SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
FACULDADE DO BAIXO PARNAÍBA-FAP
CURSO: PEDAGOGIA
Ms. ROSINALVA CARDOSO
COMPONENTES:
Magno
Lucilene
Socorro
Tamires
Daniela
Luzieva
Chapadinha
2014
I Seminário de Literatura Infanto Juvenil
A literatura na escola
A segunda parte do livro propõe-
se a discutir a relação entre
leitura, literatura e escola e
aventar uma possível didática
para o ensino de literatura a
alunos da educação básica. Essa
decisão de propor uma didática
para a literatura infantil insere-se
na direção apontada pela
pedagogia histórico-crítica,
formulada pelo professor Saviani,
em Pedagogia histórico-crítica."
Tratando-se de leitura, é possível observar
que há uma preocupação consciente em se
desenvolver e aprimorar essa atividade no
cotidiano das escolas.
Os PCN’s, enfatizam de forma
bem explícita essa preocupação,
como pode ser visto no seguinte
fragmento:
Socorrinha
A leitura é um processo no qual o
leitor realiza um trabalho ativo de
construção do significado do texto, etc.
(...)
Um leitor competente é alguém que,
por iniciativa própria, é capaz de
selecionar, dentre os trechos que
circulam socialmente, aqueles que
podem atender a uma necessidade
sua. (...)
Formar um leitor competente supõe
formar alguém que compreenda o que
lê; Socorrinha
No entanto, este processo
descrito nos PCN’s não está se
concretizando nas aulas de
português.
A partir de uma comparação
realizada entre os resultados das
provas aplicadas pelo Saeb nos
anos de 1995 até 2003, indica que
“todas as regiões, estão abaixo
da média mínima satisfatória, que
é 200 pontos.
Tamires
Afinal, a partir desses dados
existentes, observou-se que a
escola e a leitura caminham
para direções contrárias, uma
vez que a grande maioria dos
estudantes brasileiros não é
capaz de compreender um
texto na sua completude.
Tamires
Ler é saber.
Quando lemos, estabelecemos um diálogo com a
obra, compreendendo intenções do autor.
Somos levados a fazer perguntas e procurar
respostas.
Ler é exercitar o discernimento.
Quando lemos, colocamo-nos de modo favorável ou
não aos pontos de vista.
Ler é ampliar a percepção.
Ler é ser motivado à observação de aspectos da
vida que antes nos passavam despercebida.
(FOELKER, 2007)
Dessa forma, é
importante
considerar o
que afirma a
escritora Rita
Foelker:
Luzieva
É importante que o trabalho com o texto literário
esteja incorporado às práticas cotidianas da sala de
aula.
A questão do ensino da literatura ou da leitura
literária envolve, portanto, esse exercício de
reconhecimento das singularidades e das
propriedades compositivas que matizam um tipo
particular de escrita.
Com isso, é possível afastar uma série de equívocos
que costumam estar presentes na escola em relação
aos textos literários, ou seja, tratá-los como
expedientes para servir ao ensino das boas
maneiras, dos hábitos de higiene, dos deveres do
cidadão, dos tópicos gramaticais, das receitas
desgastadas do “prazer do texto”, etc.
(PCN’s, Língua Portuguesa, ensino fundamental, p.
29-30)
Os PCN’s
ressaltam as
especificações
com o trabalho
a respeito do
texto literário:
Tamires
Em síntese, o documento oficial
defende que trabalhar o texto
literário em sala de aula é
pertinente desde que este seja
explorado nas suas mais diversas
significações.
Leitura e
Literatura na
escola
Tamires
A literatura pode ser tudo (ou pelo
menos muito) ou pode ser nada,
dependendo da forma como for
colocada e trabalhada em sala de
aula.
(SILVA, 1990,p.43)
Da mesma
forma defende
Ezequiel
Theodoro da
Silva, quando
cita que
Daniela
Como já foi exposto, é fato que a
maioria dos estudantes brasileiros
não são capazes de compreender um
texto na sua completude.
(ARAÚJO & LUZIO, 2005, p. 38).
Literatura
infanto-juvenil
na escola:
Lucilene
Os autores de livros didáticos também
menosprezama inteligência dosalunos.
Literatura infanto-
juvenil na escola:
O que se quer deixar claro é que a literatura é sempre e inevitavelmente
escolarizada, quando dela se apropria a escola;
(SOARES, 2006, p. 25)
.
Como afirmou Magda Soares:
Nesse casoé importante considerarque a leitura literária é essencialna
vida de todos os estudantes e principalmente de todasas crianças, uma
vez quea literatura permite leituras de mundo mais abrangentes que
outros textos.
Por issoa importância do trabalhoadequadocoma literatura infanto-
juvenil na escola.
E nãopor simplespretextosmoralizantesou de metalinguagem.
Somente dessa maneira, os índicesde proficiência em leitura dos
estudantes brasileirosserãomelhores e a (re) construçãoda relaçãodas
atividades de leitura – Literatura (infantil e juvenil) – escola aconteça de
uma forma prática e satisfatória.
Literatura infanto-
juvenil na escola:
Magno
Sinopse
"O livro compõe-se de duas partes. Na primeira,
constam as proposições teórico-históricas. São
discutidos o conceito e a natureza da literatura
chamada infantil, em suas múltiplas dimensões -
estética, histórica e pedagógica - gêneros e
categorias literárias. Ainda nessa primeira PARTE,
faz-se um necessário resgate das literaturas que,
desde a Antiguidade, demonstram ter havido, ao
longo da história, uma preocupação com a infância,
muito embora algumas teorias contemporâneas
afirmem o contrário.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
mariaelidias
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
henriqueocarvalho
 
Práticas de Leitura e Práticas de Produção de texto
Práticas de Leitura e Práticas de Produção de textoPráticas de Leitura e Práticas de Produção de texto
Práticas de Leitura e Práticas de Produção de texto
Fernanda Tulio
 
Ler E Escrever Na Escola
Ler E Escrever Na EscolaLer E Escrever Na Escola
Ler E Escrever Na Escola
Maristela Couto
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
Ananda Lima
 

Mais procurados (20)

A importância da leitura
A importância da leituraA importância da leitura
A importância da leitura
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
 
LEITURA
LEITURALEITURA
LEITURA
 
Formação de leitores nas séries iniciais
Formação de leitores nas séries iniciaisFormação de leitores nas séries iniciais
Formação de leitores nas séries iniciais
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Estratégias de leitura
Estratégias de leituraEstratégias de leitura
Estratégias de leitura
 
Letramento
LetramentoLetramento
Letramento
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
INCENTIVO A LEITURA
INCENTIVO A LEITURAINCENTIVO A LEITURA
INCENTIVO A LEITURA
 
1ª formação - Leitura e Escrita
1ª formação - Leitura e Escrita1ª formação - Leitura e Escrita
1ª formação - Leitura e Escrita
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
 
Práticas de Leitura e Práticas de Produção de texto
Práticas de Leitura e Práticas de Produção de textoPráticas de Leitura e Práticas de Produção de texto
Práticas de Leitura e Práticas de Produção de texto
 
Ler E Escrever Na Escola
Ler E Escrever Na EscolaLer E Escrever Na Escola
Ler E Escrever Na Escola
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
 
A Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na EscolaA Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na Escola
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Produção e revisão de textos
Produção e revisão de textosProdução e revisão de textos
Produção e revisão de textos
 
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramentoFundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
 
Aprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escritaAprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escrita
 

Destaque

9º dia de aula
9º dia de aula9º dia de aula
9º dia de aula
deh_rn
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantil
roessencia
 
Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...
Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...
Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...
Paulinha2011
 
Leitura
LeituraLeitura
Leitura
drimb
 
Apresentação projeto
Apresentação projetoApresentação projeto
Apresentação projeto
grupolys
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantil
Keilita Igor Fabrine
 
Apresentação do slide do projeto literatura infantil
Apresentação do slide do projeto literatura infantilApresentação do slide do projeto literatura infantil
Apresentação do slide do projeto literatura infantil
Rosimeire Rodrigues
 
Seminário do estágio
Seminário do estágioSeminário do estágio
Seminário do estágio
familiaestagio
 
7º dia de aula
7º dia de aula7º dia de aula
7º dia de aula
deh_rn
 
Pasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantilPasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantil
Luccia Roccha
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação Infantil
Luúh Reis
 

Destaque (19)

9º dia de aula
9º dia de aula9º dia de aula
9º dia de aula
 
Relatório de Literatura Infantil
Relatório de Literatura InfantilRelatório de Literatura Infantil
Relatório de Literatura Infantil
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantil
 
Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...
Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...
Entendendo a relação pedagógica entre Educação Física escoalr e Literatura na...
 
Leitura
LeituraLeitura
Leitura
 
Viagem encantada através da leitura
Viagem encantada através da leituraViagem encantada através da leitura
Viagem encantada através da leitura
 
1ª apostila vogal o de simone helen drumond
1ª apostila vogal o de simone helen drumond1ª apostila vogal o de simone helen drumond
1ª apostila vogal o de simone helen drumond
 
Apresentação projeto
Apresentação projetoApresentação projeto
Apresentação projeto
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantil
 
Apresentação do slide do projeto literatura infantil
Apresentação do slide do projeto literatura infantilApresentação do slide do projeto literatura infantil
Apresentação do slide do projeto literatura infantil
 
Seminário do estágio
Seminário do estágioSeminário do estágio
Seminário do estágio
 
7º dia de aula
7º dia de aula7º dia de aula
7º dia de aula
 
Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1
 
Pasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantilPasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantil
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação Infantil
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Artigo relatório de estágio na educação infantil.
Artigo relatório de estágio na educação infantil.Artigo relatório de estágio na educação infantil.
Artigo relatório de estágio na educação infantil.
 

Semelhante a Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA

A leitura literária e a formação do
A leitura literária e a formação doA leitura literária e a formação do
A leitura literária e a formação do
Elis Silva
 
Cirene Sousa E Silva
Cirene Sousa E SilvaCirene Sousa E Silva
Cirene Sousa E Silva
waleri
 
SUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdf
SUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdfSUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdf
SUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdf
RitaMuniz9
 
Pratica 7 artigo ufam
Pratica 7 artigo   ufamPratica 7 artigo   ufam
Pratica 7 artigo ufam
natienyamorim
 
Texto Marlene Carvalho
Texto Marlene CarvalhoTexto Marlene Carvalho
Texto Marlene Carvalho
Luciana
 
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escritaAlfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Jomari
 
Explorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.iExplorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.i
Ana Rufino
 

Semelhante a Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA (20)

A leitura literária e a formação do
A leitura literária e a formação doA leitura literária e a formação do
A leitura literária e a formação do
 
Cirene Sousa E Silva
Cirene Sousa E SilvaCirene Sousa E Silva
Cirene Sousa E Silva
 
A interpretação de texto como ferramenta de leitura do mundo
A interpretação de texto como ferramenta de leitura do mundoA interpretação de texto como ferramenta de leitura do mundo
A interpretação de texto como ferramenta de leitura do mundo
 
Poesias
PoesiasPoesias
Poesias
 
Projeto jucelsa final
Projeto jucelsa finalProjeto jucelsa final
Projeto jucelsa final
 
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadoresIi reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
 
923 3289-1-pb
923 3289-1-pb923 3289-1-pb
923 3289-1-pb
 
La vem leitura
La vem leituraLa vem leitura
La vem leitura
 
Leitura
LeituraLeitura
Leitura
 
SUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdf
SUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdfSUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdf
SUBSÍDIOS ATPC - A4 - Letramento e capacidade de leitura pra cidadania 2004.pdf
 
Pratica 7 artigo ufam
Pratica 7 artigo   ufamPratica 7 artigo   ufam
Pratica 7 artigo ufam
 
Rojo
RojoRojo
Rojo
 
Volume xx 2007
Volume xx 2007Volume xx 2007
Volume xx 2007
 
Flavia vanuza monica
Flavia vanuza monicaFlavia vanuza monica
Flavia vanuza monica
 
Texto Marlene Carvalho
Texto Marlene CarvalhoTexto Marlene Carvalho
Texto Marlene Carvalho
 
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escritaAlfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
 
Explorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.iExplorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.i
 
Ler e escrever em História
Ler e escrever em HistóriaLer e escrever em História
Ler e escrever em História
 
Letramento_e_capacidades_de_leitura_para.pdf
Letramento_e_capacidades_de_leitura_para.pdfLetramento_e_capacidades_de_leitura_para.pdf
Letramento_e_capacidades_de_leitura_para.pdf
 
Encontro do dia 8 e 10 de novembro. PNAIC-2016 Município de Biguaçu
Encontro do dia 8 e  10 de novembro. PNAIC-2016 Município de BiguaçuEncontro do dia 8 e  10 de novembro. PNAIC-2016 Município de Biguaçu
Encontro do dia 8 e 10 de novembro. PNAIC-2016 Município de Biguaçu
 

Mais de Magno Oliveira

Livro o pequeno principe com aquarelas do autor
Livro o pequeno principe com aquarelas do autorLivro o pequeno principe com aquarelas do autor
Livro o pequeno principe com aquarelas do autor
Magno Oliveira
 
Fasciculo -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisica
Fasciculo  -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisicaFasciculo  -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisica
Fasciculo -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisica
Magno Oliveira
 

Mais de Magno Oliveira (20)

Livro o pequeno principe com aquarelas do autor
Livro o pequeno principe com aquarelas do autorLivro o pequeno principe com aquarelas do autor
Livro o pequeno principe com aquarelas do autor
 
PROTOCOLO ADICIONAL À CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS EM MATÉRIA D...
PROTOCOLO ADICIONAL À CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS EM MATÉRIA D...PROTOCOLO ADICIONAL À CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS EM MATÉRIA D...
PROTOCOLO ADICIONAL À CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS EM MATÉRIA D...
 
Plano Nacional de Educação 2001
Plano Nacional de Educação 2001Plano Nacional de Educação 2001
Plano Nacional de Educação 2001
 
Pacto internacional sobre_direitos_economicos_sociais_culturais
Pacto internacional sobre_direitos_economicos_sociais_culturaisPacto internacional sobre_direitos_economicos_sociais_culturais
Pacto internacional sobre_direitos_economicos_sociais_culturais
 
Ldb 9394 1996
Ldb 9394 1996Ldb 9394 1996
Ldb 9394 1996
 
Ldb nº 5692 1971
Ldb nº 5692 1971Ldb nº 5692 1971
Ldb nº 5692 1971
 
Ldb 4024 1961
Ldb 4024 1961Ldb 4024 1961
Ldb 4024 1961
 
Estatuto crianca adolescente_14ª edição
Estatuto crianca adolescente_14ª ediçãoEstatuto crianca adolescente_14ª edição
Estatuto crianca adolescente_14ª edição
 
Direito a educação significados
Direito a educação significadosDireito a educação significados
Direito a educação significados
 
Declaração universal dos direitos humanos de 1948
Declaração universal dos direitos humanos de 1948Declaração universal dos direitos humanos de 1948
Declaração universal dos direitos humanos de 1948
 
Convencao direitos crianca 2004
Convencao direitos crianca 2004Convencao direitos crianca 2004
Convencao direitos crianca 2004
 
Constituição 1988
Constituição 1988Constituição 1988
Constituição 1988
 
Livro fundamentos e métodos do ensino médio
Livro fundamentos e métodos do ensino médioLivro fundamentos e métodos do ensino médio
Livro fundamentos e métodos do ensino médio
 
Livro fundamentos e metodologia do ensino da Matematica
Livro fundamentos e metodologia do ensino da MatematicaLivro fundamentos e metodologia do ensino da Matematica
Livro fundamentos e metodologia do ensino da Matematica
 
Geografia do Brasil e Maranhão apostila
Geografia do Brasil e Maranhão  apostilaGeografia do Brasil e Maranhão  apostila
Geografia do Brasil e Maranhão apostila
 
Cirandas pela Educação 2017 (Educação como direito humano)
Cirandas pela Educação 2017 (Educação como direito humano)Cirandas pela Educação 2017 (Educação como direito humano)
Cirandas pela Educação 2017 (Educação como direito humano)
 
Fasciculo eja
Fasciculo ejaFasciculo eja
Fasciculo eja
 
Como fazer uma_resenha_critica
Como fazer uma_resenha_criticaComo fazer uma_resenha_critica
Como fazer uma_resenha_critica
 
Curriculo
Curriculo Curriculo
Curriculo
 
Fasciculo -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisica
Fasciculo  -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisicaFasciculo  -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisica
Fasciculo -fundamentos_e_metodos_da_educacao_fisica
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 

Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA

  • 1. FACULDADE DO BAIXO PARNAÍBA-FAP CURSO: PEDAGOGIA Ms. ROSINALVA CARDOSO COMPONENTES: Magno Lucilene Socorro Tamires Daniela Luzieva Chapadinha 2014 I Seminário de Literatura Infanto Juvenil A literatura na escola
  • 2. A segunda parte do livro propõe- se a discutir a relação entre leitura, literatura e escola e aventar uma possível didática para o ensino de literatura a alunos da educação básica. Essa decisão de propor uma didática para a literatura infantil insere-se na direção apontada pela pedagogia histórico-crítica, formulada pelo professor Saviani, em Pedagogia histórico-crítica."
  • 3. Tratando-se de leitura, é possível observar que há uma preocupação consciente em se desenvolver e aprimorar essa atividade no cotidiano das escolas. Os PCN’s, enfatizam de forma bem explícita essa preocupação, como pode ser visto no seguinte fragmento: Socorrinha
  • 4. A leitura é um processo no qual o leitor realiza um trabalho ativo de construção do significado do texto, etc. (...) Um leitor competente é alguém que, por iniciativa própria, é capaz de selecionar, dentre os trechos que circulam socialmente, aqueles que podem atender a uma necessidade sua. (...) Formar um leitor competente supõe formar alguém que compreenda o que lê; Socorrinha
  • 5. No entanto, este processo descrito nos PCN’s não está se concretizando nas aulas de português. A partir de uma comparação realizada entre os resultados das provas aplicadas pelo Saeb nos anos de 1995 até 2003, indica que “todas as regiões, estão abaixo da média mínima satisfatória, que é 200 pontos. Tamires
  • 6. Afinal, a partir desses dados existentes, observou-se que a escola e a leitura caminham para direções contrárias, uma vez que a grande maioria dos estudantes brasileiros não é capaz de compreender um texto na sua completude. Tamires
  • 7. Ler é saber. Quando lemos, estabelecemos um diálogo com a obra, compreendendo intenções do autor. Somos levados a fazer perguntas e procurar respostas. Ler é exercitar o discernimento. Quando lemos, colocamo-nos de modo favorável ou não aos pontos de vista. Ler é ampliar a percepção. Ler é ser motivado à observação de aspectos da vida que antes nos passavam despercebida. (FOELKER, 2007) Dessa forma, é importante considerar o que afirma a escritora Rita Foelker: Luzieva
  • 8. É importante que o trabalho com o texto literário esteja incorporado às práticas cotidianas da sala de aula. A questão do ensino da literatura ou da leitura literária envolve, portanto, esse exercício de reconhecimento das singularidades e das propriedades compositivas que matizam um tipo particular de escrita. Com isso, é possível afastar uma série de equívocos que costumam estar presentes na escola em relação aos textos literários, ou seja, tratá-los como expedientes para servir ao ensino das boas maneiras, dos hábitos de higiene, dos deveres do cidadão, dos tópicos gramaticais, das receitas desgastadas do “prazer do texto”, etc. (PCN’s, Língua Portuguesa, ensino fundamental, p. 29-30) Os PCN’s ressaltam as especificações com o trabalho a respeito do texto literário: Tamires
  • 9. Em síntese, o documento oficial defende que trabalhar o texto literário em sala de aula é pertinente desde que este seja explorado nas suas mais diversas significações. Leitura e Literatura na escola Tamires
  • 10. A literatura pode ser tudo (ou pelo menos muito) ou pode ser nada, dependendo da forma como for colocada e trabalhada em sala de aula. (SILVA, 1990,p.43) Da mesma forma defende Ezequiel Theodoro da Silva, quando cita que Daniela
  • 11. Como já foi exposto, é fato que a maioria dos estudantes brasileiros não são capazes de compreender um texto na sua completude. (ARAÚJO & LUZIO, 2005, p. 38). Literatura infanto-juvenil na escola: Lucilene
  • 12. Os autores de livros didáticos também menosprezama inteligência dosalunos. Literatura infanto- juvenil na escola: O que se quer deixar claro é que a literatura é sempre e inevitavelmente escolarizada, quando dela se apropria a escola; (SOARES, 2006, p. 25) . Como afirmou Magda Soares:
  • 13. Nesse casoé importante considerarque a leitura literária é essencialna vida de todos os estudantes e principalmente de todasas crianças, uma vez quea literatura permite leituras de mundo mais abrangentes que outros textos. Por issoa importância do trabalhoadequadocoma literatura infanto- juvenil na escola. E nãopor simplespretextosmoralizantesou de metalinguagem. Somente dessa maneira, os índicesde proficiência em leitura dos estudantes brasileirosserãomelhores e a (re) construçãoda relaçãodas atividades de leitura – Literatura (infantil e juvenil) – escola aconteça de uma forma prática e satisfatória. Literatura infanto- juvenil na escola: Magno
  • 14. Sinopse "O livro compõe-se de duas partes. Na primeira, constam as proposições teórico-históricas. São discutidos o conceito e a natureza da literatura chamada infantil, em suas múltiplas dimensões - estética, histórica e pedagógica - gêneros e categorias literárias. Ainda nessa primeira PARTE, faz-se um necessário resgate das literaturas que, desde a Antiguidade, demonstram ter havido, ao longo da história, uma preocupação com a infância, muito embora algumas teorias contemporâneas afirmem o contrário.