Introdução À Psicologia

4.115 visualizações

Publicada em

Introdução À Psicologia - Paulo Arthur - Introdução À Psicologia

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.115
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
190
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução À Psicologia

  1. 1. Introdução a PsicologiaPsicólogo Paulo Arthur BuchvitzPsicólogo pela Umesp, Mestre pela Pucsp, Doutorpela Usp e Pós-doutorando pela UerjCRP. 05/29833
  2. 2. O que é Psicologia para vocês?????
  3. 3. Caracterização da Psicologia• “ De Psicólogo e louco todo mundo tem umpouco”.• As pessoas tem a “sua psicologia”.• Psicologia ou Psicologias?• Psicologia do senso comum e PsicologiaCientífica.
  4. 4. O Senso Comum: o conhecimento da Realidade• É o cotidiano;• O que importa é a praticidade e as soluções para os problemascotidianos;• Ensaio e erro;• Muitas vezes baseadas no conhecimento científico mas simplificado eimprovisado.• Conhecimento acumulado e espontâneo.• O senso-comum produz uma visão de mundo.
  5. 5. Formas Conhecer• Importante para entender os problemas que o mundoapresenta;• Objetivo específico, linguagem rigorosa, métodos etécnicas específicas, processo cumulativo deconhecimento e objetividade.• Senso-comum e ciência não são as únicas formas deconhecimento.• Senso-comum, ciência, arte, filosofia e religião sãodomínios do conhecimento humano.
  6. 6. A Psicologia como Ciência• Um conhecimento, para ser considerado científico,requer um objeto específico de estudo.• Tratar o objeto com uma certa distância: isolá-lopara estudá-lo.• Isso não acontece com as Ciências Humanas dentreelas a Psicologia;• Qual é o objeto de estudo da Psicologia????
  7. 7. Diversidade de objetos da Psicologia• Psicologia se desenvolveu como ciência muitorecentemente- final do Sec XIX;• Muitos argumentam que ainda não foi possível aconstrução de paradigmas confiáveis e convincentes quepudessem ser utilizados por todos os psicólogos;• Provavelmente a psicologia jamais terá um paradigma semquestionamentos!Isso porque como ciências humanas existe acontaminação por estudar os iguais.
  8. 8. • Conforme a definição adotada, teremos umaconcepção do objeto que combine com ela. Como háuma riqueza de valores sociais que permitem váriasconcepções de ser humano, a Psicologia estuda“diversos seres humanos” concebidos pelo conjuntosocial.A Psicologia hoje se caracteriza por umadiversidade de objetos de estudo.
  9. 9. A Subjetividade como Objeto• A Psicologia estuda a subjetividade – é essa sua forma decontribuição particular e específica para a compreensão datotalidade da vida humana.• Nossa matéria-prima, portanto, é o ser-humano em todasas suas expressões:• as visíveis (comportamento)• as invisíveis (sentimentos)• as singulares (porque somos o que somos)• as genéricas (porque somos todos assim) – é o ser humano-corpo, ser humano-pensamento, ser humano-afeto, serhumano-ação e tudo isso é subjetividade.
  10. 10. • A subjetividade é o mundo das ideias, significados eemoções construído internamente pelo sujeito apartir de suas relações sociais, de suas vivências e desua constituição biológica; é, também fonte de suasmanifestações afetivas e comportamentais.O mundo social e cultural, conformevai sendo experenciado por nós,possibilita-nos a construção de ummundo pessoal e singular.
  11. 11. • Não é inata!• O homem a constrói aos poucos se apropriando domaterial social e cultural e faz isso ao mesmo tempoem que atua sobre o mundo- é ativo nessaconstrução.• Criando e transformando o mundo, o homemconstrói e transforma a si próprio.

×