SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
GASOMETRIAARTERIAL
Cláudia Araújo
Fisioterapeuta
Residente Ano 1
Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº
Luis Tavares da Silva – PROCAPE
Programa de Especialização em Cardiologia
Modalidade Residência
Junho, 2016
Objetivos
• Descrever a técnica de coleta da gasometria arterial
• Explorar a interpretação da gasometria arterial
• Explicar o equilíbrio ácido-básico e suas alterações
Gasometria arterial
• Exame invasivo que mede as concentrações dos gases
sanguíneos e o estado ácido-básico do sangue.
• Exame simples e de baixo custo
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Gasometria arterial
Material
• Seringa de 3 mL
• Uma agulha 25 x 0,7 (13x4,5*)
• Um Frasco de Heparina
• Um par de luvas de procedimento
• Algodão
• Álcool a 70º
• Xilocaína 1-2%
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Gasometria arterial
Confirmar a
indicação/solicitação
Esclarecer ao paciente
Lavar as mãos e
respeitar as medidas de
proteção individual
(luvas, máscaras, etc)
Escolher a
seringa/agulha e
heparinizar a seringa
administrar
anestésicos locais
Limpar o local de
punção com
antisséptico
Escolher uma
artéria para punção
Realizar a coleta
Realizar
compressão até 10
minutos
Agitar a amostra
Realizar a leitura
do gasímetro
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Gasometria arterial
 Teste de Allen
Teste de Allen POSITIVO:
• Cor retormada em < 10s
• Circulação ulnar adequada
• Punção na artéria radial
pode ser efetuada
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Gasometria arterial
• Angulação na punção arterial
▫ Arterial radial: 30 a 45º
▫ Arterial femoral: 90º
• Registro do FiO2
• Ar ambiente: 21%
• Cateter nasal:
• Máscara de venturi: ver o sistema de arrasto
• Ventilação mecânica
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Equilíbrio ácido-básico
• Conceito: mecanismos fisiológicos que mantém a [H+] dos
líquidos corpóreos numa faixa compatível com a vida (pH =
7,35 – 7,45)
• pH: [H+] numa solução
• Ácidos: doam prótons (H+)
• Bases: recebem prótons (H+)
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Conjunto de substâncias que impede grandes variações do pH.
 Tampões Plasmáticos
• ↓ o efeito de ácidos ou bases adicionados nos líquidos corporais
• Atuação imediata
 Sistema Pulmonar
• elimina ou retém CO2 (Hiperventilação ou Hipoventilação)
• Atuação em minutos a horas
 Sistema Renal
• Filtração/Excreção de HCO3-, filtração de cloreto de sódio
• excreção de urina ácida ou alcalina, reajustando a concentração de
íons hidrogênio do líquido extracelular
• Atuação em horas ou dias
Equilíbrio ácido-básico
Sistema Tampão
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Sistema tampão
EQUAÇÃO DE HENDERSON-HALSEBACH
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Equilíbrio ácido-básico
Cálculo de uma solução tampão
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Valores normais da Gasometria arterial
pH7,35 7,45 AlcaloseAcidose
CO235 45 HipercapniaHipocapnia
O280 100 HiperoxemiaHipoxemia
HCO3-22 26
BE-2 +2 Ganho de basesPerda de bases
Base Excess
Quantidade de bases no sangue
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Oxigenação
• PaO2: 80 a 100 cmH2O
• PaO2 ideal para a idade
• Relação PaO2 / FiO2 ou relação P/F
Normal: > 300
< 300: Déficit de oxigenação
P/F < 100: SDRA grave
P/F < 200: SDRA moderada
PaO2 = 109 – 0,43 (idade)
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Distúrbios ácido-básicos
primários
• ACIDOSE RESPIRATÓRIA
• ALCALOSE RESPIRATÓRIA
• ACIDOSE METABÓLICA
• ALCALOSE METABÓLICA
Hipoventilação
RIM:
Alcalose Metabólica
Reabsorção de HCO3- para dentro do sangue
ACIDOSE RESPIRATÓRIA
ACIDOSE RESPIRATÓRIA
Hipercapnia
 PULMÕES NORMAIS
Depressão do SNC
Doenças neuromusculares
Trauma SNC
Distúrbios restritivos da caixa torácica
- Obesidade
- Cifoescoliose
 PULMÕES ANORMAIS
DPOC
Obstrução aguda das vias aéreas
CAUSAS
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Hipoventilação
Hiperventilação
RIM:
Acidose Metabólica
(Diurese de bicarbonato)
Eliminação de HCO3- pela urina
ALCALOSE RESPIRATÓRIA
ALCALOSE RESPIRATÓRIA
 PULMÕES NORMAIS
Ansiedade
Febre
Dor
Drogas estimulantes
Lesão do SNC
CAUSAS
Causa mais comum: Hipoxemia
 Estímulo ao SNC para aumentar a ventilação
 PULMÕES ANORMAIS
Asma aguda
Pneumonia
Edema pulmonar
 PULMÕES NORMAIS ou ANORMAIS
Hiperventilação iatrogênica (AVM)
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Hipocapnia
Hiperventilação
ACIDOSE METABÓLICA
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
PULMÃO:
Alcalose Respiratória
Elimina CO2 - Hiperventilação
PCO2 esperada: 1,5 x [HCO3-] + 8
ACIDOSE METABÓLICA
CAUSAS
Acúmulo de ácidos fixos no sangue (H2SO4; H3PO4; ác lático)
Perda excessiva de HCO3-
PERDA GASTROINTESTINAL: Diarréia
INSUFICIÊNCIA RENAL EM REABSORVER HCO3-: Acidose tubular renal
INGESTÃO: Hiperalimentação por nutrição venosa
GANHO DE ÁCIDOS METABOLICAMENTE PRODUZIDOS
Acidose lática, Cetoacidose, Insuficiência renal (ex.: retenção de H2S04)
INGESTÃO DE ÁCIDOS: Intoxicação por salicilato (aspirina)
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
ALCALOSE METABÓLICA
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
PULMÃO:
Acidose Respiratória
Rétem CO2 - Hipoventilação
PCO2 esperada: [HCO3-] + 15
ALCALOSE METABÓLICA
CAUSAS
HCO3- plasmático aumentado – Ganho de bases tampão no sangue
Perda de H+ - Perda de ácidos fixos
 PERDA DE ÍONS H+: Vômito, drenagem nasogástrica, diuréticos,
hipovolemia, hipocloremia, hipocalemia
RETENÇÃO DE ÍON CO3-: infusão em excesso, DPOC
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Interpretação gasométrica
• 1º passo: Identificar o pH (ácido? Básico?)
• 2º passo: definir o distúrbio ácido-básico
avaliar a PCO2 e a [HCO3-]
• 3º passo: observar sinais de compensação
• 4º passo: avaliar a oxigenação
(Machado, M. da G, 2015)
Exemplos
pH: 7,31 pH normal: 7,35 a 7,45
PaCO2: 32 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg
HCO3-: 16 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL
Acidose Metabólica
(Machado, M. da G, 2015)
pH: 7,49 pH normal: 7,35 a 7,45
PaCO2: 28 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg
HCO3-: 18 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL
Alcalose Respiratória
Exemplos
pH: 7,06 pH normal: 7,35 a 7,45
PaCO2: 56 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg
HCO3-: 16 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL
Distúrbio respiratório  Acidose
Distúrbio metabólico  Acidose
Acidose Mista
(Machado, M. da G, 2015)
Exemplos
pH: 7,13 pH normal: 7,35 a 7,45
PaCO2: 32 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg
HCO3-: 12 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL
Resposta compensatória:
Acidose metabólica:PaCO2 esperada = 1,5 x HCO3- + 8
PaCO2 esperada = 1,5 x 12 + 8
PaCO2 esperada = 26
PaCO2 na gasometria = 32
Acidose Mista
(Machado, M. da G, 2015)
Distúrbio metabólico  Acidose .:
Acidose Metabólica
Exemplos
pH: 7,33 pH normal: 7,35 a 7,45
PaCO2: 78 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg
HCO3-: 40 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL
BE: + 5 mEq/L BE: - 2 a +2 mEq/L
(Machado, M. da G, 2015)
BE-2 +2 Ganho de basesPerda de bases
Base Excess
Acidose Respiratória
Lactato arterial
• Produto final da glicólise anaeróbica que ocorre
em tecidos hipóxicos
↓ Taxa de
extração celular de
O2
↑ LACTATO
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Lactato arterial
• Repouso: < 2 mmol/L
• Lactato > 5 mmol/L x pH < 3,5  Acidose Lática
Lactato (mmol/L) Terminologia Mortalidade
associada
< 2,5 Normal -
2,5 a 4,9 Discreta 25 a 35%
5 a 9,9 Moderada 60 a 75%
> 10 Grave > 95 %
(Wilkins, Robert L., et al, 2010)
Referências bibliográficas
• Machado, M. da G., Bases da Fisioterapia Respiratória. Ed.
Guanabara koogan, 2015.
• Wilkins, Robert L., Stoller, James K., Kacmarek, Robert M.. Egan:
Fundamentos da Terapia Respiratória - 9ª Ed. 2010
(Machado, M. da G, 2015)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básicodapab
 
Exame Físico
Exame FísicoExame Físico
Exame Físicolacmuam
 
Noções de eletrocardiografia
Noções de eletrocardiografiaNoções de eletrocardiografia
Noções de eletrocardiografiaresenfe2013
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascularresenfe2013
 
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017WALFRIDO Farias Gomes
 
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...José Alexandre Pires de Almeida
 
Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...
Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...
Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...LAEC UNIVAG
 
Cristalóides e colóides na prática clínica
Cristalóides e colóides na prática clínicaCristalóides e colóides na prática clínica
Cristalóides e colóides na prática clínicaArquivo-FClinico
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaresenfe2013
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesMarci Oliveira
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tóraxpauloalambert
 
Introdução a Gasometria Arterial
Introdução a Gasometria ArterialIntrodução a Gasometria Arterial
Introdução a Gasometria ArterialFelipe Patrocínio
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologicoresenfe2013
 
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICCInsuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICCCíntia Costa
 

Mais procurados (20)

Choque
Choque Choque
Choque
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
 
Exame Físico
Exame FísicoExame Físico
Exame Físico
 
Sinais Vitais
Sinais VitaisSinais Vitais
Sinais Vitais
 
Noções de eletrocardiografia
Noções de eletrocardiografiaNoções de eletrocardiografia
Noções de eletrocardiografia
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascular
 
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
 
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
 
Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...
Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...
Liga acadêmica de emergências clínicas - GASOMETRIA APLICADAS ÀS EMERGÊNCIAS ...
 
Cristalóides e colóides na prática clínica
Cristalóides e colóides na prática clínicaCristalóides e colóides na prática clínica
Cristalóides e colóides na prática clínica
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_exames
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tórax
 
Introdução a Gasometria Arterial
Introdução a Gasometria ArterialIntrodução a Gasometria Arterial
Introdução a Gasometria Arterial
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICCInsuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
 

Destaque

Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterialadventista
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratórioemanuel
 
(7) 2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal
(7)   2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal(7)   2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal
(7) 2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonalHugo Martins
 
3EM #07 Sistema Respiratório
3EM #07 Sistema Respiratório3EM #07 Sistema Respiratório
3EM #07 Sistema RespiratórioProfessô Kyoshi
 
Fisiologia sistema respiratório
Fisiologia sistema respiratórioFisiologia sistema respiratório
Fisiologia sistema respiratórioRaul Tomé
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioHerbert Santana
 
Aula sistema respiratório
Aula sistema respiratórioAula sistema respiratório
Aula sistema respiratóriocarlotabuchi
 
Sistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aulaSistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aulaFabiano Reis
 

Destaque (13)

Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
Gasometría arterial ppt
Gasometría arterial pptGasometría arterial ppt
Gasometría arterial ppt
 
Gasometria many
Gasometria manyGasometria many
Gasometria many
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
(7) 2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal
(7)   2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal(7)   2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal
(7) 2008-2009 - 9º ano - sistema neuro-hormonal
 
3EM #07 Sistema Respiratório
3EM #07 Sistema Respiratório3EM #07 Sistema Respiratório
3EM #07 Sistema Respiratório
 
Fisiologia sistema respiratório
Fisiologia sistema respiratórioFisiologia sistema respiratório
Fisiologia sistema respiratório
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
 
Aula sistema respiratório
Aula sistema respiratórioAula sistema respiratório
Aula sistema respiratório
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aulaSistema respiratorio slides da aula
Sistema respiratorio slides da aula
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema respiratorio powerpoint
Sistema respiratorio powerpointSistema respiratorio powerpoint
Sistema respiratorio powerpoint
 

Semelhante a Gasometria Arterial

Semelhante a Gasometria Arterial (20)

slidesgasometriaarterial-atualizado 1.pptx
slidesgasometriaarterial-atualizado 1.pptxslidesgasometriaarterial-atualizado 1.pptx
slidesgasometriaarterial-atualizado 1.pptx
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
3 WEBINAR ANALISE DE GASOMETRIA - INTERPRETACAO BASICA DE BALANCO ACIDO-BASE ...
3 WEBINAR ANALISE DE GASOMETRIA - INTERPRETACAO BASICA DE BALANCO ACIDO-BASE ...3 WEBINAR ANALISE DE GASOMETRIA - INTERPRETACAO BASICA DE BALANCO ACIDO-BASE ...
3 WEBINAR ANALISE DE GASOMETRIA - INTERPRETACAO BASICA DE BALANCO ACIDO-BASE ...
 
Acido base.ppt
Acido base.pptAcido base.ppt
Acido base.ppt
 
Gasometria
GasometriaGasometria
Gasometria
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
Equilibrio acido basico
Equilibrio acido basicoEquilibrio acido basico
Equilibrio acido basico
 
Distúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Distúrbios do Equílibrio Ácido-BaseDistúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Distúrbios do Equílibrio Ácido-Base
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
tampoes_biologicos.pdf
tampoes_biologicos.pdftampoes_biologicos.pdf
tampoes_biologicos.pdf
 
Sistemas tampão
Sistemas tampãoSistemas tampão
Sistemas tampão
 
Insuficiencia Respiratoria
Insuficiencia RespiratoriaInsuficiencia Respiratoria
Insuficiencia Respiratoria
 
Eab e fluidoterapia
Eab e fluidoterapiaEab e fluidoterapia
Eab e fluidoterapia
 
Sistemas tampão
Sistemas tampãoSistemas tampão
Sistemas tampão
 
Suporte Ventilatório/ Ventilação Mecânica Invasiva e Não Invasiva
Suporte Ventilatório/ Ventilação Mecânica Invasiva e Não InvasivaSuporte Ventilatório/ Ventilação Mecânica Invasiva e Não Invasiva
Suporte Ventilatório/ Ventilação Mecânica Invasiva e Não Invasiva
 
Aula 5 - B
Aula 5 - BAula 5 - B
Aula 5 - B
 
Aula 5 - B
Aula 5 - BAula 5 - B
Aula 5 - B
 
Aula 6 - B
Aula 6 - BAula 6 - B
Aula 6 - B
 
2.3. DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE EXAMES HEMOGASOMETRIA (1).pdf
2.3. DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE EXAMES HEMOGASOMETRIA (1).pdf2.3. DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE EXAMES HEMOGASOMETRIA (1).pdf
2.3. DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE EXAMES HEMOGASOMETRIA (1).pdf
 

Mais de resenfe2013

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aortaresenfe2013
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivasresenfe2013
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulasresenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultosresenfe2013
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumáticaresenfe2013
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocarditeresenfe2013
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonarresenfe2013
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratóriaresenfe2013
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonarresenfe2013
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIresenfe2013
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmãoresenfe2013
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificialresenfe2013
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínearesenfe2013
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagasresenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátricaresenfe2013
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresresenfe2013
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativasresenfe2013
 
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaPós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaresenfe2013
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaresenfe2013
 

Mais de resenfe2013 (20)

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
 
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaPós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
 

Último

Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisbertoadelinofelisberto3
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfDanieldaSade
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosThaiseGerber2
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfDanieldaSade
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdfIANAHAAS
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasProf. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (9)

Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 

Gasometria Arterial

  • 1. GASOMETRIAARTERIAL Cláudia Araújo Fisioterapeuta Residente Ano 1 Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luis Tavares da Silva – PROCAPE Programa de Especialização em Cardiologia Modalidade Residência Junho, 2016
  • 2. Objetivos • Descrever a técnica de coleta da gasometria arterial • Explorar a interpretação da gasometria arterial • Explicar o equilíbrio ácido-básico e suas alterações
  • 3. Gasometria arterial • Exame invasivo que mede as concentrações dos gases sanguíneos e o estado ácido-básico do sangue. • Exame simples e de baixo custo (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 4. Gasometria arterial Material • Seringa de 3 mL • Uma agulha 25 x 0,7 (13x4,5*) • Um Frasco de Heparina • Um par de luvas de procedimento • Algodão • Álcool a 70º • Xilocaína 1-2% (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 5. Gasometria arterial Confirmar a indicação/solicitação Esclarecer ao paciente Lavar as mãos e respeitar as medidas de proteção individual (luvas, máscaras, etc) Escolher a seringa/agulha e heparinizar a seringa administrar anestésicos locais Limpar o local de punção com antisséptico Escolher uma artéria para punção Realizar a coleta Realizar compressão até 10 minutos Agitar a amostra Realizar a leitura do gasímetro (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 6. Gasometria arterial  Teste de Allen Teste de Allen POSITIVO: • Cor retormada em < 10s • Circulação ulnar adequada • Punção na artéria radial pode ser efetuada (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 7. Gasometria arterial • Angulação na punção arterial ▫ Arterial radial: 30 a 45º ▫ Arterial femoral: 90º • Registro do FiO2 • Ar ambiente: 21% • Cateter nasal: • Máscara de venturi: ver o sistema de arrasto • Ventilação mecânica (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 8. Equilíbrio ácido-básico • Conceito: mecanismos fisiológicos que mantém a [H+] dos líquidos corpóreos numa faixa compatível com a vida (pH = 7,35 – 7,45) • pH: [H+] numa solução • Ácidos: doam prótons (H+) • Bases: recebem prótons (H+) (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 9. Conjunto de substâncias que impede grandes variações do pH.  Tampões Plasmáticos • ↓ o efeito de ácidos ou bases adicionados nos líquidos corporais • Atuação imediata  Sistema Pulmonar • elimina ou retém CO2 (Hiperventilação ou Hipoventilação) • Atuação em minutos a horas  Sistema Renal • Filtração/Excreção de HCO3-, filtração de cloreto de sódio • excreção de urina ácida ou alcalina, reajustando a concentração de íons hidrogênio do líquido extracelular • Atuação em horas ou dias Equilíbrio ácido-básico Sistema Tampão (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 10. Sistema tampão EQUAÇÃO DE HENDERSON-HALSEBACH (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 11. Equilíbrio ácido-básico Cálculo de uma solução tampão (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 12. Valores normais da Gasometria arterial pH7,35 7,45 AlcaloseAcidose CO235 45 HipercapniaHipocapnia O280 100 HiperoxemiaHipoxemia HCO3-22 26 BE-2 +2 Ganho de basesPerda de bases Base Excess Quantidade de bases no sangue (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 13. Oxigenação • PaO2: 80 a 100 cmH2O • PaO2 ideal para a idade • Relação PaO2 / FiO2 ou relação P/F Normal: > 300 < 300: Déficit de oxigenação P/F < 100: SDRA grave P/F < 200: SDRA moderada PaO2 = 109 – 0,43 (idade) (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 14. Distúrbios ácido-básicos primários • ACIDOSE RESPIRATÓRIA • ALCALOSE RESPIRATÓRIA • ACIDOSE METABÓLICA • ALCALOSE METABÓLICA
  • 15. Hipoventilação RIM: Alcalose Metabólica Reabsorção de HCO3- para dentro do sangue ACIDOSE RESPIRATÓRIA
  • 16. ACIDOSE RESPIRATÓRIA Hipercapnia  PULMÕES NORMAIS Depressão do SNC Doenças neuromusculares Trauma SNC Distúrbios restritivos da caixa torácica - Obesidade - Cifoescoliose  PULMÕES ANORMAIS DPOC Obstrução aguda das vias aéreas CAUSAS (Wilkins, Robert L., et al, 2010) Hipoventilação
  • 17. Hiperventilação RIM: Acidose Metabólica (Diurese de bicarbonato) Eliminação de HCO3- pela urina ALCALOSE RESPIRATÓRIA
  • 18. ALCALOSE RESPIRATÓRIA  PULMÕES NORMAIS Ansiedade Febre Dor Drogas estimulantes Lesão do SNC CAUSAS Causa mais comum: Hipoxemia  Estímulo ao SNC para aumentar a ventilação  PULMÕES ANORMAIS Asma aguda Pneumonia Edema pulmonar  PULMÕES NORMAIS ou ANORMAIS Hiperventilação iatrogênica (AVM) (Wilkins, Robert L., et al, 2010) Hipocapnia Hiperventilação
  • 19. ACIDOSE METABÓLICA (Wilkins, Robert L., et al, 2010) PULMÃO: Alcalose Respiratória Elimina CO2 - Hiperventilação PCO2 esperada: 1,5 x [HCO3-] + 8
  • 20. ACIDOSE METABÓLICA CAUSAS Acúmulo de ácidos fixos no sangue (H2SO4; H3PO4; ác lático) Perda excessiva de HCO3- PERDA GASTROINTESTINAL: Diarréia INSUFICIÊNCIA RENAL EM REABSORVER HCO3-: Acidose tubular renal INGESTÃO: Hiperalimentação por nutrição venosa GANHO DE ÁCIDOS METABOLICAMENTE PRODUZIDOS Acidose lática, Cetoacidose, Insuficiência renal (ex.: retenção de H2S04) INGESTÃO DE ÁCIDOS: Intoxicação por salicilato (aspirina) (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 21. ALCALOSE METABÓLICA (Wilkins, Robert L., et al, 2010) PULMÃO: Acidose Respiratória Rétem CO2 - Hipoventilação PCO2 esperada: [HCO3-] + 15
  • 22. ALCALOSE METABÓLICA CAUSAS HCO3- plasmático aumentado – Ganho de bases tampão no sangue Perda de H+ - Perda de ácidos fixos  PERDA DE ÍONS H+: Vômito, drenagem nasogástrica, diuréticos, hipovolemia, hipocloremia, hipocalemia RETENÇÃO DE ÍON CO3-: infusão em excesso, DPOC (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 23. Interpretação gasométrica • 1º passo: Identificar o pH (ácido? Básico?) • 2º passo: definir o distúrbio ácido-básico avaliar a PCO2 e a [HCO3-] • 3º passo: observar sinais de compensação • 4º passo: avaliar a oxigenação (Machado, M. da G, 2015)
  • 24. Exemplos pH: 7,31 pH normal: 7,35 a 7,45 PaCO2: 32 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg HCO3-: 16 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL Acidose Metabólica (Machado, M. da G, 2015) pH: 7,49 pH normal: 7,35 a 7,45 PaCO2: 28 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg HCO3-: 18 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL Alcalose Respiratória
  • 25. Exemplos pH: 7,06 pH normal: 7,35 a 7,45 PaCO2: 56 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg HCO3-: 16 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL Distúrbio respiratório  Acidose Distúrbio metabólico  Acidose Acidose Mista (Machado, M. da G, 2015)
  • 26. Exemplos pH: 7,13 pH normal: 7,35 a 7,45 PaCO2: 32 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg HCO3-: 12 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL Resposta compensatória: Acidose metabólica:PaCO2 esperada = 1,5 x HCO3- + 8 PaCO2 esperada = 1,5 x 12 + 8 PaCO2 esperada = 26 PaCO2 na gasometria = 32 Acidose Mista (Machado, M. da G, 2015) Distúrbio metabólico  Acidose .: Acidose Metabólica
  • 27. Exemplos pH: 7,33 pH normal: 7,35 a 7,45 PaCO2: 78 mmHg PaCO2: 35-45 mmHg HCO3-: 40 mEq/mL HCO3-: 22 a 26 mEq/mL BE: + 5 mEq/L BE: - 2 a +2 mEq/L (Machado, M. da G, 2015) BE-2 +2 Ganho de basesPerda de bases Base Excess Acidose Respiratória
  • 28. Lactato arterial • Produto final da glicólise anaeróbica que ocorre em tecidos hipóxicos ↓ Taxa de extração celular de O2 ↑ LACTATO (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 29. Lactato arterial • Repouso: < 2 mmol/L • Lactato > 5 mmol/L x pH < 3,5  Acidose Lática Lactato (mmol/L) Terminologia Mortalidade associada < 2,5 Normal - 2,5 a 4,9 Discreta 25 a 35% 5 a 9,9 Moderada 60 a 75% > 10 Grave > 95 % (Wilkins, Robert L., et al, 2010)
  • 30. Referências bibliográficas • Machado, M. da G., Bases da Fisioterapia Respiratória. Ed. Guanabara koogan, 2015. • Wilkins, Robert L., Stoller, James K., Kacmarek, Robert M.. Egan: Fundamentos da Terapia Respiratória - 9ª Ed. 2010 (Machado, M. da G, 2015)

Notas do Editor

  1. 1º: Lave as mãos. 2º: Separe o material; Uma seringa de 3ml, Uma agulha 25 x 0,7(alguns profissionais preferem agulhas de 13x4,5) Um Frasco de Heparina Um par de luvas de procedimento Algodão Álcool a 70 Usando de técnica de preparação de medicamentos, aspire a heparina com a seringa de 3ml e devolva o conteúdo aspirado para o frasco, com o intuito somente de molhar a seringa, o que irá reter na seringa aproximadamente 0,4ml(volumes maiores de heparina podem causar alterações no pH da amostra). Garanta que o paciente esteja ao menos 15 minutos em repouso. Escolha a artéria para punção através de palpação, se radial, femoral, braquial ou pediosa. Faça anti-sepsia do local de escolha com algodão e álcool. Puncione a artéria em ângulo de 30 a 45 graus se radial, e 90 graus para femoral. Após punção, comprimir o local por no mínimo 3 minutos. Obs: Em temperatura ambiente e amostra dura 10 minutos sem perda dos gases, se acondicionada em refrigerador ganha se mais tempo.
  2. Peça para o doente fechar a mão fortemente formando um punho. Força se assim a saída do sangue da mão. Usando os seus dedos indicador e médio de ambas as mãos, palpe as artérias ulnar e radial. Comprima e obstrua o fluxo do sangue em ambas as artérias enquanto o doente abre parcialmente e fecha a mão 4 a 5 vezes. Mantenha a mão do doente com a palma para cima. Esta deverá aparecer esbranquiçada. Reduza a pressão na artéria ulnar enquanto observa a cor da palma, dedos e em especial o polegar. A mão e os dedos deverão ficar preenchidos dentro de 10 a 15 segundos se a circulação ulnar for adequada. Se a mão permanecer esbranquiçada, a circulação não é adequada nessa mão (teste de Allen negativo) e, a punção da radial não deve ser feita. Se a cor é retomada ( teste de Allen positivo), a punção da artéria radial pode ser efetuada com segurança.
  3. Potencial hidrogeniônico
  4. Pneumonia e edema pulmonar: estimulação de receptores por substâncias irritantes.
  5. Pneumonia e edema pulmonar: estimulação de receptores por substâncias irritantes.
  6. Acúmulo de ácido fixo: ex: estado de baixo fluxo sanguíneo no qual a hipoxia tecidual e o metabolismo anaerobico  ácido lático Perda excessiva de HCO3-: ex: diarréia severa
  7. Pneumonia e edema pulmonar: estimulação de receptores por substâncias irritantes.