SlideShare uma empresa Scribd logo
Os Saberes 1. Ensinar a condição humana 2. Enfrentar as incertezas 3. Ensinar a compreensão 4. A ética do gênero humano
http://www.moodle.ufba.br/file.php/10061/Cibercultura/E-learning.jpg
I - Ensinar a condição humana O ser humano é a um só tempo, físico, biológico, psíquico, cultural, social, histórico. Esta unidade complexa na natureza humana é totalmente desintegrada na educação por meio das disciplinas, tendo-se tornado impossível aprender o que significa ser humano. É preciso restaurá-la, de modo que cada um, onde quer que se encontre, tome conhecimento e consciência, ao mesmo tempo, de sua identidade complexa e de sua identidade comum a todos os outros humanos.  Desse modo, a condição humana deveria ser o objeto essencial de todo o ensino. É possível, como base nas disciplinas atuais, reconhecer a unidade e a complexidade humanas, reunindo e organizando conhecimentos dispersos nas ciências da natureza, nas ciências humanas, na literatura e na filosofia, pondo em evidência o elo indissolúvel entre a unidade e a diversidade de tudo que é humano.
II - A incerteza do conhecimento É preciso destacar, em qualquer educação, as grandes interrogações sobre nossas possibilidades de conhecer. Pôr em prática as interrogações constitui o oxigênio de qualquer proposta de conhecimento. E o conhecimento permanece como uma aventura para a qual a educação deve fornecer o apoio indispensável. As ciências permitiram que adquiríssemos muitas certezas, mas igualmente revelaram, ao longo do século XX, inúmeras zonas de incerteza. A educação deveria incluir o ensino das incertezas que surgiram nas ciências físicas (microfísica, termodinâmica, cosmologia), nas ciências da evolução biológica e nas ciências históricas. Será preciso ensinar princípios de estratégia que permitiriam enfrentar os imprevistos, o inesperado e a incerteza, e modificar seu desenvolvimento em virtude das informações adquiridas ao longo do tempo. É preciso aprender a navegar em um oceano de incertezas em meio a arquipélagos de certeza. A fórmula do poeta grego Eurípedes, que data de vinte e cinco séculos, nunca foi tão atual: "O esperado não se cumpre, e ao inesperado um deus abre o caminho". O abandono das concepções deterministas da história humana que acreditavam poder predizer nosso futuro, o estudo dos grandes acontecimentos e desastres de nosso século, todos inesperados, o caráter doravante desconhecido da aventura humana devem-nos incitar a preparar as mentes para esperar o inesperado, para enfrenta-lo. É necessário que todos os que se ocupam da educação constituam a vanguarda ante a incerteza de nossos tempos.
II - Ensinar a compreensão A compreensão é a um só tempo meio e fim da comunicação humana. Entretanto, a educação para a compreensão está ausente no ensino. O planeta necessita, em todos os sentidos, de compreensão mútua. Considerando a importância da educação para a compreensão, em todos os níveis educativos e em todas as idades, o desenvolvimento da compreensão pede a reforma das mentalidades. Esta deve ser a obra para a educação do futuro. A compreensão mútua entre os seres humanos, quer próximos, quer estranhos, é daqui para a frente vital para que as relações humanas saiam de seu estado bárbaro de incompreensão. Daí decorre a necessidade de estudar a incompreensão a partir de suas raízes, suas modalidades e seus efeitos. Este estudo é tanto mais necessário porque enfocaria não os sintomas, mas as causas do racismo, da xenofobia, do desprezo. Constituiria, ao mesmo tempo, uma das bases mais seguras da educação para a paz, à qual estamos ligados por essência e vocação.
III - A ética do gênero humano A educação deve conduzir à "antropo-ética", levando em conta o caráter ternário da condição humana, que é ser ao mesmo tempo indivíduo/sociedade/espécie. Nesse sentido, a ética indivíduo/espécie necessita do controle mútuo da sociedade pelo indivíduo e do indivíduo pela sociedade, ou seja, a democracia; a ética indivíduo/espécie convoca, ao século XXI, a cidadania terrestre. A ética não poderia ser ensinada por meio de lições de moral. Deve formar-se nas mentes com base na consciência de que o humano é, ao mesmo tempo, indivíduo, parte da sociedade, parte da espécie. Carregamos em nós esta tripla realidade. Desse modo, todo desenvolvimento verdadeiramente humano deve compreender o desenvolvimento conjunto das autonomias individuais, das participações comunitárias e da consciência de pertencer à espécie humana.
Os Pilares 1. Aprender a ser 2. Aprender a conhecer 3. Aprendendo a fazer 4. Aprendendo a viver juntos http://3.bp.blogspot.com/_lZZfn7QKS_8/SI00wpnB5MI/AAAAAAAAACY/BsQFVGsTEyk/s320/20061007-adeco.jpg
Aprender a Conhecer Esta aprendizagem refere-se à aquisição dos “instrumentos do conhecimento”. Debruça-se sobre o raciocínio lógico, compreensão, dedução, memória, ou seja, sobre os processos cognitivos por excelência. Contudo, deve existir a preocupação de despertar no estudante, não só estes processos em si, como o desejo de os desenvolver, a vontade de aprender, de querer saber mais e melhor. O ideal será sempre que a educação seja encarada, não apenas como um meio para um fim mas também como um fim por si. Esta motivação pode apenas ser despertada por educadores competentes, sensíveis às necessidades, dificuldades e idiossincrasias dos estudantes, capazes de lhes apresentarem metodologias adequadas, ilustradoras das matérias em estudos e facilitadoras da retenção e compreensão das mesmas. Pretende-se despertar em cada aluno a sede de conhecimento, a capacidade de aprender cada vez melhor, ajudando-os a desenvolver as armas e dispositivos intelectuais e cognitivos que lhes permitam construir as suas próprias opiniões e o seu próprio pensamento crítico. Em vista a este objectivo, sugere-se o incentivo, não apenas do pensamento dedutivo, como também do intuitivo, porque, se é importante ensinar o “espírito” e método científicos ao estudante, não é menos importante ensiná-lo a lidar com a sua intuição, de modo a que possa chegar às suas próprias conclusões e aventurar-se sozinho pelos domínios do saber e do desconhecido.
http://www.sergipe.com.br/balaiodenoticias/elba_120.jpg
Aprender a Fazer Indissociável do aprender a conhecer, que lhe confere as bases teóricas, o aprender a fazer refere-se essencialmente à formação técnico-profissional do educando. Consiste essencialmente em aplicar, na prática, os seus conhecimentos teóricos. Atualmente existe outro ponto essencial a focar nesta aprendizagem, referente à comunicação. É essencial que cada indivíduo saiba comunicar. Não apenas reter e transmitir informação mas também interpretar e selecionar as torrentes de informação, muitas vezes contraditórias, com que somos bombardeados diariamente, analisar diferentes perspectivas, e refazer as suas próprias opiniões mediante novos fatos e informações.Aprender a fazer envolve uma série de técnicas a serem trabalhadas. • Aprender a conhecer, combinando uma cultura geral, suficientemente vasta, com a possibilidade de trabalhar em profundidade um pequeno número de matérias. O que também significa: aprender a aprender, para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo de toda a vida.
stillhastime.blogspot.com/
Aprender a viver com os outros Este domínio da aprendizagem consiste num dos maiores desafios para os educadores, pois atua no campo das atitudes e valores. Cai neste campo o combate ao conflito, ao preconceito, às rivalidades milenares ou diárias. Aposta-se na educação como veículo de paz, tolerância e compreensão; mas como fazê-lo? O relatório para UNESCO não oferece receitas, mas avança uma proposta baseada em dois princípios: primeiro a “descoberta progressiva do outro” pois, sendo o desconhecido a grande fonte de preconceitos, o conhecimento real e profundo da diversidade humana combate diretamente este “desconhecido”. Depois e sempre, a participação em projetos comuns que surge como veículo preferencial na diluição de atritos e na descoberta de pontos comuns entre povos, pois, se analisarmos a História Humana, constataremos que o Homem tende a temer o desconhecido e a aceitar o semelhante.
http://afugadoparalitico.blogs.sapo.pt/arquivo/650-Animais.jpg
Aprender a ser Este tipo de aprendizagem depende diretamente dos outros três. Considera-se que a Educação deve ter como finalidade o desenvolvimento total do indivíduo “espírito e corpo, sensibilidade, sentido estético, responsabilidade pessoal, espiritualidade”. À semelhança do aprender a viver com os outros, fala-se aqui da educação de valores e atitudes, mas já não direcionados para a vida em sociedade em particular, mas concretamente para o desenvolvimento individual. Pretende-se formar indivíduos  autônomos , intelectualmente ativos e independentes, capazes de estabelecer  relações interpessoais , de comunicarem e evoluírem permanentemente, de intervirem de forma consciente e proativa na sociedade.
http://www.claudiafarnesi.com.br/wp/wp-content/uploads/2009/05/degraus_plenitude.jpg
Referências Este material foi retirado do site  http://pt.wikipedia.org/wiki/Quatro_Pilares_da_Educa%C3%A7%C3%A3o  e o texto foi adaptado em forma de apresentação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso
3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso
3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso
Andrea Cortelazzi
 
Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000
Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000
Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000
Eduardo Costa
 
Saberes e Pilares da Educação
Saberes e Pilares da EducaçãoSaberes e Pilares da Educação
Saberes e Pilares da Educação
isgrupob
 
Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar MorinOs sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
Djalma Caetano
 
A Educação na Pós Modernidade
A Educação na Pós ModernidadeA Educação na Pós Modernidade
A Educação na Pós Modernidade
João Rafael Lopes
 
Sete saberesnecessrioseducaodofuturo
Sete saberesnecessrioseducaodofuturoSete saberesnecessrioseducaodofuturo
Sete saberesnecessrioseducaodofuturo
Paulo De Freitas
 
Slides seminário grupo b
Slides seminário grupo bSlides seminário grupo b
Slides seminário grupo b
escola
 
Os 7 saberes
Os 7 saberesOs 7 saberes
Os 7 saberes
unisocionautas
 
Edgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuro
Edgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuroEdgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuro
Edgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuro
Jessica Cunha
 
Apresentação - Seminário
Apresentação - SeminárioApresentação - Seminário
Apresentação - Seminário
tecnologiasdaeducacao
 
Morin aula 7
Morin aula 7Morin aula 7
A ética do gênero humano
A ética do gênero humanoA ética do gênero humano
A ética do gênero humano
Ewerton Gindri
 
Os pilares e saberes da educação
Os pilares e saberes da educaçãoOs pilares e saberes da educação
Os pilares e saberes da educação
Ely Brito
 
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morinEnsinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
Ândrea Carla
 
Apresentação morin supervisão
Apresentação morin supervisãoApresentação morin supervisão
Apresentação morin supervisão
Eduardo Silva Alves
 
Eixos do pensamento de Edgar Morin
Eixos do pensamento de Edgar MorinEixos do pensamento de Edgar Morin
Eixos do pensamento de Edgar Morin
Rodrigo Volponi
 
Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)
Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)
Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)
Eduardo Costa
 
Edgar Morin
Edgar MorinEdgar Morin
Edgar Morin
Lorena Veiga
 
Apresentação Complexidade
Apresentação ComplexidadeApresentação Complexidade
Apresentação Complexidade
mefurb
 
Saberes necessários a educação do futuro
Saberes necessários a educação do futuroSaberes necessários a educação do futuro
Saberes necessários a educação do futuro
familiaestagio
 

Mais procurados (20)

3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso
3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso
3. Morin. Edgar. Sete Saberes NecessáRios. Paulo Deloroso
 
Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000
Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000
Ensinar a Compreensão - Edgar Morin, 2000
 
Saberes e Pilares da Educação
Saberes e Pilares da EducaçãoSaberes e Pilares da Educação
Saberes e Pilares da Educação
 
Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar MorinOs sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
 
A Educação na Pós Modernidade
A Educação na Pós ModernidadeA Educação na Pós Modernidade
A Educação na Pós Modernidade
 
Sete saberesnecessrioseducaodofuturo
Sete saberesnecessrioseducaodofuturoSete saberesnecessrioseducaodofuturo
Sete saberesnecessrioseducaodofuturo
 
Slides seminário grupo b
Slides seminário grupo bSlides seminário grupo b
Slides seminário grupo b
 
Os 7 saberes
Os 7 saberesOs 7 saberes
Os 7 saberes
 
Edgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuro
Edgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuroEdgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuro
Edgar Morin - Os sete saberes necessários à educação do futuro
 
Apresentação - Seminário
Apresentação - SeminárioApresentação - Seminário
Apresentação - Seminário
 
Morin aula 7
Morin aula 7Morin aula 7
Morin aula 7
 
A ética do gênero humano
A ética do gênero humanoA ética do gênero humano
A ética do gênero humano
 
Os pilares e saberes da educação
Os pilares e saberes da educaçãoOs pilares e saberes da educação
Os pilares e saberes da educação
 
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morinEnsinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
 
Apresentação morin supervisão
Apresentação morin supervisãoApresentação morin supervisão
Apresentação morin supervisão
 
Eixos do pensamento de Edgar Morin
Eixos do pensamento de Edgar MorinEixos do pensamento de Edgar Morin
Eixos do pensamento de Edgar Morin
 
Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)
Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)
Os Princípios do Conhecimento Pertinente - Morin, 2000 (Síntese)
 
Edgar Morin
Edgar MorinEdgar Morin
Edgar Morin
 
Apresentação Complexidade
Apresentação ComplexidadeApresentação Complexidade
Apresentação Complexidade
 
Saberes necessários a educação do futuro
Saberes necessários a educação do futuroSaberes necessários a educação do futuro
Saberes necessários a educação do futuro
 

Destaque

Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
Nadia Santana
 
Superando As Expectativas Dos Clientes
Superando As Expectativas Dos ClientesSuperando As Expectativas Dos Clientes
Superando As Expectativas Dos Clientes
Michel Moreira
 
Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)
Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)
Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)
Charles A. Resende
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
Andréa Dantas
 
Tentando Compreender As CriançAs
Tentando Compreender As CriançAsTentando Compreender As CriançAs
Tentando Compreender As CriançAs
Sara Brandão
 
Estereótipos e Arquetipos
Estereótipos e ArquetiposEstereótipos e Arquetipos
Estereótipos e Arquetipos
Maninho Walker
 
Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...
Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...
Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...
Fabio Souza Damasceno
 
Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...
Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...
Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...
Marcelo Sales
 
Apresentação Stuart Hall e Barbosa & Campbell
Apresentação Stuart Hall e Barbosa & CampbellApresentação Stuart Hall e Barbosa & Campbell
Apresentação Stuart Hall e Barbosa & Campbell
Filipe Campelo Xavier da Costa
 
Marketing 3.0 - Aplicação
Marketing 3.0 - AplicaçãoMarketing 3.0 - Aplicação
Marketing 3.0 - Aplicação
Samantha Col Debella
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Janaina Ferreira
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
Cassia Dias
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
Leandro Lopes
 

Destaque (13)

Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Superando As Expectativas Dos Clientes
Superando As Expectativas Dos ClientesSuperando As Expectativas Dos Clientes
Superando As Expectativas Dos Clientes
 
Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)
Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)
Relacionamento interpessoal - lidar consigo, lidar com o outro (a sombra)
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
 
Tentando Compreender As CriançAs
Tentando Compreender As CriançAsTentando Compreender As CriançAs
Tentando Compreender As CriançAs
 
Estereótipos e Arquetipos
Estereótipos e ArquetiposEstereótipos e Arquetipos
Estereótipos e Arquetipos
 
Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...
Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...
Apresentação Modelos de Negócios Digitais - FEI - São Bernardo do Campo - 08/...
 
Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...
Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...
Inbound Marketing - Faça a sua empresa gerar resultados reais com marketing d...
 
Apresentação Stuart Hall e Barbosa & Campbell
Apresentação Stuart Hall e Barbosa & CampbellApresentação Stuart Hall e Barbosa & Campbell
Apresentação Stuart Hall e Barbosa & Campbell
 
Marketing 3.0 - Aplicação
Marketing 3.0 - AplicaçãoMarketing 3.0 - Aplicação
Marketing 3.0 - Aplicação
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 

Semelhante a Apresentação1

MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_ApresentacaoMG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
edmarap
 
Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)
Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)
Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)
Secretaria Municipal de Educação de Dona Inês/PB
 
ATIVIDADE PUC RIO
ATIVIDADE PUC RIOATIVIDADE PUC RIO
Saberes e Pilares da Educação -PUC RJ
Saberes e Pilares da Educação -PUC RJSaberes e Pilares da Educação -PUC RJ
Saberes e Pilares da Educação -PUC RJ
claudiante
 
Seminário grupo b
Seminário grupo bSeminário grupo b
Seminário grupo b
Edimaura Reis
 
Apresentação morin
Apresentação morinApresentação morin
Apresentação morin
ebezerraf
 
Apresentação morin
Apresentação morinApresentação morin
Apresentação morin
ebezerraf
 
Edgar morin
Edgar morinEdgar morin
Edgar morin
Isabel Castro
 
Grupo I
Grupo IGrupo I
Ba04 grupo a-is-apresentacao
Ba04 grupo a-is-apresentacaoBa04 grupo a-is-apresentacao
Ba04 grupo a-is-apresentacao
Puc Rio
 
Seminário Virtual - Informática & Sociedade
Seminário Virtual - Informática & SociedadeSeminário Virtual - Informática & Sociedade
Seminário Virtual - Informática & Sociedade
aldinacassia
 
Quatro pilares
Quatro pilaresQuatro pilares
Quatro pilares
Andréa Forgiarni Cechin
 
Slides seminário grupo b
Slides seminário grupo bSlides seminário grupo b
Slides seminário grupo b
escola
 
Seminario2
Seminario2Seminario2
Unidade 4 rumo a uma educação humanista
Unidade 4   rumo a uma educação humanistaUnidade 4   rumo a uma educação humanista
Unidade 4 rumo a uma educação humanista
SimoneHelenDrumond
 
Os quatros pilates da educação==
Os quatros pilates da educação==Os quatros pilates da educação==
Os quatros pilates da educação==
Vitor Maciel
 
Saberes
SaberesSaberes
Saberes
marlidf
 
Volume VII
Volume VIIVolume VII
Volume VII
estevaofernandes
 
Educação para o século XX
Educação para o século XXEducação para o século XX
Educação para o século XX
Andréa Forgiarni Cechin
 
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃOFUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
SUPORTE EDUCACIONAL
 

Semelhante a Apresentação1 (20)

MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_ApresentacaoMG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
 
Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)
Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)
Grupo b apresentaçao_seminario_informatica_ (1)
 
ATIVIDADE PUC RIO
ATIVIDADE PUC RIOATIVIDADE PUC RIO
ATIVIDADE PUC RIO
 
Saberes e Pilares da Educação -PUC RJ
Saberes e Pilares da Educação -PUC RJSaberes e Pilares da Educação -PUC RJ
Saberes e Pilares da Educação -PUC RJ
 
Seminário grupo b
Seminário grupo bSeminário grupo b
Seminário grupo b
 
Apresentação morin
Apresentação morinApresentação morin
Apresentação morin
 
Apresentação morin
Apresentação morinApresentação morin
Apresentação morin
 
Edgar morin
Edgar morinEdgar morin
Edgar morin
 
Grupo I
Grupo IGrupo I
Grupo I
 
Ba04 grupo a-is-apresentacao
Ba04 grupo a-is-apresentacaoBa04 grupo a-is-apresentacao
Ba04 grupo a-is-apresentacao
 
Seminário Virtual - Informática & Sociedade
Seminário Virtual - Informática & SociedadeSeminário Virtual - Informática & Sociedade
Seminário Virtual - Informática & Sociedade
 
Quatro pilares
Quatro pilaresQuatro pilares
Quatro pilares
 
Slides seminário grupo b
Slides seminário grupo bSlides seminário grupo b
Slides seminário grupo b
 
Seminario2
Seminario2Seminario2
Seminario2
 
Unidade 4 rumo a uma educação humanista
Unidade 4   rumo a uma educação humanistaUnidade 4   rumo a uma educação humanista
Unidade 4 rumo a uma educação humanista
 
Os quatros pilates da educação==
Os quatros pilates da educação==Os quatros pilates da educação==
Os quatros pilates da educação==
 
Saberes
SaberesSaberes
Saberes
 
Volume VII
Volume VIIVolume VII
Volume VII
 
Educação para o século XX
Educação para o século XXEducação para o século XX
Educação para o século XX
 
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃOFUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
 

Mais de ntm.pedagogico

Seminário geo
Seminário geoSeminário geo
Seminário geo
ntm.pedagogico
 
Portuguesapresenta
PortuguesapresentaPortuguesapresenta
Portuguesapresenta
ntm.pedagogico
 
Relato
RelatoRelato
Reuniao final
Reuniao finalReuniao final
Reuniao final
ntm.pedagogico
 
Reuniao final
Reuniao finalReuniao final
Reuniao final
ntm.pedagogico
 
Relato
RelatoRelato
Minha história
Minha históriaMinha história
Minha história
ntm.pedagogico
 
Relato
RelatoRelato
Relato
RelatoRelato
Relato
RelatoRelato
Relatos wiki
Relatos wikiRelatos wiki
Relatos wiki
ntm.pedagogico
 
Relatos
RelatosRelatos
Relato
RelatoRelato
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
ntm.pedagogico
 
Relato
RelatoRelato
Relato
RelatoRelato
Relato
RelatoRelato
Relato
RelatoRelato
Relato
RelatoRelato

Mais de ntm.pedagogico (20)

Montagem
MontagemMontagem
Montagem
 
Seminário geo
Seminário geoSeminário geo
Seminário geo
 
Portuguesapresenta
PortuguesapresentaPortuguesapresenta
Portuguesapresenta
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Reuniao final
Reuniao finalReuniao final
Reuniao final
 
Reuniao final
Reuniao finalReuniao final
Reuniao final
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Minha história
Minha históriaMinha história
Minha história
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relatos wiki
Relatos wikiRelatos wiki
Relatos wiki
 
Relatos
RelatosRelatos
Relatos
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 
Relato
RelatoRelato
Relato
 

Último

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 

Último (20)

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 

Apresentação1

  • 1. Os Saberes 1. Ensinar a condição humana 2. Enfrentar as incertezas 3. Ensinar a compreensão 4. A ética do gênero humano
  • 3. I - Ensinar a condição humana O ser humano é a um só tempo, físico, biológico, psíquico, cultural, social, histórico. Esta unidade complexa na natureza humana é totalmente desintegrada na educação por meio das disciplinas, tendo-se tornado impossível aprender o que significa ser humano. É preciso restaurá-la, de modo que cada um, onde quer que se encontre, tome conhecimento e consciência, ao mesmo tempo, de sua identidade complexa e de sua identidade comum a todos os outros humanos. Desse modo, a condição humana deveria ser o objeto essencial de todo o ensino. É possível, como base nas disciplinas atuais, reconhecer a unidade e a complexidade humanas, reunindo e organizando conhecimentos dispersos nas ciências da natureza, nas ciências humanas, na literatura e na filosofia, pondo em evidência o elo indissolúvel entre a unidade e a diversidade de tudo que é humano.
  • 4. II - A incerteza do conhecimento É preciso destacar, em qualquer educação, as grandes interrogações sobre nossas possibilidades de conhecer. Pôr em prática as interrogações constitui o oxigênio de qualquer proposta de conhecimento. E o conhecimento permanece como uma aventura para a qual a educação deve fornecer o apoio indispensável. As ciências permitiram que adquiríssemos muitas certezas, mas igualmente revelaram, ao longo do século XX, inúmeras zonas de incerteza. A educação deveria incluir o ensino das incertezas que surgiram nas ciências físicas (microfísica, termodinâmica, cosmologia), nas ciências da evolução biológica e nas ciências históricas. Será preciso ensinar princípios de estratégia que permitiriam enfrentar os imprevistos, o inesperado e a incerteza, e modificar seu desenvolvimento em virtude das informações adquiridas ao longo do tempo. É preciso aprender a navegar em um oceano de incertezas em meio a arquipélagos de certeza. A fórmula do poeta grego Eurípedes, que data de vinte e cinco séculos, nunca foi tão atual: "O esperado não se cumpre, e ao inesperado um deus abre o caminho". O abandono das concepções deterministas da história humana que acreditavam poder predizer nosso futuro, o estudo dos grandes acontecimentos e desastres de nosso século, todos inesperados, o caráter doravante desconhecido da aventura humana devem-nos incitar a preparar as mentes para esperar o inesperado, para enfrenta-lo. É necessário que todos os que se ocupam da educação constituam a vanguarda ante a incerteza de nossos tempos.
  • 5. II - Ensinar a compreensão A compreensão é a um só tempo meio e fim da comunicação humana. Entretanto, a educação para a compreensão está ausente no ensino. O planeta necessita, em todos os sentidos, de compreensão mútua. Considerando a importância da educação para a compreensão, em todos os níveis educativos e em todas as idades, o desenvolvimento da compreensão pede a reforma das mentalidades. Esta deve ser a obra para a educação do futuro. A compreensão mútua entre os seres humanos, quer próximos, quer estranhos, é daqui para a frente vital para que as relações humanas saiam de seu estado bárbaro de incompreensão. Daí decorre a necessidade de estudar a incompreensão a partir de suas raízes, suas modalidades e seus efeitos. Este estudo é tanto mais necessário porque enfocaria não os sintomas, mas as causas do racismo, da xenofobia, do desprezo. Constituiria, ao mesmo tempo, uma das bases mais seguras da educação para a paz, à qual estamos ligados por essência e vocação.
  • 6. III - A ética do gênero humano A educação deve conduzir à "antropo-ética", levando em conta o caráter ternário da condição humana, que é ser ao mesmo tempo indivíduo/sociedade/espécie. Nesse sentido, a ética indivíduo/espécie necessita do controle mútuo da sociedade pelo indivíduo e do indivíduo pela sociedade, ou seja, a democracia; a ética indivíduo/espécie convoca, ao século XXI, a cidadania terrestre. A ética não poderia ser ensinada por meio de lições de moral. Deve formar-se nas mentes com base na consciência de que o humano é, ao mesmo tempo, indivíduo, parte da sociedade, parte da espécie. Carregamos em nós esta tripla realidade. Desse modo, todo desenvolvimento verdadeiramente humano deve compreender o desenvolvimento conjunto das autonomias individuais, das participações comunitárias e da consciência de pertencer à espécie humana.
  • 7. Os Pilares 1. Aprender a ser 2. Aprender a conhecer 3. Aprendendo a fazer 4. Aprendendo a viver juntos http://3.bp.blogspot.com/_lZZfn7QKS_8/SI00wpnB5MI/AAAAAAAAACY/BsQFVGsTEyk/s320/20061007-adeco.jpg
  • 8. Aprender a Conhecer Esta aprendizagem refere-se à aquisição dos “instrumentos do conhecimento”. Debruça-se sobre o raciocínio lógico, compreensão, dedução, memória, ou seja, sobre os processos cognitivos por excelência. Contudo, deve existir a preocupação de despertar no estudante, não só estes processos em si, como o desejo de os desenvolver, a vontade de aprender, de querer saber mais e melhor. O ideal será sempre que a educação seja encarada, não apenas como um meio para um fim mas também como um fim por si. Esta motivação pode apenas ser despertada por educadores competentes, sensíveis às necessidades, dificuldades e idiossincrasias dos estudantes, capazes de lhes apresentarem metodologias adequadas, ilustradoras das matérias em estudos e facilitadoras da retenção e compreensão das mesmas. Pretende-se despertar em cada aluno a sede de conhecimento, a capacidade de aprender cada vez melhor, ajudando-os a desenvolver as armas e dispositivos intelectuais e cognitivos que lhes permitam construir as suas próprias opiniões e o seu próprio pensamento crítico. Em vista a este objectivo, sugere-se o incentivo, não apenas do pensamento dedutivo, como também do intuitivo, porque, se é importante ensinar o “espírito” e método científicos ao estudante, não é menos importante ensiná-lo a lidar com a sua intuição, de modo a que possa chegar às suas próprias conclusões e aventurar-se sozinho pelos domínios do saber e do desconhecido.
  • 10. Aprender a Fazer Indissociável do aprender a conhecer, que lhe confere as bases teóricas, o aprender a fazer refere-se essencialmente à formação técnico-profissional do educando. Consiste essencialmente em aplicar, na prática, os seus conhecimentos teóricos. Atualmente existe outro ponto essencial a focar nesta aprendizagem, referente à comunicação. É essencial que cada indivíduo saiba comunicar. Não apenas reter e transmitir informação mas também interpretar e selecionar as torrentes de informação, muitas vezes contraditórias, com que somos bombardeados diariamente, analisar diferentes perspectivas, e refazer as suas próprias opiniões mediante novos fatos e informações.Aprender a fazer envolve uma série de técnicas a serem trabalhadas. • Aprender a conhecer, combinando uma cultura geral, suficientemente vasta, com a possibilidade de trabalhar em profundidade um pequeno número de matérias. O que também significa: aprender a aprender, para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo de toda a vida.
  • 12. Aprender a viver com os outros Este domínio da aprendizagem consiste num dos maiores desafios para os educadores, pois atua no campo das atitudes e valores. Cai neste campo o combate ao conflito, ao preconceito, às rivalidades milenares ou diárias. Aposta-se na educação como veículo de paz, tolerância e compreensão; mas como fazê-lo? O relatório para UNESCO não oferece receitas, mas avança uma proposta baseada em dois princípios: primeiro a “descoberta progressiva do outro” pois, sendo o desconhecido a grande fonte de preconceitos, o conhecimento real e profundo da diversidade humana combate diretamente este “desconhecido”. Depois e sempre, a participação em projetos comuns que surge como veículo preferencial na diluição de atritos e na descoberta de pontos comuns entre povos, pois, se analisarmos a História Humana, constataremos que o Homem tende a temer o desconhecido e a aceitar o semelhante.
  • 14. Aprender a ser Este tipo de aprendizagem depende diretamente dos outros três. Considera-se que a Educação deve ter como finalidade o desenvolvimento total do indivíduo “espírito e corpo, sensibilidade, sentido estético, responsabilidade pessoal, espiritualidade”. À semelhança do aprender a viver com os outros, fala-se aqui da educação de valores e atitudes, mas já não direcionados para a vida em sociedade em particular, mas concretamente para o desenvolvimento individual. Pretende-se formar indivíduos autônomos , intelectualmente ativos e independentes, capazes de estabelecer relações interpessoais , de comunicarem e evoluírem permanentemente, de intervirem de forma consciente e proativa na sociedade.
  • 16. Referências Este material foi retirado do site http://pt.wikipedia.org/wiki/Quatro_Pilares_da_Educa%C3%A7%C3%A3o e o texto foi adaptado em forma de apresentação.