SlideShare uma empresa Scribd logo
1

Psicologia B

Objeto(s) e
método(s)
Os antigos gregos -- por exemplo Hipócrates
(460 – 377 a.C.), Platão (428 - 347 a.C.) e
Aristóteles (384 - 322 a.C.) -- entendiam a
alma como:
 Fonte da vida;
 Princípio imaterial do movimento da vida
 Centro da consciência, das emoções, dos
desejos
Psicologia - objeto
Constituição Etimológica da Palavra Psicologia

Etimologicamente a palavra psicologia provém da
junção de dois vocábulos gregos:
Psiqué – Alma
Logos – Estudo / Razão
Psicologia era originalmente entendida como ciência
ou estudo da alma.

Psicologia - objeto
• Desde Hipócrates (470377 a.C.) que se distingue
o carácter dos indivíduos
de acordo com o
predomínio de um destes
quatro humores:
–
–
–
–

sangue,
fleuma,
bílis amarela e
bílis negra.

• que originavam os quatro
temperamentos:
–
–
–
–
Psicologia - objeto

sanguíneo,
fleumático,
bilioso e
melancólico.
A psyché como objeto da psicologia na Grécia
antiga 
A ideia de uma alma como ente substancial
residente no corpo com capacidade de existência
independente começou a ser considerada a
partir de Pitágoras.
Sócrates, Platão e Aristóteles fizeram as
perguntas fundamentais sobre temas de que se
ocupa hoje a psicologia: o que é consciência? As
pessoas são intrinsecamente racionais ou
irracionais? …

Psicologia - objeto
Platão

Para a cultura grega anterior a Platão, a psyche é a
força vital que abandona o corpo quando se
morre (Homero).
Para Platão (429 aC – 347 aC), a psyche possui
funções para além das associadas à vida: a psyche
seria também responsável por processos que hoje
atribuímos à mente
(percepção, desejar, acreditar...).

Psicologia - objeto
Aristóteles

Objeto geral da psicologia aristotélica é o mundo
animado, isto é, vivente, que tem por princípio a
alma e se distingue essencialmente do mundo
inorgânico, pois, o ser vivo diversamente do ser
inorgânico possui internamente o princípio da sua
atividade, que é precisamente a alma, forma do
corpo

Psicologia - objeto
Aristóteles
• A alma seria o que dá
unidade às distintas
funções do corpo.
• A alma é a causa
formal, eficiente e final
da existência desse
organismo. Todas as
acções e
comportamentos de
um organismo se
explicam em termos
das funções da sua
alma.
Psicologia - objeto
Alma …

Uma realidade metafísica, ou seja, uma realidade
fora do alcance dos nossos sentidos, que não
pode ser objecto de qualquer experiência.

Psicologia - objeto
O dualismo de René Descartes

Descartes aceitou a posição dualista [Dualismo
substancial]: o ser humano é composto por duas
substâncias:
– “res cogitans”, ou “coisa pensante”: a mente imaterial
– “res extensa”, ou “coisa extensa”: o corpo material.

Mente e corpo são distintos, mas as relações
entre a mente e o corpo são muito mais estreitas
do que se pensava no passado

Psicologia - objeto
Descartes: o interaccionismo mentecorpo

(1596-1650)
Psicologia - objeto

• Foi o primeiro a
oferecer uma
explicação acerca do
problema mente corpo
no campo físicopsicológico.
• Centrou o estudo da
mente nas operações
da mente.
• Os métodos de
investigação passam do
campo metafísico para
o campo objetivo e da
observação.
Descartes
Divide os actos humanos :
• Involuntários,
automáticos, reacções
inatas a estímulos
externos, próprios dos
animais porque da
responsabilidade do
corpo
• Voluntários, dirigidos
pela mente,
resultantes da reflexão
e da decisão,
especificamente
humanos
Psicologia - objeto
Repercussão das ideias de Descartes
no desenvolvimento da Psicologia
Moderna
Quadro conceptual para o estudo da mente: a
atenção do filósofo deve centrar-se na mente e nas
operações mentais e não na alma e suas virtudes.
O método de investigação da mente deixa de ser a
reflexão metafísica e a dedução e passa a ser a
observação direta.
Delimitação das funções da alma e explicação
fisiológica do corpo;
– muitas das funções anteriormente atribuídas à alma são
atribuídas por Descartes ao corpo, passando a ter
explicação fisiológica.

Doutrina das ideias: distinção entre conteúdos mentais
inatos e adquiridos.
Psicologia - objeto
No seguimento da filosofia de Descartes, surgem
duas abordagens que são os antecedentes próximos
da Psicologia Moderna
Mente → abordagem filosófica
As correntes filosóficas no seguimento de
Descartes preocuparam-se em explorar os
conteúdos e processos mentais.

Psicologia - objeto
Corpo → abordagem fisiológica
A Fisiologia é o ramo da Biologia dedicado ao
estudo do funcionamento dos organismos vivos. A
Fisiologia estuda os mecanismos envolvidos nas
funções corpóreas (digestão, circulação, excreção,
etc).
Em meados do século XIX, começou a haver
interesse em conhecer os mecanismos fisiológicos
subjacentes aos fenómenos mentais (fisiologia do
sistema nervoso).
Psicologia - objeto
Para o nascimento da Psicologia
Moderna contribuíram dois aspectos:
Uma atitude: acreditar
que os “mistérios da
alma” não eram do foro
religioso mas que podiam
ser estudados de forma
objectiva, como qualquer
outro aspecto do mundo
natural; as problemáticas
que os filósofos de então
formularam continuaram
a ser exploradas pelos
primeiros psicólogos;
Psicologia - objeto

Um método: tal como os
físicos, os químicos e os
fisiologistas observavam,
mediam, testavam os
fenómenos a investigar,
também era necessário
desenvolver formas
adequadas de investigar
problemáticas psicológicas
com outros métodos que
não a especulação e a
opinião.
A Psicologia moderna estabelece com a Filosofia
uma continuidade temática mas uma
descontinuidade em termos metodológicos.
Existe continuidade com a Fisiologia em termos
metodológicos mas não em termos temáticos.

Psicologia - objeto
Nascimento da Psicologia científica
Wilhelm Wundt
médico, filósofo, psicólogo

Funda na universidade
de
Leipzig, Alemanha, em
1879, o primeiro
laboratório de
psicologia
experimental, garantin
do para a psicologia o
estatuto de ciência.
 manual, p. 160
Psicologia - objeto
2

O objeto da
psicologia
Psicologia - objeto
Psicologia

Psicologia - objeto
Texto 127, p 142 / 2º Texto 127, p
142 / 2º v

http://prezi.com/tphoyk6gcsil/dicotomias-naexplicacao-do-comportamento-humano/
Psicologia, ciência…

Porque baseia as suas teorias nos resultados de
investigações válidas, estruturadas por uma
metodologia científica, sobre a parcela da
realidade que estuda:
– Produzir conhecimento válidio, operativo, aplicável na
previsão, explicação e controle de fenómenos que
estuda;
– Ser compartilhável e transmissível porque pautadas por
exigências de objetividade;
– Ser passível de submissão a testes

Psicologia - objeto
Psicologia - objeto

procura fazer
previsões sobre a
possibilidade de se
virem a verificar
certos
comportamentos,
ou a desenvolver
determinados
processos
mentais.

CONTROLAR:

procura dar
explicações para
os fenómenos
descritos.

PREVER:

descrever uma
determinada
situação, que se
traduz num certo
comportamento
ou num problema
mental específico.

EXPLICAR:

DESCREVER:

OBJECTIVOS DA PSICOLOGIA 141/2º vol.

procura controlar
a ocorrência de
futuros
comportamentos
ou processos
mentais.
Psicologia, ciência…

Para a sua produção, a psicologia precisa de É
encontrar e definir todo um conjunto de
processos que permitam a compreensão e a
explicação apropriadas e rigorosas do seu objecto.

Método – Refere-se a procedimentos ou técnicas
específicas para a recolha e analise de dados.

Psicologia - objeto
Psicologia, objeto…

Objecto – O campo de investigação de uma ciência, o
conjunto de problemas específicos de que se ocupa:
Conduta:
Todos os atos que realiza o organismo que podem ser
observados:
são as respostas de uma pessoa ou de um animal
perante uma situação e dirigida a garantir a
sobrevivência mediante a adaptação / modificação do
meio
– O que os outros vêm.
– Aspecto Fisiológico.

Psicologia - objeto

Situação – Conjunto de estímulos que levam um
organismo a dar uma dada resposta.
a experiência
/aprendizagem

Psicologia - objeto

alterações
fisiológicas

BIOLOGIA

Alterações do
meio

A conduta alterase com

CULTURA

AMBIENTE
Psicologia, objeto…

Processos mentais: são estados internos que
explicam a variabilidade das respostas
comportamentais.
– Através deles percebemos, atuamos, aprendemos e
recordamos.
– Toda e qualquer atividade que não pode ser
diretamente observável.

Psicologia - objeto
O objeto da psicologia 141 /2ºVol

OBJECTO DA PSICOLOGIA

COMPORTAMENTO

PROCESSOS MENTAIS

Ato efetuado pelo organismo
que pode ser observado e
registado
Psicologia - objeto

Fenómeno interno e subjectivo,
inferido a partir dos
comportamentos observados
Psicologia

1.
2.
3.
4.

É uma ciência experimental
É una ciência eclética
Opera com diferentes níveis de análise
Diferentes concepções segundo a ideia de
natureza humana das formas de
conhecimento
Psicologia - objeto
Métodos…

Nas investigações em psicologia são usados
diversos métodos e técnicas.. A escolha de
um método depende dos objectivos que se
tenham em vista atingir, os recursos e o
tempo disponível.

Psicologia - objeto

–
–
–
–
–

Experimental
Introspetivo
Clínico
Fenomenológico
…
Métodos

1. experimental
Utiliza o método hipotético dedutivo
Observação fenómenos psíquicos
Invenção da hipótese explicativa da regularidade
Verificação de consequências deduzidas da
hipótese.
•Investigação que permite estabelecer uma relação
causa – efeito.
•Atua-se sobre uma VI (variável independente) para
comprovar empiricamente as repercussões que tem
sobre uma VD (variável dependente)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
psicologiaazambuja
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Edgard Lombardi
 
slides da história da psicologia
slides da história da psicologiaslides da história da psicologia
slides da história da psicologia
joaovitorinopolacimatos
 
Inteligência
InteligênciaInteligência
Inteligência
Jorge Barbosa
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
Tiago Malta
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
Jorge Barbosa
 
Psicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiolaPsicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiola
Rovanildo Vieira Soares
 
A memória
A memóriaA memória
A memória
psicologiaazambuja
 
Introdução À Psicologia
Introdução À PsicologiaIntrodução À Psicologia
Introdução À Psicologia
psicologiaisecensa
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
Universidade Católica Portuguesa
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
Laércio Góes
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
psicologiaazambuja
 
Processos cognitivos o pensamento
Processos cognitivos  o pensamentoProcessos cognitivos  o pensamento
Processos cognitivos o pensamento
psicologiaazambuja
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
Chrys Souza
 
Escolas da Psicologia e Bases Biológicas do Comportamento
Escolas da Psicologia e Bases Biológicas do ComportamentoEscolas da Psicologia e Bases Biológicas do Comportamento
Escolas da Psicologia e Bases Biológicas do Comportamento
Mayara Mônica
 
Psicologia - A memória
Psicologia - A memóriaPsicologia - A memória
Psicologia - A memória
Olena Kolodiy
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
Adriana Alves Almeida
 
O inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestaçõesO inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestações
Luis De Sousa Rodrigues
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
Profissão Professor
 

Mais procurados (20)

Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
 
slides da história da psicologia
slides da história da psicologiaslides da história da psicologia
slides da história da psicologia
 
Inteligência
InteligênciaInteligência
Inteligência
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
 
Psicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiolaPsicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiola
 
A memória
A memóriaA memória
A memória
 
Introdução À Psicologia
Introdução À PsicologiaIntrodução À Psicologia
Introdução À Psicologia
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
 
Processos cognitivos o pensamento
Processos cognitivos  o pensamentoProcessos cognitivos  o pensamento
Processos cognitivos o pensamento
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
 
Escolas da Psicologia e Bases Biológicas do Comportamento
Escolas da Psicologia e Bases Biológicas do ComportamentoEscolas da Psicologia e Bases Biológicas do Comportamento
Escolas da Psicologia e Bases Biológicas do Comportamento
 
Psicologia - A memória
Psicologia - A memóriaPsicologia - A memória
Psicologia - A memória
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
 
O inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestaçõesO inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestações
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
 

Semelhante a Psicologia objeto e método.

Portfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdfPortfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdf
Vilciele
 
Desenvolvimento
DesenvolvimentoDesenvolvimento
Desenvolvimento
Kalina Lima Santos
 
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptxAULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
CarlaAlves362153
 
Psicologia na contabilidade 01
Psicologia na contabilidade 01Psicologia na contabilidade 01
Psicologia na contabilidade 01
Milton Magnabosco
 
Unidade 01 psicologia (1)
Unidade 01   psicologia (1)Unidade 01   psicologia (1)
Unidade 01 psicologia (1)
Suellen Souza Machado
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
Jose Arnaldo Silva
 
1 psicologia
1 psicologia1 psicologia
1 psicologia
brelua
 
Psicologia da Educação e da Aprendizagem.pdf
Psicologia da Educação e da Aprendizagem.pdfPsicologia da Educação e da Aprendizagem.pdf
Psicologia da Educação e da Aprendizagem.pdf
zecaviana1
 
Evolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gica
Evolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gicaEvolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gica
Evolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gica
familiaestagio
 
Cor na psicologia
Cor na psicologiaCor na psicologia
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
ANTÔNIO CARLOS G. BENTES
 
Filosofia & psicologia
Filosofia & psicologiaFilosofia & psicologia
Filosofia & psicologia
Luciano Souza
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
Edleusa Silva
 
Resumo Psicologia Aplicada ao Direito
Resumo Psicologia Aplicada ao DireitoResumo Psicologia Aplicada ao Direito
Resumo Psicologia Aplicada ao Direito
Thaisremo
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
Filipe Rhuan
 
1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx
1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx
1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx
António Moreira
 
Psicologia Esse
Psicologia EssePsicologia Esse
Psicologia Esse
Vanessa Santos
 
Origens Historicas da psicologia experimental.ppt
Origens Historicas da psicologia experimental.pptOrigens Historicas da psicologia experimental.ppt
Origens Historicas da psicologia experimental.ppt
cleisonpereirapsi
 
PSICOLOGIA.pdf
PSICOLOGIA.pdfPSICOLOGIA.pdf
PSICOLOGIA.pdf
Miguel Pascoal
 
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao
MariaDeMatos2
 

Semelhante a Psicologia objeto e método. (20)

Portfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdfPortfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdf
 
Desenvolvimento
DesenvolvimentoDesenvolvimento
Desenvolvimento
 
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptxAULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
 
Psicologia na contabilidade 01
Psicologia na contabilidade 01Psicologia na contabilidade 01
Psicologia na contabilidade 01
 
Unidade 01 psicologia (1)
Unidade 01   psicologia (1)Unidade 01   psicologia (1)
Unidade 01 psicologia (1)
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 
1 psicologia
1 psicologia1 psicologia
1 psicologia
 
Psicologia da Educação e da Aprendizagem.pdf
Psicologia da Educação e da Aprendizagem.pdfPsicologia da Educação e da Aprendizagem.pdf
Psicologia da Educação e da Aprendizagem.pdf
 
Evolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gica
Evolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gicaEvolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gica
Evolu+º+úo da ci+¬ncia psicol+¦gica
 
Cor na psicologia
Cor na psicologiaCor na psicologia
Cor na psicologia
 
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
 
Filosofia & psicologia
Filosofia & psicologiaFilosofia & psicologia
Filosofia & psicologia
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
 
Resumo Psicologia Aplicada ao Direito
Resumo Psicologia Aplicada ao DireitoResumo Psicologia Aplicada ao Direito
Resumo Psicologia Aplicada ao Direito
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx
1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx
1_introducao_ao_estudo_da_psicologia _ descobrindo a psicologia.pptx
 
Psicologia Esse
Psicologia EssePsicologia Esse
Psicologia Esse
 
Origens Historicas da psicologia experimental.ppt
Origens Historicas da psicologia experimental.pptOrigens Historicas da psicologia experimental.ppt
Origens Historicas da psicologia experimental.ppt
 
PSICOLOGIA.pdf
PSICOLOGIA.pdfPSICOLOGIA.pdf
PSICOLOGIA.pdf
 
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao
 

Mais de Nuno Pereira

Genética 013 ff
Genética 013 ffGenética 013 ff
Genética 013 ff
Nuno Pereira
 
Conação (2)
Conação (2)Conação (2)
Conação (2)
Nuno Pereira
 
Memória2011
Memória2011Memória2011
Memória2011
Nuno Pereira
 
Obediência milgram
Obediência milgramObediência milgram
Obediência milgram
Nuno Pereira
 
Desobediência
DesobediênciaDesobediência
Desobediência
Nuno Pereira
 
Obediência
ObediênciaObediência
Obediência
Nuno Pereira
 
Relações interpessoais2
Relações interpessoais2Relações interpessoais2
Relações interpessoais2
Nuno Pereira
 
Filosofia 010
Filosofia 010Filosofia 010
Filosofia 010
Nuno Pereira
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
Nuno Pereira
 
Cérebro 010-f
Cérebro 010-fCérebro 010-f
Cérebro 010-f
Nuno Pereira
 
Apresenta..[1]
Apresenta..[1]Apresenta..[1]
Apresenta..[1]
Nuno Pereira
 
Ciencia
CienciaCiencia
Ciencia
Nuno Pereira
 
Pes Alimt
Pes AlimtPes Alimt
Pes Alimt
Nuno Pereira
 

Mais de Nuno Pereira (13)

Genética 013 ff
Genética 013 ffGenética 013 ff
Genética 013 ff
 
Conação (2)
Conação (2)Conação (2)
Conação (2)
 
Memória2011
Memória2011Memória2011
Memória2011
 
Obediência milgram
Obediência milgramObediência milgram
Obediência milgram
 
Desobediência
DesobediênciaDesobediência
Desobediência
 
Obediência
ObediênciaObediência
Obediência
 
Relações interpessoais2
Relações interpessoais2Relações interpessoais2
Relações interpessoais2
 
Filosofia 010
Filosofia 010Filosofia 010
Filosofia 010
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Cérebro 010-f
Cérebro 010-fCérebro 010-f
Cérebro 010-f
 
Apresenta..[1]
Apresenta..[1]Apresenta..[1]
Apresenta..[1]
 
Ciencia
CienciaCiencia
Ciencia
 
Pes Alimt
Pes AlimtPes Alimt
Pes Alimt
 

Último

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 

Último (20)

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 

Psicologia objeto e método.

  • 2. Os antigos gregos -- por exemplo Hipócrates (460 – 377 a.C.), Platão (428 - 347 a.C.) e Aristóteles (384 - 322 a.C.) -- entendiam a alma como:  Fonte da vida;  Princípio imaterial do movimento da vida  Centro da consciência, das emoções, dos desejos Psicologia - objeto
  • 3. Constituição Etimológica da Palavra Psicologia Etimologicamente a palavra psicologia provém da junção de dois vocábulos gregos: Psiqué – Alma Logos – Estudo / Razão Psicologia era originalmente entendida como ciência ou estudo da alma. Psicologia - objeto
  • 4. • Desde Hipócrates (470377 a.C.) que se distingue o carácter dos indivíduos de acordo com o predomínio de um destes quatro humores: – – – – sangue, fleuma, bílis amarela e bílis negra. • que originavam os quatro temperamentos: – – – – Psicologia - objeto sanguíneo, fleumático, bilioso e melancólico.
  • 5. A psyché como objeto da psicologia na Grécia antiga  A ideia de uma alma como ente substancial residente no corpo com capacidade de existência independente começou a ser considerada a partir de Pitágoras. Sócrates, Platão e Aristóteles fizeram as perguntas fundamentais sobre temas de que se ocupa hoje a psicologia: o que é consciência? As pessoas são intrinsecamente racionais ou irracionais? … Psicologia - objeto
  • 6. Platão Para a cultura grega anterior a Platão, a psyche é a força vital que abandona o corpo quando se morre (Homero). Para Platão (429 aC – 347 aC), a psyche possui funções para além das associadas à vida: a psyche seria também responsável por processos que hoje atribuímos à mente (percepção, desejar, acreditar...). Psicologia - objeto
  • 7. Aristóteles Objeto geral da psicologia aristotélica é o mundo animado, isto é, vivente, que tem por princípio a alma e se distingue essencialmente do mundo inorgânico, pois, o ser vivo diversamente do ser inorgânico possui internamente o princípio da sua atividade, que é precisamente a alma, forma do corpo Psicologia - objeto
  • 8. Aristóteles • A alma seria o que dá unidade às distintas funções do corpo. • A alma é a causa formal, eficiente e final da existência desse organismo. Todas as acções e comportamentos de um organismo se explicam em termos das funções da sua alma. Psicologia - objeto
  • 9. Alma … Uma realidade metafísica, ou seja, uma realidade fora do alcance dos nossos sentidos, que não pode ser objecto de qualquer experiência. Psicologia - objeto
  • 10. O dualismo de René Descartes Descartes aceitou a posição dualista [Dualismo substancial]: o ser humano é composto por duas substâncias: – “res cogitans”, ou “coisa pensante”: a mente imaterial – “res extensa”, ou “coisa extensa”: o corpo material. Mente e corpo são distintos, mas as relações entre a mente e o corpo são muito mais estreitas do que se pensava no passado Psicologia - objeto
  • 11. Descartes: o interaccionismo mentecorpo (1596-1650) Psicologia - objeto • Foi o primeiro a oferecer uma explicação acerca do problema mente corpo no campo físicopsicológico. • Centrou o estudo da mente nas operações da mente. • Os métodos de investigação passam do campo metafísico para o campo objetivo e da observação.
  • 12. Descartes Divide os actos humanos : • Involuntários, automáticos, reacções inatas a estímulos externos, próprios dos animais porque da responsabilidade do corpo • Voluntários, dirigidos pela mente, resultantes da reflexão e da decisão, especificamente humanos Psicologia - objeto
  • 13. Repercussão das ideias de Descartes no desenvolvimento da Psicologia Moderna Quadro conceptual para o estudo da mente: a atenção do filósofo deve centrar-se na mente e nas operações mentais e não na alma e suas virtudes. O método de investigação da mente deixa de ser a reflexão metafísica e a dedução e passa a ser a observação direta. Delimitação das funções da alma e explicação fisiológica do corpo; – muitas das funções anteriormente atribuídas à alma são atribuídas por Descartes ao corpo, passando a ter explicação fisiológica. Doutrina das ideias: distinção entre conteúdos mentais inatos e adquiridos. Psicologia - objeto
  • 14. No seguimento da filosofia de Descartes, surgem duas abordagens que são os antecedentes próximos da Psicologia Moderna Mente → abordagem filosófica As correntes filosóficas no seguimento de Descartes preocuparam-se em explorar os conteúdos e processos mentais. Psicologia - objeto
  • 15. Corpo → abordagem fisiológica A Fisiologia é o ramo da Biologia dedicado ao estudo do funcionamento dos organismos vivos. A Fisiologia estuda os mecanismos envolvidos nas funções corpóreas (digestão, circulação, excreção, etc). Em meados do século XIX, começou a haver interesse em conhecer os mecanismos fisiológicos subjacentes aos fenómenos mentais (fisiologia do sistema nervoso). Psicologia - objeto
  • 16. Para o nascimento da Psicologia Moderna contribuíram dois aspectos: Uma atitude: acreditar que os “mistérios da alma” não eram do foro religioso mas que podiam ser estudados de forma objectiva, como qualquer outro aspecto do mundo natural; as problemáticas que os filósofos de então formularam continuaram a ser exploradas pelos primeiros psicólogos; Psicologia - objeto Um método: tal como os físicos, os químicos e os fisiologistas observavam, mediam, testavam os fenómenos a investigar, também era necessário desenvolver formas adequadas de investigar problemáticas psicológicas com outros métodos que não a especulação e a opinião.
  • 17. A Psicologia moderna estabelece com a Filosofia uma continuidade temática mas uma descontinuidade em termos metodológicos. Existe continuidade com a Fisiologia em termos metodológicos mas não em termos temáticos. Psicologia - objeto
  • 18. Nascimento da Psicologia científica Wilhelm Wundt médico, filósofo, psicólogo Funda na universidade de Leipzig, Alemanha, em 1879, o primeiro laboratório de psicologia experimental, garantin do para a psicologia o estatuto de ciência.  manual, p. 160 Psicologia - objeto
  • 20. Psicologia Psicologia - objeto Texto 127, p 142 / 2º Texto 127, p 142 / 2º v http://prezi.com/tphoyk6gcsil/dicotomias-naexplicacao-do-comportamento-humano/
  • 21. Psicologia, ciência… Porque baseia as suas teorias nos resultados de investigações válidas, estruturadas por uma metodologia científica, sobre a parcela da realidade que estuda: – Produzir conhecimento válidio, operativo, aplicável na previsão, explicação e controle de fenómenos que estuda; – Ser compartilhável e transmissível porque pautadas por exigências de objetividade; – Ser passível de submissão a testes Psicologia - objeto
  • 22. Psicologia - objeto procura fazer previsões sobre a possibilidade de se virem a verificar certos comportamentos, ou a desenvolver determinados processos mentais. CONTROLAR: procura dar explicações para os fenómenos descritos. PREVER: descrever uma determinada situação, que se traduz num certo comportamento ou num problema mental específico. EXPLICAR: DESCREVER: OBJECTIVOS DA PSICOLOGIA 141/2º vol. procura controlar a ocorrência de futuros comportamentos ou processos mentais.
  • 23. Psicologia, ciência… Para a sua produção, a psicologia precisa de É encontrar e definir todo um conjunto de processos que permitam a compreensão e a explicação apropriadas e rigorosas do seu objecto. Método – Refere-se a procedimentos ou técnicas específicas para a recolha e analise de dados. Psicologia - objeto
  • 24. Psicologia, objeto… Objecto – O campo de investigação de uma ciência, o conjunto de problemas específicos de que se ocupa: Conduta: Todos os atos que realiza o organismo que podem ser observados: são as respostas de uma pessoa ou de um animal perante uma situação e dirigida a garantir a sobrevivência mediante a adaptação / modificação do meio – O que os outros vêm. – Aspecto Fisiológico. Psicologia - objeto Situação – Conjunto de estímulos que levam um organismo a dar uma dada resposta.
  • 25. a experiência /aprendizagem Psicologia - objeto alterações fisiológicas BIOLOGIA Alterações do meio A conduta alterase com CULTURA AMBIENTE
  • 26. Psicologia, objeto… Processos mentais: são estados internos que explicam a variabilidade das respostas comportamentais. – Através deles percebemos, atuamos, aprendemos e recordamos. – Toda e qualquer atividade que não pode ser diretamente observável. Psicologia - objeto
  • 27. O objeto da psicologia 141 /2ºVol OBJECTO DA PSICOLOGIA COMPORTAMENTO PROCESSOS MENTAIS Ato efetuado pelo organismo que pode ser observado e registado Psicologia - objeto Fenómeno interno e subjectivo, inferido a partir dos comportamentos observados
  • 28. Psicologia 1. 2. 3. 4. É uma ciência experimental É una ciência eclética Opera com diferentes níveis de análise Diferentes concepções segundo a ideia de natureza humana das formas de conhecimento
  • 30. Métodos… Nas investigações em psicologia são usados diversos métodos e técnicas.. A escolha de um método depende dos objectivos que se tenham em vista atingir, os recursos e o tempo disponível. Psicologia - objeto – – – – – Experimental Introspetivo Clínico Fenomenológico …
  • 31. Métodos 1. experimental Utiliza o método hipotético dedutivo Observação fenómenos psíquicos Invenção da hipótese explicativa da regularidade Verificação de consequências deduzidas da hipótese. •Investigação que permite estabelecer uma relação causa – efeito. •Atua-se sobre uma VI (variável independente) para comprovar empiricamente as repercussões que tem sobre uma VD (variável dependente)