SlideShare uma empresa Scribd logo
Alfabetização e Letramento

  Semelhante ou diferentes?
  Qual a especificidade e conceito na

 teoria e na prática pedagógica?
  Qual o termo correto a ser utilizado?

  Como surgiu o termo Letramento?

  É possível alfabetizar e letrar?
O que esta imagem representa?
Construtivismo:
   Construído pelo próprio aluno;
   Realiza-se concomitante ao desenvolvimento
    cognitivo da criança;
   Realiza-se a partir das experiências das crianças;
   Estimula conflitos cognitivos;
   Análise e síntese       são realizadas pelo aluno
    (hipóteses de leitura e escrita)
   É flexível;
   Exige interação e ação;
   Inicia-se antes da sistematização da escola.
   Piagetiano e apoia-se nas pesquisas de Emilia
    Ferreiro e Ana Teberosky
Níveis de aprendizagem
        Segundo Ferreiro e Teberosky
Pré-silábico:
Escrever e desenhar tem o mesmo significado;
Não relaciona a escrita com a fala;

Não diferencia letras de números;

Realismo nominal (tamanho das coisas associado a

escrita);
Usa letras do nome;

Lê palavra como um todo;

Não acredita que seja possível escrever e ler com

menos de três letras.
Conflitos:
Que sinais eu uso para escrever palavras?
Conhecer o significado dos sinais escritos.



Avanços:
Diferenciar  o desenho da escrita;
Perceber as letras e seus sons;

Identificar e escrever o próprio nome;

Identificar o nome dos colegas;

Perceber que usamos letra sem diferentes posições.
Atividades favoráveis:
   Desenhar e escrever o que desenhou;
   Usar, reconhecer e ler o nome em situações
    significativas: chamada, objetos...
   Ter contato com diversos tipos de texto;
   Conversar sobre a função da escrita;
   Letras móveis; nome, nome dos amigos...
   Bingo de letras;
   Produção oral de histórias;
   Escrita espontânea;
   Reconhecer a letra inicial e final, entre outros....
Silábico:
   Para cada fonema, usa uma letra;
   Pode ou não atribuir valor sonoro à letra;
   Pode usar muitas letras para escrever e ao fazer a
    leitura, apontar apenas uma letra para cada fonema;
   Ao escrever frases, pode escrever uma letra para
    cada palavra

Conflitos:
   A escrita está vinculada à pronuncia das partes da
    palavra?
   Como ajustar a escrita á fala?
   Qual a quantidade mínima de letras necessárias
    para se escrever?
Avanços:
• Atribuir valor sonoro às letras;
• Aceitar que não é preciso muitas letras para se
  escrever, apenas o necessário para representar a
  fala.

Atividades favoráveis:
• Anteriores;
• Comparar a escrita de palavras diversas;
• Escrever pequenos textos memorizados;
• Completar palavras com letras para evidenciar o som;
• Relacionar figura a palavras reconhecendo a letra
  inicial;
• Caça-palavras, cruzadinhas, dicionário ilustrado,etc.
Silábico-alfabético:
  Compreende que a escrita representa os sons da fala;
 Percebe a necessidade de mais de uma letra para a

   maioria das sílabas;
 Reconhece o som das letras;

 Pode dar ênfase a escrita do som só das vogais ou só

   das consoantes:
 Bola = AO ou BL
 Atribuir o valor do fonema em algumas letras:

 cabelo = kblo.
Conflitos:
   Como fazer a escrita dela ser lida por outras pessoas?
   Como separar as palavras na escrita se isto não
    acontece na fala?
   Como adequar a escrita á quantidade mínima de
    caracteres?



Avanços:
   Usar mais de uma letra para representar o fonema
    quando necessário;
   Atribuir o valor sonoro das letras
Atividades favoráveis:

 As anteriores;
 Separar as palavras de um texto memorizado;

 Generalizar os conhecimentos para escrever palavras

  que não conhece:
Associar o NA do nome NAYSA para escrever navio,
  nariz, nave, natal...
 Ditado de palavras conhecidas;

 Produzir pequenos textos;

 Reescrever histórias, ...
Alfabético:
   Compreende a função social da escrita: comunicação;
   Conhece o valor sonoro de todas ou quase todas as
    letras;
   Apresenta estabilidade na escrita de palavras;
   Compreende que cada letra corresponde aos menores
    valores sonoros da silaba;
   Procura adequar a escrita á fala;
   Faz leitura com ou sem imagem;
   Inicia a preocupação com as questões ortográficas;
   Separa as palavras quando escreve frases;
Conflitos:
   Por que escrevemos de uma forma e falamos de outra?
   Como distinguir letras, silabas e frases?
   Como apresentar s convenções das língua escrita?

Avanços:
 Preocupação com as questões ortográficas e textuais
(parágrafo e pontuação)
 Usar letra cursiva.


Atividades favoráveis:
   Anteriores, leituras diversas, listas de palavras com
    mesmas regularidades ortográficas, A partir de uma
    texto localizar palavras, frases, ordenar o texto...
Há diferentes tipos de letramentos associados a diferentes domínios sociais,
                   como: tecnológico, literário, religioso...
A PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL
               NA ALFABETIZAÇÃO
    Com o objetivo de investigar o desenvolvimento da
linguagem na criança, Gontijo (2008) discute a ideia de
alfabetizar letrando, pois acredita que    essa dicotomia vem
colaborando para o retorno de concepções que já
demonstraram     sua   ineficiência   na    prática   educativa.
  A autora defende que é necessário construir um conceito
de alfabetização que abarque as dimensões integrantes desse
processo, tomando por base a abordagem histórico-cultural.
A linguagem escrita deve ter significado para as
crianças e, portanto, ser incorporada a uma tarefa
necessária e relevante para a vida (VIGOTSKI, 2000).

  A partir das orientações da perspectiva histórico-cultural
 Gontijo (2008), defende que a alfabetização “[...] é o
 processo de inserção no mundo da linguagem escrita”
 (GONTIJO, 2002, p. 2) que se inicia na vida das crianças
 muito antes delas entrarem para a escola. Como é uma
 forma especial de linguagem, o seu aprendizado constitui o
 processo mais amplo de desenvolvimento da linguagem na
 criança e integra vários aspectos.
Nesse sentido, problematiza a tentativa de Soares (2003) em
conceber a alfabetização como processo específico, tomando
como referência o sentido etimológico da palavra (“levar à
aquisição do alfabeto”, “do código escrito”) que pouco
contribui para um conceito de alfabetização que leva em conta
a sua natureza complexa, especialmente em contextos
pedagógicos, pois segundo Gontijo: “[...] isso redundaria em
uma visão que desconsidera que as palavras, os textos que
lemos ou escrevemos expressam sentidos que queremos
comunicar, registrar...” (p. 4).
Nesse sentido, defende que a questão central sobre
o conceito de alfabetização não está relacionada à
necessidade de recuperar/defender a especificidade
desse processo, mas na necessidade de construção
de um conceito aberto, capaz de integrar diferentes
dimensões que abarcam a aprendizagem da língua,
numa perspectiva histórica, cultural e dialógica.
“[...] a alfabetização é uma prática
sociocultural em que as crianças, por
meio do trabalho integrado com a
produção de textos orais e escritos, a
leitura, os conhecimentos sobre o
sistema da língua portuguesa e com as
relações entre sons e letras e letras e
sons, formam a criticidade, a criatividade
e a inventividade” (GONTIJO, 2012).
Com esse conceito, a autora evidencia que é possível
romper com a complicada distinção alfabetização
(processo específico) e letramento (amplo), que pode
ocasionar o revigoramento de dualidades que se
baseiam no privilégio da natureza linguística da
alfabetização, cabendo ao letramento os aspectos
funcionais de uso da língua, uma vez que essas
dimensões não são suficientes para subsidiar as
práticas educativas em torno da língua escrita.
Assim...
  Contra uma educação centrada na cultura presente
 no cotidiano imediato dos alunos que se constitui,
 na maioria dos casos, em resultado da alienante
 cultura de massas, devemos lutar por uma educação
 que amplie os horizontes culturais desses alunos;
 contra uma educação voltada para a satisfação das
 necessidades imediatas e pragmáticas impostas pelo
 cotidiano alienado dos alunos, devemos lutar por
 uma educação que produza nesses alunos
 necessidades de nível superior, necessidades que
 apontem para um efetivo desenvolvimento da
 individualidade como um todo (DUARTE, 2004, p.
 20, apud BRITTO, 2011, p. 65).
ATIVIDADE EM GRUPO
ANÁLISE DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE
         ALFABETIZAÇÃO

 Cada grupo receberá um material que
deverá ser analisado seguindo o roteiro
do anexo 1. Apresentar ao grupo.
Tempo para realização: 30 minutos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
LianeMagnolia
 
Alfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professores
Alfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professoresAlfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professores
Alfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professores
Micheli Rader
 
Letramento
LetramentoLetramento
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Magda Marques
 
Níveis de escrita (1)pnaic
Níveis de escrita (1)pnaicNíveis de escrita (1)pnaic
Níveis de escrita (1)pnaic
Edeil Reis do Espírito Santo
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
Magda Marques
 
2ª formação leitura e escrita
2ª formação   leitura e escrita2ª formação   leitura e escrita
2ª formação leitura e escrita
PNAIC UFSCar
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
Ananda Lima
 
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOCONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
Julhinha Camara
 
Metodos
MetodosMetodos
Métodos de alfabetização
Métodos de alfabetizaçãoMétodos de alfabetização
Métodos de alfabetização
Dayane Hofmann
 
Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
SMEdeItabaianinha
 
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
Claudio Pessoa
 
A consciência fonológica e a construção do princípio alfabético (2)
A  consciência  fonológica  e  a  construção  do  princípio  alfabético (2)A  consciência  fonológica  e  a  construção  do  princípio  alfabético (2)
A consciência fonológica e a construção do princípio alfabético (2)
Vandilma Salvador Cabral
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
Sandra Lourenco
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
augustafranca7
 
Produção e revisão de textos
Produção e revisão de textosProdução e revisão de textos
Produção e revisão de textos
Marilene Rangel Rangel
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
Joao Balbi
 
Emilia ferreiro
Emilia ferreiroEmilia ferreiro
Ler e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lerner
Ler e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lernerLer e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lerner
Ler e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lerner
Monica Oliveira
 

Mais procurados (20)

Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Alfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professores
Alfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professoresAlfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professores
Alfabetização e Letramento _apresentação 1 - formação de professores
 
Letramento
LetramentoLetramento
Letramento
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Níveis de escrita (1)pnaic
Níveis de escrita (1)pnaicNíveis de escrita (1)pnaic
Níveis de escrita (1)pnaic
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
2ª formação leitura e escrita
2ª formação   leitura e escrita2ª formação   leitura e escrita
2ª formação leitura e escrita
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
 
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOCONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
 
Metodos
MetodosMetodos
Metodos
 
Métodos de alfabetização
Métodos de alfabetizaçãoMétodos de alfabetização
Métodos de alfabetização
 
Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
 
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
 
A consciência fonológica e a construção do princípio alfabético (2)
A  consciência  fonológica  e  a  construção  do  princípio  alfabético (2)A  consciência  fonológica  e  a  construção  do  princípio  alfabético (2)
A consciência fonológica e a construção do princípio alfabético (2)
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
 
Produção e revisão de textos
Produção e revisão de textosProdução e revisão de textos
Produção e revisão de textos
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Emilia ferreiro
Emilia ferreiroEmilia ferreiro
Emilia ferreiro
 
Ler e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lerner
Ler e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lernerLer e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lerner
Ler e escrever na escola o real o possivel e o necessario delia lerner
 

Destaque

Unidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetização
Unidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetizaçãoUnidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetização
Unidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetização
Naysa Taboada
 
Unidade 3 1º encontro direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...
Unidade 3  1º encontro   direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...Unidade 3  1º encontro   direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...
Unidade 3 1º encontro direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...
Naysa Taboada
 
Unidade 2 planejamento
Unidade 2 planejamentoUnidade 2 planejamento
Unidade 2 planejamento
Naysa Taboada
 
Slide
SlideSlide
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
Naysa Taboada
 
Apresentação tec (3)
Apresentação tec (3)Apresentação tec (3)
Apresentação tec (3)
Naysa Taboada
 
3ºencontro Matemática
3ºencontro Matemática3ºencontro Matemática
3ºencontro Matemática
Naysa Taboada
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Naysa Taboada
 
Pnaic_ 1º encontro
Pnaic_ 1º encontroPnaic_ 1º encontro
Pnaic_ 1º encontro
Naysa Taboada
 
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula  finalUnidade 5 a diversidade textual em sala de aula  final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Naysa Taboada
 
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
Naysa Taboada
 
Unidade 3 2º encontro os conhecimentos sobre o sea (versão final)
Unidade 3 2º encontro   os conhecimentos sobre o sea (versão final)Unidade 3 2º encontro   os conhecimentos sobre o sea (versão final)
Unidade 3 2º encontro os conhecimentos sobre o sea (versão final)
Naysa Taboada
 
Unidade 7 arte (4)
Unidade 7   arte (4)Unidade 7   arte (4)
Unidade 7 arte (4)
Naysa Taboada
 
6º encontro
6º encontro6º encontro
6º encontro
Naysa Taboada
 
Slides pnaic inclusão
Slides pnaic  inclusãoSlides pnaic  inclusão
Slides pnaic inclusão
Naysa Taboada
 
Unidade 1 avaliação
Unidade 1 avaliaçãoUnidade 1 avaliação
Unidade 1 avaliação
Naysa Taboada
 
Slide linguagem Avaliação
Slide linguagem AvaliaçãoSlide linguagem Avaliação
Slide linguagem Avaliação
Naysa Taboada
 
Reflexões sobre a organização do trabalho - Ed. Campo
Reflexões sobre a organização do trabalho - Ed. CampoReflexões sobre a organização do trabalho - Ed. Campo
Reflexões sobre a organização do trabalho - Ed. Campo
Naysa Taboada
 
Sequência didática quer brincar de pique esconde
Sequência didática   quer brincar de pique escondeSequência didática   quer brincar de pique esconde
Sequência didática quer brincar de pique esconde
Naysa Taboada
 
Unidade 2 as rotinas da escola e da historia
Unidade 2 as rotinas da escola e da historiaUnidade 2 as rotinas da escola e da historia
Unidade 2 as rotinas da escola e da historia
Naysa Taboada
 

Destaque (20)

Unidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetização
Unidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetizaçãoUnidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetização
Unidade 5 os diferentes textos em sala de alfabetização
 
Unidade 3 1º encontro direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...
Unidade 3  1º encontro   direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...Unidade 3  1º encontro   direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...
Unidade 3 1º encontro direitos de língua portuguesa e concepções de escrit...
 
Unidade 2 planejamento
Unidade 2 planejamentoUnidade 2 planejamento
Unidade 2 planejamento
 
Slide
SlideSlide
Slide
 
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
 
Apresentação tec (3)
Apresentação tec (3)Apresentação tec (3)
Apresentação tec (3)
 
3ºencontro Matemática
3ºencontro Matemática3ºencontro Matemática
3ºencontro Matemática
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Pnaic_ 1º encontro
Pnaic_ 1º encontroPnaic_ 1º encontro
Pnaic_ 1º encontro
 
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula  finalUnidade 5 a diversidade textual em sala de aula  final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
 
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
 
Unidade 3 2º encontro os conhecimentos sobre o sea (versão final)
Unidade 3 2º encontro   os conhecimentos sobre o sea (versão final)Unidade 3 2º encontro   os conhecimentos sobre o sea (versão final)
Unidade 3 2º encontro os conhecimentos sobre o sea (versão final)
 
Unidade 7 arte (4)
Unidade 7   arte (4)Unidade 7   arte (4)
Unidade 7 arte (4)
 
6º encontro
6º encontro6º encontro
6º encontro
 
Slides pnaic inclusão
Slides pnaic  inclusãoSlides pnaic  inclusão
Slides pnaic inclusão
 
Unidade 1 avaliação
Unidade 1 avaliaçãoUnidade 1 avaliação
Unidade 1 avaliação
 
Slide linguagem Avaliação
Slide linguagem AvaliaçãoSlide linguagem Avaliação
Slide linguagem Avaliação
 
Reflexões sobre a organização do trabalho - Ed. Campo
Reflexões sobre a organização do trabalho - Ed. CampoReflexões sobre a organização do trabalho - Ed. Campo
Reflexões sobre a organização do trabalho - Ed. Campo
 
Sequência didática quer brincar de pique esconde
Sequência didática   quer brincar de pique escondeSequência didática   quer brincar de pique esconde
Sequência didática quer brincar de pique esconde
 
Unidade 2 as rotinas da escola e da historia
Unidade 2 as rotinas da escola e da historiaUnidade 2 as rotinas da escola e da historia
Unidade 2 as rotinas da escola e da historia
 

Semelhante a Alfabetização e letramento

Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
Jessica Nuvens
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Magda Marques
 
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdfhipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
Renata479659
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
Lais Renata
 
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptxAlfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
profrenatamoraesoli
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Magda Marques
 
Psicogênese da língua escrita
Psicogênese da língua escrita Psicogênese da língua escrita
Psicogênese da língua escrita
ELOI DE OLIVEIRA BATISTA
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
Olívia Oliveira
 
Peb i hipóteses de escrita texto
Peb i hipóteses de  escrita  textoPeb i hipóteses de  escrita  texto
Peb i hipóteses de escrita texto
marcaocampos
 
Unidade 2 1
Unidade 2   1Unidade 2   1
Unidade 2 1
Aprender com prazer
 
Resumo sea
Resumo seaResumo sea
Resumo sea
Gisele Silva
 
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).pptun-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
Bonfim Queiroz Lima
 
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).pptun-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
Bonfim Queiroz Lima
 
Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?
Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?
Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?
Mara Magalhaes
 
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Bete Feliciano
 
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escritaAlfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Jomari
 
PNAIC - Ano 1 unidade 3
PNAIC - Ano 1   unidade 3PNAIC - Ano 1   unidade 3
PNAIC - Ano 1 unidade 3
ElieneDias
 
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdfAula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
RomuloHalley1
 
Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1
Andreá Perez Leinat
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
Jean Carvalho
 

Semelhante a Alfabetização e letramento (20)

Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
 
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdfhipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
 
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptxAlfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Psicogênese da língua escrita
Psicogênese da língua escrita Psicogênese da língua escrita
Psicogênese da língua escrita
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
 
Peb i hipóteses de escrita texto
Peb i hipóteses de  escrita  textoPeb i hipóteses de  escrita  texto
Peb i hipóteses de escrita texto
 
Unidade 2 1
Unidade 2   1Unidade 2   1
Unidade 2 1
 
Resumo sea
Resumo seaResumo sea
Resumo sea
 
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).pptun-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
 
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).pptun-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
 
Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?
Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?
Por que o alfabeto é um sistema notacional e não um código?
 
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
 
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escritaAlfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
 
PNAIC - Ano 1 unidade 3
PNAIC - Ano 1   unidade 3PNAIC - Ano 1   unidade 3
PNAIC - Ano 1 unidade 3
 
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdfAula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
 
Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
 

Mais de Naysa Taboada

Fc
FcFc
1º encontro apresentação
1º encontro   apresentação1º encontro   apresentação
1º encontro apresentação
Naysa Taboada
 
1º encontro apresentação 28-11-17
1º encontro   apresentação 28-11-171º encontro   apresentação 28-11-17
1º encontro apresentação 28-11-17
Naysa Taboada
 
Simulado tema específico
Simulado tema específicoSimulado tema específico
Simulado tema específico
Naysa Taboada
 
Alfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiAlfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadotti
Naysa Taboada
 
Alfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgAlfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptg
Naysa Taboada
 
Alfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiAlfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadotti
Naysa Taboada
 
Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?
Naysa Taboada
 
Associacionismo
AssociacionismoAssociacionismo
Associacionismo
Naysa Taboada
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadoras
Naysa Taboada
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Naysa Taboada
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Naysa Taboada
 
24 de novembro
24 de novembro24 de novembro
24 de novembro
Naysa Taboada
 
Alinhamento 1 ao 5 ano
Alinhamento   1 ao 5 anoAlinhamento   1 ao 5 ano
Alinhamento 1 ao 5 ano
Naysa Taboada
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
Naysa Taboada
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensino
Naysa Taboada
 
Pnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembroPnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembro
Naysa Taboada
 
Pnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubroPnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubro
Naysa Taboada
 
Pnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubroPnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubro
Naysa Taboada
 
Pnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontroPnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontro
Naysa Taboada
 

Mais de Naysa Taboada (20)

Fc
FcFc
Fc
 
1º encontro apresentação
1º encontro   apresentação1º encontro   apresentação
1º encontro apresentação
 
1º encontro apresentação 28-11-17
1º encontro   apresentação 28-11-171º encontro   apresentação 28-11-17
1º encontro apresentação 28-11-17
 
Simulado tema específico
Simulado tema específicoSimulado tema específico
Simulado tema específico
 
Alfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiAlfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadotti
 
Alfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgAlfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptg
 
Alfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiAlfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadotti
 
Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?
 
Associacionismo
AssociacionismoAssociacionismo
Associacionismo
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadoras
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
 
24 de novembro
24 de novembro24 de novembro
24 de novembro
 
Alinhamento 1 ao 5 ano
Alinhamento   1 ao 5 anoAlinhamento   1 ao 5 ano
Alinhamento 1 ao 5 ano
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensino
 
Pnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembroPnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembro
 
Pnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubroPnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubro
 
Pnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubroPnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubro
 
Pnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontroPnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontro
 

Último

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 

Último (20)

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 

Alfabetização e letramento

  • 1. Alfabetização e Letramento  Semelhante ou diferentes?  Qual a especificidade e conceito na teoria e na prática pedagógica?  Qual o termo correto a ser utilizado?  Como surgiu o termo Letramento?  É possível alfabetizar e letrar?
  • 2. O que esta imagem representa?
  • 3. Construtivismo:  Construído pelo próprio aluno;  Realiza-se concomitante ao desenvolvimento cognitivo da criança;  Realiza-se a partir das experiências das crianças;  Estimula conflitos cognitivos;  Análise e síntese são realizadas pelo aluno (hipóteses de leitura e escrita)  É flexível;  Exige interação e ação;  Inicia-se antes da sistematização da escola.  Piagetiano e apoia-se nas pesquisas de Emilia Ferreiro e Ana Teberosky
  • 4. Níveis de aprendizagem Segundo Ferreiro e Teberosky Pré-silábico: Escrever e desenhar tem o mesmo significado; Não relaciona a escrita com a fala; Não diferencia letras de números; Realismo nominal (tamanho das coisas associado a escrita); Usa letras do nome; Lê palavra como um todo; Não acredita que seja possível escrever e ler com menos de três letras.
  • 5. Conflitos: Que sinais eu uso para escrever palavras? Conhecer o significado dos sinais escritos. Avanços: Diferenciar o desenho da escrita; Perceber as letras e seus sons; Identificar e escrever o próprio nome; Identificar o nome dos colegas; Perceber que usamos letra sem diferentes posições.
  • 6. Atividades favoráveis:  Desenhar e escrever o que desenhou;  Usar, reconhecer e ler o nome em situações significativas: chamada, objetos...  Ter contato com diversos tipos de texto;  Conversar sobre a função da escrita;  Letras móveis; nome, nome dos amigos...  Bingo de letras;  Produção oral de histórias;  Escrita espontânea;  Reconhecer a letra inicial e final, entre outros....
  • 7. Silábico:  Para cada fonema, usa uma letra;  Pode ou não atribuir valor sonoro à letra;  Pode usar muitas letras para escrever e ao fazer a leitura, apontar apenas uma letra para cada fonema;  Ao escrever frases, pode escrever uma letra para cada palavra Conflitos:  A escrita está vinculada à pronuncia das partes da palavra?  Como ajustar a escrita á fala?  Qual a quantidade mínima de letras necessárias para se escrever?
  • 8. Avanços: • Atribuir valor sonoro às letras; • Aceitar que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala. Atividades favoráveis: • Anteriores; • Comparar a escrita de palavras diversas; • Escrever pequenos textos memorizados; • Completar palavras com letras para evidenciar o som; • Relacionar figura a palavras reconhecendo a letra inicial; • Caça-palavras, cruzadinhas, dicionário ilustrado,etc.
  • 9. Silábico-alfabético:  Compreende que a escrita representa os sons da fala;  Percebe a necessidade de mais de uma letra para a maioria das sílabas;  Reconhece o som das letras;  Pode dar ênfase a escrita do som só das vogais ou só das consoantes: Bola = AO ou BL  Atribuir o valor do fonema em algumas letras: cabelo = kblo.
  • 10. Conflitos:  Como fazer a escrita dela ser lida por outras pessoas?  Como separar as palavras na escrita se isto não acontece na fala?  Como adequar a escrita á quantidade mínima de caracteres? Avanços:  Usar mais de uma letra para representar o fonema quando necessário;  Atribuir o valor sonoro das letras
  • 11. Atividades favoráveis:  As anteriores;  Separar as palavras de um texto memorizado;  Generalizar os conhecimentos para escrever palavras que não conhece: Associar o NA do nome NAYSA para escrever navio, nariz, nave, natal...  Ditado de palavras conhecidas;  Produzir pequenos textos;  Reescrever histórias, ...
  • 12. Alfabético:  Compreende a função social da escrita: comunicação;  Conhece o valor sonoro de todas ou quase todas as letras;  Apresenta estabilidade na escrita de palavras;  Compreende que cada letra corresponde aos menores valores sonoros da silaba;  Procura adequar a escrita á fala;  Faz leitura com ou sem imagem;  Inicia a preocupação com as questões ortográficas;  Separa as palavras quando escreve frases;
  • 13. Conflitos:  Por que escrevemos de uma forma e falamos de outra?  Como distinguir letras, silabas e frases?  Como apresentar s convenções das língua escrita? Avanços:  Preocupação com as questões ortográficas e textuais (parágrafo e pontuação)  Usar letra cursiva. Atividades favoráveis:  Anteriores, leituras diversas, listas de palavras com mesmas regularidades ortográficas, A partir de uma texto localizar palavras, frases, ordenar o texto...
  • 14.
  • 15. Há diferentes tipos de letramentos associados a diferentes domínios sociais, como: tecnológico, literário, religioso...
  • 16.
  • 17. A PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL NA ALFABETIZAÇÃO Com o objetivo de investigar o desenvolvimento da linguagem na criança, Gontijo (2008) discute a ideia de alfabetizar letrando, pois acredita que essa dicotomia vem colaborando para o retorno de concepções que já demonstraram sua ineficiência na prática educativa. A autora defende que é necessário construir um conceito de alfabetização que abarque as dimensões integrantes desse processo, tomando por base a abordagem histórico-cultural.
  • 18. A linguagem escrita deve ter significado para as crianças e, portanto, ser incorporada a uma tarefa necessária e relevante para a vida (VIGOTSKI, 2000). A partir das orientações da perspectiva histórico-cultural Gontijo (2008), defende que a alfabetização “[...] é o processo de inserção no mundo da linguagem escrita” (GONTIJO, 2002, p. 2) que se inicia na vida das crianças muito antes delas entrarem para a escola. Como é uma forma especial de linguagem, o seu aprendizado constitui o processo mais amplo de desenvolvimento da linguagem na criança e integra vários aspectos.
  • 19. Nesse sentido, problematiza a tentativa de Soares (2003) em conceber a alfabetização como processo específico, tomando como referência o sentido etimológico da palavra (“levar à aquisição do alfabeto”, “do código escrito”) que pouco contribui para um conceito de alfabetização que leva em conta a sua natureza complexa, especialmente em contextos pedagógicos, pois segundo Gontijo: “[...] isso redundaria em uma visão que desconsidera que as palavras, os textos que lemos ou escrevemos expressam sentidos que queremos comunicar, registrar...” (p. 4).
  • 20. Nesse sentido, defende que a questão central sobre o conceito de alfabetização não está relacionada à necessidade de recuperar/defender a especificidade desse processo, mas na necessidade de construção de um conceito aberto, capaz de integrar diferentes dimensões que abarcam a aprendizagem da língua, numa perspectiva histórica, cultural e dialógica.
  • 21. “[...] a alfabetização é uma prática sociocultural em que as crianças, por meio do trabalho integrado com a produção de textos orais e escritos, a leitura, os conhecimentos sobre o sistema da língua portuguesa e com as relações entre sons e letras e letras e sons, formam a criticidade, a criatividade e a inventividade” (GONTIJO, 2012).
  • 22. Com esse conceito, a autora evidencia que é possível romper com a complicada distinção alfabetização (processo específico) e letramento (amplo), que pode ocasionar o revigoramento de dualidades que se baseiam no privilégio da natureza linguística da alfabetização, cabendo ao letramento os aspectos funcionais de uso da língua, uma vez que essas dimensões não são suficientes para subsidiar as práticas educativas em torno da língua escrita.
  • 23. Assim... Contra uma educação centrada na cultura presente no cotidiano imediato dos alunos que se constitui, na maioria dos casos, em resultado da alienante cultura de massas, devemos lutar por uma educação que amplie os horizontes culturais desses alunos; contra uma educação voltada para a satisfação das necessidades imediatas e pragmáticas impostas pelo cotidiano alienado dos alunos, devemos lutar por uma educação que produza nesses alunos necessidades de nível superior, necessidades que apontem para um efetivo desenvolvimento da individualidade como um todo (DUARTE, 2004, p. 20, apud BRITTO, 2011, p. 65).
  • 24. ATIVIDADE EM GRUPO ANÁLISE DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE ALFABETIZAÇÃO Cada grupo receberá um material que deverá ser analisado seguindo o roteiro do anexo 1. Apresentar ao grupo. Tempo para realização: 30 minutos