SlideShare uma empresa Scribd logo
DIREITO PROCESSUAL CIVIL
Professor Fabiano Manquevich de Lima
professorfabianolima@gmail.com
http://www.professorfabianolima.blogspot.com.br/
1
ATOS PROCESSUAIS – ART. 154 E SEGUINTES
Instrumentalidade das formas - art. 154 (quando
não determinada a forma pela lei, mas atingida a
finalidade essencial, ainda que realizado de outro
modo, são reputados válidos).
Os atos são públicos (art. 155), salvo os em segredo
de justiça (só as partes e procuradores);
O vernáculo é obrigatório (art. 156)
CPC dividiu em:
1. Atos das partes;
2. Atos do Juiz;
3. Atos do Escrivão ou chefe de secretaria.
2
ATOS DAS PARTES - 158
 Atos postulatórios - expõem razões e
solicitam um provimento
(inicial, contestação, etc.);
 Atos dispositivos - abrem mão de um direito
ou faculdade processual
(renúncia, reconhecimento do
pedido, transação, etc). Desistência da ação
tem que ser homologada pelo Juiz.
 Atos probatórios - quando visam formar a
convicção do órgão julgador (depoimento
pessoal, etc) 3
ATOS DO JUIZ
 Art. 162 do CPC:
 Sentença - art. 267 e 269 do CPC, põe fim ao
procedimento em primeiro grau; (Cabe apelação e
embargos de declaração).
 Decisão interlocutória - no curso do processo o juiz
resolve a questão incidental, com caráter
decisório, sem por fim ao procedimento de primeiro
grau; (cabe agravo, e embargos de declaração) –
preparam a causa para julgamento final.
4
 Despacho - refere-se a andamento do
processo, não tem conteúdo decisório, nem envolve
os interesses das partes, porquanto é destituído de
conteúdo decisório (pelo que implica em ônus)
sendo praticado de ofício ou a requerimento da
parte. Irrecorrível (cabível Embargos de
Declaração).
 Atos meramente ordinatórios - praticados como a
juntada e a vista obrigatória, que devem ser
praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz
quando necessário. §4º. 5
ATOS DO JUIZ
TEMPO DOS ATOS - ART. 172
Os atos devem ser praticados em dias úteis, das 6h às 20 h.
Feriados: domingos e dias declarados por lei.
Sábado é dia útil para realização de atos externos, mas não o é
para contagem de prazo, pois normalmente não há expediente
forense.
Petição : seu protocolo depende de horário de expediente das
normas locais. Processo eletrônico: da primeira a última hora
do dia.
6
ATOS JURISDICIONAIS
 Acórdão – art. 163 – o julgamento proferido pelos
tribunais. Vem de “acordo”
 Decisões monocráticas – art. 557 CPC – quando o
relator nega seguimento a recurso manifestamente
inadmissível, improcedente, prejudicado ou em
confronto com súmula ou com jurisprudência
dominante do respectivo tribunal, do STF ou de
Tribunal Superior. (cabe agravo)
 IMPORTANTE: FUNDAMENTAÇÃO 
MOTIVAÇÃO
7
PRAZOS
8
Classificação:
1)Prazos legais - aqueles determinados por lei,
exemplo: 15 dias para defesa - art. 297 do CPC;
2) Prazos judiciais - são aqueles determinados pelo
juiz - art. 177 (segunda parte), quando a lei for
omissa; Conforme a complexidade, mas não tendo
sido fixado será de 5 dias - art. 185 do CPC.
3)Prazos peremptórios - quando as partes não
podem sobre eles convencionar e o juiz não pode
dilatá-lo discricionariamente (salvo calamidade ou
comarca de difícil acesso). Ex. recursal.
4) Prazos dilatórios - podem ser prorrogados pelo
juiz ou de comum acordo pelas partes, reduzidos
ou prorrogados. Art. 284 CPC e art. 13
(irregularidade na representação da parte)
PRAZOS
Prazos próprios - quando forem de
observância das partes e dos terceiros
interessados, ex. 10 dias para réplica a
contestação (art. 326 CPC)
Prazos impróprios - dirigidos ao Juiz ou seus
auxiliares, ex. art. 309 do CPC quando na
exceção de incompetência e havendo
necessidade de prova testemunhal o juiz
designará audiência de instrução e decidirá
em 10 dias.
Diferença: os prazos próprios causam sanções
processuais, já os prazos impróprios causam
sanções administrativas (art. 194 e 198 do CPC)
9
CONTAGEM DOS PRAZOS - ART. 184 E SEGUINTES.
Não havendo prazo específico: 5 dias - 185 CPC.
Critérios:
1. Exclusão do dia do começo e inclusão do dia do
vencimento;
2. Iniciam e terminam em dia útil;
3. Prazos não se iniciam nos sábados;
4. Publicado em diário oficial ou diário de justiça
eletrônico, o prazo da publicação será o primeiro dia útil
subsequente ao da disponibilização da informação.
SÚMULA 310 STF Quando a intimação tiver lugar na
sexta-feira, ou a publicação com efeito de intimação for
feita nesse dia, o prazo judicial terá início na segunda-
feira imediata, salvo se não houver expediente, caso
em que começará no primeiro dia útil que se seguir.
10
CONTAGEM
11
Critérios:
1. Minutos - corre do momento da intimação (minuto a
minuto), ex. alegações finais orais - art. 454 do CPC;
2. Horas - corre do momento da intimação (minuto a
minuto), ex. prazo para defesa do art. 297 do CPC;
3. Dias - exclui o dia do começo (se útil) e inclui o do
vencimento, prorrogado até o primeiro dia útil se o
vencimento cair em feriado, dia de fechamento do
fórum ou expediente forense encerrado antes do
normal
4. Meses - ex. prazo para propositura da demanda
executória de cheque.
5. Anos - ex. prescrição intercorrente.
OUTRAS CARACTERÍSTICAS
Prazo em dobro para recorrer e em quádruplo para contestar
- art. 188 CPC : MP e Fazenda Pública (exceto nos
juizados especiais)
Patrocinados pela Defensoria Pública tem prazo em dobro
(art. 5º, § 5º da Lei 1.060/50 e LC 80/94 - art. 44, I.
litisconsortes com advogados diferentes: prazo em dobro
para contestar, para recorrer e, para falar nos autos - art.
191.
SUSPENSÃO DOS PRAZOS:
• Férias ou recesso forense (janeiro e julho);
• Óbice criado pela parte adversa (ex. retirar o processo);
• Morte ou perda da capacidade processual;
• Convenção das partes (dilatório);
• Exceção de incompetência ou suspeição ou impedimento.
12
OUTRAS CARACTERÍSTICAS
 Preclusão - é a perda da faculdade ou do direito
processual de praticar um ato.
 Preclusão temporal - no prazo para interpor
recurso nada faz, e após impetra o recurso.
 Preclusão consumativa - interpõe o recurso no
prazo, mas não poderá fazer novamente, contra
a mesma decisão, ainda que no mesmo prazo.
 Preclusão lógica - quando pratica um ato, e
após pratica ato incompatível com o anterior.
13
COMUNICAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS
 Citações = art. 213 CPC, para se defender.
Sendo indispensável senão ocorre sua
extinção (citação válida).
 Intimações = comunicar as partes a situação
em que o processo se encontra, logo é o ato
processual de ofício por meio do qual se dá
ciência às partes do termos do processo para
conhecer, fazer ou deixar de fazer alguma
coisa.
 Cartas = são instrumentos que garantem a
direção do processo pelo juiz quando os atos
tiverem que se desenvolver além dos limites de
sua circunscrição territorial.
14
CITAÇÃO
 Não se fará a citação, salvo para evitar perecimento
do direito:
 1. a quem estiver assistindo a qualquer ato de culto
religioso;
 2. ao cônjuge ou a qualquer parente do morto,
consanguíneo ou afim, em linha reta, ou na linha
colateral em segundo grau, no dia do falecimento e
nos sete dias seguintes; é o período de nojo ou de
luto.
 3. aos noivos, nos três primeiros dias de bodas; É o
período de gala, somente o casamento civil.
 4. aos doentes, enquanto grave o seu estado. (até
aqui 217 CPC)
 5. deficiente mental ou impossibilitado, que
constatado será dado curador (218). 15
 EFEITOS DA CITAÇÃO (219):
Torna prevento o juízo; induz
litispendência e faz litigiosa a coisa;
constitui o devedor em mora e
interrompe a prescrição.
16
CITAÇÃO REAL OU CITAÇÃO FICTA
 Citação real - quando se tiver certeza, em razão do
princípio da pessoalidade, de que o réu foi de fato
citado, seja pessoalmente por meio de seu
representante ou procurador.
 Espécies:
1) Oficial de justiça e
2) Correio
 Citação ficta - quando se fizer em exceção ao
princípio da pessoalidade, sem ter a certeza da
ciência do réu.
17
CITAÇÃO POR OFICIAL DE JUSTIÇA
1. Casos do art. 222;
2. Quando frustrada a citação pelo correio (art. 224);
REQUISITOS: ART. 225
I – os nomes do autor e do réu, bem como os
respectivos domicílios ou residências;
II – o fim da citação, com todas as especificações
constantes da petição inicial, bem como a advertência
a que se refere o artigo 285, segunda parte, se o
litígio versar sobre direitos disponíveis;
III – a cópia do despacho e o prazo para defesa;
IV - a assinatura do escrivão e a declaração de que o
subscreve por ordem do juiz
18
CITAÇÃO POR OFICIAL DE JUSTIÇA (226)
 Incumbe ao oficial de justiça procurar o réu, e onde
o encontrar, citá-lo. Deverá ler o mandato e
entregar-lhe a contrafé, se o réu recusar a contrafé
o oficial a portará por fé. Deverá obter a nota de
ciente do réu, ou certificar que não a apôs no
mandado, constando o dia a e a hora da diligência,
e deverá entregar o mandato.
 O prazo para resposta do réu começará a correr
quando da juntada do mandado aos autos.(art.
241, II)
19
CITAÇÃO POR HORA CERTA
Frustrada a citação por oficial de justiça, atendidos os
requisitos poderá ocorrer a citação por hora certa.
REQUISITOS:
A) Quando o Oficial de justiça por três tentativas tentar
citar o réu em horários diferentes, sem o encontrar, mas
com suspeita de ocultação, poderá intimar qualquer
pessoa da família ou em sua falta a qualquer vizinho
que no dia imediato voltará a fim de efetuar a citação
em hora designada;
B) No dia imediato (ou marcado) voltará a fim de efetuar a
citação na hora designada:
Presente o citando é feita a citação;
Ausente o citando, procurará informar as razões da
ausência e dará por feita a citação, deixando a contrafé
com pessoa da família ou a vizinho (com seu nome). O
escrivão enviará carta, telegrama ou radiograma dando-
lhe ciência de tudo.
PRAZO: data de juntada do mandato (art. 241, II). 20
CITAÇÃO POR EDITAL
Ocorre nas seguintes hipóteses - 231:
c Súm. no 282 do STJ. Cabe a citação por edital em
ação monitória.
I – quando desconhecido ou incerto o réu;
É rara a hipótese, somente sendo admitida quando
se ignora todos, mas é possível identificar o grupo,
ex. invasores de um imóvel
II – quando ignorado, incerto ou inacessível o lugar
em que se encontrar; ignorado = não se tem idéia
onde está; incerto = não é precisado e não
ignorado; inacessível = por razões geográficas,
legais ou circunstanciais é impossibilitada a citação
pessoal (ex. favela dominada pelo tráfico)
III – nos casos expressos em lei. ex. art. 942 do CPC. 21
REQUISITOS DA CITAÇÃO POR EDITAL
Art. 232. I – a afirmação do autor, ou a certidão do
oficial, quanto às circunstâncias previstas nos nos I e
II do artigo antecedente;
II – a afixação do edital, na sede do juízo, certificada
pelo escrivão;
III – a publicação do edital no prazo máximo de quinze
dias, uma vez no órgão oficial e pelo menos duas
vezes em jornal local, onde houver;
IV – a determinação, pelo juiz, do prazo, que variará
entre vinte e sessenta dias, correndo da data da
primeira publicação;
V – a advertência a que se refere o artigo 285,
segunda parte, se o litígio versar sobre direitos
disponíveis (revelia). 22
INTIMAÇÕES
 Ato processual de ofício (salvo disposições em
contrário) por meio do qual se dá ciência às partes
dos termos do processo, para que conheçam,
façam ou deixem de fazer alguma coisa.
 INTIMAÇÃO aos advogados -- pelo órgão oficial da
imprensa (nome das partes e advogados), onde
não houver será pessoalmente (domicílio na sede
do juízo) ou por carta registrada com AR (domicílio
fora do juízo).
 Intimação eletrônica - onde houver processo
eletrônico ou ainda diário da justiça eletrônico
(DJe), que se não for o caso podem ser pelo
correio no endereço indicado na inicial.
23
INTIMAÇÕES
Frustrada as intimações poderá ser feita por oficial de
justiça. Podem também ocorrer em cartório, em
audiência (sentença).
As partes também serão intimadas para:
 Comparecer à audiência a fim de prestar
depoimento pessoal;
 Comparecer em laboratório para colheita de
material para DNA;
 ETC.
24
 Intimação pessoal: MP, Defensoria Pública e a
Fazenda Pública
 CARTAS: garantem a direção do processo, mesmo
quando deve ser feito algo fora dos limites da
circunscrição territorial.
 Cartas de ordem: quando expedida por um tribunal
a juiz subordinado.
 Carta rogatória: quando expedida à/por uma
autoridade estrangeira.
 Carta precatória: para hipóteses restantes, quando
juiz de comarca diversa situada no território
nacional sem subordinação hierárquica.
25
NULIDADES
Principios:
Prejuízo - pas de nullités sans grife - não há nulidade sem
prejuízo injusto, aproveitando-se os atos praticados;
Concatenação - a nulidade de um ato contamina os
posteriores que sejam dependentes. Quando nulo o juiz
deve pronunciar quais são os atingidos.
Aproveitamento dos demais atos processuais não
prejudicados - "redução";
Instrumentalidade das formas - a forma destina ao alcance
da finalidade, quando ocorrer do ato ser realizado de outro
modo que não o prescrito, mas atingir sua finalidade - será
válido. Ex. citação e réu presente em audiência
Responsabilidade pela causação - a parte que deu causa
a nulidade não pode pleitear a anulação do ato - a
ninguém é dado se beneficiar de sua própria torpeza.
Somente casos de nulidade relativa, pois a nulidade
absoluta deve ser conhecida de ofício.
26
NULIDADES ABSOLUTAS
 Decorrem da preservação de interesses de ordem
pública e devem ser decretadas de ofício, não
estão sujeitas à preclusão. Podem ser relacionadas
ao fundo (condições da ação ou pressupostos
processuais) ou a forma. Ex. nulidade do processo
em que o MP não for intimado para acompanhar o
feito para agir, o juiz anulará a partir do momento
em que o MP devia ter sido intimado.
27
 DIREITO PROCESSUAL CIVIL E CIVIL. CITAÇÃO
POR HORA CERTA. AUSÊNCIA DE NOMEAÇÃO DE
CURADOR ESPECIAL. NULIDADE ABSOLUTA.
SENTENÇA CASSADA.
 1. A nomeação de curador especial constitui
requisito essencial à regularidade do
processo, no caso de citação por hora certa, nos
termos do artigo 9º, inciso II, do Código de
Processo Civil, sob pena de cerceamento da
defesa.
 2. Recurso provido.
 (Acórdão n.776592, 20110710348662APC, Relator:
SEBASTIÃO COELHO, Revisor: GISLENE
PINHEIRO, 5ª Turma Cível, Data de Julgamento:
02/04/2014, Publicado no DJE: 10/04/2014. Pág.:
207)
28
 EXEMPLO DE NULIDADE ABSOLUTA:
DECIDIR SEM RESPEITAR A INTIMAÇÃO PESSOAL
DA DEFENSORIA PÚBLICA, EM DESRESPEITO AO
ARTIGO 5º, §5º DA LEI 1.060/50.
“Art. 5º.
§ 5° Nos Estados onde a Assistência Judiciária seja
organizada e por eles mantida, o Defensor Público, ou
quem exerça cargo equivalente, será intimado
pessoalmente de todos os atos do processo, em
ambas as Instâncias, contando-se-lhes em dobro todos
os prazos.”
29
NULIDADES RELATIVAS
 Há possibilidade de preservação dos interesses
privados, pois há regência do princípio dispositivo e
o direito é disponível, logo deve ser alegada na
primeira oportunidade, sob pena de preclusão.
 CONVALIDAÇÃO DO ATO - com a sentença e o
trânsito em julgado ocorre a convalidação da
nulidade, ocorre que em uma nulidade relativa não
há problema, entretanto, em uma nulidade absoluta
poderá solicitar a nulidade por meio de um
processo (hipóteses de rescindibilidade - art. 485).
30
I - REJEITADA A PRELIMINAR DE NULIDADE DO
PROCESSO POR HAVER A AUDIÊNCIA SIDO
REALIZADA SEM OBSERVÂNCIA DO ART. 278 DO
CPC, SUSCITADA DE OFÍCIO A FUNDAMENTO DE
QUE SE TRATA DE NULIDADE RELATIVA. MAIORIA. II
- REJEITADA A PRELIMINAR DE NULIDADE DO
PROCESSO POR HAVER A CITAÇÃO SIDO FEITA EM
PESSOA DIVERSA DO REPRESENTANTE LEGAL DA
APELANTE, A FUNDAMENTO DE QUE HOUVE
MANIFESTAÇÃO QUANTO AO MÉRITO. MAIORIA. III -
SE A PARTE RÉ NÃO OFERTA RESPOSTA, JULGA-SE
PROCEDENTE A AÇÃO DE USUCAPIÃO DE COISA
MÓVEL, TENDO EM VISTA TRATAR-SE DE DIREITO
DISPONÍVEL, INCIDINDO A REGRA DO ART. 330, II,
DO CPC. UNÂNIME.(Acórdão n.63949, APC2916992,
Relator: ROMÃO C. OLIVEIRA, 2ª Turma Cível, Data de
Julgamento: 17/12/1992, Publicado no DJU SECAO 2:
26/05/1993. Pág.: 20)
31
EXEMPLO: NULIDADE RELATIVA EM RAZÃO DE AVAL
SEM AUTORIZAÇÃO DO CÔNJUGE. Art. 1.647.
Ressalvado o disposto no art. 1.648, nenhum dos cônjuges
pode, sem autorização do outro, exceto no regime da
separação absoluta:(...)III - prestar fiança ou aval;
Art. 1.649. A falta de autorização, não suprida pelo
juiz, quando necessária (art. 1.647), tornará anulável o ato
praticado, podendo o outro cônjuge pleitear-lhe a
anulação, até dois anos depois de terminada a sociedade
conjugal.
Parágrafo único. A aprovação torna válido o ato, desde que
feita por instrumento público, ou particular, autenticado.
O cônjuge prejudicado (ou seus herdeiros) pode suscitá-
la e que o juiz dela não pode conhecer de ofício.
32

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nulidades no processo penal
Nulidades no processo penalNulidades no processo penal
Nulidades no processo penal
Dimensson Costa Santos
 
Teoria dos recursos novo cpc
Teoria dos recursos   novo cpcTeoria dos recursos   novo cpc
Teoria dos recursos novo cpc
Esdras Arthur Lopes Pessoa
 
Aula procedimento tribunal do júri
Aula procedimento tribunal do júriAula procedimento tribunal do júri
Aula procedimento tribunal do júri
Dimensson Costa Santos
 
Teoria geral da pena apostila
Teoria geral da pena apostilaTeoria geral da pena apostila
Teoria geral da pena apostila
Henrique Araújo
 
Esquema sobre ação rescisória
Esquema sobre ação rescisóriaEsquema sobre ação rescisória
Esquema sobre ação rescisória
Advogadassqn
 
Coletânea de exercícios teoria geral do processo (1)
Coletânea de exercícios teoria geral do processo  (1)Coletânea de exercícios teoria geral do processo  (1)
Coletânea de exercícios teoria geral do processo (1)
Leonardo Chagas
 
Teoria geral dos contratos
Teoria geral dos contratosTeoria geral dos contratos
Teoria geral dos contratos
Pitágoras
 
Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e Intervenção de Terceiros)
Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e  Intervenção de Terceiros)Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e  Intervenção de Terceiros)
Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e Intervenção de Terceiros)
Antonio Pereira
 
Ações possessórias
Ações possessóriasAções possessórias
Ações possessórias
Junior Mendes
 
Aula 01 direito das obrigações - introdução
Aula 01   direito das obrigações - introduçãoAula 01   direito das obrigações - introdução
Aula 01 direito das obrigações - introdução
Laisy Quesado
 
Processo civil | Execução 1
Processo civil | Execução 1Processo civil | Execução 1
Processo civil | Execução 1
Elder Leite
 
Prisão
PrisãoPrisão
Aula 11 - Controle De Constitucionalidade
Aula 11 - Controle De ConstitucionalidadeAula 11 - Controle De Constitucionalidade
Aula 11 - Controle De Constitucionalidade
Tércio De Santana
 
Processo civil revisão
Processo civil revisãoProcesso civil revisão
Processo civil revisão
Pitágoras
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power point
edgardrey
 
Pagamento
PagamentoPagamento
Pagamento
Lucas Guerreiro
 
Teoria geral dos recursos dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)
Teoria geral dos recursos   dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)Teoria geral dos recursos   dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)
Teoria geral dos recursos dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)
Ricardo Damião
 
Exceção de coisa julgada
Exceção de coisa julgadaExceção de coisa julgada
Exceção de coisa julgada
Alessandra Valverde
 
Espécies de Pena
Espécies de PenaEspécies de Pena
Espécies de Pena
Antonio Pereira
 
Petição inicial
Petição inicialPetição inicial
Petição inicial
maribarr
 

Mais procurados (20)

Nulidades no processo penal
Nulidades no processo penalNulidades no processo penal
Nulidades no processo penal
 
Teoria dos recursos novo cpc
Teoria dos recursos   novo cpcTeoria dos recursos   novo cpc
Teoria dos recursos novo cpc
 
Aula procedimento tribunal do júri
Aula procedimento tribunal do júriAula procedimento tribunal do júri
Aula procedimento tribunal do júri
 
Teoria geral da pena apostila
Teoria geral da pena apostilaTeoria geral da pena apostila
Teoria geral da pena apostila
 
Esquema sobre ação rescisória
Esquema sobre ação rescisóriaEsquema sobre ação rescisória
Esquema sobre ação rescisória
 
Coletânea de exercícios teoria geral do processo (1)
Coletânea de exercícios teoria geral do processo  (1)Coletânea de exercícios teoria geral do processo  (1)
Coletânea de exercícios teoria geral do processo (1)
 
Teoria geral dos contratos
Teoria geral dos contratosTeoria geral dos contratos
Teoria geral dos contratos
 
Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e Intervenção de Terceiros)
Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e  Intervenção de Terceiros)Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e  Intervenção de Terceiros)
Processo Civil (Litisconsórcio, Assistência e Intervenção de Terceiros)
 
Ações possessórias
Ações possessóriasAções possessórias
Ações possessórias
 
Aula 01 direito das obrigações - introdução
Aula 01   direito das obrigações - introduçãoAula 01   direito das obrigações - introdução
Aula 01 direito das obrigações - introdução
 
Processo civil | Execução 1
Processo civil | Execução 1Processo civil | Execução 1
Processo civil | Execução 1
 
Prisão
PrisãoPrisão
Prisão
 
Aula 11 - Controle De Constitucionalidade
Aula 11 - Controle De ConstitucionalidadeAula 11 - Controle De Constitucionalidade
Aula 11 - Controle De Constitucionalidade
 
Processo civil revisão
Processo civil revisãoProcesso civil revisão
Processo civil revisão
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power point
 
Pagamento
PagamentoPagamento
Pagamento
 
Teoria geral dos recursos dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)
Teoria geral dos recursos   dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)Teoria geral dos recursos   dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)
Teoria geral dos recursos dpc aplicado - 2015 (ATUALIZADO)
 
Exceção de coisa julgada
Exceção de coisa julgadaExceção de coisa julgada
Exceção de coisa julgada
 
Espécies de Pena
Espécies de PenaEspécies de Pena
Espécies de Pena
 
Petição inicial
Petição inicialPetição inicial
Petição inicial
 

Destaque

Ampla defesa e plenitude de defesa palestra aluno marcelo travessa guedes
Ampla defesa e plenitude de defesa   palestra aluno marcelo travessa guedesAmpla defesa e plenitude de defesa   palestra aluno marcelo travessa guedes
Ampla defesa e plenitude de defesa palestra aluno marcelo travessa guedes
José Rogério de Sousa Mendes Júnior
 
Os atos processuais
Os atos processuaisOs atos processuais
Os atos processuais
Cesar Machado
 
Direito processual civil aula 4 atualiz
Direito processual civil   aula 4 atualizDireito processual civil   aula 4 atualiz
Direito processual civil aula 4 atualiz
Fabiano Manquevich
 
Apelação resposta oab cível
Apelação   resposta oab cívelApelação   resposta oab cível
Apelação resposta oab cível
Fabiano Manquevich
 
Atos de Ofício - Das intimações
Atos de Ofício - Das intimaçõesAtos de Ofício - Das intimações
Atos de Ofício - Das intimações
PreOnline
 
Atos de Ofício - Da citação
Atos de Ofício - Da citaçãoAtos de Ofício - Da citação
Atos de Ofício - Da citação
PreOnline
 
Direito processual civil iv aula 7
Direito processual civil iv   aula 7Direito processual civil iv   aula 7
Direito processual civil iv aula 7
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil aula 3
Direito processual civil   aula 3Direito processual civil   aula 3
Direito processual civil aula 3
Fabiano Manquevich
 
Direito empresarial i aula 4
Direito empresarial i   aula 4Direito empresarial i   aula 4
Direito empresarial i aula 4
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil iv aula 6
Direito processual civil iv   aula 6Direito processual civil iv   aula 6
Direito processual civil iv aula 6
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil aula 3
Direito processual civil   aula 3Direito processual civil   aula 3
Direito processual civil aula 3
Fabiano Manquevich
 
Dos Atos Processuais
Dos Atos ProcessuaisDos Atos Processuais
Dos Atos Processuais
Junior Ozono
 
Direito empresarial i aula 5
Direito empresarial i   aula 5Direito empresarial i   aula 5
Direito empresarial i aula 5
Fabiano Manquevich
 
Direito empresarial i aula 4
Direito empresarial i   aula 4Direito empresarial i   aula 4
Direito empresarial i aula 4
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil aula 5
Direito processual civil   aula 5Direito processual civil   aula 5
Direito processual civil aula 5
Fabiano Manquevich
 
Direito empresarial i aula 3
Direito empresarial i   aula 3Direito empresarial i   aula 3
Direito empresarial i aula 3
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil iv aula 4
Direito processual civil iv   aula 4Direito processual civil iv   aula 4
Direito processual civil iv aula 4
Fabiano Manquevich
 
Características do Direito Empresarial e Obrigações dos Empresários
Características do Direito Empresarial e Obrigações dos EmpresáriosCaracterísticas do Direito Empresarial e Obrigações dos Empresários
Características do Direito Empresarial e Obrigações dos Empresários
Senna Bismarck
 
Regimento Interno TJMG
Regimento Interno TJMGRegimento Interno TJMG
Regimento Interno TJMG
PreOnline
 
Atos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuais
Atos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuaisAtos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuais
Atos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuais
PreOnline
 

Destaque (20)

Ampla defesa e plenitude de defesa palestra aluno marcelo travessa guedes
Ampla defesa e plenitude de defesa   palestra aluno marcelo travessa guedesAmpla defesa e plenitude de defesa   palestra aluno marcelo travessa guedes
Ampla defesa e plenitude de defesa palestra aluno marcelo travessa guedes
 
Os atos processuais
Os atos processuaisOs atos processuais
Os atos processuais
 
Direito processual civil aula 4 atualiz
Direito processual civil   aula 4 atualizDireito processual civil   aula 4 atualiz
Direito processual civil aula 4 atualiz
 
Apelação resposta oab cível
Apelação   resposta oab cívelApelação   resposta oab cível
Apelação resposta oab cível
 
Atos de Ofício - Das intimações
Atos de Ofício - Das intimaçõesAtos de Ofício - Das intimações
Atos de Ofício - Das intimações
 
Atos de Ofício - Da citação
Atos de Ofício - Da citaçãoAtos de Ofício - Da citação
Atos de Ofício - Da citação
 
Direito processual civil iv aula 7
Direito processual civil iv   aula 7Direito processual civil iv   aula 7
Direito processual civil iv aula 7
 
Direito processual civil aula 3
Direito processual civil   aula 3Direito processual civil   aula 3
Direito processual civil aula 3
 
Direito empresarial i aula 4
Direito empresarial i   aula 4Direito empresarial i   aula 4
Direito empresarial i aula 4
 
Direito processual civil iv aula 6
Direito processual civil iv   aula 6Direito processual civil iv   aula 6
Direito processual civil iv aula 6
 
Direito processual civil aula 3
Direito processual civil   aula 3Direito processual civil   aula 3
Direito processual civil aula 3
 
Dos Atos Processuais
Dos Atos ProcessuaisDos Atos Processuais
Dos Atos Processuais
 
Direito empresarial i aula 5
Direito empresarial i   aula 5Direito empresarial i   aula 5
Direito empresarial i aula 5
 
Direito empresarial i aula 4
Direito empresarial i   aula 4Direito empresarial i   aula 4
Direito empresarial i aula 4
 
Direito processual civil aula 5
Direito processual civil   aula 5Direito processual civil   aula 5
Direito processual civil aula 5
 
Direito empresarial i aula 3
Direito empresarial i   aula 3Direito empresarial i   aula 3
Direito empresarial i aula 3
 
Direito processual civil iv aula 4
Direito processual civil iv   aula 4Direito processual civil iv   aula 4
Direito processual civil iv aula 4
 
Características do Direito Empresarial e Obrigações dos Empresários
Características do Direito Empresarial e Obrigações dos EmpresáriosCaracterísticas do Direito Empresarial e Obrigações dos Empresários
Características do Direito Empresarial e Obrigações dos Empresários
 
Regimento Interno TJMG
Regimento Interno TJMGRegimento Interno TJMG
Regimento Interno TJMG
 
Atos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuais
Atos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuaisAtos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuais
Atos de Ofício - Nulidades e Invalidades processuais
 

Semelhante a Direito processual civil aula 6

Atos de Ofício - Resposta do Réu
Atos de Ofício - Resposta do Réu Atos de Ofício - Resposta do Réu
Atos de Ofício - Resposta do Réu
PreOnline
 
Processo penal ii
Processo penal iiProcesso penal ii
Processo penal ii
Jordano Santos Cerqueira
 
Curso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - FaceliCurso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - Faceli
Jordano Santos Cerqueira
 
Direito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidadesDireito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidades
Renato Kaires
 
Foca no resumo suspensao do processo - ncpc
Foca no resumo   suspensao do processo - ncpcFoca no resumo   suspensao do processo - ncpc
Foca no resumo suspensao do processo - ncpc
EsdrasArthurPessoa
 
Processo penal 01 avisos processuais
Processo penal 01   avisos processuaisProcesso penal 01   avisos processuais
Processo penal 01 avisos processuais
Jordano Santos Cerqueira
 
Resumo do-novo-cpc
Resumo do-novo-cpcResumo do-novo-cpc
Resumo do-novo-cpc
Irson Gomes
 
Aula 01. proc. civil v 2013.1
Aula 01. proc. civil v   2013.1Aula 01. proc. civil v   2013.1
Aula 01. proc. civil v 2013.1
Ítalo Melo de Farias
 
Prova
ProvaProva
Prova
assisalex
 
Curso procedimentos cpp
Curso procedimentos cppCurso procedimentos cpp
Curso procedimentos cpp
Lizandra Nunes
 
Curso intensivo de processo civil - Aula 02
Curso intensivo de processo civil - Aula 02Curso intensivo de processo civil - Aula 02
Curso intensivo de processo civil - Aula 02
topreparatorio
 
Atos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazosAtos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazos
PreOnline
 
Tutela Provisória - CPC/2015
Tutela Provisória - CPC/2015Tutela Provisória - CPC/2015
Tutela Provisória - CPC/2015
Kleiton Barbosa
 
Tutela provisória CPC/2015
Tutela provisória   CPC/2015Tutela provisória   CPC/2015
Tutela provisória CPC/2015
Kleiton Barbosa
 
PROVIDENCIAS PRELIMINARES
PROVIDENCIAS PRELIMINARESPROVIDENCIAS PRELIMINARES
PROVIDENCIAS PRELIMINARES
EsdrasArthurPessoa
 
Foca no resumo impedimento e suspeicao - ncpc
Foca no resumo   impedimento e suspeicao - ncpcFoca no resumo   impedimento e suspeicao - ncpc
Foca no resumo impedimento e suspeicao - ncpc
EsdrasArthurPessoa
 
Aula 03
Aula 03Aula 03
Prova Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºR
Prova Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºRProva Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºR
Prova Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºR
Ricardo Torques
 
Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.
Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.
Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.
IRIB
 
Atos processuais
Atos processuaisAtos processuais
Atos processuais
spala
 

Semelhante a Direito processual civil aula 6 (20)

Atos de Ofício - Resposta do Réu
Atos de Ofício - Resposta do Réu Atos de Ofício - Resposta do Réu
Atos de Ofício - Resposta do Réu
 
Processo penal ii
Processo penal iiProcesso penal ii
Processo penal ii
 
Curso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - FaceliCurso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - Faceli
 
Direito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidadesDireito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidades
 
Foca no resumo suspensao do processo - ncpc
Foca no resumo   suspensao do processo - ncpcFoca no resumo   suspensao do processo - ncpc
Foca no resumo suspensao do processo - ncpc
 
Processo penal 01 avisos processuais
Processo penal 01   avisos processuaisProcesso penal 01   avisos processuais
Processo penal 01 avisos processuais
 
Resumo do-novo-cpc
Resumo do-novo-cpcResumo do-novo-cpc
Resumo do-novo-cpc
 
Aula 01. proc. civil v 2013.1
Aula 01. proc. civil v   2013.1Aula 01. proc. civil v   2013.1
Aula 01. proc. civil v 2013.1
 
Prova
ProvaProva
Prova
 
Curso procedimentos cpp
Curso procedimentos cppCurso procedimentos cpp
Curso procedimentos cpp
 
Curso intensivo de processo civil - Aula 02
Curso intensivo de processo civil - Aula 02Curso intensivo de processo civil - Aula 02
Curso intensivo de processo civil - Aula 02
 
Atos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazosAtos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazos
 
Tutela Provisória - CPC/2015
Tutela Provisória - CPC/2015Tutela Provisória - CPC/2015
Tutela Provisória - CPC/2015
 
Tutela provisória CPC/2015
Tutela provisória   CPC/2015Tutela provisória   CPC/2015
Tutela provisória CPC/2015
 
PROVIDENCIAS PRELIMINARES
PROVIDENCIAS PRELIMINARESPROVIDENCIAS PRELIMINARES
PROVIDENCIAS PRELIMINARES
 
Foca no resumo impedimento e suspeicao - ncpc
Foca no resumo   impedimento e suspeicao - ncpcFoca no resumo   impedimento e suspeicao - ncpc
Foca no resumo impedimento e suspeicao - ncpc
 
Aula 03
Aula 03Aula 03
Aula 03
 
Prova Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºR
Prova Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºRProva Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºR
Prova Comentada - Direito Processual Civil - TRT20ºR
 
Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.
Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.
Desjudicialização: avanços, desafios e novas demandas.
 
Atos processuais
Atos processuaisAtos processuais
Atos processuais
 

Mais de Fabiano Manquevich

Peça profissional apelação
Peça profissional apelaçãoPeça profissional apelação
Peça profissional apelação
Fabiano Manquevich
 
Contratos administrativos - alguns pontos
Contratos administrativos - alguns pontosContratos administrativos - alguns pontos
Contratos administrativos - alguns pontos
Fabiano Manquevich
 
2.empresarial ig 2014
2.empresarial ig 20142.empresarial ig 2014
2.empresarial ig 2014
Fabiano Manquevich
 
Direito empresarial i aula 2
Direito empresarial i   aula 2Direito empresarial i   aula 2
Direito empresarial i aula 2
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil iv aula 3
Direito processual civil iv   aula 3Direito processual civil iv   aula 3
Direito processual civil iv aula 3
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil iv aula 2
Direito processual civil iv   aula 2Direito processual civil iv   aula 2
Direito processual civil iv aula 2
Fabiano Manquevich
 
Direito empresarial ii aula 2
Direito empresarial ii   aula 2Direito empresarial ii   aula 2
Direito empresarial ii aula 2
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil aula 2
Direito processual civil   aula 2Direito processual civil   aula 2
Direito processual civil aula 2
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil iv aula 1
Direito processual civil iv   aula 1Direito processual civil iv   aula 1
Direito processual civil iv aula 1
Fabiano Manquevich
 
Direito empresarial ii aula 1
Direito empresarial ii   aula 1Direito empresarial ii   aula 1
Direito empresarial ii aula 1
Fabiano Manquevich
 
Empresarial I aula 1
Empresarial I  aula 1Empresarial I  aula 1
Empresarial I aula 1
Fabiano Manquevich
 
Direito processual civil aula 1
Direito processual civil   aula 1Direito processual civil   aula 1
Direito processual civil aula 1
Fabiano Manquevich
 

Mais de Fabiano Manquevich (12)

Peça profissional apelação
Peça profissional apelaçãoPeça profissional apelação
Peça profissional apelação
 
Contratos administrativos - alguns pontos
Contratos administrativos - alguns pontosContratos administrativos - alguns pontos
Contratos administrativos - alguns pontos
 
2.empresarial ig 2014
2.empresarial ig 20142.empresarial ig 2014
2.empresarial ig 2014
 
Direito empresarial i aula 2
Direito empresarial i   aula 2Direito empresarial i   aula 2
Direito empresarial i aula 2
 
Direito processual civil iv aula 3
Direito processual civil iv   aula 3Direito processual civil iv   aula 3
Direito processual civil iv aula 3
 
Direito processual civil iv aula 2
Direito processual civil iv   aula 2Direito processual civil iv   aula 2
Direito processual civil iv aula 2
 
Direito empresarial ii aula 2
Direito empresarial ii   aula 2Direito empresarial ii   aula 2
Direito empresarial ii aula 2
 
Direito processual civil aula 2
Direito processual civil   aula 2Direito processual civil   aula 2
Direito processual civil aula 2
 
Direito processual civil iv aula 1
Direito processual civil iv   aula 1Direito processual civil iv   aula 1
Direito processual civil iv aula 1
 
Direito empresarial ii aula 1
Direito empresarial ii   aula 1Direito empresarial ii   aula 1
Direito empresarial ii aula 1
 
Empresarial I aula 1
Empresarial I  aula 1Empresarial I  aula 1
Empresarial I aula 1
 
Direito processual civil aula 1
Direito processual civil   aula 1Direito processual civil   aula 1
Direito processual civil aula 1
 

Último

AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 

Último (20)

AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 

Direito processual civil aula 6

  • 1. DIREITO PROCESSUAL CIVIL Professor Fabiano Manquevich de Lima professorfabianolima@gmail.com http://www.professorfabianolima.blogspot.com.br/ 1
  • 2. ATOS PROCESSUAIS – ART. 154 E SEGUINTES Instrumentalidade das formas - art. 154 (quando não determinada a forma pela lei, mas atingida a finalidade essencial, ainda que realizado de outro modo, são reputados válidos). Os atos são públicos (art. 155), salvo os em segredo de justiça (só as partes e procuradores); O vernáculo é obrigatório (art. 156) CPC dividiu em: 1. Atos das partes; 2. Atos do Juiz; 3. Atos do Escrivão ou chefe de secretaria. 2
  • 3. ATOS DAS PARTES - 158  Atos postulatórios - expõem razões e solicitam um provimento (inicial, contestação, etc.);  Atos dispositivos - abrem mão de um direito ou faculdade processual (renúncia, reconhecimento do pedido, transação, etc). Desistência da ação tem que ser homologada pelo Juiz.  Atos probatórios - quando visam formar a convicção do órgão julgador (depoimento pessoal, etc) 3
  • 4. ATOS DO JUIZ  Art. 162 do CPC:  Sentença - art. 267 e 269 do CPC, põe fim ao procedimento em primeiro grau; (Cabe apelação e embargos de declaração).  Decisão interlocutória - no curso do processo o juiz resolve a questão incidental, com caráter decisório, sem por fim ao procedimento de primeiro grau; (cabe agravo, e embargos de declaração) – preparam a causa para julgamento final. 4
  • 5.  Despacho - refere-se a andamento do processo, não tem conteúdo decisório, nem envolve os interesses das partes, porquanto é destituído de conteúdo decisório (pelo que implica em ônus) sendo praticado de ofício ou a requerimento da parte. Irrecorrível (cabível Embargos de Declaração).  Atos meramente ordinatórios - praticados como a juntada e a vista obrigatória, que devem ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz quando necessário. §4º. 5 ATOS DO JUIZ
  • 6. TEMPO DOS ATOS - ART. 172 Os atos devem ser praticados em dias úteis, das 6h às 20 h. Feriados: domingos e dias declarados por lei. Sábado é dia útil para realização de atos externos, mas não o é para contagem de prazo, pois normalmente não há expediente forense. Petição : seu protocolo depende de horário de expediente das normas locais. Processo eletrônico: da primeira a última hora do dia. 6
  • 7. ATOS JURISDICIONAIS  Acórdão – art. 163 – o julgamento proferido pelos tribunais. Vem de “acordo”  Decisões monocráticas – art. 557 CPC – quando o relator nega seguimento a recurso manifestamente inadmissível, improcedente, prejudicado ou em confronto com súmula ou com jurisprudência dominante do respectivo tribunal, do STF ou de Tribunal Superior. (cabe agravo)  IMPORTANTE: FUNDAMENTAÇÃO  MOTIVAÇÃO 7
  • 8. PRAZOS 8 Classificação: 1)Prazos legais - aqueles determinados por lei, exemplo: 15 dias para defesa - art. 297 do CPC; 2) Prazos judiciais - são aqueles determinados pelo juiz - art. 177 (segunda parte), quando a lei for omissa; Conforme a complexidade, mas não tendo sido fixado será de 5 dias - art. 185 do CPC. 3)Prazos peremptórios - quando as partes não podem sobre eles convencionar e o juiz não pode dilatá-lo discricionariamente (salvo calamidade ou comarca de difícil acesso). Ex. recursal. 4) Prazos dilatórios - podem ser prorrogados pelo juiz ou de comum acordo pelas partes, reduzidos ou prorrogados. Art. 284 CPC e art. 13 (irregularidade na representação da parte)
  • 9. PRAZOS Prazos próprios - quando forem de observância das partes e dos terceiros interessados, ex. 10 dias para réplica a contestação (art. 326 CPC) Prazos impróprios - dirigidos ao Juiz ou seus auxiliares, ex. art. 309 do CPC quando na exceção de incompetência e havendo necessidade de prova testemunhal o juiz designará audiência de instrução e decidirá em 10 dias. Diferença: os prazos próprios causam sanções processuais, já os prazos impróprios causam sanções administrativas (art. 194 e 198 do CPC) 9
  • 10. CONTAGEM DOS PRAZOS - ART. 184 E SEGUINTES. Não havendo prazo específico: 5 dias - 185 CPC. Critérios: 1. Exclusão do dia do começo e inclusão do dia do vencimento; 2. Iniciam e terminam em dia útil; 3. Prazos não se iniciam nos sábados; 4. Publicado em diário oficial ou diário de justiça eletrônico, o prazo da publicação será o primeiro dia útil subsequente ao da disponibilização da informação. SÚMULA 310 STF Quando a intimação tiver lugar na sexta-feira, ou a publicação com efeito de intimação for feita nesse dia, o prazo judicial terá início na segunda- feira imediata, salvo se não houver expediente, caso em que começará no primeiro dia útil que se seguir. 10
  • 11. CONTAGEM 11 Critérios: 1. Minutos - corre do momento da intimação (minuto a minuto), ex. alegações finais orais - art. 454 do CPC; 2. Horas - corre do momento da intimação (minuto a minuto), ex. prazo para defesa do art. 297 do CPC; 3. Dias - exclui o dia do começo (se útil) e inclui o do vencimento, prorrogado até o primeiro dia útil se o vencimento cair em feriado, dia de fechamento do fórum ou expediente forense encerrado antes do normal 4. Meses - ex. prazo para propositura da demanda executória de cheque. 5. Anos - ex. prescrição intercorrente.
  • 12. OUTRAS CARACTERÍSTICAS Prazo em dobro para recorrer e em quádruplo para contestar - art. 188 CPC : MP e Fazenda Pública (exceto nos juizados especiais) Patrocinados pela Defensoria Pública tem prazo em dobro (art. 5º, § 5º da Lei 1.060/50 e LC 80/94 - art. 44, I. litisconsortes com advogados diferentes: prazo em dobro para contestar, para recorrer e, para falar nos autos - art. 191. SUSPENSÃO DOS PRAZOS: • Férias ou recesso forense (janeiro e julho); • Óbice criado pela parte adversa (ex. retirar o processo); • Morte ou perda da capacidade processual; • Convenção das partes (dilatório); • Exceção de incompetência ou suspeição ou impedimento. 12
  • 13. OUTRAS CARACTERÍSTICAS  Preclusão - é a perda da faculdade ou do direito processual de praticar um ato.  Preclusão temporal - no prazo para interpor recurso nada faz, e após impetra o recurso.  Preclusão consumativa - interpõe o recurso no prazo, mas não poderá fazer novamente, contra a mesma decisão, ainda que no mesmo prazo.  Preclusão lógica - quando pratica um ato, e após pratica ato incompatível com o anterior. 13
  • 14. COMUNICAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS  Citações = art. 213 CPC, para se defender. Sendo indispensável senão ocorre sua extinção (citação válida).  Intimações = comunicar as partes a situação em que o processo se encontra, logo é o ato processual de ofício por meio do qual se dá ciência às partes do termos do processo para conhecer, fazer ou deixar de fazer alguma coisa.  Cartas = são instrumentos que garantem a direção do processo pelo juiz quando os atos tiverem que se desenvolver além dos limites de sua circunscrição territorial. 14
  • 15. CITAÇÃO  Não se fará a citação, salvo para evitar perecimento do direito:  1. a quem estiver assistindo a qualquer ato de culto religioso;  2. ao cônjuge ou a qualquer parente do morto, consanguíneo ou afim, em linha reta, ou na linha colateral em segundo grau, no dia do falecimento e nos sete dias seguintes; é o período de nojo ou de luto.  3. aos noivos, nos três primeiros dias de bodas; É o período de gala, somente o casamento civil.  4. aos doentes, enquanto grave o seu estado. (até aqui 217 CPC)  5. deficiente mental ou impossibilitado, que constatado será dado curador (218). 15
  • 16.  EFEITOS DA CITAÇÃO (219): Torna prevento o juízo; induz litispendência e faz litigiosa a coisa; constitui o devedor em mora e interrompe a prescrição. 16
  • 17. CITAÇÃO REAL OU CITAÇÃO FICTA  Citação real - quando se tiver certeza, em razão do princípio da pessoalidade, de que o réu foi de fato citado, seja pessoalmente por meio de seu representante ou procurador.  Espécies: 1) Oficial de justiça e 2) Correio  Citação ficta - quando se fizer em exceção ao princípio da pessoalidade, sem ter a certeza da ciência do réu. 17
  • 18. CITAÇÃO POR OFICIAL DE JUSTIÇA 1. Casos do art. 222; 2. Quando frustrada a citação pelo correio (art. 224); REQUISITOS: ART. 225 I – os nomes do autor e do réu, bem como os respectivos domicílios ou residências; II – o fim da citação, com todas as especificações constantes da petição inicial, bem como a advertência a que se refere o artigo 285, segunda parte, se o litígio versar sobre direitos disponíveis; III – a cópia do despacho e o prazo para defesa; IV - a assinatura do escrivão e a declaração de que o subscreve por ordem do juiz 18
  • 19. CITAÇÃO POR OFICIAL DE JUSTIÇA (226)  Incumbe ao oficial de justiça procurar o réu, e onde o encontrar, citá-lo. Deverá ler o mandato e entregar-lhe a contrafé, se o réu recusar a contrafé o oficial a portará por fé. Deverá obter a nota de ciente do réu, ou certificar que não a apôs no mandado, constando o dia a e a hora da diligência, e deverá entregar o mandato.  O prazo para resposta do réu começará a correr quando da juntada do mandado aos autos.(art. 241, II) 19
  • 20. CITAÇÃO POR HORA CERTA Frustrada a citação por oficial de justiça, atendidos os requisitos poderá ocorrer a citação por hora certa. REQUISITOS: A) Quando o Oficial de justiça por três tentativas tentar citar o réu em horários diferentes, sem o encontrar, mas com suspeita de ocultação, poderá intimar qualquer pessoa da família ou em sua falta a qualquer vizinho que no dia imediato voltará a fim de efetuar a citação em hora designada; B) No dia imediato (ou marcado) voltará a fim de efetuar a citação na hora designada: Presente o citando é feita a citação; Ausente o citando, procurará informar as razões da ausência e dará por feita a citação, deixando a contrafé com pessoa da família ou a vizinho (com seu nome). O escrivão enviará carta, telegrama ou radiograma dando- lhe ciência de tudo. PRAZO: data de juntada do mandato (art. 241, II). 20
  • 21. CITAÇÃO POR EDITAL Ocorre nas seguintes hipóteses - 231: c Súm. no 282 do STJ. Cabe a citação por edital em ação monitória. I – quando desconhecido ou incerto o réu; É rara a hipótese, somente sendo admitida quando se ignora todos, mas é possível identificar o grupo, ex. invasores de um imóvel II – quando ignorado, incerto ou inacessível o lugar em que se encontrar; ignorado = não se tem idéia onde está; incerto = não é precisado e não ignorado; inacessível = por razões geográficas, legais ou circunstanciais é impossibilitada a citação pessoal (ex. favela dominada pelo tráfico) III – nos casos expressos em lei. ex. art. 942 do CPC. 21
  • 22. REQUISITOS DA CITAÇÃO POR EDITAL Art. 232. I – a afirmação do autor, ou a certidão do oficial, quanto às circunstâncias previstas nos nos I e II do artigo antecedente; II – a afixação do edital, na sede do juízo, certificada pelo escrivão; III – a publicação do edital no prazo máximo de quinze dias, uma vez no órgão oficial e pelo menos duas vezes em jornal local, onde houver; IV – a determinação, pelo juiz, do prazo, que variará entre vinte e sessenta dias, correndo da data da primeira publicação; V – a advertência a que se refere o artigo 285, segunda parte, se o litígio versar sobre direitos disponíveis (revelia). 22
  • 23. INTIMAÇÕES  Ato processual de ofício (salvo disposições em contrário) por meio do qual se dá ciência às partes dos termos do processo, para que conheçam, façam ou deixem de fazer alguma coisa.  INTIMAÇÃO aos advogados -- pelo órgão oficial da imprensa (nome das partes e advogados), onde não houver será pessoalmente (domicílio na sede do juízo) ou por carta registrada com AR (domicílio fora do juízo).  Intimação eletrônica - onde houver processo eletrônico ou ainda diário da justiça eletrônico (DJe), que se não for o caso podem ser pelo correio no endereço indicado na inicial. 23
  • 24. INTIMAÇÕES Frustrada as intimações poderá ser feita por oficial de justiça. Podem também ocorrer em cartório, em audiência (sentença). As partes também serão intimadas para:  Comparecer à audiência a fim de prestar depoimento pessoal;  Comparecer em laboratório para colheita de material para DNA;  ETC. 24
  • 25.  Intimação pessoal: MP, Defensoria Pública e a Fazenda Pública  CARTAS: garantem a direção do processo, mesmo quando deve ser feito algo fora dos limites da circunscrição territorial.  Cartas de ordem: quando expedida por um tribunal a juiz subordinado.  Carta rogatória: quando expedida à/por uma autoridade estrangeira.  Carta precatória: para hipóteses restantes, quando juiz de comarca diversa situada no território nacional sem subordinação hierárquica. 25
  • 26. NULIDADES Principios: Prejuízo - pas de nullités sans grife - não há nulidade sem prejuízo injusto, aproveitando-se os atos praticados; Concatenação - a nulidade de um ato contamina os posteriores que sejam dependentes. Quando nulo o juiz deve pronunciar quais são os atingidos. Aproveitamento dos demais atos processuais não prejudicados - "redução"; Instrumentalidade das formas - a forma destina ao alcance da finalidade, quando ocorrer do ato ser realizado de outro modo que não o prescrito, mas atingir sua finalidade - será válido. Ex. citação e réu presente em audiência Responsabilidade pela causação - a parte que deu causa a nulidade não pode pleitear a anulação do ato - a ninguém é dado se beneficiar de sua própria torpeza. Somente casos de nulidade relativa, pois a nulidade absoluta deve ser conhecida de ofício. 26
  • 27. NULIDADES ABSOLUTAS  Decorrem da preservação de interesses de ordem pública e devem ser decretadas de ofício, não estão sujeitas à preclusão. Podem ser relacionadas ao fundo (condições da ação ou pressupostos processuais) ou a forma. Ex. nulidade do processo em que o MP não for intimado para acompanhar o feito para agir, o juiz anulará a partir do momento em que o MP devia ter sido intimado. 27
  • 28.  DIREITO PROCESSUAL CIVIL E CIVIL. CITAÇÃO POR HORA CERTA. AUSÊNCIA DE NOMEAÇÃO DE CURADOR ESPECIAL. NULIDADE ABSOLUTA. SENTENÇA CASSADA.  1. A nomeação de curador especial constitui requisito essencial à regularidade do processo, no caso de citação por hora certa, nos termos do artigo 9º, inciso II, do Código de Processo Civil, sob pena de cerceamento da defesa.  2. Recurso provido.  (Acórdão n.776592, 20110710348662APC, Relator: SEBASTIÃO COELHO, Revisor: GISLENE PINHEIRO, 5ª Turma Cível, Data de Julgamento: 02/04/2014, Publicado no DJE: 10/04/2014. Pág.: 207) 28
  • 29.  EXEMPLO DE NULIDADE ABSOLUTA: DECIDIR SEM RESPEITAR A INTIMAÇÃO PESSOAL DA DEFENSORIA PÚBLICA, EM DESRESPEITO AO ARTIGO 5º, §5º DA LEI 1.060/50. “Art. 5º. § 5° Nos Estados onde a Assistência Judiciária seja organizada e por eles mantida, o Defensor Público, ou quem exerça cargo equivalente, será intimado pessoalmente de todos os atos do processo, em ambas as Instâncias, contando-se-lhes em dobro todos os prazos.” 29
  • 30. NULIDADES RELATIVAS  Há possibilidade de preservação dos interesses privados, pois há regência do princípio dispositivo e o direito é disponível, logo deve ser alegada na primeira oportunidade, sob pena de preclusão.  CONVALIDAÇÃO DO ATO - com a sentença e o trânsito em julgado ocorre a convalidação da nulidade, ocorre que em uma nulidade relativa não há problema, entretanto, em uma nulidade absoluta poderá solicitar a nulidade por meio de um processo (hipóteses de rescindibilidade - art. 485). 30
  • 31. I - REJEITADA A PRELIMINAR DE NULIDADE DO PROCESSO POR HAVER A AUDIÊNCIA SIDO REALIZADA SEM OBSERVÂNCIA DO ART. 278 DO CPC, SUSCITADA DE OFÍCIO A FUNDAMENTO DE QUE SE TRATA DE NULIDADE RELATIVA. MAIORIA. II - REJEITADA A PRELIMINAR DE NULIDADE DO PROCESSO POR HAVER A CITAÇÃO SIDO FEITA EM PESSOA DIVERSA DO REPRESENTANTE LEGAL DA APELANTE, A FUNDAMENTO DE QUE HOUVE MANIFESTAÇÃO QUANTO AO MÉRITO. MAIORIA. III - SE A PARTE RÉ NÃO OFERTA RESPOSTA, JULGA-SE PROCEDENTE A AÇÃO DE USUCAPIÃO DE COISA MÓVEL, TENDO EM VISTA TRATAR-SE DE DIREITO DISPONÍVEL, INCIDINDO A REGRA DO ART. 330, II, DO CPC. UNÂNIME.(Acórdão n.63949, APC2916992, Relator: ROMÃO C. OLIVEIRA, 2ª Turma Cível, Data de Julgamento: 17/12/1992, Publicado no DJU SECAO 2: 26/05/1993. Pág.: 20) 31
  • 32. EXEMPLO: NULIDADE RELATIVA EM RAZÃO DE AVAL SEM AUTORIZAÇÃO DO CÔNJUGE. Art. 1.647. Ressalvado o disposto no art. 1.648, nenhum dos cônjuges pode, sem autorização do outro, exceto no regime da separação absoluta:(...)III - prestar fiança ou aval; Art. 1.649. A falta de autorização, não suprida pelo juiz, quando necessária (art. 1.647), tornará anulável o ato praticado, podendo o outro cônjuge pleitear-lhe a anulação, até dois anos depois de terminada a sociedade conjugal. Parágrafo único. A aprovação torna válido o ato, desde que feita por instrumento público, ou particular, autenticado. O cônjuge prejudicado (ou seus herdeiros) pode suscitá- la e que o juiz dela não pode conhecer de ofício. 32