SlideShare uma empresa Scribd logo
FUNÇÃO PRODUÇÃO
•Conceito
•Funções centrais e de apoio
•Papel e contribuições
•Objetivos
•Sistema produtivo
Prof. Mauro Enrique Carozzo Todaro
http://www.sxc.hu/photo/217350
FUNÇÃO PRODUÇÃO
Na organização , representa a reunião de recursos destinados à
produção de seus bens e serviços. Toda organização possui, mas
nem sempre com esse nome.
O que é?
FUNÇÕES CENTRAIS E DE APOIO
Função
P&D
Função
Produção
Função
Marketing
Função
Suporte
técnico
Função
Informação
Função
RH
Função
Financeira
Outras
Funções Centrais
Definição ampla da
Administração de produção
Funções de apoio
FUNÇÕES CENTRAIS E DE APOIO
Funções Centrais Provedor de
serviços de Internet
Cadeia de Fast-food Fabricante de
móveis
Marketing Promover serviços a
usuários e obter
assinaturas . Vender
espaço de
propaganda.
Fazer propaganda
em televisão. Criar
material
promocional.
Fazer propaganda
em revistas.
Determinar a
política de preços.
Vender para lojas.
Desenvolvimento
de produto ou
serviço
Criar novos serviços
e comissionar novo
conteúdo de
informação.
Inventar
hambúrgueres,
pizzas, etc. Projetar
a decoração dos
restaurantes.
Projetar novos
móveis. Coordenar
com cores da
moda.
Produção Manter
equipamentos,
programas e
informação.
Implantar novos
links e serviços.
Fazer hambúrgueres,
pizzas, etc. Servir
aos clientes. Fazer a
limpeza. Manter o
equipamento.
Fabricar peças.
Montar móveis.
Fonte: Slack (2002)
PAPEL E CONTRIBUIÇÃO DA
FUNÇÃO PRODUÇÃO
Para de
atrapalhar a
organização
Ser tão bom
quanto os
concorrentes
Ser claramente
o melhor do
setor
Redefinir as
expectativas do
setor industrial
Corrigir
erros graves
Adotar melhores
práticas
Ligar estratégia
e produção
Fornecer vantagens
baseadas em
produção
Estágio 1 Estágio 3 Estágio 4Estágio 2
PAPEL E CONTRIBUIÇÃO DA
FUNÇÃO PRODUÇÃO
Anvisa suspende fabricação e venda de AdeS
Contaminação por soda cáustica
Unilever anunciou recall do lote
de iniciais AGB 25 do produto
Alimento com Soja sabor Maçã
Multa da Unilever pode chegar a R$ 6,2 milhões
OBJETIVOS DA PRODUÇÃO
Qualidade
“fazer certo as coisas”
Mas, o que significa qualidade para um:
•Hospital
•Fábrica de Automóveis
•Empresa de ônibus urbanos
•Supermercado
OBJETIVOS DA PRODUÇÃO
Rapidez
Tempo que o consumidor deve esperar
Mas, o que significa rapidez para um:
•Hospital
•Fábrica de Automóveis
•Empresa de ônibus urbanos
•Supermercado
OBJETIVOS DA PRODUÇÃO
Confiabilidade
Fazer as coisas no tempo previsto
Mas, o que significa confiabilidade para um:
•Hospital
•Fábrica de Automóveis
•Empresa de ônibus urbanos
•Supermercado
OBJETIVOS DA PRODUÇÃO
Flexibilidade
Capacidade de mudar a operação
Mas, o que significa flexibilidade para um:
•Hospital
•Fábrica de Automóveis
•Empresa de ônibus urbanos
•Supermercado
OBJETIVOS DA PRODUÇÃO
Custo
Fábrica de Automóveis
Compra de materiais e serviços
Custo de mão de obra
Custo de tecnologias e
instalações
Empresa de ônibus urbanos
Compra de materiais e serviços
Custo de funcionários
Custo de tecnologias e instalações
OBJETIVOS DA PRODUÇÃO
Custo
Confiabilidade
FlexibilidadeQualidade
Rapidez
Produtos/serviços
conforme
especificação
•Novos produtos
•Variedade
•Ajuste de volumem
Tempo de entrega
reduzido
Preço baixo, margem
alta ou ambos
Entrega confiável
Alta
produtividade
Produção livre
de erros
Habilidade
para mudar
Operação
confiável
Atravessa-
mento
rápido
EFEITOS EXTERNOS
EFEITOS INTERNOS
SISTEMA PRODUTIVO
A
m
b
i
e
n
t
e
A
m
b
i
e
n
t
e
I
n
p
u
t
s
O
u
t
p
u
t
s
Processo de
transformação
Produtos
Serviços
Pessoal
Energia
Capital
Outros insumos
Fronteira do sistema
A
m
b
i
e
n
t
e
A
m
b
i
e
n
t
e
I
n
p
u
t
s
O
u
t
p
u
t
s
Processo de
transformação
Produtos
Serviços
Pessoal
Energia
Capital
Outros insumos
Fronteira do sistema
Sistema: Conjunto de elementos inter-relacionados com um objetivo comum.
Componentes do sistema produtivo: Entradas (Inputs), Saídas (outputs) e Processo
de transformação
Sistema produtivo: Aquele que tem por objetivo a fabricação de bens, a prestação
de serviços ou o fornecimento de informações.
Produtividade: Relação entre o produzido e os recursos utilizados para produzi-lo.
SISTEMA PRODUTIVO
PRODUTIVIDADE
Produtividade Competitividade
Lucros Crescimento
Nível empresa
PRODUTIVIDADE
Nível empresa
Cálculo da produtividade:
𝑃𝑟𝑜𝑑𝑡 =
𝑄𝑡
𝐼𝑡
Prodt = produtividade absoluta no período t
Qt = produção obtida no período t
It = insumos utilizados no período t
Exemplos: toneladas de cereal por hectare (fazenda), carros produzidos por
funcionário / ano (montadora), toneladas de aço por homem / ano (siderúrgica).
PRODUTIVIDADE
Nível empresa
Mês
Produção
(R$ mil)
Pessoal
empregado
Jan 7.520 230
Fev 7.821 233
Mar 8.422 189
Abr 7.294 201
Mai 8.122 206
Jun 8.648 210
Jul 9.099 212
Ago 9.250 200
Set 8.874 215
Out 8.949 220
Nov 8.723 222
Dez 8.573 235
Exemplo:
Produtividade absoluta:
Prodjan = 7.520 / 230 = 32,7 milhares de reais / funcionário
32.7
33.6
44.6
36.3
39.4
41.2
42.9
46.3
41.3 40.7
39.3
36.5
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
PRODUTIVIDADE ABSOLUTA
(R$ MIL / FUNCIONÁRIO)
PRODUTIVIDADE
“A produtividade não é tudo, mas no longo prazo é quase tudo”
Paul Krugman (Nobel de Economia)
Nível pais
Inovação e
tecnologia de
produção
Produtividade PIB per capita
“A inovação é o acelerador do crescimento da produtividade”
(BRYNJOLFSSON e MCAFEE, 2014)
PRODUTIVIDADE
Nível pais
Brasil é 2º país com pior nível de
aprendizado, diz estudo
Dos 64 países analisados, o Brasil ficou atrás apenas da Indonésia,
que tem 1,7 milhão de estudantes com baixo desempenho
Fonte: Exame, 2016
Brasil cai 18 posições em ranking de
países mais competitivos
País passou do 57º para o 75º lugar em lista do Fórum Econômico
Mundial. Brasil atingiu a sua pior posição na série histórica do
levantamento.
Fonte: G1, 2015
Predominantemente,
processadores de
materiais
Predominantemente,
processadores de
informação
Predominantemente,
processadores de
consumidores
Todas os operações de
manufatura
Empresas de mineração
Operações de varejo
Serviços postais
Empresas de transporte
rodoviário
Matriz de banco
Empresa de pesquisa
em marketing
Empresas de
telecomunicações
Serviços de noticias
Hotéis
Cabeleireiros
Parque temático
Dentista
Transporte urbano de
passageiros
PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO
EM DIFERENTES OPERAÇÕES
Bens puros
Tangíveis
Podem ser estocados
Produção precedo
consumo
Pouco contato com
consumidor
Qualidade evidente
Intangíveis
Não podem ser
estocados
Produção e consumo
simultâneo
Alto nível de contato
com consumidor
É difícil julgar a
qualidade
Serviços puros
Fundiçãodealumínio
Restaurante
Consultoriagerencial
Outputs – Composto entre bens e
serviços
TIPOS DE OPERAÇÕES
Volume
Variedade
Variação de
demanda
Visibilidade
ALTO CUSTO UNITÁRIO BAIXO CUSTO UNITÁRIO
Baixa repetição
Menor padronização
Maior participação do
funcionário
Flexível
Atende as necessidades dos
consumidores
Capacidade mutante
Flexível
Antecipação
Pouca tolerância de espera
Necessidade de habilidade
de contato com consumidor
Alta repetição
Especialização
Capital intensivo
Alta padronização
Linha de produção
Estável
Previsível
Alta utilização
Tempo entre produção e
consumo
Centralização
AltoBaixo
BaixaAlta
BaixaAlta
BaixaAlta
Referências Bibliográficas
• BRYNJOLFSSON, Erik; MCAFEE, Andrew. The second machine age: Work,
progress, and prosperity in a time of brilliant technologies. WW Norton &
Company, 2014.
• MOREIRA, D. A. Administração da produção e operações. 2. ed. São Paulo:
Cengage Learning, 2011.
• SLACK, N; CHAMBERS, S e JOHNSTON, R. Capítulo 2: Papel estratégico e objetivos
da produção. In: Administração da produção. SLACK, Nigel; CHAMBERS, Stuar;
JOHNSTON, Robert. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2008.
• STEVENSON, W. Capítulo 5: Seleção do processo e planejamento da capacidade.
In: Administração das operações de produção. STEVENSON, Willam J. 6 ed. Rio
de Janeiro: LTC, 2001.
• ANVISA. Anvisa suspende alimentos de soja da marca AdeS. Disponível em:
<http://portal.anvisa.gov.br> Acesso em: 01 de abr. 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Gestão de custos e formação de preços
Palestra Gestão de custos e formação de preçosPalestra Gestão de custos e formação de preços
Palestra Gestão de custos e formação de preços
Samuel Gonsales
 
administração da producão
administração da producãoadministração da producão
administração da producão
Melquiades Pereira
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Correios
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
douglas
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
Willian dos Santos Abreu
 
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em OperaçõesArranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
Milton Henrique do Couto Neto
 
Objetivos de desempenho prova
Objetivos de desempenho provaObjetivos de desempenho prova
Objetivos de desempenho prova
nigr0 s
 
Departamentalização
DepartamentalizaçãoDepartamentalização
Departamentalização
Robson Costa
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
Raylson Rabelo
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
MestredaContabilidade
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Letícia Vilela de Aquino
 
Programa de qualidade aplicado na produção
Programa de qualidade aplicado na produçãoPrograma de qualidade aplicado na produção
Programa de qualidade aplicado na produção
Marcelo Aparecido Sampaio
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
trainertek
 
Administração de Produção II
Administração de Produção IIAdministração de Produção II
Administração de Produção II
Romilson Cesar
 
Cadeia de Suprimentos
Cadeia de SuprimentosCadeia de Suprimentos
Cadeia de Suprimentos
Adeildo Caboclo
 
Gestão da Cadeia de Suprimentos
Gestão da Cadeia de SuprimentosGestão da Cadeia de Suprimentos
Gestão da Cadeia de Suprimentos
Gerisval Pessoa
 
Sistemas de producao
Sistemas de producaoSistemas de producao
Sistemas de producao
Hélio Diniz
 
Lote economico - Fabio Boiani
Lote economico - Fabio BoianiLote economico - Fabio Boiani
Lote economico - Fabio Boiani
fabioboiani
 
Aula2 producao i
Aula2 producao iAula2 producao i

Mais procurados (20)

Palestra Gestão de custos e formação de preços
Palestra Gestão de custos e formação de preçosPalestra Gestão de custos e formação de preços
Palestra Gestão de custos e formação de preços
 
administração da producão
administração da producãoadministração da producão
administração da producão
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
 
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em OperaçõesArranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
 
Objetivos de desempenho prova
Objetivos de desempenho provaObjetivos de desempenho prova
Objetivos de desempenho prova
 
Departamentalização
DepartamentalizaçãoDepartamentalização
Departamentalização
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
 
Programa de qualidade aplicado na produção
Programa de qualidade aplicado na produçãoPrograma de qualidade aplicado na produção
Programa de qualidade aplicado na produção
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Administração de Produção II
Administração de Produção IIAdministração de Produção II
Administração de Produção II
 
Cadeia de Suprimentos
Cadeia de SuprimentosCadeia de Suprimentos
Cadeia de Suprimentos
 
Gestão da Cadeia de Suprimentos
Gestão da Cadeia de SuprimentosGestão da Cadeia de Suprimentos
Gestão da Cadeia de Suprimentos
 
Sistemas de producao
Sistemas de producaoSistemas de producao
Sistemas de producao
 
Lote economico - Fabio Boiani
Lote economico - Fabio BoianiLote economico - Fabio Boiani
Lote economico - Fabio Boiani
 
Aula2 producao i
Aula2 producao iAula2 producao i
Aula2 producao i
 

Destaque

Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Mauro Enrique
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
Mauro Enrique
 
MRP e JIT
MRP e JITMRP e JIT
MRP e JIT
Mauro Enrique
 
Previsão da Demanda II
Previsão da Demanda IIPrevisão da Demanda II
Previsão da Demanda II
Mauro Enrique
 
Previsão da Demanda I
Previsão da Demanda IPrevisão da Demanda I
Previsão da Demanda I
Mauro Enrique
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
Mauro Enrique
 
Gestão de estoques
Gestão de estoquesGestão de estoques
Gestão de estoques
Mauro Enrique
 
Medição do trabalho
Medição do trabalhoMedição do trabalho
Medição do trabalho
Mauro Enrique
 
PCP
PCPPCP
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviçosGestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
BWS Contabilidade, Consultoria e Perícias
 
Papel Estratégico e Objetivos da Produção
Papel Estratégico e Objetivos da ProduçãoPapel Estratégico e Objetivos da Produção
Papel Estratégico e Objetivos da Produção
Francisco Junior Adm.Franciscojunior
 
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
Caio Roberto de Souza Filho
 
Gestão da Produção
Gestão da ProduçãoGestão da Produção
Gestão da Produção
gdomingues
 
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2   papel estratégico e objetivos da produçãoUnidade 2   papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
Daniel Moura
 
Gestao da produçao
Gestao da produçaoGestao da produçao
Gestao da produçao
amattos76
 
Plano mestre de produção
Plano mestre de produçãoPlano mestre de produção
Plano mestre de produção
Liliane Farias
 
Mrp & mps
Mrp & mpsMrp & mps
Produção
ProduçãoProdução
3 slides - planejamento mestre da produção (mps)
3   slides - planejamento mestre da produção (mps)3   slides - planejamento mestre da produção (mps)
3 slides - planejamento mestre da produção (mps)
Caio Roberto de Souza Filho
 
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 111 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Philippe Elias
 

Destaque (20)

Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
 
MRP e JIT
MRP e JITMRP e JIT
MRP e JIT
 
Previsão da Demanda II
Previsão da Demanda IIPrevisão da Demanda II
Previsão da Demanda II
 
Previsão da Demanda I
Previsão da Demanda IPrevisão da Demanda I
Previsão da Demanda I
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
 
Gestão de estoques
Gestão de estoquesGestão de estoques
Gestão de estoques
 
Medição do trabalho
Medição do trabalhoMedição do trabalho
Medição do trabalho
 
PCP
PCPPCP
PCP
 
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviçosGestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
 
Papel Estratégico e Objetivos da Produção
Papel Estratégico e Objetivos da ProduçãoPapel Estratégico e Objetivos da Produção
Papel Estratégico e Objetivos da Produção
 
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
 
Gestão da Produção
Gestão da ProduçãoGestão da Produção
Gestão da Produção
 
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2   papel estratégico e objetivos da produçãoUnidade 2   papel estratégico e objetivos da produção
Unidade 2 papel estratégico e objetivos da produção
 
Gestao da produçao
Gestao da produçaoGestao da produçao
Gestao da produçao
 
Plano mestre de produção
Plano mestre de produçãoPlano mestre de produção
Plano mestre de produção
 
Mrp & mps
Mrp & mpsMrp & mps
Mrp & mps
 
Produção
ProduçãoProdução
Produção
 
3 slides - planejamento mestre da produção (mps)
3   slides - planejamento mestre da produção (mps)3   slides - planejamento mestre da produção (mps)
3 slides - planejamento mestre da produção (mps)
 
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 111 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
 

Semelhante a Função Produção

Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
Milton Henrique do Couto Neto
 
Apresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptxApresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptx
FernandaSilva968202
 
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
ochatope
 
6 aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]
6   aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]6   aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]
6 aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]
Felipe Pereira
 
04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico
Milton Henrique do Couto Neto
 
Pensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao Über
Pensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao ÜberPensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao Über
Pensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao Über
UFPA
 
[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP
[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP
[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP
Bernardo Srulzon
 
Oportunidades de Negócios com a Internet das Coisas
Oportunidades de Negócios com a Internet das CoisasOportunidades de Negócios com a Internet das Coisas
Oportunidades de Negócios com a Internet das Coisas
Gustavo André Mateus Vaz de Lima
 
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...
E-Commerce Brasil
 
BPO: o Que, Como e Quando
BPO: o Que, Como e QuandoBPO: o Que, Como e Quando
BPO: o Que, Como e Quando
heliobpereira
 
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...
E-Commerce Brasil
 
#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup
#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup
#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup
Pedro Donati
 
Apresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business Intelligence
Apresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business IntelligenceApresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business Intelligence
Apresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business Intelligence
Lucas Magalhães
 
E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5
oburegio
 
E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5
Oto Burégio
 
ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...
ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...
ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...
CADWARE-TECHNOLOGY
 
Workshop E-business Parte I
Workshop E-business Parte IWorkshop E-business Parte I
Workshop E-business Parte I
Posmktdigital Fit
 
Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...
Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...
Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...
Product Camp Brasil
 
Tecnologias Indispesáveis para Sua Empresa
Tecnologias Indispesáveis para Sua EmpresaTecnologias Indispesáveis para Sua Empresa
Tecnologias Indispesáveis para Sua Empresa
Sage Pequenas Empresas
 
Inovacao Digital
Inovacao DigitalInovacao Digital
Inovacao Digital
J. C.
 

Semelhante a Função Produção (20)

Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
 
Apresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptxApresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptx
 
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
 
6 aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]
6   aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]6   aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]
6 aula - tecnologia+da+informação+ +aula 1905[2]
 
04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico
 
Pensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao Über
Pensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao ÜberPensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao Über
Pensando seu modelo de negócio como uma Plataforma: da mercearia ao Über
 
[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP
[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP
[GetNinjas] Business Intelligence Workshop @ Google Campus SP
 
Oportunidades de Negócios com a Internet das Coisas
Oportunidades de Negócios com a Internet das CoisasOportunidades de Negócios com a Internet das Coisas
Oportunidades de Negócios com a Internet das Coisas
 
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Porto Alegre 2019] As principais etapas na ...
 
BPO: o Que, Como e Quando
BPO: o Que, Como e QuandoBPO: o Que, Como e Quando
BPO: o Que, Como e Quando
 
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...
[Workshops RoadShow ECBR - Edição Belo Horizonte 2019] As principais etapas n...
 
#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup
#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup
#NoEndState : Plataformas, Produtores e Interfaces no Product tank meetup
 
Apresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business Intelligence
Apresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business IntelligenceApresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business Intelligence
Apresentação Executiva Paralelo CS - Qlik - Business Intelligence
 
E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5
 
E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5E Business Brasil V.5
E Business Brasil V.5
 
ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...
ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...
ProIndústria 2017 - A04 - Visão de sistemas cyber physical - IIoT e sistemas ...
 
Workshop E-business Parte I
Workshop E-business Parte IWorkshop E-business Parte I
Workshop E-business Parte I
 
Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...
Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...
Estruturando time, dados e processos para tomar decisões de produto mais inte...
 
Tecnologias Indispesáveis para Sua Empresa
Tecnologias Indispesáveis para Sua EmpresaTecnologias Indispesáveis para Sua Empresa
Tecnologias Indispesáveis para Sua Empresa
 
Inovacao Digital
Inovacao DigitalInovacao Digital
Inovacao Digital
 

Último

Incêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptxIncêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptx
RafaelDantas32562
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
GabrielGarcia356832
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
MaxwellBentodeOlivei1
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
RodrigoQuintilianode1
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
bentosst
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
Consultoria Acadêmica
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
pereiramarcossantos0
 
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdfÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
RoemirPeres
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Sandro Marques Solidario
 
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SSTSegurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
ClaudioArez
 

Último (11)

Incêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptxIncêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptx
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
 
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdfÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
 
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SSTSegurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
 

Função Produção

  • 1. FUNÇÃO PRODUÇÃO •Conceito •Funções centrais e de apoio •Papel e contribuições •Objetivos •Sistema produtivo Prof. Mauro Enrique Carozzo Todaro http://www.sxc.hu/photo/217350
  • 2. FUNÇÃO PRODUÇÃO Na organização , representa a reunião de recursos destinados à produção de seus bens e serviços. Toda organização possui, mas nem sempre com esse nome. O que é?
  • 3. FUNÇÕES CENTRAIS E DE APOIO Função P&D Função Produção Função Marketing Função Suporte técnico Função Informação Função RH Função Financeira Outras Funções Centrais Definição ampla da Administração de produção Funções de apoio
  • 4. FUNÇÕES CENTRAIS E DE APOIO Funções Centrais Provedor de serviços de Internet Cadeia de Fast-food Fabricante de móveis Marketing Promover serviços a usuários e obter assinaturas . Vender espaço de propaganda. Fazer propaganda em televisão. Criar material promocional. Fazer propaganda em revistas. Determinar a política de preços. Vender para lojas. Desenvolvimento de produto ou serviço Criar novos serviços e comissionar novo conteúdo de informação. Inventar hambúrgueres, pizzas, etc. Projetar a decoração dos restaurantes. Projetar novos móveis. Coordenar com cores da moda. Produção Manter equipamentos, programas e informação. Implantar novos links e serviços. Fazer hambúrgueres, pizzas, etc. Servir aos clientes. Fazer a limpeza. Manter o equipamento. Fabricar peças. Montar móveis. Fonte: Slack (2002)
  • 5. PAPEL E CONTRIBUIÇÃO DA FUNÇÃO PRODUÇÃO Para de atrapalhar a organização Ser tão bom quanto os concorrentes Ser claramente o melhor do setor Redefinir as expectativas do setor industrial Corrigir erros graves Adotar melhores práticas Ligar estratégia e produção Fornecer vantagens baseadas em produção Estágio 1 Estágio 3 Estágio 4Estágio 2
  • 6. PAPEL E CONTRIBUIÇÃO DA FUNÇÃO PRODUÇÃO Anvisa suspende fabricação e venda de AdeS Contaminação por soda cáustica Unilever anunciou recall do lote de iniciais AGB 25 do produto Alimento com Soja sabor Maçã Multa da Unilever pode chegar a R$ 6,2 milhões
  • 7. OBJETIVOS DA PRODUÇÃO Qualidade “fazer certo as coisas” Mas, o que significa qualidade para um: •Hospital •Fábrica de Automóveis •Empresa de ônibus urbanos •Supermercado
  • 8. OBJETIVOS DA PRODUÇÃO Rapidez Tempo que o consumidor deve esperar Mas, o que significa rapidez para um: •Hospital •Fábrica de Automóveis •Empresa de ônibus urbanos •Supermercado
  • 9. OBJETIVOS DA PRODUÇÃO Confiabilidade Fazer as coisas no tempo previsto Mas, o que significa confiabilidade para um: •Hospital •Fábrica de Automóveis •Empresa de ônibus urbanos •Supermercado
  • 10. OBJETIVOS DA PRODUÇÃO Flexibilidade Capacidade de mudar a operação Mas, o que significa flexibilidade para um: •Hospital •Fábrica de Automóveis •Empresa de ônibus urbanos •Supermercado
  • 11. OBJETIVOS DA PRODUÇÃO Custo Fábrica de Automóveis Compra de materiais e serviços Custo de mão de obra Custo de tecnologias e instalações Empresa de ônibus urbanos Compra de materiais e serviços Custo de funcionários Custo de tecnologias e instalações
  • 12. OBJETIVOS DA PRODUÇÃO Custo Confiabilidade FlexibilidadeQualidade Rapidez Produtos/serviços conforme especificação •Novos produtos •Variedade •Ajuste de volumem Tempo de entrega reduzido Preço baixo, margem alta ou ambos Entrega confiável Alta produtividade Produção livre de erros Habilidade para mudar Operação confiável Atravessa- mento rápido EFEITOS EXTERNOS EFEITOS INTERNOS
  • 14. A m b i e n t e A m b i e n t e I n p u t s O u t p u t s Processo de transformação Produtos Serviços Pessoal Energia Capital Outros insumos Fronteira do sistema Sistema: Conjunto de elementos inter-relacionados com um objetivo comum. Componentes do sistema produtivo: Entradas (Inputs), Saídas (outputs) e Processo de transformação Sistema produtivo: Aquele que tem por objetivo a fabricação de bens, a prestação de serviços ou o fornecimento de informações. Produtividade: Relação entre o produzido e os recursos utilizados para produzi-lo. SISTEMA PRODUTIVO
  • 16. PRODUTIVIDADE Nível empresa Cálculo da produtividade: 𝑃𝑟𝑜𝑑𝑡 = 𝑄𝑡 𝐼𝑡 Prodt = produtividade absoluta no período t Qt = produção obtida no período t It = insumos utilizados no período t Exemplos: toneladas de cereal por hectare (fazenda), carros produzidos por funcionário / ano (montadora), toneladas de aço por homem / ano (siderúrgica).
  • 17. PRODUTIVIDADE Nível empresa Mês Produção (R$ mil) Pessoal empregado Jan 7.520 230 Fev 7.821 233 Mar 8.422 189 Abr 7.294 201 Mai 8.122 206 Jun 8.648 210 Jul 9.099 212 Ago 9.250 200 Set 8.874 215 Out 8.949 220 Nov 8.723 222 Dez 8.573 235 Exemplo: Produtividade absoluta: Prodjan = 7.520 / 230 = 32,7 milhares de reais / funcionário 32.7 33.6 44.6 36.3 39.4 41.2 42.9 46.3 41.3 40.7 39.3 36.5 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez PRODUTIVIDADE ABSOLUTA (R$ MIL / FUNCIONÁRIO)
  • 18. PRODUTIVIDADE “A produtividade não é tudo, mas no longo prazo é quase tudo” Paul Krugman (Nobel de Economia) Nível pais Inovação e tecnologia de produção Produtividade PIB per capita “A inovação é o acelerador do crescimento da produtividade” (BRYNJOLFSSON e MCAFEE, 2014)
  • 19. PRODUTIVIDADE Nível pais Brasil é 2º país com pior nível de aprendizado, diz estudo Dos 64 países analisados, o Brasil ficou atrás apenas da Indonésia, que tem 1,7 milhão de estudantes com baixo desempenho Fonte: Exame, 2016 Brasil cai 18 posições em ranking de países mais competitivos País passou do 57º para o 75º lugar em lista do Fórum Econômico Mundial. Brasil atingiu a sua pior posição na série histórica do levantamento. Fonte: G1, 2015
  • 20. Predominantemente, processadores de materiais Predominantemente, processadores de informação Predominantemente, processadores de consumidores Todas os operações de manufatura Empresas de mineração Operações de varejo Serviços postais Empresas de transporte rodoviário Matriz de banco Empresa de pesquisa em marketing Empresas de telecomunicações Serviços de noticias Hotéis Cabeleireiros Parque temático Dentista Transporte urbano de passageiros PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO EM DIFERENTES OPERAÇÕES
  • 21. Bens puros Tangíveis Podem ser estocados Produção precedo consumo Pouco contato com consumidor Qualidade evidente Intangíveis Não podem ser estocados Produção e consumo simultâneo Alto nível de contato com consumidor É difícil julgar a qualidade Serviços puros Fundiçãodealumínio Restaurante Consultoriagerencial Outputs – Composto entre bens e serviços
  • 22. TIPOS DE OPERAÇÕES Volume Variedade Variação de demanda Visibilidade ALTO CUSTO UNITÁRIO BAIXO CUSTO UNITÁRIO Baixa repetição Menor padronização Maior participação do funcionário Flexível Atende as necessidades dos consumidores Capacidade mutante Flexível Antecipação Pouca tolerância de espera Necessidade de habilidade de contato com consumidor Alta repetição Especialização Capital intensivo Alta padronização Linha de produção Estável Previsível Alta utilização Tempo entre produção e consumo Centralização AltoBaixo BaixaAlta BaixaAlta BaixaAlta
  • 23. Referências Bibliográficas • BRYNJOLFSSON, Erik; MCAFEE, Andrew. The second machine age: Work, progress, and prosperity in a time of brilliant technologies. WW Norton & Company, 2014. • MOREIRA, D. A. Administração da produção e operações. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011. • SLACK, N; CHAMBERS, S e JOHNSTON, R. Capítulo 2: Papel estratégico e objetivos da produção. In: Administração da produção. SLACK, Nigel; CHAMBERS, Stuar; JOHNSTON, Robert. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2008. • STEVENSON, W. Capítulo 5: Seleção do processo e planejamento da capacidade. In: Administração das operações de produção. STEVENSON, Willam J. 6 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001. • ANVISA. Anvisa suspende alimentos de soja da marca AdeS. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br> Acesso em: 01 de abr. 2013.

Notas do Editor

  1. Exemplo de Ades no Brasil.
  2. Próximo slide - Com relação às saídas: criar uma lista de 5 tipos de negócios que ofertem bens puros (tangíveis/produção precede consumo/baixo contato com o cliente/qualidade evidente), 5 que ofertem serviços puros e 5 que ofertem um mix.
  3. Lidando com variedade infinita: caso da Bombay Tiffin Box Suppliers Association (TBSA) e o contêiner padrão. Caso do Hotel Formula 1 Classificar hotel sofisticado e o formula 1 segundo Volume/variedade/variação D/visibilidade