SlideShare uma empresa Scribd logo
SCRUM

  Fabiana de Oliveira Ferreira
fabiana.ferreira@cpmbraxis.com
    fabianabyte@gmail.com
Origens do SCRUM
•   Jeff Sutherland
Uso inicial do scrum na Easel em 1993
IDX e mais de 500 pessoas usando scrum

•   Ken Schwaber
ADM
Apresentação na OOPSLA 96 com
    Sutherland
Três livros sobre Scrum

•  Mike Beedle
Padrões para o Scrum na PLOPD4

•  Ken Schwaber and Mike Cohn
Fundaram a Scrum Alliance em 2002,
   inicialmente junto com a Agile Alliance
Valores do Manifesto Ágil

 Indivíduos e                    Processos e
  interações                     ferramentas

 Software que                  Documentação
   funciona                  extensas e numerosas
                    Ao
                 invés de:
Colaboração do                 Negociação de
     cliente                      contrato

  Resposta à                  Seguir um plano
  mudanças
Métodos Ágeis
                                          Crystal
        SCRUM                   (Processo de Desenvolvimento de
                                           Software)

           ASD                               AM
(Desenvolvimento Adaptável de
                                       (Modelagem Ágil)
          Software)

         DSDM                         Programação
   ( Método Dinâmico de
Desenvolvimento de Sistemas)
                                       Pragmática
           FDD
  (Desenvolvimento Voltado à                 XP
      Funcionalidades)
O que o SCRUM não é:

• XP (mas um complementa o outro);
• RUP;
• PRAXIS;
Verdades sobre Métodos Ágeis

 •   É uma atitude, não um processo
     prescritivo.
 •   É um suplemento aos métodos
     existentes, ele não é uma metodologia
     completa.
 •   É uma forma efetiva de se trabalhar em
     conjunto para atingir as necessidades
     das partes interessadas no projeto.
Verdades sobre Métodos Ágeis

 •   Não é um ataque à documentação, pelo
     contrário aconselha a criação de
     documentos que tem valor.
 •   Não é um ataque às ferramentas
     CASE.
Rugby Scrum
Características

• Equipes que se auto-organizam;
• O produto evolui em uma série de “Sprints”;
• Os requerimentos são listados em um “Product
  Backlog”;
• Não há prática de engenharia prescrita (o
  Scrum adequa-se a todas) ;
• Usa regras generativas na criação de um
  ambiente ágil para a entrega de projetos;
• É uma das “metodologias ágeis”;
Scrum
Visão Macro
Sprint

• Projetos Scrum progridem em uma série de
  “sprints” (Similar às iterações do XP );
• Ocorre em um período pré-determinado que
  geralmente tem sido definido entre 2 e 4
  semanas;
• Um período constante leva a um melhor
  “ritmo”;
• O produto é projetado, codificado e testado
  durante o sprint;
Desenvolvimento Sequencial x
          Paralelo

 Requerimentos            Projeto                   Código             Teste




Ao invés de completar uma coisa                  ... equipes Scrum fazem um pouco de
por vez...                                       cada coisa, todo o tempo.




                    Fonte: “The New New Product Development Game” by
                    Takeuchi and Nonaka. Harvard Business Review,
                    January 1986.
Desenvolvimento Incremental x
          Iterativo
Nenhuma Mudança Ocorre Durante
          um Sprint


    Mudanças


               Planeje a duração dos sprints
               de acordo com o máximo
               tempo com o qual você pode
               se comprometer a deixar as
               mudanças fora deles (um
               mês ou menos)
Scrum Framework

Papéis
•Dono do produto
•ScrumMaster
•Equipe         Cerimônia
                •Planejamento
                •Revisão
                •Retrospectiva    Artefatos
                •Reunião diária   •Product backlog
                                  •Sprint backlog
                                  •Burndown charts
Scrum Framework

Papéis
•Dono do produto
•ScrumMaster
•Equipe         Cerimônia
                •Planejamento
                •Revisão
                •Retrospectiva    Artefatos
                •Reunião diária   •Product backlog
                                  •Sprint backlog
                                  •Burndown charts
Dono do Produto

• Define as funcionalidades do produto;
• Decide datas de lançamento e conteúdo ;
• Responsável pela rentabilidade (ROI);
• Prioriza funcionalidades de acordo com o
  valor de mercado;
• Ajusta funcionalidades e prioridades;
• Aceita ou rejeita o resultado dos
  trabalhos;
Scrum Master

• Representa a gerência para o projeto;
• Responsável pela aplicação dos valores e
  práticas do Scrum;
• Remove obstáculos;
• Garante a plena funcionalidade e
  produtividade da equipe;
• Garante a colaboração entre os diversos
  papéis e funções;
• Escudo para interferências externas;
Equipe

• Entre 5 e 9 pessoas;
• Multi-funcional (Programadores, testadores,
  desenvolvedores de interfaces, etc. );
• Tempo integral Raras exceções (Ex.:
  Administrador de Base de Dados) ;
• Auto-organizável;
• Idealmente, sem títulos, ainda que possível;
• As trocas só acontecem nas mudanças de
  Sprints;
Scrum Framework

Papéis
•Dono do produto
•ScrumMaster
•Equipe         Cerimônia
                •Planejamento
                •Revisão
                •Retrospectiva    Artefatos
                •Reunião diária   •Product backlog
                                  •Sprint backlog
                                  •Burndown charts
Planejamento do Sprint
             Planejamento
Capacidade    Priorização
da equipe    •Análise e avaliação do product
             backlog                                Objetivo
 Product     •Objetivo do sprint
 backlog
Condições      Plano
de negócio
              •Decidir como chegar ao objetivo
 Produto      (projeto)
 atual        •Cria tarefas do sprint backlog a
              partir dos itens do product backlog   Sprint
Tecnologia    (user stories / funcionalidades)      backlog
              •Horas no sprint backlog
Planejamento do Sprint

• A equipe seleciona itens do Product
  Backlog com os quais compromete-se a
  concluir;
• O Sprint Backlog é criado;
• Tarefas identificadas e estimadas (1 a 16
  horas);
• De forma colaborativa, não é realizado
  apenas pelo ScrumMaster;
Planejamento do Sprint


Quero que os usuários    Modelagem (8 horas)
                         Codificar interface (4)
do portal possam
                         Escrever textos (4)
planejar suas férias,    Codificar a classe foo (6)
escolhendo itinerários   Atualizar testes de performance (4)
online.
Scrum Diário
• Parâmetros:
     Diário
     15 minutos
     Todos em pé!
• Não é realizada para a
  solução de problemas;
• Todo mundo é convidado;
• Apenas os membros da
  equipe, ScrumMaster e dono
  do produto podem falar;
• Ajuda a evitar reuniões
  adicionais desnecessárias;
As Três Perguntas Diárias


• O que você fez ontem?

• O que você vai fazer hoje?

• Existe algum obstáculo?
As Três Perguntas Diárias

• As respostas não
  são um “relatório”
  para o ScrumMaster;
• Elas são
  COMPROMISSOS;
• Perante os pares de
  desenvolvedores;
Revisão do Sprint
• A equipe apresenta os
  resultados        obtidos
  durante o Sprint
• Tipicamente ocorre a
  demonstração de novas
  funcionalidades ou sua
  arquitetura Informal
• 2 horas de preparação
     Sem slides
• Todo o time participa
• “O mundo é convidado”
Retrospectiva do Sprint

• Periodicamente, observe o que funciona e o
  que não funciona;
• Tipicamente de 15 a 30 minutos;
• Feita após cada Sprint;
• Toda a equipe participa:
    ScrumMaster;
    Dono do produto;
    Membros da equipe;
    Clientes e outros;
Inicia, Pára, Continua
A equipe discute o que gostaria de:

      Começar a fazer

                     Parar de fazer

                                      Continuar
                                       fazendo
Scrum Framework

Papéis
•Dono do produto
•ScrumMaster
•Equipe         Cerimônia
                •Planejamento
                •Revisão
                •Retrospectiva    Artefatos
                •Reunião diária   •Product backlog
                                  •Sprint backlog
                                  •Burndown charts
Product Backlog
• Uma lista de todo o trabalho
  desejado no projeto.
• Idealmente, descrito na forma
  em que cada item possua um
  peso de acordo com a
  vontade/necessidade do
  cliente ou usuários.
• Priorizado pelo dono do
  produto.
• Repriorizado no início de
  cada Sprint.
Exemplo de Um Product Backlog

               Item do Backlog                 Peso
    Permitir que o usuário faça uma reserva     3
    Permitir que o usuário cancele a reserva    5
    Permitir a troca de datas da reserva        3
    Permitir que empregados do hotel gerem     8
    relatórios de lucratividade
    Melhorar manipulação de erros               8
    ...                                        30
    ...                                        50
Objetivo do Sprint

Breve descrição que ilustre o foco do
trabalho durante o Sprint
 Base de Dados                          Ciências da vida
 Fazer com que a aplicação rode no      Funcionalidades para estudos
 SQL Server além do PostgreSQL          genéticos da população


               Serviços financeiros
                 Criar suporte para indicadores de
                 desempenho em tempo real
Gerenciando SprintBacklog
• Cada indivíduo escolhe o trabalho que fará;
• Trabalhos nunca são atribuídos;
• Atualização diária da estimativa do trabalho restante;
• Qualquer membro da equipe pode adicionar, apagar ou
  mudar tarefas;
• O trabalho aparece a partir do Sprint;
• Se uma tarefa não é clara, defina-a como um item com
  uma quantidade maior de tempo e subdivida-a depois;
• Atualize as coisas a serem feitas na medida em que se
  tornam mais conhecidas;
Sprint Backlog

           Tarefas               Seg   Ter Qua    Qui Sex
Codificar interface de usuário
                                   8     4    8

Codificar regra de negócio        16    12   10     4

Testar                             8    16   16    11   8

Escrever help online              12

Escrever a classe teste            8     8    8     8   8

Adicionar log de erros                        8     4
Burndown Chart
O Burndown Chart simplesmente
lista as horas a serem consumidas
pelos recursos. Pode ser montado
de forma global ou para cada
recurso a ser consumido.
O ideal é que as horas previstas
sejam equivalentes às consumidas.
Se as consumidas forem menores,
menos mal.
Se maiores, o projeto está
consumindo recursos além dos que
foram propostos.
Ele serve, historicamente, para
avaliar nossa capacidade de prever
os recursos, e como guia para que a
ajustemos.
Burndown Chart
Burndown Chart
Burndown Chart
Scrum
Scrum
Scrum
Scrum
Scrum
Sprint Wall
Scrum de Scrums
Scrum de Scrums de Scrums
Tipos de Scrum Distribuídos
Dificuldades do Scrum Distribuído

 •   Independência de equipes;
 •   Problemas de comunicação;
 •   Barreiras Culturais;
 •   Modo de Trabalho;
 •   Práticas de Scrum são para equipes
     reunidas;
SCRUM em 100 Palavras

•Scrum é um processo ágil que permite manter o foco na
entrega do maior valor de negócio, no menor tempo possível.
•Isto permite a rápida e contínua inspeção do software em
produção (em intervalos de duas a quatro semanas).
•As necessidades do negócio é que determinam as prioridades
do desenvolvimento de um sistema. As equipes se auto-organizam
para definir a melhor maneira de entregar as funcionalidades de
maior prioridade.
•Entre cada duas a quatro semanas todos podem ver o real
software em produção, decidindo se o mesmo deve ser liberado ou
continuar a ser aprimorado por mais um “Sprint”.
Onde tem sido Aplicado?
Quais Ramos Têm Usado?
• Software comercial;            • Video games;
• Desenvolvimento interno;       • Sistemas para suporte à vida;
• Desenvolvimento contratado     • Sistemas para controle de
  (terceirização);                 satélites;
• Projetos de preço fixo;        • Websites;
• Aplicações Financeiras;        • Software para handhelds;
• Aplicações certificadas pela   • Telefones celulares;
  ISO 9001;                      • Aplicações para redes;
• Sistemas embarcados;           • Aplicações de ISV
• Sistemas disponíveis 24x7;       (Independent Software
• Desenvolvimento por hackers      Vendors);
  solitários;                    • Algumas das maiores
                                   aplicações em produção;
Dúvidas?
Referências
•   http://www.dicas-l.com.br/brod/brod_20071031.php
•   http://blog.fragmental.com.br/2007/08/15/introduzindo-agilidade-num-
    ambiente/
•   http://www.softhouse.se/Uploades/Scrum_eng_webb.pdf
•   http://www.infoq.com/minibooks/scrum-xp-from-the-trenches
•   http://www.baufest.com/spanish/scrum/scrumconference2006/Roots_of_
    Scrum_Baufest_7_Nov_2006.pdf
•   http://www.mountaingoatsoftware.com/system/hidden_asset/file/52/Portu
    gueseScrum.pdf
•   http://www.aspercom.com.br
•   http://www2.dc.ufscar.br/~rosangel/mds/Seminarios/MetodosAgeis.pdf
•   http://www.ime.usp.br/~gdaltonl/ageis/ageis_6pp.pdf
•   http://mudandoumapequenaempresa.blogspot.com/search/label/SCRUM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Annelise Gripp
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
Mauricio Cesar Santos da Purificação
 
Metricas ageis
Metricas ageisMetricas ageis
Metodologia ágil das Desenvolvimento Adaptativo Software
Metodologia ágil das   Desenvolvimento Adaptativo SoftwareMetodologia ágil das   Desenvolvimento Adaptativo Software
Metodologia ágil das Desenvolvimento Adaptativo Software
Marilainny Martins da Silva
 
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
Elaine Cecília Gatto
 
Gestao De Projetos
Gestao De ProjetosGestao De Projetos
A Fábrica de Aviões
A Fábrica de AviõesA Fábrica de Aviões
A Fábrica de Aviões
Leandro Faria
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
Serge Rehem
 
Gestão ágil de projetos com Scrum
Gestão ágil de projetos com ScrumGestão ágil de projetos com Scrum
Gestão ágil de projetos com Scrum
Blog Eu na TI
 
Scrum Product Owner
Scrum Product OwnerScrum Product Owner
Scrum Product Owner
Rildo (@rildosan) Santos
 
Scrum
ScrumScrum
Dor e DoD
Dor e DoDDor e DoD
Dor e DoD
Camila Capellão
 
Exemplos de User Stories
Exemplos de User StoriesExemplos de User Stories
Exemplos de User Stories
Manoel Pimentel Medeiros
 
Metodologia agil scrum
Metodologia agil scrumMetodologia agil scrum
Metodologia agil scrum
Pablo Juan ஃ
 
Agile SCRUM
Agile SCRUMAgile SCRUM
Agile SCRUM
Eduardo Bregaida
 
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
Alex Vieira, MBA
 
Prototipagem
PrototipagemPrototipagem
Prototipagem
Robson Santos
 
Liderança Ágil
Liderança ÁgilLiderança Ágil
Liderança Ágil
Rildo (@rildosan) Santos
 
Gestao agil de projetos
Gestao agil de projetosGestao agil de projetos
Gestao agil de projetos
Adriano Tavares
 
Brainstorming
BrainstormingBrainstorming
Brainstorming
Bruna M
 

Mais procurados (20)

Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
 
Metricas ageis
Metricas ageisMetricas ageis
Metricas ageis
 
Metodologia ágil das Desenvolvimento Adaptativo Software
Metodologia ágil das   Desenvolvimento Adaptativo SoftwareMetodologia ágil das   Desenvolvimento Adaptativo Software
Metodologia ágil das Desenvolvimento Adaptativo Software
 
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
 
Gestao De Projetos
Gestao De ProjetosGestao De Projetos
Gestao De Projetos
 
A Fábrica de Aviões
A Fábrica de AviõesA Fábrica de Aviões
A Fábrica de Aviões
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
 
Gestão ágil de projetos com Scrum
Gestão ágil de projetos com ScrumGestão ágil de projetos com Scrum
Gestão ágil de projetos com Scrum
 
Scrum Product Owner
Scrum Product OwnerScrum Product Owner
Scrum Product Owner
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Dor e DoD
Dor e DoDDor e DoD
Dor e DoD
 
Exemplos de User Stories
Exemplos de User StoriesExemplos de User Stories
Exemplos de User Stories
 
Metodologia agil scrum
Metodologia agil scrumMetodologia agil scrum
Metodologia agil scrum
 
Agile SCRUM
Agile SCRUMAgile SCRUM
Agile SCRUM
 
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
 
Prototipagem
PrototipagemPrototipagem
Prototipagem
 
Liderança Ágil
Liderança ÁgilLiderança Ágil
Liderança Ágil
 
Gestao agil de projetos
Gestao agil de projetosGestao agil de projetos
Gestao agil de projetos
 
Brainstorming
BrainstormingBrainstorming
Brainstorming
 

Semelhante a Scrum

Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)
Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)
Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)
Mariana de Azevedo Santos
 
O que é SCRUM
O que é SCRUMO que é SCRUM
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com ScrumIntrodução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Inove
 
Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM
Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM
Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM
codebits
 
Scrum
ScrumScrum
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUMGerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
Lucas Vinícius
 
Palestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em JuazeiroPalestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em Juazeiro
Paulo Furtado
 
Minicurso SCRUM
Minicurso SCRUMMinicurso SCRUM
Minicurso SCRUM
Thiago Reis da Silva
 
Metodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - Kanban
Metodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - KanbanMetodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - Kanban
Metodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - Kanban
Matheus Costa
 
Uma introdução ao Scrum
Uma introdução ao ScrumUma introdução ao Scrum
Uma introdução ao Scrum
Evandro Agnes
 
Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED
Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATEDScrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED
Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED
Danilo Bardusco
 
Scrum - Gerenciando Projetos Ágeis
Scrum - Gerenciando Projetos ÁgeisScrum - Gerenciando Projetos Ágeis
Scrum - Gerenciando Projetos Ágeis
Ideia Ágil
 
Introdução ao scrum
Introdução ao scrumIntrodução ao scrum
Introdução ao scrum
Fernando Palma
 
Scrum 8
Scrum 8Scrum 8
Moving to Scrum
Moving to ScrumMoving to Scrum
Moving to Scrum
Paulo Traça
 
Portuguese scrum
Portuguese scrumPortuguese scrum
Portuguese scrum
Denise Vieira
 
Uma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUMUma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUM
elliando dias
 
Scrum - Metodologia Ágil
Scrum - Metodologia ÁgilScrum - Metodologia Ágil
Scrum - Metodologia Ágil
Biblioteca Etec de Rgs
 
Mini curso de SCRUM: Introdução
Mini curso de SCRUM: IntroduçãoMini curso de SCRUM: Introdução
Mini curso de SCRUM: Introdução
Marcos Antonio Ferreira Domingues
 
Scrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-dia
Scrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-diaScrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-dia
Scrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-dia
Vítor Bruno de Almeida
 

Semelhante a Scrum (20)

Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)
Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)
Minicurso Aplicando Scrum em projetos de software (2010)
 
O que é SCRUM
O que é SCRUMO que é SCRUM
O que é SCRUM
 
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com ScrumIntrodução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
 
Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM
Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM
Desenvolvimento Ágil de Software com SCRUM
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUMGerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
 
Palestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em JuazeiroPalestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em Juazeiro
 
Minicurso SCRUM
Minicurso SCRUMMinicurso SCRUM
Minicurso SCRUM
 
Metodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - Kanban
Metodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - KanbanMetodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - Kanban
Metodologias Ágeis para Gestão e Planejamento de Projetos Scrum - XP - Kanban
 
Uma introdução ao Scrum
Uma introdução ao ScrumUma introdução ao Scrum
Uma introdução ao Scrum
 
Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED
Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATEDScrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED
Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED
 
Scrum - Gerenciando Projetos Ágeis
Scrum - Gerenciando Projetos ÁgeisScrum - Gerenciando Projetos Ágeis
Scrum - Gerenciando Projetos Ágeis
 
Introdução ao scrum
Introdução ao scrumIntrodução ao scrum
Introdução ao scrum
 
Scrum 8
Scrum 8Scrum 8
Scrum 8
 
Moving to Scrum
Moving to ScrumMoving to Scrum
Moving to Scrum
 
Portuguese scrum
Portuguese scrumPortuguese scrum
Portuguese scrum
 
Uma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUMUma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUM
 
Scrum - Metodologia Ágil
Scrum - Metodologia ÁgilScrum - Metodologia Ágil
Scrum - Metodologia Ágil
 
Mini curso de SCRUM: Introdução
Mini curso de SCRUM: IntroduçãoMini curso de SCRUM: Introdução
Mini curso de SCRUM: Introdução
 
Scrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-dia
Scrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-diaScrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-dia
Scrum: entendendo o framework e aplicando no dia-a-dia
 

Mais de Renata Frota

Sesc santana degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16
Sesc santana   degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16Sesc santana   degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16
Sesc santana degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16
Renata Frota
 
Art Of Hosting Brasil by Circulah
Art Of Hosting Brasil by CirculahArt Of Hosting Brasil by Circulah
Art Of Hosting Brasil by Circulah
Renata Frota
 
Novo Guia Ortografico by FMU
Novo Guia Ortografico by FMUNovo Guia Ortografico by FMU
Novo Guia Ortografico by FMU
Renata Frota
 
Wa - Uma Visao Brasileira by WA Consulting
Wa  - Uma Visao Brasileira by WA ConsultingWa  - Uma Visao Brasileira by WA Consulting
Wa - Uma Visao Brasileira by WA Consulting
Renata Frota
 
Digital Outlook Report 09 by RazorFish
Digital Outlook Report 09 by RazorFishDigital Outlook Report 09 by RazorFish
Digital Outlook Report 09 by RazorFish
Renata Frota
 
Cultura Livre by Lawrence Lessing
Cultura Livre by Lawrence LessingCultura Livre by Lawrence Lessing
Cultura Livre by Lawrence Lessing
Renata Frota
 
Manual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasperManual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasper
Renata Frota
 
Modelo Gestao De Ideias 6 Chapeus Do Pensamento Edward De Bono
Modelo   Gestao De Ideias   6 Chapeus Do Pensamento   Edward De BonoModelo   Gestao De Ideias   6 Chapeus Do Pensamento   Edward De Bono
Modelo Gestao De Ideias 6 Chapeus Do Pensamento Edward De Bono
Renata Frota
 
Perspectivas 2009 Site Giro
Perspectivas 2009 Site GiroPerspectivas 2009 Site Giro
Perspectivas 2009 Site Giro
Renata Frota
 
The Hub Folder
The Hub FolderThe Hub Folder
The Hub Folder
Renata Frota
 

Mais de Renata Frota (10)

Sesc santana degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16
Sesc santana   degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16Sesc santana   degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16
Sesc santana degeneradas2 - consumidoras consumidas - 16 mar 16
 
Art Of Hosting Brasil by Circulah
Art Of Hosting Brasil by CirculahArt Of Hosting Brasil by Circulah
Art Of Hosting Brasil by Circulah
 
Novo Guia Ortografico by FMU
Novo Guia Ortografico by FMUNovo Guia Ortografico by FMU
Novo Guia Ortografico by FMU
 
Wa - Uma Visao Brasileira by WA Consulting
Wa  - Uma Visao Brasileira by WA ConsultingWa  - Uma Visao Brasileira by WA Consulting
Wa - Uma Visao Brasileira by WA Consulting
 
Digital Outlook Report 09 by RazorFish
Digital Outlook Report 09 by RazorFishDigital Outlook Report 09 by RazorFish
Digital Outlook Report 09 by RazorFish
 
Cultura Livre by Lawrence Lessing
Cultura Livre by Lawrence LessingCultura Livre by Lawrence Lessing
Cultura Livre by Lawrence Lessing
 
Manual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasperManual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasper
 
Modelo Gestao De Ideias 6 Chapeus Do Pensamento Edward De Bono
Modelo   Gestao De Ideias   6 Chapeus Do Pensamento   Edward De BonoModelo   Gestao De Ideias   6 Chapeus Do Pensamento   Edward De Bono
Modelo Gestao De Ideias 6 Chapeus Do Pensamento Edward De Bono
 
Perspectivas 2009 Site Giro
Perspectivas 2009 Site GiroPerspectivas 2009 Site Giro
Perspectivas 2009 Site Giro
 
The Hub Folder
The Hub FolderThe Hub Folder
The Hub Folder
 

Scrum

  • 1. SCRUM Fabiana de Oliveira Ferreira fabiana.ferreira@cpmbraxis.com fabianabyte@gmail.com
  • 2. Origens do SCRUM • Jeff Sutherland Uso inicial do scrum na Easel em 1993 IDX e mais de 500 pessoas usando scrum • Ken Schwaber ADM Apresentação na OOPSLA 96 com Sutherland Três livros sobre Scrum • Mike Beedle Padrões para o Scrum na PLOPD4 • Ken Schwaber and Mike Cohn Fundaram a Scrum Alliance em 2002, inicialmente junto com a Agile Alliance
  • 3. Valores do Manifesto Ágil Indivíduos e Processos e interações ferramentas Software que Documentação funciona extensas e numerosas Ao invés de: Colaboração do Negociação de cliente contrato Resposta à Seguir um plano mudanças
  • 4. Métodos Ágeis Crystal SCRUM (Processo de Desenvolvimento de Software) ASD AM (Desenvolvimento Adaptável de (Modelagem Ágil) Software) DSDM Programação ( Método Dinâmico de Desenvolvimento de Sistemas) Pragmática FDD (Desenvolvimento Voltado à XP Funcionalidades)
  • 5. O que o SCRUM não é: • XP (mas um complementa o outro); • RUP; • PRAXIS;
  • 6. Verdades sobre Métodos Ágeis • É uma atitude, não um processo prescritivo. • É um suplemento aos métodos existentes, ele não é uma metodologia completa. • É uma forma efetiva de se trabalhar em conjunto para atingir as necessidades das partes interessadas no projeto.
  • 7. Verdades sobre Métodos Ágeis • Não é um ataque à documentação, pelo contrário aconselha a criação de documentos que tem valor. • Não é um ataque às ferramentas CASE.
  • 9. Características • Equipes que se auto-organizam; • O produto evolui em uma série de “Sprints”; • Os requerimentos são listados em um “Product Backlog”; • Não há prática de engenharia prescrita (o Scrum adequa-se a todas) ; • Usa regras generativas na criação de um ambiente ágil para a entrega de projetos; • É uma das “metodologias ágeis”;
  • 10. Scrum
  • 12. Sprint • Projetos Scrum progridem em uma série de “sprints” (Similar às iterações do XP ); • Ocorre em um período pré-determinado que geralmente tem sido definido entre 2 e 4 semanas; • Um período constante leva a um melhor “ritmo”; • O produto é projetado, codificado e testado durante o sprint;
  • 13. Desenvolvimento Sequencial x Paralelo Requerimentos Projeto Código Teste Ao invés de completar uma coisa ... equipes Scrum fazem um pouco de por vez... cada coisa, todo o tempo. Fonte: “The New New Product Development Game” by Takeuchi and Nonaka. Harvard Business Review, January 1986.
  • 15. Nenhuma Mudança Ocorre Durante um Sprint Mudanças Planeje a duração dos sprints de acordo com o máximo tempo com o qual você pode se comprometer a deixar as mudanças fora deles (um mês ou menos)
  • 16. Scrum Framework Papéis •Dono do produto •ScrumMaster •Equipe Cerimônia •Planejamento •Revisão •Retrospectiva Artefatos •Reunião diária •Product backlog •Sprint backlog •Burndown charts
  • 17. Scrum Framework Papéis •Dono do produto •ScrumMaster •Equipe Cerimônia •Planejamento •Revisão •Retrospectiva Artefatos •Reunião diária •Product backlog •Sprint backlog •Burndown charts
  • 18. Dono do Produto • Define as funcionalidades do produto; • Decide datas de lançamento e conteúdo ; • Responsável pela rentabilidade (ROI); • Prioriza funcionalidades de acordo com o valor de mercado; • Ajusta funcionalidades e prioridades; • Aceita ou rejeita o resultado dos trabalhos;
  • 19. Scrum Master • Representa a gerência para o projeto; • Responsável pela aplicação dos valores e práticas do Scrum; • Remove obstáculos; • Garante a plena funcionalidade e produtividade da equipe; • Garante a colaboração entre os diversos papéis e funções; • Escudo para interferências externas;
  • 20. Equipe • Entre 5 e 9 pessoas; • Multi-funcional (Programadores, testadores, desenvolvedores de interfaces, etc. ); • Tempo integral Raras exceções (Ex.: Administrador de Base de Dados) ; • Auto-organizável; • Idealmente, sem títulos, ainda que possível; • As trocas só acontecem nas mudanças de Sprints;
  • 21. Scrum Framework Papéis •Dono do produto •ScrumMaster •Equipe Cerimônia •Planejamento •Revisão •Retrospectiva Artefatos •Reunião diária •Product backlog •Sprint backlog •Burndown charts
  • 22. Planejamento do Sprint Planejamento Capacidade Priorização da equipe •Análise e avaliação do product backlog Objetivo Product •Objetivo do sprint backlog Condições Plano de negócio •Decidir como chegar ao objetivo Produto (projeto) atual •Cria tarefas do sprint backlog a partir dos itens do product backlog Sprint Tecnologia (user stories / funcionalidades) backlog •Horas no sprint backlog
  • 23. Planejamento do Sprint • A equipe seleciona itens do Product Backlog com os quais compromete-se a concluir; • O Sprint Backlog é criado; • Tarefas identificadas e estimadas (1 a 16 horas); • De forma colaborativa, não é realizado apenas pelo ScrumMaster;
  • 24. Planejamento do Sprint Quero que os usuários Modelagem (8 horas) Codificar interface (4) do portal possam Escrever textos (4) planejar suas férias, Codificar a classe foo (6) escolhendo itinerários Atualizar testes de performance (4) online.
  • 25. Scrum Diário • Parâmetros: Diário 15 minutos Todos em pé! • Não é realizada para a solução de problemas; • Todo mundo é convidado; • Apenas os membros da equipe, ScrumMaster e dono do produto podem falar; • Ajuda a evitar reuniões adicionais desnecessárias;
  • 26. As Três Perguntas Diárias • O que você fez ontem? • O que você vai fazer hoje? • Existe algum obstáculo?
  • 27. As Três Perguntas Diárias • As respostas não são um “relatório” para o ScrumMaster; • Elas são COMPROMISSOS; • Perante os pares de desenvolvedores;
  • 28. Revisão do Sprint • A equipe apresenta os resultados obtidos durante o Sprint • Tipicamente ocorre a demonstração de novas funcionalidades ou sua arquitetura Informal • 2 horas de preparação Sem slides • Todo o time participa • “O mundo é convidado”
  • 29. Retrospectiva do Sprint • Periodicamente, observe o que funciona e o que não funciona; • Tipicamente de 15 a 30 minutos; • Feita após cada Sprint; • Toda a equipe participa: ScrumMaster; Dono do produto; Membros da equipe; Clientes e outros;
  • 30. Inicia, Pára, Continua A equipe discute o que gostaria de: Começar a fazer Parar de fazer Continuar fazendo
  • 31. Scrum Framework Papéis •Dono do produto •ScrumMaster •Equipe Cerimônia •Planejamento •Revisão •Retrospectiva Artefatos •Reunião diária •Product backlog •Sprint backlog •Burndown charts
  • 32. Product Backlog • Uma lista de todo o trabalho desejado no projeto. • Idealmente, descrito na forma em que cada item possua um peso de acordo com a vontade/necessidade do cliente ou usuários. • Priorizado pelo dono do produto. • Repriorizado no início de cada Sprint.
  • 33. Exemplo de Um Product Backlog Item do Backlog Peso Permitir que o usuário faça uma reserva 3 Permitir que o usuário cancele a reserva 5 Permitir a troca de datas da reserva 3 Permitir que empregados do hotel gerem 8 relatórios de lucratividade Melhorar manipulação de erros 8 ... 30 ... 50
  • 34. Objetivo do Sprint Breve descrição que ilustre o foco do trabalho durante o Sprint Base de Dados Ciências da vida Fazer com que a aplicação rode no Funcionalidades para estudos SQL Server além do PostgreSQL genéticos da população Serviços financeiros Criar suporte para indicadores de desempenho em tempo real
  • 35. Gerenciando SprintBacklog • Cada indivíduo escolhe o trabalho que fará; • Trabalhos nunca são atribuídos; • Atualização diária da estimativa do trabalho restante; • Qualquer membro da equipe pode adicionar, apagar ou mudar tarefas; • O trabalho aparece a partir do Sprint; • Se uma tarefa não é clara, defina-a como um item com uma quantidade maior de tempo e subdivida-a depois; • Atualize as coisas a serem feitas na medida em que se tornam mais conhecidas;
  • 36. Sprint Backlog Tarefas Seg Ter Qua Qui Sex Codificar interface de usuário 8 4 8 Codificar regra de negócio 16 12 10 4 Testar 8 16 16 11 8 Escrever help online 12 Escrever a classe teste 8 8 8 8 8 Adicionar log de erros 8 4
  • 37. Burndown Chart O Burndown Chart simplesmente lista as horas a serem consumidas pelos recursos. Pode ser montado de forma global ou para cada recurso a ser consumido. O ideal é que as horas previstas sejam equivalentes às consumidas. Se as consumidas forem menores, menos mal. Se maiores, o projeto está consumindo recursos além dos que foram propostos. Ele serve, historicamente, para avaliar nossa capacidade de prever os recursos, e como guia para que a ajustemos.
  • 48. Scrum de Scrums de Scrums
  • 49. Tipos de Scrum Distribuídos
  • 50. Dificuldades do Scrum Distribuído • Independência de equipes; • Problemas de comunicação; • Barreiras Culturais; • Modo de Trabalho; • Práticas de Scrum são para equipes reunidas;
  • 51. SCRUM em 100 Palavras •Scrum é um processo ágil que permite manter o foco na entrega do maior valor de negócio, no menor tempo possível. •Isto permite a rápida e contínua inspeção do software em produção (em intervalos de duas a quatro semanas). •As necessidades do negócio é que determinam as prioridades do desenvolvimento de um sistema. As equipes se auto-organizam para definir a melhor maneira de entregar as funcionalidades de maior prioridade. •Entre cada duas a quatro semanas todos podem ver o real software em produção, decidindo se o mesmo deve ser liberado ou continuar a ser aprimorado por mais um “Sprint”.
  • 52. Onde tem sido Aplicado?
  • 53. Quais Ramos Têm Usado? • Software comercial; • Video games; • Desenvolvimento interno; • Sistemas para suporte à vida; • Desenvolvimento contratado • Sistemas para controle de (terceirização); satélites; • Projetos de preço fixo; • Websites; • Aplicações Financeiras; • Software para handhelds; • Aplicações certificadas pela • Telefones celulares; ISO 9001; • Aplicações para redes; • Sistemas embarcados; • Aplicações de ISV • Sistemas disponíveis 24x7; (Independent Software • Desenvolvimento por hackers Vendors); solitários; • Algumas das maiores aplicações em produção;
  • 55. Referências • http://www.dicas-l.com.br/brod/brod_20071031.php • http://blog.fragmental.com.br/2007/08/15/introduzindo-agilidade-num- ambiente/ • http://www.softhouse.se/Uploades/Scrum_eng_webb.pdf • http://www.infoq.com/minibooks/scrum-xp-from-the-trenches • http://www.baufest.com/spanish/scrum/scrumconference2006/Roots_of_ Scrum_Baufest_7_Nov_2006.pdf • http://www.mountaingoatsoftware.com/system/hidden_asset/file/52/Portu gueseScrum.pdf • http://www.aspercom.com.br • http://www2.dc.ufscar.br/~rosangel/mds/Seminarios/MetodosAgeis.pdf • http://www.ime.usp.br/~gdaltonl/ageis/ageis_6pp.pdf • http://mudandoumapequenaempresa.blogspot.com/search/label/SCRUM