Introdução à psicologia

6.057 visualizações

Publicada em

Introdução à psicologia

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.057
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
321
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução à psicologia

  1. 1. Introdução à PsicologiaIntrodução à Psicologia Disciplina: Psicologia da ComunicaçãoDisciplina: Psicologia da Comunicação Prof.: Ms. Laércio Torres de GóesProf.: Ms. Laércio Torres de Góes
  2. 2. Conceito de psicologiaConceito de psicologia Formada por duas palavras gregas: 1.Psique – alma, mente. 2.Logos – estudo, ciência.2.Logos – estudo, ciência. Etimologicamente, psicologia significa: estudo da alma/mente.
  3. 3. Conceito de psicologiaConceito de psicologia A psicologia é a ciência que estuda o homem em relação ao ambiente em que vive. Estuda o comportamento humano com base na natureza biológica (herança) e nos estímulos ambientais e sociais.
  4. 4. Conceito de psicologiaConceito de psicologia Ciência do Comportamento Comportamento: emoções, condutas, formas de comunicação, processos de desenvolvimento e os processosdesenvolvimento e os processos mentais. Processos mentais: perceber, lembrar, raciocinar, sonhar, desejar, fantasiar, etc.
  5. 5. Campos de aplicação Psicologia clínica Psicologia da educação Psicologia do trabalho Psicologia jurídica
  6. 6. Psicologia como ciência Método científico Objeto: fenômenos naturais e não transcendentais (ficam de fora: espíritos, aura, encostos, etc); Método: observação controlada (sistematizada) de dados sobre o tema investigado; Critério de verdade: teste empírico baseado em evidências; Produto: tese, teoria.
  7. 7. Psicologia como ciência Teoria Científica: É baseada num Quadro Teórico de Referência (idéias articuladas coerentemente);coerentemente); Exemplos de teorias científicas: Teoria da Evolução (Darwin), Teoria da Gravidade (Newton), da Relatividade (Einstein), do Inconsciente (Freud)...
  8. 8. Pressupostos da Psicologia A Psicologia desenvolveu-se num contexto histórico- social (onde e quando o conhecimento foi produzido?); A Psicologia é empírica (baseada em evidências observadas e não em achismo);observadas e não em achismo); A Psicologia é teoricamente diversa. Há diferentes teorias psicológicas: Comportamental, Psicanalítica, Humanista, Cognitivista...; O comportamento é determinado por causas múltiplas;
  9. 9. Pressupostos da Psicologia Nosso comportamento é moldado por nossa herança cultural (crenças, valores, tradições e costumes dos nossos grupos sociais); Hereditariedade e Meio Ambiente influenciamHereditariedade e Meio Ambiente influenciam mutuamente o comportamento (tendências genéticas + condições do ambiente); Nossa experiência do mundo é extremamente subjetiva (cada um constrói uma visão do mundo a partir do seu ponto de vista).
  10. 10. Behaviorismo Método que utiliza a observação do comportamento, na relação com o ambiente em que ele ocorre. O comportamento como objeto observável,O comportamento como objeto observável, mensurável, que podia ser reproduzido em diferentes condições e ambientes. A psicologia devia restringir-se aos dados das ciências naturais, ao que podia ser observado – em outras palavras, ao comportamento externo. (John Watson)
  11. 11. Criada nos EUA por Watson e Pavlov e depois por Skinner por volta dos anos 30. Behaviorismo
  12. 12. Tem como método a observação do indivíduo na situação real (Observação in locu). Behaviorismo A observação é feita tendo como pressuposto o comportamento verbal e não verbal.
  13. 13. S R A Legenda: S: Estímulos externos (mundo social, físico, Behaviorismo S: Estímulos externos (mundo social, físico, econômico etc.) R: Resposta do indivíduo (comportamento) A: Consequências do comportamento Estímulo e resposta são as unidades básicas da descrição e o ponto de partida para uma ciência do comportamento.
  14. 14. Caixa de Behaviorismo de Skinner
  15. 15. O processo de aprendizagem se dá por reforço que tende a fortalecer ou enfraquecer a resposta do indivíduo frente aos estímulos externos. Behaviorismo Tipos de reforço: Positivo (incentiva o comportamento desejado / recompensa). Negativo (reduz ou elimina a probabilidade da resposta / punição). Extinção
  16. 16. Behaviorismo Feedbacks (reforços): O relacionamento social funcionaO relacionamento social funciona através de feedbacks, ou seja, é o retorno ou a percepção que o outro tem de mim. E esse feedback pode fortalecer ou enfraquecer o meu vínculo com as pessoas.
  17. 17. O comportamento satisfatório é buscado através do processo de condicionamento, que pode ser dividido em: Behaviorismo dividido em: Respondente Operante
  18. 18. Respondente: comportamento reflexo, automático e controlado por antecedentes. Exemplo: salivação causada pelo limão, lágrimas de cebola, dirigir. Behaviorismo lágrimas de cebola, dirigir. Operante: comportamento voluntário, mais difícil de ser aprendido e controlado pelas conseqüências. Exemplo: Ser ou não engraçado.
  19. 19. Extinção: Como podemos instalar comportamentos, podemos descondicionar uma resposta. Se é o reforço ou o efeito que mantém um comportamento operante, com certeza a ausência Behaviorismo comportamento operante, com certeza a ausência desse reforço fará desaparecer a resposta. Punição: Eliminação de um comportamento inadequado através de estímulos indesejáveis para desestimular emitir uma determinada resposta.
  20. 20. Aplicação: Área de treinamento de empresas; Clínica psicológica; Behaviorismo Clínica psicológica; Trabalho educativo de crianças excepcionais; Publicidade, etc.
  21. 21. Gestalt Surge na Alemanha por entre 1910- 1920 MAXMAX WERTHEIMERWERTHEIMER (1880(1880 –– 1943)1943) KURT KOFFKAKURT KOFFKA (1886(1886 –– 1941)1941) WOLFGANGWOLFGANG KÖHLER (1887KÖHLER (1887 –– 1967)1967)
  22. 22. Gestalt Psicologia da Gestalt: Escola de psicologia experimental, criada no início do século XX, na Alemanha. Estudo sobre a interação e o efeito da percepção humana sobre o significado visual. Gestalt (palavra alemã sem tradução para o português) é uma teoria que estuda como os seres humanos percebem as coisas: objetos, imagens, sensações – pode ser entendida como uma teoria da percepção. Estruturas mentais: a apreensão da imagem pelo espectador ocorre através de estruturas mentais.
  23. 23. Percepção da forma: Para a Gestalt, são de dois tipos as forças que agem sobre a percepção: Externas: que são constituídas pela estimulação da retina através da luz proveniente do objeto exterior e Gestalt retina através da luz proveniente do objeto exterior e têm origem no objeto que olhamos. Internas: que organizam as formas em uma ordem determinada e têm origem na própria estrutura do cérebro.
  24. 24. Afirma que nossa percepção não se dá por “pontos isolados”, mas, sim, por uma visão de “todo”. Não vemos partes isoladas, mas relações. Isto é, uma parte na dependência de outra parte. Gestalt Ao contrário do Behaviorismo, leva em conta não apenas o estímulo e a resposta, mas o processo de percepção. Deve-se levar em conta as condições que alteram a percepção do estímulo.
  25. 25. Principais leis da psicologia da Gestalt A maneira como percebemos um determinado estímulo irá desencadear o nosso comportamento. Leia da segregação Podemos ver na imagem ao lado um exemploPodemos ver na imagem ao lado um exemplo de segregação, em que uma única uva torna- se "segregada", em relação às outras, pela sua cor, como se estivesse "separada" do grupo, "isolada" do todo, destacada, etc. A segregação é a capacidade perceptiva de separar, identificar, evidenciar ou destacar unidades formais em um todo compositivo.
  26. 26. Principais leis da psicologia da Gestalt Lei da proximidade Os elementos são agrupados de acordo com a distância a que se encontram uns dos outros.encontram uns dos outros. Logicamente, elementos que estão mais perto de outros numa região tendem a ser percebidos como um grupo, mais do que se estiverem distante de seus similares.
  27. 27. Principais leis da psicologia da Gestalt Lei do fechamento Há uma tendência de a nossa percepção seguir uma direçãopercepção seguir uma direção para conectar os elementos de modo que eles pareçam contínuos ou fluir em uma direção específica.
  28. 28. Principais leis da psicologia da Gestalt Lei da semelhança Os objetos similares tendem a se agrupar. A similaridade pode acontecer na cor dos objetos, na textura e na sensação de massa dos elementos.
  29. 29. Principais leis da psicologia da Gestalt Lei da pregnância Diz que todas as formas tendem a ser percebidas em seu caráter mais simples. É o princípio da simplificaçãosimples. É o princípio da simplificação natural da percepção. Quanto mais simples, mais facilmente é assimilada: desta forma, a parte mais facilmente compreendida em um desenho é a mais regular, que requer menos simplificação.
  30. 30. Conceito de insight Insight: compreensão imediata. Os elementos da situação são percebidos em um padrão certo. A solução surge de repente. Sujeito reage à situação total. Para que ocorra o insight devem ser levados em conta os fatores subjetivos e objetivos: Os dados devem estar presentes e apresentados de forma a proporcionar o entendimento. O sujeito deve estar predisposto a resolver o problema ou entender a questão.
  31. 31. Ilusão de ótica QUE ARCO FORMA O CÍRCULO? O VERMELHO OU O AZUL?
  32. 32. Ilusão de ótica
  33. 33. Ilusão de ótica
  34. 34. Ilusão de ótica
  35. 35. Ilusão de ótica
  36. 36. Ilusão de ótica
  37. 37. Gestalt na publicidade Segregação
  38. 38. Gestalt na publicidade Proximidade
  39. 39. Gestalt na publicidade Fechamento
  40. 40. Gestalt na publicidade Semelhança
  41. 41. Gestalt na publicidade Pregnância
  42. 42. Psicanálise Sigmund Freud Nasceu na Freiberg, Morávia, em 1856. Ingressou na Universidade de Viena em 1873, tornando-se médico em 1881. Freud vai para Paris estudar com Charcot. O trabalho consiste em tratar pacientes histéricos através de hipnose. Freud e Charcot percebem que podem criar ou eliminar sintomas histéricos através da hipnose. Estes estudos iriam formar, posteriormente, a teoria do inconsciente.
  43. 43. Freud realiza trabalhos de hipnose, juntamente com Breuer, com uma paciente considerada histérica, Ana O. Notam que a paciente relembra fatos Psicanálise Notam que a paciente relembra fatos traumáticos que, em estado de consciência, não conseguia lembrar. Com isso Freud pode começar a perceber a existência do INCONSCIENTE.
  44. 44. Consciente Pequena parte da mente que inclui tudo o que estamos cientes num dado momento. Pré-consciente É uma parte do inconsciente que pode se tornar consciente com facilidade. Teoria da Psicanálise facilidade. Vasta área de lembranças que o consciente precisa para desempenhar suas funções. Inconsciente Não acessível ao consciente. Instintos ou pulsões. Material excluído do consciente. Parte mais profunda da memória. Origem de pensamentos e sentimentos. Atemporal. Simbólico.
  45. 45. objeto pulsão de vida libido Teoria da Psicanálise CONSCIENTE PRÉ- CONSCIENTE INCONSCIENTE objeto pulsão de morte
  46. 46. As manifestações inconscientes Sonhos Para Freud, os sonhos serviam para a realização de desejos reprimidos ou atos socialmente reprováveis. Lapsos Teoria da Psicanálise Lapsos De memória ou linguagem que têm representação inconsciente. Atos falhos Ato em que o resultado explicitamente visado não é atingido. Fracassos que o indivíduo atribui ao acaso ou distração. Chistes Piadas ou brincadeiras que tornam possível a satisfação de uma pulsão libidinal ou hostil.
  47. 47. Resistência e repressão O evento traumático pode ser tão intenso que torna- se insuportável vivenciar INCONSCIENTE RESISTÊNCI A Teoria da Psicanálise se insuportável vivenciar sua dor. Então ele é levado ao inconsciente por uma força chamada RESISTÊNCIA. Para que fique lá, uma outra força entra em atividade, a REPRESSÃO. CONSCIENTE PRÉ-CONSCIENTE REPRESSÃO
  48. 48. Aparelho psíquico ID 90% inconsciente. Processos primários. Princípio de prazer. É simbólico e atemporal. Teoria da Psicanálise É simbólico e atemporal. EGO (EU) Consciente e inconsciente. Princípio de realidade. Processo secundário (linguagem). Mecanismos de defesa (inconscientes). SUPEREGO Na sua maior parte consciente. Responsável por normas e valores.
  49. 49. Mecanismo de defesa: Processos inconscientes que permitem a mente encontrar uma solução para conflitos não resolvidos ao nível da consciência. A psicanálise supõe a existência de forças mentais que se opõem umas às outras e que batalham Teoria da Psicanálise mentais que se opõem umas às outras e que batalham entre si. Repressão, Defesa de reação Projeção, Regressão Substituição.
  50. 50. Carl G. Jung Nasceu na Suíça em 26 de julho 1875 e faleceu em 6 de junho 1961. Filho de um pastor da Igreja Reformada Suíça; Relacionamento com Freud: 1902 a 1904 - contato com a obra e correspondência;1902 a 1904 - contato com a obra e correspondência; 27 de fevereiro de 1907 – primeiro encontro, com 13 horas de conversa; 1913 – rompimento com Freud. Causas: Natureza sexual como causa única dos conflitos psíquicos; Freud não aceitava que Jung considerasse os fenômenos espirituais.
  51. 51. Níveis da psique (alma) Ego (e suas funções) Consciente Carl G. Jung Complexos Arquétipos Inconsciente pessoal Inconsciente coletivo
  52. 52. Inconsciente pessoal é representado pelos sentimentos e ideias reprimidas, desenvolvidas durante a vida de um indivíduo. Inconsciente coletivo: Carl G. Jung Não se refere apenas à vida pessoal do indivíduo, mas também à dos homens de todos os tempos e de todos os povos. Conteúdos inconscientes chamados de arquétipos, modalidades comuns a toda a humanidade de representar o mundo e a realidade (mitologia).
  53. 53. Referências BOCK, Ana M. B. Psicologias: Introdução ao estudo da Psicologia. 13. ed. São Paulo: Vozes, 1999. Psicologia. 13. ed. São Paulo: Vozes, 1999. STROCCHI, Maria Cristina. Psicologia da Comunicação. São Paulo: Paulus, 2007.

×