SlideShare uma empresa Scribd logo
DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E CONTÁBEIS.

   1. Origens e aplicacões de recursos – EM CADA LANÇAMENTO CONTÁBIL.

       É importante o domínio destes conceitos, para que se possa definir, com exatidão,
       os valores, a débito e a crédito, em cada lançamento contábil.

       Assim, portanto, é importante conhecer-se:

       - De onde vieram os recursos necessários à concretização da operação? – Esse
         Esses recursos representam a ORIGEM.

        - Onde esses mesmos recursos foram aplicados? –
        Identificam a APLICAÇÃO.

        Exemplo : compra de um carro, no valor de 10.000, que é pago, metade à vista e
        metade a prazo.

        a) O lançamento, no momento da compra do veículo será:
            Origem = conta SALDOS BANCÁRIOS– 5.000
                   = conta de CRÉDITO/EMPRÉSTIMO ( representada pelos 2
                      cheques pré-datados de 2.500, cada), totalizando 5.000

             Aplicação = compra do carro, registrada na conta VEÍCULOS – no valor de
        10.000.

        b) O lançamento, por ocasião da liquidação de um dos dois cheques pré-datados,
           apresentará as seguintes características:
            Origem = conta SALDOS BANCÁRIOS, no valor de 2.500

             Aplicação = pagamento parcial da dívida – CRÉDITO/EMPRÉSTIMO
        conta de CRÉDITO/EMPRÉSTIMO - no valor de 2.500.

             Portanto, EM CADA LANÇAMENTO CONTÁBIL:

           A CONTA ONDE OS RECURSOS SÃO APLICADOS É
        DEBITADA.

           A CONTA ONDE OS RECURSOS SÃO
        ORIGINADOS/GERADOS É CREDITADA.




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras          15/10/2007                    1
2. Origens e aplicacões de recursos – NOS SALDOS DAS CONTAS..


             Tipos de saldos mantidos nas diversas contas


             CADA CONTA SOMENTE PODE APRESENTAR UM TIPO DE
             SALDO (DEVEDOR OU CREDOR).

            Sabemos que as contas do ATIVO, que representam BENS e DIREITOS DA
            Entidade, apresentam sempre SALDOS NEGATIVOS (ou zero).

            E, por outro lado, as contas do PASSIVO, que representam OBRIGAÇÕES
            da Entidade, contém sempre SALDOS POSITIVOS (ou zero).



             O PL, dentro do conjunto do PASSIVO, como outra forma de
             demonstrar as OBRIGAÇÕES da Entidade.

             Temos mantido separado o grupo PL – Patrimônio Líquido, em função,
             inclusive, da grande igualdade, comentada desde a primeira aula, isto é:

             ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO.

             Que, também, pode ser mostrado, como:

             BENS E DIREITOS = OBRIGAÇÕES + PATRIMÔNIO LÍQUIDO.

             Mas, em verdade, o Patrimônio Líquido , representado pela conta Capital
             Social e Lucros Acumulados, em função de resultados de exercícios sociais,
             representa um tipo de OBRIGAÇÃO da Entidade , isto é, com o seu
             sócio, acionista ou proprietário.

       Por isso, podemos manter dois GRANDES GRUPOS DE CONTAS,
       chamando-os de ATIVO e PASSIVO.

       O ATIVO contém os BENS e DIREITOS e o PASSIVO as OBRIGAÇÕES da
       Entidade.

       As contas do ATIVO apresentarão sempre SALDOS NEGATIVOS e as do
       PASSIVO (englobando, também, as do PL) conterão SALDOS POSITIVOS.


Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras         15/10/2007                    2
E a IGUALDADE FUNDAMENTAL fica:

       ATIVO = PASSIVO

       Ou

       BENS E DIREITOS = OBRIGAÇÕES.



             O ATIVO e o PASSIVO dentro do conceito de APLICAÇÕES E
             ORIGENS DE RECURSOS.

       Outro conceito importante a se destacar, refere-se ao fato de que OS SALDOS DAS
       CONTAS DO ATIVO indicam APLICAÇÕES LÍQUIDAS DE RECURSOS.

       Naturalmente, OS SALDOS DAS CONTAS DO PASSIVO (incluídas as contas
       do PL) indicam ORIGENS LÍQUIDAS DE RECURSOS.

       Indicamos a expressão LÍQUIDAS, por que, obviamente, essas contas podem
       receber lançamentos de APLICAÇÃO ou de ORIGEM de recursos, como vimos no
       tópico 1, acima.

       Falta incluir em cada um dos lados do BALANCETE, as CONTAS DE DESPESAS
       e RECEITAS.


   3. Conceitos relacionados com as contas de DESPESAS e de RECEITAS.

      Esses dois grupos de contas são conhecidos como CONTAS DE RESULTADOS .

      Todas as outras contas, QUE NÃO SEJAM DE DESPESAS ou de RECEITAS
      são conhecidas como CONTAS PATRIMONIAIS

      Afinal, OS RESULTADOS de cada exercício social são obtidos
      apurando-se a diferença entre os totais de DESPESAS e de
      RECEITAS.
      Se as DESPESAS forem maiores que as RECEITAS, teremos PREJUÍZO.

      Se as RECEITAS foram maiores que as DESPESAS, teremos LUCRO.

        Fundamentalmente:


Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras        15/10/2007                  3
DESPESAS = Como os bens e direitos, representam APLICAÇÕES DE
        RECURSOS.

        RECEITAS = Como as obrigações, indicam ORIGENS DE RECURSOS.

        Exceto quanto se tratar de ESTORNOS (correções de lançamentos anteriores), as
        CONTAS DE DESPESAS somente serão debitadas e as DE RECEITAS somente
        serão creditadas, em cada lançamento contábil.

        Um outra hipótese em que, por exemplo, as CONTAS DE DESPESAS serão
        creditadas ocorrerá no FINAL DO EXERCÍCIO SOCIAL, como indicado a
        seguir.


   4. Transferência de resultados – Transição do Balancete para o Balanço Patrimonial.

              O Exercício social

                  Refere-se ao período de tempo (normalmente um ano), durante o qual
                  se processam as operações da empresa.



              Apuração dos RESULTADOS de cada EXERCÍCIO SOCIAL.

       Como indicamos, no tópico anterior, é feito pela diferença entre os saldos das
       CONTAS DE DESPESAS e os das CONTAS DE RECEITAS.

      Se as DESPESAS forem maiores que as RECEITAS, teremos PREJUÍZO.

      Se as RECEITAS foram maoires que as DESPESAS, teremos LUCRO.

       Apurados os RESULTADOS e FECHADO O EXERCÍCIO SOCIAL, as CONTAS
       DE DESPESAS e de RECEITAS ficam com todos os seus saldos ZERADOS.


        4.2.1 . Provisões para ajustes.

        Para se FECHAR O EXERCÍCIO SOCIAL são necessários ajustes nos SALDOS
        DAS CONTAS.




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras           15/10/2007                     4
Esses AJUSTES sempre representarão DESPESAS ou RECEITAS
        DO RESPECTIVO EXERCÍCIO SOCIAL e, portanto, contribuirão
        para o RESULTADO (PREJUÍZO ou o LUCRO) DO PERÍODO
        CONTÁBIL ENCERRADO.
        Provisões para ajustes.
        São custos operacionais estimados ou previstos, destinados a registrar a redução
        de valor eventualmente sofrido pelos bens ou direitos da empresa.

        Depreciação.
        As máquinas, móveis, veículos, etc., estão sujeitos a perder valor, pelo natural
        desgaste, resultante do uso, ou pela obsolescência, com o aparecimento de bens
        mais modernos e produtivos.
        O lançamento é feito em UMA CONTA DE RESULTADOS – Despesas de
        Depreciação.

        As taxas de depreciação levam em contga o tempo de vida útil do bem.
        - imóveis, construções e benfeitorias – 4% (25 anos).
        - Máquinas, móveis e utensílios – 10% (dez anos).
        - Veículos e máquinas especiais – 20% (cinco anos).

        A depreciação relativa aos bens de uso vai sendo acumulada em uma conta
        denominada Depreciação Acumulada e o valor atual (ou líquido) dos bens é
        dado pela diferença entre o seu valor contábil – original – e o montante da
        depreciação acumulada respectiva.

        Quando o valor da depreciação de um determinado bem atingir o seu valor
        contábil, ambos serão baixados, desaparecendo o bem e a sua depreciação.

        Se o bem ainda estiver sendo usado, poderá permanecer na Contabilidade,
        registrado por um valor residual, simbólico.


        Devedores Duvidosos.
        Também chamada de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa.

        Objetiva cobrir eventuais prejuízos com o não-recebimento dos créditos
        relacionados com as vendas a prazo.

        Essa provisão não é cumulativa. Ao final de cada ano, o saldo anterior não
        utilizado para a cobertura de prejuízos deverá ser revertido, constituindo-se, a
        seguir, se julgado necessário, uma nova provisão.

        A legislação do Imposto de renda prevê limites para essa provisão, como a média
        dos prejuízos efetivos com clientes, nos três últimos anos.


Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras           15/10/2007                        5
Processo de apuração dos resultados do exercício (período).




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras         15/10/2007     6
5. Objetivos das Demonstrações Contábeis ou Financeiras.
      - para a concessão de crédito mercantil ou bancário.
      - para a concessão de empréstimo bancário.
      - para a obtenção de financiamentos a longo prazo.
      - para a fiscalização tributária.
      - para propiciar informações que conduzam a uma melhor gestão financeira.

   6. Balanço Patrimonial.
      Representação monetária, em determinado momento, do conjunto de bens, direitos
      e obrigações de uma Entidade.

       Total dos Ativos = aplicações de recursos, pela Entidade.
       Total dos Passivos = origens dos recursos obtidos pela Entidade e que financiam
       os Ativos.

       Entre os Passivos, temos os de Terceiros (chamados de Exigíveis) e os do
       Patrimônio Líquido (Não-Exigíveis).

       É demonstração fundamental para a gestão financeira, pois identifica a posição
       econômico-financeira das empresas.




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras          15/10/2007                      7
O Balanço por ser estático é complementado por outras demonstrações financeiras,
       que lhe dão suporte esclarecedor.

       Ex – Notas Explicativas: com o objetivo de evidenciar situações, informar mais
       detalhes sobre determinadas contas e eventos. Existem notas obrigatórias e
       opcionais.

   7. Classificação dos Ativos.
      Circulante (cuja realização está prevista pa ra ocorrer no exercício social seguinte)
      Realizável a Logo Prazo (após o exercício social seguinte)
      Permanente:
                     Investimentos.
                     Imobilizado.
                     Diferido.

       (em ordem de liquidez)

   8. Classificação dos Passivos.
      Circulante (obrigações cujos vencimentos ocorrerão no exercício social seguinte).
      Exigível a Longo Prazo. (após o exercício social seguinte)

       Resultados de Exercícios Futuros.
       Patrimônio Líquido, subdividido em:
                     Capital Social
                     Reservas
                     Lucros ou Prejuízos acumulados.

       (em ordem de exigibilidade )




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras            15/10/2007                      8
9. Exemplo de Balanço Patrimonial.




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras   15/10/2007   9
10. Demonstração do Resultado do Exercício.
       Mostra as operações da empresa num determinado exercício ou período.

       Iniciam-se com as RECEITAS, que são diminuidas pelas DESPESAS, sejam
       estas operacionais ou não-operacionais.

       No final, é obtido o RESULTADO LÍQUIDO, que pode ser lucro ou prejuízo.

       O RESULTADO LÍQUIDO representa, pois, a diferença entre as receitas
       auferidas no exercício social e os custos, impostos e despesas incorridos para a
       sua obtenção.

       Composição do Demonstrativo de Resultados do Exercício.
       Receita Bruta de Vendas
       Receita Líquida de Vendas
       Custo das Mercadorias, produtos ou serviços prestados.
       Lucro bruto
       Despesas operacionais
       Lucro ou prejuízo operacional
       Lucro ou prejuízo líquido.



Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras          15/10/2007                   10
Essa demonstração é muito importante para que se analise a rentabilidade das
       empresas.




                                                                                   na

   11. Demonstração das origens e aplicações de recursos - DOAR.
       Procura demonstrar as principais aplicações de financiamentos e
       investimentos, ressaltando as modificações ocorridas na posição financeira da
       Entidade.

       Entre as ORIGENS DE RECURSOS, caracterizamos:
       - do Lucro líquido, consideradas as depreciações e amortizações.


Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras        15/10/2007                  11
- dos Acionistas, pelos aumentos de capital social.
       - de Terceiros, orig inários dos empréstimos a longo prazo, da redução do Ativo
       Realizável a longo prazo e da venda de Ativos Permanentes.

       Entre as APLICAÇÕES DE RECURSOS, destacam os:
       - Nas aplicações do ATIVO PERMANENTE.
       - Nos pagamentos de empréstimos a longo prazo.
       - Nas remunerações aos acionistas, através da distribuição de dividendos.


   12. Elenco das demonstrações financeiras.




       5. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E CONTÁBEIS.



        Processo de apuração dos resultados do exercício (período).




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras         15/10/2007                   12
Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras   15/10/2007   13
5.1.Objetivos das Demonstrações Contábeis ou Financeiras.
       - para a concessão de crédito mercantil ou bancário.
       - para a concessão de empréstimo bancário.
       - para a obtenção de financiamentos a longo prazo.
       - para a fiscalização tributária.
       - para propiciar informações que conduzam a uma melhor gestão financeira.

6. Balanço Patrimonial.
      Representação monetária, em determinado momento, do conjunto de bens, direitos
      e obrigações de uma Entidade.

       Total dos Ativos = aplicações de recursos, pela Entidade.
       Total dos Passivos = origens dos recursos obtidos pela Entidade e que financiam
       os Ativos.

       Entre os Passivos, temos os de Terceiros (chamados de Exigíveis) e os do
       Patrimônio Líquido (Não-Exigíveis).

       É demonstração fundamental para a gestão financeira, pois identifica a posição
       econômico-financeira das empresas.




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras          15/10/2007                      14
O Balanço por ser estático é complementado por outras demonstrações financeiras,
       que lhe dão suporte esclarecedor.

       Ex – Notas Explicativas: com o objetivo de evidenciar situações, informar mais
       detalhes sobre determinadas contas e eventos. Existem notas obrigatórias e
       opcionais.

7. Classificação dos Ativos.
      Circulante (cuja realização está prevista para ocorrer no exercício social seguinte)
      Realizável a Logo Prazo (após o exercício social seguinte)
      Permanente:
                     Investimentos.
                     Imobilizado.
                     Diferido.

       (em ordem de liquidez)

8. Classificação dos Passivos .
      Circulante (obrigações cujos vencimentos ocorrerão no exercício social seguinte).
      Exigível a Longo Prazo. (após o exercício social seguinte)

       Resultados de Exercícios Futuros.
       Patrimônio Líquido, subdividido em:
                     Capital Social
                     Reservas
                     Lucros ou Prejuízos acumulados.

       (em ordem de exigibilidade )




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras            15/10/2007                     15
9. Exemplo de Balanço Patrimonial.




Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras   15/10/2007   16
Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras   15/10/2007   17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Diapositivos bloco 4
Diapositivos bloco 4Diapositivos bloco 4
Diapositivos bloco 4
André Silva
 
A conta
A contaA conta
Contabilidade aula 02 patrimonio
Contabilidade aula 02 patrimonioContabilidade aula 02 patrimonio
Contabilidade aula 02 patrimonio
capitulocontabil
 
Conceito contas contabeis
Conceito contas contabeisConceito contas contabeis
Conceito contas contabeis
apostilacontabil
 
07 contabilidade (balanço patrimonial)
07   contabilidade (balanço patrimonial)07   contabilidade (balanço patrimonial)
07 contabilidade (balanço patrimonial)
Elizeu Ferro
 
Contabilidade topicos avançados 2
Contabilidade topicos avançados 2Contabilidade topicos avançados 2
Contabilidade topicos avançados 2
J M
 
Contabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentosContabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentos
apostilacontabil
 
Contabilidade i
Contabilidade iContabilidade i
Contabilidade i
apostilacontabil
 
Aula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidadeAula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidade
Homero Alves de Lima
 
BalançO Patrimonial
BalançO PatrimonialBalançO Patrimonial
BalançO Patrimonial
rafaelkeidann
 
Diapositivos bloco 1
Diapositivos  bloco 1Diapositivos  bloco 1
Diapositivos bloco 1
André Silva
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 03
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 03Exercicios resolvidos contabilidade   aula 03
Exercicios resolvidos contabilidade aula 03
contacontabil
 
Roteiro de aulas 4 contabilidade
Roteiro de aulas 4 contabilidadeRoteiro de aulas 4 contabilidade
Roteiro de aulas 4 contabilidade
zeramento contabil
 
Contabilidade elementos essenciais lancamento
Contabilidade elementos essenciais lancamentoContabilidade elementos essenciais lancamento
Contabilidade elementos essenciais lancamento
apostilacontabil
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
zeramento contabil
 
Contabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadoresContabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadores
B&R Consultoria Empresarial
 
Contabilidade Básica
Contabilidade BásicaContabilidade Básica
Contabilidade Básica
André Faria Gomes
 
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções ContábeisPostulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
Wandick Rocha de Aquino
 
Módulo 2 contabilidade gerencial
 Módulo 2  contabilidade gerencial Módulo 2  contabilidade gerencial
Módulo 2 contabilidade gerencial
PUC Minas
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
Cristiane Monteiro
 

Mais procurados (20)

Diapositivos bloco 4
Diapositivos bloco 4Diapositivos bloco 4
Diapositivos bloco 4
 
A conta
A contaA conta
A conta
 
Contabilidade aula 02 patrimonio
Contabilidade aula 02 patrimonioContabilidade aula 02 patrimonio
Contabilidade aula 02 patrimonio
 
Conceito contas contabeis
Conceito contas contabeisConceito contas contabeis
Conceito contas contabeis
 
07 contabilidade (balanço patrimonial)
07   contabilidade (balanço patrimonial)07   contabilidade (balanço patrimonial)
07 contabilidade (balanço patrimonial)
 
Contabilidade topicos avançados 2
Contabilidade topicos avançados 2Contabilidade topicos avançados 2
Contabilidade topicos avançados 2
 
Contabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentosContabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentos
 
Contabilidade i
Contabilidade iContabilidade i
Contabilidade i
 
Aula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidadeAula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidade
 
BalançO Patrimonial
BalançO PatrimonialBalançO Patrimonial
BalançO Patrimonial
 
Diapositivos bloco 1
Diapositivos  bloco 1Diapositivos  bloco 1
Diapositivos bloco 1
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 03
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 03Exercicios resolvidos contabilidade   aula 03
Exercicios resolvidos contabilidade aula 03
 
Roteiro de aulas 4 contabilidade
Roteiro de aulas 4 contabilidadeRoteiro de aulas 4 contabilidade
Roteiro de aulas 4 contabilidade
 
Contabilidade elementos essenciais lancamento
Contabilidade elementos essenciais lancamentoContabilidade elementos essenciais lancamento
Contabilidade elementos essenciais lancamento
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
 
Contabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadoresContabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadores
 
Contabilidade Básica
Contabilidade BásicaContabilidade Básica
Contabilidade Básica
 
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções ContábeisPostulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
 
Módulo 2 contabilidade gerencial
 Módulo 2  contabilidade gerencial Módulo 2  contabilidade gerencial
Módulo 2 contabilidade gerencial
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 

Destaque

Demonstração das origens e aplicações de recursos
Demonstração das origens e aplicações de recursosDemonstração das origens e aplicações de recursos
Demonstração das origens e aplicações de recursos
contacontabil
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
contacontabil
 
DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...
DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...
DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...
Arnoldo Schmidt Neto
 
Livro de exercício - contabilidade introdutória
Livro de exercício   - contabilidade introdutóriaLivro de exercício   - contabilidade introdutória
Livro de exercício - contabilidade introdutória
Lylian Vieira
 
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaoExercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
capitulocontabil
 
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidosApostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
dudu_rosa
 
Conceito e diferença de capital e patrimônio
Conceito e diferença de capital e patrimônioConceito e diferença de capital e patrimônio
Conceito e diferença de capital e patrimônio
apostilacontabil
 
Aspectos Tecnicos Da D O A R 1
Aspectos Tecnicos Da  D O A R 1Aspectos Tecnicos Da  D O A R 1
Aspectos Tecnicos Da D O A R 1
guest3061e9
 
Demonstrações Contábeis 2013 - Correios
Demonstrações Contábeis 2013 - CorreiosDemonstrações Contábeis 2013 - Correios
Demonstrações Contábeis 2013 - Correios
Jose Carlos
 
Cap 03 demonstracoes.financeiras
Cap 03 demonstracoes.financeirasCap 03 demonstracoes.financeiras
Cap 03 demonstracoes.financeiras
capitulocontabil
 
Apostila contabilidade facil
Apostila contabilidade facilApostila contabilidade facil
Apostila contabilidade facil
apostilacontabil
 
Curso de contabilidade cap. 1
Curso de contabilidade   cap. 1Curso de contabilidade   cap. 1
Curso de contabilidade cap. 1
CONSUARES ASSESSORIA EMPRESARIAL
 
Contabilidade Basica
Contabilidade BasicaContabilidade Basica
Contabilidade Basica
Cristiano Rodrigues Barcellos
 
Slides módulo3.2
Slides módulo3.2Slides módulo3.2
Slides módulo3.2
Eva Gomes
 
Exercicios contabeis 03
Exercicios contabeis 03Exercicios contabeis 03
Exercicios contabeis 03
zeramento contabil
 
Exercicios contabeis 02
Exercicios contabeis 02Exercicios contabeis 02
Exercicios contabeis 02
zeramento contabil
 
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeisLucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
zeramento contabil
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 01
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 01Exercicios resolvidos contabilidade   aula 01
Exercicios resolvidos contabilidade aula 01
cathedracontabil
 
Contabilidade razonetes resolvidos
Contabilidade razonetes resolvidosContabilidade razonetes resolvidos
Contabilidade razonetes resolvidos
razonetecontabil
 
Contabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadoresContabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadores
MAILSON2010
 

Destaque (20)

Demonstração das origens e aplicações de recursos
Demonstração das origens e aplicações de recursosDemonstração das origens e aplicações de recursos
Demonstração das origens e aplicações de recursos
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
 
DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...
DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...
DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA VERSUS DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE...
 
Livro de exercício - contabilidade introdutória
Livro de exercício   - contabilidade introdutóriaLivro de exercício   - contabilidade introdutória
Livro de exercício - contabilidade introdutória
 
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaoExercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
 
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidosApostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
 
Conceito e diferença de capital e patrimônio
Conceito e diferença de capital e patrimônioConceito e diferença de capital e patrimônio
Conceito e diferença de capital e patrimônio
 
Aspectos Tecnicos Da D O A R 1
Aspectos Tecnicos Da  D O A R 1Aspectos Tecnicos Da  D O A R 1
Aspectos Tecnicos Da D O A R 1
 
Demonstrações Contábeis 2013 - Correios
Demonstrações Contábeis 2013 - CorreiosDemonstrações Contábeis 2013 - Correios
Demonstrações Contábeis 2013 - Correios
 
Cap 03 demonstracoes.financeiras
Cap 03 demonstracoes.financeirasCap 03 demonstracoes.financeiras
Cap 03 demonstracoes.financeiras
 
Apostila contabilidade facil
Apostila contabilidade facilApostila contabilidade facil
Apostila contabilidade facil
 
Curso de contabilidade cap. 1
Curso de contabilidade   cap. 1Curso de contabilidade   cap. 1
Curso de contabilidade cap. 1
 
Contabilidade Basica
Contabilidade BasicaContabilidade Basica
Contabilidade Basica
 
Slides módulo3.2
Slides módulo3.2Slides módulo3.2
Slides módulo3.2
 
Exercicios contabeis 03
Exercicios contabeis 03Exercicios contabeis 03
Exercicios contabeis 03
 
Exercicios contabeis 02
Exercicios contabeis 02Exercicios contabeis 02
Exercicios contabeis 02
 
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeisLucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 01
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 01Exercicios resolvidos contabilidade   aula 01
Exercicios resolvidos contabilidade aula 01
 
Contabilidade razonetes resolvidos
Contabilidade razonetes resolvidosContabilidade razonetes resolvidos
Contabilidade razonetes resolvidos
 
Contabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadoresContabilidade para não contadores
Contabilidade para não contadores
 

Semelhante a Origens aplicações – demonstrações financeiras

Encerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultadoEncerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultado
razonetecontabil
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
Canal Maktub
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
Canal Maktub
 
4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade
Jeferson Souza
 
Escrituração
EscrituraçãoEscrituração
Escrituração
albumina
 
D f c 0001
D f c 0001D f c 0001
D f c 0001
albumina
 
Depreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentadaDepreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentada
simuladocontabil
 
3 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_33 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_3
Ana Filipa Silva
 
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ivanviana19
 
Contab
ContabContab
Contab
ContabContab
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geralApostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
zeramento contabil
 
Atps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediáriaAtps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediária
arinemuller
 
Principios contabeis
Principios contabeisPrincipios contabeis
Principios contabeis
Ernani Nascimento
 
Aula 06 auxiliar de contabilidade
Aula 06 auxiliar de contabilidadeAula 06 auxiliar de contabilidade
Aula 06 auxiliar de contabilidade
Homero Alves de Lima
 
Contab 8
Contab 8Contab 8
Contab 8
Carla Letícia
 
Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8
J M
 
Aula 1.ppt
Aula 1.pptAula 1.ppt
Aula 1.ppt
ssusercc81d3
 
D f c 0000
D f c 0000D f c 0000
D f c 0000
albumina
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
Romulo Goncalves
 

Semelhante a Origens aplicações – demonstrações financeiras (20)

Encerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultadoEncerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultado
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
 
4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade
 
Escrituração
EscrituraçãoEscrituração
Escrituração
 
D f c 0001
D f c 0001D f c 0001
D f c 0001
 
Depreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentadaDepreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentada
 
3 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_33 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_3
 
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
 
Contab
ContabContab
Contab
 
Contab
ContabContab
Contab
 
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geralApostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
 
Atps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediáriaAtps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediária
 
Principios contabeis
Principios contabeisPrincipios contabeis
Principios contabeis
 
Aula 06 auxiliar de contabilidade
Aula 06 auxiliar de contabilidadeAula 06 auxiliar de contabilidade
Aula 06 auxiliar de contabilidade
 
Contab 8
Contab 8Contab 8
Contab 8
 
Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8
 
Aula 1.ppt
Aula 1.pptAula 1.ppt
Aula 1.ppt
 
D f c 0000
D f c 0000D f c 0000
D f c 0000
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 

Mais de albumina

Princípios contábeis
Princípios contábeisPrincípios contábeis
Princípios contábeis
albumina
 
Ajustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeisAjustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeis
albumina
 
Conceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeisConceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeis
albumina
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
albumina
 
Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001
albumina
 
Analise de balancos resumo
Analise de balancos resumoAnalise de balancos resumo
Analise de balancos resumo
albumina
 
Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000
albumina
 
Teoria concursos
Teoria concursosTeoria concursos
Teoria concursos
albumina
 
Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000
albumina
 
Teoria
TeoriaTeoria
Teoria
albumina
 
Custos
CustosCustos
Custos
albumina
 
Doar 0000
Doar 0000Doar 0000
Doar 0000
albumina
 
Aula 001 finanças
Aula 001 finançasAula 001 finanças
Aula 001 finanças
albumina
 
Exel
ExelExel
Exel
albumina
 
Contabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentosContabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentos
albumina
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
albumina
 
Estudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passarEstudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passar
albumina
 
Comercio exterior
Comercio exteriorComercio exterior
Comercio exterior
albumina
 
Cco aula15 custos
Cco aula15 custosCco aula15 custos
Cco aula15 custos
albumina
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
albumina
 

Mais de albumina (20)

Princípios contábeis
Princípios contábeisPrincípios contábeis
Princípios contábeis
 
Ajustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeisAjustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeis
 
Conceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeisConceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeis
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001
 
Analise de balancos resumo
Analise de balancos resumoAnalise de balancos resumo
Analise de balancos resumo
 
Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000
 
Teoria concursos
Teoria concursosTeoria concursos
Teoria concursos
 
Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000
 
Teoria
TeoriaTeoria
Teoria
 
Custos
CustosCustos
Custos
 
Doar 0000
Doar 0000Doar 0000
Doar 0000
 
Aula 001 finanças
Aula 001 finançasAula 001 finanças
Aula 001 finanças
 
Exel
ExelExel
Exel
 
Contabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentosContabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentos
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
 
Estudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passarEstudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passar
 
Comercio exterior
Comercio exteriorComercio exterior
Comercio exterior
 
Cco aula15 custos
Cco aula15 custosCco aula15 custos
Cco aula15 custos
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
 

Último

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 

Origens aplicações – demonstrações financeiras

  • 1. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E CONTÁBEIS. 1. Origens e aplicacões de recursos – EM CADA LANÇAMENTO CONTÁBIL. É importante o domínio destes conceitos, para que se possa definir, com exatidão, os valores, a débito e a crédito, em cada lançamento contábil. Assim, portanto, é importante conhecer-se: - De onde vieram os recursos necessários à concretização da operação? – Esse Esses recursos representam a ORIGEM. - Onde esses mesmos recursos foram aplicados? – Identificam a APLICAÇÃO. Exemplo : compra de um carro, no valor de 10.000, que é pago, metade à vista e metade a prazo. a) O lançamento, no momento da compra do veículo será: Origem = conta SALDOS BANCÁRIOS– 5.000 = conta de CRÉDITO/EMPRÉSTIMO ( representada pelos 2 cheques pré-datados de 2.500, cada), totalizando 5.000 Aplicação = compra do carro, registrada na conta VEÍCULOS – no valor de 10.000. b) O lançamento, por ocasião da liquidação de um dos dois cheques pré-datados, apresentará as seguintes características: Origem = conta SALDOS BANCÁRIOS, no valor de 2.500 Aplicação = pagamento parcial da dívida – CRÉDITO/EMPRÉSTIMO conta de CRÉDITO/EMPRÉSTIMO - no valor de 2.500. Portanto, EM CADA LANÇAMENTO CONTÁBIL: A CONTA ONDE OS RECURSOS SÃO APLICADOS É DEBITADA. A CONTA ONDE OS RECURSOS SÃO ORIGINADOS/GERADOS É CREDITADA. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 1
  • 2. 2. Origens e aplicacões de recursos – NOS SALDOS DAS CONTAS.. Tipos de saldos mantidos nas diversas contas CADA CONTA SOMENTE PODE APRESENTAR UM TIPO DE SALDO (DEVEDOR OU CREDOR). Sabemos que as contas do ATIVO, que representam BENS e DIREITOS DA Entidade, apresentam sempre SALDOS NEGATIVOS (ou zero). E, por outro lado, as contas do PASSIVO, que representam OBRIGAÇÕES da Entidade, contém sempre SALDOS POSITIVOS (ou zero). O PL, dentro do conjunto do PASSIVO, como outra forma de demonstrar as OBRIGAÇÕES da Entidade. Temos mantido separado o grupo PL – Patrimônio Líquido, em função, inclusive, da grande igualdade, comentada desde a primeira aula, isto é: ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO. Que, também, pode ser mostrado, como: BENS E DIREITOS = OBRIGAÇÕES + PATRIMÔNIO LÍQUIDO. Mas, em verdade, o Patrimônio Líquido , representado pela conta Capital Social e Lucros Acumulados, em função de resultados de exercícios sociais, representa um tipo de OBRIGAÇÃO da Entidade , isto é, com o seu sócio, acionista ou proprietário. Por isso, podemos manter dois GRANDES GRUPOS DE CONTAS, chamando-os de ATIVO e PASSIVO. O ATIVO contém os BENS e DIREITOS e o PASSIVO as OBRIGAÇÕES da Entidade. As contas do ATIVO apresentarão sempre SALDOS NEGATIVOS e as do PASSIVO (englobando, também, as do PL) conterão SALDOS POSITIVOS. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 2
  • 3. E a IGUALDADE FUNDAMENTAL fica: ATIVO = PASSIVO Ou BENS E DIREITOS = OBRIGAÇÕES. O ATIVO e o PASSIVO dentro do conceito de APLICAÇÕES E ORIGENS DE RECURSOS. Outro conceito importante a se destacar, refere-se ao fato de que OS SALDOS DAS CONTAS DO ATIVO indicam APLICAÇÕES LÍQUIDAS DE RECURSOS. Naturalmente, OS SALDOS DAS CONTAS DO PASSIVO (incluídas as contas do PL) indicam ORIGENS LÍQUIDAS DE RECURSOS. Indicamos a expressão LÍQUIDAS, por que, obviamente, essas contas podem receber lançamentos de APLICAÇÃO ou de ORIGEM de recursos, como vimos no tópico 1, acima. Falta incluir em cada um dos lados do BALANCETE, as CONTAS DE DESPESAS e RECEITAS. 3. Conceitos relacionados com as contas de DESPESAS e de RECEITAS. Esses dois grupos de contas são conhecidos como CONTAS DE RESULTADOS . Todas as outras contas, QUE NÃO SEJAM DE DESPESAS ou de RECEITAS são conhecidas como CONTAS PATRIMONIAIS Afinal, OS RESULTADOS de cada exercício social são obtidos apurando-se a diferença entre os totais de DESPESAS e de RECEITAS. Se as DESPESAS forem maiores que as RECEITAS, teremos PREJUÍZO. Se as RECEITAS foram maiores que as DESPESAS, teremos LUCRO. Fundamentalmente: Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 3
  • 4. DESPESAS = Como os bens e direitos, representam APLICAÇÕES DE RECURSOS. RECEITAS = Como as obrigações, indicam ORIGENS DE RECURSOS. Exceto quanto se tratar de ESTORNOS (correções de lançamentos anteriores), as CONTAS DE DESPESAS somente serão debitadas e as DE RECEITAS somente serão creditadas, em cada lançamento contábil. Um outra hipótese em que, por exemplo, as CONTAS DE DESPESAS serão creditadas ocorrerá no FINAL DO EXERCÍCIO SOCIAL, como indicado a seguir. 4. Transferência de resultados – Transição do Balancete para o Balanço Patrimonial. O Exercício social Refere-se ao período de tempo (normalmente um ano), durante o qual se processam as operações da empresa. Apuração dos RESULTADOS de cada EXERCÍCIO SOCIAL. Como indicamos, no tópico anterior, é feito pela diferença entre os saldos das CONTAS DE DESPESAS e os das CONTAS DE RECEITAS. Se as DESPESAS forem maiores que as RECEITAS, teremos PREJUÍZO. Se as RECEITAS foram maoires que as DESPESAS, teremos LUCRO. Apurados os RESULTADOS e FECHADO O EXERCÍCIO SOCIAL, as CONTAS DE DESPESAS e de RECEITAS ficam com todos os seus saldos ZERADOS. 4.2.1 . Provisões para ajustes. Para se FECHAR O EXERCÍCIO SOCIAL são necessários ajustes nos SALDOS DAS CONTAS. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 4
  • 5. Esses AJUSTES sempre representarão DESPESAS ou RECEITAS DO RESPECTIVO EXERCÍCIO SOCIAL e, portanto, contribuirão para o RESULTADO (PREJUÍZO ou o LUCRO) DO PERÍODO CONTÁBIL ENCERRADO. Provisões para ajustes. São custos operacionais estimados ou previstos, destinados a registrar a redução de valor eventualmente sofrido pelos bens ou direitos da empresa. Depreciação. As máquinas, móveis, veículos, etc., estão sujeitos a perder valor, pelo natural desgaste, resultante do uso, ou pela obsolescência, com o aparecimento de bens mais modernos e produtivos. O lançamento é feito em UMA CONTA DE RESULTADOS – Despesas de Depreciação. As taxas de depreciação levam em contga o tempo de vida útil do bem. - imóveis, construções e benfeitorias – 4% (25 anos). - Máquinas, móveis e utensílios – 10% (dez anos). - Veículos e máquinas especiais – 20% (cinco anos). A depreciação relativa aos bens de uso vai sendo acumulada em uma conta denominada Depreciação Acumulada e o valor atual (ou líquido) dos bens é dado pela diferença entre o seu valor contábil – original – e o montante da depreciação acumulada respectiva. Quando o valor da depreciação de um determinado bem atingir o seu valor contábil, ambos serão baixados, desaparecendo o bem e a sua depreciação. Se o bem ainda estiver sendo usado, poderá permanecer na Contabilidade, registrado por um valor residual, simbólico. Devedores Duvidosos. Também chamada de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa. Objetiva cobrir eventuais prejuízos com o não-recebimento dos créditos relacionados com as vendas a prazo. Essa provisão não é cumulativa. Ao final de cada ano, o saldo anterior não utilizado para a cobertura de prejuízos deverá ser revertido, constituindo-se, a seguir, se julgado necessário, uma nova provisão. A legislação do Imposto de renda prevê limites para essa provisão, como a média dos prejuízos efetivos com clientes, nos três últimos anos. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 5
  • 6. Processo de apuração dos resultados do exercício (período). Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 6
  • 7. 5. Objetivos das Demonstrações Contábeis ou Financeiras. - para a concessão de crédito mercantil ou bancário. - para a concessão de empréstimo bancário. - para a obtenção de financiamentos a longo prazo. - para a fiscalização tributária. - para propiciar informações que conduzam a uma melhor gestão financeira. 6. Balanço Patrimonial. Representação monetária, em determinado momento, do conjunto de bens, direitos e obrigações de uma Entidade. Total dos Ativos = aplicações de recursos, pela Entidade. Total dos Passivos = origens dos recursos obtidos pela Entidade e que financiam os Ativos. Entre os Passivos, temos os de Terceiros (chamados de Exigíveis) e os do Patrimônio Líquido (Não-Exigíveis). É demonstração fundamental para a gestão financeira, pois identifica a posição econômico-financeira das empresas. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 7
  • 8. O Balanço por ser estático é complementado por outras demonstrações financeiras, que lhe dão suporte esclarecedor. Ex – Notas Explicativas: com o objetivo de evidenciar situações, informar mais detalhes sobre determinadas contas e eventos. Existem notas obrigatórias e opcionais. 7. Classificação dos Ativos. Circulante (cuja realização está prevista pa ra ocorrer no exercício social seguinte) Realizável a Logo Prazo (após o exercício social seguinte) Permanente: Investimentos. Imobilizado. Diferido. (em ordem de liquidez) 8. Classificação dos Passivos. Circulante (obrigações cujos vencimentos ocorrerão no exercício social seguinte). Exigível a Longo Prazo. (após o exercício social seguinte) Resultados de Exercícios Futuros. Patrimônio Líquido, subdividido em: Capital Social Reservas Lucros ou Prejuízos acumulados. (em ordem de exigibilidade ) Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 8
  • 9. 9. Exemplo de Balanço Patrimonial. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 9
  • 10. 10. Demonstração do Resultado do Exercício. Mostra as operações da empresa num determinado exercício ou período. Iniciam-se com as RECEITAS, que são diminuidas pelas DESPESAS, sejam estas operacionais ou não-operacionais. No final, é obtido o RESULTADO LÍQUIDO, que pode ser lucro ou prejuízo. O RESULTADO LÍQUIDO representa, pois, a diferença entre as receitas auferidas no exercício social e os custos, impostos e despesas incorridos para a sua obtenção. Composição do Demonstrativo de Resultados do Exercício. Receita Bruta de Vendas Receita Líquida de Vendas Custo das Mercadorias, produtos ou serviços prestados. Lucro bruto Despesas operacionais Lucro ou prejuízo operacional Lucro ou prejuízo líquido. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 10
  • 11. Essa demonstração é muito importante para que se analise a rentabilidade das empresas. na 11. Demonstração das origens e aplicações de recursos - DOAR. Procura demonstrar as principais aplicações de financiamentos e investimentos, ressaltando as modificações ocorridas na posição financeira da Entidade. Entre as ORIGENS DE RECURSOS, caracterizamos: - do Lucro líquido, consideradas as depreciações e amortizações. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 11
  • 12. - dos Acionistas, pelos aumentos de capital social. - de Terceiros, orig inários dos empréstimos a longo prazo, da redução do Ativo Realizável a longo prazo e da venda de Ativos Permanentes. Entre as APLICAÇÕES DE RECURSOS, destacam os: - Nas aplicações do ATIVO PERMANENTE. - Nos pagamentos de empréstimos a longo prazo. - Nas remunerações aos acionistas, através da distribuição de dividendos. 12. Elenco das demonstrações financeiras. 5. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E CONTÁBEIS. Processo de apuração dos resultados do exercício (período). Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 12
  • 13. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 13
  • 14. 5.1.Objetivos das Demonstrações Contábeis ou Financeiras. - para a concessão de crédito mercantil ou bancário. - para a concessão de empréstimo bancário. - para a obtenção de financiamentos a longo prazo. - para a fiscalização tributária. - para propiciar informações que conduzam a uma melhor gestão financeira. 6. Balanço Patrimonial. Representação monetária, em determinado momento, do conjunto de bens, direitos e obrigações de uma Entidade. Total dos Ativos = aplicações de recursos, pela Entidade. Total dos Passivos = origens dos recursos obtidos pela Entidade e que financiam os Ativos. Entre os Passivos, temos os de Terceiros (chamados de Exigíveis) e os do Patrimônio Líquido (Não-Exigíveis). É demonstração fundamental para a gestão financeira, pois identifica a posição econômico-financeira das empresas. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 14
  • 15. O Balanço por ser estático é complementado por outras demonstrações financeiras, que lhe dão suporte esclarecedor. Ex – Notas Explicativas: com o objetivo de evidenciar situações, informar mais detalhes sobre determinadas contas e eventos. Existem notas obrigatórias e opcionais. 7. Classificação dos Ativos. Circulante (cuja realização está prevista para ocorrer no exercício social seguinte) Realizável a Logo Prazo (após o exercício social seguinte) Permanente: Investimentos. Imobilizado. Diferido. (em ordem de liquidez) 8. Classificação dos Passivos . Circulante (obrigações cujos vencimentos ocorrerão no exercício social seguinte). Exigível a Longo Prazo. (após o exercício social seguinte) Resultados de Exercícios Futuros. Patrimônio Líquido, subdividido em: Capital Social Reservas Lucros ou Prejuízos acumulados. (em ordem de exigibilidade ) Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 15
  • 16. 9. Exemplo de Balanço Patrimonial. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 16
  • 17. Origens/Aplicações – Demonstrações Financeiras 15/10/2007 17