SlideShare uma empresa Scribd logo
DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E CONTÁBEIS.




   1. Apuração dos RESULTADOS de cada EXERCÍCIO SOCIAL.

       Os resultados de cada período social são apurados, fazendo-se a diferença entre os
       saldos das CONTAS DE DESPESAS e os das CONTAS DE RECEITAS.

      Se as DESPESAS forem maiores que as RECEITAS, teremos PREJUÍZO.
      Contrariamente, se as RECEITAS foram maiores que as DESPESAS,
      conseguiremos LUCRO.

       Apurados os RESULTADOS e FECHADO O EXERCÍCIO SOCIAL, as CONTAS
       DE DESPESAS e de RECEITAS ficam com todos os seus saldos ZERADOS,
       prontas para iniciar novo exercício social.


   2. Provisões para ajustes.

        Para se FECHAR O EXERCÍCIO SOCIAL são necessários ajustes nos SALDOS
        DAS CONTAS.

        Vimos, a DEPRECIAÇÃO e a PROVISÃO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS,
        como duas das mais importantes.

        Esses AJUSTES sempre representarão DESPESAS ou RECEITAS
        DO RESPECTIVO EXERCÍCIO SOCIAL e, portanto, contribuirão
        para o RESULTADO (PREJUÍZO ou o LUCRO) DO PERÍODO
        CONTÁBIL ENCERRADO.

        Um outro tipo de ajuste, antes do fechamento do RESULTADO, consiste em
        contabilizar valores ainda não completamente efetivados.

        É o caso, por exemplo, das provisões para os pagamentos de salários ao pessoal
        ou para o recolhimento de impostos.

        Assim, imaginando encerrar o exercício em 31/12/2007, faremos naquele dia os
        lançamentos:

        Débito = DESPESAS DE PESSOAL
        Crédito = PROVISÃO PARA SALÁRIOS A PAGAR.


Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras                22/10/2007
1
Estaremos, assim, já computado no RESULTADO do exercício o valor de
        salários que, por exemplo, somente será pago no dia 10 do mês ou exercício
        subsequente, isto é, em janeiro de 2008.

        Verifique que fizemos um lançamento a débito de uma conta de DESPESAS, que
        terá seu saldo transferido e ZERADO para ocmpor o resultado de 2007, tal como
        ocorrerá com as demais contas de DESPESAS e RECEITAS.

        A contra-partida do lançamento de provisão foi a conta PROVISÃO PARA
        SALÁRIOS A PAGAR.

        Vejam, que, neste caso, não se trata de uma conta de RESULTADO (isto é, de
        RECEITAS ou de DESPESAS), mas, sim, de uma obrigação junto a terceiros
        (PASSIVO), aque será encerrada por ocasião do pagamento dos salários, isto é,
        em 10/01/2008.

        Vamos, agora, analisar como se comporta o caso de provisões para os
        pagamentos de impostos aos governos, federal, estadual ou municipal.

        Assim, imaginando encerrar o exercício em 31/12/2007, faremos naquele dia os
        lançamentos:

        Débito = DESPESAS DE IMPOSTOS
        Crédito = PROVISÃO PARA IMPOSTOS A PAGAR.

        Estaremos, assim, já computado no RESULTADO do exercício o valor dos
        impostos que, por exemplo, somente serão pagos no dia 20 do mês ou exercício
        subsequente, isto é, em janeiro de 2008.

        Verifique que, também nestge caso, fizemos um lançamento a débito de uma
        conta de DESPESAS, que terá seu saldo transferido e ZERADO para ocmpor o
        resultado de 2007, tal como ocorrerá com as demais contas de DESPESAS e
        RECEITAS.

        A contra-partida do lançamento de provisão foi a conta PROVISÃO PARA
        IMPOSTOS A PAGAR.

        Vejam, que, neste caso, não se trata de uma conta de RESULTADO (isto é, de
        RECEITAS ou de DESPESAS), mas, sim, de uma obrigação junto a terceiros
        (PASSIVO), aque será encerrada por ocasião do pagamento dos salários, isto é,
        em 20/01/2008.




Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras              22/10/2007
2
3. ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO SOCIAL.

        Feitos os ajustes indicados no tópico anterior, estamos em condições de levantar
        o BALANÇO PATRIMONIAL do exercício, com a posição em 31/12/2007.

        Encerraremos os saldos de todas as contas de RECEITAS e de DESPESAS,
        inclusive das que foram criadas para os ajustes mencionados no tópico anterior.

        Assim, por exemplo, os saldos das contas DESPESAS DE PESSOAL e
        DESPESAS DE IMPOSTOS serão zerados, com os seguintes lançamentos:

        Lançamento 1
        Débito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007.
        Crédito: DESPESAS DE PESSOAL

        Lançamento 2
        Débito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007.
        Crédito: DESPESAS DE IMPOSTOS

        Um saldo de outra DESPESA, GERADA DURANTE O EXERCÍCIO SOCIAL
        DE 2007, será zerado fazendo-se o seguinte lançamento:
        Débito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007.
        Crédito: DESPESAS GERAIS.

        Da mesma forma, um saldo de uma conta de RECEITA,
        GERADA DURANTE O EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007, será zerado fazendo-se
        o seguinte lançamento:
        Débito: RECEITAS GERAIS
        Crédito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007.

        Após o encerramento, isto é, zeramento de todas as contas de RECEITAS e de
        DESPESAS, o saldo final na conta RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL
        DE 2007 será transferido para a conta (do PL, isto é do lado do PASSIVO)
        LUCROS E PREJUIZOS ACUMULADOS.

        Faltaria, apenas, decidir o que será feito com o LUCRO ou PREJUIZO, para,
        afinal, levantar-se o BALANÇO PATRIMONIAL FINAL, com a data de
        31/12/2007.




Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras                22/10/2007
3
Processo de apuração dos resultados do exercício (período).




      Resumidamente, obedecemos às seguintes etapas, para o levantamento do Balanço:

       - Levantamento do último Balancete de Verificação do período.
       - Lançamentos para Ajustes das contas
       - Encerramento e zeramento das contas de Receitas e de Despesas do período.
       - Elaboração das Demonstrações Financeiras e das Notas Explicativas.

   4. Balanço Patrimonial.


       É demonstração fundamental para a gestão financeira, pois identifica a posição
       patrimonial e econômico-financeira das empresas.

       O Balanço por ser estático é complementado por outras demonstrações
       financeiras, que lhe dão suporte esclarecedor.




Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras               22/10/2007
4
Ex – Notas Explicativas: com o objetivo de evidenciar situações, informar mais
       detalhes sobre determinadas contas e eventos. Existem notas obrigatórias e
       opcionais.

   5. Classificação dos Ativos.
      Circulante (cuja realização está prevista para ocorrer no exercício social seguinte)
      Realizável a Logo Prazo (após o exercício social seguinte)
      Permanente:
                     Investimentos.
                     Imobilizado.
                     Diferido.

       (as contas são apresentadas em ordem decrescente de liquidez)

   6. Classificação dos Passivos.
      Circulante (obrigações cujos vencimentos ocorrerão no exercício social seguinte).
      Exigível a Longo Prazo. (após o exercício social seguinte)

       Resultados de Exercícios Futuros.
       Patrimônio Líquido, subdividido em:
                     Capital Social
                     Reservas
                     Lucros ou Prejuízos acumulados.

       (em ordem de exigibilidade)


   7. Exemplo de Balanço Patrimonial.




Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras                  22/10/2007
5
Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras   22/10/2007
6
8. Importância do Balanço Patrimonial.

   Se deve à visão por ele fornecidadas APLICAÇÕES DE RECURSOS feitas pela
   empresa (Ativos) e quantos desses recursos são devidos a terceiros (Passivo).

   Mostra, então, o nível de endividamento, a liquidez da empresa, a proporção do capital
   próprio (Patrimônio Líquido) e outras análises.

   A visão de dois balanços de períodos consecutivos mostra facilmente a movimentação
   ocorrida no período e como a estrutura patrimonial e financeira se alterou, no
   período.

   É peça fundamental para a revisão e análise dos negócios.

   Alguns tipos jurídicos de sociedade tem o Balanço padronizado de acordo com normas
   especiais e entre eles desacam-se as companhias seguradoras e as instituições
   financeiras.

   9. Oportunidade de levantamento do Balanço.



Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras               22/10/2007
7
As empresas são obrigadas a levantar o Balanço peloo menos uma vez em cada
       período de 12 meses, podendo esse período coincidir ou não com o ano civil.

       O Balanço também é levantado em momentos especiais:
       - liquidações
       - transformações
       - incorporações
       - fusões
       - cisões



   10. Demonstração do Resultado do Exercício.
       Mostra as operações da empresa num determinado exercício ou período.

       Iniciam-se com as RECEITAS, que são diminuidas pelas DESPESAS, sejam
       estas operacionais ou não-operacionais.

       No final, é obtido o RESULTADO LÍQUIDO, que pode ser lucro ou prejuízo.

       O RESULTADO LÍQUIDO representa, pois, a diferença entre as receitas
       auferidas no exercício social e os custos, impostos e despesas incorridos para a
       sua obtenção.




Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras               22/10/2007
8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Acréscimos e Diferimentos
Acréscimos e DiferimentosAcréscimos e Diferimentos
Acréscimos e Diferimentos
Luís Bastos
 
Aula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidadeAula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidade
Homero Alves de Lima
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
Jesus Bandeira
 
Contabilizacao imposto de renda diferido
Contabilizacao imposto de renda diferidoContabilizacao imposto de renda diferido
Contabilizacao imposto de renda diferido
zeramento contabil
 
Exame oral finalíssima_lm[1]
Exame oral finalíssima_lm[1]Exame oral finalíssima_lm[1]
Exame oral finalíssima_lm[1]
Osvaldo Araujo
 
Tozzi contabilidade abcr sp 30 set2013
Tozzi   contabilidade abcr sp 30 set2013Tozzi   contabilidade abcr sp 30 set2013
Tozzi contabilidade abcr sp 30 set2013
ABCR SP
 
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geralApostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
zeramento contabil
 
Aps estrutura das demonstrações contábeis sebastiao
Aps   estrutura das demonstrações contábeis sebastiaoAps   estrutura das demonstrações contábeis sebastiao
Aps estrutura das demonstrações contábeis sebastiao
Sebastião Matos
 
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções ContábeisPostulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
Wandick Rocha de Aquino
 
Estrutura das dem contabeis aula 1
Estrutura das dem contabeis   aula 1Estrutura das dem contabeis   aula 1
Estrutura das dem contabeis aula 1
joseesade
 
contas-contabeis
contas-contabeiscontas-contabeis
contas-contabeis
drifrutal
 
Encerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultadoEncerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultado
razonetecontabil
 
Trabalho de contabilidade geral novas regras contábeis brasileiras.
Trabalho de contabilidade geral   novas regras contábeis brasileiras.Trabalho de contabilidade geral   novas regras contábeis brasileiras.
Trabalho de contabilidade geral novas regras contábeis brasileiras.
Ju_moura
 
Impostos Diferidos – Apresentação com notas
Impostos Diferidos – Apresentação com notasImpostos Diferidos – Apresentação com notas
Impostos Diferidos – Apresentação com notas
Hugo Leite
 
Analise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasAnalise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeiras
belyalmeida
 
Contabilidade geral livro
Contabilidade geral livroContabilidade geral livro
Contabilidade geral livro
Mikathews
 
Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.
Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.
Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.
Fábio Rodrigues
 
Curso de contabilidade cap. 1
Curso de contabilidade   cap. 1Curso de contabilidade   cap. 1
Curso de contabilidade cap. 1
CONSUARES ASSESSORIA EMPRESARIAL
 
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTEContabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Neon Online
 

Mais procurados (19)

Acréscimos e Diferimentos
Acréscimos e DiferimentosAcréscimos e Diferimentos
Acréscimos e Diferimentos
 
Aula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidadeAula 05 auxiliar de contabilidade
Aula 05 auxiliar de contabilidade
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
 
Contabilizacao imposto de renda diferido
Contabilizacao imposto de renda diferidoContabilizacao imposto de renda diferido
Contabilizacao imposto de renda diferido
 
Exame oral finalíssima_lm[1]
Exame oral finalíssima_lm[1]Exame oral finalíssima_lm[1]
Exame oral finalíssima_lm[1]
 
Tozzi contabilidade abcr sp 30 set2013
Tozzi   contabilidade abcr sp 30 set2013Tozzi   contabilidade abcr sp 30 set2013
Tozzi contabilidade abcr sp 30 set2013
 
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geralApostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
Apostila 04 variacoes do patrimonio liquido-c.geral
 
Aps estrutura das demonstrações contábeis sebastiao
Aps   estrutura das demonstrações contábeis sebastiaoAps   estrutura das demonstrações contábeis sebastiao
Aps estrutura das demonstrações contábeis sebastiao
 
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções ContábeisPostulados, Princípios e Convenções Contábeis
Postulados, Princípios e Convenções Contábeis
 
Estrutura das dem contabeis aula 1
Estrutura das dem contabeis   aula 1Estrutura das dem contabeis   aula 1
Estrutura das dem contabeis aula 1
 
contas-contabeis
contas-contabeiscontas-contabeis
contas-contabeis
 
Encerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultadoEncerramento das contas de resultado
Encerramento das contas de resultado
 
Trabalho de contabilidade geral novas regras contábeis brasileiras.
Trabalho de contabilidade geral   novas regras contábeis brasileiras.Trabalho de contabilidade geral   novas regras contábeis brasileiras.
Trabalho de contabilidade geral novas regras contábeis brasileiras.
 
Impostos Diferidos – Apresentação com notas
Impostos Diferidos – Apresentação com notasImpostos Diferidos – Apresentação com notas
Impostos Diferidos – Apresentação com notas
 
Analise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasAnalise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeiras
 
Contabilidade geral livro
Contabilidade geral livroContabilidade geral livro
Contabilidade geral livro
 
Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.
Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.
Contabilidade pública. Plano de contas e sistemas da Contabilidade Pública.
 
Curso de contabilidade cap. 1
Curso de contabilidade   cap. 1Curso de contabilidade   cap. 1
Curso de contabilidade cap. 1
 
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTEContabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
 

Semelhante a D f c 0000

Origens aplicações – demonstrações financeiras
Origens aplicações – demonstrações financeirasOrigens aplicações – demonstrações financeiras
Origens aplicações – demonstrações financeiras
albumina
 
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeisLucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
zeramento contabil
 
Atps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediáriaAtps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediária
arinemuller
 
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8
Wandick Rocha de Aquino
 
Aula 1 - Contabilidade Societária II.pptx
Aula 1 - Contabilidade Societária II.pptxAula 1 - Contabilidade Societária II.pptx
Aula 1 - Contabilidade Societária II.pptx
SheilaCortes2
 
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ivanviana19
 
Escrituração ContÁbil
Escrituração ContÁbilEscrituração ContÁbil
Escrituração ContÁbil
Jesus Bandeira
 
39056621 encerramento-anual-de-contas
39056621 encerramento-anual-de-contas39056621 encerramento-anual-de-contas
39056621 encerramento-anual-de-contas
Jose Paulo Xisto
 
Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02
Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02
Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02
SONIA BADA
 
3 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_33 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_3
Ana Filipa Silva
 
Contabilidade pública plano de contas e sistemas
Contabilidade pública plano de contas e sistemasContabilidade pública plano de contas e sistemas
Contabilidade pública plano de contas e sistemas
Fábio Rodrigues
 
4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade
Jeferson Souza
 
Afo divida ativa
Afo divida ativaAfo divida ativa
Afo divida ativa
Gilmar da Silva
 
Manual1
Manual1Manual1
Manual1
lumignal
 
Guiamutualidades 2
Guiamutualidades 2Guiamutualidades 2
Guiamutualidades 2
Heseltine David
 
acréscimos e diferimentos
acréscimos e diferimentosacréscimos e diferimentos
acréscimos e diferimentos
Paula Soares
 
Balancetes.pdf
Balancetes.pdfBalancetes.pdf
Balancetes.pdf
RichardSariaZacarias
 
Orçamento de caixa
Orçamento de caixaOrçamento de caixa
Orçamento de caixa
Felipe Leo
 
Demonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdf
Demonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdfDemonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdf
Demonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdf
Renandantas16
 

Semelhante a D f c 0000 (19)

Origens aplicações – demonstrações financeiras
Origens aplicações – demonstrações financeirasOrigens aplicações – demonstrações financeiras
Origens aplicações – demonstrações financeiras
 
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeisLucros ou prejuízos acumulados contabeis
Lucros ou prejuízos acumulados contabeis
 
Atps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediáriaAtps de contabilidade intermediária
Atps de contabilidade intermediária
 
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 7 e 8
 
Aula 1 - Contabilidade Societária II.pptx
Aula 1 - Contabilidade Societária II.pptxAula 1 - Contabilidade Societária II.pptx
Aula 1 - Contabilidade Societária II.pptx
 
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
 
Escrituração ContÁbil
Escrituração ContÁbilEscrituração ContÁbil
Escrituração ContÁbil
 
39056621 encerramento-anual-de-contas
39056621 encerramento-anual-de-contas39056621 encerramento-anual-de-contas
39056621 encerramento-anual-de-contas
 
Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02
Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02
Contabilidadepblicaplanodecontasesistemas 131202185050-phpapp02
 
3 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_33 ua-cf caderno-apoio_3
3 ua-cf caderno-apoio_3
 
Contabilidade pública plano de contas e sistemas
Contabilidade pública plano de contas e sistemasContabilidade pública plano de contas e sistemas
Contabilidade pública plano de contas e sistemas
 
4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade4° modulo de contabilidade
4° modulo de contabilidade
 
Afo divida ativa
Afo divida ativaAfo divida ativa
Afo divida ativa
 
Manual1
Manual1Manual1
Manual1
 
Guiamutualidades 2
Guiamutualidades 2Guiamutualidades 2
Guiamutualidades 2
 
acréscimos e diferimentos
acréscimos e diferimentosacréscimos e diferimentos
acréscimos e diferimentos
 
Balancetes.pdf
Balancetes.pdfBalancetes.pdf
Balancetes.pdf
 
Orçamento de caixa
Orçamento de caixaOrçamento de caixa
Orçamento de caixa
 
Demonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdf
Demonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdfDemonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdf
Demonstraescontbeiscombinadasem31dedezembrode2022.pdf
 

Mais de albumina

Princípios contábeis
Princípios contábeisPrincípios contábeis
Princípios contábeis
albumina
 
Ajustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeisAjustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeis
albumina
 
Conceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeisConceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeis
albumina
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
albumina
 
Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001
albumina
 
Analise de balancos resumo
Analise de balancos resumoAnalise de balancos resumo
Analise de balancos resumo
albumina
 
Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000
albumina
 
Teoria concursos
Teoria concursosTeoria concursos
Teoria concursos
albumina
 
Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000
albumina
 
Teoria
TeoriaTeoria
Teoria
albumina
 
Custos
CustosCustos
Custos
albumina
 
Doar 0000
Doar 0000Doar 0000
Doar 0000
albumina
 
Aula 001 finanças
Aula 001 finançasAula 001 finanças
Aula 001 finanças
albumina
 
Exel
ExelExel
Exel
albumina
 
Contabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentosContabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentos
albumina
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
albumina
 
Estudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passarEstudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passar
albumina
 
Comercio exterior
Comercio exteriorComercio exterior
Comercio exterior
albumina
 
Cco aula15 custos
Cco aula15 custosCco aula15 custos
Cco aula15 custos
albumina
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
albumina
 

Mais de albumina (20)

Princípios contábeis
Princípios contábeisPrincípios contábeis
Princípios contábeis
 
Ajustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeisAjustes demonstrações contábeis
Ajustes demonstrações contábeis
 
Conceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeisConceitos de contas contábeis
Conceitos de contas contábeis
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001Fluxo de caixa 0001
Fluxo de caixa 0001
 
Analise de balancos resumo
Analise de balancos resumoAnalise de balancos resumo
Analise de balancos resumo
 
Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000Fluxo de caixa 0000
Fluxo de caixa 0000
 
Teoria concursos
Teoria concursosTeoria concursos
Teoria concursos
 
Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000Apostila contabilidade tributaria 0000
Apostila contabilidade tributaria 0000
 
Teoria
TeoriaTeoria
Teoria
 
Custos
CustosCustos
Custos
 
Doar 0000
Doar 0000Doar 0000
Doar 0000
 
Aula 001 finanças
Aula 001 finançasAula 001 finanças
Aula 001 finanças
 
Exel
ExelExel
Exel
 
Contabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentosContabilidade lançamentos
Contabilidade lançamentos
 
Contabilidade
ContabilidadeContabilidade
Contabilidade
 
Estudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passarEstudarei contabilidade ate passar
Estudarei contabilidade ate passar
 
Comercio exterior
Comercio exteriorComercio exterior
Comercio exterior
 
Cco aula15 custos
Cco aula15 custosCco aula15 custos
Cco aula15 custos
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 

D f c 0000

  • 1. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E CONTÁBEIS. 1. Apuração dos RESULTADOS de cada EXERCÍCIO SOCIAL. Os resultados de cada período social são apurados, fazendo-se a diferença entre os saldos das CONTAS DE DESPESAS e os das CONTAS DE RECEITAS. Se as DESPESAS forem maiores que as RECEITAS, teremos PREJUÍZO. Contrariamente, se as RECEITAS foram maiores que as DESPESAS, conseguiremos LUCRO. Apurados os RESULTADOS e FECHADO O EXERCÍCIO SOCIAL, as CONTAS DE DESPESAS e de RECEITAS ficam com todos os seus saldos ZERADOS, prontas para iniciar novo exercício social. 2. Provisões para ajustes. Para se FECHAR O EXERCÍCIO SOCIAL são necessários ajustes nos SALDOS DAS CONTAS. Vimos, a DEPRECIAÇÃO e a PROVISÃO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS, como duas das mais importantes. Esses AJUSTES sempre representarão DESPESAS ou RECEITAS DO RESPECTIVO EXERCÍCIO SOCIAL e, portanto, contribuirão para o RESULTADO (PREJUÍZO ou o LUCRO) DO PERÍODO CONTÁBIL ENCERRADO. Um outro tipo de ajuste, antes do fechamento do RESULTADO, consiste em contabilizar valores ainda não completamente efetivados. É o caso, por exemplo, das provisões para os pagamentos de salários ao pessoal ou para o recolhimento de impostos. Assim, imaginando encerrar o exercício em 31/12/2007, faremos naquele dia os lançamentos: Débito = DESPESAS DE PESSOAL Crédito = PROVISÃO PARA SALÁRIOS A PAGAR. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 1
  • 2. Estaremos, assim, já computado no RESULTADO do exercício o valor de salários que, por exemplo, somente será pago no dia 10 do mês ou exercício subsequente, isto é, em janeiro de 2008. Verifique que fizemos um lançamento a débito de uma conta de DESPESAS, que terá seu saldo transferido e ZERADO para ocmpor o resultado de 2007, tal como ocorrerá com as demais contas de DESPESAS e RECEITAS. A contra-partida do lançamento de provisão foi a conta PROVISÃO PARA SALÁRIOS A PAGAR. Vejam, que, neste caso, não se trata de uma conta de RESULTADO (isto é, de RECEITAS ou de DESPESAS), mas, sim, de uma obrigação junto a terceiros (PASSIVO), aque será encerrada por ocasião do pagamento dos salários, isto é, em 10/01/2008. Vamos, agora, analisar como se comporta o caso de provisões para os pagamentos de impostos aos governos, federal, estadual ou municipal. Assim, imaginando encerrar o exercício em 31/12/2007, faremos naquele dia os lançamentos: Débito = DESPESAS DE IMPOSTOS Crédito = PROVISÃO PARA IMPOSTOS A PAGAR. Estaremos, assim, já computado no RESULTADO do exercício o valor dos impostos que, por exemplo, somente serão pagos no dia 20 do mês ou exercício subsequente, isto é, em janeiro de 2008. Verifique que, também nestge caso, fizemos um lançamento a débito de uma conta de DESPESAS, que terá seu saldo transferido e ZERADO para ocmpor o resultado de 2007, tal como ocorrerá com as demais contas de DESPESAS e RECEITAS. A contra-partida do lançamento de provisão foi a conta PROVISÃO PARA IMPOSTOS A PAGAR. Vejam, que, neste caso, não se trata de uma conta de RESULTADO (isto é, de RECEITAS ou de DESPESAS), mas, sim, de uma obrigação junto a terceiros (PASSIVO), aque será encerrada por ocasião do pagamento dos salários, isto é, em 20/01/2008. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 2
  • 3. 3. ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO SOCIAL. Feitos os ajustes indicados no tópico anterior, estamos em condições de levantar o BALANÇO PATRIMONIAL do exercício, com a posição em 31/12/2007. Encerraremos os saldos de todas as contas de RECEITAS e de DESPESAS, inclusive das que foram criadas para os ajustes mencionados no tópico anterior. Assim, por exemplo, os saldos das contas DESPESAS DE PESSOAL e DESPESAS DE IMPOSTOS serão zerados, com os seguintes lançamentos: Lançamento 1 Débito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007. Crédito: DESPESAS DE PESSOAL Lançamento 2 Débito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007. Crédito: DESPESAS DE IMPOSTOS Um saldo de outra DESPESA, GERADA DURANTE O EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007, será zerado fazendo-se o seguinte lançamento: Débito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007. Crédito: DESPESAS GERAIS. Da mesma forma, um saldo de uma conta de RECEITA, GERADA DURANTE O EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007, será zerado fazendo-se o seguinte lançamento: Débito: RECEITAS GERAIS Crédito: RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007. Após o encerramento, isto é, zeramento de todas as contas de RECEITAS e de DESPESAS, o saldo final na conta RESULTADOS DO EXERCÍCIO SOCIAL DE 2007 será transferido para a conta (do PL, isto é do lado do PASSIVO) LUCROS E PREJUIZOS ACUMULADOS. Faltaria, apenas, decidir o que será feito com o LUCRO ou PREJUIZO, para, afinal, levantar-se o BALANÇO PATRIMONIAL FINAL, com a data de 31/12/2007. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 3
  • 4. Processo de apuração dos resultados do exercício (período). Resumidamente, obedecemos às seguintes etapas, para o levantamento do Balanço: - Levantamento do último Balancete de Verificação do período. - Lançamentos para Ajustes das contas - Encerramento e zeramento das contas de Receitas e de Despesas do período. - Elaboração das Demonstrações Financeiras e das Notas Explicativas. 4. Balanço Patrimonial. É demonstração fundamental para a gestão financeira, pois identifica a posição patrimonial e econômico-financeira das empresas. O Balanço por ser estático é complementado por outras demonstrações financeiras, que lhe dão suporte esclarecedor. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 4
  • 5. Ex – Notas Explicativas: com o objetivo de evidenciar situações, informar mais detalhes sobre determinadas contas e eventos. Existem notas obrigatórias e opcionais. 5. Classificação dos Ativos. Circulante (cuja realização está prevista para ocorrer no exercício social seguinte) Realizável a Logo Prazo (após o exercício social seguinte) Permanente: Investimentos. Imobilizado. Diferido. (as contas são apresentadas em ordem decrescente de liquidez) 6. Classificação dos Passivos. Circulante (obrigações cujos vencimentos ocorrerão no exercício social seguinte). Exigível a Longo Prazo. (após o exercício social seguinte) Resultados de Exercícios Futuros. Patrimônio Líquido, subdividido em: Capital Social Reservas Lucros ou Prejuízos acumulados. (em ordem de exigibilidade) 7. Exemplo de Balanço Patrimonial. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 5
  • 6. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 6
  • 7. 8. Importância do Balanço Patrimonial. Se deve à visão por ele fornecidadas APLICAÇÕES DE RECURSOS feitas pela empresa (Ativos) e quantos desses recursos são devidos a terceiros (Passivo). Mostra, então, o nível de endividamento, a liquidez da empresa, a proporção do capital próprio (Patrimônio Líquido) e outras análises. A visão de dois balanços de períodos consecutivos mostra facilmente a movimentação ocorrida no período e como a estrutura patrimonial e financeira se alterou, no período. É peça fundamental para a revisão e análise dos negócios. Alguns tipos jurídicos de sociedade tem o Balanço padronizado de acordo com normas especiais e entre eles desacam-se as companhias seguradoras e as instituições financeiras. 9. Oportunidade de levantamento do Balanço. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 7
  • 8. As empresas são obrigadas a levantar o Balanço peloo menos uma vez em cada período de 12 meses, podendo esse período coincidir ou não com o ano civil. O Balanço também é levantado em momentos especiais: - liquidações - transformações - incorporações - fusões - cisões 10. Demonstração do Resultado do Exercício. Mostra as operações da empresa num determinado exercício ou período. Iniciam-se com as RECEITAS, que são diminuidas pelas DESPESAS, sejam estas operacionais ou não-operacionais. No final, é obtido o RESULTADO LÍQUIDO, que pode ser lucro ou prejuízo. O RESULTADO LÍQUIDO representa, pois, a diferença entre as receitas auferidas no exercício social e os custos, impostos e despesas incorridos para a sua obtenção. Encerramento de exercício social – Demonstrações Financeiras 22/10/2007 8