SlideShare uma empresa Scribd logo
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
1/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
MESTRES DA
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
2/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
H I S T Ó R I A
Questão 1
(ENEM 2010)
As ruínas do povoado de Canudos, no sertão norte da Bahia, além de significativas para a identidade
cultural, dessa região, são úteis às investigações sobre a Guerra de Canudos e o modo de vida dos antigos
revoltosos. Essas ruínas foram reconhecidas como patrimônio cultural material pelo Iphan (Instituto do
Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) porque reúnem um conjunto de
A) objetos arqueológicos e paisagísticos.
B) acervos museológicos e bibliográficos.
C) núcleos urbanos e etnográficos
D) práticas e representações de uma sociedade.
E) expressões e técnicas de uma sociedade extinta
Questão 2
(ENEM 2013) No dia 1º de julho de 2012, a cidade do Rio de Janeiro tornou-se a primeira do mundo a
receber o título da Unesco de Patrimônio Mundial como Paisagem Cultural. A candidatura, apresentada pelo
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), foi aprovada durante a 36.ª Sessão do Comitê do
Patrimônio Mundial. O presidente do Iphan explicou que “a paisagem carioca é a imagem mais explícita do
que podemos chamar de civilização brasileira, com sua originalidade, desafios, contradições e
possibilidades”. A partir de agora, os locais da cidade valorizados com o título da Unesco serão alvo de ações
integradas visando à preservação da sua paisagem cultural.
Disponível em: www.cultura.gov.br. Acesso em: 7 mar. 2013 (adaptado).
O reconhecimento da paisagem em questão como patrimônio mundial deriva da
A) presença do corpo artístico local.
B) imagem internacional da metrópole.
C) herança de prédios da ex-capital do país.
D) diversidade de culturas presente na cidade.
E) relação sociedade-natureza de caráter singular.
Questão 3
(ENEM 2012) O que o projeto governamental tem em vista é poupar à Nação o prejuízo irreparável do
perecimento e da evasão do que há de mais precioso no seu patrimônio. Grande parte das obras de arte até
mais valiosas e dos bens de maior interesse histórico, de que a coletividade brasileira era depositária, têm
desaparecido ou se arruinado irremediavelmente. As obras de arte típicas e as relíquias da história de cada
país não constituem o seu patrimônio privado, e sim um patrimônio comum de todos os povos.
ANDRADE, R. M. F. Defesa do patrimônio artístico e histórico. O Jornal, 30 out. 1936. In: ALVES FILHO, I. Brasil, 500
anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999 (adaptado).
A criação no Brasil do Serviço do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (SPHAN), em 1937, foi orientada por
ideias como as descritas no texto, que visavam
A) submeter a memória e o patrimônio nacional ao controle dos órgãos públicos, de acordo com a tendência
autoritária do Estado Novo.
B) transferir para a iniciativa privada a responsabilidade de preservação do patrimônio nacional, por meio de
leis de incentivo fiscal.
C) definir os fatos e personagens históricos a serem cultuados pela sociedade brasileira, de acordo com o
interesse público.
D) resguardar da destruição as obras representativas da cultura nacional, por meio de políticas públicas
preservacionistas.
E) determinar as responsabilidades pela destruição do patrimônio nacional, de acordo com a legislação
brasileira.
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
3/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 4
(UERJ 2014)
A lei que transforma o funk em patrimônio cultural imaterial do Rio de Janeiro foi aprovada em 2009.
A principal razão para esse reconhecimento legal está associada à política de:
A) defesa de ritmos brasileiros
B) inclusão de grupos políticos
C) projeção de jovens intérpretes
D) valorização de manifestações populares
Questão 5
(ENEM) Os tropeiros foram figuras decisivas na formação de vilarejos e cidades do Brasil colonial. A palavra
tropeiro vem de “tropa” que, no passado, se referia ao conjunto de homens que transportava gado e
mercadoria. Por volta do século XVIII, muita coisa era levada de um lugar a outro no lombo de mulas. O
tropeirismo acabou associado à atividade mineradora, cujo auge foi a exploração de ouro em Minas Gerais e,
mais tarde, em Goiás. A extração de pedras preciosas também atraiu grandes contingentes populacionais
para as novas áreas e, por isso, era cada vez mais necessário dispor de alimentos e produtos básicos. A
alimentação dos tropeiros era constituída por toucinho, feijão preto, farinha, pimenta -do -reino, café, fubá e
coité (um molho de vinagre com fruto cáustico espremido). Nos pousos, os tropeiros comiam feijão quase sem
molho com pedaços de carne de sol e toucinho, que era servido com farofa e couve picada. O feijão tropeiro é
um dos pratos típicos da cozinha mineira e recebe esse nome porque era preparado pelos cozinheiros das
tropas que conduziam o gado.
Disponível em: http://www.tribunadoplanalto.com.br. Acesso em: 27 nov. 2008.
A criação do feijão tropeiro na culinária brasileira está relacionada à
A) atividade comercial exercida pelos homens que trabalhavam nas minas.
B) atividade culinária exercida pelos moradores cozinheiros que viviam nas regiões das minas.
C) atividade mercantil exercida pelos homens que transportavam gado e mercadoria.
D) atividade agropecuária exercida pelos tropeiros que necessitavam dispor de alimentos.
E) atividade mineradora exercida pelos tropeiros no auge da exploração do ouro.
Questão 6
(ENEM) Quem construiu a Tebas de sete portas? Nos livros estão nomes de reis. Arrastaram eles os blocos
de pedra? E a Babilônia várias vezes destruída. Quem a reconstruiu tantas vezes? Em que casas da Lima
dourada moravam os construtores? Para onde foram os pedreiros, na noite em que a Muralha da China ficou
pronta? A grande Roma está cheia de arcos do triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem triunfaram os césares?
BRECHT, B. Perguntas de um trabalhador que lê. Disponível em: http://recantodasletras.uol.com.br . Acesso em: 28 abr.
2010.
Partindo das reflexões de um trabalhador que lê um livro de História, o autor censura a memória construída
sobre determinados monumentos e acontecimentos históricos. A crítica refere -se ao fato de que
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
4/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
A) os agentes históricos de uma determinada sociedade deveriam ser aqueles que realizaram feitos heroicos
ou grandiosos e, por isso, ficaram na memória.
B) a História deveria se preocupar em memorizar os nomes de reis ou dos governantes das civilizações que
se desenvolveram ao longo do tempo.
C) grandes monumentos históricos foram construídos por trabalhadores, mas sua memória está vinculada aos
governantes das sociedades que os construíram.
D) os trabalhadores consideram que a História é uma ciência de difícil compreensão, pois trata de sociedades
antigas e distantes no tempo.
E) as civilizações citadas no texto, embora muito importantes, permanecem sem terem sido alvos de
pesquisas históricas.
Questão 7
(ENEM 2013)
TEXTO I Andaram na praia, quando saímos, oito ou dez deles; e daí a pouco começaram a vir mais. E
parece-me que viriam, este dia, à praia, quatrocentos ou quatrocentos e cinquenta. Alguns deles traziam
arcos e flechas, que todos trocaram por carapuças ou por qualquer coisa que lhes davam. […] Andavam
todos tão bem-dispostos, tão bem feitos e galantes com suas tinturas que muito agradavam. CASTRO, S. A
carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM, 1996 (fragmento).
TEXTO II
PORTINARI, C. O descobrimento do Brasil. 1956. Óleo sobre tela, 199 x 169 cm Disponível em: www.portinari.org.br.
Acesso em: 12 jun. 2013. (Foto: Reprodução)
Pertencentes ao patrimônio cultural brasileiro, a carta de Pero Vaz de Caminha e a obra de Portinari retratam
a chegada dos portugueses ao Brasil. Da leitura dos textos, constata-se que
A) a carta de Pero Vaz de Caminha representa uma das primeiras manifestações artísticas dos portugueses
em terras brasileiras e preocupa-se apenas com a estética literária.
B) a tela de Portinari retrata indígenas nus com corpos pintados, cuja grande significação é a afirmação da
arte acadêmica brasileira e a contestação de uma linguagem moderna.
C) a carta, como testemunho histórico-político, mostra o olhar do colonizador sobre a gente da terra, e a
pintura destaca, em primeiro plano, a inquietação dos nativos.
D) as duas produções, embora usem linguagens diferentes – verbal e não verbal –, cumprem a mesma
função social e artística.
E) a pintura e a carta de Caminha são manifestações de grupos étnicos diferentes, produzidas em um mesmo
momento histórico, retratando a colonização.
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
5/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 8
(ENEM)
Guardar
Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela,
isto é, estar por ela ou ser por ela.
Por isso melhor se guarda o voo de um pássaro
Do que um pássaro sem voos.
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica, por isso se declara e declama um poema: Para
guardá-lo: Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda: Guarde o que quer que guarda um poema: Por
isso o lance do poema: Por guardar-se o que se quer guardar.
MACHADO, G. In: MORICONI, I. (org.). Os cem melhores poemas brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.
A memória é um importante recurso do patrimônio cultural de uma nação. Ela está presente nas lembranças
do passado e no acervo cultural de um povo.
Ao tratar o fazer poético como uma das maneiras de se guardar o que se quer, o texto
A) ressalta a importância dos estudos históricos para a construção da memória social de um povo.
B) valoriza as lembranças individuais em detrimento das narrativas populares ou coletivas.
C) reforça a capacidade da literatura em promover a subjetividade e os valores humanos.
D) destaca a importância de reservar o texto literário àqueles que possuem maior repertório cultural.
E) revela a superioridade da escrita poética como forma ideal de preservação da memória cultural.
Questão 9
(ENEM 2009) 1ª versão
O Cafundó é um bairro rural situado no município de Salto de Pirapora, a 150 km de São Paulo. Sua
população, predominantemente negra, divide-se em duas parentelas: a dos Almeida Caetano e a dos Pires
Pedroso. Cerca de oitenta pessoas vivem no bairro. Dessas, apenas nove detêm o título de proprietários
legais dos 7,75 alqueires de terra que constituem a extensão do Cafundó, que foram doados a dois escravos,
ancestrais de seus habitantes atuais, pelo antigo senhor e fazendeiro, pouco antes da Abolição, em 1888.
Nessas terras, seus moradores plantam milho, feijão e mandioca e criam galinhas e porcos. Tudo em
pequena escala. Sua língua materna é o português, uma variação regional que, sob muitos aspectos, poderia
ser identificada como dialeto caipira. Usam um léxico de origem banto, quimbundo principalmente, cujo papel
social é, sobretudo, de representá-los como africanos no Brasil.
Disponível em: www.revista.iphan.gov.br Acesso em: 6 abr. 2009 (adaptado).
O bairro de Cafundó integra o patrimônio cultural do Brasil porque
A) possui terras herdadas de famílias antigas da região.
B) preservou o modo de falar de origem banto e quimbundo.
C) tem origem no período anterior à abolição da escravatura.
D) pertence a uma comunidade rural do interior do estado de São Paulo.
E) possui moradores que são africanos do Brasil e perderam o laço com sua origem.
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
6/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 10
(UFPA) “Além de mobilizar multidões nas ruas de Belém, no Pará, o Círio de Nazaré, que já é patrimônio
imaterial do Brasil, está perto de alcançar outro grande feito. A procissão pode se tornar Patrimônio Imaterial
da Humanidade. Até o fim de agosto de 2010, uma comissão da UNESCO decidirá em Paris se a romaria
católica receberá o título. A indicação foi feita através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
(IPHAN). Foram reunidas, entre outras coisas, informações, fotografias e cartas de apoio de grupos
envolvidos na festividade e dossiês.”
(Círio de Nazaré deve se tornar Patrimônio imaterial da Humanidade. Retirado de
http://extra.globo.com/geral/casosdecidade/posts/2010/07/23/cirio-de-nazare-deve-se-tornarpatrimonio-imaterial-da-
humanidade-310367.asp Acessado em 26-10-2010. Texto adaptado).
A notícia anuncia a intenção de o Círio de Nazaré tornar-se patrimônio imaterial da Humanidade. A
festividade Nazarena pleiteia esse registro mundial junto a UNESCO e já possui o documento nacional
porque, para instituições como o IPHAN, o Círio de Nazaré significaria uma manifestação
A) católica que agrega multidões cristãs e associa a brasilidade à identidade religiosa católica do povo
paraense e brasileiro, por meio de uma festa organizada por uma irmandade e vivida por católicos do Brasil e
do mundo;
B) regional paraense, marcada pela musicalidade típica e pela identidade étnico e religiosa de tradição
católica e do candomblé, que se juntam em uma comemoração ecumênica que dura cerca de um mês.
C) da identidade cultural paraense/brasileira, representada pela religiosidade popular, pela culinária e por
práticas simbólicas como o arraial, os brinquedos de miriti, as fitas, os ex-votos dos promesseiros e as festas
como a da Chiquita.
D) da cultura paraense, que passa pelas várias procissões, pela corrida do Círio e pela venda generalizada
de produtos regionais como a maniçoba e o churrasco de peru, típicos alimentos que fazem parte do
tradicional almoço do Círio.
E) ecumênica, que une católicos, protestantes e cultos afro-brasileiros na comunhão de interesses religiosos
e de paz e que por simbolizar o espírito de união paraense e brasileiro, incentiva o desenvolvimento da
solidariedade entre os cultos e crenças.
Questão 11
Quatro olhos, quatro mãos e duas cabeças formam a dupla de grafiteiros “Os gêmeos”. Eles cresceram
pintando muros do bairro Cambuci, em São Paulo, e agora têm suas obras expostas na conceituada Deitch
Gallery, em Nova York, prova de que o grafite feito no Brasil é apreciado por outras culturas. Muitos lugares
abandonados e sem manutenção pelas prefeituras das cidades tornam-se mais agradáveis e humanos com
os grafites pintados nos muros. Atualmente, instituições públicas educativas recorrem ao grafite como forma
de expressão artística, o que propicia a inclusão social de adolescentes carentes, demonstrando que o grafite
é considerado uma categoria de arte aceita e reconhecida pelo campo da cultura e pela sociedade local e
internacional.
Disponível em http://www.flickr.com. Acesso em: 10 set.2008 (adaptado)
No processo social de reconhecimento de valores culturais, considera-se que
A) grafite é o mesmo que pichação e suja a cidade, sendo diferente da obra dos artistas.
B) a população das grandes metrópoles depara-se com muitos problemas sociais, como os grafites e as
pichações.
C) atualmente, a arte não pode ser usada para inclusão social, ao contrário do grafite.
D) os grafiteiros podem conseguir projeção internacional, demonstrando que a arte do grafite não tem
fronteiras culturais.
E) lugares abandonados e sem manutenção tornam-se ainda mais desagradáveis com a aplicação do grafite.
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
7/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 12
(UESPI) Sob a presidência de Juscelino Kubitschek (1955-1961), a nação brasileira assistiu à criação de
Brasília, – considerada, pela UNESCO, patrimônio cultural da humanidade – e vivenciou:
A) momentos de euforia resultantes, em boa parte, da política desenvolvimentista de incremento à indústria
nacional e aumento do poder aquisitivo da classe média.
B) importante papel político para a aproximação dos países da América Latina com os Estados Unidos, em
vista da estratégica posição do Brasil no Atlântico Sul.
C) época de forte repressão política ao operariado e descaso para com a interiorização do desenvolvimento
econômico.
D) um período predominantemente liberal, em termos econômicos, o que pode ser exemplificado pelo início
da construção da Companhia Siderúrgica Nacional.
E) uma forte recessão econômica em que a indústria nacional não deu sinais de crescimento e o poder
aquisitivo da classe média caiu.
Questão 13
(UFPB) De acordo com Artigo 216 da Constituição Brasileira, o patrimônio cultural é composto pelos bens de
natureza material e imaterial que fazem referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos da
sociedade nacional. Com base nessa concepção de patrimônio, é correto afirmar:
A) Os bens culturais de natureza material são a culinária, as festas e as danças.
B) Os bens culturais de natureza imaterial são os palácios, as igrejas e os casarões.
C) O patrimônio cultural é uma das formas de preservação da memória social.
D) O patrimônio cultural limita-se aos bens e modos de vida das elites sociais.
E) Os bens culturais de uma sociedade negam a existência de identidades coletivas.
Questão 14
(ENEM 2009) O artesanato traz as marcas de cada cultura e, desse modo, atesta a ligação do homem com o
meio social em que vive. Os artefatos são produzidos manualmente e costumam revelar uma integração entre
homem e meio ambiente, identificável no tipo de matéria-prima utilizada.
Pela matéria-prima (o barro) utilizada e pelos tipos humanos representados, em qual região do Brasil o
artefato acima foi produzido?
A) Sul.
B) Norte.
C) Sudeste.
D) Nordeste.
E) Centro-Oeste.
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
8/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 15
(ENEM/2010) O folclore é o retrato da cultura de um povo. A dança popular e folclórica é uma forma de
representar a cultura regional, pois retrata seus valores, crenças, trabalho e significados. Dançar a cultura de
outras regiões é conhecê-la, é de alguma forma se apropriar dela, é enriquecer a própria cultura.
BREGOLATO, R. A. Cultura Corporal da Dança. São Paulo: Ícone, 2007.
As manifestações folclóricas perpetuam uma tradição cultural, é obra de um povo que a cria, recria e a
perpetua. Sob essa abordagem deixa-se de identificar como dança folclórica brasileira
A) o Bumba-meu-boi, que é uma dança teatral onde personagens contam uma história envolvendo crítica
social, morte e ressurreição.
B) a Quadrilha das festas juninas, que associam festejos religiosos a celebrações de origens pagãs
envolvendo as colheitas e a fogueira.
C) o Congado, que é uma representação de um reinado africano onde se homenageia santos através de
música, cantos e dança.
D) o Balé, em que se utilizam músicos, bailarinos e vários outros profissionais para contar uma história em
forma de espetáculo.
E) o Carnaval, em que o samba derivado do batuque africano é utilizado com o objetivo de contar ou recriar
uma história nos desfiles.
Questão 16
(ENEM/2009) Os melhores críticos da cultura brasileira trataram-na sempre no plural, isto é, enfatizando a
coexistência no Brasil de diversas culturas. Arthur Ramos distingue as culturas não europeias (indígenas,
negras) das europeias (portuguesa, italiana, alemã etc.), e Darcy Ribeiro fala de diversos Brasis: crioulo,
caboclo, sertanejo, caipira e de Brasis sulinos, a cada um deles correspondendo uma cultura específica.
MORAIS, F. O Brasil na visão do artista: o país e sua cultura. São Paulo: Sudameris, 2003.
Considerando a hipótese de Darcy Ribeiro de que há vários Brasis, a opção em que a obra mostrada
representa a arte brasileira de origem negro-africana é:
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
9/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 17
(ENEM/2008) Os signos visuais, como meios de comunicação, são classificados em categorias de acordo
com seus significados. A categoria denominada indício corresponde aos signos visuais que têm origem em
formas ou situações naturais ou casuais, as quais, devido à ocorrência em circunstâncias idênticas, muitas
vezes repetidas, indicam algo e adquirem significado. Por exemplo, nuvens negras indicam tempestade. Com
base nesse conceito, escolha a opção que representa um signo da categoria dos indícios.
Questão 18
(SIMULADO ABRIL)
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
10/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
As imagens acima mostram peças de artesanato indígena: a primeira foi feita por índios da tribo Juruna e a
segunda foi feita por índios da tribo Karajá. Analisando-se essas duas peças, verifica-se
A) que as produções artísticas, hoje, estão homogeneizadas pelos processos de reprodução em série, que
nivelam e igualam a diversidade dessas obras.
B) como as produções artísticas de diferentes grupos étnicos podem ser diversas e, ao mesmo tempo,
representativas da cultura desses grupos.
C) que os indígenas produzem artesanatos interessantes, mas que não podem, ainda, ser considerados arte,
já que servem para a decoração de casas e outros espaços.
D) a valorização de produções oriundas de grupos étnicos minoritários em detrimento daquelas de grupos
sociais hegemônicos, numa clara inversão do padrão de dominação e exploração cultural.
E) uma atitude preconceituosa por parte dos indígenas que produziram esses objetos, já que representaram
apenas elementos do sua própria cultura, sem se preocupar com a diversidade cultural de outras sociedades.
Questão 19
(ENEM 2014) O modo artesanal da fabricação do queijo em Minas Gerais foi registrado nesta quinta-feira (15)
como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e
Artístico Nacional (Iphan). O veredicto foi dado em reunião do conselho realizada no Museu de Artes e
Ofícios, em Belo Horizonte. O presente do Iphan e do conselho ressaltou que a técnica de fabricação
artesanal do queijo está “inserida na cultura do que é ser mineiro”.
A)
B)
C)
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
11/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
D)
E)
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
12/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Questão 20
(ENEM 2007) Não só de aspectos físicos se constitui a cultura de um povo. Há muito mais, contido nas
tradições, no folclore, nos saberes, nas línguas, nas festas e em diversos outros aspectos e manifestações
transmitidos oral ou gestualmente, recriados coletivamente e modificados ao longo do tempo. A essa porção
intangível da herança cultural dos povos dá-se o nome de patrimônio cultural imaterial. (Internet:).
Qual das figuras abaixo retrata patrimônio imaterial da cultura de um povo?
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
13/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
GABARITO COMENTADO
Resposta da questão 1:[A]
Comentário da questão:
A Guerra de Canudos foi um dos primeiros e mais importantes movimentos messiânicos a eclodir no Brasil no final do século
XIX. Ocorrido em um contexto de revoltas populares na primeira república, representa uma fase importantíssima da história do
Brasil. Dessa maneira, a conservação de sua memória é essencial e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional -
IPHAN tem como função preservá-lo. Assim, a conservação de objetos arqueológicos e paisagísticos são essenciais como
fonte histórica para preservação de memória e produção de pesquisas de um povoado que foi praticamente destruído no
período.
Resposta da questão 2:[E]
Comentário da questão:
No ano de 2012, a cidade do Rio de Janeiro passou a ser considerada pela UNESCO Patrimônio Mundial como Paisagem
Cultural. Essa relação entre a cidade carioca e a paisagem é marcada pela relação entre a sociedade e a natureza
estabelecida no sítio da cidade, ou seja, uma integração entre sua população e o local de moradia e transito dessas pessoas.
Resposta da questão 3:[D]
Comentário da questão:
A criação do Serviço do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (SPHAN), em 1937, tinha como objetivo proteger o patrimônio
artístico e histórico brasileiro. Essa instituição surge durante o Estado Novo (1937-1945), período no qual o governo autoritário
de Getúlio Vargas tinha como pano de fundo o nacionalismo e patriotismo, que valorizava o patrimônio histórico e artístico
nacional como forma de preservar a identidade e a memória da nação.
Resposta da questão 4:[D]
Comentário da questão:
Em finais do século XX, expandiram-se, em várias sociedades, políticas de identificação e de classificação de bens culturais
então designados como patrimônio imaterial. Esse processo promoveu o reconhecimento de saberes, ofícios, manifestações
artísticas, (músicas, danças, objetos artesanais), hábitos culinários associados a grupos e tradições populares, que passaram a
ser valorizados com sua transformação em legado a ser preservado. Nesse contexto se inseriu a elaboração, e a posterior
aprovação, do projeto de lei que considera o funk expressão autêntica de estilo musical e de linguagem específica de grupos
populares, em especial jovens de áreas periféricas do município do Rio de Janeiro.
Resposta da questão 5:[C]
Comentário da questão:
Os tropeiros eram assim chamados por realizar sua atividade utilizando tropas de animais transportando gado e mercadorias.
Essa atividade foi impulsionada principalmente pela descoberta das regiões mineradoras no interior do Brasil, as quais
precisavam ser abastecidas. Em virtude das longas viagens, os tropeiros consumiam alimentos que fossem pouco perecíveis e
muito nutritivos, daí a criação de um feijão preparado com farinha, carne de sol, toucinho e condimentos.
Resposta da questão 6:[C]
Comentário da questão:
A crítica de B. Brecht se dirige à valorização de feitos históricos por imperadores, reis e líderes, considerados heróis às vezes,
em detrimento da valorização dos trabalhadores braçais.
Resposta da questão 7:[C]
Comentário da questão:
A carta de Caminha é um documento histórico e político, que descreve, sob o olhar de cunho otimista do colonizador, os
nativos que aqui os receberam. Por outro lado, a pintura de Portinari destaca esses nativos em primeiro plano, transmitindo
suas inquietações e espanto com as embarcações portuguesas que se aproximam.
Resposta da questão 8:[E]
Comentário da questão:
A questão da memória é explorada por meio do poema “Guardar”, do poeta carioca Antônio Cícero. O texto privilegia a escrita
poética como forma de manutenção da memória, pois permite que a coisa guardada— ou seja, aquilo que se quer reter na
memória — seja constantemente revelada quando o poema é “publicado”, “declarado” e ”declamado”. Observação: A prova
atribui erroneamente o poema a Gilka Machado, quando, na verdade, é de autoria de Antônio Cícero.
Resposta da questão 9:[B]
Comentário da questão:
O bairro apontado é reconhecido enquanto espaço de preservação de heranças africanas que contribuíram na construção de
uma nação multicultural.
Resposta da questão 10:[C]
Comentário da questão:
Festa tipicamente paraense, tornou-se conhecida em todo o país, reunindo o elemento religioso com práticas culturais típicas
da região. A devoção a Nossa Senhora de Nazaré teve início em Portugal, no Pará, foi Plácido José de Souza quem
encontrou, em 1700, às margens do igarapé Murutucú, a imagem de Nossa Senhora e em 1792, o Vaticano autorizou a
realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, em Belém do Pará.
Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT
14/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais
Resposta da questão 11:[D]
Comentário da questão:
O grafite é uma forma de manifestação cultural. É um movimento organizado nas artes plásticas. Surgiu no final da década de
1970, em Nova York, como decorrência de movimentos culturais das minorias excluídas das cidades. Com a revolução
contracultural de 1968, surgiram nos muros de Paris as primeiras manifestações desse tipo. É uma arte globalizada,
diferentemente da pichação, que é considerada vandalismo. O grafite é uma solução hoje para deixar mais agradável os
lugares descuidados, sujos e sem cor das cidades.
Resposta da questão 13:[A]
Comentário da questão:
O desenvolvimentismo, uma das características do governo de JK, proporcionou o crescimento da produção industrial de bens
de consumo individual, como eletrodomésticos e automóveis. Os principais beneficiados com essa medida foram as camadas
urbanas de rendimento médio e os capitalistas industriais, que viram suas indústrias crescerem.
resposta da questão 13:[C]
Comentário da questão:
Patrimônio Cultural Brasileiro é um conceito que inclui as contribuições dos diferentes grupos formadores da sociedade
brasileira. Essa mudança incorpora o conceito de referência cultural e significa uma ampliação importante dos bens passíveis
de reconhecimento.
Resposta da questão 14: [D]
Comentário da questão:
As figuras produzidas com barro são três músicos, com chapéu de couro, tocando sanfona, triângulo e tambor, instrumentos
típicos do nordeste brasileiro.
Resposta da questão 15:[D]
Comentário da questão:
O texto faz referência a danças folclóricas praticadas no Brasil. As alternativas A, B, C e E indicam danças tradicionais, que
traduzem um recorte regional local ou foram adaptadas de expressões culturais estrangeiras. Tais danças buscam a
construção de uma identidade nacional e histórica, enquanto o balé, citado na alternativa D, representa uma performance de
movimentos, um estilo de dança criado no século XVI, na Itália.
Resposta da questão 16:[A]
Comentário da questão:
Podem-se identificar características da arte brasileira de origem negro-africana na obra do baiano Rubem Valentim (1922-
1991). A representação de figuras que lembram os signos litúrgicos da umbanda e do candomblé marcam a obra desse artista,
que se vale de uma geometria rigorosa para apresentar elementos da cultura afro- -brasileira. Isso diferencia a sua obra do
abstracionismo geométrico das alternativas B e D. A obra mostrada na alternativa C remete a uma arte de caráter urbano, pela
representação de um automóvel e de uma placa de trânsito. Por fim, a obra que aparece na alternativa E explora o mosaico,
suporte artístico de origem clássica.
Resposta da questão 17:[B]
Comentário da questão:
A pegada representada na alternativa B apresenta um sinal da categoria de indícios.
Resposta da questão 18:[B]
Resposta da questão 19:[C]
Comentário da questão:
Apesar do tema da questão ser específico – Patrimônio Histórico Imaterial Brasileiro – o candidato atenderia à demanda
tranquilamente ao perceber que as outras quatro alternativas representam obras de arte ou arquitetônicas. A forma artesanal
de se fazer o queijo é da mesma categoria do oficio de fazer panelas de barros, ou seja, constituem saberes específicos,
expressões culturais e tradições de um determinado grupo ou região.
Resposta da questão 20:[C]
Comentário da questão:
O patrimônio imaterial envolve as expressões culturais e as tradições de um povo como, por exemplo, danças populares,
música, lendas, celebrações, entre outras. Dentre os exemplos supracitados, apenas a opção C retrata patrimônio imaterial, ao
citar o bumba-meu-boi, uma dança característica do Nordeste brasileiro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
Prof. Noe Assunção
 
Atividades formação territorial do brasil
Atividades formação territorial do brasil Atividades formação territorial do brasil
Atividades formação territorial do brasil
Doug Caesar
 
Avaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º anoAvaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º ano
Acrópole - História & Educação
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJA
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJAAVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJA
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJA
Acrópole - História & Educação
 
Mesopotamia cruzadinha
Mesopotamia cruzadinhaMesopotamia cruzadinha
Mesopotamia cruzadinha
Viviane Simões
 
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Atividades Diversas Cláudia
 
Caça palavras mudanças climaticas
Caça palavras mudanças climaticasCaça palavras mudanças climaticas
Caça palavras mudanças climaticas
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de historia 1 ano brasil colonia
Prova de historia 1 ano brasil coloniaProva de historia 1 ano brasil colonia
Prova de historia 1 ano brasil colonia
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação de recuperação 9º ano (1)
Avaliação de recuperação 9º ano (1)Avaliação de recuperação 9º ano (1)
Avaliação de recuperação 9º ano (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Exercícios de geografia paisagem
Exercícios de geografia paisagemExercícios de geografia paisagem
Exercícios de geografia paisagem
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação tempo-historia-
Avaliação  tempo-historia-Avaliação  tempo-historia-
Avaliação tempo-historia-
Atividades Diversas Cláudia
 
Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...
Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...
Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAtividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
André Moraes
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana
Washington Rocha
 
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° anoAtividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Luciano Mendes
 
IV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e 5º ano pdf
IV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e  5º ano pdfIV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e  5º ano pdf
IV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e 5º ano pdf
André Moraes
 
Atividade de história - O começo da história humana
Atividade de história - O começo da história humanaAtividade de história - O começo da história humana
Atividade de história - O começo da história humana
Mary Alvarenga
 
PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...
PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...
PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Ensino religioso ética
Ensino religioso  éticaEnsino religioso  ética
Ensino religioso ética
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Washington Rocha
 

Mais procurados (20)

AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
 
Atividades formação territorial do brasil
Atividades formação territorial do brasil Atividades formação territorial do brasil
Atividades formação territorial do brasil
 
Avaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º anoAvaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º ano
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJA
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJAAVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJA
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA EJA
 
Mesopotamia cruzadinha
Mesopotamia cruzadinhaMesopotamia cruzadinha
Mesopotamia cruzadinha
 
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 7ano ensino religioso 2b pet 2
 
Caça palavras mudanças climaticas
Caça palavras mudanças climaticasCaça palavras mudanças climaticas
Caça palavras mudanças climaticas
 
Prova de historia 1 ano brasil colonia
Prova de historia 1 ano brasil coloniaProva de historia 1 ano brasil colonia
Prova de historia 1 ano brasil colonia
 
Avaliação de recuperação 9º ano (1)
Avaliação de recuperação 9º ano (1)Avaliação de recuperação 9º ano (1)
Avaliação de recuperação 9º ano (1)
 
Exercícios de geografia paisagem
Exercícios de geografia paisagemExercícios de geografia paisagem
Exercícios de geografia paisagem
 
Avaliação tempo-historia-
Avaliação  tempo-historia-Avaliação  tempo-historia-
Avaliação tempo-historia-
 
Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...
Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...
Word: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Mode...
 
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAtividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana
 
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° anoAtividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
 
IV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e 5º ano pdf
IV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e  5º ano pdfIV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e  5º ano pdf
IV atividade avaliatíva de geo e hist 4º e 5º ano pdf
 
Atividade de história - O começo da história humana
Atividade de história - O começo da história humanaAtividade de história - O começo da história humana
Atividade de história - O começo da história humana
 
PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...
PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...
PDF: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – Pront...
 
Ensino religioso ética
Ensino religioso  éticaEnsino religioso  ética
Ensino religioso ética
 
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
 

Destaque

História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
Edenilson Morais
 
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Edenilson Morais
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
Edenilson Morais
 
A classificação dos signos visuais proeja
A classificação dos signos visuais proejaA classificação dos signos visuais proeja
A classificação dos signos visuais proeja
Elaine Junger
 
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos HumanosConcepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Karla Amaral
 
Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio?
Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio? Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio?
Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio?
forumdacidadania
 
Arquitetura e Memória em Saúde
Arquitetura e Memória em SaúdeArquitetura e Memória em Saúde
Arquitetura e Memória em Saúde
Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Edenilson Morais
 
Lista exercícios rec 2-s anos_ com respostas_1sem2012
Lista exercícios  rec   2-s anos_ com respostas_1sem2012Lista exercícios  rec   2-s anos_ com respostas_1sem2012
Lista exercícios rec 2-s anos_ com respostas_1sem2012
Ionara Urrutia Moura
 
Cultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de SabaráCultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de Sabará
sabara300
 
Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1
Atividades Diversas Cláudia
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
Edenilson Morais
 
Provas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidades
Provas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidadesProvas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidades
Provas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidades
ma.no.el.ne.ves
 
Preseed 2014-revisão 16
Preseed 2014-revisão 16Preseed 2014-revisão 16
Preseed 2014-revisão 16
Jorge Marcos Oliveira
 
Atividade sobre violencia
Atividade sobre violenciaAtividade sobre violencia
Atividade sobre violencia
Thaís Muniz
 
Filosofia estética
Filosofia   estéticaFilosofia   estética
Filosofia estética
ミゲル ソレッス
 
Segunda aplicação do enem 2014, Artes
Segunda aplicação do enem 2014, ArtesSegunda aplicação do enem 2014, Artes
Segunda aplicação do enem 2014, Artes
ma.no.el.ne.ves
 
Atividades Patrimônio da Humanidade
Atividades Patrimônio da HumanidadeAtividades Patrimônio da Humanidade
Atividades Patrimônio da Humanidade
Doug Caesar
 
História de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá
História de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de CuiabáHistória de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá
História de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá
Edenilson Morais
 
Atividades geografia os estados brasileiros
Atividades geografia   os estados brasileirosAtividades geografia   os estados brasileiros
Atividades geografia os estados brasileiros
Doug Caesar
 

Destaque (20)

História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
 
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
 
A classificação dos signos visuais proeja
A classificação dos signos visuais proejaA classificação dos signos visuais proeja
A classificação dos signos visuais proeja
 
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos HumanosConcepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
 
Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio?
Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio? Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio?
Informação, Cultura e Cidadania: Direito ou Privilégio?
 
Arquitetura e Memória em Saúde
Arquitetura e Memória em SaúdeArquitetura e Memória em Saúde
Arquitetura e Memória em Saúde
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
 
Lista exercícios rec 2-s anos_ com respostas_1sem2012
Lista exercícios  rec   2-s anos_ com respostas_1sem2012Lista exercícios  rec   2-s anos_ com respostas_1sem2012
Lista exercícios rec 2-s anos_ com respostas_1sem2012
 
Cultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de SabaráCultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de Sabará
 
Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
 
Provas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidades
Provas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidadesProvas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidades
Provas do ENEM-2009 resolvidas e comentadas: Tecnologias e identidades
 
Preseed 2014-revisão 16
Preseed 2014-revisão 16Preseed 2014-revisão 16
Preseed 2014-revisão 16
 
Atividade sobre violencia
Atividade sobre violenciaAtividade sobre violencia
Atividade sobre violencia
 
Filosofia estética
Filosofia   estéticaFilosofia   estética
Filosofia estética
 
Segunda aplicação do enem 2014, Artes
Segunda aplicação do enem 2014, ArtesSegunda aplicação do enem 2014, Artes
Segunda aplicação do enem 2014, Artes
 
Atividades Patrimônio da Humanidade
Atividades Patrimônio da HumanidadeAtividades Patrimônio da Humanidade
Atividades Patrimônio da Humanidade
 
História de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá
História de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de CuiabáHistória de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá
História de Mato Grosso - Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá
 
Atividades geografia os estados brasileiros
Atividades geografia   os estados brasileirosAtividades geografia   os estados brasileiros
Atividades geografia os estados brasileiros
 

Semelhante a História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural

Roteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdf
Roteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdfRoteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdf
Roteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdf
IedaGoethe
 
Diagnostica historia 7ano1
Diagnostica historia 7ano1Diagnostica historia 7ano1
Diagnostica historia 7ano1
Atividades Diversas Cláudia
 
Introdução a história objetivas
Introdução a história   objetivasIntrodução a história   objetivas
Introdução a história objetivas
Zé Knust
 
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritoresAvaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritores
Atividades Diversas Cláudia
 
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
Plano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano históriaPlano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano história
Atividades Diversas Cláudia
 
Ava historia 7ano
Ava historia 7anoAva historia 7ano
Ava historia 7ano
Atividades Diversas Cláudia
 
História Indigena.pdf resumo colorido mapa metntal
História Indigena.pdf resumo colorido mapa metntalHistória Indigena.pdf resumo colorido mapa metntal
História Indigena.pdf resumo colorido mapa metntal
victoriasaint928
 
Avaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilAvaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasil
mirianfernandes
 
Portfolio digital
Portfolio   digitalPortfolio   digital
Portfolio digital
007 queiroz
 
Aula pré-história
Aula   pré-históriaAula   pré-história
Aula pré-história
Rafael Soares Ribeiro
 
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritoresAvaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Atividades Diversas Cláudia
 
Módulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docx
Módulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docxMódulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docx
Módulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docx
VerenaTeixeira2
 
SEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIA
SEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIASEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIA
SEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIA
GernciadeProduodeMat
 
Preseed 2014-revisão 10
Preseed 2014-revisão 10Preseed 2014-revisão 10
Preseed 2014-revisão 10
Jorge Marcos Oliveira
 
Avaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de HistóriaAvaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de História
Acrópole - História & Educação
 
1.4 gabarito
1.4 gabarito1.4 gabarito
1.4 gabarito
KellyCarvalho2011
 
Prova vestibular terceiro dia da UPE
Prova vestibular terceiro dia da UPEProva vestibular terceiro dia da UPE
Prova vestibular terceiro dia da UPE
Portal NE10
 
Prova vestibular terceiro dia
Prova vestibular terceiro diaProva vestibular terceiro dia
Prova vestibular terceiro dia
pepontocom
 
UPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro diaUPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro dia
Jornal do Commercio
 

Semelhante a História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural (20)

Roteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdf
Roteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdfRoteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdf
Roteiro-Recuperacao-4-Ano-EF-Historia-2-etapa-2018.pdf
 
Diagnostica historia 7ano1
Diagnostica historia 7ano1Diagnostica historia 7ano1
Diagnostica historia 7ano1
 
Introdução a história objetivas
Introdução a história   objetivasIntrodução a história   objetivas
Introdução a história objetivas
 
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritoresAvaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-7c2ba-ano-com-descritores
 
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
 
Plano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano históriaPlano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano história
 
Ava historia 7ano
Ava historia 7anoAva historia 7ano
Ava historia 7ano
 
História Indigena.pdf resumo colorido mapa metntal
História Indigena.pdf resumo colorido mapa metntalHistória Indigena.pdf resumo colorido mapa metntal
História Indigena.pdf resumo colorido mapa metntal
 
Avaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilAvaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasil
 
Portfolio digital
Portfolio   digitalPortfolio   digital
Portfolio digital
 
Aula pré-história
Aula   pré-históriaAula   pré-história
Aula pré-história
 
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritoresAvaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
 
Módulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docx
Módulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docxMódulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docx
Módulo Porto Alegre e seus Territórios Negros.docx
 
SEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIA
SEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIASEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIA
SEMANA 04 - HISTÓRIA –1ª SÉRIE – IDADE MÉDIA
 
Preseed 2014-revisão 10
Preseed 2014-revisão 10Preseed 2014-revisão 10
Preseed 2014-revisão 10
 
Avaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de HistóriaAvaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de História
 
1.4 gabarito
1.4 gabarito1.4 gabarito
1.4 gabarito
 
Prova vestibular terceiro dia da UPE
Prova vestibular terceiro dia da UPEProva vestibular terceiro dia da UPE
Prova vestibular terceiro dia da UPE
 
Prova vestibular terceiro dia
Prova vestibular terceiro diaProva vestibular terceiro dia
Prova vestibular terceiro dia
 
UPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro diaUPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro dia
 

Mais de Edenilson Morais

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Edenilson Morais
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
Edenilson Morais
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
Edenilson Morais
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
Edenilson Morais
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
Edenilson Morais
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Edenilson Morais
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
Edenilson Morais
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
Edenilson Morais
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
Edenilson Morais
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
Edenilson Morais
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
Edenilson Morais
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Edenilson Morais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
Edenilson Morais
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
Edenilson Morais
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
Edenilson Morais
 
Historia total
Historia totalHistoria total
Historia total
Edenilson Morais
 
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História   pré-vestibular impacto - sociologia - exercíciosHistória   pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
Edenilson Morais
 
Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011
Edenilson Morais
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
Edenilson Morais
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
Edenilson Morais
 

Mais de Edenilson Morais (20)

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
 
Historia total
Historia totalHistoria total
Historia total
 
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História   pré-vestibular impacto - sociologia - exercíciosHistória   pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
História pré-vestibular impacto - sociologia - exercícios
 
Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011Apostila do 3º ano 2011
Apostila do 3º ano 2011
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
 

Último

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural

  • 1. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 1/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais MESTRES DA
  • 2. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 2/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais H I S T Ó R I A Questão 1 (ENEM 2010) As ruínas do povoado de Canudos, no sertão norte da Bahia, além de significativas para a identidade cultural, dessa região, são úteis às investigações sobre a Guerra de Canudos e o modo de vida dos antigos revoltosos. Essas ruínas foram reconhecidas como patrimônio cultural material pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) porque reúnem um conjunto de A) objetos arqueológicos e paisagísticos. B) acervos museológicos e bibliográficos. C) núcleos urbanos e etnográficos D) práticas e representações de uma sociedade. E) expressões e técnicas de uma sociedade extinta Questão 2 (ENEM 2013) No dia 1º de julho de 2012, a cidade do Rio de Janeiro tornou-se a primeira do mundo a receber o título da Unesco de Patrimônio Mundial como Paisagem Cultural. A candidatura, apresentada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), foi aprovada durante a 36.ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial. O presidente do Iphan explicou que “a paisagem carioca é a imagem mais explícita do que podemos chamar de civilização brasileira, com sua originalidade, desafios, contradições e possibilidades”. A partir de agora, os locais da cidade valorizados com o título da Unesco serão alvo de ações integradas visando à preservação da sua paisagem cultural. Disponível em: www.cultura.gov.br. Acesso em: 7 mar. 2013 (adaptado). O reconhecimento da paisagem em questão como patrimônio mundial deriva da A) presença do corpo artístico local. B) imagem internacional da metrópole. C) herança de prédios da ex-capital do país. D) diversidade de culturas presente na cidade. E) relação sociedade-natureza de caráter singular. Questão 3 (ENEM 2012) O que o projeto governamental tem em vista é poupar à Nação o prejuízo irreparável do perecimento e da evasão do que há de mais precioso no seu patrimônio. Grande parte das obras de arte até mais valiosas e dos bens de maior interesse histórico, de que a coletividade brasileira era depositária, têm desaparecido ou se arruinado irremediavelmente. As obras de arte típicas e as relíquias da história de cada país não constituem o seu patrimônio privado, e sim um patrimônio comum de todos os povos. ANDRADE, R. M. F. Defesa do patrimônio artístico e histórico. O Jornal, 30 out. 1936. In: ALVES FILHO, I. Brasil, 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999 (adaptado). A criação no Brasil do Serviço do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (SPHAN), em 1937, foi orientada por ideias como as descritas no texto, que visavam A) submeter a memória e o patrimônio nacional ao controle dos órgãos públicos, de acordo com a tendência autoritária do Estado Novo. B) transferir para a iniciativa privada a responsabilidade de preservação do patrimônio nacional, por meio de leis de incentivo fiscal. C) definir os fatos e personagens históricos a serem cultuados pela sociedade brasileira, de acordo com o interesse público. D) resguardar da destruição as obras representativas da cultura nacional, por meio de políticas públicas preservacionistas. E) determinar as responsabilidades pela destruição do patrimônio nacional, de acordo com a legislação brasileira.
  • 3. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 3/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 4 (UERJ 2014) A lei que transforma o funk em patrimônio cultural imaterial do Rio de Janeiro foi aprovada em 2009. A principal razão para esse reconhecimento legal está associada à política de: A) defesa de ritmos brasileiros B) inclusão de grupos políticos C) projeção de jovens intérpretes D) valorização de manifestações populares Questão 5 (ENEM) Os tropeiros foram figuras decisivas na formação de vilarejos e cidades do Brasil colonial. A palavra tropeiro vem de “tropa” que, no passado, se referia ao conjunto de homens que transportava gado e mercadoria. Por volta do século XVIII, muita coisa era levada de um lugar a outro no lombo de mulas. O tropeirismo acabou associado à atividade mineradora, cujo auge foi a exploração de ouro em Minas Gerais e, mais tarde, em Goiás. A extração de pedras preciosas também atraiu grandes contingentes populacionais para as novas áreas e, por isso, era cada vez mais necessário dispor de alimentos e produtos básicos. A alimentação dos tropeiros era constituída por toucinho, feijão preto, farinha, pimenta -do -reino, café, fubá e coité (um molho de vinagre com fruto cáustico espremido). Nos pousos, os tropeiros comiam feijão quase sem molho com pedaços de carne de sol e toucinho, que era servido com farofa e couve picada. O feijão tropeiro é um dos pratos típicos da cozinha mineira e recebe esse nome porque era preparado pelos cozinheiros das tropas que conduziam o gado. Disponível em: http://www.tribunadoplanalto.com.br. Acesso em: 27 nov. 2008. A criação do feijão tropeiro na culinária brasileira está relacionada à A) atividade comercial exercida pelos homens que trabalhavam nas minas. B) atividade culinária exercida pelos moradores cozinheiros que viviam nas regiões das minas. C) atividade mercantil exercida pelos homens que transportavam gado e mercadoria. D) atividade agropecuária exercida pelos tropeiros que necessitavam dispor de alimentos. E) atividade mineradora exercida pelos tropeiros no auge da exploração do ouro. Questão 6 (ENEM) Quem construiu a Tebas de sete portas? Nos livros estão nomes de reis. Arrastaram eles os blocos de pedra? E a Babilônia várias vezes destruída. Quem a reconstruiu tantas vezes? Em que casas da Lima dourada moravam os construtores? Para onde foram os pedreiros, na noite em que a Muralha da China ficou pronta? A grande Roma está cheia de arcos do triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem triunfaram os césares? BRECHT, B. Perguntas de um trabalhador que lê. Disponível em: http://recantodasletras.uol.com.br . Acesso em: 28 abr. 2010. Partindo das reflexões de um trabalhador que lê um livro de História, o autor censura a memória construída sobre determinados monumentos e acontecimentos históricos. A crítica refere -se ao fato de que
  • 4. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 4/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais A) os agentes históricos de uma determinada sociedade deveriam ser aqueles que realizaram feitos heroicos ou grandiosos e, por isso, ficaram na memória. B) a História deveria se preocupar em memorizar os nomes de reis ou dos governantes das civilizações que se desenvolveram ao longo do tempo. C) grandes monumentos históricos foram construídos por trabalhadores, mas sua memória está vinculada aos governantes das sociedades que os construíram. D) os trabalhadores consideram que a História é uma ciência de difícil compreensão, pois trata de sociedades antigas e distantes no tempo. E) as civilizações citadas no texto, embora muito importantes, permanecem sem terem sido alvos de pesquisas históricas. Questão 7 (ENEM 2013) TEXTO I Andaram na praia, quando saímos, oito ou dez deles; e daí a pouco começaram a vir mais. E parece-me que viriam, este dia, à praia, quatrocentos ou quatrocentos e cinquenta. Alguns deles traziam arcos e flechas, que todos trocaram por carapuças ou por qualquer coisa que lhes davam. […] Andavam todos tão bem-dispostos, tão bem feitos e galantes com suas tinturas que muito agradavam. CASTRO, S. A carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM, 1996 (fragmento). TEXTO II PORTINARI, C. O descobrimento do Brasil. 1956. Óleo sobre tela, 199 x 169 cm Disponível em: www.portinari.org.br. Acesso em: 12 jun. 2013. (Foto: Reprodução) Pertencentes ao patrimônio cultural brasileiro, a carta de Pero Vaz de Caminha e a obra de Portinari retratam a chegada dos portugueses ao Brasil. Da leitura dos textos, constata-se que A) a carta de Pero Vaz de Caminha representa uma das primeiras manifestações artísticas dos portugueses em terras brasileiras e preocupa-se apenas com a estética literária. B) a tela de Portinari retrata indígenas nus com corpos pintados, cuja grande significação é a afirmação da arte acadêmica brasileira e a contestação de uma linguagem moderna. C) a carta, como testemunho histórico-político, mostra o olhar do colonizador sobre a gente da terra, e a pintura destaca, em primeiro plano, a inquietação dos nativos. D) as duas produções, embora usem linguagens diferentes – verbal e não verbal –, cumprem a mesma função social e artística. E) a pintura e a carta de Caminha são manifestações de grupos étnicos diferentes, produzidas em um mesmo momento histórico, retratando a colonização.
  • 5. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 5/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 8 (ENEM) Guardar Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la. Em cofre não se guarda coisa alguma. Em cofre perde-se a coisa à vista. Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado. Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela, isto é, estar por ela ou ser por ela. Por isso melhor se guarda o voo de um pássaro Do que um pássaro sem voos. Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica, por isso se declara e declama um poema: Para guardá-lo: Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda: Guarde o que quer que guarda um poema: Por isso o lance do poema: Por guardar-se o que se quer guardar. MACHADO, G. In: MORICONI, I. (org.). Os cem melhores poemas brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. A memória é um importante recurso do patrimônio cultural de uma nação. Ela está presente nas lembranças do passado e no acervo cultural de um povo. Ao tratar o fazer poético como uma das maneiras de se guardar o que se quer, o texto A) ressalta a importância dos estudos históricos para a construção da memória social de um povo. B) valoriza as lembranças individuais em detrimento das narrativas populares ou coletivas. C) reforça a capacidade da literatura em promover a subjetividade e os valores humanos. D) destaca a importância de reservar o texto literário àqueles que possuem maior repertório cultural. E) revela a superioridade da escrita poética como forma ideal de preservação da memória cultural. Questão 9 (ENEM 2009) 1ª versão O Cafundó é um bairro rural situado no município de Salto de Pirapora, a 150 km de São Paulo. Sua população, predominantemente negra, divide-se em duas parentelas: a dos Almeida Caetano e a dos Pires Pedroso. Cerca de oitenta pessoas vivem no bairro. Dessas, apenas nove detêm o título de proprietários legais dos 7,75 alqueires de terra que constituem a extensão do Cafundó, que foram doados a dois escravos, ancestrais de seus habitantes atuais, pelo antigo senhor e fazendeiro, pouco antes da Abolição, em 1888. Nessas terras, seus moradores plantam milho, feijão e mandioca e criam galinhas e porcos. Tudo em pequena escala. Sua língua materna é o português, uma variação regional que, sob muitos aspectos, poderia ser identificada como dialeto caipira. Usam um léxico de origem banto, quimbundo principalmente, cujo papel social é, sobretudo, de representá-los como africanos no Brasil. Disponível em: www.revista.iphan.gov.br Acesso em: 6 abr. 2009 (adaptado). O bairro de Cafundó integra o patrimônio cultural do Brasil porque A) possui terras herdadas de famílias antigas da região. B) preservou o modo de falar de origem banto e quimbundo. C) tem origem no período anterior à abolição da escravatura. D) pertence a uma comunidade rural do interior do estado de São Paulo. E) possui moradores que são africanos do Brasil e perderam o laço com sua origem.
  • 6. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 6/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 10 (UFPA) “Além de mobilizar multidões nas ruas de Belém, no Pará, o Círio de Nazaré, que já é patrimônio imaterial do Brasil, está perto de alcançar outro grande feito. A procissão pode se tornar Patrimônio Imaterial da Humanidade. Até o fim de agosto de 2010, uma comissão da UNESCO decidirá em Paris se a romaria católica receberá o título. A indicação foi feita através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Foram reunidas, entre outras coisas, informações, fotografias e cartas de apoio de grupos envolvidos na festividade e dossiês.” (Círio de Nazaré deve se tornar Patrimônio imaterial da Humanidade. Retirado de http://extra.globo.com/geral/casosdecidade/posts/2010/07/23/cirio-de-nazare-deve-se-tornarpatrimonio-imaterial-da- humanidade-310367.asp Acessado em 26-10-2010. Texto adaptado). A notícia anuncia a intenção de o Círio de Nazaré tornar-se patrimônio imaterial da Humanidade. A festividade Nazarena pleiteia esse registro mundial junto a UNESCO e já possui o documento nacional porque, para instituições como o IPHAN, o Círio de Nazaré significaria uma manifestação A) católica que agrega multidões cristãs e associa a brasilidade à identidade religiosa católica do povo paraense e brasileiro, por meio de uma festa organizada por uma irmandade e vivida por católicos do Brasil e do mundo; B) regional paraense, marcada pela musicalidade típica e pela identidade étnico e religiosa de tradição católica e do candomblé, que se juntam em uma comemoração ecumênica que dura cerca de um mês. C) da identidade cultural paraense/brasileira, representada pela religiosidade popular, pela culinária e por práticas simbólicas como o arraial, os brinquedos de miriti, as fitas, os ex-votos dos promesseiros e as festas como a da Chiquita. D) da cultura paraense, que passa pelas várias procissões, pela corrida do Círio e pela venda generalizada de produtos regionais como a maniçoba e o churrasco de peru, típicos alimentos que fazem parte do tradicional almoço do Círio. E) ecumênica, que une católicos, protestantes e cultos afro-brasileiros na comunhão de interesses religiosos e de paz e que por simbolizar o espírito de união paraense e brasileiro, incentiva o desenvolvimento da solidariedade entre os cultos e crenças. Questão 11 Quatro olhos, quatro mãos e duas cabeças formam a dupla de grafiteiros “Os gêmeos”. Eles cresceram pintando muros do bairro Cambuci, em São Paulo, e agora têm suas obras expostas na conceituada Deitch Gallery, em Nova York, prova de que o grafite feito no Brasil é apreciado por outras culturas. Muitos lugares abandonados e sem manutenção pelas prefeituras das cidades tornam-se mais agradáveis e humanos com os grafites pintados nos muros. Atualmente, instituições públicas educativas recorrem ao grafite como forma de expressão artística, o que propicia a inclusão social de adolescentes carentes, demonstrando que o grafite é considerado uma categoria de arte aceita e reconhecida pelo campo da cultura e pela sociedade local e internacional. Disponível em http://www.flickr.com. Acesso em: 10 set.2008 (adaptado) No processo social de reconhecimento de valores culturais, considera-se que A) grafite é o mesmo que pichação e suja a cidade, sendo diferente da obra dos artistas. B) a população das grandes metrópoles depara-se com muitos problemas sociais, como os grafites e as pichações. C) atualmente, a arte não pode ser usada para inclusão social, ao contrário do grafite. D) os grafiteiros podem conseguir projeção internacional, demonstrando que a arte do grafite não tem fronteiras culturais. E) lugares abandonados e sem manutenção tornam-se ainda mais desagradáveis com a aplicação do grafite.
  • 7. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 7/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 12 (UESPI) Sob a presidência de Juscelino Kubitschek (1955-1961), a nação brasileira assistiu à criação de Brasília, – considerada, pela UNESCO, patrimônio cultural da humanidade – e vivenciou: A) momentos de euforia resultantes, em boa parte, da política desenvolvimentista de incremento à indústria nacional e aumento do poder aquisitivo da classe média. B) importante papel político para a aproximação dos países da América Latina com os Estados Unidos, em vista da estratégica posição do Brasil no Atlântico Sul. C) época de forte repressão política ao operariado e descaso para com a interiorização do desenvolvimento econômico. D) um período predominantemente liberal, em termos econômicos, o que pode ser exemplificado pelo início da construção da Companhia Siderúrgica Nacional. E) uma forte recessão econômica em que a indústria nacional não deu sinais de crescimento e o poder aquisitivo da classe média caiu. Questão 13 (UFPB) De acordo com Artigo 216 da Constituição Brasileira, o patrimônio cultural é composto pelos bens de natureza material e imaterial que fazem referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos da sociedade nacional. Com base nessa concepção de patrimônio, é correto afirmar: A) Os bens culturais de natureza material são a culinária, as festas e as danças. B) Os bens culturais de natureza imaterial são os palácios, as igrejas e os casarões. C) O patrimônio cultural é uma das formas de preservação da memória social. D) O patrimônio cultural limita-se aos bens e modos de vida das elites sociais. E) Os bens culturais de uma sociedade negam a existência de identidades coletivas. Questão 14 (ENEM 2009) O artesanato traz as marcas de cada cultura e, desse modo, atesta a ligação do homem com o meio social em que vive. Os artefatos são produzidos manualmente e costumam revelar uma integração entre homem e meio ambiente, identificável no tipo de matéria-prima utilizada. Pela matéria-prima (o barro) utilizada e pelos tipos humanos representados, em qual região do Brasil o artefato acima foi produzido? A) Sul. B) Norte. C) Sudeste. D) Nordeste. E) Centro-Oeste.
  • 8. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 8/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 15 (ENEM/2010) O folclore é o retrato da cultura de um povo. A dança popular e folclórica é uma forma de representar a cultura regional, pois retrata seus valores, crenças, trabalho e significados. Dançar a cultura de outras regiões é conhecê-la, é de alguma forma se apropriar dela, é enriquecer a própria cultura. BREGOLATO, R. A. Cultura Corporal da Dança. São Paulo: Ícone, 2007. As manifestações folclóricas perpetuam uma tradição cultural, é obra de um povo que a cria, recria e a perpetua. Sob essa abordagem deixa-se de identificar como dança folclórica brasileira A) o Bumba-meu-boi, que é uma dança teatral onde personagens contam uma história envolvendo crítica social, morte e ressurreição. B) a Quadrilha das festas juninas, que associam festejos religiosos a celebrações de origens pagãs envolvendo as colheitas e a fogueira. C) o Congado, que é uma representação de um reinado africano onde se homenageia santos através de música, cantos e dança. D) o Balé, em que se utilizam músicos, bailarinos e vários outros profissionais para contar uma história em forma de espetáculo. E) o Carnaval, em que o samba derivado do batuque africano é utilizado com o objetivo de contar ou recriar uma história nos desfiles. Questão 16 (ENEM/2009) Os melhores críticos da cultura brasileira trataram-na sempre no plural, isto é, enfatizando a coexistência no Brasil de diversas culturas. Arthur Ramos distingue as culturas não europeias (indígenas, negras) das europeias (portuguesa, italiana, alemã etc.), e Darcy Ribeiro fala de diversos Brasis: crioulo, caboclo, sertanejo, caipira e de Brasis sulinos, a cada um deles correspondendo uma cultura específica. MORAIS, F. O Brasil na visão do artista: o país e sua cultura. São Paulo: Sudameris, 2003. Considerando a hipótese de Darcy Ribeiro de que há vários Brasis, a opção em que a obra mostrada representa a arte brasileira de origem negro-africana é:
  • 9. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 9/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 17 (ENEM/2008) Os signos visuais, como meios de comunicação, são classificados em categorias de acordo com seus significados. A categoria denominada indício corresponde aos signos visuais que têm origem em formas ou situações naturais ou casuais, as quais, devido à ocorrência em circunstâncias idênticas, muitas vezes repetidas, indicam algo e adquirem significado. Por exemplo, nuvens negras indicam tempestade. Com base nesse conceito, escolha a opção que representa um signo da categoria dos indícios. Questão 18 (SIMULADO ABRIL)
  • 10. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 10/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais As imagens acima mostram peças de artesanato indígena: a primeira foi feita por índios da tribo Juruna e a segunda foi feita por índios da tribo Karajá. Analisando-se essas duas peças, verifica-se A) que as produções artísticas, hoje, estão homogeneizadas pelos processos de reprodução em série, que nivelam e igualam a diversidade dessas obras. B) como as produções artísticas de diferentes grupos étnicos podem ser diversas e, ao mesmo tempo, representativas da cultura desses grupos. C) que os indígenas produzem artesanatos interessantes, mas que não podem, ainda, ser considerados arte, já que servem para a decoração de casas e outros espaços. D) a valorização de produções oriundas de grupos étnicos minoritários em detrimento daquelas de grupos sociais hegemônicos, numa clara inversão do padrão de dominação e exploração cultural. E) uma atitude preconceituosa por parte dos indígenas que produziram esses objetos, já que representaram apenas elementos do sua própria cultura, sem se preocupar com a diversidade cultural de outras sociedades. Questão 19 (ENEM 2014) O modo artesanal da fabricação do queijo em Minas Gerais foi registrado nesta quinta-feira (15) como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O veredicto foi dado em reunião do conselho realizada no Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte. O presente do Iphan e do conselho ressaltou que a técnica de fabricação artesanal do queijo está “inserida na cultura do que é ser mineiro”. A) B) C)
  • 11. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 11/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais D) E)
  • 12. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 12/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Questão 20 (ENEM 2007) Não só de aspectos físicos se constitui a cultura de um povo. Há muito mais, contido nas tradições, no folclore, nos saberes, nas línguas, nas festas e em diversos outros aspectos e manifestações transmitidos oral ou gestualmente, recriados coletivamente e modificados ao longo do tempo. A essa porção intangível da herança cultural dos povos dá-se o nome de patrimônio cultural imaterial. (Internet:). Qual das figuras abaixo retrata patrimônio imaterial da cultura de um povo?
  • 13. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 13/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais GABARITO COMENTADO Resposta da questão 1:[A] Comentário da questão: A Guerra de Canudos foi um dos primeiros e mais importantes movimentos messiânicos a eclodir no Brasil no final do século XIX. Ocorrido em um contexto de revoltas populares na primeira república, representa uma fase importantíssima da história do Brasil. Dessa maneira, a conservação de sua memória é essencial e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN tem como função preservá-lo. Assim, a conservação de objetos arqueológicos e paisagísticos são essenciais como fonte histórica para preservação de memória e produção de pesquisas de um povoado que foi praticamente destruído no período. Resposta da questão 2:[E] Comentário da questão: No ano de 2012, a cidade do Rio de Janeiro passou a ser considerada pela UNESCO Patrimônio Mundial como Paisagem Cultural. Essa relação entre a cidade carioca e a paisagem é marcada pela relação entre a sociedade e a natureza estabelecida no sítio da cidade, ou seja, uma integração entre sua população e o local de moradia e transito dessas pessoas. Resposta da questão 3:[D] Comentário da questão: A criação do Serviço do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (SPHAN), em 1937, tinha como objetivo proteger o patrimônio artístico e histórico brasileiro. Essa instituição surge durante o Estado Novo (1937-1945), período no qual o governo autoritário de Getúlio Vargas tinha como pano de fundo o nacionalismo e patriotismo, que valorizava o patrimônio histórico e artístico nacional como forma de preservar a identidade e a memória da nação. Resposta da questão 4:[D] Comentário da questão: Em finais do século XX, expandiram-se, em várias sociedades, políticas de identificação e de classificação de bens culturais então designados como patrimônio imaterial. Esse processo promoveu o reconhecimento de saberes, ofícios, manifestações artísticas, (músicas, danças, objetos artesanais), hábitos culinários associados a grupos e tradições populares, que passaram a ser valorizados com sua transformação em legado a ser preservado. Nesse contexto se inseriu a elaboração, e a posterior aprovação, do projeto de lei que considera o funk expressão autêntica de estilo musical e de linguagem específica de grupos populares, em especial jovens de áreas periféricas do município do Rio de Janeiro. Resposta da questão 5:[C] Comentário da questão: Os tropeiros eram assim chamados por realizar sua atividade utilizando tropas de animais transportando gado e mercadorias. Essa atividade foi impulsionada principalmente pela descoberta das regiões mineradoras no interior do Brasil, as quais precisavam ser abastecidas. Em virtude das longas viagens, os tropeiros consumiam alimentos que fossem pouco perecíveis e muito nutritivos, daí a criação de um feijão preparado com farinha, carne de sol, toucinho e condimentos. Resposta da questão 6:[C] Comentário da questão: A crítica de B. Brecht se dirige à valorização de feitos históricos por imperadores, reis e líderes, considerados heróis às vezes, em detrimento da valorização dos trabalhadores braçais. Resposta da questão 7:[C] Comentário da questão: A carta de Caminha é um documento histórico e político, que descreve, sob o olhar de cunho otimista do colonizador, os nativos que aqui os receberam. Por outro lado, a pintura de Portinari destaca esses nativos em primeiro plano, transmitindo suas inquietações e espanto com as embarcações portuguesas que se aproximam. Resposta da questão 8:[E] Comentário da questão: A questão da memória é explorada por meio do poema “Guardar”, do poeta carioca Antônio Cícero. O texto privilegia a escrita poética como forma de manutenção da memória, pois permite que a coisa guardada— ou seja, aquilo que se quer reter na memória — seja constantemente revelada quando o poema é “publicado”, “declarado” e ”declamado”. Observação: A prova atribui erroneamente o poema a Gilka Machado, quando, na verdade, é de autoria de Antônio Cícero. Resposta da questão 9:[B] Comentário da questão: O bairro apontado é reconhecido enquanto espaço de preservação de heranças africanas que contribuíram na construção de uma nação multicultural. Resposta da questão 10:[C] Comentário da questão: Festa tipicamente paraense, tornou-se conhecida em todo o país, reunindo o elemento religioso com práticas culturais típicas da região. A devoção a Nossa Senhora de Nazaré teve início em Portugal, no Pará, foi Plácido José de Souza quem encontrou, em 1700, às margens do igarapé Murutucú, a imagem de Nossa Senhora e em 1792, o Vaticano autorizou a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, em Belém do Pará.
  • 14. Mestres da História – Curso Preparatório ENEM 2015 – Cuiabá-MT 14/14 – ENEM Caderno de Atividades História 2015 – Professor Edenilson Morais Resposta da questão 11:[D] Comentário da questão: O grafite é uma forma de manifestação cultural. É um movimento organizado nas artes plásticas. Surgiu no final da década de 1970, em Nova York, como decorrência de movimentos culturais das minorias excluídas das cidades. Com a revolução contracultural de 1968, surgiram nos muros de Paris as primeiras manifestações desse tipo. É uma arte globalizada, diferentemente da pichação, que é considerada vandalismo. O grafite é uma solução hoje para deixar mais agradável os lugares descuidados, sujos e sem cor das cidades. Resposta da questão 13:[A] Comentário da questão: O desenvolvimentismo, uma das características do governo de JK, proporcionou o crescimento da produção industrial de bens de consumo individual, como eletrodomésticos e automóveis. Os principais beneficiados com essa medida foram as camadas urbanas de rendimento médio e os capitalistas industriais, que viram suas indústrias crescerem. resposta da questão 13:[C] Comentário da questão: Patrimônio Cultural Brasileiro é um conceito que inclui as contribuições dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira. Essa mudança incorpora o conceito de referência cultural e significa uma ampliação importante dos bens passíveis de reconhecimento. Resposta da questão 14: [D] Comentário da questão: As figuras produzidas com barro são três músicos, com chapéu de couro, tocando sanfona, triângulo e tambor, instrumentos típicos do nordeste brasileiro. Resposta da questão 15:[D] Comentário da questão: O texto faz referência a danças folclóricas praticadas no Brasil. As alternativas A, B, C e E indicam danças tradicionais, que traduzem um recorte regional local ou foram adaptadas de expressões culturais estrangeiras. Tais danças buscam a construção de uma identidade nacional e histórica, enquanto o balé, citado na alternativa D, representa uma performance de movimentos, um estilo de dança criado no século XVI, na Itália. Resposta da questão 16:[A] Comentário da questão: Podem-se identificar características da arte brasileira de origem negro-africana na obra do baiano Rubem Valentim (1922- 1991). A representação de figuras que lembram os signos litúrgicos da umbanda e do candomblé marcam a obra desse artista, que se vale de uma geometria rigorosa para apresentar elementos da cultura afro- -brasileira. Isso diferencia a sua obra do abstracionismo geométrico das alternativas B e D. A obra mostrada na alternativa C remete a uma arte de caráter urbano, pela representação de um automóvel e de uma placa de trânsito. Por fim, a obra que aparece na alternativa E explora o mosaico, suporte artístico de origem clássica. Resposta da questão 17:[B] Comentário da questão: A pegada representada na alternativa B apresenta um sinal da categoria de indícios. Resposta da questão 18:[B] Resposta da questão 19:[C] Comentário da questão: Apesar do tema da questão ser específico – Patrimônio Histórico Imaterial Brasileiro – o candidato atenderia à demanda tranquilamente ao perceber que as outras quatro alternativas representam obras de arte ou arquitetônicas. A forma artesanal de se fazer o queijo é da mesma categoria do oficio de fazer panelas de barros, ou seja, constituem saberes específicos, expressões culturais e tradições de um determinado grupo ou região. Resposta da questão 20:[C] Comentário da questão: O patrimônio imaterial envolve as expressões culturais e as tradições de um povo como, por exemplo, danças populares, música, lendas, celebrações, entre outras. Dentre os exemplos supracitados, apenas a opção C retrata patrimônio imaterial, ao citar o bumba-meu-boi, uma dança característica do Nordeste brasileiro.