SlideShare uma empresa Scribd logo
1 
FACULDADE PARAENSE DE ENSINO 
DISCIPLINA: ENFERMAGEM DO IDOSO 
DOCENTE: VIVIANE FERREIRA 
BELÉM-PA. 
10/2014
2 
DANIELA CAVALCANTE 
JOSIANE TAVARES 
LUCIANE SANTANA 
MARIA DAS GRAÇAS COSTA 
OSVALDINA SOUZA 
ASSUNTO: SAÚDE MENTAL DO IDOSO, USANDO A ESCALA 
DE MEEM 
Este trabalho será avaliado para 
a obtenção de nota parcial, np2 
do 4º semestre do curso de 
Enfermagem, da Faculdade 
Paraense de Ensino (FAPEN). 
Docente: VIVIANE FERREIRA. 
BELÉM-PA. 
10/2014
3 
FACULDADE PARAENSE DE ENSINO 
DANIELA CAVALCANTE -01770001902 
JOSIANE TAVARES -01770002061 
LUCIANE SANTANA -01770002195 
MARIA DAS GRAÇAS COSTA -01770001779 
OSWALDINA SOUZA -01770002220 
: SAÚDE MENTAL DO IDOSO, USANDO A ESCALA DE 
MEEM 
Este trabalho será avaliado para 
a obtenção de nota parcial, np2 
do 4º semestre do curso de 
Enfermagem, da Faculdade 
Paraense de Ensino (FAPEN). 
Área de concentração: SAÚDE 
DO IDOSO 
ORIENTADOR(A): PROF. ENF. 
VIVIANE FERREIRA 
Belém,____de________________ de 2014. 
Banca examinadora 
ORIENTADOR E EXAMINADOR: Prof. Enf. Viviane Ferreira
4 
Sumário 
Introdução ................................................................................................................................. 5 
Principais Transtornos ............................................................................................................ 6 
Demência .................................................................................................................................. 7 
Alzheimer 
Demência Vascular ................................................................................................................. 8 
Esquizofrenia e outros 
Psicose 
Transtornos Depressivos 
Transtorno Bipolar 
Transtorno Delirante............................................................................................ .........9 
Transtornos De Ansiedade 
Transtornos Por Uso De Álcool e Outras Substâncias..............................................10 
Implementação de Enfermagem 
Assistência de Enfermagem aos Principais Transtornos Mentais do Idoso...............11 
Assistência de Enfermagem nos Transtornos Depressivos 
Epidemiologia ............................................................................................................12 
Escala de MEEM......................................................................... ...............................13 
Experiência I 
Experiência II..............................................................................................................14 
Comparação...............................................................................................................15 
Conclusão ..................................................................................................................16 
Referências........................................................................................... .....................17
5 
INTRODUÇÃO 
A velhice caracteriza-se por uma deterioração progressiva dos vários tecidos 
e de todo o organismo, o que costuma provocar a diminuição da capacidade cardio-respiratória 
da força muscular, da resistência dos ossos e da flexibilidade das 
articulações. Trata-se, portanto, de uma nova fase da vida, um período normal do 
ciclo vital com algumas mudanças físicas, mentais e psicológicas que não significam 
necessariamente a existência de doença. No entanto, com o processo de 
envelhecimento chegam à diminuição das faculdades - físicas e mentais - que facilita 
o aparecimento de transtornos mentais, muitos deles evitáveis aliviados ou mesmo 
revertidos. 
Para além dos fatores biológicos inerentes a este processo, existem outros 
que predispõem os idosos a transtornos mentais. Como: a perda de autonomia, a 
morte de amigos e/ou parentes, isolamento social, restrições financeiras, 
agravamento do estado geral de saúde com especial relevância para o 
funcionamento cognitivo (capacidade de compreender e pensar de uma forma 
lógica, com prejuízo na memória)
6 
Principais transtornos psiquiátricos mais comuns em idosos: 
Quadro 01: Principais transtornos psiquiátricos mais comuns em idosos 
DOENÇA FATORES SINTOMAS PREVENÇÃO 
Demência 
Provocada por 
lesões na área 
cortical e 
subcortical do 
cérebro 
Perda de 
memória. Outras 
manifestações 
comuns são a 
dificuldade em 
realizar 
movimentos 
automatizados - 
pentear-se, 
barbear-se, 
limpar-se, vestir-se 
ou comer 
Esforços 
terapêuticos que 
visam a evitar o 
surgimento da 
doença 
Alzheimer 
Doença de 
origem ainda 
desconhecida. 
Caracteriza-se 
por ser uma 
doença cerebral 
degenerativa. 
Esquecimento, 
confusão com 
datas, atenção 
concentração 
diminuídas, perda 
de memória. 
Dificuldades nas 
tarefas 
domésticas. 
Estimulação 
através de 
atividades 
contínuas, 
alimentação 
adequada, 
exercitarem a 
memória com 
leituras, jogos, 
palavras cruzadas 
e 
acompanhamento 
médico periódico. 
Transtorno 
bipolar (do 
humor) 
Acontecimentos 
da vida que 
podem ser 
positivas ou 
negativas 
Incluem euforia, 
humor expansivo 
e irritável, 
necessidade de 
sono diminuída, 
fácil distração, 
impulsividade e, 
frequentemente, 
consumo 
excessivo de 
álcool. 
Tratamento à risca 
é a melhor forma 
de prevenir a 
instabilidade 
emocional e a 
recorrência das 
crises, o que 
assegura a 
possibilidade de 
levar vida 
praticamente 
normal. 
Fonte: Livro da Saúde do Idoso, 2012.
7 
Demência 
A demência é um problema mental grave, provocado por vários tipos de 
lesões no cérebro, que afeta essencialmente os idosos, perturbando todas as 
funções intelectuais e evoluindo de forma progressiva. 
A demência é provocada por lesões nas áreas corticais e subcortical do 
cérebro, onde residem as funções intelectuais superiores, como a consciência, a 
elaboração da linguagem, a automatização dos movimentos, a memória e a 
aprendizagem. Como estas lesões podem ser de acordo com as suas 
características, originadas por diferentes situações, existem vários tipos de 
demência. 
As manifestações são bastante diferentes, pois dependem da localização das 
lesões. A manifestação inicial mais freqüente é a perda de memória. Outras 
manifestações comuns são a dificuldade em realizar movimentos automatizados - 
pentear-se, barbear-se, limpar-se, vestir-se ou comer - para além de alguma 
instabilidade emocional e alterações progressivas da linguagem. 
Demência tipo Alzheimer 
Trata-se do tipo de demência mais comum, sendo que é mais freqüente nas 
mulheres do que nos homens. Caracteriza-se por um início gradual e pelo declínio 
progressivo das funções cognitivas. A memória é a função cognitiva mais afetada, 
mas a linguagem e noção de orientação do indivíduo também são afetadas. 
As alterações do comportamento envolvem depressão, obsessão e 
desconfianças, surtos de raiva com risco de atos violentos. A desorientação leva a 
pessoa a andar sem rumo podendo ser encontrada longe de casa em uma condição 
de total confusão. Aparecem também alterações neurológicas como problemas na 
marcha, na fala, no desempenhar uma função motora e na compreensão do que lhe 
é falado.
8 
Demência vascular 
É o segundo tipo mais comum de demência. Apresenta as mesmas 
características da demência tipo Alzheimer, mas com um início abrupto e um curso 
gradualmente deteriorante. Pode ser prevenida através da redução de fatores de 
risco como hipertensão, diabetes, tabagismo e arritmias. 
Esquizofrenia e outras psicoses 
Apesar de estas doenças ocorrerem com mais frequência no final da 
adolescência ou idade adulta jovem, elas persistem para toda a vida. Os sintomas 
incluem isolamento social, comportamento excêntrico, pensamento ilógico, 
alucinações e afeto rígido. 
Transtornos depressivos 
Os transtornos depressivos têm alta prevalência entre a população idosa e 
estão associados a um impacto negativo em seu estado de saúde e qualidade de 
vida. As alterações sociais - diminuição da atividade, perda de entes próximos, etc. - 
que ocorrem nesta fase da vida estão associados ao desenvolvimento de 
depressão. 
Os sintomas incluem diminuição da concentração e memória, problemas de 
sono, diminuição do apetite, perda de peso e queixas somáticas (como dores pelo 
corpo). 
Transtorno bipolar (do humor) 
O transtorno bipolar do humor é uma doença do foro psíquico que tem cada 
vez mais expressão na população em geral. Caracteriza-se por desequi líbrios no 
humor, uma entidade maleável que se modifica de acordo com os acontecimentos 
da vida. Quando ocorre um transtorno do humor significa que a pessoa está a reagir 
de modo incompatível ou exagerado a determinada situação. Esse desequilíbrio no 
humor tanto pode ser positivo (estado maníaco) como negativo (estado depressivo). 
Os sintomas deste transtorno nos idosos são semelhantes aos dos adultos 
mais jovens e inclui euforia, humor expansivo e irritável, necessidade de sono 
diminuída, fácil distração, impulsividade e, frequentemente, consumo excessivo de
álcool. Pode ainda haver um comportamento hostil e desconfiado. Quando um 
primeiro episódio de comportamento maníaco ocorre após os 65 anos, deve-se 
alertar para uma causa orgânica associada. 
Transtorno delirante 
Trata-se de um transtorno onde as idéias surgem com convicção absoluta em 
si mesma, sem qualquer derivação da cultura, das crenças e das convicções do 
indivíduo. Habitualmente, a idade de início deste transtorno ocorre por volta da meia-idade, 
9 
mas também pode ocorrer em idosos. 
Os sintomas mais comuns são alterações do pensamento de natureza 
persecutória (os doentes acreditam que estão a ser seguidos), e em relação ao 
corpo, como acreditar que tem uma doença fatal (hipocondria). Os doentes podem 
ainda tornar-se violentos e isolarem-se socialmente. 
As alterações do pensamento podem acompanhar outras doenças 
psiquiátricas que devem ser descartadas como demência tipo Alzheimer, transtornos 
por uso de álcool, esquizofrenia, transtornos depressivos e transtorno bipolar. 
Transtornos de ansiedade 
A ansiedade é um sentimento incomodativo, disperso e indefinido, que pode 
ser acompanhado de sensações como um frio no estômago, aperto no peito, 
tremores e até falta de ar. Na maioria dos casos, é uma reação normal ao stress do 
dia-a-dia, pois é a forma como o corpo humano o enfrenta. Portanto, as reações de 
ansiedade normais não precisam ser tratadas uma vez que elas são naturais e 
esperadas. No entanto, quando a ansiedade se transforma num medo irracional 
excessivo, pânico e desenvolvimento de fobias, ela passa a ser patológica e 
transforma-se num transtorno incapacitante, conhecido como transtorno de 
ansiedade. 
Nos idosos a fragilidade do sistema nervoso autônomo pode explicar o 
desenvolvimento deste tipo de transtorno. Os principais sintomas são a dificuldade 
de concentração, desorientação e perda de memória, dores musculares, dores de 
cabeça e falta de ar, transpiração excessiva, fadiga, irritabilidade e tensão 
muscular, insônias e perturbações no sono.
10 
Transtornos por uso de álcool e outras substâncias 
Frequentemente os idosos podem iniciar um quadro de dependência 
alcoólica ou a medicamentos devido à automedicação. Por exemplo, tornar habitual 
beber uma dose de álcool todos os dias para relaxar, ou aliviar uma situação de 
maior ansiedade com a toma de medicamentos sedativos. 
No entanto, a dependência de álcool, geralmente, apresenta uma história de 
consumo excessivo que começou na idade adulta e freqüentemente está associada 
a uma doença médica, principalmente doença hepática. Além disso, a dependência 
ao álcool está claramente associada a uma maior incidência de quadros demências. 
Já a dependência de substâncias como hipnóticos, ansiolíticos e narcóticos é 
comum nos idosos para o alívio da ansiedade crônica ou para garantirem uma noite 
de sono. 
Implementação da enfermagem em idosos com TMS 
A fase de implementação do processo de enfermagem, envolve a execução 
do plano de cuidado de enfermagem proposto. O profissional de enfermagem 
assume a responsabilidade pela sua implementação que pode ser realizada pelos 
pacientes e familiares, membros da equipe de enfermagem e por outros membros 
da equipe de saúde, quando apropriado. Portanto, a coordenação das atividades de 
todos aqueles que estão envolvidos na responsabilidade do enfermeiro, de modo 
que a agenda de atividades facilite a recuperação do paciente. 
Assim, dentre as prescrições de enfermagem inclui-se a assistência com os 
cuidados de higiene; a promoção do conforto físico e psicológico; a sustentação das 
funções respiratória e de eliminação; a facilitação da ingestão de alimentos, líquidos 
e nutrientes; o controle do ambiente imediato do paciente; a implementação da 
educação em saúde; a promoção de um relacionamento terapêutico e a realização 
de diversas atividades de enfermagem terapêuticas.
Assistência de enfermagem aos principais transtornos mentais do 
idoso: 
 O profissional de enfermagem deve estar atento não somente aos sinais e 
sintomas clínicos do idoso, mas também aos seus sentimentos emergentes, 
nesta fase; 
 Oferecer apoio e valorização para o idoso, destacando suas vivências ao 
longo da vida e trocando experiências para melhorar sua auto-estima e 
autoconfiança, tornando mais tranqüila esta fase tão discriminada na vida; 
 Respeitar as limitações impostas não só por diagnósticos específicos, mas 
sim pelas particularidades de cada indivíduo, suas crenças, valores, ritmo de 
vida, 
 Planejar ações de enfermagem, como por exemplo: pacientes com demência 
deverão ser avaliados pelo grau de compreensão e as orientações deverão 
ser repetidas quantas vezes se fizerem necessárias; 
 Ter cuidados práticos com o ambiente é muito importante a fim de que se 
11 
evitem acidentes, como por exemplo, evitar piso encerado, molhado. 
Assistência de enfermagem nos transtornos depressivos: 
 Impedir que o paciente fizesse qualquer ato prejudicial a si mesmo, 
observando e mantendo vigilância discreta e constante; 
 Estabelecer e manter atendimento adequado nas áreas de alimentação, 
hidratação, repouso e sono; 
 Ajudar nos cuidados higiênicos (banho, higiene bucal), se necessário; 
 Encorajar a expressão de sentimentos e pensamentos; 
 Orientá-lo para a realidade e oferecer segurança, desenvolvendo junto com o 
mesmo sentimento de auto estima, confiança e motivação; 
 Ajudá-lo a controlar sua ansiedade e medo, oferecendo apoio; 
 Ajudá-lo a socializar-se; 
 Estimulá-lo a ocupar-se com atividades que goste de realizar, dando-lhe o 
reforço positivo.
12 
Epidemiologia 
O envelhecimento populacional vem provocando um aumento contínuo no 
número de idosos que buscam atendimento para problemas de saúde mental. Os 
diagnósticos psiquiátricos foram realizados segundo diretrizes da CID-10 feitos 
durante um período de uma semana numa clinica especializa em tais ocorrências, 
7,3% desses indivíduos tinham 60 ou mais anos de idade. A idade média dos idosos 
era de 68,66, e houve um excesso relativo de mulheres entre os idosos. Transtorno 
do humor foi o diagnóstico sindrômico mais comum entre os idosos (40,0%), sendo 
2,24 vezes mais freqüente entre mulheres. Na maior parte desses casos (78,2%) a 
presença de um episódio depressivo maior foi a causa da consulta. 14% dos idosos 
atendidos apresentavam uma síndrome demência como principal diagnóstico. 
Outros diagnósticos freqüentes foram transtornos ansiosos (15,4%) e 
esquizofreniformes (14,4%), alcoolismo (4,1%), e abuso de sedativos (2,6%). 59% 
dos idosos atendidos recebem tratamento ambulatorial, enquanto 20,3% dos casos 
necessitaram de acompanhamento em regime de internação. Os transtornos 
mentais do idoso já representam uma parcela importante dos atendimentos 
realizados em um pronto-socorro psiquiátrico. É importante que os profissionais de 
saúde estejam cientes das particularidades dos quadros clínicos nessa faixa etária. 
O Brasil conta hoje com aproximadamente 13 milhões de indivíduos com mais de 60 
anos de idade. Esse grupo etário, que no momento representa 8% do total da 
população brasileira, é aquele que mais rapidamente vem crescendo no país. De 
fato, estima-se que nos próximos 25 anos o número de idosos vivendo no Brasil 
deverá praticamente duplicar, estabelecendo de forma definitiva uma verdadeira 
revolução demográfica em um país que, até pouco tempo, era considerado jovem.
13 
ESCALA DE MINI EXAME DO ESTADO MENTAL-MEEM 
Experiência do idoso I 
Na avaliação do cliente Antenor Pinheiro Cavalcante, 74 anos com a 
utilização do Anexo 3 do caderno de atenção básica, que consta na página 138 que 
visa realizar a uma avaliação cognitiva foi realizada a avaliação e notado certa 
insegurança do cliente, que possui o ensino médio completo. Na avaliação da 
orientação temporal, o cliente obteve 4 pontos, errando ao ser perguntado em que 
ano estamos, onde a resposta deveria ser 2014 e o paciente respondeu 1914, 2914. 
Na avaliação espacial o paciente obteve 5 pontos acertando todas as perguntas. 
Depois foram repetidas duas vezes as seguintes palavras: caneca, tijolo e 
tapete, para o cliente poder repeti-las corretamente adquirindo mais 3 pontos. Na 
sequência dando prosseguimento no teste foi perguntado ao paciente quanto seria 
100-7, onde ele respondeu corretamente 93, e ao pedi-lo para subtrair 7, o idoso 
apresentou muito nervosismo não sabendo responder, com isso foi pedido ao idoso 
que soletrasse a palavra MUNDO, o qual também o idoso não conseguiu. 
Na sequência foi pedido para o idoso repetir as três palavras ditas 
anteriormente e após alguns segundos o idoso às repetiu corretamente e na mesma 
ordem, adquirindo assim mais 3 pontos e também foi acrescentado mais 3 pontos 
após o idoso pegar um papel com a mão direita, dobrá-lo ao meio e colocá-lo no 
chão sem dificuldades. 
Ao pedir que o idoso escrevesse de olhos fechados a frase ‘’Feche os olhos’ ’, 
o mesmo executou a tarefa, porém cometeu um erro gramatical, porém mesmo com 
o erro foi acrescentado mais 1 ponto. Consecutivamente foi pedido para que o idoso 
escrevesse uma frase completa e ao executá-la corretamente, foi acrescentado mais 
1 ponto. Em seguida foi mostrada uma figura, e pedido para que o idoso o 
desenhasse e no desenho pode perceber-se uma semelhança com a imagem 
mostrada. Depois foi pedido que o idoso desenhasse um relógio onde o mesmo 
marcasse duas horas e 50 minutos, o seu desenho foi feito com um mostrador 
grande onde couberam todos os numerais, porém, ao desenhar os ponteiros o idoso 
apresentou certa dificuldade.
No teste de fluência verbal por categorias semânticas, onde foi solicitado que 
o idoso falasse o maior número de nomes de animais no tempo de 1 minuto, onde o 
idoso falou um total 13 nomes de animais repetindo um nome e falou rapidamente 
os 8 primeiros os seguintes foram falados com um espaço de tempo de 
aproximadamente 7 segundos. A avaliação durou 11 minutos e 56 segundos onde o 
idoso pontuou 27 pontos. 
14 
Experiência do idoso II 
Nome: Luiz Constantino de França 
Nascimento: 02/10/14. 78 anos. 
No dia 20 de Outubro por volta das 12h foi realizado o teste de entrevista, sendo 
usada a escala de (MEEN). 
O Sr. Luiz, idoso, ativo de suas funções física e totalmente independente, 
dono de uma banca de revista há 30 anos, possui habilidades na leitura e na 
matemática. Ele tem a 4ª do ensino fundamental. Sobre o teste ao perguntar ao Sr. 
Luiz sobre a orientação temporal e orientação espacial ele respondeu tudo com 
firmeza e exatidão. Quando pedi para repetir as palavras: caneca, tijolo e tapete o 
mesmo teve dificuldade de falar em 10min. Depois pedi que ele repetisse as 
mesmas palavras só a última (tapete) que esqueceu. 
Sobre o cálculo R$ 100 – R$ 7 = 93 – Tranqüilo. Ao reconhecer os objetos, 
também reconheceu e falou os nomes de forma segura. Pedi ao Sr. Luiz que 
escrevesse uma frase. Ele escreveu ‘’Eu amo meus fi lhos’’. Pois o Sr. Lui z por ter 
somente a série de alfabetização, sempre escreveu assim. E também escrevi num 
outro papel uma frase e pedi a ele pra ler e o Sr. Luiz leu muito bem. 
Agora sobre o teste de fluência verbal em 1minuto ele falou e escreveu 15 
animais sobre o desenho tanto o polígono e o relógio o Sr. Luiz teve dificuldade em 
executar essa tarefa principalmente ao desenhar o relógio, colocar os numerais e os 
ponteiros.
15 
COMPARAÇÃO DAS EXPERIÊNCIAS I e II 
Ao aplicar á escala de MEEM em ambos os idosos, podemos perceber que 
apesar de sua idade ambos obtiveram uma boa aptidão no exame, porém o idoso I 
se apresentou nervoso não conseguindo responder ao questionário da questão 4 
que envolve cálculos porém obteve um melhor desenvolvimento ao planeja os 
desenhos solicitados à ele, diferentemente do idoso II que ao realizar o exame se 
mostrou tranquilo, respondendo corretamente ao questionário da questão 4, porém 
mostrou dificuldades ao desenvolver os desenhos que lhe foi solicitado.
16 
CONCLUSÃO 
A população idosa crescente no mundo é tema de preocupação a e qualidade 
de vida para esta população. A saúde mental tem sido enfatizada e, assimo objetivo 
deste trabalho é mostrar os efeitos da atividade física e mental sobre o idoso. 
Usando o MEEM com ênfase no envelhecimento, aspectos positivos e negativos da 
saúde mental e efeitos na cognação física sobre o idoso praticante de exercícios 
hábitos de leituras enfim garantem uma 3ª idade de qualidade. A metodologia 
abrange caracterização da investigação, localização das fontes da demência do 
idoso.
17 
REFERÊNCIAS 
 Tamai S. Epidemiologia do envelhecimento no Brasil. In: Forlenza OV, 
Almeida OP, editores. Depressão e demência no idoso: tratamento 
psicológico e farmacológico. São Paulo: Lemos Editorial; 1997.p. 11-24 
 Ramos LR, Veras RP, Kalache A. O envelhecimento populacional: uma 
realidade brasileira. Rev Saúde Pública 1987; 21: 211-24. 
 Almeida Filho N, Santana VS, Pinho AR. Estudo epidemiológico dos 
transtornos mentais em uma população de idosos: área urbana de Salvador- 
BA. J Bras Psiquiatr 1984; 33: 114-20.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Transtornos ansiosos
Transtornos ansiososTranstornos ansiosos
Transtornos ansiosos
Aroldo Gavioli
 
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.pptEMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
Rafaela Amanso
 
Transtorno do Estresse pós traumático
Transtorno do Estresse pós traumáticoTranstorno do Estresse pós traumático
Transtorno do Estresse pós traumático
Patricia Nunes
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
Simone Elisa Heitor
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
Adriana Emidio
 
Transtorno de ansiedade
Transtorno de ansiedadeTranstorno de ansiedade
Transtorno de ansiedade
Fernanda Marinho
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Eliane Santos
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Cintia Colotoni
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Andressa Macena
 
117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii
Silvana Eloisa
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Lorena Albuquerque Vieira
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Aroldo Gavioli
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
Jose Roberto
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
Shirley Kellen Ferreira
 
Um Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre EsquizofreniaUm Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre Esquizofrenia
Camila Ferreira
 
Psicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e AdolescênciaPsicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e Adolescência
Claudia Paola Aguilar
 
A história da loucura
A história da loucuraA história da loucura
A história da loucura
Lucienia Martins
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
Inaiara Bragante
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Alexandre Simoes
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
Maria Gabriela Gomes Cavalcante
 

Mais procurados (20)

Transtornos ansiosos
Transtornos ansiososTranstornos ansiosos
Transtornos ansiosos
 
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.pptEMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
 
Transtorno do Estresse pós traumático
Transtorno do Estresse pós traumáticoTranstorno do Estresse pós traumático
Transtorno do Estresse pós traumático
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
 
Transtorno de ansiedade
Transtorno de ansiedadeTranstorno de ansiedade
Transtorno de ansiedade
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
 
Um Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre EsquizofreniaUm Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre Esquizofrenia
 
Psicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e AdolescênciaPsicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e Adolescência
 
A história da loucura
A história da loucuraA história da loucura
A história da loucura
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
 

Destaque

CONFUSÃO MENTAL NO IDOSO
CONFUSÃO MENTAL NO IDOSOCONFUSÃO MENTAL NO IDOSO
CONFUSÃO MENTAL NO IDOSO
Rubens Junior
 
Esquizofrenia e Neurogenética Associada
Esquizofrenia e Neurogenética AssociadaEsquizofrenia e Neurogenética Associada
Esquizofrenia e Neurogenética Associada
Liga Acadêmica de Genética Médica
 
Esquizofrenia 14
Esquizofrenia 14Esquizofrenia 14
Seminario saude mental
Seminario saude mentalSeminario saude mental
Seminario saude mental
morganal13
 
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
saude mental no sus
saude mental no sussaude mental no sus
saude mental no sus
Aline Zanatta
 
Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen) Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen)
Luciane Santana
 
Manual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mentalManual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mental
Alinebrauna Brauna
 
Trabalho saúde do trabalhador e serviço social
Trabalho  saúde do trabalhador e serviço socialTrabalho  saúde do trabalhador e serviço social
Trabalho saúde do trabalhador e serviço social
luciana couto
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Jessica Monteiro
 
Avaliação do Idoso
Avaliação do IdosoAvaliação do Idoso
Avaliação do Idoso
Katia Cristina
 
Depressão na pessoa idosa rui grilo
Depressão na pessoa idosa    rui griloDepressão na pessoa idosa    rui grilo
Depressão na pessoa idosa rui grilo
Rui Grilo
 
Depressão geriatria
Depressão geriatriaDepressão geriatria
Depressão geriatria
Cláudia Sofia
 
Depressao no idoso
Depressao no idosoDepressao no idoso
Depressao no idoso
Isabel Teixeira
 
Medula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos EspinhaisMedula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos Espinhais
Vânia Caldeira
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
caritolao
 
O trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps adO trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps ad
Alinebrauna Brauna
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
Marisa Almeida
 

Destaque (20)

CONFUSÃO MENTAL NO IDOSO
CONFUSÃO MENTAL NO IDOSOCONFUSÃO MENTAL NO IDOSO
CONFUSÃO MENTAL NO IDOSO
 
Esquizofrenia e Neurogenética Associada
Esquizofrenia e Neurogenética AssociadaEsquizofrenia e Neurogenética Associada
Esquizofrenia e Neurogenética Associada
 
Esquizofrenia 14
Esquizofrenia 14Esquizofrenia 14
Esquizofrenia 14
 
Seminario saude mental
Seminario saude mentalSeminario saude mental
Seminario saude mental
 
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
 
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
 
saude mental no sus
saude mental no sussaude mental no sus
saude mental no sus
 
Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen) Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen)
 
Manual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mentalManual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mental
 
Trabalho saúde do trabalhador e serviço social
Trabalho  saúde do trabalhador e serviço socialTrabalho  saúde do trabalhador e serviço social
Trabalho saúde do trabalhador e serviço social
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
 
Avaliação do Idoso
Avaliação do IdosoAvaliação do Idoso
Avaliação do Idoso
 
Depressão na pessoa idosa rui grilo
Depressão na pessoa idosa    rui griloDepressão na pessoa idosa    rui grilo
Depressão na pessoa idosa rui grilo
 
Depressão geriatria
Depressão geriatriaDepressão geriatria
Depressão geriatria
 
Depressao no idoso
Depressao no idosoDepressao no idoso
Depressao no idoso
 
Medula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos EspinhaisMedula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos Espinhais
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
O trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps adO trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps ad
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
 

Semelhante a Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM

1193433844 alzheimer
1193433844 alzheimer1193433844 alzheimer
1193433844 alzheimer
Pelo Siro
 
Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29
Liberty Ensino
 
ESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificações
ESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificaçõesESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificações
ESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificações
kadrikasecomerce
 
ESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristica
ESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristicaESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristica
ESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristica
kadrikasecomerce
 
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
MartaMatos44
 
demecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docxdemecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docx
IsabelCristinaAlmeid5
 
artigo esquizofrenia.pptx
artigo esquizofrenia.pptxartigo esquizofrenia.pptx
artigo esquizofrenia.pptx
milene209662
 
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docxPsicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
PatriciaAiresCosta1
 
Alzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docxAlzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docx
IsabelCristinaAlmeid5
 
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do AdolescenteTranstornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
Andressa Macena
 
Medicina
MedicinaMedicina
Medicina
catarinni
 
A esquizofrenia
A esquizofreniaA esquizofrenia
A esquizofrenia
Marcos Figueiredo
 
Demência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & ParkinsonDemência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & Parkinson
Helena13dias
 
Guia pratico sobre psicoses
Guia pratico sobre psicosesGuia pratico sobre psicoses
Guia pratico sobre psicoses
SUELI SANTOS
 
Guia pratico psicoses
Guia pratico psicosesGuia pratico psicoses
Guia pratico psicoses
Creise Paula
 
Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1
Ana Lopes
 
Doença alzheimer
Doença alzheimerDoença alzheimer
Doença alzheimer
Isolete Bagatoli
 
Guia rápido de perturbações psicológicas
Guia rápido de perturbações psicológicasGuia rápido de perturbações psicológicas
Guia rápido de perturbações psicológicas
Oficina Psicologia
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervosoDoenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
Pedui
 
Webpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdf
Webpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdfWebpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdf
Webpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdf
DaniloRibeirodosSant3
 

Semelhante a Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM (20)

1193433844 alzheimer
1193433844 alzheimer1193433844 alzheimer
1193433844 alzheimer
 
Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29
 
ESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificações
ESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificaçõesESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificações
ESQUIZOFRENIA seus sintomas e classificações
 
ESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristica
ESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristicaESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristica
ESQUIZOFRENIA, seus sintomas e caracteristica
 
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
3553_-_saude_mental_na_3._idade.pptx
 
demecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docxdemecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docx
 
artigo esquizofrenia.pptx
artigo esquizofrenia.pptxartigo esquizofrenia.pptx
artigo esquizofrenia.pptx
 
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docxPsicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
 
Alzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docxAlzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docx
 
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do AdolescenteTranstornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
 
Medicina
MedicinaMedicina
Medicina
 
A esquizofrenia
A esquizofreniaA esquizofrenia
A esquizofrenia
 
Demência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & ParkinsonDemência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & Parkinson
 
Guia pratico sobre psicoses
Guia pratico sobre psicosesGuia pratico sobre psicoses
Guia pratico sobre psicoses
 
Guia pratico psicoses
Guia pratico psicosesGuia pratico psicoses
Guia pratico psicoses
 
Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1
 
Doença alzheimer
Doença alzheimerDoença alzheimer
Doença alzheimer
 
Guia rápido de perturbações psicológicas
Guia rápido de perturbações psicológicasGuia rápido de perturbações psicológicas
Guia rápido de perturbações psicológicas
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervosoDoenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
 
Webpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdf
Webpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdfWebpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdf
Webpalestra_TranstornosMentais Infância_Adolescência.pdf
 

Mais de Luciane Santana

ISOPO-PAI das Fábulas
ISOPO-PAI das FábulasISOPO-PAI das Fábulas
ISOPO-PAI das Fábulas
Luciane Santana
 
Demostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalarDemostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalar
Luciane Santana
 
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Luciane Santana
 
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Luciane Santana
 
Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação
Luciane Santana
 
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Luciane Santana
 
Câncer de mama
 Câncer de mama Câncer de mama
Câncer de mama
Luciane Santana
 
Iras-Infecções respiratoria aguda
Iras-Infecções respiratoria agudaIras-Infecções respiratoria aguda
Iras-Infecções respiratoria aguda
Luciane Santana
 
Câncer de mama
Câncer de mamaCâncer de mama
Câncer de mama
Luciane Santana
 
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico  Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Luciane Santana
 
Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje
Luciane Santana
 
Planejamento familíar
Planejamento familíarPlanejamento familíar
Planejamento familíar
Luciane Santana
 
Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.
Luciane Santana
 
Autismo
AutismoAutismo
Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)
Luciane Santana
 
Diabetes Mellitus
Diabetes MellitusDiabetes Mellitus
Diabetes Mellitus
Luciane Santana
 
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na EnfermagemGerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Luciane Santana
 
Artigo:Gerenciamento fisico e material
Artigo:Gerenciamento fisico  e materialArtigo:Gerenciamento fisico  e material
Artigo:Gerenciamento fisico e material
Luciane Santana
 
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemTuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Luciane Santana
 
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Luciane Santana
 

Mais de Luciane Santana (20)

ISOPO-PAI das Fábulas
ISOPO-PAI das FábulasISOPO-PAI das Fábulas
ISOPO-PAI das Fábulas
 
Demostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalarDemostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalar
 
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
 
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
 
Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação
 
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
 
Câncer de mama
 Câncer de mama Câncer de mama
Câncer de mama
 
Iras-Infecções respiratoria aguda
Iras-Infecções respiratoria agudaIras-Infecções respiratoria aguda
Iras-Infecções respiratoria aguda
 
Câncer de mama
Câncer de mamaCâncer de mama
Câncer de mama
 
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico  Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
 
Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje
 
Planejamento familíar
Planejamento familíarPlanejamento familíar
Planejamento familíar
 
Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)
 
Diabetes Mellitus
Diabetes MellitusDiabetes Mellitus
Diabetes Mellitus
 
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na EnfermagemGerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
 
Artigo:Gerenciamento fisico e material
Artigo:Gerenciamento fisico  e materialArtigo:Gerenciamento fisico  e material
Artigo:Gerenciamento fisico e material
 
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemTuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
 
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
 

Último

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM

  • 1. 1 FACULDADE PARAENSE DE ENSINO DISCIPLINA: ENFERMAGEM DO IDOSO DOCENTE: VIVIANE FERREIRA BELÉM-PA. 10/2014
  • 2. 2 DANIELA CAVALCANTE JOSIANE TAVARES LUCIANE SANTANA MARIA DAS GRAÇAS COSTA OSVALDINA SOUZA ASSUNTO: SAÚDE MENTAL DO IDOSO, USANDO A ESCALA DE MEEM Este trabalho será avaliado para a obtenção de nota parcial, np2 do 4º semestre do curso de Enfermagem, da Faculdade Paraense de Ensino (FAPEN). Docente: VIVIANE FERREIRA. BELÉM-PA. 10/2014
  • 3. 3 FACULDADE PARAENSE DE ENSINO DANIELA CAVALCANTE -01770001902 JOSIANE TAVARES -01770002061 LUCIANE SANTANA -01770002195 MARIA DAS GRAÇAS COSTA -01770001779 OSWALDINA SOUZA -01770002220 : SAÚDE MENTAL DO IDOSO, USANDO A ESCALA DE MEEM Este trabalho será avaliado para a obtenção de nota parcial, np2 do 4º semestre do curso de Enfermagem, da Faculdade Paraense de Ensino (FAPEN). Área de concentração: SAÚDE DO IDOSO ORIENTADOR(A): PROF. ENF. VIVIANE FERREIRA Belém,____de________________ de 2014. Banca examinadora ORIENTADOR E EXAMINADOR: Prof. Enf. Viviane Ferreira
  • 4. 4 Sumário Introdução ................................................................................................................................. 5 Principais Transtornos ............................................................................................................ 6 Demência .................................................................................................................................. 7 Alzheimer Demência Vascular ................................................................................................................. 8 Esquizofrenia e outros Psicose Transtornos Depressivos Transtorno Bipolar Transtorno Delirante............................................................................................ .........9 Transtornos De Ansiedade Transtornos Por Uso De Álcool e Outras Substâncias..............................................10 Implementação de Enfermagem Assistência de Enfermagem aos Principais Transtornos Mentais do Idoso...............11 Assistência de Enfermagem nos Transtornos Depressivos Epidemiologia ............................................................................................................12 Escala de MEEM......................................................................... ...............................13 Experiência I Experiência II..............................................................................................................14 Comparação...............................................................................................................15 Conclusão ..................................................................................................................16 Referências........................................................................................... .....................17
  • 5. 5 INTRODUÇÃO A velhice caracteriza-se por uma deterioração progressiva dos vários tecidos e de todo o organismo, o que costuma provocar a diminuição da capacidade cardio-respiratória da força muscular, da resistência dos ossos e da flexibilidade das articulações. Trata-se, portanto, de uma nova fase da vida, um período normal do ciclo vital com algumas mudanças físicas, mentais e psicológicas que não significam necessariamente a existência de doença. No entanto, com o processo de envelhecimento chegam à diminuição das faculdades - físicas e mentais - que facilita o aparecimento de transtornos mentais, muitos deles evitáveis aliviados ou mesmo revertidos. Para além dos fatores biológicos inerentes a este processo, existem outros que predispõem os idosos a transtornos mentais. Como: a perda de autonomia, a morte de amigos e/ou parentes, isolamento social, restrições financeiras, agravamento do estado geral de saúde com especial relevância para o funcionamento cognitivo (capacidade de compreender e pensar de uma forma lógica, com prejuízo na memória)
  • 6. 6 Principais transtornos psiquiátricos mais comuns em idosos: Quadro 01: Principais transtornos psiquiátricos mais comuns em idosos DOENÇA FATORES SINTOMAS PREVENÇÃO Demência Provocada por lesões na área cortical e subcortical do cérebro Perda de memória. Outras manifestações comuns são a dificuldade em realizar movimentos automatizados - pentear-se, barbear-se, limpar-se, vestir-se ou comer Esforços terapêuticos que visam a evitar o surgimento da doença Alzheimer Doença de origem ainda desconhecida. Caracteriza-se por ser uma doença cerebral degenerativa. Esquecimento, confusão com datas, atenção concentração diminuídas, perda de memória. Dificuldades nas tarefas domésticas. Estimulação através de atividades contínuas, alimentação adequada, exercitarem a memória com leituras, jogos, palavras cruzadas e acompanhamento médico periódico. Transtorno bipolar (do humor) Acontecimentos da vida que podem ser positivas ou negativas Incluem euforia, humor expansivo e irritável, necessidade de sono diminuída, fácil distração, impulsividade e, frequentemente, consumo excessivo de álcool. Tratamento à risca é a melhor forma de prevenir a instabilidade emocional e a recorrência das crises, o que assegura a possibilidade de levar vida praticamente normal. Fonte: Livro da Saúde do Idoso, 2012.
  • 7. 7 Demência A demência é um problema mental grave, provocado por vários tipos de lesões no cérebro, que afeta essencialmente os idosos, perturbando todas as funções intelectuais e evoluindo de forma progressiva. A demência é provocada por lesões nas áreas corticais e subcortical do cérebro, onde residem as funções intelectuais superiores, como a consciência, a elaboração da linguagem, a automatização dos movimentos, a memória e a aprendizagem. Como estas lesões podem ser de acordo com as suas características, originadas por diferentes situações, existem vários tipos de demência. As manifestações são bastante diferentes, pois dependem da localização das lesões. A manifestação inicial mais freqüente é a perda de memória. Outras manifestações comuns são a dificuldade em realizar movimentos automatizados - pentear-se, barbear-se, limpar-se, vestir-se ou comer - para além de alguma instabilidade emocional e alterações progressivas da linguagem. Demência tipo Alzheimer Trata-se do tipo de demência mais comum, sendo que é mais freqüente nas mulheres do que nos homens. Caracteriza-se por um início gradual e pelo declínio progressivo das funções cognitivas. A memória é a função cognitiva mais afetada, mas a linguagem e noção de orientação do indivíduo também são afetadas. As alterações do comportamento envolvem depressão, obsessão e desconfianças, surtos de raiva com risco de atos violentos. A desorientação leva a pessoa a andar sem rumo podendo ser encontrada longe de casa em uma condição de total confusão. Aparecem também alterações neurológicas como problemas na marcha, na fala, no desempenhar uma função motora e na compreensão do que lhe é falado.
  • 8. 8 Demência vascular É o segundo tipo mais comum de demência. Apresenta as mesmas características da demência tipo Alzheimer, mas com um início abrupto e um curso gradualmente deteriorante. Pode ser prevenida através da redução de fatores de risco como hipertensão, diabetes, tabagismo e arritmias. Esquizofrenia e outras psicoses Apesar de estas doenças ocorrerem com mais frequência no final da adolescência ou idade adulta jovem, elas persistem para toda a vida. Os sintomas incluem isolamento social, comportamento excêntrico, pensamento ilógico, alucinações e afeto rígido. Transtornos depressivos Os transtornos depressivos têm alta prevalência entre a população idosa e estão associados a um impacto negativo em seu estado de saúde e qualidade de vida. As alterações sociais - diminuição da atividade, perda de entes próximos, etc. - que ocorrem nesta fase da vida estão associados ao desenvolvimento de depressão. Os sintomas incluem diminuição da concentração e memória, problemas de sono, diminuição do apetite, perda de peso e queixas somáticas (como dores pelo corpo). Transtorno bipolar (do humor) O transtorno bipolar do humor é uma doença do foro psíquico que tem cada vez mais expressão na população em geral. Caracteriza-se por desequi líbrios no humor, uma entidade maleável que se modifica de acordo com os acontecimentos da vida. Quando ocorre um transtorno do humor significa que a pessoa está a reagir de modo incompatível ou exagerado a determinada situação. Esse desequilíbrio no humor tanto pode ser positivo (estado maníaco) como negativo (estado depressivo). Os sintomas deste transtorno nos idosos são semelhantes aos dos adultos mais jovens e inclui euforia, humor expansivo e irritável, necessidade de sono diminuída, fácil distração, impulsividade e, frequentemente, consumo excessivo de
  • 9. álcool. Pode ainda haver um comportamento hostil e desconfiado. Quando um primeiro episódio de comportamento maníaco ocorre após os 65 anos, deve-se alertar para uma causa orgânica associada. Transtorno delirante Trata-se de um transtorno onde as idéias surgem com convicção absoluta em si mesma, sem qualquer derivação da cultura, das crenças e das convicções do indivíduo. Habitualmente, a idade de início deste transtorno ocorre por volta da meia-idade, 9 mas também pode ocorrer em idosos. Os sintomas mais comuns são alterações do pensamento de natureza persecutória (os doentes acreditam que estão a ser seguidos), e em relação ao corpo, como acreditar que tem uma doença fatal (hipocondria). Os doentes podem ainda tornar-se violentos e isolarem-se socialmente. As alterações do pensamento podem acompanhar outras doenças psiquiátricas que devem ser descartadas como demência tipo Alzheimer, transtornos por uso de álcool, esquizofrenia, transtornos depressivos e transtorno bipolar. Transtornos de ansiedade A ansiedade é um sentimento incomodativo, disperso e indefinido, que pode ser acompanhado de sensações como um frio no estômago, aperto no peito, tremores e até falta de ar. Na maioria dos casos, é uma reação normal ao stress do dia-a-dia, pois é a forma como o corpo humano o enfrenta. Portanto, as reações de ansiedade normais não precisam ser tratadas uma vez que elas são naturais e esperadas. No entanto, quando a ansiedade se transforma num medo irracional excessivo, pânico e desenvolvimento de fobias, ela passa a ser patológica e transforma-se num transtorno incapacitante, conhecido como transtorno de ansiedade. Nos idosos a fragilidade do sistema nervoso autônomo pode explicar o desenvolvimento deste tipo de transtorno. Os principais sintomas são a dificuldade de concentração, desorientação e perda de memória, dores musculares, dores de cabeça e falta de ar, transpiração excessiva, fadiga, irritabilidade e tensão muscular, insônias e perturbações no sono.
  • 10. 10 Transtornos por uso de álcool e outras substâncias Frequentemente os idosos podem iniciar um quadro de dependência alcoólica ou a medicamentos devido à automedicação. Por exemplo, tornar habitual beber uma dose de álcool todos os dias para relaxar, ou aliviar uma situação de maior ansiedade com a toma de medicamentos sedativos. No entanto, a dependência de álcool, geralmente, apresenta uma história de consumo excessivo que começou na idade adulta e freqüentemente está associada a uma doença médica, principalmente doença hepática. Além disso, a dependência ao álcool está claramente associada a uma maior incidência de quadros demências. Já a dependência de substâncias como hipnóticos, ansiolíticos e narcóticos é comum nos idosos para o alívio da ansiedade crônica ou para garantirem uma noite de sono. Implementação da enfermagem em idosos com TMS A fase de implementação do processo de enfermagem, envolve a execução do plano de cuidado de enfermagem proposto. O profissional de enfermagem assume a responsabilidade pela sua implementação que pode ser realizada pelos pacientes e familiares, membros da equipe de enfermagem e por outros membros da equipe de saúde, quando apropriado. Portanto, a coordenação das atividades de todos aqueles que estão envolvidos na responsabilidade do enfermeiro, de modo que a agenda de atividades facilite a recuperação do paciente. Assim, dentre as prescrições de enfermagem inclui-se a assistência com os cuidados de higiene; a promoção do conforto físico e psicológico; a sustentação das funções respiratória e de eliminação; a facilitação da ingestão de alimentos, líquidos e nutrientes; o controle do ambiente imediato do paciente; a implementação da educação em saúde; a promoção de um relacionamento terapêutico e a realização de diversas atividades de enfermagem terapêuticas.
  • 11. Assistência de enfermagem aos principais transtornos mentais do idoso:  O profissional de enfermagem deve estar atento não somente aos sinais e sintomas clínicos do idoso, mas também aos seus sentimentos emergentes, nesta fase;  Oferecer apoio e valorização para o idoso, destacando suas vivências ao longo da vida e trocando experiências para melhorar sua auto-estima e autoconfiança, tornando mais tranqüila esta fase tão discriminada na vida;  Respeitar as limitações impostas não só por diagnósticos específicos, mas sim pelas particularidades de cada indivíduo, suas crenças, valores, ritmo de vida,  Planejar ações de enfermagem, como por exemplo: pacientes com demência deverão ser avaliados pelo grau de compreensão e as orientações deverão ser repetidas quantas vezes se fizerem necessárias;  Ter cuidados práticos com o ambiente é muito importante a fim de que se 11 evitem acidentes, como por exemplo, evitar piso encerado, molhado. Assistência de enfermagem nos transtornos depressivos:  Impedir que o paciente fizesse qualquer ato prejudicial a si mesmo, observando e mantendo vigilância discreta e constante;  Estabelecer e manter atendimento adequado nas áreas de alimentação, hidratação, repouso e sono;  Ajudar nos cuidados higiênicos (banho, higiene bucal), se necessário;  Encorajar a expressão de sentimentos e pensamentos;  Orientá-lo para a realidade e oferecer segurança, desenvolvendo junto com o mesmo sentimento de auto estima, confiança e motivação;  Ajudá-lo a controlar sua ansiedade e medo, oferecendo apoio;  Ajudá-lo a socializar-se;  Estimulá-lo a ocupar-se com atividades que goste de realizar, dando-lhe o reforço positivo.
  • 12. 12 Epidemiologia O envelhecimento populacional vem provocando um aumento contínuo no número de idosos que buscam atendimento para problemas de saúde mental. Os diagnósticos psiquiátricos foram realizados segundo diretrizes da CID-10 feitos durante um período de uma semana numa clinica especializa em tais ocorrências, 7,3% desses indivíduos tinham 60 ou mais anos de idade. A idade média dos idosos era de 68,66, e houve um excesso relativo de mulheres entre os idosos. Transtorno do humor foi o diagnóstico sindrômico mais comum entre os idosos (40,0%), sendo 2,24 vezes mais freqüente entre mulheres. Na maior parte desses casos (78,2%) a presença de um episódio depressivo maior foi a causa da consulta. 14% dos idosos atendidos apresentavam uma síndrome demência como principal diagnóstico. Outros diagnósticos freqüentes foram transtornos ansiosos (15,4%) e esquizofreniformes (14,4%), alcoolismo (4,1%), e abuso de sedativos (2,6%). 59% dos idosos atendidos recebem tratamento ambulatorial, enquanto 20,3% dos casos necessitaram de acompanhamento em regime de internação. Os transtornos mentais do idoso já representam uma parcela importante dos atendimentos realizados em um pronto-socorro psiquiátrico. É importante que os profissionais de saúde estejam cientes das particularidades dos quadros clínicos nessa faixa etária. O Brasil conta hoje com aproximadamente 13 milhões de indivíduos com mais de 60 anos de idade. Esse grupo etário, que no momento representa 8% do total da população brasileira, é aquele que mais rapidamente vem crescendo no país. De fato, estima-se que nos próximos 25 anos o número de idosos vivendo no Brasil deverá praticamente duplicar, estabelecendo de forma definitiva uma verdadeira revolução demográfica em um país que, até pouco tempo, era considerado jovem.
  • 13. 13 ESCALA DE MINI EXAME DO ESTADO MENTAL-MEEM Experiência do idoso I Na avaliação do cliente Antenor Pinheiro Cavalcante, 74 anos com a utilização do Anexo 3 do caderno de atenção básica, que consta na página 138 que visa realizar a uma avaliação cognitiva foi realizada a avaliação e notado certa insegurança do cliente, que possui o ensino médio completo. Na avaliação da orientação temporal, o cliente obteve 4 pontos, errando ao ser perguntado em que ano estamos, onde a resposta deveria ser 2014 e o paciente respondeu 1914, 2914. Na avaliação espacial o paciente obteve 5 pontos acertando todas as perguntas. Depois foram repetidas duas vezes as seguintes palavras: caneca, tijolo e tapete, para o cliente poder repeti-las corretamente adquirindo mais 3 pontos. Na sequência dando prosseguimento no teste foi perguntado ao paciente quanto seria 100-7, onde ele respondeu corretamente 93, e ao pedi-lo para subtrair 7, o idoso apresentou muito nervosismo não sabendo responder, com isso foi pedido ao idoso que soletrasse a palavra MUNDO, o qual também o idoso não conseguiu. Na sequência foi pedido para o idoso repetir as três palavras ditas anteriormente e após alguns segundos o idoso às repetiu corretamente e na mesma ordem, adquirindo assim mais 3 pontos e também foi acrescentado mais 3 pontos após o idoso pegar um papel com a mão direita, dobrá-lo ao meio e colocá-lo no chão sem dificuldades. Ao pedir que o idoso escrevesse de olhos fechados a frase ‘’Feche os olhos’ ’, o mesmo executou a tarefa, porém cometeu um erro gramatical, porém mesmo com o erro foi acrescentado mais 1 ponto. Consecutivamente foi pedido para que o idoso escrevesse uma frase completa e ao executá-la corretamente, foi acrescentado mais 1 ponto. Em seguida foi mostrada uma figura, e pedido para que o idoso o desenhasse e no desenho pode perceber-se uma semelhança com a imagem mostrada. Depois foi pedido que o idoso desenhasse um relógio onde o mesmo marcasse duas horas e 50 minutos, o seu desenho foi feito com um mostrador grande onde couberam todos os numerais, porém, ao desenhar os ponteiros o idoso apresentou certa dificuldade.
  • 14. No teste de fluência verbal por categorias semânticas, onde foi solicitado que o idoso falasse o maior número de nomes de animais no tempo de 1 minuto, onde o idoso falou um total 13 nomes de animais repetindo um nome e falou rapidamente os 8 primeiros os seguintes foram falados com um espaço de tempo de aproximadamente 7 segundos. A avaliação durou 11 minutos e 56 segundos onde o idoso pontuou 27 pontos. 14 Experiência do idoso II Nome: Luiz Constantino de França Nascimento: 02/10/14. 78 anos. No dia 20 de Outubro por volta das 12h foi realizado o teste de entrevista, sendo usada a escala de (MEEN). O Sr. Luiz, idoso, ativo de suas funções física e totalmente independente, dono de uma banca de revista há 30 anos, possui habilidades na leitura e na matemática. Ele tem a 4ª do ensino fundamental. Sobre o teste ao perguntar ao Sr. Luiz sobre a orientação temporal e orientação espacial ele respondeu tudo com firmeza e exatidão. Quando pedi para repetir as palavras: caneca, tijolo e tapete o mesmo teve dificuldade de falar em 10min. Depois pedi que ele repetisse as mesmas palavras só a última (tapete) que esqueceu. Sobre o cálculo R$ 100 – R$ 7 = 93 – Tranqüilo. Ao reconhecer os objetos, também reconheceu e falou os nomes de forma segura. Pedi ao Sr. Luiz que escrevesse uma frase. Ele escreveu ‘’Eu amo meus fi lhos’’. Pois o Sr. Lui z por ter somente a série de alfabetização, sempre escreveu assim. E também escrevi num outro papel uma frase e pedi a ele pra ler e o Sr. Luiz leu muito bem. Agora sobre o teste de fluência verbal em 1minuto ele falou e escreveu 15 animais sobre o desenho tanto o polígono e o relógio o Sr. Luiz teve dificuldade em executar essa tarefa principalmente ao desenhar o relógio, colocar os numerais e os ponteiros.
  • 15. 15 COMPARAÇÃO DAS EXPERIÊNCIAS I e II Ao aplicar á escala de MEEM em ambos os idosos, podemos perceber que apesar de sua idade ambos obtiveram uma boa aptidão no exame, porém o idoso I se apresentou nervoso não conseguindo responder ao questionário da questão 4 que envolve cálculos porém obteve um melhor desenvolvimento ao planeja os desenhos solicitados à ele, diferentemente do idoso II que ao realizar o exame se mostrou tranquilo, respondendo corretamente ao questionário da questão 4, porém mostrou dificuldades ao desenvolver os desenhos que lhe foi solicitado.
  • 16. 16 CONCLUSÃO A população idosa crescente no mundo é tema de preocupação a e qualidade de vida para esta população. A saúde mental tem sido enfatizada e, assimo objetivo deste trabalho é mostrar os efeitos da atividade física e mental sobre o idoso. Usando o MEEM com ênfase no envelhecimento, aspectos positivos e negativos da saúde mental e efeitos na cognação física sobre o idoso praticante de exercícios hábitos de leituras enfim garantem uma 3ª idade de qualidade. A metodologia abrange caracterização da investigação, localização das fontes da demência do idoso.
  • 17. 17 REFERÊNCIAS  Tamai S. Epidemiologia do envelhecimento no Brasil. In: Forlenza OV, Almeida OP, editores. Depressão e demência no idoso: tratamento psicológico e farmacológico. São Paulo: Lemos Editorial; 1997.p. 11-24  Ramos LR, Veras RP, Kalache A. O envelhecimento populacional: uma realidade brasileira. Rev Saúde Pública 1987; 21: 211-24.  Almeida Filho N, Santana VS, Pinho AR. Estudo epidemiológico dos transtornos mentais em uma população de idosos: área urbana de Salvador- BA. J Bras Psiquiatr 1984; 33: 114-20.