SlideShare uma empresa Scribd logo
Doença de Chagas
Enfª R1 – Camila Abrantes Cordeiro
Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luiz Tavares
Programa de Especialização em Cardiologia Modalidade
Residência
Março,2016
Objetivos
• Descrever a Doença de Chagas e sua fisiopatologia.
• Discutir a classificação, diagnósticos e tratamento da Doença de
Chagas.
• Abordar a assistência de enfermagem ao paciente com Doença de
Chagas.
Introdução
• Foi descrita, em 1909, pelo pesquisador brasileiro Carlos Chagas.
• Infeccção causada pelo protozoário flagelado Trypanosoma cruzi e
transmitida por insetos conhecidos como “barbeiros”.
• Maior prevalência em países da América Latina. A Organização
Mundial de Saúde estima 16 a 18 milhões de indivíduos infectados.
• No Brasil, estima-se a existência de 3,5 milhões de pacientes
infectados, dos quais 20% a 30% apresentam comprometimento
cardíaco.
(BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
Transmissão
Vetorial Transfusional
Transplacentária
(congênita) Via oral
(BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
Transmissão
Fonte: Google imagens
(BRASIL 2008; MALTA, 1996)
Apresentação clínica da doença
Infecção pelo T.
Cruzi
AGUDA
CRÔNICA
INDETERMINADA
CARDÍACA
DIGESTIVA
ASSOCIADA
(BRASIL, 2011; BRASIL 2005)
Fase aguda
Febre, cefaléia, mialgia, artralgia, diarreia, vômito.
Miocardite aguda, pericardite, cardiomegalia, insuficiência cardíaca,
arritmias, edema de face e/ou membros inferiores.
Lesões de porta de entrada
• Sinal de Romaña • Chagoma de inoculação
(BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
Fase crônica
• Ocorre em cerca de 50 – 60% dos casos.
• Assintomático e sem sinais de
comprometimento do aparelho
circulatório e digestivo.
Indeterminada
• Ocorre em cerca de 10% dos casos.
• Evidências de acometimento do aparelho
digestivo que, freqüentemente, evolui
para megacólon ou megaesôfago.
Digestiva
• Cerca de 5% dos casos.
• Ocorrência concomitante de lesões.
Associada
(cardiodigestiva)
(BRASIL, 2011; DIAS, 2007)
Forma Digestiva
Megaesôfago
Disfagia
Regurgitação
Dor esofagiana
Pirose
Odinofagia
Megacólon
Constipação intestinal
Disquezia
Distensão abdominal
Torções de intestino
Fecaloma
• Repercussões da doença no trato gastrointestinal, dentre as quais
sobressaem as alterações de motilidade do esôfago e do cólon, resultando
em megaesôfago e megacólon.
(BRASIL, 2011; BRASIL 2005)
Forma Digestiva
(BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
Fonte: Google imagens
Cardiopatia Chagásica Crônica
• Inflamação progressiva e fibrosante do miocárdio.
• Trombos
• Aneurisma
apical
• Arritmias
• Remodelamento
ventricular
• Infiltrado
inflamatório
IMUNOLÓGICO INFLAMATÓRIO
MICROCIRCULATÓRIONEUROGÊNICO
Cardiopatia Chagásica Crônica
• Manifestações clínicas:
Insuficiência cardíaca
Arritmias
Tromboembolismo
Morte súbita
Cardiopatia Chagásica Crônica
Fonte: Google imagens
(BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
Diagnóstico
• Combinação dos achados epidemiológicos, sorológicos e clínicos.
• Testes sorológicos: ELISA, Imunofluorescência indireta (IFI),
Hemoglutinação indireta (HAI).
Exames complementares
• Eletrocardiograma.
• Radiografia do tórax.
• Ecocardiograma.
• Teste ergométrico.
• Eletrocardiografia dinâmica (Holter).
(SOUZA, 2013; BRASIL, 2011)
Tratamento
• A droga disponível no Brasil é o Benznidazol (comp. 100mg), que
deve ser utilizado na dose de 5mg/kg/dia (adultos) e 5-10mg/kg/dia
(crianças), divididos em 2 ou 3 tomadas diárias, durante 60 dias.
• O Nifurtimox pode ser utilizado como alternativa em casos de
intolerância ao Benznidazol, embora seja um medicamento de difícil
obtenção
• O tratamento sintomático depende das manifestações clínicas, tanto
na fase aguda como na crônica.
• Nas formas digestivas, pode ser indicado tratamento conservador
(dietas, laxativos, lavagens) ou cirúrgico, dependendo do estágio da
doença.
Medidas de controle
Transmissão vetorial
Controle químico do vetor
Melhoria habitacional em
áreas de alto risco.
Transmissão transfusional
Controle rigoroso da qualidade
dos hemoderivados
transfundidos.
Transmissão vertical
Identificação de gestantes
chagásicas
Triagem neonatal de recém-
nascidos.
Transmissão oral
Cuidados de higiene na
produção e manipulação de
alimentos.
Assistência de enfermagem
• Consulta de enfermagem.
• Ações educativas ao paciente e familiares.
• Sorologia.
• Orientações quanto ao tratamento.
• Uso correto da medicação.
• Esclarecer sobre a impossibilidade de doar sangue e órgãos.
• Estimular a adesão ao tratamento.
Referências
• BRASIL. Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Diretriz Latino-Americana para o
Diagnóstico e Tratamento da Cardiopatia Chagásica. v.97, n.2, 2011.
• BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Consenso
Brasileiro em Doença de Chagas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina
Tropical 2005.
• DIAS, J. C. P. Globalização, iniqüidade e doença de Chagas. Caderno Saúde Pública,
Rio de Janeiro, vol. 23, supl. 1, 2007.
• MALTA, Jarbas. Doença de Chagas. São Paulo: Sarvier, 1996.
• SOUZA, D. M. Manual de Recomendações para Diagnóstico, Tratamento e
Seguimento Ambulatorial de Portadores de doença de Chagas. Belém-PA, 2013.
• BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional
de Controle de Chagas. Doença de Chagas Aguda. Aspectos epidemiológico,
diagnóstico e tratamento. Guia de consulta rápida para profissionais de saúde.
Brasília: Ministério da Saúde. 2008.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
HIAGO SANTOS
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
Leonardo Souza
 
Giardia
GiardiaGiardia
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris LumbricoidesAscaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Fernanda Gomes
 
Aula 01 Introdução a Microbiologia
Aula 01   Introdução a MicrobiologiaAula 01   Introdução a Microbiologia
Aula 01 Introdução a Microbiologia
Tiago da Silva
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
Fêe Oliveira
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
Jefferson LIMA
 
DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGAS DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGAS
Sandra Tomaz
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
feraps
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
WAGNER OLIVEIRA
 
Aula 6 Teniase E Cisticercose
Aula 6   Teniase E CisticercoseAula 6   Teniase E Cisticercose
Aula 6 Teniase E Cisticercose
ITPAC PORTO
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
Danielle Alexia
 
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaAula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Jaqueline Almeida
 
PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS
PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS
PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS
Nathy Oliveira
 
Doenças causadas por bacterias
Doenças  causadas por bacteriasDoenças  causadas por bacterias
Doenças causadas por bacterias
Adrianne Mendonça
 
Aula de microbiologia ppt
Aula de microbiologia   pptAula de microbiologia   ppt
Aula de microbiologia ppt
SMS - Petrópolis
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
Eridan de Sousa
 
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
nynynha
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
Ana Carolina Costa
 
COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...
COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...
COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Mais procurados (20)

Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
 
Giardia
GiardiaGiardia
Giardia
 
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris LumbricoidesAscaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
 
Aula 01 Introdução a Microbiologia
Aula 01   Introdução a MicrobiologiaAula 01   Introdução a Microbiologia
Aula 01 Introdução a Microbiologia
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGAS DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGAS
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
 
Aula 6 Teniase E Cisticercose
Aula 6   Teniase E CisticercoseAula 6   Teniase E Cisticercose
Aula 6 Teniase E Cisticercose
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
 
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaAula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
 
PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS
PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS
PATOGENIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS
 
Doenças causadas por bacterias
Doenças  causadas por bacteriasDoenças  causadas por bacterias
Doenças causadas por bacterias
 
Aula de microbiologia ppt
Aula de microbiologia   pptAula de microbiologia   ppt
Aula de microbiologia ppt
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
 
COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...
COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...
COVID-19: a infecção respiratória causada pelo Coronavírus. Cartilha com dica...
 

Semelhante a Doença de chagas

DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGASDOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGAS
Cristiano Quintão
 
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptxSESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
AndrMarinho41
 
Onco hematologia
Onco hematologiaOnco hematologia
Onco hematologia
gisa_legal
 
Pós DDW - cobertura jornalística
Pós DDW - cobertura jornalísticaPós DDW - cobertura jornalística
Pós DDW - cobertura jornalística
CBPortfolio
 
Doença de chagas
Doença de chagas   Doença de chagas
Doença de chagas
Sheyla Amorim
 
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdfroot,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
felipecaetano47
 
Cesariana e Parto vaginal
Cesariana e Parto vaginalCesariana e Parto vaginal
Cesariana e Parto vaginal
Caroline Reis Gonçalves
 
Megacolon ufba.
Megacolon ufba.Megacolon ufba.
Megacolon ufba.
Marcelo Falcao
 
Pesquisa hepatite
Pesquisa hepatitePesquisa hepatite
Pesquisa hepatite
Ana Laura Oliveira
 
Aula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptx
Aula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptxAula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptx
Aula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptx
BrunoMMorales
 
Artigo defeitos de parede abdominal 2
Artigo   defeitos de parede abdominal 2Artigo   defeitos de parede abdominal 2
Artigo defeitos de parede abdominal 2
nipeal
 
PANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDAPANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDA
PauloHenrique350
 
Aula (1)
Aula (1)Aula (1)
Hemoglobinopatias
HemoglobinopatiasHemoglobinopatias
Hemoglobinopatias
GEDRBRASIL_ESTUDANDORARAS
 
Dengue na Infância
Dengue na InfânciaDengue na Infância
Ppt0000037
Ppt0000037Ppt0000037
Ppt0000037
Jefferson Oliveira
 
Doenca crohn
Doenca crohnDoenca crohn
Doenca crohn
Mab Davilla
 
Doenca crohn
Doenca crohnDoenca crohn
Doenca crohn
Mab Davilla
 
DOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptx
DOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptxDOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptx
DOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptx
CassioOliver
 
APRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptx
APRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptxAPRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptx
APRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptx
keyzsilva
 

Semelhante a Doença de chagas (20)

DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGASDOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE CHAGAS
 
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptxSESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
 
Onco hematologia
Onco hematologiaOnco hematologia
Onco hematologia
 
Pós DDW - cobertura jornalística
Pós DDW - cobertura jornalísticaPós DDW - cobertura jornalística
Pós DDW - cobertura jornalística
 
Doença de chagas
Doença de chagas   Doença de chagas
Doença de chagas
 
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdfroot,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
 
Cesariana e Parto vaginal
Cesariana e Parto vaginalCesariana e Parto vaginal
Cesariana e Parto vaginal
 
Megacolon ufba.
Megacolon ufba.Megacolon ufba.
Megacolon ufba.
 
Pesquisa hepatite
Pesquisa hepatitePesquisa hepatite
Pesquisa hepatite
 
Aula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptx
Aula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptxAula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptx
Aula HEPATITES VIRAIS Disciplina Saúde Pública.pptx
 
Artigo defeitos de parede abdominal 2
Artigo   defeitos de parede abdominal 2Artigo   defeitos de parede abdominal 2
Artigo defeitos de parede abdominal 2
 
PANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDAPANCREATITE AGUDA
PANCREATITE AGUDA
 
Aula (1)
Aula (1)Aula (1)
Aula (1)
 
Hemoglobinopatias
HemoglobinopatiasHemoglobinopatias
Hemoglobinopatias
 
Dengue na Infância
Dengue na InfânciaDengue na Infância
Dengue na Infância
 
Ppt0000037
Ppt0000037Ppt0000037
Ppt0000037
 
Doenca crohn
Doenca crohnDoenca crohn
Doenca crohn
 
Doenca crohn
Doenca crohnDoenca crohn
Doenca crohn
 
DOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptx
DOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptxDOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptx
DOENÇA ABDOMINAIS AGUDA EM CRIANÇAS11-2.pptx
 
APRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptx
APRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptxAPRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptx
APRESENTAÇÃO estudo de caso apresen.pptx
 

Mais de resenfe2013

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
resenfe2013
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
resenfe2013
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
resenfe2013
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
resenfe2013
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
resenfe2013
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
resenfe2013
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
resenfe2013
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
resenfe2013
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
resenfe2013
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
resenfe2013
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
resenfe2013
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
resenfe2013
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
resenfe2013
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
resenfe2013
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
resenfe2013
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
resenfe2013
 

Mais de resenfe2013 (20)

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
 

Doença de chagas

  • 1. Doença de Chagas Enfª R1 – Camila Abrantes Cordeiro Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luiz Tavares Programa de Especialização em Cardiologia Modalidade Residência Março,2016
  • 2. Objetivos • Descrever a Doença de Chagas e sua fisiopatologia. • Discutir a classificação, diagnósticos e tratamento da Doença de Chagas. • Abordar a assistência de enfermagem ao paciente com Doença de Chagas.
  • 3. Introdução • Foi descrita, em 1909, pelo pesquisador brasileiro Carlos Chagas. • Infeccção causada pelo protozoário flagelado Trypanosoma cruzi e transmitida por insetos conhecidos como “barbeiros”. • Maior prevalência em países da América Latina. A Organização Mundial de Saúde estima 16 a 18 milhões de indivíduos infectados. • No Brasil, estima-se a existência de 3,5 milhões de pacientes infectados, dos quais 20% a 30% apresentam comprometimento cardíaco. (BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
  • 6. Apresentação clínica da doença Infecção pelo T. Cruzi AGUDA CRÔNICA INDETERMINADA CARDÍACA DIGESTIVA ASSOCIADA (BRASIL, 2011; BRASIL 2005)
  • 7. Fase aguda Febre, cefaléia, mialgia, artralgia, diarreia, vômito. Miocardite aguda, pericardite, cardiomegalia, insuficiência cardíaca, arritmias, edema de face e/ou membros inferiores. Lesões de porta de entrada • Sinal de Romaña • Chagoma de inoculação (BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
  • 8. Fase crônica • Ocorre em cerca de 50 – 60% dos casos. • Assintomático e sem sinais de comprometimento do aparelho circulatório e digestivo. Indeterminada • Ocorre em cerca de 10% dos casos. • Evidências de acometimento do aparelho digestivo que, freqüentemente, evolui para megacólon ou megaesôfago. Digestiva • Cerca de 5% dos casos. • Ocorrência concomitante de lesões. Associada (cardiodigestiva) (BRASIL, 2011; DIAS, 2007)
  • 9. Forma Digestiva Megaesôfago Disfagia Regurgitação Dor esofagiana Pirose Odinofagia Megacólon Constipação intestinal Disquezia Distensão abdominal Torções de intestino Fecaloma • Repercussões da doença no trato gastrointestinal, dentre as quais sobressaem as alterações de motilidade do esôfago e do cólon, resultando em megaesôfago e megacólon. (BRASIL, 2011; BRASIL 2005)
  • 10. Forma Digestiva (BRASIL, 2011; BRASIL 2008) Fonte: Google imagens
  • 11. Cardiopatia Chagásica Crônica • Inflamação progressiva e fibrosante do miocárdio. • Trombos • Aneurisma apical • Arritmias • Remodelamento ventricular • Infiltrado inflamatório IMUNOLÓGICO INFLAMATÓRIO MICROCIRCULATÓRIONEUROGÊNICO
  • 12. Cardiopatia Chagásica Crônica • Manifestações clínicas: Insuficiência cardíaca Arritmias Tromboembolismo Morte súbita
  • 13. Cardiopatia Chagásica Crônica Fonte: Google imagens (BRASIL, 2011; BRASIL 2008)
  • 14. Diagnóstico • Combinação dos achados epidemiológicos, sorológicos e clínicos. • Testes sorológicos: ELISA, Imunofluorescência indireta (IFI), Hemoglutinação indireta (HAI). Exames complementares • Eletrocardiograma. • Radiografia do tórax. • Ecocardiograma. • Teste ergométrico. • Eletrocardiografia dinâmica (Holter). (SOUZA, 2013; BRASIL, 2011)
  • 15. Tratamento • A droga disponível no Brasil é o Benznidazol (comp. 100mg), que deve ser utilizado na dose de 5mg/kg/dia (adultos) e 5-10mg/kg/dia (crianças), divididos em 2 ou 3 tomadas diárias, durante 60 dias. • O Nifurtimox pode ser utilizado como alternativa em casos de intolerância ao Benznidazol, embora seja um medicamento de difícil obtenção • O tratamento sintomático depende das manifestações clínicas, tanto na fase aguda como na crônica. • Nas formas digestivas, pode ser indicado tratamento conservador (dietas, laxativos, lavagens) ou cirúrgico, dependendo do estágio da doença.
  • 16. Medidas de controle Transmissão vetorial Controle químico do vetor Melhoria habitacional em áreas de alto risco. Transmissão transfusional Controle rigoroso da qualidade dos hemoderivados transfundidos. Transmissão vertical Identificação de gestantes chagásicas Triagem neonatal de recém- nascidos. Transmissão oral Cuidados de higiene na produção e manipulação de alimentos.
  • 17. Assistência de enfermagem • Consulta de enfermagem. • Ações educativas ao paciente e familiares. • Sorologia. • Orientações quanto ao tratamento. • Uso correto da medicação. • Esclarecer sobre a impossibilidade de doar sangue e órgãos. • Estimular a adesão ao tratamento.
  • 18. Referências • BRASIL. Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Diretriz Latino-Americana para o Diagnóstico e Tratamento da Cardiopatia Chagásica. v.97, n.2, 2011. • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Consenso Brasileiro em Doença de Chagas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 2005. • DIAS, J. C. P. Globalização, iniqüidade e doença de Chagas. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, vol. 23, supl. 1, 2007. • MALTA, Jarbas. Doença de Chagas. São Paulo: Sarvier, 1996. • SOUZA, D. M. Manual de Recomendações para Diagnóstico, Tratamento e Seguimento Ambulatorial de Portadores de doença de Chagas. Belém-PA, 2013. • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de Controle de Chagas. Doença de Chagas Aguda. Aspectos epidemiológico, diagnóstico e tratamento. Guia de consulta rápida para profissionais de saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2008.