SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
PSICOLOGIA
FENOMENOLÓGI
CO-EXISTENCIAL

  Psicóloga: Sara Campagnaro
EDMUND HUSSERL (1859-1938)

   Estudou matemática

   Foi aluno Franz Brentano e mestre de
    Martin Heidegger

   Principais Obras: As Investigações
    Lógicas (1900 – 1901) e A crise das
    ciências europeias e a fenomenologia
    transcendental (1936)
MARTIN HEIDEGGER (1889-1976)
   Estudou filosofia com Edmund Husserl

   1927: Lança seu trabalho fundamental:
    Ser e Tempo

   Sempre afirmou trabalhar com o método
    fenomenológico

   Grande influência para: Jean-Paul Sartre
JEAN-PAUL SARTRE (1905-1980)
   Filósofo, escritor e crítico francês

   Representante do existencialismo

   Recusou receber o Nobel de Literatura
    de 1964

   Duas grandes obras: O Ser e o Nada
    (1943) e Crítica da Razão Dialética
    (1960)
FENOMENOLOGIA
   Conceito fundamental: Intencionalidade

   Humanização da Ciência: homem e mundo são
    inseparáveis

   Toda a consciência é consciência de algo

   Consciência como doadora de sentido e significado para
    o mundo
QUE SENTIDO VOCÊ DÁ?
FENOMENOLOGIA




Crítica   a filosofia tradicional

Chegar    ao fenômeno como ele se apresenta

Descrição    da realidade

Redução     Fenomenológica = Por entre parêntesis
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

                                         o Transcendência
o FACTICIDADE
                                     Fu t ur o
                           en te –
                  –P res
           sado                                  oAngústia
      o Pas

                             o PROJETO
  DASEIN



      o AUTENTICIDADE/INAUTENTICIDADE
EXISTENCIALISMO

Influência   de Husserl, Heidegger e Kierkegaard

Soren   Kierkegaard (1813 – 1855): filósofo
dinamarquês, foi o primeiro a se denominar existencialista
e a trabalhar o tema a fundo

A existência   precede a essência

Fenomenologia     como método
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

   Liberdade

          Escolhas

                   Má-fé

                     Responsabilidade
FAÇA ALGO!
PSICOTERAPIA E SARTRE

Cliente   visto como totalidade

Ser-no-mundo



O  indivíduo se define por seu
projeto

Sujeito   não é idealizado
PSICOTERAPIA E SARTRE

   Relação Terapeuta-Paciente como um “encontro”

   Ser humano só pode ser compreendido a partir de si
    mesmo

   Aceitar riscos e responsabilidade

                    Estágios da Terapia:
                    PARA – OUTRO

                         PARA-SI

                 PARA-SI-PARA-OUTRO
O PAPEL DO TERAPEUTA
O PAPEL DO TERAPEUTA


   Envolvimento com o cliente

   Espelho de intenções

   Empatia como essência do método fenomenológico

   Engajamento com o mundo do cliente

   Cliente + Intenção

   O terapeuta é desafiador
O PAPEL DO TERAPEUTA




   Criar uma nova saída para si mesmo

   A “cura” é a própria autenticidade

   A “Alta”
LIBERDADE
MÁ-FÉ
ANGÚSTIA
CIÊNCIA
FUNK DE JEAN-PAUL SARTRE
REFERÊNCIAS
   COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. São Paulo: Saraiva, 1999.

   ERTHAL, Tereza Cristina S. A abordagem Existencial Sartreana: Terapia
    Vivencial. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

   ERTHAL, Tereza Cristina S. Uma abordagem existencial em
    psicoterapia: A terapia vivencial. . Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

   FEIJOO, Ana Maria Lopez Calvo. A psicoterapia em uma perspectiva
    fenomenológico-existencial. São Paulo: Summus Editorial, 1991, 2ª ed.
    In: _____: ANGERAMI-CAMON, Valdemar (Org.)
    Psicoterapia Fenomenológico-Existencial.

   FIGUEIREDO, Luís C. Matrizes do pensamento psicológico. Petrópolis,
    RJ: Vozes, 1991.
OBRIGADA!

          Sara Campagnaro
Contato: campagnaro4640@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologiaLaércio Góes
 
Fenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introduçãoFenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introduçãoBruno Carrasco
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesBruno Carrasco
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE09108303
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introduçãoChrys Souza
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyElcielle .
 
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.pptA Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.pptSadeMental13RS
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseBruno Carrasco
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaRita Cristiane Pavan
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaEdgard Lombardi
 

Mais procurados (20)

O que é a psicologia
O que é a psicologiaO que é a psicologia
O que é a psicologia
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
slides da história da psicologia
slides da história da psicologiaslides da história da psicologia
slides da história da psicologia
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
 
Fenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introduçãoFenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introdução
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x Vygotsky
 
GESTALT
GESTALTGESTALT
GESTALT
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Teoria da Gestalt
Teoria da GestaltTeoria da Gestalt
Teoria da Gestalt
 
Psicologia Comunitária
Psicologia Comunitária    Psicologia Comunitária
Psicologia Comunitária
 
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.pptA Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Psicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiolaPsicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiola
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
 

Semelhante a Fenomenologia e Existencialismo

O homem e sua eterna busca de sentido
O homem e sua eterna busca de sentidoO homem e sua eterna busca de sentido
O homem e sua eterna busca de sentidoRebecca Athayde
 
Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...
Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...
Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...Érika Renata
 
História da hipnose ppt
História da hipnose pptHistória da hipnose ppt
História da hipnose pptLuis Mendes
 
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno CarrascoFundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno CarrascoBruno Carrasco
 
Rehfeld, a. existência e cura idéias
Rehfeld, a. existência e cura idéiasRehfeld, a. existência e cura idéias
Rehfeld, a. existência e cura idéiasÉrika Renata
 
Fenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimoFenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimoSilvia Cintra
 
aula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOS
aula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOSaula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOS
aula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOSfatimamalta27
 
Existencialismo de Jean Paul Sartre
Existencialismo de Jean Paul SartreExistencialismo de Jean Paul Sartre
Existencialismo de Jean Paul SartreKleber Saraiva
 
Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014
Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014
Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014Pedro H. Reis
 
Psicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico ExistencialPsicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico ExistencialBruno Carrasco
 
Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.
Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.
Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.CarynaMaximina
 
Rehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencial
Rehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencialRehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencial
Rehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencialÉrika Renata
 
História da psicanálise
História da psicanáliseHistória da psicanálise
História da psicanáliseAgespisa
 
J. herculano pires mediunidade
J. herculano pires   mediunidadeJ. herculano pires   mediunidade
J. herculano pires mediunidadeHelio Cruz
 
Corporeidade corporeidade, fenomenologia, gestalt
Corporeidade corporeidade, fenomenologia, gestaltCorporeidade corporeidade, fenomenologia, gestalt
Corporeidade corporeidade, fenomenologia, gestaltFlora Couto
 

Semelhante a Fenomenologia e Existencialismo (20)

O homem e sua eterna busca de sentido
O homem e sua eterna busca de sentidoO homem e sua eterna busca de sentido
O homem e sua eterna busca de sentido
 
Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...
Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...
Moreira, virginia. possíveis contribuições de husserl e heidegger para a clín...
 
Existencial- Humanista.pdf
Existencial- Humanista.pdfExistencial- Humanista.pdf
Existencial- Humanista.pdf
 
História da hipnose ppt
História da hipnose pptHistória da hipnose ppt
História da hipnose ppt
 
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno CarrascoFundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
 
Rehfeld, a. existência e cura idéias
Rehfeld, a. existência e cura idéiasRehfeld, a. existência e cura idéias
Rehfeld, a. existência e cura idéias
 
Fenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimoFenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimo
 
aula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOS
aula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOSaula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOS
aula de psicologia sobre GT CONCEITOS BÁSICOS
 
Existencialismo de Jean Paul Sartre
Existencialismo de Jean Paul SartreExistencialismo de Jean Paul Sartre
Existencialismo de Jean Paul Sartre
 
Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014
Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014
Oficina Psicologia Transpessoal UFPB 2014
 
12
1212
12
 
Karl jaspers
Karl jaspersKarl jaspers
Karl jaspers
 
Psicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico ExistencialPsicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico Existencial
 
Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.
Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.
Fenomenologia Hurssel, contexto histórico e início do pensamento.
 
Rehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencial
Rehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencialRehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencial
Rehfeld, a. a prática clínica fenomenológico existencial
 
Filosofia 9ºano Fenomenologia de Husserl
Filosofia 9ºano  Fenomenologia de HusserlFilosofia 9ºano  Fenomenologia de Husserl
Filosofia 9ºano Fenomenologia de Husserl
 
Aula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_E
Aula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_EAula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_E
Aula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_E
 
História da psicanálise
História da psicanáliseHistória da psicanálise
História da psicanálise
 
J. herculano pires mediunidade
J. herculano pires   mediunidadeJ. herculano pires   mediunidade
J. herculano pires mediunidade
 
Corporeidade corporeidade, fenomenologia, gestalt
Corporeidade corporeidade, fenomenologia, gestaltCorporeidade corporeidade, fenomenologia, gestalt
Corporeidade corporeidade, fenomenologia, gestalt
 

Fenomenologia e Existencialismo

  • 2. EDMUND HUSSERL (1859-1938)  Estudou matemática  Foi aluno Franz Brentano e mestre de Martin Heidegger  Principais Obras: As Investigações Lógicas (1900 – 1901) e A crise das ciências europeias e a fenomenologia transcendental (1936)
  • 3. MARTIN HEIDEGGER (1889-1976)  Estudou filosofia com Edmund Husserl  1927: Lança seu trabalho fundamental: Ser e Tempo  Sempre afirmou trabalhar com o método fenomenológico  Grande influência para: Jean-Paul Sartre
  • 4. JEAN-PAUL SARTRE (1905-1980)  Filósofo, escritor e crítico francês  Representante do existencialismo  Recusou receber o Nobel de Literatura de 1964  Duas grandes obras: O Ser e o Nada (1943) e Crítica da Razão Dialética (1960)
  • 5. FENOMENOLOGIA  Conceito fundamental: Intencionalidade  Humanização da Ciência: homem e mundo são inseparáveis  Toda a consciência é consciência de algo  Consciência como doadora de sentido e significado para o mundo
  • 7. FENOMENOLOGIA Crítica a filosofia tradicional Chegar ao fenômeno como ele se apresenta Descrição da realidade Redução Fenomenológica = Por entre parêntesis
  • 8. CONCEITOS FUNDAMENTAIS o Transcendência o FACTICIDADE Fu t ur o en te – –P res sado oAngústia o Pas o PROJETO  DASEIN o AUTENTICIDADE/INAUTENTICIDADE
  • 9. EXISTENCIALISMO Influência de Husserl, Heidegger e Kierkegaard Soren Kierkegaard (1813 – 1855): filósofo dinamarquês, foi o primeiro a se denominar existencialista e a trabalhar o tema a fundo A existência precede a essência Fenomenologia como método
  • 10. CONCEITOS FUNDAMENTAIS  Liberdade Escolhas  Má-fé Responsabilidade
  • 12. PSICOTERAPIA E SARTRE Cliente visto como totalidade Ser-no-mundo O indivíduo se define por seu projeto Sujeito não é idealizado
  • 13. PSICOTERAPIA E SARTRE  Relação Terapeuta-Paciente como um “encontro”  Ser humano só pode ser compreendido a partir de si mesmo  Aceitar riscos e responsabilidade Estágios da Terapia:  PARA – OUTRO  PARA-SI  PARA-SI-PARA-OUTRO
  • 14.
  • 15. O PAPEL DO TERAPEUTA
  • 16. O PAPEL DO TERAPEUTA  Envolvimento com o cliente  Espelho de intenções  Empatia como essência do método fenomenológico  Engajamento com o mundo do cliente  Cliente + Intenção  O terapeuta é desafiador
  • 17. O PAPEL DO TERAPEUTA  Criar uma nova saída para si mesmo  A “cura” é a própria autenticidade  A “Alta”
  • 23. REFERÊNCIAS  COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. São Paulo: Saraiva, 1999.  ERTHAL, Tereza Cristina S. A abordagem Existencial Sartreana: Terapia Vivencial. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.  ERTHAL, Tereza Cristina S. Uma abordagem existencial em psicoterapia: A terapia vivencial. . Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.  FEIJOO, Ana Maria Lopez Calvo. A psicoterapia em uma perspectiva fenomenológico-existencial. São Paulo: Summus Editorial, 1991, 2ª ed. In: _____: ANGERAMI-CAMON, Valdemar (Org.) Psicoterapia Fenomenológico-Existencial.  FIGUEIREDO, Luís C. Matrizes do pensamento psicológico. Petrópolis, RJ: Vozes, 1991.
  • 24. OBRIGADA! Sara Campagnaro Contato: campagnaro4640@gmail.com

Notas do Editor

  1. Tenta aproximar filosofia e matemática em seus estudos. Franz Brentano considerado o pai da Fenomenologia, pois é o criador do conceito.
  2. Ser e Tempo: Foi dedicado a Husserl, que posteriormente não aprovou a obra, ocasionando o rompimento entre ambos (livro lançado antes do período nazista) Diz não ser existencialista por ter falado apenas sobre as bases dessa filosofia e não se aprofundado na mesma.
  3. Apoiou causas políticas de esquerda com a sua vida e a sua obra A filósofa Simone de Beauvoir ( O segundo sexo) foi sua companheira e colaboradora até o fim da vida
  4. Por meio da intencionalidade a fenomenologia se contrapõe a filosofia positivista do século XIX A palavra intencionalidade não significa outra coisa senão esta particularidade da consciência de ser a consciência de alguma coisa
  5. Filosofia tradicional = Explicativa = Psicanálise e interpretação. Husserl: Voltar as coisas mesmas Tem como preocupação central a descrição da realidade, é uma filosofia da vivência O interesse para a Fenomenologia é o modo como o conhecimento do mundo se dá e se realiza para cada pessoa
  6. ser-aí= o homem é um ser-no-mundo Homem é lançado e submetido a uma situação que não escolheu Descobrir o sentido de sua própria existência e orientar suas ações nas direções mais diversas Angústia = Ao se descobrir dono de seu destino Projeto  Crítica ao modelo contemplativo e descritivo de Husserl
  7. Nessa nova atitude o filósofo de “carne e osso” se inclui a si mesmo no pensar, que até então se propunha objetivo e distanciado do vivido (Kierkegaard) A fenomenologia é o método e a filosofia que fornece os conceitos básicos para a reflexão existencialista
  8. Somos condenados a ser livres - Livre Arbítrio vs Liberdade Situada Má-Fé  Atitude característica do homem que finge escolher Responsabilidade  o homem é responsável por aquilo que é Não importa o que as circunstâncias fazem do homem, “mas o que ele faz do que fizeram dele.”
  9. leva-se em consideração o momento histórico e cultural para compreender o indivíduo concreto singular A análise Sartreana é o esclarecimento do projeto de vida de uma pessoa e de como ela o vivência O método fenomenológico é usado rigorosamente para compreender uma pessoa como realmente é, e não como ser idealizado (NÃO INTERPRETA)
  10. relação terapeuta/paciente é um “encontro” existencial único e irrepetível A terapia ajuda o cliente a aceitar os riscos e responsabilidades de suas decisões, a liberdade e as possibilidades de escolha Para-outro: O cliente meramente se limita a descrever fatos Para-si: Há exploração do problema Para-si-para-outro: A presença do outro é um intermediário que remete a ele mesmo
  11. Cliente + Intenção = movimento dialético que explica o ato pelo seu significado Na terapia vivencial o terapeuta desafia o cliente a perceber as formas que o impedem de ser livre
  12. É responsabilidade do cliente descobrir e resolver quando a “alta” da terapia ocorrerá