos testeintermedio
 
Filosofia 4
Filosofia 4Filosofia 4
Filosofia 4
 
Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8
 
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional  (1ª e 2ª aula) turma gbaÉtica profissional  (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
 
Dimensão Ético-Politica
Dimensão Ético-PoliticaDimensão Ético-Politica
Dimensão Ético-Politica
 
Objetivos de filosofia 2ºteste 1º período tomás
Objetivos de filosofia 2ºteste   1º período tomásObjetivos de filosofia 2ºteste   1º período tomás
Objetivos de filosofia 2ºteste 1º período tomás
 
aula etica 1.ppt
aula etica 1.pptaula etica 1.ppt
aula etica 1.ppt
 
Os valores power point
Os valores power pointOs valores power point
Os valores power point
 
Filosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro anoFilosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro ano
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº3 (10ºAno)
 
Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
 
Filosofia comunicação e ética unidade ii(1)
Filosofia comunicação e ética unidade ii(1)Filosofia comunicação e ética unidade ii(1)
Filosofia comunicação e ética unidade ii(1)
 

Mais de Turma Olímpica

Mais de Turma Olímpica (20)

Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Células-Tronco
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Células-TroncoSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Células-Tronco
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Células-Tronco
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos InvertebradosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Reações Orgânicas
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Reações OrgânicasSlides da aula de Química (Manoel) sobre Reações Orgânicas
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Reações Orgânicas
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Filosofia, Linguagem, Conhecime...
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Filosofia, Linguagem, Conhecime...Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Filosofia, Linguagem, Conhecime...
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Filosofia, Linguagem, Conhecime...
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema RespiratórioSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Introdução à Ecologia
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Introdução à EcologiaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Introdução à Ecologia
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Introdução à Ecologia
 
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Violência
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre ViolênciaSlides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Violência
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Violência
 
Slides da aula de História (Daniel) sobre Revolução Francesa
Slides da aula de História (Daniel) sobre Revolução FrancesaSlides da aula de História (Daniel) sobre Revolução Francesa
Slides da aula de História (Daniel) sobre Revolução Francesa
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre História e Filosofia
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre História e FilosofiaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre História e Filosofia
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre História e Filosofia
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Digestório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema DigestórioSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Digestório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Digestório
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Química Orgânica
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Química OrgânicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Química Orgânica
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Química Orgânica
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Fitormônios
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FitormôniosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Fitormônios
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Fitormônios
 
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Desigualdade Social
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Desigualdade SocialSlides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Desigualdade Social
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Desigualdade Social
 
Slides da aula de Sociologia (João Luís) sobre Cultura e Sociedade
Slides da aula de Sociologia (João Luís) sobre Cultura e SociedadeSlides da aula de Sociologia (João Luís) sobre Cultura e Sociedade
Slides da aula de Sociologia (João Luís) sobre Cultura e Sociedade
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Imunológico
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema ImunológicoSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Imunológico
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Imunológico
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Fisiologia Vegetal
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Fisiologia VegetalSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Fisiologia Vegetal
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Fisiologia Vegetal
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e Frutos
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e FrutosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e Frutos
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e Frutos
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 

Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral

  • 1.
  • 2.  O que significa dizer que alguém formulou um juízo sobre determinado assunto.  Significa geralmente que alguém formou ou deu uma opinião.  Esta opinião é comunicada oralmente ou por escrito através de uma frase declarativa, que exprime o juízo formulado.  Se a frase pôde expressar a opinião ou juízo de alguém é porque há um significado associado a frase.
  • 3. Fatos e valores  Em geral distinguimos dois tipos de juízo: 1. Juízo de fato 2. Juízo de valor.  Um exemplo do primeiro seria: o sol é uma estrela;  Um exemplo do segundo seria: o aborto – em certas circunstancias – é moralmente permissível.
  • 4. Mas o que são valores?
  • 5. valores  Os valores intervêm e influenciam em nossas decisões nos mais variados campos;  Os valores morais orientam nossas ações quando está em causa o bem e o mal, o certo e o errado. A amizade, o respeito pelos outros, a honestidade e a generosidade são exemplos de valores éticos (morais).
  • 6. Juízo de fato  São descritivos;  Informam sobre o que se passa na realidade – dizem de que forma as coisas são. “A atmosfera terrestre contem oxigênio”
  • 7.  O juízos de fato tem valor de verdade: são verdadeiros ou falsos.  São objetivos;  A realidade que descrevem, quer nos agrade quer não, é como é.  Não depende do que possamos pensar ou sentir
  • 8. Juízo de valor “A pena de morte é injusta”
  • 9.  Este juízo exprime uma atitude desfavorável em relação a pena de morte;  Alguém que acredite nele sinceramente não está apenas a dizer-nos como as coisas se passam na realidade.  Não está apenas a descrevê-las;  Está a dizer-nos como as coisas deveriam ser;  Está a avaliá-las.
  • 10.  Dizer que a pena de morte é injusta significa fazer uma avaliação negativa desta prática;  Não nos limitamos, portanto, a descrever um fato;  Estamos a propor a adoção de uma norma de comportamento
  • 11.  As normas servem para indicar a maneira como devemos agir;  É devido a esta norma que os juízos de valor são normativos.  Juízos de fato são descritivos;  Juízos de valor são normativos.  Os juízos de fato tratam daquilo que as coisas são;  Os juízos de valor tratam daquilo que as coisas devem ser.
  • 12. Filosofia moral de Kant  Ele estudou detalhadamente duas formas de manifestação da razão:  a razão teórica  a razão prática
  • 13.  A razão teórica pura permite ao sujeito elaborar o conhecimento do mundo e da natureza.  A razão prática pura abre o caminho para o conhecimento da sociedade
  • 14. Porque razão pura?  Kant acredita que existam faculdades que são: 1. “a priori” – por exemplo a razão; 2. “a posteriori” - por exemplo: os conhecimento adquiridos pela experiência.
  • 15.  A razão teórica pura corresponde ao “imperativo categórico”;  É um instrumento do julgamento moral da razão prática pura. No domínio da razão pratica somos livres!  Por isso a moralidade trata do uso prático e livre da razão.
  • 16. Todos os princípios da razão prática são leis universais que definem nossos deveres, por isso aplicam-se a todos os indivíduos em qualquer circunstância.
  • 17.  Existe uma lei moral em nós que é objetiva, e que não é conhecida pela experiência , mas pela razão.  Essa lei nos obriga a agir ou nos abster de agir, simplesmente em razão da ação ser permitida ou proibida por ela.
  • 18. A ética de Kant Age de modo que a máxima da tua vontade possa sempre valer de lei universal.