SlideShare uma empresa Scribd logo
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• Definição: movimento político, militar e religioso que destruiu o
absolutismo na Inglaterra instalando naquele país a primeira
monarquia parlamentar da história;
• Quando: século XVII;
• Antecedentes/causas:
– Atritos entre os reis (dinastia STUART) e o parlamento.

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• Jaime I (1603 – 1625):
– Apoio ao rei: senhores feudais, igreja anglicana e alta
burguesia.
– Apoio ao parlamento: pequena e média burguesia, gentry
(nobreza mercantil) e puritanos (calvinistas ingleses).
– Perseguições a católicos e puritanos.
– Aumento de impostos.
– Dissolução do parlamento (1614 – 1622).
JAIME I

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• Carlos I (1625 – 1649):
– Apesar de jurar o “Bill of Rights” (Petição dos Direitos), o
rei novamente aumenta os impostos e fecha o parlamento.
– Tentativa de impor o anglicanismo na Escócia (revolta).
– Guerra Civil (1642 – 1649):
ANGLICANOS (monarquistas, chamados
de “Cavaleiros”, apoiando o rei) X
PURITANOS (forças contrárias ao rei,
representadas pelo parlamento, chamados de
“Cabeças Redondas”).
– Puritanos vencem e Carlos I é decapitado

CARLOS I
Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• A República de Cromwell (1649 – 1660):

–Ditadura pró-burguesia puritana (calvinista);
–Repressão a opositores externos (Escócia e
Irlanda) e internos (Levellers – niveladores e
Diggers – escavadores);

CROMWELL

– Criação dos Atos de Navegação (1650) – somente navios
ingleses transportariam mercadorias inglesas ou de outros
países para a Inglaterra. Em caso de venda para a Inglaterra só
navios do país de origem do produto estariam autorizados a
entrar na Inglaterra:

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME
REVOLUÇÃO
INGLESA

OS ATOS DE NAVEGAÇÃO

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
Guerra contra a Holanda (1652 – 1654).

Vitória da Inglaterra (supremacia naval).
Desenvolvimento da marinha e do capitalismo inglês.
– Oliver Cromwell nomeia-se Lorde Protetor da Inglaterra
(1653).
– Após a morte de Oliver (1658), seu filho, Ricardo Cromwell
assume o poder, porém, sem a habilidade e carisma do pai,
enfrenta nova guerra civil no país, que acaba com a sua derrota
e recoloca os monarquistas no poder.

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• A Restauração STUART (1660 – 1688):

– Carlos II (1660 – 1685).
Anglicano, pró-católicos.
CARLOS II
Aproximação com a França.
Parlamento cria o HABEAS CORPUS e exclui católicos de
cargos.
Parlamento é novamente fechado pelo rei (1683)

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
– Jaime II (1683 – 1688).
Católico.
Tentativa de restabelecer o absolutismo.
Apoiado por Luís XIV (FRA).

Parlamento temeroso com a restituição do
catolicismo oferece a coroa a Guilherme de
Orange (HOL), casado com Maria Stuart,
filha mais velha de Jaime II. Em troca, pedia
o parlamento livre e a manutenção do
anglicanismo.
GUILHERME DE ORANGE

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• A Revolução Gloriosa (1688):
– Revolução burguesa.
– 1689: Guilherme de Orange acata ao Bill of Rights
(Declaração dos Direitos).
– Parlamento decidiria sobre impostos, garantia a propriedade
privada, as liberdades individuais e divide o poder.
– Fim do absolutismo na Inglaterra.
– Burguesia assume o poder por meio do parlamento (Monarquia
Parlamentar).
– Rei reina, mas não governa.
– Implantação do liberalismo.

Prof. José Augusto Fiorin
A CRISE DO ANTIGO REGIME

REVOLUÇÃO
INGLESA
• A Revolução Gloriosa (1688):
– Revolução burguesa.
– 1689: Guilherme de Orange acata ao Bill of Rights
(Declaração dos Direitos).
– Parlamento decidiria sobre impostos, garantia a propriedade
privada, as liberdades individuais e divide o poder.
– Fim do absolutismo na Inglaterra.
– Burguesia assume o poder por meio do parlamento (Monarquia
Parlamentar).
– Rei reina, mas não governa.
– Implantação do liberalismo.

Prof. José Augusto Fiorin

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação e desenvolvimento dos EUA
Formação e desenvolvimento dos EUAFormação e desenvolvimento dos EUA
Formação e desenvolvimento dos EUA
Paulo Alexandre
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
Fabiana Tonsis
 
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Douglas Barraqui
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
JPedroSR
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
Edenilson Morais
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
Aulas de História
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
Privada
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
José Augusto Fiorin
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
Jacqueline Matilde
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
Vivihistoria
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
Leonardo Caputo
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Isabela Espíndola
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
Nome Sobrenome
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
historiamurialdo
 

Mais procurados (20)

Formação e desenvolvimento dos EUA
Formação e desenvolvimento dos EUAFormação e desenvolvimento dos EUA
Formação e desenvolvimento dos EUA
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 

Destaque

Simple present do does
Simple present   do doesSimple present   do does
Simple present do does
odlachris
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Aulas de História
 
Ato de navegação
Ato de navegaçãoAto de navegação
Ato de navegação
Ana Margarida
 
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVIIA REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
Isabella Silva
 
Simple Present Tense
Simple Present TenseSimple Present Tense
Simple Present Tense
Henry Kleber
 
2˚ ano revolução industrial
2˚ ano revolução industrial2˚ ano revolução industrial
2˚ ano revolução industrial
Kerol Brombal
 
Revolucao Inglesa
Revolucao InglesaRevolucao Inglesa
Revolucao Inglesa
LianaSuzuki
 
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. MedeirosAs Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
João Medeiros
 

Destaque (9)

Simple present do does
Simple present   do doesSimple present   do does
Simple present do does
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Ato de navegação
Ato de navegaçãoAto de navegação
Ato de navegação
 
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVIIA REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
 
Simple Present Tense
Simple Present TenseSimple Present Tense
Simple Present Tense
 
2˚ ano revolução industrial
2˚ ano revolução industrial2˚ ano revolução industrial
2˚ ano revolução industrial
 
Revolucao Inglesa
Revolucao InglesaRevolucao Inglesa
Revolucao Inglesa
 
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. MedeirosAs Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
 

Semelhante a 9. revolução inglesa

12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa
Darlan Campos
 
Revolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa IiRevolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa Ii
secretaria estadual de educação
 
9
99
Revolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filéRevolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filé
mundica broda
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
Norma Almeida
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
joana71
 
Revolução inglesa 2º. ano
Revolução inglesa   2º. anoRevolução inglesa   2º. ano
Revolução inglesa 2º. ano
Fatima Freitas
 
Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
Claudenilson da Silva
 
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.pptRevoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
VinciusKusma
 
revolução Inglesa segunda parte.ppt
revolução Inglesa segunda parte.pptrevolução Inglesa segunda parte.ppt
revolução Inglesa segunda parte.ppt
Elizeu filho
 
revolução Inglesa.ppt
revolução Inglesa.pptrevolução Inglesa.ppt
revolução Inglesa.ppt
Elizeu filho
 
Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
Claudenilson da Silva
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Ewerton Anacleto de Souza
 
Absolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterraAbsolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterra
Auxiliadora
 
Absolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterraAbsolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterra
Auxiliadora
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Fatima Freitas
 
2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf
2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf
2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf
margaridabotanica
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Daniel Alves Bronstrup
 

Semelhante a 9. revolução inglesa (20)

12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa
 
Revolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa IiRevolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa Ii
 
9
99
9
 
Revolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filéRevolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filé
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Revolução inglesa 2º. ano
Revolução inglesa   2º. anoRevolução inglesa   2º. ano
Revolução inglesa 2º. ano
 
Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
 
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.pptRevoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
 
revolução Inglesa segunda parte.ppt
revolução Inglesa segunda parte.pptrevolução Inglesa segunda parte.ppt
revolução Inglesa segunda parte.ppt
 
revolução Inglesa.ppt
revolução Inglesa.pptrevolução Inglesa.ppt
revolução Inglesa.ppt
 
Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Absolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterraAbsolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterra
 
Absolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterraAbsolutismo na frança e na inglaterra
Absolutismo na frança e na inglaterra
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf
2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf
2 - SLIDE - REVOLUÇÕES INGLESAS - 2º ANO .pdf
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
 

Mais de José Augusto Fiorin

Tutorial para inscrição Curso Currículo em Ação
Tutorial para inscrição Curso Currículo em AçãoTutorial para inscrição Curso Currículo em Ação
Tutorial para inscrição Curso Currículo em Ação
José Augusto Fiorin
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
José Augusto Fiorin
 
Plano de Estudos_final
Plano de Estudos_finalPlano de Estudos_final
Plano de Estudos_final
José Augusto Fiorin
 
Plano de Estudos
Plano de EstudosPlano de Estudos
Plano de Estudos
José Augusto Fiorin
 
Encontro de Diretores 36a. CRE
Encontro de Diretores 36a. CREEncontro de Diretores 36a. CRE
Encontro de Diretores 36a. CRE
José Augusto Fiorin
 
25. guerra fria
25. guerra fria25. guerra fria
25. guerra fria
José Augusto Fiorin
 
24. segunda guerra mundial
24. segunda guerra mundial24. segunda guerra mundial
24. segunda guerra mundial
José Augusto Fiorin
 
23. crise de 1929
23. crise de 192923. crise de 1929
23. crise de 1929
José Augusto Fiorin
 
22. nazifascismo
22. nazifascismo22. nazifascismo
22. nazifascismo
José Augusto Fiorin
 
21.revolução russa
21.revolução russa21.revolução russa
21.revolução russa
José Augusto Fiorin
 
20. primeira guerra mundial
20. primeira guerra mundial20. primeira guerra mundial
20. primeira guerra mundial
José Augusto Fiorin
 
19. imperialismo
19. imperialismo19. imperialismo
19. imperialismo
José Augusto Fiorin
 
18. unificações tardias
18. unificações tardias18. unificações tardias
18. unificações tardias
José Augusto Fiorin
 
17. ideologias na era industrial
17. ideologias na era industrial17. ideologias na era industrial
17. ideologias na era industrial
José Augusto Fiorin
 
16. a américa no século xix
16. a américa no século xix16. a américa no século xix
16. a américa no século xix
José Augusto Fiorin
 
15. revoluções liberais
15. revoluções liberais15. revoluções liberais
15. revoluções liberais
José Augusto Fiorin
 
14. independência dos eua
14. independência dos eua14. independência dos eua
14. independência dos eua
José Augusto Fiorin
 
13. revolução industrial
13. revolução industrial13. revolução industrial
13. revolução industrial
José Augusto Fiorin
 
12. era napoleônica
12. era napoleônica12. era napoleônica
12. era napoleônica
José Augusto Fiorin
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
José Augusto Fiorin
 

Mais de José Augusto Fiorin (20)

Tutorial para inscrição Curso Currículo em Ação
Tutorial para inscrição Curso Currículo em AçãoTutorial para inscrição Curso Currículo em Ação
Tutorial para inscrição Curso Currículo em Ação
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Plano de Estudos_final
Plano de Estudos_finalPlano de Estudos_final
Plano de Estudos_final
 
Plano de Estudos
Plano de EstudosPlano de Estudos
Plano de Estudos
 
Encontro de Diretores 36a. CRE
Encontro de Diretores 36a. CREEncontro de Diretores 36a. CRE
Encontro de Diretores 36a. CRE
 
25. guerra fria
25. guerra fria25. guerra fria
25. guerra fria
 
24. segunda guerra mundial
24. segunda guerra mundial24. segunda guerra mundial
24. segunda guerra mundial
 
23. crise de 1929
23. crise de 192923. crise de 1929
23. crise de 1929
 
22. nazifascismo
22. nazifascismo22. nazifascismo
22. nazifascismo
 
21.revolução russa
21.revolução russa21.revolução russa
21.revolução russa
 
20. primeira guerra mundial
20. primeira guerra mundial20. primeira guerra mundial
20. primeira guerra mundial
 
19. imperialismo
19. imperialismo19. imperialismo
19. imperialismo
 
18. unificações tardias
18. unificações tardias18. unificações tardias
18. unificações tardias
 
17. ideologias na era industrial
17. ideologias na era industrial17. ideologias na era industrial
17. ideologias na era industrial
 
16. a américa no século xix
16. a américa no século xix16. a américa no século xix
16. a américa no século xix
 
15. revoluções liberais
15. revoluções liberais15. revoluções liberais
15. revoluções liberais
 
14. independência dos eua
14. independência dos eua14. independência dos eua
14. independência dos eua
 
13. revolução industrial
13. revolução industrial13. revolução industrial
13. revolução industrial
 
12. era napoleônica
12. era napoleônica12. era napoleônica
12. era napoleônica
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
 

9. revolução inglesa

  • 1. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • Definição: movimento político, militar e religioso que destruiu o absolutismo na Inglaterra instalando naquele país a primeira monarquia parlamentar da história; • Quando: século XVII; • Antecedentes/causas: – Atritos entre os reis (dinastia STUART) e o parlamento. Prof. José Augusto Fiorin
  • 2. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • Jaime I (1603 – 1625): – Apoio ao rei: senhores feudais, igreja anglicana e alta burguesia. – Apoio ao parlamento: pequena e média burguesia, gentry (nobreza mercantil) e puritanos (calvinistas ingleses). – Perseguições a católicos e puritanos. – Aumento de impostos. – Dissolução do parlamento (1614 – 1622). JAIME I Prof. José Augusto Fiorin
  • 3. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • Carlos I (1625 – 1649): – Apesar de jurar o “Bill of Rights” (Petição dos Direitos), o rei novamente aumenta os impostos e fecha o parlamento. – Tentativa de impor o anglicanismo na Escócia (revolta). – Guerra Civil (1642 – 1649): ANGLICANOS (monarquistas, chamados de “Cavaleiros”, apoiando o rei) X PURITANOS (forças contrárias ao rei, representadas pelo parlamento, chamados de “Cabeças Redondas”). – Puritanos vencem e Carlos I é decapitado CARLOS I Prof. José Augusto Fiorin
  • 4. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • A República de Cromwell (1649 – 1660): –Ditadura pró-burguesia puritana (calvinista); –Repressão a opositores externos (Escócia e Irlanda) e internos (Levellers – niveladores e Diggers – escavadores); CROMWELL – Criação dos Atos de Navegação (1650) – somente navios ingleses transportariam mercadorias inglesas ou de outros países para a Inglaterra. Em caso de venda para a Inglaterra só navios do país de origem do produto estariam autorizados a entrar na Inglaterra: Prof. José Augusto Fiorin
  • 5. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA OS ATOS DE NAVEGAÇÃO Prof. José Augusto Fiorin
  • 6. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA Guerra contra a Holanda (1652 – 1654). Vitória da Inglaterra (supremacia naval). Desenvolvimento da marinha e do capitalismo inglês. – Oliver Cromwell nomeia-se Lorde Protetor da Inglaterra (1653). – Após a morte de Oliver (1658), seu filho, Ricardo Cromwell assume o poder, porém, sem a habilidade e carisma do pai, enfrenta nova guerra civil no país, que acaba com a sua derrota e recoloca os monarquistas no poder. Prof. José Augusto Fiorin
  • 7. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • A Restauração STUART (1660 – 1688): – Carlos II (1660 – 1685). Anglicano, pró-católicos. CARLOS II Aproximação com a França. Parlamento cria o HABEAS CORPUS e exclui católicos de cargos. Parlamento é novamente fechado pelo rei (1683) Prof. José Augusto Fiorin
  • 8. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA – Jaime II (1683 – 1688). Católico. Tentativa de restabelecer o absolutismo. Apoiado por Luís XIV (FRA). Parlamento temeroso com a restituição do catolicismo oferece a coroa a Guilherme de Orange (HOL), casado com Maria Stuart, filha mais velha de Jaime II. Em troca, pedia o parlamento livre e a manutenção do anglicanismo. GUILHERME DE ORANGE Prof. José Augusto Fiorin
  • 9. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • A Revolução Gloriosa (1688): – Revolução burguesa. – 1689: Guilherme de Orange acata ao Bill of Rights (Declaração dos Direitos). – Parlamento decidiria sobre impostos, garantia a propriedade privada, as liberdades individuais e divide o poder. – Fim do absolutismo na Inglaterra. – Burguesia assume o poder por meio do parlamento (Monarquia Parlamentar). – Rei reina, mas não governa. – Implantação do liberalismo. Prof. José Augusto Fiorin
  • 10. A CRISE DO ANTIGO REGIME REVOLUÇÃO INGLESA • A Revolução Gloriosa (1688): – Revolução burguesa. – 1689: Guilherme de Orange acata ao Bill of Rights (Declaração dos Direitos). – Parlamento decidiria sobre impostos, garantia a propriedade privada, as liberdades individuais e divide o poder. – Fim do absolutismo na Inglaterra. – Burguesia assume o poder por meio do parlamento (Monarquia Parlamentar). – Rei reina, mas não governa. – Implantação do liberalismo. Prof. José Augusto Fiorin