SlideShare uma empresa Scribd logo
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA

 1 - O CICLO DO AÇÚCAR
 • Séc. XVI e XVII (auge).
 • Nordeste (BA e PE).
 • Litoral.
 • Solo e clima favoráveis.
 • Experiência de cultivo (Açores, Cabo Verde e Madeira).
 • Mercado consumidor.
 • Alto valor na Europa.
 • Participação de capital holandês: financiamento da produção,
     transporte, refino e distribuição na Europa.



iair@pop.com.br                                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
          A PRODUÇÃO AÇUCAREIRA NO BRASIL




iair@pop.com.br                             Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
 • Engenhos (unidade produtiva básica):
    – Casa Grande (residência do senhor de engenho e família).
    – Senzala (ambiente insalubre destinado aos escravos).
                                  SENZALA


                                           CASA GRANDE




iair@pop.com.br                                            Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
 • Sociedade açucareira:
    – Senhores.
    – Escravos.
    – Patriarcalismo.
    – Ruralismo.




iair@pop.com.br                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
 • Outros produtos:
    – Suporte para a lavoura canavieira.
    – GADO (exploração do interior, couro, tração, carne, leite,
      pecuária extensiva, trabalho livre).
    – FUMO (troca por escravos na África).
    – DROGAS DO SERTÃO: produtos extraídos da floresta
      amazônica com relativo valor na Europa, tais como anil,
      guaraná, salsa, corantes, e sobretudo o cacau.
    – Agricultura de subsistência.




iair@pop.com.br                                             Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
        A ECONOMIA COLONIAL NO SÉCULO XVII




iair@pop.com.br                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
 • Trabalho escravo:
    – ÍNDIOS: mais utilizados até aproximadamente 1560,
      utilizados em lavouras menos desenvolvidas ou mais pobres.
    – NEGROS: preferencialmente utilizados a partir de 1560, mão-
      de-obra básica do Brasil durante todo o período colonial e
      imperial. Utilizados acima de tudo pelo fato de representarem
      uma fonte de lucro extra através do tráfico de escravos.
      Além disso, os índios foram sendo exterminados e o grau de
      evolução das comunidades negras era maior, pois eles já
      conheciam a agricultura.




iair@pop.com.br                                            Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
            A ECONOMIA CANAVIEIRA
      ESCRAVOS: OS PÉS E AS MÃOS DOS SENHORES




iair@pop.com.br                            Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
            A ECONOMIA CANAVIEIRA
   TRÁFICO DE ESCRAVOS: UM NEGÓCIO LUCRATIVO




iair@pop.com.br                         Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA




iair@pop.com.br                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA




iair@pop.com.br                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
                  CASTIGAR PARA DOMINAR




iair@pop.com.br                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA

 2 - UNIÃO IBÉRICA E INVASÕES HOLANDESAS
 • União Ibérica (1580 – 1640):
     – Período em que POR e ESP foram governados
       pelos mesmos reis. POR foi dominada pela ESP.
     – D. Sebastião (POR) morre em 1578 sem deixar
                                                        D. SEBASTIÃO
       sucessores.
     – D. Henrique, seu tio já idoso assume o trono e
       falece em 1580, também sem sucessores.
     – Felipe II, rei da ESP invade o país e impõe
       governo conjunto.
     – Possessões portuguesas passam a ser da ESP.
                                                         FELIPE II


iair@pop.com.br                                            Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA

                      A UNIÃO IBÉRICA




iair@pop.com.br                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
    – Acordo com nobreza portuguesa determina manutenção de
      órgãos administrativos portugueses nas colônias, portanto,
      internamente não houve alterações no Brasil.
    – Tratado de Tordesilhas começa a ser ultrapassado.
    – Inimigos da ESP na Europa invadem o BRA em represália ao
      governo espanhol.
    – HOL, um dos inimigos da ESP é impedida de fazer comércio
      em qualquer possessão espanhola.
    – Comércio do açúcar no BRA que tinha participação holandesa
      é atingido.
    – Holandeses invadem o BRA tentando romper o bloqueio
      espanhol ao comércio de açúcar.


iair@pop.com.br                                         Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
                       • As invasões holandesas (1624 – 1654):
                          – Tentativa de romper o bloqueio
                            econômico imposto pelo governo
                            espanhol ao comércio do açúcar.
                          – 1624 – Invasão da BA (fracasso).
                          – Criação da Companhia das Índias
                            Ocidentais – empresa holandesa
                            responsável por viabilizar recursos para
                            invadir novamente o Brasil.
                          – 1630 – 1654 – Invasão de PE (maior
                            centro mundial de produção açucareira).



iair@pop.com.br                                          Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
                       Maurício de Nassau – governante
                        holandês responsável pelo controle de PE
                        e estabelecer um clima amistoso com os
                        brasileiros.
                          Modernização e urbanização.
                          Embelezamento de cidades (com a
                            vinda de artistas holandeses).
  MAURÍCIO DE NASSAU      Financiamento para donos de
                            engenho.
                          Liberdade de culto.
                          Demitido em 1644 pela CIA. das
                            Índias Ocidentais.



iair@pop.com.br                                          Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA
        Insurreição Pernambucana (1645 – 54): movimento
          luso-brasileiro que expulsou os holandeses do BRA.
    – Conseqüência da expulsão dos holandeses: início da crise
      do ciclo do açúcar pois os holandeses ao saírem do BRA
      instalam-se nas Antilhas (América Central), produzindo lá um
      açúcar mais barato e de melhor qualidade que o nosso.


                         AS ANTILHAS




iair@pop.com.br                                           Prof. Iair
BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822)
                  A ECONOMIA CANAVIEIRA




iair@pop.com.br                           Prof. Iair

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929
Edenilson Morais
 
Brasil colonial as revoltas coloniais
Brasil colonial   as revoltas coloniaisBrasil colonial   as revoltas coloniais
Brasil colonial as revoltas coloniais
Edenilson Morais
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Edenilson Morais
 
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
Edenilson Morais
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
luizmourao23
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
luizmourao23
 
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Isaquel Silva
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
Edenilson Morais
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
Edenilson Morais
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
luizmourao23
 
America sec xix
America sec xixAmerica sec xix
America sec xix
luizmourao23
 
Revolucao russa
Revolucao russaRevolucao russa
Revolucao russa
luizmourao23
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
Norma Almeida
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
Edenilson Morais
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Edenilson Morais
 
Brasil império: II reinado (1840-1889)
Brasil império:   II reinado (1840-1889)Brasil império:   II reinado (1840-1889)
Brasil império: II reinado (1840-1889)
Edenilson Morais
 
Pré-Historia brasileira - História 6º ano
Pré-Historia brasileira  - História 6º anoPré-Historia brasileira  - História 6º ano
Pré-Historia brasileira - História 6º ano
Fábio Paiva
 
As Unificações tardias da Alemanha e da Itália
As Unificações tardias da Alemanha e da ItáliaAs Unificações tardias da Alemanha e da Itália
As Unificações tardias da Alemanha e da Itália
Edenilson Morais
 
Ideologias era industrial
Ideologias era industrialIdeologias era industrial
Ideologias era industrial
luizmourao23
 

Mais procurados (20)

A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929
 
Brasil colonial as revoltas coloniais
Brasil colonial   as revoltas coloniaisBrasil colonial   as revoltas coloniais
Brasil colonial as revoltas coloniais
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
America sec xix
America sec xixAmerica sec xix
America sec xix
 
Revolucao russa
Revolucao russaRevolucao russa
Revolucao russa
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Brasil império: II reinado (1840-1889)
Brasil império:   II reinado (1840-1889)Brasil império:   II reinado (1840-1889)
Brasil império: II reinado (1840-1889)
 
Pré-Historia brasileira - História 6º ano
Pré-Historia brasileira  - História 6º anoPré-Historia brasileira  - História 6º ano
Pré-Historia brasileira - História 6º ano
 
As Unificações tardias da Alemanha e da Itália
As Unificações tardias da Alemanha e da ItáliaAs Unificações tardias da Alemanha e da Itália
As Unificações tardias da Alemanha e da Itália
 
Ideologias era industrial
Ideologias era industrialIdeologias era industrial
Ideologias era industrial
 

Destaque

A política econômica dos governos militares
A política econômica dos governos militaresA política econômica dos governos militares
A política econômica dos governos militares
Edenilson Morais
 
Economia do açucar
Economia do açucarEconomia do açucar
Economia do açucar
Chris Tomazini
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
Edenilson Morais
 
10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa
Renato Coutinho
 
Conflitos oriente
Conflitos orienteConflitos oriente
Conflitos oriente
luizmourao23
 
Imigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasilImigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasil
Lorrany Viana
 
03. brasil aula sobre brasil coônia parte 3
03. brasil aula sobre brasil coônia parte 303. brasil aula sobre brasil coônia parte 3
03. brasil aula sobre brasil coônia parte 3
Darlan Campos
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
Edenilson Morais
 
A américa hispânica
A américa hispânicaA américa hispânica
A américa hispânica
Edenilson Morais
 
O governo Dutra (1946-1950)
O governo Dutra (1946-1950)O governo Dutra (1946-1950)
O governo Dutra (1946-1950)
Edenilson Morais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
Edenilson Morais
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
Edenilson Morais
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
Carlos Vieira
 
O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)
Edenilson Morais
 
Governo FHC - governo LULA
Governo FHC -    governo LULAGoverno FHC -    governo LULA
Governo FHC - governo LULA
Edenilson Morais
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
Edenilson Morais
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
Edenilson Morais
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Edenilson Morais
 
Historia total
Historia totalHistoria total
Historia total
Edenilson Morais
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
Edenilson Morais
 

Destaque (20)

A política econômica dos governos militares
A política econômica dos governos militaresA política econômica dos governos militares
A política econômica dos governos militares
 
Economia do açucar
Economia do açucarEconomia do açucar
Economia do açucar
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
 
10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa10 OcupaçãO Holandesa
10 OcupaçãO Holandesa
 
Conflitos oriente
Conflitos orienteConflitos oriente
Conflitos oriente
 
Imigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasilImigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasil
 
03. brasil aula sobre brasil coônia parte 3
03. brasil aula sobre brasil coônia parte 303. brasil aula sobre brasil coônia parte 3
03. brasil aula sobre brasil coônia parte 3
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
A américa hispânica
A américa hispânicaA américa hispânica
A américa hispânica
 
O governo Dutra (1946-1950)
O governo Dutra (1946-1950)O governo Dutra (1946-1950)
O governo Dutra (1946-1950)
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
 
O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)
 
Governo FHC - governo LULA
Governo FHC -    governo LULAGoverno FHC -    governo LULA
Governo FHC - governo LULA
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Historia total
Historia totalHistoria total
Historia total
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
 

Semelhante a Brasil colônia

2 brasil colônia ii
2  brasil colônia ii2  brasil colônia ii
2 brasil colônia ii
José Augusto Fiorin
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
joana71
 
Brasil colônia completo
Brasil colônia   completoBrasil colônia   completo
Brasil colônia completo
Privada
 
Brasil colônia2
Brasil colônia2Brasil colônia2
Brasil colônia2
dmflores21
 
Brasil Colônia II
Brasil Colônia IIBrasil Colônia II
Brasil Colônia II
José Augusto Fiorin
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
Giselle Lira
 
A economia açucareira.pptx
A economia açucareira.pptxA economia açucareira.pptx
A economia açucareira.pptx
ArianyMaria2
 
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia   2º ano - economia inv.holandesaBrasil colônia   2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Marilia Pimentel
 
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
Daniel Alves Bronstrup
 
Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
cursinhoembu
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
Rose Vital
 
1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii
1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii
1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii
Pelo Siro
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo
Kerol Brombal
 
03 O Mundo Colonial - Damilson Santos
03 O Mundo Colonial - Damilson Santos03 O Mundo Colonial - Damilson Santos
03 O Mundo Colonial - Damilson Santos
Damilson Santos
 
4 brasil colônia iv
4  brasil colônia iv4  brasil colônia iv
4 brasil colônia iv
José Augusto Fiorin
 
Período_Colonial.pptx
Período_Colonial.pptxPeríodo_Colonial.pptx
Período_Colonial.pptx
André Santos Pimenta
 
História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]
Marco Aurélio Gondim
 
04. brasil aula sobre brasil colônia parte 4
04. brasil aula sobre brasil colônia parte 404. brasil aula sobre brasil colônia parte 4
04. brasil aula sobre brasil colônia parte 4
Darlan Campos
 
Brasilcolonia Prof Leporace Hist
Brasilcolonia Prof Leporace HistBrasilcolonia Prof Leporace Hist
Brasilcolonia Prof Leporace Hist
Pre-Vestibular Sentido
 
Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02
Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02
Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02
Pre-Vestibular Sentido
 

Semelhante a Brasil colônia (20)

2 brasil colônia ii
2  brasil colônia ii2  brasil colônia ii
2 brasil colônia ii
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Brasil colônia completo
Brasil colônia   completoBrasil colônia   completo
Brasil colônia completo
 
Brasil colônia2
Brasil colônia2Brasil colônia2
Brasil colônia2
 
Brasil Colônia II
Brasil Colônia IIBrasil Colônia II
Brasil Colônia II
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
A economia açucareira.pptx
A economia açucareira.pptxA economia açucareira.pptx
A economia açucareira.pptx
 
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia   2º ano - economia inv.holandesaBrasil colônia   2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
 
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
 
Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
 
1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii
1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii
1261613546 imperio portugues_no_seculo_xviii
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo
 
03 O Mundo Colonial - Damilson Santos
03 O Mundo Colonial - Damilson Santos03 O Mundo Colonial - Damilson Santos
03 O Mundo Colonial - Damilson Santos
 
4 brasil colônia iv
4  brasil colônia iv4  brasil colônia iv
4 brasil colônia iv
 
Período_Colonial.pptx
Período_Colonial.pptxPeríodo_Colonial.pptx
Período_Colonial.pptx
 
História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão marítima [www.gondim.net]
 
04. brasil aula sobre brasil colônia parte 4
04. brasil aula sobre brasil colônia parte 404. brasil aula sobre brasil colônia parte 4
04. brasil aula sobre brasil colônia parte 4
 
Brasilcolonia Prof Leporace Hist
Brasilcolonia Prof Leporace HistBrasilcolonia Prof Leporace Hist
Brasilcolonia Prof Leporace Hist
 
Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02
Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02
Brasilcolonia Prof Leporace Hist Prt02
 

Mais de Edenilson Morais

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Edenilson Morais
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
Edenilson Morais
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
Edenilson Morais
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
Edenilson Morais
 
História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
Edenilson Morais
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Edenilson Morais
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
Edenilson Morais
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Edenilson Morais
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
Edenilson Morais
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
Edenilson Morais
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
Edenilson Morais
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
Edenilson Morais
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Edenilson Morais
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
Edenilson Morais
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
Edenilson Morais
 
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História   pré-vestibular impacto - sociologia - exercíciosHistória   pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
Edenilson Morais
 
Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011
Edenilson Morais
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
Edenilson Morais
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
Edenilson Morais
 
Das Regências a proclamação da República
Das Regências a proclamação da RepúblicaDas Regências a proclamação da República
Das Regências a proclamação da República
Edenilson Morais
 

Mais de Edenilson Morais (20)

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
 
História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
 
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História   pré-vestibular impacto - sociologia - exercíciosHistória   pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
 
Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
 
Das Regências a proclamação da República
Das Regências a proclamação da RepúblicaDas Regências a proclamação da República
Das Regências a proclamação da República
 

Último

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Brasil colônia

  • 1. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA 1 - O CICLO DO AÇÚCAR • Séc. XVI e XVII (auge). • Nordeste (BA e PE). • Litoral. • Solo e clima favoráveis. • Experiência de cultivo (Açores, Cabo Verde e Madeira). • Mercado consumidor. • Alto valor na Europa. • Participação de capital holandês: financiamento da produção, transporte, refino e distribuição na Europa. iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 2. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA A PRODUÇÃO AÇUCAREIRA NO BRASIL iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 3. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA • Engenhos (unidade produtiva básica): – Casa Grande (residência do senhor de engenho e família). – Senzala (ambiente insalubre destinado aos escravos). SENZALA CASA GRANDE iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 4. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA • Sociedade açucareira: – Senhores. – Escravos. – Patriarcalismo. – Ruralismo. iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 5. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA • Outros produtos: – Suporte para a lavoura canavieira. – GADO (exploração do interior, couro, tração, carne, leite, pecuária extensiva, trabalho livre). – FUMO (troca por escravos na África). – DROGAS DO SERTÃO: produtos extraídos da floresta amazônica com relativo valor na Europa, tais como anil, guaraná, salsa, corantes, e sobretudo o cacau. – Agricultura de subsistência. iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 6. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA A ECONOMIA COLONIAL NO SÉCULO XVII iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 7. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA • Trabalho escravo: – ÍNDIOS: mais utilizados até aproximadamente 1560, utilizados em lavouras menos desenvolvidas ou mais pobres. – NEGROS: preferencialmente utilizados a partir de 1560, mão- de-obra básica do Brasil durante todo o período colonial e imperial. Utilizados acima de tudo pelo fato de representarem uma fonte de lucro extra através do tráfico de escravos. Além disso, os índios foram sendo exterminados e o grau de evolução das comunidades negras era maior, pois eles já conheciam a agricultura. iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 8. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA ESCRAVOS: OS PÉS E AS MÃOS DOS SENHORES iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 9. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA TRÁFICO DE ESCRAVOS: UM NEGÓCIO LUCRATIVO iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 10. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 11. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 12. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA CASTIGAR PARA DOMINAR iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 13. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA 2 - UNIÃO IBÉRICA E INVASÕES HOLANDESAS • União Ibérica (1580 – 1640): – Período em que POR e ESP foram governados pelos mesmos reis. POR foi dominada pela ESP. – D. Sebastião (POR) morre em 1578 sem deixar D. SEBASTIÃO sucessores. – D. Henrique, seu tio já idoso assume o trono e falece em 1580, também sem sucessores. – Felipe II, rei da ESP invade o país e impõe governo conjunto. – Possessões portuguesas passam a ser da ESP. FELIPE II iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 14. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA A UNIÃO IBÉRICA iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 15. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA – Acordo com nobreza portuguesa determina manutenção de órgãos administrativos portugueses nas colônias, portanto, internamente não houve alterações no Brasil. – Tratado de Tordesilhas começa a ser ultrapassado. – Inimigos da ESP na Europa invadem o BRA em represália ao governo espanhol. – HOL, um dos inimigos da ESP é impedida de fazer comércio em qualquer possessão espanhola. – Comércio do açúcar no BRA que tinha participação holandesa é atingido. – Holandeses invadem o BRA tentando romper o bloqueio espanhol ao comércio de açúcar. iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 16. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA • As invasões holandesas (1624 – 1654): – Tentativa de romper o bloqueio econômico imposto pelo governo espanhol ao comércio do açúcar. – 1624 – Invasão da BA (fracasso). – Criação da Companhia das Índias Ocidentais – empresa holandesa responsável por viabilizar recursos para invadir novamente o Brasil. – 1630 – 1654 – Invasão de PE (maior centro mundial de produção açucareira). iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 17. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA Maurício de Nassau – governante holandês responsável pelo controle de PE e estabelecer um clima amistoso com os brasileiros. Modernização e urbanização. Embelezamento de cidades (com a vinda de artistas holandeses). MAURÍCIO DE NASSAU Financiamento para donos de engenho. Liberdade de culto. Demitido em 1644 pela CIA. das Índias Ocidentais. iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 18. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA Insurreição Pernambucana (1645 – 54): movimento luso-brasileiro que expulsou os holandeses do BRA. – Conseqüência da expulsão dos holandeses: início da crise do ciclo do açúcar pois os holandeses ao saírem do BRA instalam-se nas Antilhas (América Central), produzindo lá um açúcar mais barato e de melhor qualidade que o nosso. AS ANTILHAS iair@pop.com.br Prof. Iair
  • 19. BRASIL COLÔNIA (1500 – 1822) A ECONOMIA CANAVIEIRA iair@pop.com.br Prof. Iair