SlideShare uma empresa Scribd logo
Superior Tribunal de Justiça
RECURSO ESPECIAL Nº 495.237 - CE (2003/0014871-2)
RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ
RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS
PROCURADOR : CLÁUDIA CHRISTINA SANTOS RODRIGUES DE LIMA E
OUTROS
RECORRIDO : JOSÉ HELDER APOLIANO GOMES
ADVOGADO : FRANCISCO JOSÉ GOMES DA SILVA
EMENTA
PREVIDENCIÁRIO E TRABALHISTA. CARTEIRA PROFISSIONAL.
ANOTAÇÕES FEITAS POR ORDEM JUDICIAL. PRESUNÇÃO RELATIVA DE
VERACIDADE. ENUNCIADO N.º 12 DO TST E SÚMULA N.º 225 DO STF.
JUROS DE MORA. PERCENTUAL DE 1% A.M. FLUÊNCIA A PARTIR DA
CITAÇÃO.
1. As anotações feita na Carteira de Trabalho e Previdência Social gozam de
presunção juris tantum, consoante preconiza o Enunciado n.º 12 do Tribunal Superior
do Trabalho e da Súmula n.º 225 do Supremo Tribunal Federal.
2. O fato de o empregador ter descumprido a sua obrigação de proceder ao
registro do empregado no prazo devido, tendo o feito tão-somente
extemporaneamente e por força de ordem judicial, não tem o condão de afastar a
veracidade da inscrição. Para ocorrência dessa hipótese, seria imperioso a
demonstração de que houve conluio entre as partes no processo trabalhista, no intuito
de forjar a existência da relação de emprego.
3. Não há falar em prejuízo para a autarquia, uma vez que, a teor do art. 114,
§ 3º, da Constituição Federal, a própria Justiça do Trabalho executa ex officio as
contribuições previdenciárias relativas ao período reconhecido na sentença por ela
prolatada.
4. Os juros de mora, nas ações previdenciárias, fluem a partir da citação no
percentual de 1% a.m. Precedentes do STJ.
5. Recurso especial parcialmente conhecido e, nessa parte, provido.
ACÓRDÃO
Vistos, relatados e discutidos estes autos, acordam os Ministros da QUINTA TURMA
do Superior Tribunal de Justiça, na conformidade dos votos e das notas taquigráficas a seguir, por
unanimidade, conhecer parcialmente do recurso e, nessa parte, dar-lhe provimento, nos termos do
voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros José Arnaldo da Fonseca, Felix Fischer, Gilson Dipp e
Jorge Scartezzini votaram com a Sra. Ministra Relatora.
Brasília (DF), 28 de outubro de 2003(Data do Julgamento)
MINISTRA LAURITA VAZ
Relatora
Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 1 de 6
Superior Tribunal de Justiça
RECURSO ESPECIAL Nº 495.237 - CE (2003/0014871-2)
RELATÓRIO
EXMA. SRA. MINISTRA LAURITA VAZ (RELATORA):
Trata-se de recurso especial interposto pelo INSTITUTO NACIONAL DO
SEGURO SOCIAL - INSS, com fundamento nas alíneas a e c do permissivo constitucional,
em face de acórdão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região assim ementado, in verbis:
"PROCESSUAL CIVIL. PREVIDENCIÁRIO. AVERBAÇÃO DE
TEMPO DE SERVIÇO PRESTADO NA QUALIDADE DE TRABALHADOR
URBANO. PROVA DOCUMENTAL. DECISÃO JUDICIAL TRABALHISTA.
VALIDADE.
1. Cabe a autarquia, pessoa pública integrante da estrutura
administrativa da União, assegurar o direito social do indivíduo, no amparo e
reconhecimento dos seus direitos subjetivos, principalmente no que se refere à
contagem recíproca do tempo de contribuição na administração pública e na
atividade privada, rural e urbana.
2. Provam-se os fatos controvertidos, relevantes e os fatos
determinados e a existência de tais fatos jamais pode ser relegada devendo ser
apurado, por qualquer meio de prova permitido, desde que lícito, uma vez a
lei não hierarquiza entre os meios de prova.
3. In casu, inquestionável apresenta-se o tempo de serviço
reconhecido em decisão judicial trânsito em julgado quando se reconheceu
judicialmente em sentença trânsito em julgado que o autor, efetivamente
trabalhou o tempo falado no presente mandamus e o exercício do serviço por
tal período é condição para insurgir ao seu favor o direito previdenciário
pleiteado, não há como negar-lhe tal direito.
4. Remessa oficial improvida." (fl. 100)
Sustenta o Recorrente violação ao art. 472 do Código de Processo Civil e ao
art. 55, § 3º, da Lei n.º 8.213/91, sustentando que não pode ser obrigado a reconhecer o tempo
de serviço anotado na Carteira de Trabalho e Previdência Social por força de decisão
proferida em ação trabalhista em que não houve produção de prova material.
Argúi, ainda, afronta aos arts. 1.062 e 1.536, § 2º, do Código Civil, ao art. 1º
da Lei n.º 4.414/64, e ao art. 1º, § 2º, da Lei n.º 6.899/81, bem como dissenso pretoriano,
asseverando que juros moratórios devem fluir no percentual de 0,5% a.m, a partir da citação.
Sem contra-razões e, admitido o recurso na origem, ascenderam os autos a esta
Corte.
É o relatório.
Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 2 de 6
Superior Tribunal de Justiça
RECURSO ESPECIAL Nº 495.237 - CE (2003/0014871-2)
EMENTA
PREVIDENCIÁRIO E TRABALHISTA. CARTEIRA
PROFISSIONAL. ANOTAÇÕES FEITAS POR ORDEM JUDICIAL.
PRESUNÇÃO RELATIVA DE VERACIDADE. ENUNCIADO N.º 12 DO
TST E SÚMULA N.º 225 DO STF. JUROS DE MORA. PERCENTUAL DE
1% A.M. FLUÊNCIA A PARTIR DA CITAÇÃO.
1. As anotações feita na Carteira de Trabalho e Previdência Social
gozam de presunção juris tantum, consoante preconiza o Enunciado n.º 12 do
Tribunal Superior do Trabalho e da Súmula n.º 225 do Supremo Tribunal
Federal.
2. O fato de o empregador ter descumprido a sua obrigação de
proceder ao registro do empregado no prazo devido, tendo o feito tão-somente
extemporaneamente e por força de ordem judicial, não tem o condão de
afastar a veracidade da inscrição. Para ocorrência dessa hipótese, seria
imperioso a demonstração de que houve conluio entre as partes no processo
trabalhista, no intuito de forjar a existência da relação de emprego.
3. Não há falar em prejuízo para a autarquia, uma vez que, a teor do
art. 114, § 3º, da Constituição Federal, a própria Justiça do Trabalho executa ex
officio as contribuições previdenciárias relativas ao período reconhecido na
sentença por ela prolatada.
4. Os juros de mora, nas ações previdenciárias, fluem a partir da
citação no percentual de 1% a.m. Precedentes do STJ.
5. Recurso especial parcialmente conhecido e, nessa parte, provido.
VOTO
EXMA. SRA. MINISTRA LAURITA VAZ (RELATORA):
As anotações feita na Carteira de Trabalho e Previdência Social gozam de
presunção juris tantum, consoante preconiza o Enunciado n.º 12 do Tribunal Superior do
Trabalho e da Súmula n.º 225 do Supremo Tribunal Federal.
A propósito:
"CARTEIRA DE TRABALHO - Essa carteira profissional é a prova,
por excelência, do contrato de trabalho. Sua falta não impede, entretanto, que
ela se realize por outros meios. As anotações feitas pelo empregador, ou por
quem legitimamente o representa, na carteira do empregado, geram contra
este uma presunção juris tantum. O princípio geral de que a ninguém é dado
criar uma prova em proveito próprio sofre, no caso, uma atenuação pelo fato
de ser o teor das anotações do conhecimento presumido do empregado. Não
tendo, desde logo, reclamado contra elas, presumem-se verdadeiras."
(MARANHÃO, DÉLIO. Instituições de Direito do Trabalho. 12ª Edição. Ed.
LTR. São Paulo, pp. 245/246).
Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 3 de 6
Superior Tribunal de Justiça
"As presunções legais, assim chamadas as que se originam do direito
positivo, dividem-se em duas classes: absolutas e relativas. As absolutas -
'juris et de jure' - não admitem prova em contrário. Sua validade é mantida
até o instante em que outros elementos de prova, mais poderosos e mais
convincentes, vêm a esmagá-la.
[...]
A jurisprudência - há até súmulas do Supremo Tribunal Federal e do
Tribunal Superior do Trabalho - já cristalizou a tese de que tal anotação tem
um relativo valor probante. Observamos, porém, que no caso de anulação do
registro da CTPS ser postulado pelo empregador, a Justiça há de apoiar-se
em provas sólidas e inequívocas. Simples indícios ou elementos
circunstanciais serão insuficientes." (SAAD, EDUARDO GABRIEL.
Consolidação das Leis do Trabalho Comentada. 34ª Edição, LTR Editora, São
Paulo, p. 68)
O fato de o empregador ter descumprido a sua obrigação de proceder ao
registro do empregado no prazo devido, tendo o feito tão-somente extemporaneamente e por
força de ordem judicial, não tem o condão de afastar a veracidade da inscrição. Para
ocorrência dessa hipótese, seria imperioso a demonstração de que houve conluio entre as
partes no processo trabalhista, no intuito de forjar a existência da relação de emprego.
Ademais, não há falar em prejuízo para a autarquia, uma vez que, a teor do art.
114, § 3º, da Constituição Federal, a própria Justiça do Trabalho executa ex officio as
contribuições previdenciárias relativas ao período reconhecido na sentença por ela prolatada.
Outrossim, a jurisprudência desta Corte é firme no sentido de que a incidência
de juros de mora se dá à razão de 1% ao mês em se tratando de benefício previdenciário, em
face de sua natureza alimentar, conforme o disposto no art. 3º do Decreto-lei n.º 2.322/87.
Por outro lado, contudo, fluem apenas a partir da citação válida, e não da
constituição do débito, conforme se pode depreender do enunciado da Súmula n.º 204 desta
Corte, in verbis:
"Os juros de mora nas ações relativas a benefícios previdenciários
incidem a partir da citação válida."
A propósito:
"PREVIDENCIÁRIO. FALTA DE PREQUESTIONAMENTO.
EMBARGOS DECLARATÓRIOS. SÚMULAS 282 E 356 DO STF. TRABALHO
RURAL. PROVA. REEXAME. SÚMULA 07/STJ. JUROS DE MORA.
INCIDÊNCIA. PERCENTUAL. TERMO INICIAL. O IPC DE JANEIRO DE
1989 É DE 42,72%.
1. Nos termos do mais recente pronunciamento da Corte Especial
deste Tribunal, ainda que a questão federal surja no acórdão recorrido, é
Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 4 de 6
Superior Tribunal de Justiça
imprescindível a oposição de embargos declaratórios, com vistas ao
prequestionamento. (Súmula 282 e 356, do STF).
2. A verificação de início de prova material, ensejadora da concessão
do benefício de aposentadoria por idade rural, requer a reapreciação do
conjunto fático-probatório dos autos, que não pode ser objeto de recurso
especial, nos termos da súmula 7-STJ.
3. É entendimento desta Corte que os juros de mora, nas ações
previdenciárias, incidem a partir da citação, à razão de 1,0% ao mês.
Aplicação da súmula 204-STJ. Precedentes.
4. O percentual do índice do IPC de janeiro de 1989 é de 42,72%.
Precedentes.
5. Recurso conhecido em parte e, nesta extensão, provido." ( REsp n.º
396.785/CE, rel. Min. FERNANDO GONÇALVES, Sexta Turma, DJ de
05/08/2002.)
"PROCESSUAL CIVIL. RURÍCOLA. INÍCIO DE PROVA
MATERIAL. LEI 6899/81. JUROS DE MORA. TERMO INICIAL DE
INCIDÊNCIA. SÚMULA 204/STJ. CORREÇÃO MONETÁRIA. IPC DE
JANEIRO DE 1989.
1. O Acórdão recorrido decidiu pela concessão do benefício
previdenciário considerando, além da prova testemunhal realizada, toda a
documentação carreada aos autos. A esta Corte não cabe rever provas –
Súmula 07/STJ.
2. Aplica-se a Lei 6899/81 desde quando devida a obrigação.
3. Os juros de mora, nas ações previdenciárias, incidem a partir da
citação válida – Súmula 204/STJ.
4. O percentual do índice do IPC de janeiro/89 é de 42,72%.
5. Recurso parcialmente conhecido, e, parcialmente provido." (REsp
n.º 389.873/CE, rel. Min. EDSON VIDIGAL, Quinta Turma, DJ de
22/04/2002.)
Ante o exposto, CONHEÇO PARCIALMENTE do recurso especial e, nessa
parte, DOU-LHE PROVIMENTO tão-somente para determinar que os juros de mora fluam a
partir da citação.
É o voto.
MINISTRA LAURITA VAZ
Relatora
Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 5 de 6
Superior Tribunal de Justiça
CERTIDÃO DE JULGAMENTO
QUINTA TURMA
Número Registro: 2003/0014871-2 RESP 495237 / CE
Número Origem: 200105000055755
PAUTA: 28/10/2003 JULGADO: 28/10/2003
Relatora
Exma. Sra. Ministra LAURITA VAZ
Presidente da Sessão
Exmo. Sr. Ministro GILSON DIPP
Subprocurador-Geral da República
Exmo. Sr. Dr. ALCIDES MARTINS
Secretário
Bel. LAURO ROCHA REIS
AUTUAÇÃO
RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS
PROCURADOR : CLÁUDIA CHRISTINA SANTOS RODRIGUES DE LIMA E OUTROS
RECORRIDO : JOSÉ HELDER APOLIANO GOMES
ADVOGADO : FRANCISCO JOSÉ GOMES DA SILVA
ASSUNTO: Previdenciário - Benefícios - Aposentadoria - Contagem do tempo de serviço
CERTIDÃO
Certifico que a egrégia QUINTA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão
realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:
"A Turma, por unanimidade, conheceu parcialmente do recurso e, nessa parte, deu-lhe
provimento, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator."
Os Srs. Ministros José Arnaldo da Fonseca, Felix Fischer, Gilson Dipp e Jorge Scartezzini
votaram com a Sra. Ministra Relatora.
O referido é verdade. Dou fé.
Brasília, 28 de outubro de 2003
LAURO ROCHA REIS
Secretário
Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 6 de 6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Acordao 0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodrigues
Acordao   0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodriguesAcordao   0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodrigues
Acordao 0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodrigues
Fabio Motta
 
Sentenã‡a
Sentenã‡aSentenã‡a
Sentenã‡a
Fabio Motta
 
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaTRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Fabio Motta
 
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaSentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Fabio Motta
 
Sentença procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)
Sentença   procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)Sentença   procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)
Sentença procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)
fabiomotta747
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1
Fabio Motta
 
Desaposentação acórdão em agravo legal
Desaposentação acórdão em agravo legalDesaposentação acórdão em agravo legal
Desaposentação acórdão em agravo legal
Fabio Motta
 
Fator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedenteFator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedente
Fabio Motta
 
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
Fabio Motta
 
527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882
527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882
527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882
Fabio Motta
 
Texto 4270255
Texto 4270255Texto 4270255
Texto 4270255
Fabio Motta
 
Desaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipadaDesaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipada
Fabio Motta
 
Stf melhor benefício
Stf   melhor benefícioStf   melhor benefício
Stf melhor benefício
Fabio Motta
 
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Fabio Motta
 
Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...
Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...
Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...
Waldemar Ramos Junior
 
Acordao 19766-2010-7
Acordao 19766-2010-7Acordao 19766-2010-7
Acordao 19766-2010-7
Antonio Correia
 
Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...
Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...
Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...
Waldemar Ramos Junior
 
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RSDecisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Fabio Motta
 
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
Fabio Motta
 
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
Fabio Motta
 

Mais procurados (20)

Acordao 0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodrigues
Acordao   0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodriguesAcordao   0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodrigues
Acordao 0509565-70.2012.4.05.8200 s joel rodrigues
 
Sentenã‡a
Sentenã‡aSentenã‡a
Sentenã‡a
 
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaTRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
 
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaSentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
 
Sentença procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)
Sentença   procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)Sentença   procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)
Sentença procedência -Desaposentação 25/06/2013 - santa catarina (1)
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1
 
Desaposentação acórdão em agravo legal
Desaposentação acórdão em agravo legalDesaposentação acórdão em agravo legal
Desaposentação acórdão em agravo legal
 
Fator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedenteFator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedente
 
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
 
527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882
527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882
527b8bcbea03372144cbcbfafe9e4882
 
Texto 4270255
Texto 4270255Texto 4270255
Texto 4270255
 
Desaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipadaDesaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipada
 
Stf melhor benefício
Stf   melhor benefícioStf   melhor benefício
Stf melhor benefício
 
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
 
Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...
Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...
Sentença determinando o enquadramento de atividade especial (ruído) e a conce...
 
Acordao 19766-2010-7
Acordao 19766-2010-7Acordao 19766-2010-7
Acordao 19766-2010-7
 
Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...
Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...
Acórdão determinando a concessão do benefício de Auxílio-Acidente - Waldemar ...
 
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RSDecisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
 
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
 
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
 

Destaque

previdência social
previdência socialprevidência social
Trabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional III
Trabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional IIITrabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional III
Trabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional III
Kleiton Barbosa
 
Previdência Social
Previdência SocialPrevidência Social
Previdência Social
George Maia
 
Previdência Social
Previdência SocialPrevidência Social
Previdência Social
Andressa Souza
 
Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2
Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2
Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2
Breados Online
 
Historico da previdência profº leandro
Historico da previdência  profº leandroHistorico da previdência  profº leandro
Historico da previdência profº leandro
Fabio Lucio
 
Modelo de Capa de Trabalho Acadêmico Simples
Modelo de Capa de Trabalho Acadêmico SimplesModelo de Capa de Trabalho Acadêmico Simples
Modelo de Capa de Trabalho Acadêmico Simples
Carolina Luz
 
O que é o SUS?
O que é o SUS?O que é o SUS?
O que é o SUS?
MovSaúde Divinópolis
 
Apresentação sus
Apresentação susApresentação sus
Apresentação sus
ismar26
 
Princípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do susPrincípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do sus
Marcos Nery
 
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e OrganizacionaisAula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Rogério de Mesquita Spínola
 
Resumo INSS Informática
Resumo INSS InformáticaResumo INSS Informática
Resumo INSS Informática
Victor Dalton
 
Apostila inss
Apostila inssApostila inss
Apostila inss
Henrique Silva
 
spiritology card (1) (1)
spiritology card (1) (1)spiritology card (1) (1)
spiritology card (1) (1)Georges Harb
 
Los valores y mi vereda los pinos
Los valores y mi vereda los pinosLos valores y mi vereda los pinos
Los valores y mi vereda los pinos
ermelcarano
 
Bienvenidos a bordo nov 2013
Bienvenidos a bordo nov 2013Bienvenidos a bordo nov 2013
Bienvenidos a bordo nov 2013
caoryates2014
 
Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014
Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014
Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014
e27
 
Global CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United States
Global CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United StatesGlobal CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United States
Global CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United States
Global CCS Institute
 
¿Solter@ de nuevo?
¿Solter@ de nuevo?¿Solter@ de nuevo?
¿Solter@ de nuevo?
Psico Ayuda
 
Use of co curriculam activites
Use of co curriculam activitesUse of co curriculam activites
Use of co curriculam activites
13023901-016
 

Destaque (20)

previdência social
previdência socialprevidência social
previdência social
 
Trabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional III
Trabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional IIITrabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional III
Trabalho de previdência social e assistência social - Direito Constitucional III
 
Previdência Social
Previdência SocialPrevidência Social
Previdência Social
 
Previdência Social
Previdência SocialPrevidência Social
Previdência Social
 
Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2
Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2
Slide reforma da previdência e direitos trabalhistas 2
 
Historico da previdência profº leandro
Historico da previdência  profº leandroHistorico da previdência  profº leandro
Historico da previdência profº leandro
 
Modelo de Capa de Trabalho Acadêmico Simples
Modelo de Capa de Trabalho Acadêmico SimplesModelo de Capa de Trabalho Acadêmico Simples
Modelo de Capa de Trabalho Acadêmico Simples
 
O que é o SUS?
O que é o SUS?O que é o SUS?
O que é o SUS?
 
Apresentação sus
Apresentação susApresentação sus
Apresentação sus
 
Princípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do susPrincípios e diretrizes do sus
Princípios e diretrizes do sus
 
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e OrganizacionaisAula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
 
Resumo INSS Informática
Resumo INSS InformáticaResumo INSS Informática
Resumo INSS Informática
 
Apostila inss
Apostila inssApostila inss
Apostila inss
 
spiritology card (1) (1)
spiritology card (1) (1)spiritology card (1) (1)
spiritology card (1) (1)
 
Los valores y mi vereda los pinos
Los valores y mi vereda los pinosLos valores y mi vereda los pinos
Los valores y mi vereda los pinos
 
Bienvenidos a bordo nov 2013
Bienvenidos a bordo nov 2013Bienvenidos a bordo nov 2013
Bienvenidos a bordo nov 2013
 
Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014
Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014
Why online advertising is not a dirty word - Echelon 2014
 
Global CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United States
Global CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United StatesGlobal CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United States
Global CCS Institute - Day 2 - Keynote - CCUS in the United States
 
¿Solter@ de nuevo?
¿Solter@ de nuevo?¿Solter@ de nuevo?
¿Solter@ de nuevo?
 
Use of co curriculam activites
Use of co curriculam activitesUse of co curriculam activites
Use of co curriculam activites
 

Semelhante a Acórdão reconhecimento vínculo na justiça trabalhista para aposentadoria

Agravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Agravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas GeraisAgravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Agravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Marcelo Auler
 
Agravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MG
Agravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MGAgravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MG
Agravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MG
Marcelo Auler
 
Decisão STF no caso dos RPVPrecatório
Decisão STF no caso dos RPVPrecatórioDecisão STF no caso dos RPVPrecatório
Decisão STF no caso dos RPVPrecatório
Fabio Motta
 
Mandado de segurança
Mandado de segurançaMandado de segurança
Mandado de segurança
PrLinaldo Junior
 
Mandado de segurança
Mandado de segurançaMandado de segurança
Mandado de segurança
PrLinaldo Junior
 
Jurisprudência stj resp
Jurisprudência stj respJurisprudência stj resp
Jurisprudência stj resp
MarcioAdv
 
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasDívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
romeromelosilva
 
Ata
AtaAta
Justiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MG
Justiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MGJustiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MG
Justiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MG
Luiz F T Siqueira
 
Agravo em Recurso Especial - 405.682
Agravo em Recurso Especial - 405.682Agravo em Recurso Especial - 405.682
Agravo em Recurso Especial - 405.682
Ministério Público de Santa Catarina
 
Incidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdf
Incidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdfIncidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdf
Incidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdf
José Cláudio Nunes Medeiros
 
Ag rg no ms 695143
Ag rg no ms 695143Ag rg no ms 695143
Ag rg no ms 695143
kduferraro
 
Recurso especial - 1.377.340
Recurso especial - 1.377.340Recurso especial - 1.377.340
Recurso especial - 1.377.340
Ministério Público de Santa Catarina
 
Neto x Santa Cruz
Neto x Santa CruzNeto x Santa Cruz
Neto x Santa Cruz
Blog do Torcedor/JC Online
 
001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf
001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf
001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf
Paulo Roberto
 
Decisão liminar albertino souza x santa cruz
Decisão liminar   albertino souza x santa cruzDecisão liminar   albertino souza x santa cruz
Decisão liminar albertino souza x santa cruz
Wladmir Paulino
 
Cel vivaldo
Cel vivaldoCel vivaldo
Apelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processoApelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processo
Informa Jurídico
 
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC 2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
Consultor JRSantana
 
1188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 21188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 2
Consultor JRSantana
 

Semelhante a Acórdão reconhecimento vínculo na justiça trabalhista para aposentadoria (20)

Agravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Agravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas GeraisAgravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Agravo Instrumento junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
 
Agravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MG
Agravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MGAgravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MG
Agravo de Instrumento Ajuizado no Tribunal de Justiça de MG
 
Decisão STF no caso dos RPVPrecatório
Decisão STF no caso dos RPVPrecatórioDecisão STF no caso dos RPVPrecatório
Decisão STF no caso dos RPVPrecatório
 
Mandado de segurança
Mandado de segurançaMandado de segurança
Mandado de segurança
 
Mandado de segurança
Mandado de segurançaMandado de segurança
Mandado de segurança
 
Jurisprudência stj resp
Jurisprudência stj respJurisprudência stj resp
Jurisprudência stj resp
 
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasDívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
 
Ata
AtaAta
Ata
 
Justiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MG
Justiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MGJustiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MG
Justiça do Trabalho - Honorários advocatícios - Indenização - TRT/MG
 
Agravo em Recurso Especial - 405.682
Agravo em Recurso Especial - 405.682Agravo em Recurso Especial - 405.682
Agravo em Recurso Especial - 405.682
 
Incidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdf
Incidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdfIncidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdf
Incidente de Uniformização_2 turma recursal ES.pdf
 
Ag rg no ms 695143
Ag rg no ms 695143Ag rg no ms 695143
Ag rg no ms 695143
 
Recurso especial - 1.377.340
Recurso especial - 1.377.340Recurso especial - 1.377.340
Recurso especial - 1.377.340
 
Neto x Santa Cruz
Neto x Santa CruzNeto x Santa Cruz
Neto x Santa Cruz
 
001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf
001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf
001 - KEILA ALVES DOS SANTOS - APELAÇAO (2020_06_10 16_48_24 UTC).pdf
 
Decisão liminar albertino souza x santa cruz
Decisão liminar   albertino souza x santa cruzDecisão liminar   albertino souza x santa cruz
Decisão liminar albertino souza x santa cruz
 
Cel vivaldo
Cel vivaldoCel vivaldo
Cel vivaldo
 
Apelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processoApelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processo
 
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC 2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
 
1188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 21188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 2
 

Mais de Waldemar Ramos Junior

Efeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos Junior
Efeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos JuniorEfeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos Junior
Efeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos Junior
Waldemar Ramos Junior
 
5 dicas para obter a aposentadoria
5 dicas para obter a aposentadoria5 dicas para obter a aposentadoria
5 dicas para obter a aposentadoria
Waldemar Ramos Junior
 
Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...
Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...
Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...
Waldemar Ramos Junior
 
Aprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos Junior
Aprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos JuniorAprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos Junior
Aprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos Junior
Waldemar Ramos Junior
 
Dossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos Junior
Dossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos JuniorDossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos Junior
Dossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos Junior
Waldemar Ramos Junior
 
Manual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos Junior
Manual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos JuniorManual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos Junior
Manual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos Junior
Waldemar Ramos Junior
 
O que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSS
O que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSSO que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSS
O que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSS
Waldemar Ramos Junior
 
Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...
Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...
Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...
Waldemar Ramos Junior
 
Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...
Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...
Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...
Waldemar Ramos Junior
 
Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...
Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...
Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...
Waldemar Ramos Junior
 
O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...
O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...
O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...
Waldemar Ramos Junior
 
Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...
Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...
Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...
Waldemar Ramos Junior
 
Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...
Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...
Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...
Waldemar Ramos Junior
 
Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...
Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...
Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...
Waldemar Ramos Junior
 
Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...
Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...
Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...
Waldemar Ramos Junior
 
Acórdão possibilidade de conversão de período especial após 1998
Acórdão   possibilidade de conversão de período especial após 1998Acórdão   possibilidade de conversão de período especial após 1998
Acórdão possibilidade de conversão de período especial após 1998
Waldemar Ramos Junior
 
Acórdão não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...
Acórdão   não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...Acórdão   não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...
Acórdão não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...
Waldemar Ramos Junior
 
Acórdão exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...
Acórdão   exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...Acórdão   exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...
Acórdão exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...
Waldemar Ramos Junior
 
Sentença Eliane Azevedo - Depoimento
Sentença   Eliane Azevedo - DepoimentoSentença   Eliane Azevedo - Depoimento
Sentença Eliane Azevedo - Depoimento
Waldemar Ramos Junior
 
Sentença Davi de Jesus - Depoimento
Sentença   Davi de Jesus - DepoimentoSentença   Davi de Jesus - Depoimento
Sentença Davi de Jesus - Depoimento
Waldemar Ramos Junior
 

Mais de Waldemar Ramos Junior (20)

Efeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos Junior
Efeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos JuniorEfeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos Junior
Efeitos do auxílio-doença no contrato de trabalho - Waldemar Ramos Junior
 
5 dicas para obter a aposentadoria
5 dicas para obter a aposentadoria5 dicas para obter a aposentadoria
5 dicas para obter a aposentadoria
 
Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...
Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...
Parecer sobre a especialidade do médico perito para realizar a perícia médica...
 
Aprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos Junior
Aprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos JuniorAprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos Junior
Aprovação da reforma trabalhista principais pontos - Waldemar Ramos Junior
 
Dossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos Junior
Dossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos JuniorDossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos Junior
Dossie reforma trabalhista - Waldemar Ramos Junior
 
Manual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos Junior
Manual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos JuniorManual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos Junior
Manual pericia medica da previdencia social - Waldemar Ramos Junior
 
O que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSS
O que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSSO que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSS
O que fazer quando a empresa não reintegra o trabalhador após alta do INSS
 
Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...
Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...
Demissão por justa causa e ação judicial cabível para reverter ou anular esse...
 
Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...
Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...
Acidente do trabalho e os direitos garantidos aos trabalhadores que são vítim...
 
Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...
Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...
Acréscimo de 25% no valor de qualquer aposentadoria foi o objeto dessa aprese...
 
O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...
O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...
O resultado de um laudo pericial judicial vincula o juiz a proferir uma decis...
 
Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...
Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...
Tese sobre a possibilidade do segurado receber o benefício de auxílio-acident...
 
Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...
Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...
Descubra como é possível transformar a aposentadoria por invalidez em aposent...
 
Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...
Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...
Para realizar a perícia médica o perito do INSS ou o perito judicial devem se...
 
Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...
Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...
Sentença que determinou o cancelamento de cobrança de valores recebidos a t...
 
Acórdão possibilidade de conversão de período especial após 1998
Acórdão   possibilidade de conversão de período especial após 1998Acórdão   possibilidade de conversão de período especial após 1998
Acórdão possibilidade de conversão de período especial após 1998
 
Acórdão não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...
Acórdão   não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...Acórdão   não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...
Acórdão não aplicação fator previdenciário aposentadoria especial enquadram...
 
Acórdão exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...
Acórdão   exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...Acórdão   exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...
Acórdão exclusão do fator previdenciário. utilização da expectativa de vida...
 
Sentença Eliane Azevedo - Depoimento
Sentença   Eliane Azevedo - DepoimentoSentença   Eliane Azevedo - Depoimento
Sentença Eliane Azevedo - Depoimento
 
Sentença Davi de Jesus - Depoimento
Sentença   Davi de Jesus - DepoimentoSentença   Davi de Jesus - Depoimento
Sentença Davi de Jesus - Depoimento
 

Acórdão reconhecimento vínculo na justiça trabalhista para aposentadoria

  • 1. Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 495.237 - CE (2003/0014871-2) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : CLÁUDIA CHRISTINA SANTOS RODRIGUES DE LIMA E OUTROS RECORRIDO : JOSÉ HELDER APOLIANO GOMES ADVOGADO : FRANCISCO JOSÉ GOMES DA SILVA EMENTA PREVIDENCIÁRIO E TRABALHISTA. CARTEIRA PROFISSIONAL. ANOTAÇÕES FEITAS POR ORDEM JUDICIAL. PRESUNÇÃO RELATIVA DE VERACIDADE. ENUNCIADO N.º 12 DO TST E SÚMULA N.º 225 DO STF. JUROS DE MORA. PERCENTUAL DE 1% A.M. FLUÊNCIA A PARTIR DA CITAÇÃO. 1. As anotações feita na Carteira de Trabalho e Previdência Social gozam de presunção juris tantum, consoante preconiza o Enunciado n.º 12 do Tribunal Superior do Trabalho e da Súmula n.º 225 do Supremo Tribunal Federal. 2. O fato de o empregador ter descumprido a sua obrigação de proceder ao registro do empregado no prazo devido, tendo o feito tão-somente extemporaneamente e por força de ordem judicial, não tem o condão de afastar a veracidade da inscrição. Para ocorrência dessa hipótese, seria imperioso a demonstração de que houve conluio entre as partes no processo trabalhista, no intuito de forjar a existência da relação de emprego. 3. Não há falar em prejuízo para a autarquia, uma vez que, a teor do art. 114, § 3º, da Constituição Federal, a própria Justiça do Trabalho executa ex officio as contribuições previdenciárias relativas ao período reconhecido na sentença por ela prolatada. 4. Os juros de mora, nas ações previdenciárias, fluem a partir da citação no percentual de 1% a.m. Precedentes do STJ. 5. Recurso especial parcialmente conhecido e, nessa parte, provido. ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos, acordam os Ministros da QUINTA TURMA do Superior Tribunal de Justiça, na conformidade dos votos e das notas taquigráficas a seguir, por unanimidade, conhecer parcialmente do recurso e, nessa parte, dar-lhe provimento, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros José Arnaldo da Fonseca, Felix Fischer, Gilson Dipp e Jorge Scartezzini votaram com a Sra. Ministra Relatora. Brasília (DF), 28 de outubro de 2003(Data do Julgamento) MINISTRA LAURITA VAZ Relatora Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 1 de 6
  • 2. Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 495.237 - CE (2003/0014871-2) RELATÓRIO EXMA. SRA. MINISTRA LAURITA VAZ (RELATORA): Trata-se de recurso especial interposto pelo INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS, com fundamento nas alíneas a e c do permissivo constitucional, em face de acórdão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região assim ementado, in verbis: "PROCESSUAL CIVIL. PREVIDENCIÁRIO. AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO PRESTADO NA QUALIDADE DE TRABALHADOR URBANO. PROVA DOCUMENTAL. DECISÃO JUDICIAL TRABALHISTA. VALIDADE. 1. Cabe a autarquia, pessoa pública integrante da estrutura administrativa da União, assegurar o direito social do indivíduo, no amparo e reconhecimento dos seus direitos subjetivos, principalmente no que se refere à contagem recíproca do tempo de contribuição na administração pública e na atividade privada, rural e urbana. 2. Provam-se os fatos controvertidos, relevantes e os fatos determinados e a existência de tais fatos jamais pode ser relegada devendo ser apurado, por qualquer meio de prova permitido, desde que lícito, uma vez a lei não hierarquiza entre os meios de prova. 3. In casu, inquestionável apresenta-se o tempo de serviço reconhecido em decisão judicial trânsito em julgado quando se reconheceu judicialmente em sentença trânsito em julgado que o autor, efetivamente trabalhou o tempo falado no presente mandamus e o exercício do serviço por tal período é condição para insurgir ao seu favor o direito previdenciário pleiteado, não há como negar-lhe tal direito. 4. Remessa oficial improvida." (fl. 100) Sustenta o Recorrente violação ao art. 472 do Código de Processo Civil e ao art. 55, § 3º, da Lei n.º 8.213/91, sustentando que não pode ser obrigado a reconhecer o tempo de serviço anotado na Carteira de Trabalho e Previdência Social por força de decisão proferida em ação trabalhista em que não houve produção de prova material. Argúi, ainda, afronta aos arts. 1.062 e 1.536, § 2º, do Código Civil, ao art. 1º da Lei n.º 4.414/64, e ao art. 1º, § 2º, da Lei n.º 6.899/81, bem como dissenso pretoriano, asseverando que juros moratórios devem fluir no percentual de 0,5% a.m, a partir da citação. Sem contra-razões e, admitido o recurso na origem, ascenderam os autos a esta Corte. É o relatório. Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 2 de 6
  • 3. Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 495.237 - CE (2003/0014871-2) EMENTA PREVIDENCIÁRIO E TRABALHISTA. CARTEIRA PROFISSIONAL. ANOTAÇÕES FEITAS POR ORDEM JUDICIAL. PRESUNÇÃO RELATIVA DE VERACIDADE. ENUNCIADO N.º 12 DO TST E SÚMULA N.º 225 DO STF. JUROS DE MORA. PERCENTUAL DE 1% A.M. FLUÊNCIA A PARTIR DA CITAÇÃO. 1. As anotações feita na Carteira de Trabalho e Previdência Social gozam de presunção juris tantum, consoante preconiza o Enunciado n.º 12 do Tribunal Superior do Trabalho e da Súmula n.º 225 do Supremo Tribunal Federal. 2. O fato de o empregador ter descumprido a sua obrigação de proceder ao registro do empregado no prazo devido, tendo o feito tão-somente extemporaneamente e por força de ordem judicial, não tem o condão de afastar a veracidade da inscrição. Para ocorrência dessa hipótese, seria imperioso a demonstração de que houve conluio entre as partes no processo trabalhista, no intuito de forjar a existência da relação de emprego. 3. Não há falar em prejuízo para a autarquia, uma vez que, a teor do art. 114, § 3º, da Constituição Federal, a própria Justiça do Trabalho executa ex officio as contribuições previdenciárias relativas ao período reconhecido na sentença por ela prolatada. 4. Os juros de mora, nas ações previdenciárias, fluem a partir da citação no percentual de 1% a.m. Precedentes do STJ. 5. Recurso especial parcialmente conhecido e, nessa parte, provido. VOTO EXMA. SRA. MINISTRA LAURITA VAZ (RELATORA): As anotações feita na Carteira de Trabalho e Previdência Social gozam de presunção juris tantum, consoante preconiza o Enunciado n.º 12 do Tribunal Superior do Trabalho e da Súmula n.º 225 do Supremo Tribunal Federal. A propósito: "CARTEIRA DE TRABALHO - Essa carteira profissional é a prova, por excelência, do contrato de trabalho. Sua falta não impede, entretanto, que ela se realize por outros meios. As anotações feitas pelo empregador, ou por quem legitimamente o representa, na carteira do empregado, geram contra este uma presunção juris tantum. O princípio geral de que a ninguém é dado criar uma prova em proveito próprio sofre, no caso, uma atenuação pelo fato de ser o teor das anotações do conhecimento presumido do empregado. Não tendo, desde logo, reclamado contra elas, presumem-se verdadeiras." (MARANHÃO, DÉLIO. Instituições de Direito do Trabalho. 12ª Edição. Ed. LTR. São Paulo, pp. 245/246). Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 3 de 6
  • 4. Superior Tribunal de Justiça "As presunções legais, assim chamadas as que se originam do direito positivo, dividem-se em duas classes: absolutas e relativas. As absolutas - 'juris et de jure' - não admitem prova em contrário. Sua validade é mantida até o instante em que outros elementos de prova, mais poderosos e mais convincentes, vêm a esmagá-la. [...] A jurisprudência - há até súmulas do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior do Trabalho - já cristalizou a tese de que tal anotação tem um relativo valor probante. Observamos, porém, que no caso de anulação do registro da CTPS ser postulado pelo empregador, a Justiça há de apoiar-se em provas sólidas e inequívocas. Simples indícios ou elementos circunstanciais serão insuficientes." (SAAD, EDUARDO GABRIEL. Consolidação das Leis do Trabalho Comentada. 34ª Edição, LTR Editora, São Paulo, p. 68) O fato de o empregador ter descumprido a sua obrigação de proceder ao registro do empregado no prazo devido, tendo o feito tão-somente extemporaneamente e por força de ordem judicial, não tem o condão de afastar a veracidade da inscrição. Para ocorrência dessa hipótese, seria imperioso a demonstração de que houve conluio entre as partes no processo trabalhista, no intuito de forjar a existência da relação de emprego. Ademais, não há falar em prejuízo para a autarquia, uma vez que, a teor do art. 114, § 3º, da Constituição Federal, a própria Justiça do Trabalho executa ex officio as contribuições previdenciárias relativas ao período reconhecido na sentença por ela prolatada. Outrossim, a jurisprudência desta Corte é firme no sentido de que a incidência de juros de mora se dá à razão de 1% ao mês em se tratando de benefício previdenciário, em face de sua natureza alimentar, conforme o disposto no art. 3º do Decreto-lei n.º 2.322/87. Por outro lado, contudo, fluem apenas a partir da citação válida, e não da constituição do débito, conforme se pode depreender do enunciado da Súmula n.º 204 desta Corte, in verbis: "Os juros de mora nas ações relativas a benefícios previdenciários incidem a partir da citação válida." A propósito: "PREVIDENCIÁRIO. FALTA DE PREQUESTIONAMENTO. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. SÚMULAS 282 E 356 DO STF. TRABALHO RURAL. PROVA. REEXAME. SÚMULA 07/STJ. JUROS DE MORA. INCIDÊNCIA. PERCENTUAL. TERMO INICIAL. O IPC DE JANEIRO DE 1989 É DE 42,72%. 1. Nos termos do mais recente pronunciamento da Corte Especial deste Tribunal, ainda que a questão federal surja no acórdão recorrido, é Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 4 de 6
  • 5. Superior Tribunal de Justiça imprescindível a oposição de embargos declaratórios, com vistas ao prequestionamento. (Súmula 282 e 356, do STF). 2. A verificação de início de prova material, ensejadora da concessão do benefício de aposentadoria por idade rural, requer a reapreciação do conjunto fático-probatório dos autos, que não pode ser objeto de recurso especial, nos termos da súmula 7-STJ. 3. É entendimento desta Corte que os juros de mora, nas ações previdenciárias, incidem a partir da citação, à razão de 1,0% ao mês. Aplicação da súmula 204-STJ. Precedentes. 4. O percentual do índice do IPC de janeiro de 1989 é de 42,72%. Precedentes. 5. Recurso conhecido em parte e, nesta extensão, provido." ( REsp n.º 396.785/CE, rel. Min. FERNANDO GONÇALVES, Sexta Turma, DJ de 05/08/2002.) "PROCESSUAL CIVIL. RURÍCOLA. INÍCIO DE PROVA MATERIAL. LEI 6899/81. JUROS DE MORA. TERMO INICIAL DE INCIDÊNCIA. SÚMULA 204/STJ. CORREÇÃO MONETÁRIA. IPC DE JANEIRO DE 1989. 1. O Acórdão recorrido decidiu pela concessão do benefício previdenciário considerando, além da prova testemunhal realizada, toda a documentação carreada aos autos. A esta Corte não cabe rever provas – Súmula 07/STJ. 2. Aplica-se a Lei 6899/81 desde quando devida a obrigação. 3. Os juros de mora, nas ações previdenciárias, incidem a partir da citação válida – Súmula 204/STJ. 4. O percentual do índice do IPC de janeiro/89 é de 42,72%. 5. Recurso parcialmente conhecido, e, parcialmente provido." (REsp n.º 389.873/CE, rel. Min. EDSON VIDIGAL, Quinta Turma, DJ de 22/04/2002.) Ante o exposto, CONHEÇO PARCIALMENTE do recurso especial e, nessa parte, DOU-LHE PROVIMENTO tão-somente para determinar que os juros de mora fluam a partir da citação. É o voto. MINISTRA LAURITA VAZ Relatora Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 5 de 6
  • 6. Superior Tribunal de Justiça CERTIDÃO DE JULGAMENTO QUINTA TURMA Número Registro: 2003/0014871-2 RESP 495237 / CE Número Origem: 200105000055755 PAUTA: 28/10/2003 JULGADO: 28/10/2003 Relatora Exma. Sra. Ministra LAURITA VAZ Presidente da Sessão Exmo. Sr. Ministro GILSON DIPP Subprocurador-Geral da República Exmo. Sr. Dr. ALCIDES MARTINS Secretário Bel. LAURO ROCHA REIS AUTUAÇÃO RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : CLÁUDIA CHRISTINA SANTOS RODRIGUES DE LIMA E OUTROS RECORRIDO : JOSÉ HELDER APOLIANO GOMES ADVOGADO : FRANCISCO JOSÉ GOMES DA SILVA ASSUNTO: Previdenciário - Benefícios - Aposentadoria - Contagem do tempo de serviço CERTIDÃO Certifico que a egrégia QUINTA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão: "A Turma, por unanimidade, conheceu parcialmente do recurso e, nessa parte, deu-lhe provimento, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator." Os Srs. Ministros José Arnaldo da Fonseca, Felix Fischer, Gilson Dipp e Jorge Scartezzini votaram com a Sra. Ministra Relatora. O referido é verdade. Dou fé. Brasília, 28 de outubro de 2003 LAURO ROCHA REIS Secretário Documento: 436981 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 24/11/2003 Página 6 de 6