SlideShare uma empresa Scribd logo
Ensino Médio
AS MUITAS LINGUAGENS
DA ARTE CONTEMPORÂNEA

                 Por
       Elisa B. Herrera Peres
    Professora de Artes Visuais

                                  1
Além da Op Art e da Pop Art, na segunda metade do
século XX desenvolveram-se inúmeras tendências
artísticas. Por isso, em vez de descrever as características
de cada tendência, destacamos o trabalho de alguns
artistas: os norte-americanos:
               Edward Hopper (1882-1967)
                David Smith (1906-1965)
                George Segal (1924-2000)
                Donald Judd (1928-1994)
                    Bill Viola (1951)
            Jean-Michel Basquiat (1960-1988)
                                                           2
Os alemães: Josef Beuys (1921-1986) e Frank
             Auerbach (1931);

    O búlgaro: Javacheff Christo (1935);

  O colombiano: Fernando Botero (1932);

      O indiano: Anish Kapor (1954);

        O inglês: Tony Cragg (1949)

   E a francesa: Louise Bourgeois (1911)
                                              3
 Performance

     Instalação

    Land Art ou Arte

        ambiental

 INTERFERÊNCIAS

                        4

Recomendado para você

NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro

O documento resume a arte moderna no Brasil, especificamente o Neoconcretismo. Descreve os principais grupos da época como o Grupo Ruptura em São Paulo e o Grupo Frente no Rio de Janeiro. Também apresenta os principais artistas neoconcretos como Lygia Clark, Lygia Pape, Amílcar de Castro e Abraham Palatnik, destacando brevemente suas obras e estilos.

neoconcretismo
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptxArte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx

A arte indígena brasileira inclui a pintura corporal, o trançado e a cerâmica. A pintura corporal varia entre as tribos e é usada para indicar identidade tribal, papel de gênero e status civil. Os indígenas usam pigmentos naturais como urucum e carvão para criar desenhos complexos no corpo.

Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art

O documento descreve o movimento artístico Pop Art, que surgiu nos anos 1950 e criticava a sociedade de consumo através da representação irônica de objetos e ícones populares. Detalha alguns dos principais artistas do movimento como Andy Warhol, Roy Lichtenstein e Richard Hamilton e explica como usavam temas da cultura de massa em suas obras.

urbanismopop artarquitetura
Artistas:
            Joseph Beuys

            Spencer Tunik

        Christo e Jean-Claude



                                5
PERFORMANCE ou Arte efêmera
LINGUAGEM ARTÍSTCA MODERNA
A art performance ou performance artística é uma modalidade de
manifestação artística interdisciplinar que - assim como o happening - pode
combinar teatro, música, poesia ou vídeo. É característica da segunda metade
do século XX, mas suas origens estão ligadas aos movimentos
de vanguarda (dadaísmo, futurismo, Bauhaus, etc.) do início do século passado.
Difere do happening por ser mais cuidadosamente elaborada e não envolver
necessariamente a participação dos espectadores. Em geral, segue um "roteiro"
previamente definido, podendo ser reproduzida em outros momentos ou locais. É
realizada para uma plateia quase sempre restrita ou mesmo ausente e, assim,
depende de registros - através de fotografias, vídeos e/ou memoriais descritivos -
para se tornar conhecida do público.
                                                                                 6
A performance foi introduzida durante a década de 1960,
pelo grupo Fluxus e, muito especialmente, através das obras
de Joseph Beuys. Numa de suas performances, Beuys passou
horas sozinho na Galeria Schmela, em Düsseldorf, com o
rosto coberto de mel e folhas de ouro, carregando nos braços
uma lebre morta, a quem comentava detalhes sobre as obras
expostas.
Em alguns casos, as performances ligadas à body art se
tornaram sensoriais ou até masoquistas. Chris
Burden rastejou sobre um piso coberto com cacos de vidro,
levou tiros e foi crucificado sobre um automóvel.
                                                               7
Joseph Beuys
Foi um artista alemão que produziu em vários meios e
técnicas, incluindo escultura, performance, vídeo e instalação.
Ele é considerado um dos mais influentes artistas europeus da
segunda metade do século XX.
Frases:
                 "Toda a gente é um artista."
"Libertar as pessoas é o objetivo da arte, portanto a arte para
                mim é a ciência da liberdade."
               "Tornai os segredos produtivos."
                                                                  8

Recomendado para você

Arte no Brasil Colonial
Arte no Brasil ColonialArte no Brasil Colonial
Arte no Brasil Colonial

O documento descreve a arte produzida no Brasil Colonial entre 1500-1889, quando o país era uma colônia de Portugal. Inicialmente, os portugueses construíram igrejas e fortalezas seguindo estilos europeus. Mais tarde, missionários jesuítas estabeleceram missões para catequizar indígenas, produzindo obras que misturavam cultura europeia e mão-de-obra indígena. Durante a ocupação holandesa de Pernambuco entre 1630-1654, os pintores Frans Post e Albert Eckh

arte brasil colonialarte colonial
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea

O documento resume as principais correntes artísticas contemporâneas desde o Op-Art até a videoarte, incluindo conceitualismo, expressionismo abstrato, pop art, minimalismo, land art, instalações, performances e intervenções. Destaca artistas como Piero Manzoni, Jackson Pollock, Andy Warhol, Donald Judd, Christo e Jeanne-Claude, Marina Abramovic e Nam June Paik.

colegio dom bosco maringaarte uemcolegio axia
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"

Este documento apresenta uma análise detalhada da obra "O Grito", de Edvard Munch. A análise é dividida em 4 etapas: 1) Observação das características formais da obra; 2) Leitura formal da composição e elementos visuais; 3) Interpretação do significado e emoções retratadas; 4) Contextualização da obra e do artista. O documento fornece informações sobre a vida e influências de Munch, além de detalhar as diferentes versões que o artista pintou de "O Grito" ao longo dos anos.

o grito leitura de obras de arte
• A Matilha (1969) - instalação com uma Kombi Volkswagen e 24 trenós de madeira
  contendo feltro, lanternas e gordura;
• Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta (1965) - o artista vaga pela galeria com o
  rosto recoberto de mel e ouro, carregando no colo uma lebre morta com quem ele
  fala;
• Terno de Feltro (1970) - um terno de feltro em um cabide de arame;
• Canto Gorduroso (1973) - gordura de porco no canto de um espaço. A gordura derrete
  e se torna rançosa com o tempo;
• Eu Amo a América e a América me Ama (EUA, 1974) - performance em que o artista
  ficou envolvido em feltro em uma sala com um coiote durante cinco dias;
• Bomba de Mel no Local de Trabalho (Documenta de Kassel, 1977) - instalação /
  performance em que alunos da Universidade Livre Internacional de Criatividade e
  Pesquisa Interdisciplinar tomam parte;
• 7.000 Carvalhos (1979) - Sete mil pedras foram espalhadas em Kassel durante uma
  documenta: para cada pedra retirada, Beuys determinou que seria plantado em seu
  lugar um carvalho, na esperança de que a ideia se espalharia para mais cidades.   9
Dizem que a constante utilização dos
matérias como feltro e gordura
ocorreu após sua quase morte na
queda de um avião atingido pelos
bombardeios    dos    tanques   anti
aéreos russos, quando muito ferido,
foi resgatado por tártaros nômades
que trataram suas feridas com
gordura e a utilização de feltro.Dai
que surgiu o profundo respeito pela
natureza e pelas atividades cósmicas
por parte de Beuys.              10
Performance




Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta (1965) - Joseph Beuys
com mel e folhas de ouro no rosto e o coelho morto no colo com quem ele conversa
12
Terno de feltro, 1970

Recomendado para você

Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte

O documento apresenta um resumo dos principais períodos da história da arte, desde a Pré-História até a arte contemporânea, abordando estilos como o Impressionismo, Expressionismo e Fovismo. É dividido em 8 seções que descrevem as características artísticas de cada período histórico, incluindo exemplos de obras e artistas.

Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira

A Semana de Arte Moderna de 1922 marcou o início do movimento modernista brasileiro, promovendo a renovação das artes e questionando a sociedade brasileira. O Salão Revolucionário de 1931 abriu as mostras oficiais da arte brasileira para artistas modernistas. A fase Pau-Brasil e Antropofágica valorizaram elementos culturais brasileiros nas obras de Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade.

Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana

O documento discute a origem e evolução da arte urbana, mencionando suas conexões com questões sociais e políticas. Abrange desde pinturas rupestres na antiguidade até movimentos contemporâneos como o grafite e a cultura hip-hop. Destaca artistas pioneiros como Keith Haring, Jean-Michel Basquiat e Banksy.

“The  pack (a matilha),
           1969
″. Em A Matilha, Beuys
        apresenta
  uma instalação com
uma Kombi e 24 trenós
 de madeira contendo
    feltro, gordura e
        lanternas.



                          13
“Cadeira com gordura, 1963″.   14
Fotografia de: “Coiote/Joseph Beuys:
“I like America and America likes Me”, 1974″.   15
“A MORTE DE MARAT” de Vik Muniz,
Imagem do documentário “Lixo extraordinário” (“Waste land”) ganhou dois
prêmios no Festival de Cinema de Berlim (a Berlinale): um de audiência e outro
da organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional (AI).
                                                                            16

Recomendado para você

Elementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º anoElementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º ano

O documento descreve os principais elementos visuais das artes visuais, incluindo cores, linhas, formas e suas classificações e significados. Especificamente, discute os diferentes tipos de linhas (retas, curvas, quebradas etc), as cores primárias e secundárias, cores quentes e frias, e como esses elementos são usados para criar significado visual em obras de arte.

escolaartes
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea

O documento discute a evolução da arte moderna para a arte contemporânea. A arte moderna se caracterizou pela autocrítica e busca pela pureza de cada meio artístico, enquanto a arte contemporânea é marcada pela pluralidade, desmaterialização e valorização da ideia sobre a obra. O texto também apresenta os principais movimentos da arte moderna como realismo, impressionismo e cubismo.

Neoclassicismo – romantismo – realismo
Neoclassicismo – romantismo – realismoNeoclassicismo – romantismo – realismo
Neoclassicismo – romantismo – realismo

O documento descreve três movimentos artísticos: Neoclassicismo valorizava a beleza clássica greco-romana e foi influenciado por escavações arqueológicas. Romantismo rompeu com normas acadêmicas e valorizou emoção e natureza. Realismo retratou a vida das classes média e baixa, contra a artificialidade dos estilos anteriores.

artehistria da arte
Spencer Tunick
É um fotógrafo que nasceu nos Estados Unidos, Middeltown,
em 1967 conhecido pelas suas polémicas fotografias onde
utiliza grandes aglomerações de pessoas em corpo nu. Por
exemplo, em 2005 foi detido pela polícia de Nova Iorque
quando fotografava uma modelo nua frente uma árvore de
natal no Rockfeller Center.
O fotógrafo americano Spencer Tunick é a única pessoa vestida
nas suas sessões de fotos. Ele recruta, ao redor do mundo,
milhares de voluntários para ficarem nus nos mais diferentes
cenários, do calor australiano às geleiras suíças.
                                                               17
Spencer Tunik
PERFORMANCE
LINGUAGEM ARTÍSTCA MODERNA   18
Spencer Tunik
Numa parceria entre Tunik e o Greenpeace, voluntários
posam na geleira de Aletsch, Suíça, para chamar a atenção
sobre o aquecimento global.                                 19
Spencer Tunik
Quatrocentas e cinquenta mulheres são dispostas ao redor do
terminal de informações do Grand Central Terminal de Nova
York, a maior estação de trens do mundo.                      20

Recomendado para você

Hiper - Realismo - TCKC
Hiper - Realismo - TCKCHiper - Realismo - TCKC
Hiper - Realismo - TCKC

O hiper-realismo surgiu nos EUA nos anos 60 em rejeição ao Expressionismo Abstrato e Minimalismo, procurando retratar a realidade com grande precisão de detalhes utilizando fotografia. Expandiu-se para a Europa nos anos 70, influenciando artistas na Inglaterra e Alemanha. Artistas hiper-realistas como Chuck Close e Richard Estes usam técnicas fotográficas para criar pinturas extremamente realistas, enquanto escultores como Ron Mueck e John de Andrea fazem esculturas quase indistinguíveis de human

Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)

Autor: Prof. Garcia Junior Ao longo de alguns anos de experiência como arte-educador e como autor e instrutor de mini-cursos, oficinas, palestras e formação continuada sobre Arte tanto para estudantes quanto para professores, fui elaborando um material textual próprio que fosse didático e se utilizasse de bastante imagens para auxiliar na compreensão dos conceitos. Não tenho a pretensão de me considerar um especialista no assunto, por que a cada vez que revejo o material sinto a necessidade de modificá-lo tanto textualmente quanto visualmente. Até o momento tive como respostas ao material as opiniões dos meus alunos, colegas arte-educadores e demais profissionais de educação e centenas de usuários do Blogarte que comentam nesse post além das minhas próprias experiências testando-o. Meu objetivo em compartilhar este estudo é obter críticas fundamentadas para que possa melhorá-lo cada vez mais. Atualmente esta apostila está sendo utilizada em sala de aula com alunos do Ensino Médio da Rede Pública de Educação do Estado do Maranhão no Centro de Ensino Liceu Maranhense no turno matutino turmas de 1ª e 3ª série. Junto com a apostila são usados slides baseados no conteúdo do texto além de alguns vídeos e documentários relacionados. Mais do que a Apostila ou os recursos tecnológicos está a criatividade do professor em tornar as aulas interessantes e dinâmicas para que a Arte não se torne uma disciplina monótona e estimule os estudantes à descoberta da sua sensibilidade estética e das possibilidades imaginativas do mundo da Arte. A versão que está disponível a partir de hoje, 22 de janeiro de 2014 foi revisada e atualizada para este novo ano letivo e possivelmente ainda terá modificações até o final do semestre.

apostilaartes visuaiscomunicação
Arte romantica
Arte romanticaArte romantica
Arte romantica

O documento descreve as principais características do Romantismo na pintura e arquitetura. Na pintura romântica, destacam-se a valorização dos sentimentos, do subjetivismo e da natureza. Na arquitetura, nota-se o revivalismo de estilos medievais e a inspiração em culturas exóticas.

Spencer Tunik
Milhares de pessoas posam em
Sidney, Austrália.             21
INSTALAÇÃO
     LINGUAGEM ARTÍSTICA MODERNA
instalação (krafts) é uma manifestação
artística onde a obra é composta de
elementos organizados em um ambiente. A
disposição de elementos no espaço tem a
intenção de criar uma relação com o
espectador.                               22
D E F I N I Ç Ã O DE INSTALAÇÃO
É uma obra de arte que só "existe" na hora da
exposição, é montada na hora, e após isto é
desmontada, sendo que de lembrança da mesma
só ficam fotos e recordações...
Uma das possibilidades da instalação é provocar
sensações: frio, calor, odores, som ou coisas que
simplesmente chamem a atenção do público ao
redor.                                            23
INSTALAÇÃO
O pavilhão
principal é        Na Bienal de São Paulo
dedicado às
melhores
obras, e a
entrada
principal é da
artista
brasileira Lygia
Pape,
constituída de
fios de ouro
presos do
chão ao teto,
formando uma
instalação em
que o
espectador
anda no meio,
fazendo parte
dela.
                                            24

Recomendado para você

Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!

O surrealismo foi um movimento artístico e literário surgido em Paris na década de 1920, fortemente influenciado pelas teorias psicanalíticas de Freud e focado no papel do inconsciente na criatividade. Liderado por André Breton, dividiu-se em duas correntes pictóricas, uma figurativa representada por Dalí e outra abstrata representada por Miró e Ernst que libertava a mente sem controle da razão. Suas ideias também influenciaram o modernismo brasileiro na década de 1920-1930.

surrealismo dali arte lurebordosa
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea

O documento discute a arte contemporânea brasileira, distinguindo arte moderna de arte contemporânea. Apresenta alguns dos principais artistas pioneiros da arte contemporânea brasileira como Flávio de Carvalho, Lygia Clark e Hélio Oiticica, destacando brevemente suas obras e contribuições. Também discute a importância da Bienal de São Paulo para a arte contemporânea no Brasil.

História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte Contemporânea

O documento discute a arte conceitual e a pop art, movimentos que desafiaram noções tradicionais de arte. A arte conceitual enfatizou a ideia do artista sobre a obra, não a obra em si. A pop art criticou ironicamente a sociedade de consumo dos anos 1950 através de ícones populares. Ambos os movimentos influenciaram artistas até hoje e questionaram o que pode ser considerado arte.

Instalação em exposição escolar   25
“Somewhere Over the Rainbow “ Márcio Lima©Associação Cultural Video-Brasil
                                                                       26
“Estrutura Volátil”- O artista paranaense Geraldo Zamproni apresentou sua primeira
exposição individual na capital federal com a instalação “Estrutura Volátil”. A mostra
foi aberta dia 9 de fevereiro, na Marquise do Complexo Cultural da Funarte, em
Brasília. O projeto foi contemplado com o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea
                                                                                  27
2011, para ocupação do espaço.
Turquia -
Visitante observa instalação chamada 'Public Page 48,49,51', do
artista chinês Wang Du, que integra a Feira Internacional de Arte
Contemporânea em Istambul. Mais de 350 artistas de todo o
mundo expõem no evento.                                             28

Recomendado para você

Linguagem da Arte
Linguagem da ArteLinguagem da Arte
Linguagem da Arte

O documento discute os principais conceitos relacionados à linguagem da arte, incluindo artes visuais, linguagem, e linguagem da arte. Ele explica que a linguagem da arte é um sistema de comunicação formado por normas e códigos que suportam a arte como forma de linguagem, e discute termos como mensagem, signo, símbolo, sinal, iconografia, iconologia, morfologia e técnica.

Arte contemporânea novas linguagens 2012
Arte contemporânea novas linguagens 2012Arte contemporânea novas linguagens 2012
Arte contemporânea novas linguagens 2012

O documento apresenta informações sobre arte contemporânea, incluindo novas linguagens artísticas como arte conceitual, land art e performance. Também destaca alguns artistas contemporâneos brasileiros como Christo & Jeanne-Claude, Eduardo Srur, Helio Oiticica, Cildo Meireles e Tunga, além de eventos como a Bienal do Mercosul e a Bienal de São Paulo. Por fim, fornece links para vídeos relacionados ao tema.

educaçãoarte contemporâneaarte
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea

O documento lista o grupo de estudantes e descreve a arte contemporânea como aquela que surgiu após a Segunda Guerra Mundial, caracterizada pela liberdade do artista e questionamento da linguagem artística, passando por diversos períodos e estilos como a arte espacial dos anos 1960 e a pop art e expressionismo dos anos 1970, reunindo diversas técnicas e concepções.

contemporaneaartearte contemporanea
Palácio de Versailles- 2009 –Exposição de Arte
               contemporânea.                    29
Joana Vasconcelos (Paris,
1971)   é     uma   artista
plástica portuguesa.
Vive e trabalha em Lisboa
no circuito internacional
da arte contemporânea.
As participações na Bienal
de Veneza, em 2005,
2007 e 2012
                              A obra Sr. Vinho de Joana Vasconcelos
                                                                 30
Espaço Frans Krajcberg, em Curitiba.
É um pintor, escultor, gravador e fotógrafo, artista plástico nascido na Polônia
em 1921 e naturalizado brasileiro.                                                 31
Trabalhos de Frans
Krajcberg na
mostra Natura, em
São Paulo.
                     32

Recomendado para você

OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS

Este documento descreve um projeto sobre quadrinhos para alunos do 8o e 9o ano. O projeto tem como objetivo incentivar os alunos a explorar o mundo dos quadrinhos através de pesquisas, criação de personagens, histórias em quadrinhos e até animações simples. Ele inclui 11 atividades como estudar a forma dos quadrinhos, construir personagens, criar diálogos e onomatopeias. O projeto termina com uma apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos.

DEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTEDEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTE

O documento define arte e suas linguagens artísticas, incluindo arquitetura, artes cênicas, arte digital, arte-educação, artes plásticas, artes visuais e design, banda desenhada, cinema, dança, desenho, dramaturgia, escultura, fotografia, graffiti, literatura, música, miniaturismo, pintura e teatro. Ele também discute conceitos de linguagem artística e fornece detalhes sobre alguns desses campos artísticos.

Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea

O documento discute a arte contemporânea, caracterizada pela experimentação através da fusão de linguagens, materiais e tecnologias. A arte é mais democrática e efêmera, podendo estar em museus, ruas ou internet. A valorização da ideia levou ao surgimento da arte conceitual.

Cildo Meireles é um
dos artistas mais
importantes da arte
contemporânea.




                33
Land Art              (Arte ambiental)
A Land Art, também conhecida como Earth Art ou Earthwork é o tipo
de arte em que o terreno natural, em vez de prover o ambiente para
uma obra de arte, é ele próprio trabalhado de modo a integrar-se à
obra.
A Land Art surgiu em finais da década de 1960, em parte como
consequência de uma insatisfação crescente em face da deliberada
monotonia cultural pelas formas simples do minimalismo, em parte
como      expressão      de     um      desencanto   relativo        a
sofisticada tecnologia da cultura industrial, bem como ao aumento
do interesse às questões ligadas à ecologia.
                                                                34
O conceito estabeleceu-se numa exposição organizada na
Dwan Gallery, Nova York, em 1968, e na exposição Earth
Art, promovida pela Universidade de Cornell, em 1969.
É um tipo de arte que, por suas características, não é
possível expor em museus ou galerias (a não ser por meio
de fotografias). Devido às muitas dificuldades de colocar-
se em prática os esquemas de land art, suas obras muitas
vezes não vão além do estágio de projeto. Assim, a
afinidade com a arte conceitual é mais do que apenas
aparente.                                               35
Capital fluminense ganha
museu a céu aberto com
inauguração do projeto Outras
Ideias para o Rio
(07 de setembro de 2012)

No projeto, o olhar estrangeiro sobre
a cidade está expresso em obras
como a enorme cabeça flutuante do
espanhol Jaume Plensa, instalada nas
águas da Enseada de Botafogo. Nesta
semana, antes mesmo da abertura
da mostra, a obra, de 12 metros de
altura.
                                        36

Recomendado para você

A Arte ContemporâNea
A   Arte ContemporâNeaA   Arte ContemporâNea
A Arte ContemporâNea

A arte contemporânea surgiu após a Segunda Guerra Mundial e se caracteriza por movimentos como a Pop Art, que criticava a sociedade de consumo através da apropriação de ícones da cultura popular, e a arte conceitual, que valorizava a ideia sobre a forma. Artistas como Andy Warhol e Roy Lichtenstein tornaram-se conhecidos por retratar produtos e personagens dos quadrinhos e da mídia de massa.

Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea

O documento descreve várias linguagens artísticas modernas como performance, instalação e land art. Ele fornece exemplos do trabalho de artistas como Joseph Beuys, Marina Abramovic, Spencer Tunick, Christo e Lygia Pape, destacando obras como "Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta" de Beuys e instalações de Tunick com grandes grupos de pessoas nuas. O texto também discute conceitos como land art de Robert Smithson e a arte ambiental de Walter de Maria.

histÓria da arte
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )

O documento discute as linguagens artísticas de dança, teatro, música e artes visuais. Cada linguagem possui objetos de estudo, gêneros, história, elementos estruturais e intelectuais, técnicas de execução e composição que devem ser compreendidos para seu estudo e trabalho na escola.

Obra de Arte no centro do Rio de Janeiro.




9/set/2012 – turistas visitam labirinto de vidro feito pelo artista
americano Robert Morris na praça da Cinelândia. Morris é considerado
um dos criadores do Minimalismo e de Land Art.                      37
Robert Smithson, “Broken Circle”   38
Espiral", realizada por Robert Smithson em
1970, no Great Salt Lake, construída com terra
e pedra sobre a água, numa extensão superior
a quatrocentos metros, posteriormente
destruída pela própria água.




                                                 39
Shiro Hayami (b 1927) - "Land Art“-
painted stones on a beach (pedras
pintadas na praia).                   40

Recomendado para você

Linguagens Artísticas
Linguagens ArtísticasLinguagens Artísticas
Linguagens Artísticas

El documento menciona diferentes formas artísticas como recorte y collage, kirigami, ensamblaje, formas básicas, pintura con óleo, figura y fondo, dibujo, relectura de obras de Picasso y Velázquez, mimesis, danza y teatro. Proporciona detalles sobre un cuadro de Van Gogh incluyendo los materiales y herramientas utilizadas.

linguagemater
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )

O documento discute as linguagens artísticas de teatro, música, dança e artes visuais. Ele fornece definições de termos-chave dessas linguagens, como ator, diretor, melodia e harmonia. O documento também faz perguntas sobre sons musicais e elementos das linguagens.

Arte Contemporanea
Arte ContemporaneaArte Contemporanea
Arte Contemporanea

O documento discute a arte contemporânea em diferentes países e culturas. Apresenta breves biografias de artistas como Barbara Kruger, Cindy Sherman, Gilbert e George, Robert Mapplethorpe e Krzysztof Wodiczko. Também aborda a arte aborígene australiana, com ênfase no trabalho de Johnny Tjupurrula, e analisa a produção ideológica dos cartazes de filmes indianos.

41
“O Campo de   Luz” Walter De Maria, 1977
A Arte Ambiental, pela sua enorme dimensão, é
exposta ao ar livre, aproveitando o ambiente
externo das ruas e da natureza. O artista Walter de
Maria realiza em 1977 a obra “O Campo de Luz”,
que consiste em 100 pára-raios colocados no
deserto de Quemados no Novo México, nos
Estados Unidos. A obra acontece nos dias de
tempestade. Os espectadores têm que assinar um
termo de responsabilidade, isentando o artista de
culpa, caso sejam eletrocutados.                  42
INTERFERÊNCIAS
         LINGUAGEM ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEA


Christo Vladimirov Javacheff e Jeanne -Claude Denat de
Guillebon são um casal que se dedica à arte de “embrulhar”
grandes monumentos e cenários pelo mundo. Muitos consideram
esse trabalho uma forma de arte ecológica ou até mesmo um
protesto, porém, eles afirmam que o fazem somente pelo seu
apelo estético. Chisto afirma que é um artista com coragem pois
além dos desenhos preparatórios nada sobra de sua obra de arte.
“É preciso muito mais coragem para criar peças que irão
desaparecer do que para criar peças que ficam” diz Christo. Para
conhecer mais sobre o trabalho do casal acesse o site oficial de
Christo e Jeanne-Claude.

                                                               43
Christo e Jean-Claude   44

Recomendado para você

Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)

O documento resume os principais conceitos da arte contemporânea, incluindo: (1) o público participante e reflexivo; (2) o artista como propositor de ideias; (3) a questionação dos conceitos de originalidade e autoria; (4) as relações efêmeras entre obras e tempo. Também define linguagens como instalação, intervenção, performance e vídeo arte, e artistas representativos dessas linguagens.

happeningperformanceintervenção urbana
Ensino da Arte
Ensino da ArteEnsino da Arte
Ensino da Arte

O documento discute a proposta de ensino de arte no ensino médio, com foco em desenvolver a criatividade e crítica dos estudantes por meio de diferentes linguagens artísticas. Também apresenta possíveis métodos e técnicas para o ensino de arte, como exploração de materiais e novas tecnologias, além de comparar investimentos em educação artística entre países.

pcn
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médioPlano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médio

Este plano de ensino descreve as disciplinas, temas, tópicos, habilidades, conteúdos e objetivos para o 1o ano do ensino médio. No 1o bimestre, os alunos aprenderão sobre análise de produtos audiovisuais, movimentos artísticos em artes audiovisuais, e elementos formais da obra audiovisual.

INTERFERÊNCIAS
LINGUAGEM ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEA




  Árvores embrulhadas na Suíça      45
46
Palácio do Reichstag em Berlin, Alemanha




                                           47
48

Recomendado para você

Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio

Este documento é uma avaliação de arte do 2o ano do ensino médio. Contém 10 perguntas sobre artistas e estilos artísticos como Aleijadinho, xilogravura, roteiro, Jackson Pollock e os irmãos Lumière. As imagens analisam obras de Tarsila do Amaral, Van Gogh e uma citação sobre viver intensamente de Charles Chaplin.

ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...

1. O documento discute a importância de atividades práticas na disciplina de artes visuais no ensino médio. 2. Ele propõe o uso da técnica da colagem, inspirada no movimento dadaísta, para despertar o interesse dos alunos e melhorar o ensino e aprendizagem. 3. O autor argumenta que as atividades práticas podem ser uma forma mais efetiva de avaliar os alunos do que provas tradicionais.

atividades práticasartes visuais e ensino médio
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito

O documento discute a história da arte e as primeiras manifestações artísticas da humanidade. Aborda os períodos Paleolítico e Neolítico, incluindo as pinturas e esculturas rupestres encontradas nas cavernas, que fornecem informações sobre como essas sociedades primitivas viviam e se expressavam artisticamente. Também resume a civilização da Mesopotâmia, uma das primeiras da história, destacando sua arquitetura, escultura e pintura.

Pont Neuf, Paris




                   49
Interferências: Pont Neuf, Paris, 1985 –
trabalho de interferência de Christo e Jean-
Claude                                         50
51
Central Park de Nova York   52

Recomendado para você

Planejamento ArtesVisuais
Planejamento  ArtesVisuaisPlanejamento  ArtesVisuais
Planejamento ArtesVisuais

O documento apresenta os objetivos e conteúdos programáticos de Artes para o Ensino Fundamental e Médio, abrangendo desde elementos básicos da linguagem visual até movimentos artísticos modernos e contemporâneos. Os conteúdos serão trabalhados por meio de leituras, aulas expositivas e atividades práticas, utilizando recursos como apostilas, obras de arte e apresentações multimídia. O objetivo é desenvolver a competência estética e artística dos alunos ao longo dos anos.

Ensino Médio- Arte Conceitual-
Ensino Médio-  Arte Conceitual-Ensino Médio-  Arte Conceitual-
Ensino Médio- Arte Conceitual-

O documento resume diferentes estilos e artistas da arte conceitual, como performance, instalação, land art e interferências. Detalha as performances de Joseph Beuys e Spencer Tunick, as instalações de Hélio Oiticica e Artur Barrio, e o trabalho de land art e interferências de Christo e Jean-Claude.

histÓria da arte
Ensino Médio- A Arte Contemporânea
Ensino Médio-  A  Arte ContemporâneaEnsino Médio-  A  Arte Contemporânea
Ensino Médio- A Arte Contemporânea

Performance artística, instalações e land art são linguagens contemporâneas discutidas no documento. Joseph Beuys é destacado por suas performances incorporando mel e folhas de ouro. Spencer Tunick fotografa grandes grupos de pessoas nuas em locais públicos. Christo e Jean-Claude embrulham monumentos e paisagens em tecidos como forma de interferência artística.

histÓria da arte
Parte sul do Central Park com os "portões" de Christo
As criações da dupla sempre foram cercadas de polêmica.
                                                          53
54
Olhando de frente o Vallley Curtain, Rifle, Colorado, 1970-72




                                                            55
Fernando Botero
       (1932)
Nascido em Medellín,
Colômbia.
Nas obras satíricas de
Fernando Botero,
políticos, militares e
religiosos, músicos e a
realeza, são retratados
com figuras rotundas e
sem movimento,
assumindo a
característica de vida
humana estática. De
natureza humorística à
primeira vista, as
pinturas de Botero são
geralmente um
comentário social com
toques políticos.
                          56

Recomendado para você

Carina pires joseph beuys
Carina pires   joseph beuysCarina pires   joseph beuys
Carina pires joseph beuys

Joseph Beuys foi um artista alemão influente do século XX conhecido por usar materiais como feltro e gordura em suas obras. Ele acreditava que a arte deveria desempenhar um papel ativo na sociedade. Suas técnicas incluíam escultura, performance, vídeo e instalação.

Arte pop
Arte popArte pop
Arte pop

Aula da professora Flávia Rudge Ramos, publicada a seu pedido, por Carlos Elson Cunha. 2011. Acrescentamos algumas obras, criamos uma diagramação para apresentar o artista, jogamos uma sombra nas telas e coisa e tal.

vanguardaartepop
04 julho 2012 nossa apresentaçao
04 julho 2012  nossa apresentaçao04 julho 2012  nossa apresentaçao
04 julho 2012 nossa apresentaçao

O documento descreve o contexto sócio-político internacional e brasileiro da década de 1960 e o surgimento da arte conceitual. A arte conceitual surgiu como reação às vanguardas históricas, enfatizando a idéia por trás da obra ao invés do resultado final. Artistas conceituais internacionais e brasileiros pioneiros são apresentados, incluindo suas obras conceituais, instalações e performances.

arte conceitual brasileiraarte conceitualhistória da arte brasileira
1956.
Durante sua estadia no México, nasce
seu interesse pela Arte Pré-colombiana
e o trabalho dos artistas do Surrealismo
mexicano, que o atriam e acreditava que
era ai onde estava a escencia da arte
latinoamerica. Foi no México onde
pintou Naturaleza muerta con
mandolina”, descobre a possibilidade de
aumentar o volume. Um dia esgotado de
tanto trabalho fez uma pequena marca
no centro da mandolina que estava
desenhando, subitamente viu que esse
pequeño ponto tinha por onde sai o som
do instrumento, tinha dado o volume e a
solidez que acabaria dando a proporção
“boteriana” que seria o ponto central do
estilo que leva seu nome “estilo
boteriano”, é a volumetria do seu estilo.
“Foi como atravesar uma porta para
entrar em outro quarto”.                    57
Anish Kapoor - "Ascension"
 Anish Kapoor diz que quer fazer objetos e instalações que pareçam importados
"de outro mundo". Esta é mais ou menos a sensação que se tem ao olhar para
cima, na cúpula circular do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) do Rio, e ver
subir, em espiral, um fio de fumaça rumo ao céu estrelado (veja fotos no álbum
ao lado) visível por conta do teto de vidro, também formando um círculo no
centro do prédio.

Batizada de "Ascension", a instalação dá nome à exposição do artista plástico
indiano-britânico, um dos mais importantes escultores contemporâneos do
mundo. Esta é a primeira mostra em uma galeria que ele faz no Brasil - antes,
participou duas vezes da Bienal Internacional de São Paulo (em 1983 e em 1996)
Conhecido por obras de grande porte apresentadas tanto em importantes
museus e galerias - como a londrina Tate Modern e o nova-iorquino MOMA -
quanto em espaços públicos, o artista traz para o Brasil instalações, esculturas e o
único vídeo de sua carreira, que exploram, por meio de diferentes formas e
materiais, as relações e sensações espaciais, o resultado da interação do
indivíduo com seu trabalho, com o objetivo, segundo o artista, de abordar o "o
medo da inconsciência, do vazio", e a descrição do "vácuo".

Entre os trabalhos da exposição há três obras inéditas, entre elas a instalação
"Ascension"..
                                                                                       58
Anish Kapor no CCBB Rio de Janeiro
                                     59
Anish Kapor (1954)




                     60

Recomendado para você

Arte da segunda metade do século xx
Arte da segunda metade do século xxArte da segunda metade do século xx
Arte da segunda metade do século xx

No século XX, dois estilos artísticos ganharam força inicialmente: a Op Art, que usa formas geométricas para criar a ilusão de movimento, e a Pop Art, que se inspira na cultura de massa e objetos do cotidiano. Além desses, diversas outras tendências se desenvolveram, como esculturas que refletem a industrialização ou o anonimato nas cidades. A arte passou a questionar também os significados atribuídos às obras.

século 20pop artop art
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual, Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,

O documento discute a evolução da arte ao longo do século XX, desde o nazismo que perseguiu artistas modernistas até movimentos como arte pop, performance e hip hop. Movimentos como expressionismo abstrato, neorrealismo, nouvelle vague e cinema novo influenciaram a arte com novas técnicas e visões políticas e sociais.

arte
Apresentação Silêncios
Apresentação SilênciosApresentação Silêncios
Apresentação Silêncios

O museu de arte moderna e contemporânea de Estrasburgo e o museu Berardo organizaram uma exposição chamada "Silêncios" com obras de 14 artistas reunidos pelo produtor Marin Karmitz. As obras questionam o lugar do homem na história contemporânea e introduzem elementos sonoros e escritos. Algumas destas propostas revolucionaram a história da arte de forma duradoura.

61
Gravura
Gravura é uma imagem representando

algo, como pintura, desenho, relevos, etc.

O material pode variar e classifica-se a

gravura de acordo com o material de que é

feita.
                                             62
Gravura em metal de Paula Almozara, 1989
                                           63
Gravura em metal de aluno de Gravura da Escola de Belas
                Artes da UFMG (EBA).

                                                          64

Recomendado para você

A cultura no espaço visual
A cultura no espaço visualA cultura no espaço visual
A cultura no espaço visual

O documento descreve o movimento artístico Novo Realismo que surgiu na década de 1960 na França e Suíça. O movimento procurava uma nova abordagem perceptiva do real através da utilização de objetos encontrados no ambiente urbano. Artistas como Arman, Hains e Villeglé criavam obras que criticavam a sociedade de consumo através de técnicas como assemblage e colagem.

op arthappening performancearte cénica
Fluxus wolf vostell
Fluxus  wolf vostellFluxus  wolf vostell
Fluxus wolf vostell

O documento descreve o movimento artístico Fluxus e o artista alemão Wolf Vostell, um dos pioneiros da instalação, videoarte e happening. Vostell usou técnicas como a décollage para criticar a violência pós-guerra e o consumismo na Alemanha. Ele foi um dos primeiros a usar a tecnologia de vídeo em suas obras e ajudou a organizar festivais do movimento Fluxus.

Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude -14 slides-
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude    -14 slides-Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude    -14 slides-
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude -14 slides-

O documento discute a arte conceitual e alguns de seus principais expoentes como Sol LeWitt, Keith Arnalt, Joseph Beuys e o casal Christo e Jeanne-Claude. A arte conceitual enfatiza a ideia sobre os meios de criação, tendo sido precursora Marcel Duchamp com seus readymades. Christo e Jeanne-Claude desenvolveram projetos integrados de arte, arquitetura e engenharia, como empacotar prédios e instalar portais no Central Park.

histÓria da arte
Xilogravura
é a técnica de gravura na qual se utiliza madeira
como matriz e possibilita a reprodução da
imagem gravada sobre papel ou outro suporte
adequado. È um processo muito parecido com
um carimbo.
É uma técnica em que se entalhar na madeira,
com ajuda de instrumento cortante, a figura ou
forma (matriz) que se pretende imprimir. Em
seguida usa-se um rolo de borracha embebecida
em tinta, tocando só as partes elevadas do
entalhe. O final do processo é a impressão em
alto relevo em papel ou pano especial, que fica
impregnado com a tinta, revelando a figura. Entre
as suas variações do suporte pode-se gravar em
linóleo (linoleogravura) ou qualquer outra
superfície plana.
A xilogravura popular é uma permanência do
traço medieval da cultura portuguesa
transplantada para o Brasil e que se desenvolveu
na literatura de cordel.                            xilogravura- Escher
                                                                          65
No ano de 2011, no Centro Cultural Banco do Brasil, no centro de
São Paulo, esteve aberta a exposição denominada “O Mundo
Mágico de Escher”, que contava com diversas obras do artista
holandês que fez história graças aos seus trabalhos confusos e que
pregam peças em nossa visão. Tudo isso utilizando apenas de
perspectiva e pontos de vista diferentes.
                                                               66
67
Uma prensa usada na litografia




     Litografia-
     (Do grego -lithos pedra e -graféin grafia,
     escrita) é um tipo de gravura. Essa
     técnica de gravura envolve a criação de
     marcas (ou desenhos) sobre uma matriz
     (pedra calcária) com um lápis
     gorduroso. A base dessa técnica é o
     princípio da repulsão entre água e óleo.
     Ao contrário das outras técnicas da
     gravura, a Litografia é planográfica, ou
     seja, o desenho é feito através do
     acúmulo de gordura sobre a superfície
     da matriz, e não através de fendas e
     sulcos na matriz, como na xilogravura e
     na gravura em metal. Seu primeiro
     nome foi poli autografia significando a
     produção de múltiplas cópias de
     manuscritos e desenhos originais.
                                                  Prensa usada na litografia
                                                                               68

Recomendado para você

25 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 202025 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 2020

O documento descreve a arte brasileira a partir dos anos 1950, caracterizada por uma maior liberdade artística e questionamento das definições tradicionais de arte. Apresenta os principais movimentos como o Concretismo, Neoconcretismo e a Performance, destacando artistas como Lygia Clark, Hélio Oiticica e Marina Abramovic. Também aborda o contexto histórico da época com a Guerra Fria e revoluções como a cubana.

história da arte profº bimprofº bim
Trabalhomultimediavitor
TrabalhomultimediavitorTrabalhomultimediavitor
Trabalhomultimediavitor

Este documento fornece informações sobre vários artistas visuais, incluindo Sophie Calle, Joseph Beuys, Kenneth Lum, Tom Hunter, Hannah Starkey, Mariko Mori, Peter Fischli e David Weiss, e Wolfgang Tillmans. Resume os principais detalhes sobre suas vidas, trabalhos e estilos artísticos.

Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea

A arte brasileira após os anos 1950 foi caracterizada por: (1) a experimentação com novas técnicas e materiais; (2) a fusão de estilos e a aproximação com a cultura popular; (3) o questionamento da definição de arte e a interação com o público. Movimentos como o Concretismo e o Neoconcretismo priorizaram a ideia sobre o objeto artístico, enquanto a Performance e a Poesia Concreta aproximaram a arte do cotidiano.

profº bimhistória da arte profº bim
Uma pedra litográfica na prensa




                                  Pedra litográfica na prensa
                                                                69
Serigrafia ou silk-screen é um processo de impressão no qual a tinta é vazada –
pela pressão de um rodo ou puxador – através de uma tela preparada. A tela
(Matriz serigráfica), normalmente de poliéster ou nylon, é esticada em um
bastidor (quadro) de madeira, alumínio ou aço. É utilizada na impressão em
variados tipos de materiais (papel, plástico, borracha, madeira, vidro, tecido,
etc.).



                                                                   Pode ser feita de


                                                                   forma mecânica


                                                                   (por pessoas) ou


                                                                   automática (por


                                                                   máquinas).


                                                                                  70
71
Fim

Recomendado para você

Fluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronicaFluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronica

O documento fornece informações sobre o movimento artístico Fluxus dos anos 1960 e 1970, a arte digital, a performance art e o happening. Resume que o Fluxus valorizava a criação coletiva através de performances e outros meios inovadores, rejeitando valores burgueses. Também discute os pioneiros da arte digital e eletrônica, incluindo seus desenvolvimentos nas décadas de 1960 em diante.

HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdfHAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf

O documento discute arte contemporânea e arquitetura, abordando temas como redefinição da obra de arte, pluralidade de linguagens artísticas, e papel dos museus. É apresentada uma série de estilos e artistas como Pop Art, Land Art, Christo, e obras conceituais de Cildo Meireles. Há também menção a performances e a série "Penetráveis" de Hélio Oiticica.

POP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ARTPOP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ART

Este documento descreve três movimentos artísticos da década de 1960: Pop Art, Op Art e Land Art. A Pop Art representava elementos da cultura popular e do consumismo através de obras de Andy Warhol, Roy Lichtenstein e Tom Wesselman. A Op Art usava ilusões ópticas e movimento em obras de Victor Vasarely e Maurits Escher. A Land Art abandonou galerias de arte e levou obras para a natureza, como fez Robert Smithson.

land artesculturarobert smithson

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Natureza morta
Natureza mortaNatureza morta
Natureza morta
Fernanda Bastos
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
1) o que é arte -Texto
1)  o que é arte -Texto1)  o que é arte -Texto
1) o que é arte -Texto
ArtesElisa
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
Andrea Dressler
 
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptxArte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
MARCELINODASILVACAVA
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Arte no Brasil Colonial
Arte no Brasil ColonialArte no Brasil Colonial
Arte no Brasil Colonial
Andrea Dressler
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
mila braga
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
julio2012souto
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
Arte Educadora
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Elementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º anoElementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º ano
GeovanaPorto
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
annaartes
 
Neoclassicismo – romantismo – realismo
Neoclassicismo – romantismo – realismoNeoclassicismo – romantismo – realismo
Neoclassicismo – romantismo – realismo
escola
 
Hiper - Realismo - TCKC
Hiper - Realismo - TCKCHiper - Realismo - TCKC
Hiper - Realismo - TCKC
Thomas
 
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Secretaria de Educação do Maranhão e Imagética Consultoria e Design
 
Arte romantica
Arte romanticaArte romantica
Arte romantica
Carla Teixeira
 
Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Cristiane Seibt
 

Mais procurados (20)

Natureza morta
Natureza mortaNatureza morta
Natureza morta
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
1) o que é arte -Texto
1)  o que é arte -Texto1)  o que é arte -Texto
1) o que é arte -Texto
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptxArte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
Arte Indígena Pintura Corporal e Grafismo.pptx
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Arte no Brasil Colonial
Arte no Brasil ColonialArte no Brasil Colonial
Arte no Brasil Colonial
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Elementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º anoElementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º ano
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Neoclassicismo – romantismo – realismo
Neoclassicismo – romantismo – realismoNeoclassicismo – romantismo – realismo
Neoclassicismo – romantismo – realismo
 
Hiper - Realismo - TCKC
Hiper - Realismo - TCKCHiper - Realismo - TCKC
Hiper - Realismo - TCKC
 
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
 
Arte romantica
Arte romanticaArte romantica
Arte romantica
 
Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 

Destaque

História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte Contemporânea
Andrea Dressler
 
Linguagem da Arte
Linguagem da ArteLinguagem da Arte
Linguagem da Arte
João Gomes
 
Arte contemporânea novas linguagens 2012
Arte contemporânea novas linguagens 2012Arte contemporânea novas linguagens 2012
Arte contemporânea novas linguagens 2012
soniamarys
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
gil junior
 
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
Trazzi
 
DEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTEDEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTE
Aclecio Dantas
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Jucielly Vasconcellos
 
A Arte ContemporâNea
A   Arte ContemporâNeaA   Arte ContemporâNea
A Arte ContemporâNea
rosangela13
 
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
ArtesElisa
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
graduartes
 
Linguagens Artísticas
Linguagens ArtísticasLinguagens Artísticas
Linguagens Artísticas
Acacio Arouche
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
graduartes
 
Arte Contemporanea
Arte ContemporaneaArte Contemporanea
Arte Contemporanea
guest1652ff
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Raphael Lanzillotte
 
Ensino da Arte
Ensino da ArteEnsino da Arte
Ensino da Arte
Nankinn
 
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médioPlano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Marcia Oliveira
 
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
Vis-UAB
 
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Suelen Freitas
 
Planejamento ArtesVisuais
Planejamento  ArtesVisuaisPlanejamento  ArtesVisuais
Planejamento ArtesVisuais
Dulcinea Lisboa Passos
 

Destaque (20)

História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte Contemporânea
 
Linguagem da Arte
Linguagem da ArteLinguagem da Arte
Linguagem da Arte
 
Arte contemporânea novas linguagens 2012
Arte contemporânea novas linguagens 2012Arte contemporânea novas linguagens 2012
Arte contemporânea novas linguagens 2012
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
 
DEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTEDEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTE
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
A Arte ContemporâNea
A   Arte ContemporâNeaA   Arte ContemporâNea
A Arte ContemporâNea
 
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
 
Linguagens Artísticas
Linguagens ArtísticasLinguagens Artísticas
Linguagens Artísticas
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
 
Arte Contemporanea
Arte ContemporaneaArte Contemporanea
Arte Contemporanea
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
 
Ensino da Arte
Ensino da ArteEnsino da Arte
Ensino da Arte
 
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médioPlano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
Plano de ensi no de arte 1º ano ensino médio
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
 
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
 
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
 
Planejamento ArtesVisuais
Planejamento  ArtesVisuaisPlanejamento  ArtesVisuais
Planejamento ArtesVisuais
 

Semelhante a 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea

Ensino Médio- Arte Conceitual-
Ensino Médio-  Arte Conceitual-Ensino Médio-  Arte Conceitual-
Ensino Médio- Arte Conceitual-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- A Arte Contemporânea
Ensino Médio-  A  Arte ContemporâneaEnsino Médio-  A  Arte Contemporânea
Ensino Médio- A Arte Contemporânea
ArtesElisa
 
Carina pires joseph beuys
Carina pires   joseph beuysCarina pires   joseph beuys
Carina pires joseph beuys
CarinaAfonso27
 
Arte pop
Arte popArte pop
04 julho 2012 nossa apresentaçao
04 julho 2012  nossa apresentaçao04 julho 2012  nossa apresentaçao
04 julho 2012 nossa apresentaçao
Sandra Kroetz
 
Arte da segunda metade do século xx
Arte da segunda metade do século xxArte da segunda metade do século xx
Arte da segunda metade do século xx
Fabiana Alexandre
 
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual, Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Bianca Vasconcelos
 
Apresentação Silêncios
Apresentação SilênciosApresentação Silêncios
Apresentação Silêncios
resespress
 
A cultura no espaço visual
A cultura no espaço visualA cultura no espaço visual
A cultura no espaço visual
Rita Lampreia
 
Fluxus wolf vostell
Fluxus  wolf vostellFluxus  wolf vostell
Fluxus wolf vostell
anaritamdias
 
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude -14 slides-
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude    -14 slides-Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude    -14 slides-
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude -14 slides-
ArtesElisa
 
25 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 202025 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Trabalhomultimediavitor
TrabalhomultimediavitorTrabalhomultimediavitor
Trabalhomultimediavitor
VitorDuenas
 
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Fluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronicaFluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronica
Rodrigo Leite
 
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdfHAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
ssuser90b57a
 
POP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ARTPOP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ART
danf97
 
Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01
Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01
Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01
Janete Santos
 
Fluxus - Wolf Vostell
Fluxus - Wolf VostellFluxus - Wolf Vostell
Fluxus - Wolf Vostell
beatrizlopescm
 
Aula dica enem 2019
Aula dica enem 2019Aula dica enem 2019
Aula dica enem 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 

Semelhante a 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea (20)

Ensino Médio- Arte Conceitual-
Ensino Médio-  Arte Conceitual-Ensino Médio-  Arte Conceitual-
Ensino Médio- Arte Conceitual-
 
Ensino Médio- A Arte Contemporânea
Ensino Médio-  A  Arte ContemporâneaEnsino Médio-  A  Arte Contemporânea
Ensino Médio- A Arte Contemporânea
 
Carina pires joseph beuys
Carina pires   joseph beuysCarina pires   joseph beuys
Carina pires joseph beuys
 
Arte pop
Arte popArte pop
Arte pop
 
04 julho 2012 nossa apresentaçao
04 julho 2012  nossa apresentaçao04 julho 2012  nossa apresentaçao
04 julho 2012 nossa apresentaçao
 
Arte da segunda metade do século xx
Arte da segunda metade do século xxArte da segunda metade do século xx
Arte da segunda metade do século xx
 
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual, Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
Nazismo, Pop ART, Expressionismo Abstrato, Arte conceitual,
 
Apresentação Silêncios
Apresentação SilênciosApresentação Silêncios
Apresentação Silêncios
 
A cultura no espaço visual
A cultura no espaço visualA cultura no espaço visual
A cultura no espaço visual
 
Fluxus wolf vostell
Fluxus  wolf vostellFluxus  wolf vostell
Fluxus wolf vostell
 
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude -14 slides-
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude    -14 slides-Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude    -14 slides-
Ensino Médio - Arte Conceitual -Christo e Jeanne-Claude -14 slides-
 
25 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 202025 arte anos 1950 2020
25 arte anos 1950 2020
 
Trabalhomultimediavitor
TrabalhomultimediavitorTrabalhomultimediavitor
Trabalhomultimediavitor
 
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
 
Fluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronicaFluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronica
 
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdfHAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
 
POP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ARTPOP ART, OP ART & LAND ART
POP ART, OP ART & LAND ART
 
Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01
Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01
Fluxus wolfvostell-121220094522-phpapp01
 
Fluxus - Wolf Vostell
Fluxus - Wolf VostellFluxus - Wolf Vostell
Fluxus - Wolf Vostell
 
Aula dica enem 2019
Aula dica enem 2019Aula dica enem 2019
Aula dica enem 2019
 

Mais de ArtesElisa

6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
ArtesElisa
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
ArtesElisa
 
6o. ano texto- arte na grécia -1-
6o. ano  texto- arte na grécia -1-6o. ano  texto- arte na grécia -1-
6o. ano texto- arte na grécia -1-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. ModernismoEnsino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
ArtesElisa
 
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreentexto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
ArtesElisa
 
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic  performance- textoEnsino Médio- Marina abramovic  performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
ArtesElisa
 
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- zEnsino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
ArtesElisa
 
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
ArtesElisa
 
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
ArtesElisa
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
ArtesElisa
 
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismoEnsino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismo
ArtesElisa
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
ArtesElisa
 
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio  dadaísmo marcel duchampEnsino médio  dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
ArtesElisa
 
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
ArtesElisa
 
6o. ano a arte romana
6o. ano   a arte romana6o. ano   a arte romana
6o. ano a arte romana
ArtesElisa
 
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
ArtesElisa
 
9o. ano final do século xix na europa
9o. ano  final do século xix na europa9o. ano  final do século xix na europa
9o. ano final do século xix na europa
ArtesElisa
 
6º ano continuação arte na pré-história
6º ano  continuação arte na pré-história6º ano  continuação arte na pré-história
6º ano continuação arte na pré-história
ArtesElisa
 

Mais de ArtesElisa (20)

6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
 
6o. ano texto- arte na grécia -1-
6o. ano  texto- arte na grécia -1-6o. ano  texto- arte na grécia -1-
6o. ano texto- arte na grécia -1-
 
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. ModernismoEnsino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
 
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreentexto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
 
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic  performance- textoEnsino Médio- Marina abramovic  performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
 
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- zEnsino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
 
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
 
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
 
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
 
Ensino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismoEnsino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismo
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
 
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio  dadaísmo marcel duchampEnsino médio  dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
 
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
 
6o. ano a arte romana
6o. ano   a arte romana6o. ano   a arte romana
6o. ano a arte romana
 
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
 
9o. ano final do século xix na europa
9o. ano  final do século xix na europa9o. ano  final do século xix na europa
9o. ano final do século xix na europa
 
6º ano continuação arte na pré-história
6º ano  continuação arte na pré-história6º ano  continuação arte na pré-história
6º ano continuação arte na pré-história
 

Último

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea

  • 1. Ensino Médio AS MUITAS LINGUAGENS DA ARTE CONTEMPORÂNEA Por Elisa B. Herrera Peres Professora de Artes Visuais 1
  • 2. Além da Op Art e da Pop Art, na segunda metade do século XX desenvolveram-se inúmeras tendências artísticas. Por isso, em vez de descrever as características de cada tendência, destacamos o trabalho de alguns artistas: os norte-americanos: Edward Hopper (1882-1967) David Smith (1906-1965) George Segal (1924-2000) Donald Judd (1928-1994) Bill Viola (1951) Jean-Michel Basquiat (1960-1988) 2
  • 3. Os alemães: Josef Beuys (1921-1986) e Frank Auerbach (1931); O búlgaro: Javacheff Christo (1935); O colombiano: Fernando Botero (1932); O indiano: Anish Kapor (1954); O inglês: Tony Cragg (1949) E a francesa: Louise Bourgeois (1911) 3
  • 4.  Performance  Instalação  Land Art ou Arte ambiental  INTERFERÊNCIAS 4
  • 5. Artistas: Joseph Beuys Spencer Tunik Christo e Jean-Claude 5
  • 6. PERFORMANCE ou Arte efêmera LINGUAGEM ARTÍSTCA MODERNA A art performance ou performance artística é uma modalidade de manifestação artística interdisciplinar que - assim como o happening - pode combinar teatro, música, poesia ou vídeo. É característica da segunda metade do século XX, mas suas origens estão ligadas aos movimentos de vanguarda (dadaísmo, futurismo, Bauhaus, etc.) do início do século passado. Difere do happening por ser mais cuidadosamente elaborada e não envolver necessariamente a participação dos espectadores. Em geral, segue um "roteiro" previamente definido, podendo ser reproduzida em outros momentos ou locais. É realizada para uma plateia quase sempre restrita ou mesmo ausente e, assim, depende de registros - através de fotografias, vídeos e/ou memoriais descritivos - para se tornar conhecida do público. 6
  • 7. A performance foi introduzida durante a década de 1960, pelo grupo Fluxus e, muito especialmente, através das obras de Joseph Beuys. Numa de suas performances, Beuys passou horas sozinho na Galeria Schmela, em Düsseldorf, com o rosto coberto de mel e folhas de ouro, carregando nos braços uma lebre morta, a quem comentava detalhes sobre as obras expostas. Em alguns casos, as performances ligadas à body art se tornaram sensoriais ou até masoquistas. Chris Burden rastejou sobre um piso coberto com cacos de vidro, levou tiros e foi crucificado sobre um automóvel. 7
  • 8. Joseph Beuys Foi um artista alemão que produziu em vários meios e técnicas, incluindo escultura, performance, vídeo e instalação. Ele é considerado um dos mais influentes artistas europeus da segunda metade do século XX. Frases: "Toda a gente é um artista." "Libertar as pessoas é o objetivo da arte, portanto a arte para mim é a ciência da liberdade." "Tornai os segredos produtivos." 8
  • 9. • A Matilha (1969) - instalação com uma Kombi Volkswagen e 24 trenós de madeira contendo feltro, lanternas e gordura; • Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta (1965) - o artista vaga pela galeria com o rosto recoberto de mel e ouro, carregando no colo uma lebre morta com quem ele fala; • Terno de Feltro (1970) - um terno de feltro em um cabide de arame; • Canto Gorduroso (1973) - gordura de porco no canto de um espaço. A gordura derrete e se torna rançosa com o tempo; • Eu Amo a América e a América me Ama (EUA, 1974) - performance em que o artista ficou envolvido em feltro em uma sala com um coiote durante cinco dias; • Bomba de Mel no Local de Trabalho (Documenta de Kassel, 1977) - instalação / performance em que alunos da Universidade Livre Internacional de Criatividade e Pesquisa Interdisciplinar tomam parte; • 7.000 Carvalhos (1979) - Sete mil pedras foram espalhadas em Kassel durante uma documenta: para cada pedra retirada, Beuys determinou que seria plantado em seu lugar um carvalho, na esperança de que a ideia se espalharia para mais cidades. 9
  • 10. Dizem que a constante utilização dos matérias como feltro e gordura ocorreu após sua quase morte na queda de um avião atingido pelos bombardeios dos tanques anti aéreos russos, quando muito ferido, foi resgatado por tártaros nômades que trataram suas feridas com gordura e a utilização de feltro.Dai que surgiu o profundo respeito pela natureza e pelas atividades cósmicas por parte de Beuys. 10
  • 11. Performance Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta (1965) - Joseph Beuys com mel e folhas de ouro no rosto e o coelho morto no colo com quem ele conversa
  • 13. “The pack (a matilha), 1969 ″. Em A Matilha, Beuys apresenta uma instalação com uma Kombi e 24 trenós de madeira contendo feltro, gordura e lanternas. 13
  • 14. “Cadeira com gordura, 1963″. 14
  • 15. Fotografia de: “Coiote/Joseph Beuys: “I like America and America likes Me”, 1974″. 15
  • 16. “A MORTE DE MARAT” de Vik Muniz, Imagem do documentário “Lixo extraordinário” (“Waste land”) ganhou dois prêmios no Festival de Cinema de Berlim (a Berlinale): um de audiência e outro da organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional (AI). 16
  • 17. Spencer Tunick É um fotógrafo que nasceu nos Estados Unidos, Middeltown, em 1967 conhecido pelas suas polémicas fotografias onde utiliza grandes aglomerações de pessoas em corpo nu. Por exemplo, em 2005 foi detido pela polícia de Nova Iorque quando fotografava uma modelo nua frente uma árvore de natal no Rockfeller Center. O fotógrafo americano Spencer Tunick é a única pessoa vestida nas suas sessões de fotos. Ele recruta, ao redor do mundo, milhares de voluntários para ficarem nus nos mais diferentes cenários, do calor australiano às geleiras suíças. 17
  • 19. Spencer Tunik Numa parceria entre Tunik e o Greenpeace, voluntários posam na geleira de Aletsch, Suíça, para chamar a atenção sobre o aquecimento global. 19
  • 20. Spencer Tunik Quatrocentas e cinquenta mulheres são dispostas ao redor do terminal de informações do Grand Central Terminal de Nova York, a maior estação de trens do mundo. 20
  • 21. Spencer Tunik Milhares de pessoas posam em Sidney, Austrália. 21
  • 22. INSTALAÇÃO LINGUAGEM ARTÍSTICA MODERNA instalação (krafts) é uma manifestação artística onde a obra é composta de elementos organizados em um ambiente. A disposição de elementos no espaço tem a intenção de criar uma relação com o espectador. 22
  • 23. D E F I N I Ç Ã O DE INSTALAÇÃO É uma obra de arte que só "existe" na hora da exposição, é montada na hora, e após isto é desmontada, sendo que de lembrança da mesma só ficam fotos e recordações... Uma das possibilidades da instalação é provocar sensações: frio, calor, odores, som ou coisas que simplesmente chamem a atenção do público ao redor. 23
  • 24. INSTALAÇÃO O pavilhão principal é Na Bienal de São Paulo dedicado às melhores obras, e a entrada principal é da artista brasileira Lygia Pape, constituída de fios de ouro presos do chão ao teto, formando uma instalação em que o espectador anda no meio, fazendo parte dela. 24
  • 26. “Somewhere Over the Rainbow “ Márcio Lima©Associação Cultural Video-Brasil 26
  • 27. “Estrutura Volátil”- O artista paranaense Geraldo Zamproni apresentou sua primeira exposição individual na capital federal com a instalação “Estrutura Volátil”. A mostra foi aberta dia 9 de fevereiro, na Marquise do Complexo Cultural da Funarte, em Brasília. O projeto foi contemplado com o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 27 2011, para ocupação do espaço.
  • 28. Turquia - Visitante observa instalação chamada 'Public Page 48,49,51', do artista chinês Wang Du, que integra a Feira Internacional de Arte Contemporânea em Istambul. Mais de 350 artistas de todo o mundo expõem no evento. 28
  • 29. Palácio de Versailles- 2009 –Exposição de Arte contemporânea. 29
  • 30. Joana Vasconcelos (Paris, 1971) é uma artista plástica portuguesa. Vive e trabalha em Lisboa no circuito internacional da arte contemporânea. As participações na Bienal de Veneza, em 2005, 2007 e 2012 A obra Sr. Vinho de Joana Vasconcelos 30
  • 31. Espaço Frans Krajcberg, em Curitiba. É um pintor, escultor, gravador e fotógrafo, artista plástico nascido na Polônia em 1921 e naturalizado brasileiro. 31
  • 32. Trabalhos de Frans Krajcberg na mostra Natura, em São Paulo. 32
  • 33. Cildo Meireles é um dos artistas mais importantes da arte contemporânea. 33
  • 34. Land Art (Arte ambiental) A Land Art, também conhecida como Earth Art ou Earthwork é o tipo de arte em que o terreno natural, em vez de prover o ambiente para uma obra de arte, é ele próprio trabalhado de modo a integrar-se à obra. A Land Art surgiu em finais da década de 1960, em parte como consequência de uma insatisfação crescente em face da deliberada monotonia cultural pelas formas simples do minimalismo, em parte como expressão de um desencanto relativo a sofisticada tecnologia da cultura industrial, bem como ao aumento do interesse às questões ligadas à ecologia. 34
  • 35. O conceito estabeleceu-se numa exposição organizada na Dwan Gallery, Nova York, em 1968, e na exposição Earth Art, promovida pela Universidade de Cornell, em 1969. É um tipo de arte que, por suas características, não é possível expor em museus ou galerias (a não ser por meio de fotografias). Devido às muitas dificuldades de colocar- se em prática os esquemas de land art, suas obras muitas vezes não vão além do estágio de projeto. Assim, a afinidade com a arte conceitual é mais do que apenas aparente. 35
  • 36. Capital fluminense ganha museu a céu aberto com inauguração do projeto Outras Ideias para o Rio (07 de setembro de 2012) No projeto, o olhar estrangeiro sobre a cidade está expresso em obras como a enorme cabeça flutuante do espanhol Jaume Plensa, instalada nas águas da Enseada de Botafogo. Nesta semana, antes mesmo da abertura da mostra, a obra, de 12 metros de altura. 36
  • 37. Obra de Arte no centro do Rio de Janeiro. 9/set/2012 – turistas visitam labirinto de vidro feito pelo artista americano Robert Morris na praça da Cinelândia. Morris é considerado um dos criadores do Minimalismo e de Land Art. 37
  • 39. Espiral", realizada por Robert Smithson em 1970, no Great Salt Lake, construída com terra e pedra sobre a água, numa extensão superior a quatrocentos metros, posteriormente destruída pela própria água. 39
  • 40. Shiro Hayami (b 1927) - "Land Art“- painted stones on a beach (pedras pintadas na praia). 40
  • 41. 41 “O Campo de Luz” Walter De Maria, 1977
  • 42. A Arte Ambiental, pela sua enorme dimensão, é exposta ao ar livre, aproveitando o ambiente externo das ruas e da natureza. O artista Walter de Maria realiza em 1977 a obra “O Campo de Luz”, que consiste em 100 pára-raios colocados no deserto de Quemados no Novo México, nos Estados Unidos. A obra acontece nos dias de tempestade. Os espectadores têm que assinar um termo de responsabilidade, isentando o artista de culpa, caso sejam eletrocutados. 42
  • 43. INTERFERÊNCIAS LINGUAGEM ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEA Christo Vladimirov Javacheff e Jeanne -Claude Denat de Guillebon são um casal que se dedica à arte de “embrulhar” grandes monumentos e cenários pelo mundo. Muitos consideram esse trabalho uma forma de arte ecológica ou até mesmo um protesto, porém, eles afirmam que o fazem somente pelo seu apelo estético. Chisto afirma que é um artista com coragem pois além dos desenhos preparatórios nada sobra de sua obra de arte. “É preciso muito mais coragem para criar peças que irão desaparecer do que para criar peças que ficam” diz Christo. Para conhecer mais sobre o trabalho do casal acesse o site oficial de Christo e Jeanne-Claude. 43
  • 45. INTERFERÊNCIAS LINGUAGEM ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEA Árvores embrulhadas na Suíça 45
  • 46. 46
  • 47. Palácio do Reichstag em Berlin, Alemanha 47
  • 48. 48
  • 50. Interferências: Pont Neuf, Paris, 1985 – trabalho de interferência de Christo e Jean- Claude 50
  • 51. 51
  • 52. Central Park de Nova York 52
  • 53. Parte sul do Central Park com os "portões" de Christo As criações da dupla sempre foram cercadas de polêmica. 53
  • 54. 54
  • 55. Olhando de frente o Vallley Curtain, Rifle, Colorado, 1970-72 55
  • 56. Fernando Botero (1932) Nascido em Medellín, Colômbia. Nas obras satíricas de Fernando Botero, políticos, militares e religiosos, músicos e a realeza, são retratados com figuras rotundas e sem movimento, assumindo a característica de vida humana estática. De natureza humorística à primeira vista, as pinturas de Botero são geralmente um comentário social com toques políticos. 56
  • 57. 1956. Durante sua estadia no México, nasce seu interesse pela Arte Pré-colombiana e o trabalho dos artistas do Surrealismo mexicano, que o atriam e acreditava que era ai onde estava a escencia da arte latinoamerica. Foi no México onde pintou Naturaleza muerta con mandolina”, descobre a possibilidade de aumentar o volume. Um dia esgotado de tanto trabalho fez uma pequena marca no centro da mandolina que estava desenhando, subitamente viu que esse pequeño ponto tinha por onde sai o som do instrumento, tinha dado o volume e a solidez que acabaria dando a proporção “boteriana” que seria o ponto central do estilo que leva seu nome “estilo boteriano”, é a volumetria do seu estilo. “Foi como atravesar uma porta para entrar em outro quarto”. 57
  • 58. Anish Kapoor - "Ascension" Anish Kapoor diz que quer fazer objetos e instalações que pareçam importados "de outro mundo". Esta é mais ou menos a sensação que se tem ao olhar para cima, na cúpula circular do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) do Rio, e ver subir, em espiral, um fio de fumaça rumo ao céu estrelado (veja fotos no álbum ao lado) visível por conta do teto de vidro, também formando um círculo no centro do prédio. Batizada de "Ascension", a instalação dá nome à exposição do artista plástico indiano-britânico, um dos mais importantes escultores contemporâneos do mundo. Esta é a primeira mostra em uma galeria que ele faz no Brasil - antes, participou duas vezes da Bienal Internacional de São Paulo (em 1983 e em 1996) Conhecido por obras de grande porte apresentadas tanto em importantes museus e galerias - como a londrina Tate Modern e o nova-iorquino MOMA - quanto em espaços públicos, o artista traz para o Brasil instalações, esculturas e o único vídeo de sua carreira, que exploram, por meio de diferentes formas e materiais, as relações e sensações espaciais, o resultado da interação do indivíduo com seu trabalho, com o objetivo, segundo o artista, de abordar o "o medo da inconsciência, do vazio", e a descrição do "vácuo". Entre os trabalhos da exposição há três obras inéditas, entre elas a instalação "Ascension".. 58
  • 59. Anish Kapor no CCBB Rio de Janeiro 59
  • 61. 61
  • 62. Gravura Gravura é uma imagem representando algo, como pintura, desenho, relevos, etc. O material pode variar e classifica-se a gravura de acordo com o material de que é feita. 62
  • 63. Gravura em metal de Paula Almozara, 1989 63
  • 64. Gravura em metal de aluno de Gravura da Escola de Belas Artes da UFMG (EBA). 64
  • 65. Xilogravura é a técnica de gravura na qual se utiliza madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem gravada sobre papel ou outro suporte adequado. È um processo muito parecido com um carimbo. É uma técnica em que se entalhar na madeira, com ajuda de instrumento cortante, a figura ou forma (matriz) que se pretende imprimir. Em seguida usa-se um rolo de borracha embebecida em tinta, tocando só as partes elevadas do entalhe. O final do processo é a impressão em alto relevo em papel ou pano especial, que fica impregnado com a tinta, revelando a figura. Entre as suas variações do suporte pode-se gravar em linóleo (linoleogravura) ou qualquer outra superfície plana. A xilogravura popular é uma permanência do traço medieval da cultura portuguesa transplantada para o Brasil e que se desenvolveu na literatura de cordel. xilogravura- Escher 65
  • 66. No ano de 2011, no Centro Cultural Banco do Brasil, no centro de São Paulo, esteve aberta a exposição denominada “O Mundo Mágico de Escher”, que contava com diversas obras do artista holandês que fez história graças aos seus trabalhos confusos e que pregam peças em nossa visão. Tudo isso utilizando apenas de perspectiva e pontos de vista diferentes. 66
  • 67. 67
  • 68. Uma prensa usada na litografia Litografia- (Do grego -lithos pedra e -graféin grafia, escrita) é um tipo de gravura. Essa técnica de gravura envolve a criação de marcas (ou desenhos) sobre uma matriz (pedra calcária) com um lápis gorduroso. A base dessa técnica é o princípio da repulsão entre água e óleo. Ao contrário das outras técnicas da gravura, a Litografia é planográfica, ou seja, o desenho é feito através do acúmulo de gordura sobre a superfície da matriz, e não através de fendas e sulcos na matriz, como na xilogravura e na gravura em metal. Seu primeiro nome foi poli autografia significando a produção de múltiplas cópias de manuscritos e desenhos originais. Prensa usada na litografia 68
  • 69. Uma pedra litográfica na prensa Pedra litográfica na prensa 69
  • 70. Serigrafia ou silk-screen é um processo de impressão no qual a tinta é vazada – pela pressão de um rodo ou puxador – através de uma tela preparada. A tela (Matriz serigráfica), normalmente de poliéster ou nylon, é esticada em um bastidor (quadro) de madeira, alumínio ou aço. É utilizada na impressão em variados tipos de materiais (papel, plástico, borracha, madeira, vidro, tecido, etc.). Pode ser feita de forma mecânica (por pessoas) ou automática (por máquinas). 70
  • 71. 71
  • 72. Fim