SlideShare uma empresa Scribd logo
Orientadora de estudo
Olívia Fernanda de Oliveira
E-mail: oliviafernanda@hotmail.com
Leitura deleite
Pauta 21/09/2013

1- Leitura deleite;
2- Informes: Avaliação, atestados médicos, licença
maternidade, licença premia.
3- Apresentação dos objetivos da unidade 5 e do texto 1: “Os
diferentes textos a serviço da perspectiva do alfabetizar
letrando”.
4-Vídeo sobre gêneros.
5- Atividade individual sobre o texto 1.
6- Atividade em grupo: leitura dirigida do texto 2 – Relatando
experiências: a diversidade em sala de aula.
7- Socialização da atividade pelos grupos.
8- Orientação sobre o portifólio.
9- Tarefa: Desenvolver a seqüência didática ou projeto – gênero
textual.
Ler direitos de aprendizagem de geografia e Ciências.
Informes
•Avaliação SIMEC – todo dia 15 –
implicará na avaliação.
•Licença médica – lei trabalhista.
•Licença gestante – aplicabilidade?
•Licença premia – aplicabilidade.
•Reposição – falar com o formador.
Objetivos da unidade 5
•Entender a concepção de alfabetização na
perspectiva do letramento;
•Analisar e planejar projetos didáticos para
turmas de alfabetização, integrando diferentes
componentes curriculares, e atividades voltadas
para o desenvolvimento da oralidade, escrita e
leitura;
•Conhecer os recursos didáticos distribuídos pelo
Ministério da Educação e planejar situações
didáticas em que tais materiais sejam usados.
Os diferentes textos a serviço da
perspectiva do alfabetizar letrando
Vamos iniciar nosso estudo a partir do Texto 1: Os diferentes textos
a serviço da perspectiva do alfabetizar letrando (Ivone Pedrosa de
Souza e Telma Ferraz Leal).
Essas autoras defendem que o trabalho com diferentes textos na
sala de aula, possibilita a integração entre os componentes
curriculares, retomando a problematização em torno das práticas
que giravam em torno da repetição e memorização de letras,
sílabas, palavras ou frases soltas, que quase sempre estavam
acompanhadas de atividades avaliativas centradas no erro e na
punição.
•Para muitos professores, contudo, o principal desafio
é fazer com que alunos que ainda não leem e não
escrevem convencionalmente, possam participar de
atividades de leitura e produção textual.
•Considerando essa necessidade, Leal e Albuquerque
(2005), reafirmam a importância de planejar situações
diversificadas de leitura e de escrita, que, de acordo
com as autoras, estão agrupadas em quatro tipos
principais:
(LEAL E ALBUQUERQUE, PNAIC, 2012,
Unidade 5, ano 1, p. 8-9)
Essas situações não esgotam, todavia, as
possibilidades de leitura e produção textual e
tampouco devem ser trabalhadas de forma
desarticulada com as atividades de reflexão
sobre o sistema de escrita e as relações entre
sons e letras e letras e sons, pois muitas vezes
os professores questionam porque, apesar
de usarem textos diversos em sala de aula,
não conseguem alfabetizar as crianças.
Assim, não basta levar textos para a sala de aula e deixar
de lado o trabalho de reflexão sobre a língua. Por outro
lado, o texto não pode ser apenas pretexto para o ensino
do sistema de escrita, sem a necessária relação com seus
aspectos discursivos.
Leitura e produção de textos integram o trabalho com a
língua e são dimensões imprescindíveis em qualquer
etapa do processo de alfabetização, inclusive no 1º ano do
Ensino Fundamental, quando é possível vivenciar com as
crianças diversas situações que levem ao desenvolvimento
de conhecimentos fundamentais, como veremos nos
quadros a seguir.
Leitura
Situações em que outras pessoas leem para as crianças são
importantes para que elas aprendam a:

BRASIL, PNAIC, Unidade 5, Ano 1, p. 10
 Situações de leitura autônoma em que as
crianças possam aprender a:

BRASIL, PNAIC, Unidade 5, Ano 1, p. 11
Produção de textos escritos
 Situações compartilhadas de produção de textos que
ajudem as crianças a:
 Situações em que as crianças são estimuladas a escrever
sozinhas para que possam mobilizar conhecimentos apropriados
nas situações compartilhadas, coordenando ações em que
precisam definir o que e como dizer. Nessas situações as crianças
podem aprender a:
Produção de textos orais
 Situações planejadas de ensino em que as crianças possam:
Nas salas de alfabetização, portanto, são diversas
as situações de aprendizagem que precisamos
planejar para que as crianças possam ampliar os
conhecimentos que já utilizam sobre a língua nas
experiências cotidianas de uso da linguagem.
Nosso objetivo, então, é potencializar a inserção
das crianças em práticas de leitura e de escrita que
possam contribuir para a compreensão das
diferentes formas de uso da linguagem em nossa
sociedade que se manifestam por meio dos
diferentes gêneros textuais.
Vídeo
Discussão
O que você entende por alfabetizar
letrando?
Você acha possível trabalhar a leitura e a
produção de diversos textos em turmas de
alunos não alfabéticos? Se sim, como este
trabalho poderia acontecer?
Relatando experiências: a
diversidade textual em sala de aula
Quais as áreas de conhecimentos
foram contempladas na experiência?
Quais os gêneros textuais que foram
abordados?
O que os alunos puderam aprender
com essa experiência?
Socialização dos
grupos
Orientação sobre o portifólio
As autoras Shoes e Grace (2001, p.87) defendem a
avaliação baseada em portfólios, porque esses
concentram atenção de todos (educando, professores e
familiares); encorajam um trabalho centrado na
aprendizagem e no desenvolvimento da criança
possibilitam aos alunos e professores refletirem sobre
suas próprias ações, uma vez que “... os portfólios
possuem potencial de representar o desenvolvimento
infantil nos domínios sócio – emocional e físico, bem
como nas áreas acadêmicas”.
Indicação para leitura: Manual do portfólio- Shoes e
Grace
Dois Portifólios nunca são iguais, pois cada indivíduo tem sua
maneira particular de registrar, mesmo existindo a mesma
orientação ou princípios para elaboração, no final serão
diferentes, isto ocorre devido aos aspectos diferentes do
desenvolvimento de cada professor.
O Portifólio demonstrativo será adotado como material a ser
entregue no final do curso.
Já é sabido que no interior das salas de aula são inúmeras as
atividades desenvolvidas ao longo do ano, portanto o professor
alfabetizador deverá inserir no seu Portifólio amostras
representativas do trabalho desenvolvido, nesta seleção cabe
ao professor à avaliação das atividades que devem compor o
material. As fotografias, gravações, filmagens e cópias de relatos
também podem fazer parte desta construção.
Em geral deve considerar um processo, a montagem do
Portifólio. Algumas considerações para serem incluídas na
elaboração:
A- Guardar as atividades realizadas.
B- Tirar fotografias
C- Consultar os registros de sala
D- Tarefas solicitadas
E- Realizar registros sistemáticos
F- Relatos de experiências
G- Casos de situações de aprendizagem mais pontuais podem
ser incluídos.
1-Folha de identificação do cursista:
Nome completo do cursista;
R.G;
CPF;
Matricula Funcional.
2- Identificação da escola:
Nome da escola;
Endereço da escola;
Série/ano;
Lista nomes dos alunos.
3- Atividades:
Planilhas de acompanhamento: Perfil do grupo e ficha de
acompanhamento de aprendizagem;
Tarefas solicitadas em cada encontro;
Produção de texto dos alunos (uma realizada no inicio do curso
e outra no final do curso);
Relato de algumas atividades realizadas com os jogos do CEEL.
Sequência de atividades desenvolvidas durante o curso:
Jogos e brincadeiras (atividades planejadas e aplicadas em sala
de aula com uso do paradidático);
Gêneros;
Sistema de Escrita Alfabética;
Ortografia;
Projeto didático trabalhado com a sala;
Lista de livros lidos na Leitura deleite;
Atividades na biblioteca, sala de leitura, cantinho de leitura;
Quadro de rotina.
As fotos ajudam ilustrar as atividades desenvolvidas, como por
exemplo: biblioteca, sala de leitura, Atividades com jogos,
brincadeiras no pátio, leitura de fruição, etc.(Pedir autorização
dos responsáveis para o uso da imagem).
Tarefa
Leitura do Texto 3 “ Ampliando um
pouco mais o trabalho: os diversos
textos e suas relações com as áreas de
conhecimento”.
Pauta 28/09/2013
1- Leitura deleite;
2- Atividade em grupo: leitura dirigida do texto 2 –
Relatando experiências: a diversidade em sala de aula.
3- Vídeo: “Para ser cidadão da cultura letrada”. (Série
Letra Viva);
4- Oficina de gêneros;
5- Tarefa: Leitura do Texto 3 “ Ampliando um pouco mais
o trabalho: os diversos textos e suas relações com as
áreas de conhecimento”.
LEITURA DELEITE
SOCIALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE EM
GRUPO
VIDEO
“Para ser cidadão da
cultura letrada”. (Série
Letra Viva)
Oficina de gêneros
(atividades em anexo)
Tarefa
Leitura do Texto 3 “ Ampliando
um pouco mais o trabalho: os
diversos textos e suas relações
com as áreas de conhecimento”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (11)

2º encontro da unidade 1 avaliação
2º encontro da unidade 1   avaliação2º encontro da unidade 1   avaliação
2º encontro da unidade 1 avaliação
 
Situações didáticas
Situações didáticasSituações didáticas
Situações didáticas
 
Pnaic caderno 5
Pnaic caderno 5Pnaic caderno 5
Pnaic caderno 5
 
Sequencia de Leitura: Projeto Trilhas
Sequencia de Leitura: Projeto TrilhasSequencia de Leitura: Projeto Trilhas
Sequencia de Leitura: Projeto Trilhas
 
1ª apresentação pnaic 08 06
1ª apresentação pnaic 08 061ª apresentação pnaic 08 06
1ª apresentação pnaic 08 06
 
A arvore generosa
A arvore generosaA arvore generosa
A arvore generosa
 
Unidade 7
Unidade 7Unidade 7
Unidade 7
 
Unidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
Unidade 7 - PNAIC - HeterogeneidadeUnidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
Unidade 7 - PNAIC - Heterogeneidade
 
Unidade 4 parte 1, 2 e 3
Unidade 4   parte 1, 2 e 3Unidade 4   parte 1, 2 e 3
Unidade 4 parte 1, 2 e 3
 
Projeto ReforçO
Projeto ReforçOProjeto ReforçO
Projeto ReforçO
 
As práticas cotidianas de alfabetização
As práticas cotidianas de alfabetizaçãoAs práticas cotidianas de alfabetização
As práticas cotidianas de alfabetização
 

Destaque

4 comparativo de metas curriculares - educação literária
4  comparativo de metas curriculares - educação literária4  comparativo de metas curriculares - educação literária
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
António Fernandes
 
Letra x cursiva
Letra x cursivaLetra x cursiva
Letra x cursiva
myespaco
 
Escola estadual brigadeiro felipe
Escola estadual brigadeiro felipeEscola estadual brigadeiro felipe
Escola estadual brigadeiro felipe
Daynina1
 
A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820
jdlimaaear
 
De dentro para fora - Larry Crabb
De dentro para fora - Larry CrabbDe dentro para fora - Larry Crabb
De dentro para fora - Larry Crabb
Guimizinha
 

Destaque (20)

A leitura
A leituraA leitura
A leitura
 
Seminário aborto
Seminário abortoSeminário aborto
Seminário aborto
 
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
4  comparativo de metas curriculares - educação literária4  comparativo de metas curriculares - educação literária
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
 
Letra x cursiva
Letra x cursivaLetra x cursiva
Letra x cursiva
 
Educacao no campo_unidade_6_miolo
Educacao no campo_unidade_6_mioloEducacao no campo_unidade_6_miolo
Educacao no campo_unidade_6_miolo
 
Escola estadual brigadeiro felipe
Escola estadual brigadeiro felipeEscola estadual brigadeiro felipe
Escola estadual brigadeiro felipe
 
Aula sobre o baobá
Aula sobre o baobáAula sobre o baobá
Aula sobre o baobá
 
Sem pé nem cabeça
Sem pé nem cabeçaSem pé nem cabeça
Sem pé nem cabeça
 
Fernando pessoa e heterónimos
Fernando pessoa e heterónimosFernando pessoa e heterónimos
Fernando pessoa e heterónimos
 
O coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didáticaO coração do Baobá - sequência didática
O coração do Baobá - sequência didática
 
Agrupamento de gênero textual
Agrupamento de gênero textual Agrupamento de gênero textual
Agrupamento de gênero textual
 
O dia a dia de dadá - Marcelo Xavier
O dia a dia de dadá - Marcelo XavierO dia a dia de dadá - Marcelo Xavier
O dia a dia de dadá - Marcelo Xavier
 
Apostila de Português completa versão final.
Apostila de Português completa versão final.Apostila de Português completa versão final.
Apostila de Português completa versão final.
 
Sentido literal e figurado
Sentido literal e figuradoSentido literal e figurado
Sentido literal e figurado
 
5 05 a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
5 05  a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos5 05  a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
5 05 a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
 
Livro sem pé nem cabeça
Livro sem pé nem cabeçaLivro sem pé nem cabeça
Livro sem pé nem cabeça
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820
 
CARTILHA : ALFABETIZAÇÃO
CARTILHA : ALFABETIZAÇÃOCARTILHA : ALFABETIZAÇÃO
CARTILHA : ALFABETIZAÇÃO
 
De dentro para fora - Larry Crabb
De dentro para fora - Larry CrabbDe dentro para fora - Larry Crabb
De dentro para fora - Larry Crabb
 

Semelhante a Apresentação unidade 5

Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
Naysa Taboada
 
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIAdireitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
Aprender com prazer
 
PNAIC - Ano 2 unidade 2
PNAIC - Ano 2   unidade 2PNAIC - Ano 2   unidade 2
PNAIC - Ano 2 unidade 2
ElieneDias
 
7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf
7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf
7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf
Francisco Sá
 

Semelhante a Apresentação unidade 5 (20)

11encontro
11encontro11encontro
11encontro
 
guia de aprendizagem 8 ano A.docx
guia de aprendizagem 8 ano A.docxguia de aprendizagem 8 ano A.docx
guia de aprendizagem 8 ano A.docx
 
Tp1
Tp1Tp1
Tp1
 
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)Unidade 7   planejando o ensino para todos (2)
Unidade 7 planejando o ensino para todos (2)
 
Unidade 2 - PNAIC - Planejamento
Unidade 2 - PNAIC - PlanejamentoUnidade 2 - PNAIC - Planejamento
Unidade 2 - PNAIC - Planejamento
 
Plano de aula maria dimpina (2)
Plano de aula maria dimpina (2)Plano de aula maria dimpina (2)
Plano de aula maria dimpina (2)
 
Alfabetização nas escolas públicas o grande desafio
Alfabetização nas escolas públicas   o grande desafioAlfabetização nas escolas públicas   o grande desafio
Alfabetização nas escolas públicas o grande desafio
 
Heterogeneidade
HeterogeneidadeHeterogeneidade
Heterogeneidade
 
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIAdireitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
 
Caderno 3 ano lp vol 1
Caderno 3 ano lp   vol 1Caderno 3 ano lp   vol 1
Caderno 3 ano lp vol 1
 
Ano 1 unidade_7_miolo
Ano 1 unidade_7_mioloAno 1 unidade_7_miolo
Ano 1 unidade_7_miolo
 
Unidade 5 10º e 11º encontro
Unidade 5   10º e 11º encontroUnidade 5   10º e 11º encontro
Unidade 5 10º e 11º encontro
 
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptxrotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
 
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa
Pacto nacional pela alfabetização na idade certaPacto nacional pela alfabetização na idade certa
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa
 
Ano 1 unidade_7_miolo
Ano 1 unidade_7_mioloAno 1 unidade_7_miolo
Ano 1 unidade_7_miolo
 
5º encontro
5º encontro5º encontro
5º encontro
 
PNAIC - Ano 2 unidade 2
PNAIC - Ano 2   unidade 2PNAIC - Ano 2   unidade 2
PNAIC - Ano 2 unidade 2
 
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de LínguasDa Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
 
Panorama de Língua Estrangeira - Prêmio Victor Civita 2011
Panorama de Língua Estrangeira - Prêmio Victor Civita 2011Panorama de Língua Estrangeira - Prêmio Victor Civita 2011
Panorama de Língua Estrangeira - Prêmio Victor Civita 2011
 
7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf
7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf
7-dicas-para-planejar-a-aula-a-partir-do-livro-didatico-Linguagens.pdf
 

Mais de Olívia Oliveira (12)

Quadro de acompanhamento
Quadro de acompanhamentoQuadro de acompanhamento
Quadro de acompanhamento
 
Almanaque - unidade 6
Almanaque - unidade 6Almanaque - unidade 6
Almanaque - unidade 6
 
Atividades da oficina de gêneros
 Atividades da oficina de gêneros Atividades da oficina de gêneros
Atividades da oficina de gêneros
 
Imprimir 21 09
Imprimir 21 09Imprimir 21 09
Imprimir 21 09
 
Apresentação 2 unidade 4
Apresentação 2 unidade 4Apresentação 2 unidade 4
Apresentação 2 unidade 4
 
Apresentação 1 - unidade 4
Apresentação 1 - unidade 4Apresentação 1 - unidade 4
Apresentação 1 - unidade 4
 
Apresentação unidade2 planejamento
Apresentação unidade2 planejamentoApresentação unidade2 planejamento
Apresentação unidade2 planejamento
 
O rato e o lápis 1
O rato e o lápis 1O rato e o lápis 1
O rato e o lápis 1
 
Pauta unidade 1
Pauta unidade 1Pauta unidade 1
Pauta unidade 1
 
As praticas cotidiana de alfabetização
As praticas cotidiana de alfabetizaçãoAs praticas cotidiana de alfabetização
As praticas cotidiana de alfabetização
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
 
121 branca de neve e os sete anões
121 branca de neve e os sete anões121 branca de neve e os sete anões
121 branca de neve e os sete anões
 

Último

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 

Último (20)

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Apresentação unidade 5

  • 1. Orientadora de estudo Olívia Fernanda de Oliveira E-mail: oliviafernanda@hotmail.com
  • 3. Pauta 21/09/2013 1- Leitura deleite; 2- Informes: Avaliação, atestados médicos, licença maternidade, licença premia. 3- Apresentação dos objetivos da unidade 5 e do texto 1: “Os diferentes textos a serviço da perspectiva do alfabetizar letrando”. 4-Vídeo sobre gêneros. 5- Atividade individual sobre o texto 1. 6- Atividade em grupo: leitura dirigida do texto 2 – Relatando experiências: a diversidade em sala de aula. 7- Socialização da atividade pelos grupos. 8- Orientação sobre o portifólio. 9- Tarefa: Desenvolver a seqüência didática ou projeto – gênero textual. Ler direitos de aprendizagem de geografia e Ciências.
  • 4. Informes •Avaliação SIMEC – todo dia 15 – implicará na avaliação. •Licença médica – lei trabalhista. •Licença gestante – aplicabilidade? •Licença premia – aplicabilidade. •Reposição – falar com o formador.
  • 5. Objetivos da unidade 5 •Entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento; •Analisar e planejar projetos didáticos para turmas de alfabetização, integrando diferentes componentes curriculares, e atividades voltadas para o desenvolvimento da oralidade, escrita e leitura; •Conhecer os recursos didáticos distribuídos pelo Ministério da Educação e planejar situações didáticas em que tais materiais sejam usados.
  • 6. Os diferentes textos a serviço da perspectiva do alfabetizar letrando Vamos iniciar nosso estudo a partir do Texto 1: Os diferentes textos a serviço da perspectiva do alfabetizar letrando (Ivone Pedrosa de Souza e Telma Ferraz Leal). Essas autoras defendem que o trabalho com diferentes textos na sala de aula, possibilita a integração entre os componentes curriculares, retomando a problematização em torno das práticas que giravam em torno da repetição e memorização de letras, sílabas, palavras ou frases soltas, que quase sempre estavam acompanhadas de atividades avaliativas centradas no erro e na punição.
  • 7. •Para muitos professores, contudo, o principal desafio é fazer com que alunos que ainda não leem e não escrevem convencionalmente, possam participar de atividades de leitura e produção textual. •Considerando essa necessidade, Leal e Albuquerque (2005), reafirmam a importância de planejar situações diversificadas de leitura e de escrita, que, de acordo com as autoras, estão agrupadas em quatro tipos principais:
  • 8. (LEAL E ALBUQUERQUE, PNAIC, 2012, Unidade 5, ano 1, p. 8-9)
  • 9. Essas situações não esgotam, todavia, as possibilidades de leitura e produção textual e tampouco devem ser trabalhadas de forma desarticulada com as atividades de reflexão sobre o sistema de escrita e as relações entre sons e letras e letras e sons, pois muitas vezes os professores questionam porque, apesar de usarem textos diversos em sala de aula, não conseguem alfabetizar as crianças.
  • 10. Assim, não basta levar textos para a sala de aula e deixar de lado o trabalho de reflexão sobre a língua. Por outro lado, o texto não pode ser apenas pretexto para o ensino do sistema de escrita, sem a necessária relação com seus aspectos discursivos. Leitura e produção de textos integram o trabalho com a língua e são dimensões imprescindíveis em qualquer etapa do processo de alfabetização, inclusive no 1º ano do Ensino Fundamental, quando é possível vivenciar com as crianças diversas situações que levem ao desenvolvimento de conhecimentos fundamentais, como veremos nos quadros a seguir.
  • 11. Leitura Situações em que outras pessoas leem para as crianças são importantes para que elas aprendam a: BRASIL, PNAIC, Unidade 5, Ano 1, p. 10
  • 12.  Situações de leitura autônoma em que as crianças possam aprender a: BRASIL, PNAIC, Unidade 5, Ano 1, p. 11
  • 13. Produção de textos escritos  Situações compartilhadas de produção de textos que ajudem as crianças a:
  • 14.  Situações em que as crianças são estimuladas a escrever sozinhas para que possam mobilizar conhecimentos apropriados nas situações compartilhadas, coordenando ações em que precisam definir o que e como dizer. Nessas situações as crianças podem aprender a:
  • 15. Produção de textos orais  Situações planejadas de ensino em que as crianças possam:
  • 16. Nas salas de alfabetização, portanto, são diversas as situações de aprendizagem que precisamos planejar para que as crianças possam ampliar os conhecimentos que já utilizam sobre a língua nas experiências cotidianas de uso da linguagem. Nosso objetivo, então, é potencializar a inserção das crianças em práticas de leitura e de escrita que possam contribuir para a compreensão das diferentes formas de uso da linguagem em nossa sociedade que se manifestam por meio dos diferentes gêneros textuais.
  • 18. Discussão O que você entende por alfabetizar letrando? Você acha possível trabalhar a leitura e a produção de diversos textos em turmas de alunos não alfabéticos? Se sim, como este trabalho poderia acontecer?
  • 19. Relatando experiências: a diversidade textual em sala de aula Quais as áreas de conhecimentos foram contempladas na experiência? Quais os gêneros textuais que foram abordados? O que os alunos puderam aprender com essa experiência?
  • 21. Orientação sobre o portifólio As autoras Shoes e Grace (2001, p.87) defendem a avaliação baseada em portfólios, porque esses concentram atenção de todos (educando, professores e familiares); encorajam um trabalho centrado na aprendizagem e no desenvolvimento da criança possibilitam aos alunos e professores refletirem sobre suas próprias ações, uma vez que “... os portfólios possuem potencial de representar o desenvolvimento infantil nos domínios sócio – emocional e físico, bem como nas áreas acadêmicas”. Indicação para leitura: Manual do portfólio- Shoes e Grace
  • 22. Dois Portifólios nunca são iguais, pois cada indivíduo tem sua maneira particular de registrar, mesmo existindo a mesma orientação ou princípios para elaboração, no final serão diferentes, isto ocorre devido aos aspectos diferentes do desenvolvimento de cada professor. O Portifólio demonstrativo será adotado como material a ser entregue no final do curso. Já é sabido que no interior das salas de aula são inúmeras as atividades desenvolvidas ao longo do ano, portanto o professor alfabetizador deverá inserir no seu Portifólio amostras representativas do trabalho desenvolvido, nesta seleção cabe ao professor à avaliação das atividades que devem compor o material. As fotografias, gravações, filmagens e cópias de relatos também podem fazer parte desta construção.
  • 23. Em geral deve considerar um processo, a montagem do Portifólio. Algumas considerações para serem incluídas na elaboração: A- Guardar as atividades realizadas. B- Tirar fotografias C- Consultar os registros de sala D- Tarefas solicitadas E- Realizar registros sistemáticos F- Relatos de experiências G- Casos de situações de aprendizagem mais pontuais podem ser incluídos.
  • 24. 1-Folha de identificação do cursista: Nome completo do cursista; R.G; CPF; Matricula Funcional. 2- Identificação da escola: Nome da escola; Endereço da escola; Série/ano; Lista nomes dos alunos.
  • 25. 3- Atividades: Planilhas de acompanhamento: Perfil do grupo e ficha de acompanhamento de aprendizagem; Tarefas solicitadas em cada encontro; Produção de texto dos alunos (uma realizada no inicio do curso e outra no final do curso); Relato de algumas atividades realizadas com os jogos do CEEL. Sequência de atividades desenvolvidas durante o curso: Jogos e brincadeiras (atividades planejadas e aplicadas em sala de aula com uso do paradidático); Gêneros; Sistema de Escrita Alfabética; Ortografia; Projeto didático trabalhado com a sala;
  • 26. Lista de livros lidos na Leitura deleite; Atividades na biblioteca, sala de leitura, cantinho de leitura; Quadro de rotina. As fotos ajudam ilustrar as atividades desenvolvidas, como por exemplo: biblioteca, sala de leitura, Atividades com jogos, brincadeiras no pátio, leitura de fruição, etc.(Pedir autorização dos responsáveis para o uso da imagem).
  • 27. Tarefa Leitura do Texto 3 “ Ampliando um pouco mais o trabalho: os diversos textos e suas relações com as áreas de conhecimento”.
  • 28. Pauta 28/09/2013 1- Leitura deleite; 2- Atividade em grupo: leitura dirigida do texto 2 – Relatando experiências: a diversidade em sala de aula. 3- Vídeo: “Para ser cidadão da cultura letrada”. (Série Letra Viva); 4- Oficina de gêneros; 5- Tarefa: Leitura do Texto 3 “ Ampliando um pouco mais o trabalho: os diversos textos e suas relações com as áreas de conhecimento”.
  • 31. VIDEO “Para ser cidadão da cultura letrada”. (Série Letra Viva)
  • 33. Tarefa Leitura do Texto 3 “ Ampliando um pouco mais o trabalho: os diversos textos e suas relações com as áreas de conhecimento”.