SlideShare uma empresa Scribd logo
A LITERATURA
NA EDUCAÇÃO
INFANTIL
PROBLEMATIZAÇÃO
 Como a história literária infantil, “Reinações de
Narizinho”, de Monteiro Lobato, pode beneficiar no
processo de aprendizagem da criança e ser um
componente motivador para o bom aproveitamento e
valorização da infância?
OBJETIVO GERAL
 Investigar a história infantil “Reinações de
Narizinho”, de Monteiro Lobato em sala de aula, a
fim de desenvolver o hábito da leitura, incentivar a
criatividade, aguçar a inteligência, propor desafios
onde à criança possa solucioná-los, melhorar a
relação entre sua família e amigos, aumentar a
realidade imaginária de cada criança, a fim de
motivar o aproveitamento dessa fase espetacular
que é a infância com as obras literárias infantis, para
que seja a primeira janela para o seu crescimento
intelectual e mental, sem perder a magia de ser
criança.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Estudar a importância da literatura infantil no
processo de aprendizagem da criança no começo de
sua vida escolar;
 Analisar a obra literária “Reinações de Narizinho”, de
Monteiro Lobato;
 Investigar como a teoria lobatiana influencia na
aprendizagem do aluno e no aproveitamento e
valorização da infância;
JUSTIFICATIVA
 Pretendo através desse trabalho proporcionar ao
educador um embasamento sobre a importância de
se trabalhar a literatura na educação infantil, como
forma de incentivo para os educadores, sobre o uso
de histórias infantis em sala de aula, em especial a
obra literária “Reinações de Narizinho”, de Monteiro
Lobato. Essa valorização da literatura infantil no
processo educacional é uma das formas de
enriquecer e complementar no desenvolvimento
intelectual de nossas crianças, desde o começo de
sua vida escolar, só de forma divertida e prazerosa,
treinando sua leitura visual, dando espaço para a
criança imaginar e principalmente valorizando cada
vez mais sua infância.
RELEVÂNCIA
 O método a ser utilizado será a pesquisa bibliográfica.
Utilizando como base a obra Reinações de Narizinho,
escrita por Monteiro Lobato, os seguintes estudiosos
da Literatura Infantil, como Regina Zilberman, Marisa
Lajolo, Nelly Novaes Coelho, Maria Helena Zancan
Frantz, Fanny Abramovich, Maria Antonieta Antunes
Cunha e a autora especialista na obra Reinações de
Narizinho, Lígia Cademartori.
REFERENCIAL
TEÓRICO
• Um breve histórico da
Literatura Infantil;
• A Importância da
Literatura no processo de
ensino aprendizagem dos
alunos da Educação
Infantil;
• Análise da obra Reinações
de Narizinho
• A teoria Lobatiana
segundo Lígia
Cademartori.
UM BREVE HISTÓRICO DA LITERATURA INFANTIL
A literatura nos primores de sua criação não era
voltada especificamente ao público infantil...
(...) As primeiras obras publicadas visando ao público
infantil apareceram no mercado livreiro na primeira
metade do século XVIII. Antes disto, apenas durante o
classicismo francês, no século XVII, foram escritas
histórias que vieram a serem englobadas como
literatura. (...) (LAJOLO e ZILBERMAN, 2006, p: 15).
Como podemos observar na citação acima, as
primeiras “obras” consideradas literatura infantil eram
pequenas histórias inventadas pelos nossos avós de
alguma pessoa que eles conheciam ou que seus pais
conheciam. Essas pequenas e simples histórias eram
contadas quando a mãe colocava o seu filho para dormir
ou apenas para passar um tempo com eles.
A relação que a criança tem com a sua família, amigos e
comunidade em que vive é de extrema importância para o seu
desenvolvimento em geral, pois essas pessoas, que não
precisam ser professores, são partes essenciais para elevar a
imaginação de nossas crianças, contribuindo com pequenas
histórias, de ocorrências de suas próprias infâncias. Como diz
Abramovich (1993), “Escutá-las é o início da aprendizagem para
um ser leitor” (ABRAMOVICH, 1993, p. 16).
A maior parte das pessoas não valorizava a criança como
um ser “inteligente”, ou seja, não dava muito crédito para o seu
desenvolvimento mental, achando que ela não tinha muita
capacidade de expressão crítica, mas o que muitos não sabem e
que mesmo sem perceber, a literatura infantil está em torno da
criança, seja na escola ou no meio em que vive permitindo a
mesma compreender o mundo e ser capaz de descobrir o que a
de novo e interessante para ela.
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA NO PROCESSO DE
ENSINO APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO
INFANTIL.
Na era da modernidade, a literatura infantil é quase
inexistente. Nas escolas consideradas de primeiro mundo
ou tecnologicamente desenvolvidas, os alunos leem cada
vez menos livros, principalmente os literários infantis,
isso porque na modernidade de hoje cada aluno precisa
ter um notebook ou um tablete para fazer algum tipo de
pesquisa, que antes era feita diretamente nos livros e
agora é feita pela internet...
(...) O pós-modernismo invadiu o cotidiano com a
tecnologia eletrônica de massa ou individual, visando
a sua saturação com informações, diversões e
serviços. Na era da informática, que é o tratamento
computadorizado do conhecimento e da informação,
lidamos mais com signos do que com coisas (...).
(COELHO, 2000, p: 14 apud SANTOS, 1986).
As crianças, com a era digital, acabam perdendo o
interesse e a curiosidade de buscar e descobrir algo novo,
porque para ela descobrir o que aconteceria de
interessante em uma história, ela teria que lê-lo até o fim e
com a internet é só procurar o resumo e pronto, já fica
sabendo do que irá acontecer de inesperado na história,
perdendo assim o interesse pela leitura, e o mais
importante, perderia aos poucos sua curiosidade e assim
sua independência, por que iria ficar dependente da
tecnologia.
A relação entre escola/criança/literatura ocorre a
partir do momento que o professor utiliza o livro de história
como base para seu desenvolvimento perceptivo, oral,
imaginativo e emocional. Perceptivo porque a criança ao
ver e ter um livro em suas mãos verá, de alguma forma,
que ele será um divertimento para ela. Oral porque ao
ouvir a professora ler a história, sua forma de ver o livro
mudará, pois ele não será, mas um simples ouvinte, mas
sim um dos personagens da história.
Já no imaginativo ela, nos seus pensamentos ira se tornar um
herói, príncipe ou uma princesa. E emocional porque ao ter, ouvir e
imaginar o livro de história ela vai sentir-se feliz em compartilhar com
seus colegas em sala de aula.
“[...] a sala de aula é um espaço privilegiado para o desenvolvimento do
gosto pela leitura, assim como um importante setor para o intercâmbio da
cultura literária, não podendo ser ignorado, muito menos desmentida a
sua utilidade”. (ZILBERMAN, 1998, p: 14).
A escola é de suma importância para o desenvolvimento da
criança com sujeito ativo, onde traz consigo um rico conjunto de
relações e vivencias onde a criança, a partir de novas experiências,
consiga aprimorar sua mente e construir seu próprio conhecimento.
Diante a análise da obra Reinações de Narizinho,
compreendo que, a mesma, contribui de forma criativa nas relações
que a criança tem com o meio social e familiar, buscando entender
suas próprias descobertas, deixando de ser um sujeito passivo e
transformando-se em ser ativo capaz de construir um pensamento
critico.
Diante a análise da obra Reinações de Narizinho, compreendo
que, a mesma, contribui de forma criativa nas relações que a criança
tem com o meio social e familiar, buscando entender suas próprias
descobertas, deixando de ser um sujeito passivo e transformando-se em
ser ativo capaz de construir um pensamento critico.
A história em seu enredo, busca na criança uma curiosidade
inestimável, capaz de ultrapassar o imaginário. Onde a cada ilustre
aventura e seres basicamente estranhos, proporciona a criança uma
descoberta nova, capaz de envolvê-la de certa forma em um mundo
diferente, que para elas parece ser familiar. O envolvimento com a
natureza, as brincadeiras, os sons, são de certa forma uma experiência
aparte, pois muitas das nossas crianças não vivenciam esse tipo de
experiência, onde ai entra o papel da escola, de proporcionar a criança
uma nova vivência.
Esse é o papel da educação, de forma geral, de favorecer uma
aprendizagem mais significativa e construtiva, onde a criança passa
encontrar em meio o seu aprendizado diferentes obras literárias, pois
além de incentivar a leitura, a interação e o respeito ao próximo, seja ele
de culturas diferentes ou não, introduzindo no ensino as crianças uma
forma mais dinâmica e criativa de aprendizagem.
ANÁLISE DA OBRA REINAÇÕES DE NARIZINHO
A teoria lobatiana relaciona o modo de ensinar a partir
de suas obras infantis, acabando com a mesmice da sala de
aula,
 (...) seus livros infantis criam um mundo que não se
constitui num reflexo do rural, mas na antecipação de
uma realidade que supera os conceitos e os preconceitos
da situação histórica em que é produzida.
(CADEMARTORI, 1994, p: 48).
Lobato cria histórias a partir do seu passado, de
experiências vividas, fazendo com que o indivíduo desenvolva
um pensamento crítico, sobre o seu mundo, sua realidade, para
assim ter um olhar mais amplo de um futuro surpreendente. A
literatura em meio à educação proporciona a criança novos 18
caminhos para um entendimento maior de sua realidade vivida,
onde sua mente busca formas de entender o mundo que a
cerca. Passando assim a formar uma forte ligação entre a
realidade e a imaginação.
A TEORIA LOBATIANA SEGUNDO LÍGIA CADEMARTORI.
(...) a leitura dos textos literários de Lobato possibilita
uma nova experiência da realidade em que, ao mesmo
tempo em que são conservadas as vivências já
adquiridas, antecipam-se possibilidades a serem
experimentadas. (CADEMARTORI, 1994, p: 50 e 51).
Isso proporciona o envolvimento da criança como ser
ativo em seu processo de ensino aprendizagem, trazendo
para o seu ensino sua própria realidade, transformando-as em
experiências que serviram de base para o seu
desenvolvimento futuro. Onde sabemos que todo indivíduo
traz consigo uma realidade diferente, cabendo ao professor,
juntamente com a família, enriquecê-la, mostrando
possibilidades para o ser desenvolvimento intelectual e
mental.
A literatura traz em seu meio uma possível magia, onde
ao ser trabalhado em sala de aula, desperta na criança uma
curiosidade inexplicável, trazendo junto ao seu enredo um
questionamento, fazendo com que a criança tenha o interesse
de buscar respostas, construindo assim sua autonomia.
METODOLOGIA
A pesquisa foi fundamentada em teorias bibliográfica,
sendo estas precisas para entender o que se refere o problema
pesquisado, utilizando livros, artigos, teses e dissertações que
enfocam o tema. O trabalho procura mostrar como a literatura
infantil pode ser uma das bases para o desenvolvimento
intelectual e mental da criança, a fim de proporcioná-la ensino e
fantasia nos primeiros anos de sua vida escolar, sem perder a
alegria de ser criança. Onde proporcionei uma das infinitas
obras literárias de um dos grandes nomes da literatura infantil.
As Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato foi à obra que
analisei no decorrer desse trabalho, estudando o seu papel na
educação e como a teoria lobatiana pode beneficiar a
aprendizagem e valorização da infância.
Dessa forma, a realização desta pesquisa proporcionou
perceber que cada autor aponta seu ponto de vista em relação
ao tema pesquisado, mas vale ressaltar que, a literatura infantil
é de suma importância para o desenvolvimento das crianças
nos primeiros anos da vida escolar.
TIPO DA PESQUISA
 Pesquisa Bibliográfica;
CRONOGRAMA
Períodos/
etapas
2013
Dez
2014
Mar
2014
Abr
2014
Mai
2014
Jun
2015
Set
2015
Out
2015
Nov
Reformulação
do Projeto X
Coleta de
Dados X X
Pesquisa
Bibliográfica X X
Aquisição da
bibliografia X X
Leitura e
fichamento de
textos
Confecção e
Defesa do
TCC
X X
X X
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e
bobices. São Paulo:
Scipione, 1993.
BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação
Infantil. Volume um, Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.
BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação
Infantil. Volume três, Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.
CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo,
Editora Brasileira, 1994.
CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo:
Brasiliense, 1986. Coleção Primeiros Passos.
COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise,
didática - São Paulo, 1° edição. Moderna, 2000. Ed. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura Infantil
teoria e prática – São Paulo. Editora Ática, 2006.
Dicionário do Aurélio Online. Dicionário da Língua
Portuguesa.
FRANTZ, Maria Helena Zancan. O ensino da literatura
nas séries iniciais. 3° ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2001. Coleção
Educação.
http://catracalivre.com.br/wpcontent/uploads/2010/08/reinac
oesdenarizinho.pdf Acessado em 27/01/2014, às
18h44min.
JOSÉ, Elias. Literatura infantil: ler, contar e encantar
crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007. 22
KHEDE, Sônia Salomão, org. Literatura infanto-juvenil.
Um gênero polêmico. Petrópolis, Vozes, 1983.
LAJOLO, Marisa. ZILBERMAN, Regina. Literatura Infantil
Brasileira: História e Histórias – Editora Ática (série
fundamentos): 6° edição, 2006.
LAKATOS, Eva Maria; MARCON, Marina de Andrade.
Fundamentos Metodológicos Científicos. São Paulo:
Atlas, 1985.
REGO, L. L. B. Literatura infantil: uma nova perspectiva
da alfabetização na pré-escola. São Paulo, FTD, 1990.
SOUZA, Ana A. Arguelho de. Literatura infantil na escola:
a leitura em sala de aula. Campinas, SP: Autores
Associados, 2010.
SILVA, Nívea Priscilla Olinto da. A Leitura da Literatura na
Escola: por uma educação emocional de crianças na
educação infantil. Natal/RN. Universidade Federal do Rio
Grande do Norte, 2010.
ZILBERMAN, Regina. Literatura Infantil na Escola. 10ª
edição. São Paulo: Editora Global, 1998.
ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na Escola, 11°
edição. Revisada, atual e ampla – São Paulo: Global, 2003.
ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na Escola. 4°
edição. São Paulo: Global, 1985.
ZILBERMAN, Regina. Como e porque ler a Literatura
Infantil Brasileira – Rio de Janeiro: Objetiva, 2005.
ZILBERMAN, Regina. LAJOLO, Marisa. Um Brasil para
crianças: para conhecer a literatura infantil brasileira:
histórias, autores e textos. São Paulo: Global, 1986.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Elizabet Tramontin Silveira Camargo
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
Ðouglas Rocha
 
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITAPROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
Jane Santos
 
INCENTIVO A LEITURA
INCENTIVO A LEITURAINCENTIVO A LEITURA
INCENTIVO A LEITURA
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Projeto Conta que eu conto
Projeto Conta que eu contoProjeto Conta que eu conto
Projeto Conta que eu conto
Leidi Laura Breguedo
 
Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber
School
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
Joana Melazzo
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
proletramentoalfa
 
Formação de leitores nas séries iniciais
Formação de leitores nas séries iniciaisFormação de leitores nas séries iniciais
Formação de leitores nas séries iniciais
Alex Silva
 
CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
CONTAÇÃO DE HISTÓRIASCONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
Pedagogo Santos
 
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil   auxilio no processo de alfabetização e letramentoLiteratura infantil   auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Ana Lúcia Hennemann
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
Gerdian Teixeira
 
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaHipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Anne Cunha Silveira
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
Ladjane Pereira
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Adriana Pereira
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
Susanne Messias
 
A Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na EscolaA Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na Escola
Universidade do Estado de Minas Gerais
 
Sala de leitura slide
Sala de leitura slideSala de leitura slide
Sala de leitura slide
Miquéias Lima
 
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _  História em QuadrinhosProjeto de Leitura _  História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Patrícia Fernanda da Costa Santos
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
Jose Arnaldo Silva
 

Mais procurados (20)

Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
 
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITAPROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
 
INCENTIVO A LEITURA
INCENTIVO A LEITURAINCENTIVO A LEITURA
INCENTIVO A LEITURA
 
Projeto Conta que eu conto
Projeto Conta que eu contoProjeto Conta que eu conto
Projeto Conta que eu conto
 
Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
 
Formação de leitores nas séries iniciais
Formação de leitores nas séries iniciaisFormação de leitores nas séries iniciais
Formação de leitores nas séries iniciais
 
CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
CONTAÇÃO DE HISTÓRIASCONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
 
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil   auxilio no processo de alfabetização e letramentoLiteratura infantil   auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaHipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 
A Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na EscolaA Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na Escola
 
Sala de leitura slide
Sala de leitura slideSala de leitura slide
Sala de leitura slide
 
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _  História em QuadrinhosProjeto de Leitura _  História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 

Destaque

Literatura infanto-juvenil
Literatura infanto-juvenil Literatura infanto-juvenil
Literatura infanto-juvenil
merysilva
 
Literatura infanto juvenil ppt
Literatura infanto   juvenil pptLiteratura infanto   juvenil ppt
Literatura infanto juvenil ppt
Letrinhaspequenas
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
bielsvl14
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
marildabacana
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
José Antonio Ferreira da Silva
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
Felipe Pereira
 

Destaque (6)

Literatura infanto-juvenil
Literatura infanto-juvenil Literatura infanto-juvenil
Literatura infanto-juvenil
 
Literatura infanto juvenil ppt
Literatura infanto   juvenil pptLiteratura infanto   juvenil ppt
Literatura infanto juvenil ppt
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 

Semelhante a A literatura infantil na escola

leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptleitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
SoniaMaia18
 
Contos na educação infantil
Contos na educação infantilContos na educação infantil
Contos na educação infantil
Rosângela Gonçalves
 
Livros e Infância
Livros e InfânciaLivros e Infância
Livros e Infância
educadores
 
Atps história e geografia
Atps história e geografiaAtps história e geografia
Atps história e geografia
Paulo Wanderson
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantil
Ana Paula Cecato
 
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitoresA literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
marcia cristina da silva souza
 
Projeto literatura infantil
Projeto literatura infantilProjeto literatura infantil
Projeto literatura infantil
Shirley Costa
 
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramentoLiteratura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Ana Lúcia Hennemann
 
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
Fernando Pissuto
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativa
Ana Paula Cecato
 
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De NeveProjeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Escola BN
 
Atv4marcia
Atv4marciaAtv4marcia
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptxA LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
Atps lite (2)
Atps lite (2)Atps lite (2)
Atps lite (2)
Hosana Souza
 
Artigo11
Artigo11Artigo11
Artigo11
cefaprodematupa
 
Artigo ana-lucia-sanches
Artigo ana-lucia-sanchesArtigo ana-lucia-sanches
Artigo ana-lucia-sanches
waldilsonBarros1
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
Marcia Silva
 
Contador de Histórias
Contador de HistóriasContador de Histórias
Contador de Histórias
Ainsf Eder Dalberto
 
Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012
Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012
Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012
angelamspg
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
Fernando Pissuto
 

Semelhante a A literatura infantil na escola (20)

leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptleitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
 
Contos na educação infantil
Contos na educação infantilContos na educação infantil
Contos na educação infantil
 
Livros e Infância
Livros e InfânciaLivros e Infância
Livros e Infância
 
Atps história e geografia
Atps história e geografiaAtps história e geografia
Atps história e geografia
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantil
 
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitoresA literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
 
Projeto literatura infantil
Projeto literatura infantilProjeto literatura infantil
Projeto literatura infantil
 
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramentoLiteratura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
 
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativa
 
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De NeveProjeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
 
Atv4marcia
Atv4marciaAtv4marcia
Atv4marcia
 
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptxA LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
 
Atps lite (2)
Atps lite (2)Atps lite (2)
Atps lite (2)
 
Artigo11
Artigo11Artigo11
Artigo11
 
Artigo ana-lucia-sanches
Artigo ana-lucia-sanchesArtigo ana-lucia-sanches
Artigo ana-lucia-sanches
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
 
Contador de Histórias
Contador de HistóriasContador de Histórias
Contador de Histórias
 
Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012
Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012
Linux blog angela_gil_apresentação_projeto_2012
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
 

Mais de UESPI - PI

O Teatro
O TeatroO Teatro
O Teatro
UESPI - PI
 
O movimento das escolas comunitárias
O movimento das escolas comunitáriasO movimento das escolas comunitárias
O movimento das escolas comunitárias
UESPI - PI
 
Escola perfeita
Escola perfeitaEscola perfeita
Escola perfeita
UESPI - PI
 
Deficiência física 2
Deficiência física   2Deficiência física   2
Deficiência física 2
UESPI - PI
 
Avaliação de sistema escolar e de escola
Avaliação de sistema escolar e de escolaAvaliação de sistema escolar e de escola
Avaliação de sistema escolar e de escola
UESPI - PI
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
UESPI - PI
 
A história dos sapinhos
A história dos sapinhosA história dos sapinhos
A história dos sapinhos
UESPI - PI
 
Agua e seres vivos
Agua e seres vivosAgua e seres vivos
Agua e seres vivos
UESPI - PI
 
O Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetaçãoO Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetação
UESPI - PI
 
A brincadeira com as palavras e as palavras
A brincadeira com as palavras e as palavrasA brincadeira com as palavras e as palavras
A brincadeira com as palavras e as palavras
UESPI - PI
 

Mais de UESPI - PI (10)

O Teatro
O TeatroO Teatro
O Teatro
 
O movimento das escolas comunitárias
O movimento das escolas comunitáriasO movimento das escolas comunitárias
O movimento das escolas comunitárias
 
Escola perfeita
Escola perfeitaEscola perfeita
Escola perfeita
 
Deficiência física 2
Deficiência física   2Deficiência física   2
Deficiência física 2
 
Avaliação de sistema escolar e de escola
Avaliação de sistema escolar e de escolaAvaliação de sistema escolar e de escola
Avaliação de sistema escolar e de escola
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
 
A história dos sapinhos
A história dos sapinhosA história dos sapinhos
A história dos sapinhos
 
Agua e seres vivos
Agua e seres vivosAgua e seres vivos
Agua e seres vivos
 
O Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetaçãoO Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetação
 
A brincadeira com as palavras e as palavras
A brincadeira com as palavras e as palavrasA brincadeira com as palavras e as palavras
A brincadeira com as palavras e as palavras
 

Último

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 

Último (20)

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 

A literatura infantil na escola

  • 2. PROBLEMATIZAÇÃO  Como a história literária infantil, “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato, pode beneficiar no processo de aprendizagem da criança e ser um componente motivador para o bom aproveitamento e valorização da infância?
  • 3. OBJETIVO GERAL  Investigar a história infantil “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato em sala de aula, a fim de desenvolver o hábito da leitura, incentivar a criatividade, aguçar a inteligência, propor desafios onde à criança possa solucioná-los, melhorar a relação entre sua família e amigos, aumentar a realidade imaginária de cada criança, a fim de motivar o aproveitamento dessa fase espetacular que é a infância com as obras literárias infantis, para que seja a primeira janela para o seu crescimento intelectual e mental, sem perder a magia de ser criança.
  • 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Estudar a importância da literatura infantil no processo de aprendizagem da criança no começo de sua vida escolar;  Analisar a obra literária “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato;  Investigar como a teoria lobatiana influencia na aprendizagem do aluno e no aproveitamento e valorização da infância;
  • 5. JUSTIFICATIVA  Pretendo através desse trabalho proporcionar ao educador um embasamento sobre a importância de se trabalhar a literatura na educação infantil, como forma de incentivo para os educadores, sobre o uso de histórias infantis em sala de aula, em especial a obra literária “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato. Essa valorização da literatura infantil no processo educacional é uma das formas de enriquecer e complementar no desenvolvimento intelectual de nossas crianças, desde o começo de sua vida escolar, só de forma divertida e prazerosa, treinando sua leitura visual, dando espaço para a criança imaginar e principalmente valorizando cada vez mais sua infância.
  • 6. RELEVÂNCIA  O método a ser utilizado será a pesquisa bibliográfica. Utilizando como base a obra Reinações de Narizinho, escrita por Monteiro Lobato, os seguintes estudiosos da Literatura Infantil, como Regina Zilberman, Marisa Lajolo, Nelly Novaes Coelho, Maria Helena Zancan Frantz, Fanny Abramovich, Maria Antonieta Antunes Cunha e a autora especialista na obra Reinações de Narizinho, Lígia Cademartori.
  • 7. REFERENCIAL TEÓRICO • Um breve histórico da Literatura Infantil; • A Importância da Literatura no processo de ensino aprendizagem dos alunos da Educação Infantil; • Análise da obra Reinações de Narizinho • A teoria Lobatiana segundo Lígia Cademartori.
  • 8. UM BREVE HISTÓRICO DA LITERATURA INFANTIL A literatura nos primores de sua criação não era voltada especificamente ao público infantil... (...) As primeiras obras publicadas visando ao público infantil apareceram no mercado livreiro na primeira metade do século XVIII. Antes disto, apenas durante o classicismo francês, no século XVII, foram escritas histórias que vieram a serem englobadas como literatura. (...) (LAJOLO e ZILBERMAN, 2006, p: 15). Como podemos observar na citação acima, as primeiras “obras” consideradas literatura infantil eram pequenas histórias inventadas pelos nossos avós de alguma pessoa que eles conheciam ou que seus pais conheciam. Essas pequenas e simples histórias eram contadas quando a mãe colocava o seu filho para dormir ou apenas para passar um tempo com eles.
  • 9. A relação que a criança tem com a sua família, amigos e comunidade em que vive é de extrema importância para o seu desenvolvimento em geral, pois essas pessoas, que não precisam ser professores, são partes essenciais para elevar a imaginação de nossas crianças, contribuindo com pequenas histórias, de ocorrências de suas próprias infâncias. Como diz Abramovich (1993), “Escutá-las é o início da aprendizagem para um ser leitor” (ABRAMOVICH, 1993, p. 16). A maior parte das pessoas não valorizava a criança como um ser “inteligente”, ou seja, não dava muito crédito para o seu desenvolvimento mental, achando que ela não tinha muita capacidade de expressão crítica, mas o que muitos não sabem e que mesmo sem perceber, a literatura infantil está em torno da criança, seja na escola ou no meio em que vive permitindo a mesma compreender o mundo e ser capaz de descobrir o que a de novo e interessante para ela. A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL.
  • 10. Na era da modernidade, a literatura infantil é quase inexistente. Nas escolas consideradas de primeiro mundo ou tecnologicamente desenvolvidas, os alunos leem cada vez menos livros, principalmente os literários infantis, isso porque na modernidade de hoje cada aluno precisa ter um notebook ou um tablete para fazer algum tipo de pesquisa, que antes era feita diretamente nos livros e agora é feita pela internet... (...) O pós-modernismo invadiu o cotidiano com a tecnologia eletrônica de massa ou individual, visando a sua saturação com informações, diversões e serviços. Na era da informática, que é o tratamento computadorizado do conhecimento e da informação, lidamos mais com signos do que com coisas (...). (COELHO, 2000, p: 14 apud SANTOS, 1986).
  • 11. As crianças, com a era digital, acabam perdendo o interesse e a curiosidade de buscar e descobrir algo novo, porque para ela descobrir o que aconteceria de interessante em uma história, ela teria que lê-lo até o fim e com a internet é só procurar o resumo e pronto, já fica sabendo do que irá acontecer de inesperado na história, perdendo assim o interesse pela leitura, e o mais importante, perderia aos poucos sua curiosidade e assim sua independência, por que iria ficar dependente da tecnologia. A relação entre escola/criança/literatura ocorre a partir do momento que o professor utiliza o livro de história como base para seu desenvolvimento perceptivo, oral, imaginativo e emocional. Perceptivo porque a criança ao ver e ter um livro em suas mãos verá, de alguma forma, que ele será um divertimento para ela. Oral porque ao ouvir a professora ler a história, sua forma de ver o livro mudará, pois ele não será, mas um simples ouvinte, mas sim um dos personagens da história.
  • 12. Já no imaginativo ela, nos seus pensamentos ira se tornar um herói, príncipe ou uma princesa. E emocional porque ao ter, ouvir e imaginar o livro de história ela vai sentir-se feliz em compartilhar com seus colegas em sala de aula. “[...] a sala de aula é um espaço privilegiado para o desenvolvimento do gosto pela leitura, assim como um importante setor para o intercâmbio da cultura literária, não podendo ser ignorado, muito menos desmentida a sua utilidade”. (ZILBERMAN, 1998, p: 14). A escola é de suma importância para o desenvolvimento da criança com sujeito ativo, onde traz consigo um rico conjunto de relações e vivencias onde a criança, a partir de novas experiências, consiga aprimorar sua mente e construir seu próprio conhecimento. Diante a análise da obra Reinações de Narizinho, compreendo que, a mesma, contribui de forma criativa nas relações que a criança tem com o meio social e familiar, buscando entender suas próprias descobertas, deixando de ser um sujeito passivo e transformando-se em ser ativo capaz de construir um pensamento critico.
  • 13. Diante a análise da obra Reinações de Narizinho, compreendo que, a mesma, contribui de forma criativa nas relações que a criança tem com o meio social e familiar, buscando entender suas próprias descobertas, deixando de ser um sujeito passivo e transformando-se em ser ativo capaz de construir um pensamento critico. A história em seu enredo, busca na criança uma curiosidade inestimável, capaz de ultrapassar o imaginário. Onde a cada ilustre aventura e seres basicamente estranhos, proporciona a criança uma descoberta nova, capaz de envolvê-la de certa forma em um mundo diferente, que para elas parece ser familiar. O envolvimento com a natureza, as brincadeiras, os sons, são de certa forma uma experiência aparte, pois muitas das nossas crianças não vivenciam esse tipo de experiência, onde ai entra o papel da escola, de proporcionar a criança uma nova vivência. Esse é o papel da educação, de forma geral, de favorecer uma aprendizagem mais significativa e construtiva, onde a criança passa encontrar em meio o seu aprendizado diferentes obras literárias, pois além de incentivar a leitura, a interação e o respeito ao próximo, seja ele de culturas diferentes ou não, introduzindo no ensino as crianças uma forma mais dinâmica e criativa de aprendizagem. ANÁLISE DA OBRA REINAÇÕES DE NARIZINHO
  • 14. A teoria lobatiana relaciona o modo de ensinar a partir de suas obras infantis, acabando com a mesmice da sala de aula,  (...) seus livros infantis criam um mundo que não se constitui num reflexo do rural, mas na antecipação de uma realidade que supera os conceitos e os preconceitos da situação histórica em que é produzida. (CADEMARTORI, 1994, p: 48). Lobato cria histórias a partir do seu passado, de experiências vividas, fazendo com que o indivíduo desenvolva um pensamento crítico, sobre o seu mundo, sua realidade, para assim ter um olhar mais amplo de um futuro surpreendente. A literatura em meio à educação proporciona a criança novos 18 caminhos para um entendimento maior de sua realidade vivida, onde sua mente busca formas de entender o mundo que a cerca. Passando assim a formar uma forte ligação entre a realidade e a imaginação. A TEORIA LOBATIANA SEGUNDO LÍGIA CADEMARTORI.
  • 15. (...) a leitura dos textos literários de Lobato possibilita uma nova experiência da realidade em que, ao mesmo tempo em que são conservadas as vivências já adquiridas, antecipam-se possibilidades a serem experimentadas. (CADEMARTORI, 1994, p: 50 e 51). Isso proporciona o envolvimento da criança como ser ativo em seu processo de ensino aprendizagem, trazendo para o seu ensino sua própria realidade, transformando-as em experiências que serviram de base para o seu desenvolvimento futuro. Onde sabemos que todo indivíduo traz consigo uma realidade diferente, cabendo ao professor, juntamente com a família, enriquecê-la, mostrando possibilidades para o ser desenvolvimento intelectual e mental. A literatura traz em seu meio uma possível magia, onde ao ser trabalhado em sala de aula, desperta na criança uma curiosidade inexplicável, trazendo junto ao seu enredo um questionamento, fazendo com que a criança tenha o interesse de buscar respostas, construindo assim sua autonomia.
  • 16. METODOLOGIA A pesquisa foi fundamentada em teorias bibliográfica, sendo estas precisas para entender o que se refere o problema pesquisado, utilizando livros, artigos, teses e dissertações que enfocam o tema. O trabalho procura mostrar como a literatura infantil pode ser uma das bases para o desenvolvimento intelectual e mental da criança, a fim de proporcioná-la ensino e fantasia nos primeiros anos de sua vida escolar, sem perder a alegria de ser criança. Onde proporcionei uma das infinitas obras literárias de um dos grandes nomes da literatura infantil. As Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato foi à obra que analisei no decorrer desse trabalho, estudando o seu papel na educação e como a teoria lobatiana pode beneficiar a aprendizagem e valorização da infância. Dessa forma, a realização desta pesquisa proporcionou perceber que cada autor aponta seu ponto de vista em relação ao tema pesquisado, mas vale ressaltar que, a literatura infantil é de suma importância para o desenvolvimento das crianças nos primeiros anos da vida escolar.
  • 17. TIPO DA PESQUISA  Pesquisa Bibliográfica;
  • 18. CRONOGRAMA Períodos/ etapas 2013 Dez 2014 Mar 2014 Abr 2014 Mai 2014 Jun 2015 Set 2015 Out 2015 Nov Reformulação do Projeto X Coleta de Dados X X Pesquisa Bibliográfica X X Aquisição da bibliografia X X Leitura e fichamento de textos Confecção e Defesa do TCC X X X X
  • 19. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1993. BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Volume um, Brasília, DF: MEC/SEF, 1998. BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Volume três, Brasília, DF: MEC/SEF, 1998. CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo, Editora Brasileira, 1994. CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo: Brasiliense, 1986. Coleção Primeiros Passos. COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise, didática - São Paulo, 1° edição. Moderna, 2000. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
  • 20. CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura Infantil teoria e prática – São Paulo. Editora Ática, 2006. Dicionário do Aurélio Online. Dicionário da Língua Portuguesa. FRANTZ, Maria Helena Zancan. O ensino da literatura nas séries iniciais. 3° ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2001. Coleção Educação. http://catracalivre.com.br/wpcontent/uploads/2010/08/reinac oesdenarizinho.pdf Acessado em 27/01/2014, às 18h44min. JOSÉ, Elias. Literatura infantil: ler, contar e encantar crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007. 22
  • 21. KHEDE, Sônia Salomão, org. Literatura infanto-juvenil. Um gênero polêmico. Petrópolis, Vozes, 1983. LAJOLO, Marisa. ZILBERMAN, Regina. Literatura Infantil Brasileira: História e Histórias – Editora Ática (série fundamentos): 6° edição, 2006. LAKATOS, Eva Maria; MARCON, Marina de Andrade. Fundamentos Metodológicos Científicos. São Paulo: Atlas, 1985. REGO, L. L. B. Literatura infantil: uma nova perspectiva da alfabetização na pré-escola. São Paulo, FTD, 1990. SOUZA, Ana A. Arguelho de. Literatura infantil na escola: a leitura em sala de aula. Campinas, SP: Autores Associados, 2010. SILVA, Nívea Priscilla Olinto da. A Leitura da Literatura na Escola: por uma educação emocional de crianças na educação infantil. Natal/RN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2010.
  • 22. ZILBERMAN, Regina. Literatura Infantil na Escola. 10ª edição. São Paulo: Editora Global, 1998. ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na Escola, 11° edição. Revisada, atual e ampla – São Paulo: Global, 2003. ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na Escola. 4° edição. São Paulo: Global, 1985. ZILBERMAN, Regina. Como e porque ler a Literatura Infantil Brasileira – Rio de Janeiro: Objetiva, 2005. ZILBERMAN, Regina. LAJOLO, Marisa. Um Brasil para crianças: para conhecer a literatura infantil brasileira: histórias, autores e textos. São Paulo: Global, 1986.