SlideShare uma empresa Scribd logo
PSICOLOGIA
10.º ANO
A PERCEPÇÃO
O que vamos estudar?
A PERCEPÇÃO
• O que é a percepção? Qual a diferença entre percepção e sensação?
• Como vemos ou percepcionamos as coisas?
• Que factores influenciam a nossa percepção?
• Como se constrói o modo como nos vemos a nós e aos outros?
Nem sempre o que parece, é…
Nem sempre o que parece, é…
Nem sempre o que parece, é…
Olha para a figura que se segue e diz, em voz alta e
rapidamente, as CORES que estás a ver e não as PALAVRAS
que estão lá escritas.
Parado ou em movimento?
Se o visses na rua o que pensarias dele?
E se o visses assim?
Sensação e Percepção
• O processo através do qual aprendemos e
conhecemos envolve dois momentos distintos
1) SENSAÇÃO: resulta do primeiro contacto com a
realidade, captação pura e simples de um objecto
sensorial. É um estado bruto e imediato, cujo
papel principal é proporcionar à percepção os
dados de que necessita. Realiza-se através dos
sentidos.
2) PERCEPÇÃO: A percepção é um processo
psicofisiológico através do qual o sujeito organiza
e interpreta os estímulos do meio que foram
captados através dos orgãos dos sentidos
(sensação), permitindo-nos identificar os objectos
e acontecimentos significativos.
Quantos são os nossos sentidos?
• Cinco, certo?
• Na verdade, não. São onze: visão, audição, paladar,
olfacto, sentido vestibular (do equilíbrio), sentido
cinestésico (do movimento).
• E mais cinco que antigamente se agrupavam dentro da
designação de tacto: contacto físico, pressão profunda,
calor, frio e dor.
Qual a função dos nossos sentidos?
• Os nossos sentidos detectam estímulos,
transformam-nos em impulsos electroquímicos e
transmitem informações sensoriais ao sistema
nervoso central.
• Os nossos sentidos são limitados. Não podemos ,
por exemplo, captar os infravermelhos ou certos
sons.
Tipos de percepção
Percepção visual
• A visão é a percepção de raios luminosos pelo sistema visual. Esta é
a forma de percepção mais estudada pela psicologia da percepção.
A maioria dos princípios gerais da percepção foram desenvolvidos a
partir de teorias especificamente elaboradas para a percepção
visual.
Percepção auditiva
• A audição é a percepção de sons pelos
ouvidos. A psicologia, a acústica e a
psicoacústica estudam a forma como
percebemos os fenómenos sonoros.
Uma aplicação particularmente
importante da percepção auditiva é a
música.
Percepção olfactiva
• O olfacto é a percepção de odores pelo nariz. Este sentido é
relativamente ténue nos humanos, mas é importante para a
alimentação. A memória olfactiva também tem uma grande
importância afectiva. A perfumaria e a enologia são
aplicações dos conhecimentos de percepção olfactiva.
• Em alguns animais, como os cães, a percepção olfactiva é
muito mais desenvolvida e tem uma capacidade de
discriminação e alcance muito maior que nos humanos.
Percepção gustativa
• O paladar é o sentido de sabores pela
língua. Importante para a alimentação.
Embora seja um dos sentidos menos
desenvolvidos nos humanos, o paladar é
geralmente associado ao prazer e a
sociedade contemporânea muitas vezes
valoriza o paladar sobre os aspectos
nutritivos dos alimentos. A culinária e a
enologia são aplicações importantes da
percepção gustativa. O principal factor
desta modalidade de percepção é a
discriminação de sabores.
Percepção táctil
• O tacto é sentido pela pele em todo o corpo. Permite reconhecer
a presença, forma e tamanho de objectos em contacto com o
corpo e também a sua temperatura. Além disso o tacto é
importante para o posicionamento do corpo e a protecção física.
• O tacto não é distribuído uniformemente pelo corpo. Os dedos da
mão possuem uma discriminação muito maior que as demais
partes, enquanto algumas partes são mais sensíveis ao calor. O
tacto tem papel importante na afectividade e no sexo.
Percepção temporal
• Não existem órgãos específicos
para a percepção do tempo, no
entanto é certo que as pessoas
são capazes de sentir a passagem
do tempo.
• A percepção temporal já foi
objecto de diversos estudos
desde o século XIX até os dias de
hoje, em que é estudado por
técnicas de imagem como a
ressonância magnética.
Percepção espacial
• Assim como as durações, não possuímos um
órgão específico para a percepção espacial, mas
as distâncias entre os objectos podem ser
efectivamente estimadas. Isso envolve a
percepção da distância e do tamanho relativo
dos objectos.
• Aparentemente a percepção espacial é supra-
modal, ou seja, é compartilhada pelas demais
modalidades e utiliza elementos da percepção
auditiva, visual e temporal.
• Assim, é possível distinguir se um som procede
especificamente de um objecto visto e se esse
objecto (ou o som) está a aproximar-se ou a
afastar-se.
Cinestesia
• É a capacidade em reconhecer a localização
espacial do corpo, a sua posição e
orientação, a força exercida pelos músculos e
a posição de cada parte do corpo em relação
às demais, sem utilizar a visão.
• Este tipo específico de percepção permite a
manutenção do equilíbrio postural e a
realização de diversas actividades práticas.
• Resulta da interacção das fibras musculares
que trabalham para manter o corpo na sua
base de sustentação, de informações tácteis
e do sistema vestibular, localizado no ouvido
interno.
Problemas perceptivos
• Ilusões
• Cegueira, surdez e anestesia (problemas no órgão receptor)
• Agnosia (problemas no processamento da informação pelo SNC)
• Alucinações
O papel da atenção no processo perceptivo
O papel da atenção no processo perceptivo
• Constantemente recebemos uma quantidade de estímulos
(visuais, auditivos, olfactivos,…), o que implica que nem todos
sejam captados do mesmo modo.
• A ATENÇÃO desempenha um importante papel na nossa
percepção da realidade, pois leva-nos a seleccionar umas
sensações em detrimento das outras.
• Assim, para “vermos” alguma coisa ela tem de chamar a nossa
atenção. Quantas vezes não passamos pelas coisas e,
simplesmente, não as vemos?
Existem 7 diferenças entre estas fotografias…
FICÁMOS A SABER
• A percepção é uma organização / construção que
realizamos a partir dos dados dos sentidos.
• Temos onze sentidos e vários tipos de percepção.
• Existem alguns problemas que podem ocorrer ao
nível da percepção, tais como as ilusões e a
agnosia.
• A atenção desempenha um papel fundamental na
nossa percepção da realidade.
O que ainda vamos falar…
Percepção
Leis da percepção
• Constância
• Discriminação figura-fundo
• Agrupamento
Factores que influenciam a
percepção
• Subjectivos
• Objectivos
• Sócio-culturais
Auto-percepção e auto-imagem

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
Marcos Roberto
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
Tiago Malta
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
aritovi
 
Sensação, percepção e razão
Sensação, percepção e razãoSensação, percepção e razão
Sensação, percepção e razão
Alexandre Misturini
 
O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
psicologiaazambuja
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
Ana Felizardo
 
Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
norberto faria
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Manô Araújo
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Processos psicológicos básicos psicologia
Processos psicológicos básicos   psicologia Processos psicológicos básicos   psicologia
Processos psicológicos básicos psicologia
Maria Santos
 
Inteligência
InteligênciaInteligência
Inteligência
Jorge Barbosa
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
Jorge Barbosa
 
Teoria da Gestalt
Teoria da GestaltTeoria da Gestalt
Teoria da Gestalt
Silvia Marina Anaruma
 
Processos cognitivos1
Processos cognitivos1Processos cognitivos1
Processos cognitivos1
anamatos66
 
Atenção
AtençãoAtenção
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
O Blog do Pedagogo
 
Método indutivo vs hipotetico dedutivo
Método indutivo vs hipotetico dedutivoMétodo indutivo vs hipotetico dedutivo
Método indutivo vs hipotetico dedutivo
j_sdias
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
Vitor Manuel de Carvalho
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
psicologiaazambuja
 
Senso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científicoSenso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científico
José Antonio Ferreira da Silva
 

Mais procurados (20)

Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
 
Sensação, percepção e razão
Sensação, percepção e razãoSensação, percepção e razão
Sensação, percepção e razão
 
O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
 
Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 
Processos psicológicos básicos psicologia
Processos psicológicos básicos   psicologia Processos psicológicos básicos   psicologia
Processos psicológicos básicos psicologia
 
Inteligência
InteligênciaInteligência
Inteligência
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
 
Teoria da Gestalt
Teoria da GestaltTeoria da Gestalt
Teoria da Gestalt
 
Processos cognitivos1
Processos cognitivos1Processos cognitivos1
Processos cognitivos1
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
Método indutivo vs hipotetico dedutivo
Método indutivo vs hipotetico dedutivoMétodo indutivo vs hipotetico dedutivo
Método indutivo vs hipotetico dedutivo
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
 
Senso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científicoSenso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científico
 

Semelhante a Sensação e Percepção

Aula 1 da Unidade II. pptx processos psicologicos percepção e sensação
Aula 1 da Unidade II. pptx  processos psicologicos percepção e sensaçãoAula 1 da Unidade II. pptx  processos psicologicos percepção e sensação
Aula 1 da Unidade II. pptx processos psicologicos percepção e sensação
NathaliaFreitas32
 
sodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptxsodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptx
AdrianaMeiado2
 
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxSEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
XaynulMazive
 
perceçao.pdf
perceçao.pdfperceçao.pdf
perceçao.pdf
Lurdes Sousa
 
Percepção e codificação
Percepção e codificaçãoPercepção e codificação
Percepção e codificação
Caio Maximino
 
2a aula percepção
2a aula percepção2a aula percepção
Funções psíquicas
Funções psíquicas Funções psíquicas
Funções psíquicas
thaissamaia
 
Caracterização dos fenómenos psíquicos
Caracterização dos fenómenos psíquicosCaracterização dos fenómenos psíquicos
Caracterização dos fenómenos psíquicos
Learn English
 
descortinar.pdf
descortinar.pdfdescortinar.pdf
descortinar.pdf
MilenaJusta1
 
Sensação.percep
Sensação.percepSensação.percep
Sensação.percep
Scriba Digital
 
Processos Psicológicos Básicos - Psicologia
Processos Psicológicos Básicos - PsicologiaProcessos Psicológicos Básicos - Psicologia
Processos Psicológicos Básicos - Psicologia
profdeniseismarsi
 
Os Cinco Sentidos
Os Cinco SentidosOs Cinco Sentidos
Os Cinco Sentidos
Mari Anny Souza
 
O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007
Rolando Almeida
 
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogiaIx encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Cristina Maria de S Miranda
 
Processamento sensorial
Processamento sensorialProcessamento sensorial
Processamento sensorial
Monica Recusani
 
Feldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdf
Feldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdfFeldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdf
Feldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdf
emerson130
 
Cien barros 8.4
Cien barros 8.4Cien barros 8.4
Cien barros 8.4
bleckmouth
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinicaINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
DouglasVasconcelosMa
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
Rafael Savi
 
Workshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdf
Workshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdfWorkshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdf
Workshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdf
Dani Rocha
 

Semelhante a Sensação e Percepção (20)

Aula 1 da Unidade II. pptx processos psicologicos percepção e sensação
Aula 1 da Unidade II. pptx  processos psicologicos percepção e sensaçãoAula 1 da Unidade II. pptx  processos psicologicos percepção e sensação
Aula 1 da Unidade II. pptx processos psicologicos percepção e sensação
 
sodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptxsodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptx
 
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxSEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
 
perceçao.pdf
perceçao.pdfperceçao.pdf
perceçao.pdf
 
Percepção e codificação
Percepção e codificaçãoPercepção e codificação
Percepção e codificação
 
2a aula percepção
2a aula percepção2a aula percepção
2a aula percepção
 
Funções psíquicas
Funções psíquicas Funções psíquicas
Funções psíquicas
 
Caracterização dos fenómenos psíquicos
Caracterização dos fenómenos psíquicosCaracterização dos fenómenos psíquicos
Caracterização dos fenómenos psíquicos
 
descortinar.pdf
descortinar.pdfdescortinar.pdf
descortinar.pdf
 
Sensação.percep
Sensação.percepSensação.percep
Sensação.percep
 
Processos Psicológicos Básicos - Psicologia
Processos Psicológicos Básicos - PsicologiaProcessos Psicológicos Básicos - Psicologia
Processos Psicológicos Básicos - Psicologia
 
Os Cinco Sentidos
Os Cinco SentidosOs Cinco Sentidos
Os Cinco Sentidos
 
O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007
 
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogiaIx encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
 
Processamento sensorial
Processamento sensorialProcessamento sensorial
Processamento sensorial
 
Feldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdf
Feldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdfFeldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdf
Feldman, R. (2015). Introdução à Psicologia.pdf
 
Cien barros 8.4
Cien barros 8.4Cien barros 8.4
Cien barros 8.4
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinicaINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Workshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdf
Workshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdfWorkshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdf
Workshop - FUNÇÕES COGNITIVAS E SUPERDOTAÇÃO.pdf
 

Mais de Nilson Dias Castelano

Principios da bioetica
Principios da bioeticaPrincipios da bioetica
Principios da bioetica
Nilson Dias Castelano
 
Pesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanosPesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanos
Nilson Dias Castelano
 
Bioética privacidade e segredo profissional
Bioética   privacidade e segredo profissionalBioética   privacidade e segredo profissional
Bioética privacidade e segredo profissional
Nilson Dias Castelano
 
Bioética pessoas especiais
Bioética   pessoas especiaisBioética   pessoas especiais
Bioética pessoas especiais
Nilson Dias Castelano
 
Bioetica direito a informação
Bioetica   direito a informaçãoBioetica   direito a informação
Bioetica direito a informação
Nilson Dias Castelano
 
Bioética aborto e eutanasia
Bioética    aborto e eutanasiaBioética    aborto e eutanasia
Bioética aborto e eutanasia
Nilson Dias Castelano
 
Psicologia experimental - v2
Psicologia experimental - v2Psicologia experimental - v2
Psicologia experimental - v2
Nilson Dias Castelano
 
O estudo do comportamento - v1
O estudo do comportamento - v1O estudo do comportamento - v1
O estudo do comportamento - v1
Nilson Dias Castelano
 
Equivalência de estímulos
Equivalência de estímulosEquivalência de estímulos
Equivalência de estímulos
Nilson Dias Castelano
 
Discriminacao simples-e_generalizacao
Discriminacao simples-e_generalizacaoDiscriminacao simples-e_generalizacao
Discriminacao simples-e_generalizacao
Nilson Dias Castelano
 
Regrasx contingências
Regrasx contingênciasRegrasx contingências
Regrasx contingências
Nilson Dias Castelano
 
Controle de estímulos - v1
Controle de estímulos - v1Controle de estímulos - v1
Controle de estímulos - v1
Nilson Dias Castelano
 
Comportamento social-v1
Comportamento social-v1Comportamento social-v1
Comportamento social-v1
Nilson Dias Castelano
 
Análise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidadeAnálise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidade
Nilson Dias Castelano
 
Modelagem
ModelagemModelagem
Interação operante-respondente
Interação operante-respondenteInteração operante-respondente
Interação operante-respondente
Nilson Dias Castelano
 
Aprendizagem operante
Aprendizagem operanteAprendizagem operante
Aprendizagem operante
Nilson Dias Castelano
 
Condicionamento respondente
Condicionamento respondenteCondicionamento respondente
Condicionamento respondente
Nilson Dias Castelano
 
O comportamento humano e a aprendizagem - v1
O comportamento humano e a aprendizagem - v1O comportamento humano e a aprendizagem - v1
O comportamento humano e a aprendizagem - v1
Nilson Dias Castelano
 
Definição de aprendizagem
Definição de aprendizagemDefinição de aprendizagem
Definição de aprendizagem
Nilson Dias Castelano
 

Mais de Nilson Dias Castelano (20)

Principios da bioetica
Principios da bioeticaPrincipios da bioetica
Principios da bioetica
 
Pesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanosPesquisa com seres humanos
Pesquisa com seres humanos
 
Bioética privacidade e segredo profissional
Bioética   privacidade e segredo profissionalBioética   privacidade e segredo profissional
Bioética privacidade e segredo profissional
 
Bioética pessoas especiais
Bioética   pessoas especiaisBioética   pessoas especiais
Bioética pessoas especiais
 
Bioetica direito a informação
Bioetica   direito a informaçãoBioetica   direito a informação
Bioetica direito a informação
 
Bioética aborto e eutanasia
Bioética    aborto e eutanasiaBioética    aborto e eutanasia
Bioética aborto e eutanasia
 
Psicologia experimental - v2
Psicologia experimental - v2Psicologia experimental - v2
Psicologia experimental - v2
 
O estudo do comportamento - v1
O estudo do comportamento - v1O estudo do comportamento - v1
O estudo do comportamento - v1
 
Equivalência de estímulos
Equivalência de estímulosEquivalência de estímulos
Equivalência de estímulos
 
Discriminacao simples-e_generalizacao
Discriminacao simples-e_generalizacaoDiscriminacao simples-e_generalizacao
Discriminacao simples-e_generalizacao
 
Regrasx contingências
Regrasx contingênciasRegrasx contingências
Regrasx contingências
 
Controle de estímulos - v1
Controle de estímulos - v1Controle de estímulos - v1
Controle de estímulos - v1
 
Comportamento social-v1
Comportamento social-v1Comportamento social-v1
Comportamento social-v1
 
Análise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidadeAnálise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidade
 
Modelagem
ModelagemModelagem
Modelagem
 
Interação operante-respondente
Interação operante-respondenteInteração operante-respondente
Interação operante-respondente
 
Aprendizagem operante
Aprendizagem operanteAprendizagem operante
Aprendizagem operante
 
Condicionamento respondente
Condicionamento respondenteCondicionamento respondente
Condicionamento respondente
 
O comportamento humano e a aprendizagem - v1
O comportamento humano e a aprendizagem - v1O comportamento humano e a aprendizagem - v1
O comportamento humano e a aprendizagem - v1
 
Definição de aprendizagem
Definição de aprendizagemDefinição de aprendizagem
Definição de aprendizagem
 

Último

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 

Sensação e Percepção

  • 2. O que vamos estudar? A PERCEPÇÃO • O que é a percepção? Qual a diferença entre percepção e sensação? • Como vemos ou percepcionamos as coisas? • Que factores influenciam a nossa percepção? • Como se constrói o modo como nos vemos a nós e aos outros?
  • 3. Nem sempre o que parece, é…
  • 4. Nem sempre o que parece, é…
  • 5. Nem sempre o que parece, é…
  • 6. Olha para a figura que se segue e diz, em voz alta e rapidamente, as CORES que estás a ver e não as PALAVRAS que estão lá escritas.
  • 7. Parado ou em movimento?
  • 8. Se o visses na rua o que pensarias dele?
  • 9. E se o visses assim?
  • 10. Sensação e Percepção • O processo através do qual aprendemos e conhecemos envolve dois momentos distintos 1) SENSAÇÃO: resulta do primeiro contacto com a realidade, captação pura e simples de um objecto sensorial. É um estado bruto e imediato, cujo papel principal é proporcionar à percepção os dados de que necessita. Realiza-se através dos sentidos. 2) PERCEPÇÃO: A percepção é um processo psicofisiológico através do qual o sujeito organiza e interpreta os estímulos do meio que foram captados através dos orgãos dos sentidos (sensação), permitindo-nos identificar os objectos e acontecimentos significativos.
  • 11. Quantos são os nossos sentidos? • Cinco, certo? • Na verdade, não. São onze: visão, audição, paladar, olfacto, sentido vestibular (do equilíbrio), sentido cinestésico (do movimento). • E mais cinco que antigamente se agrupavam dentro da designação de tacto: contacto físico, pressão profunda, calor, frio e dor.
  • 12. Qual a função dos nossos sentidos? • Os nossos sentidos detectam estímulos, transformam-nos em impulsos electroquímicos e transmitem informações sensoriais ao sistema nervoso central. • Os nossos sentidos são limitados. Não podemos , por exemplo, captar os infravermelhos ou certos sons.
  • 14. Percepção visual • A visão é a percepção de raios luminosos pelo sistema visual. Esta é a forma de percepção mais estudada pela psicologia da percepção. A maioria dos princípios gerais da percepção foram desenvolvidos a partir de teorias especificamente elaboradas para a percepção visual.
  • 15. Percepção auditiva • A audição é a percepção de sons pelos ouvidos. A psicologia, a acústica e a psicoacústica estudam a forma como percebemos os fenómenos sonoros. Uma aplicação particularmente importante da percepção auditiva é a música.
  • 16. Percepção olfactiva • O olfacto é a percepção de odores pelo nariz. Este sentido é relativamente ténue nos humanos, mas é importante para a alimentação. A memória olfactiva também tem uma grande importância afectiva. A perfumaria e a enologia são aplicações dos conhecimentos de percepção olfactiva. • Em alguns animais, como os cães, a percepção olfactiva é muito mais desenvolvida e tem uma capacidade de discriminação e alcance muito maior que nos humanos.
  • 17. Percepção gustativa • O paladar é o sentido de sabores pela língua. Importante para a alimentação. Embora seja um dos sentidos menos desenvolvidos nos humanos, o paladar é geralmente associado ao prazer e a sociedade contemporânea muitas vezes valoriza o paladar sobre os aspectos nutritivos dos alimentos. A culinária e a enologia são aplicações importantes da percepção gustativa. O principal factor desta modalidade de percepção é a discriminação de sabores.
  • 18. Percepção táctil • O tacto é sentido pela pele em todo o corpo. Permite reconhecer a presença, forma e tamanho de objectos em contacto com o corpo e também a sua temperatura. Além disso o tacto é importante para o posicionamento do corpo e a protecção física. • O tacto não é distribuído uniformemente pelo corpo. Os dedos da mão possuem uma discriminação muito maior que as demais partes, enquanto algumas partes são mais sensíveis ao calor. O tacto tem papel importante na afectividade e no sexo.
  • 19. Percepção temporal • Não existem órgãos específicos para a percepção do tempo, no entanto é certo que as pessoas são capazes de sentir a passagem do tempo. • A percepção temporal já foi objecto de diversos estudos desde o século XIX até os dias de hoje, em que é estudado por técnicas de imagem como a ressonância magnética.
  • 20. Percepção espacial • Assim como as durações, não possuímos um órgão específico para a percepção espacial, mas as distâncias entre os objectos podem ser efectivamente estimadas. Isso envolve a percepção da distância e do tamanho relativo dos objectos. • Aparentemente a percepção espacial é supra- modal, ou seja, é compartilhada pelas demais modalidades e utiliza elementos da percepção auditiva, visual e temporal. • Assim, é possível distinguir se um som procede especificamente de um objecto visto e se esse objecto (ou o som) está a aproximar-se ou a afastar-se.
  • 21. Cinestesia • É a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, a sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão. • Este tipo específico de percepção permite a manutenção do equilíbrio postural e a realização de diversas actividades práticas. • Resulta da interacção das fibras musculares que trabalham para manter o corpo na sua base de sustentação, de informações tácteis e do sistema vestibular, localizado no ouvido interno.
  • 22. Problemas perceptivos • Ilusões • Cegueira, surdez e anestesia (problemas no órgão receptor) • Agnosia (problemas no processamento da informação pelo SNC) • Alucinações
  • 23. O papel da atenção no processo perceptivo
  • 24. O papel da atenção no processo perceptivo • Constantemente recebemos uma quantidade de estímulos (visuais, auditivos, olfactivos,…), o que implica que nem todos sejam captados do mesmo modo. • A ATENÇÃO desempenha um importante papel na nossa percepção da realidade, pois leva-nos a seleccionar umas sensações em detrimento das outras. • Assim, para “vermos” alguma coisa ela tem de chamar a nossa atenção. Quantas vezes não passamos pelas coisas e, simplesmente, não as vemos?
  • 25. Existem 7 diferenças entre estas fotografias…
  • 26. FICÁMOS A SABER • A percepção é uma organização / construção que realizamos a partir dos dados dos sentidos. • Temos onze sentidos e vários tipos de percepção. • Existem alguns problemas que podem ocorrer ao nível da percepção, tais como as ilusões e a agnosia. • A atenção desempenha um papel fundamental na nossa percepção da realidade.
  • 27. O que ainda vamos falar… Percepção Leis da percepção • Constância • Discriminação figura-fundo • Agrupamento Factores que influenciam a percepção • Subjectivos • Objectivos • Sócio-culturais Auto-percepção e auto-imagem