História da psicologia

771 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da psicologia

  1. 1. História da psicologia Por: Marta Gislayne
  2. 2. O que é psicologia? • Etimologicamente, a definição de psicologia poderia ser dada por sua origem grega: Ψυχολογία = Psyche + logia. Psyche significa alma ou mente. Logia vem de logos, que quer dizer: discurso, conhecimento, ciência. Deste modo Psicologia é a ciência da alma e da mente. É a ciência que estuda a mente e o comportamento.
  3. 3. Em certo sentido, pode-se dizer que a psicologia existiu desde o nascimento da filosofia grega. Obras de Platão e Aristóteles já contém estudos sobre a alma humana. Assim, ao longo da filosofia como um todo, desde a Antiguidade, passando pela Idade Média e moderna, encontramos livros relacionados aos temas da psicologia: estudos sobre os humores, temperamentos, sofrimentos, ética. Mas existe um autor que é considerado o pai da moderna psicologia: seu nome é Wilhelm Wundt. Ele é considerado o fundador da psicologia enquanto ciência por ter criado o primeiro laboratório de psicologia, em Leipiz, na Alemanha em 1879.
  4. 4. • Wundt abriu dois grandes campos de pesquisa para a psicologia: a pesquisa experimental (em laboratório) e a psicologia social ou psicologia dos povos – em alemão Völkerpsychologie. • Abordagens da psicologia • Até os dias atuais, os psicólogos contemporâneos dividem a psicologia em 3 grandes abordagens: a psicanálise, o behaviorismo (comportamentalismo) e humanismo. Falaremos com mais detalhes na Lição 4, sobre a biografia dos mais famosos psicólogos.
  5. 5. Psicologia Científica A psicologia científica surge no século XIX, com Wilhelm Wundt. Durante muito tempo os dados sobre a obra de Wundt foram distorcidos, provavelmente pelos problemas de tradução feita por Tichener. Durante muito tempo a obra de Wundt foi atrelado ao estruturalismo.
  6. 6. • Wundt dividiu sua obra em: Psicologia experimental e social. • Para ele, as funções mais simples poderiam ser estudados em laboratórios, pela psicologia experimental.
  7. 7. • A psicologia experimental utilizava os mesmos métodos das ciências naturais, principalmente da Fisiologia. A consciência tornou-se o objeto de estudo da Psicologia, incluía partes diferentes e poderia ser estudada usando o método da redução. Porém, para Wundt os elementos da consciência não eram estáticos, eles tinham um papel ativo na organização do próprio conteúdo. Wundt denominou essa ideia de VOLUNTARISMO.
  8. 8. Wundt dava ênfase à experiência imediata durante os processos experimentais. Aquelas experiências que não dependem da interpretação de um objeto = experiência objetiva. Descarta-se a Subjetividade. Sendo uma ciência da experiência consciente, a psicologia deveria ter um método capaz de observar essa experiência consciente. Esse método seria a Introspecção. Esse método foi necessário porque somente o próprio sujeito pode observar sua experiência consciente. A introspecção não foi criada por Wundt, já existia na época de Sócrates.
  9. 9. • Deve-se seguir algumas regras: 1. O observador deve ser capaz de determinar o início do processo. 2. o Observador deve manter-se em estado de prontidão e alerta. 3. Devem haver condições adequadas para muitas repetições do processo; 4. Devem haver condições de variações das situações experimentais; controle de estímulos. A última condição refere-se à essência do método experimental.
  10. 10. Fim...

×