SlideShare uma empresa Scribd logo
Cirurgia de Revascularização
do miocárdio
e Troca de Válvulas
Enfermeira: Thamires Tavares (R´2)
PRONTO SOCORRO CARDIOLÓGICO DE PERNAMBUCO
PROFº LUIZ TAVARES
PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA
MODALIDADE RESIDÊNCIA
Abril/2016
Objetivos:
• Descrever a Cirurgia de Revascularização do
Miocárdio;
• Descrever a cirurgia de troca de Válvulas;
• Elencar os principais diagnósticos de
enfermagem;
Introdução
•DAC é a causa mais comum de doença cardiovascular
atualmente no mundo;
•Dado por um acúmulo anormal de substâncias lipídicas e
tecido fibroso no revestimento das paredes vasculares
arteriais;
• Podendo levar ao IAM que é causado pela redução
do fluxo sanguíneo em uma ou mais artéria
coronarianas devido a ruptura de uma placa
aterosclerótica por um trombo;
• Associado a uma dieta rica em gorduras, ausência
de atividade física, uso do tabaco, hiperlipidemia,
HAS, DM e fatores genéticos elevam o risco para
IAM.
•
(GUIMARÃES, 2009; BRIDI, 2013)
As artérias coronárias :
São vasos epicárdicos de médio calibre que se originam dos
seios aórticos e se ramificam sobre soda superfície cardíaca,
garntido aporte sanguíneo durante a diástole ventricular.
A aorta da Origem:
Artéria Coronária Esquerda se divide em:
•DA(Artéria Descendente Anterior): da origem aos ramos
diagonais, irriga parede do VE, e septais que irriga dois terços
superior do septo.
•CX (Artéria Circunflexa): da origem aos ramos marginais
esquerdos, irriga parede lateral e posterior do VE
E Artéria Coronária Direita(ACD): da origem a diversos
ramos, entre eles a artéria do nó sinusal e irrigando VD.
(GUIMARÃES, 2009)
CRMC
Para a indicação cirúrgica de CRMR o paciente deve
apresentar lesões com no mínimo 70% de oclusão;
Os vasos utilizados são veia safena maior e/ou as arterias
mamárias direita e esquerda.
Que ligaram os novos vasos da Aorta até a parte distal da
oclusão.
(POTTER & PERRY, 2009)
CRMC
CEC
• É uma bomba que circula e oxigena mecanicamente o
sangue para o corpo, mantendo a perfusão para os orgão e
tecidos permitindo assim que a cirurgia seja terminada;
• Uma canula é colocada no átrio direito, veia cava, femoral
p/ retirar o sangue do organismo( com uma solução de
cristalóides isotônicos);
• A solução: proporciona menor destruição das células
sanguíneas e melhor perfusão dos tecidos.
• Sendo assim filtrado, oxigenado, resfriado pelo aparelho e
devolvido ao corpo.
CEC
 Desencadeia uma reação inflamatória isquêmica que pode
contribuir para uma injuria isquêmica por causa do contato
do sangue com o circuito;
 Que pode se manifestar com duas ou mais alterações
sistêmicas:
Aumento ou diminuição da temperatura corporal;
 Aumento da FC > 90 bpm;
Aumento da FR > 22 rpm;
Aumento do glóbulos brancos < 12000/cumm;
VALVAS CARDÍACAS
Cirurgia de troca Válvulas
• As valvas Mitral e/ou Aórtica são as mais
comumente afetadas por pacientes que tiveram
febre reumática ou possuem algum tipo de
comorbidade associado a valva:
• Ex1: Prolapso da Valva Mitral (quando parte ou
ambos folhetos retrocedem para dentro do átrio
durante a sístole);
• Ex2: Regurgitação Mitral (há um refluxo do do
sangue do ventrículo esquerdo para o átrio
esquerdo durante a sístole);
• Ex 3: Regurgitação Aórtica quando há refluxo
do sangue da aorta para o VE durante a diástole;
• EX4: Estenose Aórtica é o estreitamento entre o
VE e a Aorta.
VALVULOPLASTIA:
 È um procedimento realizado em Bloco sob anestesia
geral, onde será introduzido um fio-guia, depois um balão
que será insuflado com solução angiográfica diluída, para
promover a abertura da valva.
Cirurgias de Troca de Válvulas
Biológica
Metálica
Cuidados de Enfermagem
• Uso de anticoagulantes;
• Orientar o paciente sobre hábitos de vida saudáveis;
• Abandono do fumo, álcool, redução de peso, cuidados com
a saúde em geral;
• Realizar profilaxia com antibióticos, antes de procedimentos
invasivos.
REFERÊNCIAS
• GUIMARÃES, Hélio Penna. Guia Prático de UTI da AMIB. São Paulo: Atheneu, 2009.
• Manual de perioperatório de cirurgia cardiaca da AMIB. –SP: editora Atheneu, 2012.
• Manual de cardiologia Cardiopapers/editores Cavalcante Lapa Santos...{et al.}-SP : Editora
Atheneu,2013.
• PALOMO, J. S. H. Enfermagem em cardiologia: cuidados avançados. Instituto do Coração do
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Barueri, SP: Manole, 2007.
• MORTON, P. G.; FONATINE, D. K. Fundamentos dos cuidados críticos em enfermagem:
uma abordagem holística-1 ed- Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
• SMELTZER, S. C.; BARE, B. G. Brunner & Suddarth: Tratado de enfermagem médico-
cirúrgica. Volume III. 11ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebralApresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebral
Laboratório Sérgio Franco
 
Acidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular EncefálicoAcidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular Encefálico
Brenda Lahlou
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
resenfe2013
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
resenfe2013
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
resenfe2013
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
dapab
 
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascularPós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
Paulo Sérgio
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
Danielle Alexia
 
AVC
AVCAVC
Monitoriazação Hemodinâmica.pptx
Monitoriazação Hemodinâmica.pptxMonitoriazação Hemodinâmica.pptx
Monitoriazação Hemodinâmica.pptx
ssuser51d27c1
 
Distúrbios hidroeletrolíticos
Distúrbios hidroeletrolíticosDistúrbios hidroeletrolíticos
Distúrbios hidroeletrolíticos
resenfe2013
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascular
resenfe2013
 
Arritimias cardíacas
Arritimias cardíacasArritimias cardíacas
Arritimias cardíacas
dapab
 
RCP
RCPRCP
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
dapab
 
Monitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaMonitorização Hemodinamica
Monitorização Hemodinamica
Rodrigo Biondi
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
SMS - Petrópolis
 
Aula 08 aspiração endotraqueal
Aula 08   aspiração endotraquealAula 08   aspiração endotraqueal
Aula 08 aspiração endotraqueal
Rodrigo Abreu
 
História da Cirurgia
História da CirurgiaHistória da Cirurgia
História da Cirurgia
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
Mariana Artuni Rossi
 

Mais procurados (20)

Apresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebralApresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebral
 
Acidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular EncefálicoAcidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular Encefálico
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
 
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascularPós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
 
AVC
AVCAVC
AVC
 
Monitoriazação Hemodinâmica.pptx
Monitoriazação Hemodinâmica.pptxMonitoriazação Hemodinâmica.pptx
Monitoriazação Hemodinâmica.pptx
 
Distúrbios hidroeletrolíticos
Distúrbios hidroeletrolíticosDistúrbios hidroeletrolíticos
Distúrbios hidroeletrolíticos
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascular
 
Arritimias cardíacas
Arritimias cardíacasArritimias cardíacas
Arritimias cardíacas
 
RCP
RCPRCP
RCP
 
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
 
Monitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaMonitorização Hemodinamica
Monitorização Hemodinamica
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
 
Aula 08 aspiração endotraqueal
Aula 08   aspiração endotraquealAula 08   aspiração endotraqueal
Aula 08 aspiração endotraqueal
 
História da Cirurgia
História da CirurgiaHistória da Cirurgia
História da Cirurgia
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
 

Semelhante a Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas

Doença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaDoença Arterial Coronariana
Doença Arterial Coronariana
resenfe2013
 
Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
resenfe2013
 
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Tecoluca Luiz
 
Fisiologia Cardiovascular
Fisiologia CardiovascularFisiologia Cardiovascular
Fisiologia Cardiovascular
Alessandro Marlos
 
HEMODINÂMICA
HEMODINÂMICAHEMODINÂMICA
Atuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientes
Atuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientesAtuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientes
Atuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientes
resenfe2013
 
ECMO
ECMOECMO
Terapias de substituição renal
Terapias de substituição renalTerapias de substituição renal
Terapias de substituição renal
Julio Cesar Matias
 
Slad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesiculaSlad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesicula
Edinelza Rodrigues
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
Rafael Costa
 
Aula Sangue
Aula SangueAula Sangue
Aula Sangue
MaianaTeixeira1
 
Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização
Uiliam Santos
 
Enfcardio04
Enfcardio04Enfcardio04
Enfcardio04
Claudio Viegas
 
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralTransplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Renan Miranda Cavalcante
 
Avc perioperatório
Avc perioperatórioAvc perioperatório
Avc perioperatório
Paulo Prates
 
AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------
AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------
AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------
marcoskuchniski1
 
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal AlcoolicaMiocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Evandro Martins Filho
 
Intervenção Coronária Percutânea
Intervenção Coronária PercutâneaIntervenção Coronária Percutânea
Intervenção Coronária Percutânea
resenfe2013
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
Paula Oliveira
 
Iam infarto miocardio -
Iam   infarto miocardio -Iam   infarto miocardio -
Iam infarto miocardio -
Denilsi Gonçalves
 

Semelhante a Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas (20)

Doença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaDoença Arterial Coronariana
Doença Arterial Coronariana
 
Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
 
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
 
Fisiologia Cardiovascular
Fisiologia CardiovascularFisiologia Cardiovascular
Fisiologia Cardiovascular
 
HEMODINÂMICA
HEMODINÂMICAHEMODINÂMICA
HEMODINÂMICA
 
Atuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientes
Atuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientesAtuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientes
Atuação da fisioterapia na terapia intensiva em pacientes
 
ECMO
ECMOECMO
ECMO
 
Terapias de substituição renal
Terapias de substituição renalTerapias de substituição renal
Terapias de substituição renal
 
Slad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesiculaSlad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesicula
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
 
Aula Sangue
Aula SangueAula Sangue
Aula Sangue
 
Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização
 
Enfcardio04
Enfcardio04Enfcardio04
Enfcardio04
 
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralTransplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
 
Avc perioperatório
Avc perioperatórioAvc perioperatório
Avc perioperatório
 
AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------
AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------
AULA 9 - CHOQUES.pptx---------------------
 
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal AlcoolicaMiocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
 
Intervenção Coronária Percutânea
Intervenção Coronária PercutâneaIntervenção Coronária Percutânea
Intervenção Coronária Percutânea
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
 
Iam infarto miocardio -
Iam   infarto miocardio -Iam   infarto miocardio -
Iam infarto miocardio -
 

Mais de resenfe2013

Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
resenfe2013
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
resenfe2013
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
resenfe2013
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
resenfe2013
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
resenfe2013
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
resenfe2013
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
resenfe2013
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
resenfe2013
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
resenfe2013
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
resenfe2013
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
resenfe2013
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
resenfe2013
 
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaPós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
resenfe2013
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
resenfe2013
 
Ventilação Não-invasiva
Ventilação Não-invasivaVentilação Não-invasiva
Ventilação Não-invasiva
resenfe2013
 
Exame Físico Multidisciplinar
Exame Físico MultidisciplinarExame Físico Multidisciplinar
Exame Físico Multidisciplinar
resenfe2013
 

Mais de resenfe2013 (20)

Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
 
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaPós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
 
Ventilação Não-invasiva
Ventilação Não-invasivaVentilação Não-invasiva
Ventilação Não-invasiva
 
Exame Físico Multidisciplinar
Exame Físico MultidisciplinarExame Físico Multidisciplinar
Exame Físico Multidisciplinar
 

Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas

  • 1. Cirurgia de Revascularização do miocárdio e Troca de Válvulas Enfermeira: Thamires Tavares (R´2) PRONTO SOCORRO CARDIOLÓGICO DE PERNAMBUCO PROFº LUIZ TAVARES PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA MODALIDADE RESIDÊNCIA Abril/2016
  • 2. Objetivos: • Descrever a Cirurgia de Revascularização do Miocárdio; • Descrever a cirurgia de troca de Válvulas; • Elencar os principais diagnósticos de enfermagem;
  • 3. Introdução •DAC é a causa mais comum de doença cardiovascular atualmente no mundo; •Dado por um acúmulo anormal de substâncias lipídicas e tecido fibroso no revestimento das paredes vasculares arteriais;
  • 4. • Podendo levar ao IAM que é causado pela redução do fluxo sanguíneo em uma ou mais artéria coronarianas devido a ruptura de uma placa aterosclerótica por um trombo; • Associado a uma dieta rica em gorduras, ausência de atividade física, uso do tabaco, hiperlipidemia, HAS, DM e fatores genéticos elevam o risco para IAM.
  • 6. As artérias coronárias : São vasos epicárdicos de médio calibre que se originam dos seios aórticos e se ramificam sobre soda superfície cardíaca, garntido aporte sanguíneo durante a diástole ventricular. A aorta da Origem: Artéria Coronária Esquerda se divide em: •DA(Artéria Descendente Anterior): da origem aos ramos diagonais, irriga parede do VE, e septais que irriga dois terços superior do septo. •CX (Artéria Circunflexa): da origem aos ramos marginais esquerdos, irriga parede lateral e posterior do VE E Artéria Coronária Direita(ACD): da origem a diversos ramos, entre eles a artéria do nó sinusal e irrigando VD.
  • 8.
  • 9. CRMC Para a indicação cirúrgica de CRMR o paciente deve apresentar lesões com no mínimo 70% de oclusão; Os vasos utilizados são veia safena maior e/ou as arterias mamárias direita e esquerda. Que ligaram os novos vasos da Aorta até a parte distal da oclusão. (POTTER & PERRY, 2009)
  • 10. CRMC
  • 11. CEC • É uma bomba que circula e oxigena mecanicamente o sangue para o corpo, mantendo a perfusão para os orgão e tecidos permitindo assim que a cirurgia seja terminada; • Uma canula é colocada no átrio direito, veia cava, femoral p/ retirar o sangue do organismo( com uma solução de cristalóides isotônicos); • A solução: proporciona menor destruição das células sanguíneas e melhor perfusão dos tecidos. • Sendo assim filtrado, oxigenado, resfriado pelo aparelho e devolvido ao corpo.
  • 12. CEC  Desencadeia uma reação inflamatória isquêmica que pode contribuir para uma injuria isquêmica por causa do contato do sangue com o circuito;  Que pode se manifestar com duas ou mais alterações sistêmicas: Aumento ou diminuição da temperatura corporal;  Aumento da FC > 90 bpm; Aumento da FR > 22 rpm; Aumento do glóbulos brancos < 12000/cumm;
  • 13.
  • 15. Cirurgia de troca Válvulas • As valvas Mitral e/ou Aórtica são as mais comumente afetadas por pacientes que tiveram febre reumática ou possuem algum tipo de comorbidade associado a valva: • Ex1: Prolapso da Valva Mitral (quando parte ou ambos folhetos retrocedem para dentro do átrio durante a sístole);
  • 16. • Ex2: Regurgitação Mitral (há um refluxo do do sangue do ventrículo esquerdo para o átrio esquerdo durante a sístole); • Ex 3: Regurgitação Aórtica quando há refluxo do sangue da aorta para o VE durante a diástole; • EX4: Estenose Aórtica é o estreitamento entre o VE e a Aorta.
  • 17. VALVULOPLASTIA:  È um procedimento realizado em Bloco sob anestesia geral, onde será introduzido um fio-guia, depois um balão que será insuflado com solução angiográfica diluída, para promover a abertura da valva.
  • 18. Cirurgias de Troca de Válvulas Biológica Metálica
  • 19.
  • 20. Cuidados de Enfermagem • Uso de anticoagulantes; • Orientar o paciente sobre hábitos de vida saudáveis; • Abandono do fumo, álcool, redução de peso, cuidados com a saúde em geral; • Realizar profilaxia com antibióticos, antes de procedimentos invasivos.
  • 21. REFERÊNCIAS • GUIMARÃES, Hélio Penna. Guia Prático de UTI da AMIB. São Paulo: Atheneu, 2009. • Manual de perioperatório de cirurgia cardiaca da AMIB. –SP: editora Atheneu, 2012. • Manual de cardiologia Cardiopapers/editores Cavalcante Lapa Santos...{et al.}-SP : Editora Atheneu,2013. • PALOMO, J. S. H. Enfermagem em cardiologia: cuidados avançados. Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Barueri, SP: Manole, 2007. • MORTON, P. G.; FONATINE, D. K. Fundamentos dos cuidados críticos em enfermagem: uma abordagem holística-1 ed- Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. • SMELTZER, S. C.; BARE, B. G. Brunner & Suddarth: Tratado de enfermagem médico- cirúrgica. Volume III. 11ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.