SlideShare uma empresa Scribd logo
COMO MAPEAR OS
PROCESSOS DA SUA EMPRESA
Michelle Raimundo dos Santos
Consultora de Qualidade e Produção
michellers@sebraesp.com.br
O SEBRAE e o que ele pode
fazer pelo seu negócio
Trilha de
aprendizagem
empresarial
EAD
SEI
SEBRAE
Mais
Cursos
Programas
setoriaisConsultorias
Palestras
Na Medida
E muito mais...www.sebraesp.com.br
ACESSE
www.sebraesp.com.br
COMO MAPEAR OS
PROCESSOS DA SUA EMPRESA
Objetivo:
Sensibilizar o empresário para a importância do
mapeamento dos processos na sobrevivência e
crescimento do negócio, implementando práticas para
a melhoria contínua da Produtividade e Qualidade,
gerando maior competitividade para empresa.
Conteúdo:
1. Conceito de Mapeamento de Processos
2. Impacto nos Resultados
3. Método para Mapeamento dos Processos
4. Exemplo de Mapeamento de um Processo
O que eu ganho se
mapear os processos da
minha empresa?
Dá muito trabalho?
É aplicável para minha
empresa?
1. Conceito de
Mapeamento
de Processos
Determinação da forma como os insumos recebidos de
um fornecedor são tratados e transformados em produtos
que serão entregues aos clientes (cadeia
cliente/fornecedor).
Conhecimento: Favorece, a partir do conhecimento
detalhado da empresa, uma visão
global dos processos.
Moral: Educa e motiva os colaboradores,
gerando confiança e continuidade de
ações para mudança cultural.
Qualidade: Estabelece o controle da qualidade com
visão horizontal da empresa e definição de
padrão.
2. Impacto nos
Resultados
Custo: Redução dos
desperdícios, gerando a
redução dos custos na
empresa.
Atendimento: Entrega no prazo e
assistência clara e
transparente junto ao
cliente.
Segurança: Reduz riscos aos usuários
durante as realizações
dos processos.
2.Impacto nos
Resultados
3. Método
Mapeamento
de Processos
7 Etapas:
1. Identificar o processo da empresa e
seus trechos.
2. Identificar e descrever o
trecho/processos gargalo com suas
ocorrências.
3. Fixar os parâmetros antes da melhoria.
4. Implementar as soluções para os
pontos potenciais de melhoria
levantados.
5. Fixar os parâmetros após as melhorias.
6. Comparar os parâmetros fixados após e
antes da melhoria, calculando os
resultados.
7. Apresentar o trabalho.
Etapa 1
Identificar o processo da empresa e seus trechos.
Reunir a equipe
Identificação dos responsáveis
Atribuição dos tempos
Etapa 2
Definição do processo gargalo
Identificar e descrever o trecho/processo gargalo
com suas ocorrências.
Descrever as etapas do processo
Etapa 3
Definir indicadores:
 Produtividade
 Qualidade
 Área
 Outros
Fixar os parâmetros antes da melhoria.
Etapa 4
Definição das soluções
Implementar as soluções para os pontos
potenciais de melhoria levantados.
Definição de responsáveis
e prazos
Testar/simular a solução
Etapa 5
Acompanhamento dos
indicadores
Fixar os parâmetros após as melhorias.
Registro das ocorrências
Etapa 6
Comparar os parâmetros fixados após e antes da
melhoria, calculando os resultados.
Obtenção/cálculo do
resultado
Etapa 7
Reunião com os envolvidos no
trabalho
Apresentar o trabalho.
Reconhecimento aos envolvidos
Recompensar os resultados obtidos
4. Exemplo de
Mapeamento de
um Processo
MAPEAMENTO DE PROCESSO
DE UM MINIMERCADO
S E G U I N D O A S 7 E T A P A S
Comprar produtos
Início
Retirada
produtos
Recebimento / Precificação
Armazenar
Recebimento
produtos
Arrumar o ponto
de venda
Arrumar o ponto
de venda
1
Etapa 1
Identificar o
processo da
empresa e
seus trechos.
1
Venda produtos Telefone
Caixa / Pagamento
Embalagem Entrega
Fechamento do
dia / Vendas
Registro de
entrega/ Saída
2
Pendências
pagamentosSistema
Etapa 1
Identificar o
processo da
empresa e
seus trechos.
CONDIÇÕES REAIS
Sócios: 2
Funcionários: 2
Clientes: 180/200
2
Identifica necessidades
de compra
Fim
Inventários estoques
Etapa 1
Identificar o
processo da
empresa e
seus trechos.
Etapa 2
Identificar e
descrever o
trecho/proces
sos gargalo
com suas
ocorrências.
Etapa 2
Identificar e
descrever o
trecho/processos
gargalo com suas
ocorrências.
Etapa 2
Identificar e descrever o
trecho/processos gargalo
com suas ocorrências.
Etapa 2Identificar e descrever o
trecho/processos gargalo
com suas ocorrências.
26. Aguardar o sócio buscar a etiqueta no
escritório.
27. Pegar a etiqueta e deslocar-se até as
caixas.
28. Carregar a máquina com a etiqueta.
29. Reiniciar precificação.
30. Pegar uma caixa com os produtos
precificados e deslocar-se até a prateleira
onde os itens serão repostos.
Etapa 2
Identificar e descrever o
trecho/processos gargalo com
suas ocorrências.
31. Repor os itens na prateleira.
32. Deslocar-se até a caixa do segundo item.
33. Pegar a caixa e deslocar-se até a
prateleira onde os itens serão repostos.
34. Repor os itens na prateleira.
35. Pegar as caixas vazias e levar para o lixo
na entrada da loja.
Tempo do processo: 34 minutos
Condições do processo: Precificação de 2 caixas de
amaciante, com 12 unidades cada
Etapa 2
Identificar e descrever o
trecho/processos gargalo com
suas ocorrências.
 Tempo de reposição de uma caixa de produto
com 12 unidades: 17 minutos
 Falhas do processo: 2 falhas / 12 itens repostos
Etapa 3
Fixar os parâmetros
antes da melhoria.
DESCRIÇÕES
DO PROCESSO
GARGALO35
25PODEM SOFRER
MELHORIAS 10SÃO ITENS ESSENCIAIS
NO PROCESSO
Vamos verificar as melhorias...
Etapa 4
Implementar as
soluções para os
pontos potenciais
de melhoria
levantados.
Etapa 4
Implementar as
soluções para os
pontos potenciais
de melhoria
levantados.
Etapa 4
Implementar as
soluções para os
pontos potenciais
de melhoria
levantados.
Etapa 4
Implementar as soluções
para os pontos potenciais
de melhoria levantados.
Etapa 4
Implementar as soluções
para os pontos potenciais
de melhoria levantados.
26. Aguardar o sócio buscar a etiqueta no
escritório.
27. Pegar a etiqueta e deslocar-se até as
caixas.
28. Carregar a máquina com a etiqueta.
29. Reiniciar precificação.
30. Pegar uma caixa com os produtos
precificados e deslocar-se até a prateleira
onde os itens serão repostos.
Etapa 4
Implementar as soluções
para os pontos potenciais
de melhoria levantados.
31. Repor os itens na prateleira.
32. Deslocar-se até a caixa do segundo item
33. Pegar a caixa e deslocar-se até a prateleira
onde os itens serão repostos.
34. Repor os itens na prateleira.
35. Pegar as caixas vazias e levar para o lixo
na entrada da loja.
Tempo do processo: 34 minutos
Condições do processo: Precificação de 2 caixas de
amaciante, com 12 unidades cada
Etapa 4
Implementar as soluções
para os pontos potenciais
de melhoria levantados.
Definição de método para
RECEBIMENTO E PRECIFICAÇÃO
de mercadorias
Soluções
Etapa 4
Implementar as soluções
para os pontos potenciais
de melhoria levantados.
1. Implementar um
pedido de compras,
em formulário
padrão, onde conste
os dados pedidos e
um campo para o
preço de venda.
2. Preencher o pedido e
o colocar na
prancheta de
madeira que fica na
entrada da loja, cada
pedido feito junto ao
fornecedor (sócio).
3. Deixar as duas
máquinas de
precificação próximo
a prancheta, com um
rolo de etiqueta
reserva
(sócio/funcionário).
4. Delegar a
responsabilidade de
ass. da nota ao
funcionário, que deve
comparar o que
estiver no pedido
interno com que
consta na nota, só
assinando se conferir
100%. Em divergência
consulta-se o sócio.
6. Recepcionar o
fornecedor e fazer a
conferência da nota
fiscal contra o pedido
(funcionário).
7. Solicitar ao
fornecedor que
posicione as caixas
na frente da
prateleira onde será
reabastecido o item.
Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de
melhoria levantados.
7. Assinar a Nota
Fiscal e liberar o
fornecedor
8. Pegar a máquina e
verificar se esta
funcionando e tem
papel/etiqueta, se
não estiver
funcionando
pegar a segunda
máquina
9. Deslocar-se até a
prateleira onde
estão as caixas
com os produtos a
serem repostos
10. Ajustar a máquina
e precificar os
produtos
11. Repor nas
prateleiras
12. Entregar a nota
com o pedido ao
sócio para arquivo
e controles e
colocar a caixa
vazia no lixo
Responsável: Sócio e Funcionário
Prazo: 12/05/20...
Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de
melhoria levantados.
 Tempo do processo com a
solução: 7 minutos
Obs. pela eliminação das falhas de processo
e deslocamentos
 Quantidade de falhas no
processo: 1 / 12 itens repostos
Obs. Não ocorreu nenhuma falha, mas como
pode ocorrer, consideramos 1 para não
restar dúvidas quanto a melhoria
Etapa 5
Fixar os parâmetros
após as melhorias.
17Min. Antes da melhoria
7
58%
Min. Com a solução implantada
MELHORA DA PRODUTIVIDADE*
*(17-07)/17 = 0,588 x 100 = 58,8 %
2
1
50%
Falhas Antes da melhoria
Falha Com a solução implantada
MELHORA DA QUALIDADE*
*(2-1)/2 = 0,5 = 50 %
Etapa 6
Comparar os
parâmetros fixados
após e antes da
melhoria, calculando
os resultados.
Etapa 7
Apresentar o trabalho.
EXEMPLO: MACRO PROCESSO
DE UMA OFICINA MECÂNICA
Palestra - Como mapear os processos da sua empresa
Palestra - Como mapear os processos da sua empresa
Palestra - Como mapear os processos da sua empresa
Planejamento, Programação e Controle da Produção
Controle seu estoque e não perca dinheiro
Como a qualidade contribui para o seu negócio
Como mapear os processos da sua empresa
Organize seus processos para crescer
✔
qualidade
produção
ouvidoria@sebraesp.com.br
0800 570 0800
www.sebraesp.com.br
Obrigada!
Michelle Raimundo dos Santos
Consultora de Negócios
michellers@sebraesp.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para ImplantaçãoAula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Claudio Bernardi Stringari
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
CLT Valuebased Services
 
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of DieApresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Engenharia Produção
 
Balanceamento de linhas
Balanceamento de linhasBalanceamento de linhas
Balanceamento de linhas
marcioemorais
 
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCAProcesso de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
Elaine Cecília Gatto
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
Fernanda Paola Butarelli
 
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
Lean manufacturing   3-técnicas e  ferramentasLean manufacturing   3-técnicas e  ferramentas
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
jparsilva
 
Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1
Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene SeibelPrincípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Sustentare Escola de Negócios
 
Grfico por atributos
Grfico por atributosGrfico por atributos
Grfico por atributos
André Oliveira Souza
 
Mapeamento de processos e riscos
Mapeamento de processos e riscosMapeamento de processos e riscos
Mapeamento de processos e riscos
Fabíola Rocha
 
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de MétodosAulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
1 slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)
1   slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)1   slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)
1 slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)
Caio Roberto de Souza Filho
 
06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban
Homero Alves de Lima
 
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramentoAula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Claudio Bernardi Stringari
 
Administração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02a
Administração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02aAdministração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02a
Administração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02a
WeNova Consulting
 
Aceleração Escalar
Aceleração EscalarAceleração Escalar
Aceleração Escalar
Ubirajara Neves
 
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e MedidasMPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
profamiriamnavarro
 
Kaizen
KaizenKaizen
Questionario sabes estudar
Questionario sabes estudarQuestionario sabes estudar
Questionario sabes estudar
Ana Letra
 

Mais procurados (20)

Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para ImplantaçãoAula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of DieApresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
 
Balanceamento de linhas
Balanceamento de linhasBalanceamento de linhas
Balanceamento de linhas
 
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCAProcesso de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
 
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
Lean manufacturing   3-técnicas e  ferramentasLean manufacturing   3-técnicas e  ferramentas
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
 
Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1
Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1
Oficina - Ensino via Resolução de Problemas - Dia 1
 
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene SeibelPrincípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
 
Grfico por atributos
Grfico por atributosGrfico por atributos
Grfico por atributos
 
Mapeamento de processos e riscos
Mapeamento de processos e riscosMapeamento de processos e riscos
Mapeamento de processos e riscos
 
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de MétodosAulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
 
1 slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)
1   slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)1   slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)
1 slides - diagrama de causa e efeito (ishikawa)
 
06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban
 
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramentoAula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
 
Administração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02a
Administração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02aAdministração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02a
Administração de Operações - Estrategias De ProduçãO Rev02a
 
Aceleração Escalar
Aceleração EscalarAceleração Escalar
Aceleração Escalar
 
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e MedidasMPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
 
Kaizen
KaizenKaizen
Kaizen
 
Questionario sabes estudar
Questionario sabes estudarQuestionario sabes estudar
Questionario sabes estudar
 

Destaque

Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)
Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)
Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)
Rogério Souza
 
Como criar um mapa de processos da sua empresa
Como criar um mapa de processos da sua empresaComo criar um mapa de processos da sua empresa
Como criar um mapa de processos da sua empresa
Virgilio Marques dos Santos, Dr.
 
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Mapeamento de Processos
Templum Consultoria Online
 
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Raíssa Alencar
 
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMN
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMNMapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMN
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMN
Rildo (@rildosan) Santos
 
Gestao macroprocesso
Gestao macroprocessoGestao macroprocesso
Gestao macroprocesso
Karinne Ferreira
 
Resumo do Guia BABOK® 3
Resumo do Guia BABOK®  3 Resumo do Guia BABOK®  3
Resumo do Guia BABOK® 3
Rildo (@rildosan) Santos
 
Análise de Negócio na Perspectiva de BI
Análise de Negócio na Perspectiva de BIAnálise de Negócio na Perspectiva de BI
Análise de Negócio na Perspectiva de BI
Rildo (@rildosan) Santos
 
Gestão por Processo
Gestão por ProcessoGestão por Processo
Gestão por Processo
Rildo (@rildosan) Santos
 
Conheça nossas soluções para empresas de varejo alimentar
Conheça nossas soluções para empresas de varejo alimentarConheça nossas soluções para empresas de varejo alimentar
Conheça nossas soluções para empresas de varejo alimentar
Valério Fonseca
 
Gestão processos Segurança Pública - parte 3 - slide share
Gestão processos   Segurança Pública - parte 3 - slide shareGestão processos   Segurança Pública - parte 3 - slide share
Gestão processos Segurança Pública - parte 3 - slide share
Amarildo da Cruz Fernandes, DSc.
 
Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.
Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.
Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.
edilene lemos gama
 
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos AnatelModelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
Eduardo Rocha
 
Mapeamento processos
Mapeamento processosMapeamento processos
Mapeamento processos
Cláudio Marques
 
Gestão De Processos
Gestão De ProcessosGestão De Processos
Gestão De Processos
Nilton Goulart
 
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Rildo (@rildosan) Santos
 
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Neto Ortega
 
Casemelhoria
CasemelhoriaCasemelhoria
Casemelhoria
lgspezia
 
Cultura Organizacional para Resultado no Negócio
Cultura Organizacional para Resultado no NegócioCultura Organizacional para Resultado no Negócio
Cultura Organizacional para Resultado no Negócio
Roberto Rinaldi Jr
 
Palestra - Organize seus processos para crescer
Palestra - Organize seus processos para crescerPalestra - Organize seus processos para crescer
Palestra - Organize seus processos para crescer
Michelle Raimundo dos Santos
 

Destaque (20)

Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)
Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)
Como para Mapear Processos (Sistema de Gestão Integrada)
 
Como criar um mapa de processos da sua empresa
Como criar um mapa de processos da sua empresaComo criar um mapa de processos da sua empresa
Como criar um mapa de processos da sua empresa
 
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Mapeamento de Processos
 
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
 
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMN
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMNMapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMN
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio com BPMN
 
Gestao macroprocesso
Gestao macroprocessoGestao macroprocesso
Gestao macroprocesso
 
Resumo do Guia BABOK® 3
Resumo do Guia BABOK®  3 Resumo do Guia BABOK®  3
Resumo do Guia BABOK® 3
 
Análise de Negócio na Perspectiva de BI
Análise de Negócio na Perspectiva de BIAnálise de Negócio na Perspectiva de BI
Análise de Negócio na Perspectiva de BI
 
Gestão por Processo
Gestão por ProcessoGestão por Processo
Gestão por Processo
 
Conheça nossas soluções para empresas de varejo alimentar
Conheça nossas soluções para empresas de varejo alimentarConheça nossas soluções para empresas de varejo alimentar
Conheça nossas soluções para empresas de varejo alimentar
 
Gestão processos Segurança Pública - parte 3 - slide share
Gestão processos   Segurança Pública - parte 3 - slide shareGestão processos   Segurança Pública - parte 3 - slide share
Gestão processos Segurança Pública - parte 3 - slide share
 
Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.
Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.
Senac zahran.docxtrabalho transporte de carga e passageiros.
 
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos AnatelModelo De Gestao Por Processos Anatel
Modelo De Gestao Por Processos Anatel
 
Mapeamento processos
Mapeamento processosMapeamento processos
Mapeamento processos
 
Gestão De Processos
Gestão De ProcessosGestão De Processos
Gestão De Processos
 
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
 
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
 
Casemelhoria
CasemelhoriaCasemelhoria
Casemelhoria
 
Cultura Organizacional para Resultado no Negócio
Cultura Organizacional para Resultado no NegócioCultura Organizacional para Resultado no Negócio
Cultura Organizacional para Resultado no Negócio
 
Palestra - Organize seus processos para crescer
Palestra - Organize seus processos para crescerPalestra - Organize seus processos para crescer
Palestra - Organize seus processos para crescer
 

Mais de Michelle Raimundo dos Santos

Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Seminario Excelencia da Gestao - 2015Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Michelle Raimundo dos Santos
 
Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Seminario  Excelencia da Gestao - 2015Seminario  Excelencia da Gestao - 2015
Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Michelle Raimundo dos Santos
 
Satisfaça e encante seu cliente
Satisfaça e encante seu clienteSatisfaça e encante seu cliente
Satisfaça e encante seu cliente
Michelle Raimundo dos Santos
 
Palestra - Planejamento programação e controle da produção
Palestra - Planejamento programação e controle da produçãoPalestra - Planejamento programação e controle da produção
Palestra - Planejamento programação e controle da produção
Michelle Raimundo dos Santos
 
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócioPalestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Michelle Raimundo dos Santos
 
Palestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiro
Palestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiroPalestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiro
Palestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiro
Michelle Raimundo dos Santos
 
Indicadores de Resultados - Oficina MEG na Prática
Indicadores de Resultados - Oficina MEG na PráticaIndicadores de Resultados - Oficina MEG na Prática
Indicadores de Resultados - Oficina MEG na Prática
Michelle Raimundo dos Santos
 
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do LarPalestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Michelle Raimundo dos Santos
 
Workshop de Produção
Workshop de ProduçãoWorkshop de Produção
Workshop de Produção
Michelle Raimundo dos Santos
 
Sustentabilidade para Pequenos Negocios
Sustentabilidade para Pequenos NegociosSustentabilidade para Pequenos Negocios
Sustentabilidade para Pequenos Negocios
Michelle Raimundo dos Santos
 

Mais de Michelle Raimundo dos Santos (10)

Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Seminario Excelencia da Gestao - 2015Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Seminario Excelencia da Gestao - 2015
 
Seminario Excelencia da Gestao - 2015
Seminario  Excelencia da Gestao - 2015Seminario  Excelencia da Gestao - 2015
Seminario Excelencia da Gestao - 2015
 
Satisfaça e encante seu cliente
Satisfaça e encante seu clienteSatisfaça e encante seu cliente
Satisfaça e encante seu cliente
 
Palestra - Planejamento programação e controle da produção
Palestra - Planejamento programação e controle da produçãoPalestra - Planejamento programação e controle da produção
Palestra - Planejamento programação e controle da produção
 
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócioPalestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
 
Palestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiro
Palestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiroPalestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiro
Palestra Sebrae - Controle seu estoque e não perca dinheiro
 
Indicadores de Resultados - Oficina MEG na Prática
Indicadores de Resultados - Oficina MEG na PráticaIndicadores de Resultados - Oficina MEG na Prática
Indicadores de Resultados - Oficina MEG na Prática
 
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do LarPalestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
 
Workshop de Produção
Workshop de ProduçãoWorkshop de Produção
Workshop de Produção
 
Sustentabilidade para Pequenos Negocios
Sustentabilidade para Pequenos NegociosSustentabilidade para Pequenos Negocios
Sustentabilidade para Pequenos Negocios
 

Palestra - Como mapear os processos da sua empresa

  • 1. COMO MAPEAR OS PROCESSOS DA SUA EMPRESA Michelle Raimundo dos Santos Consultora de Qualidade e Produção michellers@sebraesp.com.br
  • 2. O SEBRAE e o que ele pode fazer pelo seu negócio
  • 4. COMO MAPEAR OS PROCESSOS DA SUA EMPRESA Objetivo: Sensibilizar o empresário para a importância do mapeamento dos processos na sobrevivência e crescimento do negócio, implementando práticas para a melhoria contínua da Produtividade e Qualidade, gerando maior competitividade para empresa. Conteúdo: 1. Conceito de Mapeamento de Processos 2. Impacto nos Resultados 3. Método para Mapeamento dos Processos 4. Exemplo de Mapeamento de um Processo
  • 5. O que eu ganho se mapear os processos da minha empresa? Dá muito trabalho? É aplicável para minha empresa?
  • 6. 1. Conceito de Mapeamento de Processos Determinação da forma como os insumos recebidos de um fornecedor são tratados e transformados em produtos que serão entregues aos clientes (cadeia cliente/fornecedor).
  • 7. Conhecimento: Favorece, a partir do conhecimento detalhado da empresa, uma visão global dos processos. Moral: Educa e motiva os colaboradores, gerando confiança e continuidade de ações para mudança cultural. Qualidade: Estabelece o controle da qualidade com visão horizontal da empresa e definição de padrão. 2. Impacto nos Resultados
  • 8. Custo: Redução dos desperdícios, gerando a redução dos custos na empresa. Atendimento: Entrega no prazo e assistência clara e transparente junto ao cliente. Segurança: Reduz riscos aos usuários durante as realizações dos processos. 2.Impacto nos Resultados
  • 9. 3. Método Mapeamento de Processos 7 Etapas: 1. Identificar o processo da empresa e seus trechos. 2. Identificar e descrever o trecho/processos gargalo com suas ocorrências. 3. Fixar os parâmetros antes da melhoria. 4. Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados. 5. Fixar os parâmetros após as melhorias. 6. Comparar os parâmetros fixados após e antes da melhoria, calculando os resultados. 7. Apresentar o trabalho.
  • 10. Etapa 1 Identificar o processo da empresa e seus trechos. Reunir a equipe Identificação dos responsáveis Atribuição dos tempos
  • 11. Etapa 2 Definição do processo gargalo Identificar e descrever o trecho/processo gargalo com suas ocorrências. Descrever as etapas do processo
  • 12. Etapa 3 Definir indicadores:  Produtividade  Qualidade  Área  Outros Fixar os parâmetros antes da melhoria.
  • 13. Etapa 4 Definição das soluções Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados. Definição de responsáveis e prazos Testar/simular a solução
  • 14. Etapa 5 Acompanhamento dos indicadores Fixar os parâmetros após as melhorias. Registro das ocorrências
  • 15. Etapa 6 Comparar os parâmetros fixados após e antes da melhoria, calculando os resultados. Obtenção/cálculo do resultado
  • 16. Etapa 7 Reunião com os envolvidos no trabalho Apresentar o trabalho. Reconhecimento aos envolvidos Recompensar os resultados obtidos
  • 17. 4. Exemplo de Mapeamento de um Processo MAPEAMENTO DE PROCESSO DE UM MINIMERCADO S E G U I N D O A S 7 E T A P A S
  • 18. Comprar produtos Início Retirada produtos Recebimento / Precificação Armazenar Recebimento produtos Arrumar o ponto de venda Arrumar o ponto de venda 1 Etapa 1 Identificar o processo da empresa e seus trechos.
  • 19. 1 Venda produtos Telefone Caixa / Pagamento Embalagem Entrega Fechamento do dia / Vendas Registro de entrega/ Saída 2 Pendências pagamentosSistema Etapa 1 Identificar o processo da empresa e seus trechos.
  • 20. CONDIÇÕES REAIS Sócios: 2 Funcionários: 2 Clientes: 180/200 2 Identifica necessidades de compra Fim Inventários estoques Etapa 1 Identificar o processo da empresa e seus trechos.
  • 21. Etapa 2 Identificar e descrever o trecho/proces sos gargalo com suas ocorrências.
  • 22. Etapa 2 Identificar e descrever o trecho/processos gargalo com suas ocorrências.
  • 23. Etapa 2 Identificar e descrever o trecho/processos gargalo com suas ocorrências.
  • 24. Etapa 2Identificar e descrever o trecho/processos gargalo com suas ocorrências.
  • 25. 26. Aguardar o sócio buscar a etiqueta no escritório. 27. Pegar a etiqueta e deslocar-se até as caixas. 28. Carregar a máquina com a etiqueta. 29. Reiniciar precificação. 30. Pegar uma caixa com os produtos precificados e deslocar-se até a prateleira onde os itens serão repostos. Etapa 2 Identificar e descrever o trecho/processos gargalo com suas ocorrências.
  • 26. 31. Repor os itens na prateleira. 32. Deslocar-se até a caixa do segundo item. 33. Pegar a caixa e deslocar-se até a prateleira onde os itens serão repostos. 34. Repor os itens na prateleira. 35. Pegar as caixas vazias e levar para o lixo na entrada da loja. Tempo do processo: 34 minutos Condições do processo: Precificação de 2 caixas de amaciante, com 12 unidades cada Etapa 2 Identificar e descrever o trecho/processos gargalo com suas ocorrências.
  • 27.  Tempo de reposição de uma caixa de produto com 12 unidades: 17 minutos  Falhas do processo: 2 falhas / 12 itens repostos Etapa 3 Fixar os parâmetros antes da melhoria.
  • 28. DESCRIÇÕES DO PROCESSO GARGALO35 25PODEM SOFRER MELHORIAS 10SÃO ITENS ESSENCIAIS NO PROCESSO Vamos verificar as melhorias... Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 29. Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 30. Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 31. Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 32. Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 33. 26. Aguardar o sócio buscar a etiqueta no escritório. 27. Pegar a etiqueta e deslocar-se até as caixas. 28. Carregar a máquina com a etiqueta. 29. Reiniciar precificação. 30. Pegar uma caixa com os produtos precificados e deslocar-se até a prateleira onde os itens serão repostos. Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 34. 31. Repor os itens na prateleira. 32. Deslocar-se até a caixa do segundo item 33. Pegar a caixa e deslocar-se até a prateleira onde os itens serão repostos. 34. Repor os itens na prateleira. 35. Pegar as caixas vazias e levar para o lixo na entrada da loja. Tempo do processo: 34 minutos Condições do processo: Precificação de 2 caixas de amaciante, com 12 unidades cada Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 35. Definição de método para RECEBIMENTO E PRECIFICAÇÃO de mercadorias Soluções Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 36. 1. Implementar um pedido de compras, em formulário padrão, onde conste os dados pedidos e um campo para o preço de venda. 2. Preencher o pedido e o colocar na prancheta de madeira que fica na entrada da loja, cada pedido feito junto ao fornecedor (sócio). 3. Deixar as duas máquinas de precificação próximo a prancheta, com um rolo de etiqueta reserva (sócio/funcionário). 4. Delegar a responsabilidade de ass. da nota ao funcionário, que deve comparar o que estiver no pedido interno com que consta na nota, só assinando se conferir 100%. Em divergência consulta-se o sócio. 6. Recepcionar o fornecedor e fazer a conferência da nota fiscal contra o pedido (funcionário). 7. Solicitar ao fornecedor que posicione as caixas na frente da prateleira onde será reabastecido o item. Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 37. 7. Assinar a Nota Fiscal e liberar o fornecedor 8. Pegar a máquina e verificar se esta funcionando e tem papel/etiqueta, se não estiver funcionando pegar a segunda máquina 9. Deslocar-se até a prateleira onde estão as caixas com os produtos a serem repostos 10. Ajustar a máquina e precificar os produtos 11. Repor nas prateleiras 12. Entregar a nota com o pedido ao sócio para arquivo e controles e colocar a caixa vazia no lixo Responsável: Sócio e Funcionário Prazo: 12/05/20... Etapa 4 Implementar as soluções para os pontos potenciais de melhoria levantados.
  • 38.  Tempo do processo com a solução: 7 minutos Obs. pela eliminação das falhas de processo e deslocamentos  Quantidade de falhas no processo: 1 / 12 itens repostos Obs. Não ocorreu nenhuma falha, mas como pode ocorrer, consideramos 1 para não restar dúvidas quanto a melhoria Etapa 5 Fixar os parâmetros após as melhorias.
  • 39. 17Min. Antes da melhoria 7 58% Min. Com a solução implantada MELHORA DA PRODUTIVIDADE* *(17-07)/17 = 0,588 x 100 = 58,8 % 2 1 50% Falhas Antes da melhoria Falha Com a solução implantada MELHORA DA QUALIDADE* *(2-1)/2 = 0,5 = 50 % Etapa 6 Comparar os parâmetros fixados após e antes da melhoria, calculando os resultados.
  • 40. Etapa 7 Apresentar o trabalho.
  • 41. EXEMPLO: MACRO PROCESSO DE UMA OFICINA MECÂNICA
  • 45. Planejamento, Programação e Controle da Produção Controle seu estoque e não perca dinheiro Como a qualidade contribui para o seu negócio Como mapear os processos da sua empresa Organize seus processos para crescer ✔ qualidade produção
  • 46. ouvidoria@sebraesp.com.br 0800 570 0800 www.sebraesp.com.br Obrigada! Michelle Raimundo dos Santos Consultora de Negócios michellers@sebraesp.com.br