SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Luciane Santana
Acadêmica do 5º semestre de enfermagem.
TEMA: Cuidados necessários pra evitar infecções do trato
respiratório pelo corpo de enfermagem.
Por que lavar as mãos é tão
importante?
A lavagem de mãos é a arma mais importante e
econômica na prevenção das infecções
hospitalares. Ela impede que microrganismos
presentes nas mãos sejam transferidos para o
paciente.
A infecção de um paciente pode ser transmitida
de um paciente para outro (infecção cruzada),
caso a lavagem de mãos não seja praticada.
O que é
INFECÇÃO CRUZADA:
É a infecção ocasionada pela
transmissão de um microrganismo de
um paciente para outro, geralmente
pelo pessoal, ambiente ou um
instrumento contaminado.
A FONTE?
As fontes ou reservatórios de microrganismos,
geralmente, são os profissionais
de saúde, pacientes, ocasionalmente visitantes, ou
materiais e equipamentos
infectados ou colonizados por microrganismos
patogênicos.
Erros mais comum dos
trabalhadores
A lavagem das mãos não é realizada na frequência e
técnica recomendadas. Muitas vezes as luvas são
usadas apenas para autoproteção, funcionando como
vetor de disseminação de microrganismos. E muita
das vezes também uso abusivo de luvas.
Apesar das constantes orientações acerca do uso
correto das luvas, o seu uso de forma inadequada é
ainda muito frequente. Com as mãos enluvadas vários
equipamentos são tocados imediatamente ao
manuseio de substâncias orgânicas, com concreto
potencial de contaminação e infecção cruzada.
CONTAMINAÇÃO POR EQUIPAMENTOS
RESPIRATÓRIOS.
principal fator de risco relacionado à incidência da
pneumonia hospitalar é a intubação traqueal.
outro exemplo é a aspiração de líquido colonizado
por bactérias da cavidade oral no condensado das
traqueias dos ventiladores, para dentro da via
respiratória.
Epidemiologia
• As pneumonias são atualmente a
segunda causa mais comum de
infecções hospitalar, responsável
por cerca de 15%de todas as
infecções. Cada episódio de
pneumonia aumenta o tempo de
internamento, em média 5 a 9
dias há custo bem alto financeiro
por paciente. Taxa de mortalidade
é bem alta.
Pneumonia associada à VM.
• Dificuldade de diagnóstico.
• É mais comuns em pacientes que
necessitam de VM.
• Aumento do custo hospitalar.
• Maior número de dias em UTI.
• Maior duração da VM.
• Maior mortalidade.
Cuidados na
(PAVM)
• Posição da cabeça : FOWLER.
• Aspiração subglótica.
• Vazamento de secreções acumuladas.
• Permanência na UTI ou duração VM.
• Prevenção da formação de biofilme
• Redução da incidência e atraso no
desenvolvimento da PAV.
• Cateter para remoção de muco no interior
do TOT.
Medidas de prevenção
• Lava as mãos antes de qualquer
procedimento de enfermagem.
• Avalia se o paciente está apto para
extubação.
• Desmame mais rápido do ventilador.
• Menor permanência em UTI.
• Internações mais curtas.
COMPLICAÇÕES MAIS
FREQUENTES POR CATETERISMO GÁSTRICO E
ENTERAL:
 Irritação das mucosas nasal, traqueal, esofágica e orofaríngea;
 Refluxo gastroesofágico;
 Deficiência do volume de líquido - diarréias e desidratação;
 Infecção pulmonar e oral;
 Necrose de asa de nariz;
 Distensão abdominal;
 Desequilíbrio eletrolítico;
 Oclusão da sonda;
O que é IRAS
• Infecções respiratórias agudas (IRAS)
• São doenças infecciosas do trato respiratório com
menos de 15 dias e, às vezes com pneumonia
complicada evolução.
• (IRAS) é um problema de saúde pública.
Pneumonia é a principal complicação da IRA,
responsável por um número significativo de mortes.
O que a Enfermagem pode fazer
pra evitar essa incidência
hospitalar.
• Manter um dialogo claro com a equipe sobre a
assepsia das mãos.
• Acionar a CCIH do hospital quanto a palestras
e treinamento da equipe de saúde, e
distribuição de IPIs. E principalmente da UTI.
 Cheque e teste todo material antes da
sua instalação, válvula com defeito
pode causar intoxicação pelo dióxido
de carbono e sufocação;
 Desobstrua vias aéreas e hidratem
mucosas antes de instalar qualquer um
dos dispositivos
 Registrar horário de início da
oxigenoterapia e saturação de oxigênio
antes da terapia iniciada;
 Certifique-se sempre de que a vedação
da máscara esta adequada;
ORIENTAÇÕES BÁSICAS DA
ENFERMAGEM NA OXIGENOTERAPIA.
Higienização das mãos, um compromisso
No cotidiano profissional!
E O USO DAS LUVAS?
A Organização Mundial da Saúde, OMS, recomenda
que luvas devam ser usadas devido a duas principais
razões:
1.Para reduzir o risco de contaminação das mãos dos
profissionais de saúde com sangue e outros fluidos
corporais.
2.Para reduzir o risco de disseminação de germes para
o ambiente e de transmissão do profissional de saúde
para o paciente e vice-versa, bem como de um paciente
para o outro.
Entretanto, a OMS alerta que os profissionais de
saúde devem ter ciência de que luvas não oferecem
proteção completa contra a contaminação, razão que
justifica a importância da correta higienização das mãos
antes de calçar as luvas.
Fonte: BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Higienização
das mãos: Segurança do Paciente em Serviços de Saúde/Agência
Nacional de Vigilância Sanitária:
ANVISA, 2009, p. 71.
“Quando eu RECONHEÇO meus erros
e que nada sei dessa vida , significa
que sou FORTE o suficiente pra
tentar ACERTAR e talentoso pra
passar adiante conhecimento, jamais
esquecendo a HUMILDADE pois ela
VENCE TUDO!”
Luciane Santana
Acadêmica do 5º semestre de enfermagem.
Quem concorda?
lucisantt@yahoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Higiene e profilaxia – técnica de lavagem das
Higiene e profilaxia – técnica de lavagem dasHigiene e profilaxia – técnica de lavagem das
Higiene e profilaxia – técnica de lavagem dasRaquel Waack
 
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadjaPrograma nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadjaNadja Salgueiro
 
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de VacinasICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de VacinasRicardo Portela
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemJuliana Maciel
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurançanuiashrl
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoErivaldo Rosendo
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentosJanaína Lassala
 
Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?
Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?
Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?PCare Fisioterapia
 
Acidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosAcidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosNathy Oliveira
 
hAula 5 higienização de maos
hAula 5   higienização de maoshAula 5   higienização de maos
hAula 5 higienização de maosJosé Vitor Alves
 
introduçao a microbiologia
introduçao a microbiologiaintroduçao a microbiologia
introduçao a microbiologiaLucio Silva
 

Mais procurados (20)

Higiene e profilaxia – técnica de lavagem das
Higiene e profilaxia – técnica de lavagem dasHigiene e profilaxia – técnica de lavagem das
Higiene e profilaxia – técnica de lavagem das
 
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadjaPrograma nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
 
Doenças frequentes da infancia - pediatria
Doenças frequentes da infancia - pediatriaDoenças frequentes da infancia - pediatria
Doenças frequentes da infancia - pediatria
 
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de VacinasICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
 
2. biossegurança
2. biossegurança2. biossegurança
2. biossegurança
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Isolamento
IsolamentoIsolamento
Isolamento
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?
Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?
Porque alguns pacientes ficam em Isolamento, nos hospitais ou em domicílio?
 
Acidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosAcidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentos
 
Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde
 
hAula 5 higienização de maos
hAula 5   higienização de maoshAula 5   higienização de maos
hAula 5 higienização de maos
 
Biossegurança pdf
Biossegurança pdfBiossegurança pdf
Biossegurança pdf
 
Parasitologia: Amebíase
Parasitologia: AmebíaseParasitologia: Amebíase
Parasitologia: Amebíase
 
introduçao a microbiologia
introduçao a microbiologiaintroduçao a microbiologia
introduçao a microbiologia
 
Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1
 
Vacinação 2017
Vacinação 2017Vacinação 2017
Vacinação 2017
 

Destaque

Infecção cruzada
Infecção cruzadaInfecção cruzada
Infecção cruzadaTamara Paz
 
Prevenção da disseminacao da resistencia
Prevenção da disseminacao da resistenciaPrevenção da disseminacao da resistencia
Prevenção da disseminacao da resistenciaRenato sg
 
Modulo 4 medidas de prevencao de ira a saude
Modulo 4 medidas de prevencao de ira a saudeModulo 4 medidas de prevencao de ira a saude
Modulo 4 medidas de prevencao de ira a saudeLary Carla
 
632 einstein%20v7n3p372-5 port
632 einstein%20v7n3p372-5 port632 einstein%20v7n3p372-5 port
632 einstein%20v7n3p372-5 portidaval_1
 
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologiaCaroline Augusta
 
Prevenção infecção
Prevenção infecçãoPrevenção infecção
Prevenção infecçãoFilipa Santos
 
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIAINSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIAJonathan Sampaio
 
Higienização das mãos power point
Higienização das mãos power pointHigienização das mãos power point
Higienização das mãos power pointraqueljoiacardoso
 
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualU. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualI.Braz Slideshares
 
Pneumonias adquiridas na comunidade
Pneumonias adquiridas na comunidadePneumonias adquiridas na comunidade
Pneumonias adquiridas na comunidadeFlávia Salame
 
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
2.1   isolamento - módulo controlo de infeção2.1   isolamento - módulo controlo de infeção
2.1 isolamento - módulo controlo de infeçãoJoanaSilvaCoelho
 
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo) Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo) PCare Fisioterapia
 
Infeccao hospitalar prevencao e controle pelo profissional de enfermagem
Infeccao hospitalar   prevencao e controle pelo profissional de enfermagemInfeccao hospitalar   prevencao e controle pelo profissional de enfermagem
Infeccao hospitalar prevencao e controle pelo profissional de enfermagemUnichristus Centro Universitário
 
Sucesso, PerseverançA E MotivaçãO
Sucesso, PerseverançA E MotivaçãOSucesso, PerseverançA E MotivaçãO
Sucesso, PerseverançA E MotivaçãOfrsalviano
 
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.Cleiton Ribeiro Alves
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemMarco Antonio
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 39999894014
 

Destaque (20)

Infecção cruzada
Infecção cruzadaInfecção cruzada
Infecção cruzada
 
Prevenção da disseminacao da resistencia
Prevenção da disseminacao da resistenciaPrevenção da disseminacao da resistencia
Prevenção da disseminacao da resistencia
 
Doenças respiratórias
Doenças respiratóriasDoenças respiratórias
Doenças respiratórias
 
Modulo 4 medidas de prevencao de ira a saude
Modulo 4 medidas de prevencao de ira a saudeModulo 4 medidas de prevencao de ira a saude
Modulo 4 medidas de prevencao de ira a saude
 
632 einstein%20v7n3p372-5 port
632 einstein%20v7n3p372-5 port632 einstein%20v7n3p372-5 port
632 einstein%20v7n3p372-5 port
 
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
 
Prevenção infecção
Prevenção infecçãoPrevenção infecção
Prevenção infecção
 
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIAINSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIA
 
Higienização das mãos power point
Higienização das mãos power pointHigienização das mãos power point
Higienização das mãos power point
 
Lavar As Mãos
Lavar As MãosLavar As Mãos
Lavar As Mãos
 
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualU. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
 
Pneumonias adquiridas na comunidade
Pneumonias adquiridas na comunidadePneumonias adquiridas na comunidade
Pneumonias adquiridas na comunidade
 
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
2.1   isolamento - módulo controlo de infeção2.1   isolamento - módulo controlo de infeção
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
 
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo) Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
 
Infeccao hospitalar prevencao e controle pelo profissional de enfermagem
Infeccao hospitalar   prevencao e controle pelo profissional de enfermagemInfeccao hospitalar   prevencao e controle pelo profissional de enfermagem
Infeccao hospitalar prevencao e controle pelo profissional de enfermagem
 
Sucesso, PerseverançA E MotivaçãO
Sucesso, PerseverançA E MotivaçãOSucesso, PerseverançA E MotivaçãO
Sucesso, PerseverançA E MotivaçãO
 
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
 

Semelhante a Cuidados para evitar IRAS na enfermagem

BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfBIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfKeniaSilvaCosta
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
Infecções hospitalares no centro cirúrgico.pptx
Infecções hospitalares no centro cirúrgico.pptxInfecções hospitalares no centro cirúrgico.pptx
Infecções hospitalares no centro cirúrgico.pptx3eMacap
 
Biosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemBiosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemGabriela Montargil
 
ATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptx
ATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptxATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptx
ATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptxThaisOliveira108042
 
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo MultirresistentePrevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistentenuiashrl
 
Pneumonia associada a Vm,
Pneumonia associada a Vm,Pneumonia associada a Vm,
Pneumonia associada a Vm,Luciane Santana
 
Aula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdfAula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdfCarolinaMalburg2
 
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagemApostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagemDouglas Oliveira
 
Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...
Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...
Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...gisa_legal
 
Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Hygor Malheiros
 
Ebook anelvira-alterado-2
Ebook anelvira-alterado-2Ebook anelvira-alterado-2
Ebook anelvira-alterado-2Elaine Santos
 
Covid19 seguranca equipe_v07032020
Covid19 seguranca equipe_v07032020Covid19 seguranca equipe_v07032020
Covid19 seguranca equipe_v07032020gisa_legal
 
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalarPrecauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalarGrupo Ivan Ervilha
 
Programa de Educação em Saúde
Programa de Educação em SaúdePrograma de Educação em Saúde
Programa de Educação em Saúdenuiashrl
 
03 Prevenção Infecção.pdf
03 Prevenção Infecção.pdf03 Prevenção Infecção.pdf
03 Prevenção Infecção.pdfssuserdfb4b6
 

Semelhante a Cuidados para evitar IRAS na enfermagem (20)

BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfBIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
 
manual.docx
manual.docxmanual.docx
manual.docx
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
Infecções hospitalares no centro cirúrgico.pptx
Infecções hospitalares no centro cirúrgico.pptxInfecções hospitalares no centro cirúrgico.pptx
Infecções hospitalares no centro cirúrgico.pptx
 
Biosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemBiosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagem
 
ATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptx
ATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptxATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptx
ATUACAO DA CCIH NO CONTEXTO HOSPITALAR - PALESTRA UNITEC.pptx
 
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo MultirresistentePrevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
 
SBCC 2011
SBCC 2011SBCC 2011
SBCC 2011
 
Bioproteção e CCIH
Bioproteção e CCIHBioproteção e CCIH
Bioproteção e CCIH
 
Pneumonia associada a Vm,
Pneumonia associada a Vm,Pneumonia associada a Vm,
Pneumonia associada a Vm,
 
Aula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdfAula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdf
 
TREINAMENTO ENFERMEAGEM 2.pptx
TREINAMENTO ENFERMEAGEM 2.pptxTREINAMENTO ENFERMEAGEM 2.pptx
TREINAMENTO ENFERMEAGEM 2.pptx
 
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagemApostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
 
Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...
Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...
Cbr cuidados especificos para servicos de ultrassonografia diagnostica durant...
 
Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica
 
Ebook anelvira-alterado-2
Ebook anelvira-alterado-2Ebook anelvira-alterado-2
Ebook anelvira-alterado-2
 
Covid19 seguranca equipe_v07032020
Covid19 seguranca equipe_v07032020Covid19 seguranca equipe_v07032020
Covid19 seguranca equipe_v07032020
 
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalarPrecauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
 
Programa de Educação em Saúde
Programa de Educação em SaúdePrograma de Educação em Saúde
Programa de Educação em Saúde
 
03 Prevenção Infecção.pdf
03 Prevenção Infecção.pdf03 Prevenção Infecção.pdf
03 Prevenção Infecção.pdf
 

Mais de Luciane Santana

Demostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalarDemostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalarLuciane Santana
 
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Luciane Santana
 
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.Luciane Santana
 
Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação Luciane Santana
 
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Luciane Santana
 
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico  Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico Luciane Santana
 
Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje Luciane Santana
 
Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.Luciane Santana
 
Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM
Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEMTrab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM
Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEMLuciane Santana
 
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na EnfermagemGerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na EnfermagemLuciane Santana
 
Artigo:Gerenciamento fisico e material
Artigo:Gerenciamento fisico  e materialArtigo:Gerenciamento fisico  e material
Artigo:Gerenciamento fisico e materialLuciane Santana
 
Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen) Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen) Luciane Santana
 
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemTuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemLuciane Santana
 

Mais de Luciane Santana (20)

ISOPO-PAI das Fábulas
ISOPO-PAI das FábulasISOPO-PAI das Fábulas
ISOPO-PAI das Fábulas
 
Demostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalarDemostração da Visita técnica hospitalar
Demostração da Visita técnica hospitalar
 
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
 
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
Doenças diarréicas e o A,B,C da desidratação.
 
Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação Diarreia A,B,C desidratação
Diarreia A,B,C desidratação
 
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
 
Câncer de mama
 Câncer de mama Câncer de mama
Câncer de mama
 
Câncer de mama
Câncer de mamaCâncer de mama
Câncer de mama
 
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico  Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
Riscos no centro cirúrgico-ergonômico
 
Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje Conceito sobre saúde mental Hoje
Conceito sobre saúde mental Hoje
 
Planejamento familíar
Planejamento familíarPlanejamento familíar
Planejamento familíar
 
Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM
Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEMTrab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM
Trab.Saúde mental do idoso usando escala de MEEM
 
Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)
 
Diabetes Mellitus
Diabetes MellitusDiabetes Mellitus
Diabetes Mellitus
 
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na EnfermagemGerenciamento Físico e Material na Enfermagem
Gerenciamento Físico e Material na Enfermagem
 
Artigo:Gerenciamento fisico e material
Artigo:Gerenciamento fisico  e materialArtigo:Gerenciamento fisico  e material
Artigo:Gerenciamento fisico e material
 
Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen) Mini exame estado mental (Meen)
Mini exame estado mental (Meen)
 
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemTuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
 

Último

02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 

Último (20)

02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 

Cuidados para evitar IRAS na enfermagem

  • 1. Luciane Santana Acadêmica do 5º semestre de enfermagem. TEMA: Cuidados necessários pra evitar infecções do trato respiratório pelo corpo de enfermagem.
  • 2. Por que lavar as mãos é tão importante? A lavagem de mãos é a arma mais importante e econômica na prevenção das infecções hospitalares. Ela impede que microrganismos presentes nas mãos sejam transferidos para o paciente. A infecção de um paciente pode ser transmitida de um paciente para outro (infecção cruzada), caso a lavagem de mãos não seja praticada.
  • 3. O que é INFECÇÃO CRUZADA: É a infecção ocasionada pela transmissão de um microrganismo de um paciente para outro, geralmente pelo pessoal, ambiente ou um instrumento contaminado.
  • 4. A FONTE? As fontes ou reservatórios de microrganismos, geralmente, são os profissionais de saúde, pacientes, ocasionalmente visitantes, ou materiais e equipamentos infectados ou colonizados por microrganismos patogênicos.
  • 5. Erros mais comum dos trabalhadores A lavagem das mãos não é realizada na frequência e técnica recomendadas. Muitas vezes as luvas são usadas apenas para autoproteção, funcionando como vetor de disseminação de microrganismos. E muita das vezes também uso abusivo de luvas. Apesar das constantes orientações acerca do uso correto das luvas, o seu uso de forma inadequada é ainda muito frequente. Com as mãos enluvadas vários equipamentos são tocados imediatamente ao manuseio de substâncias orgânicas, com concreto potencial de contaminação e infecção cruzada.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9. CONTAMINAÇÃO POR EQUIPAMENTOS RESPIRATÓRIOS. principal fator de risco relacionado à incidência da pneumonia hospitalar é a intubação traqueal. outro exemplo é a aspiração de líquido colonizado por bactérias da cavidade oral no condensado das traqueias dos ventiladores, para dentro da via respiratória.
  • 10.
  • 11. Epidemiologia • As pneumonias são atualmente a segunda causa mais comum de infecções hospitalar, responsável por cerca de 15%de todas as infecções. Cada episódio de pneumonia aumenta o tempo de internamento, em média 5 a 9 dias há custo bem alto financeiro por paciente. Taxa de mortalidade é bem alta.
  • 12. Pneumonia associada à VM. • Dificuldade de diagnóstico. • É mais comuns em pacientes que necessitam de VM. • Aumento do custo hospitalar. • Maior número de dias em UTI. • Maior duração da VM. • Maior mortalidade.
  • 13. Cuidados na (PAVM) • Posição da cabeça : FOWLER. • Aspiração subglótica. • Vazamento de secreções acumuladas. • Permanência na UTI ou duração VM. • Prevenção da formação de biofilme • Redução da incidência e atraso no desenvolvimento da PAV. • Cateter para remoção de muco no interior do TOT.
  • 14. Medidas de prevenção • Lava as mãos antes de qualquer procedimento de enfermagem. • Avalia se o paciente está apto para extubação. • Desmame mais rápido do ventilador. • Menor permanência em UTI. • Internações mais curtas.
  • 15.
  • 16. COMPLICAÇÕES MAIS FREQUENTES POR CATETERISMO GÁSTRICO E ENTERAL:  Irritação das mucosas nasal, traqueal, esofágica e orofaríngea;  Refluxo gastroesofágico;  Deficiência do volume de líquido - diarréias e desidratação;  Infecção pulmonar e oral;  Necrose de asa de nariz;  Distensão abdominal;  Desequilíbrio eletrolítico;  Oclusão da sonda;
  • 17. O que é IRAS • Infecções respiratórias agudas (IRAS) • São doenças infecciosas do trato respiratório com menos de 15 dias e, às vezes com pneumonia complicada evolução. • (IRAS) é um problema de saúde pública. Pneumonia é a principal complicação da IRA, responsável por um número significativo de mortes.
  • 18. O que a Enfermagem pode fazer pra evitar essa incidência hospitalar. • Manter um dialogo claro com a equipe sobre a assepsia das mãos. • Acionar a CCIH do hospital quanto a palestras e treinamento da equipe de saúde, e distribuição de IPIs. E principalmente da UTI.
  • 19.  Cheque e teste todo material antes da sua instalação, válvula com defeito pode causar intoxicação pelo dióxido de carbono e sufocação;  Desobstrua vias aéreas e hidratem mucosas antes de instalar qualquer um dos dispositivos  Registrar horário de início da oxigenoterapia e saturação de oxigênio antes da terapia iniciada;  Certifique-se sempre de que a vedação da máscara esta adequada; ORIENTAÇÕES BÁSICAS DA ENFERMAGEM NA OXIGENOTERAPIA.
  • 20. Higienização das mãos, um compromisso No cotidiano profissional!
  • 21.
  • 22. E O USO DAS LUVAS? A Organização Mundial da Saúde, OMS, recomenda que luvas devam ser usadas devido a duas principais razões:
  • 23. 1.Para reduzir o risco de contaminação das mãos dos profissionais de saúde com sangue e outros fluidos corporais. 2.Para reduzir o risco de disseminação de germes para o ambiente e de transmissão do profissional de saúde para o paciente e vice-versa, bem como de um paciente para o outro. Entretanto, a OMS alerta que os profissionais de saúde devem ter ciência de que luvas não oferecem proteção completa contra a contaminação, razão que justifica a importância da correta higienização das mãos antes de calçar as luvas. Fonte: BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Higienização das mãos: Segurança do Paciente em Serviços de Saúde/Agência Nacional de Vigilância Sanitária: ANVISA, 2009, p. 71.
  • 24.
  • 25. “Quando eu RECONHEÇO meus erros e que nada sei dessa vida , significa que sou FORTE o suficiente pra tentar ACERTAR e talentoso pra passar adiante conhecimento, jamais esquecendo a HUMILDADE pois ela VENCE TUDO!” Luciane Santana Acadêmica do 5º semestre de enfermagem.