SlideShare uma empresa Scribd logo
ARTE MODERNA
FINAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SÉCULO XX
PROF: DAIANA BERLINCK
 Arte Moderna é o termo que designa qualquer expressão e
produção artística que ocorreu no final do século XIX até meados
do século XX. Englobam este período os mais diferentes tipos de
arte como: pintura, literatura, música, escultura, fotografia
e arquitetura. Na Arte Moderna podemos ver claramente a
influência da Revolução Industrial e suas máquinas a vapor, a
fotografia, o cinema e uma produção científica voltada ao estudo
da mente. Foi uma época em que tudo mudava muito
rapidamente e de forma caótica e desorganizada. Por isso foi
marcada pela sensação de que tudo é efêmero, e com uma
sensação de realidade fragmentada. Estas são as sensações que
sentimos quando estamos diante de alguma obra criada durante
o período do Modernismo.
 Os artistas desta época acreditavam que qualquer obra que
mostrasse a realidade como ela é, estava ultrapassada. Para eles,
era preciso criar uma nova forma de ver e sentir o mundo, em
todas as suas expressões, a fim de mudar a forma como toda a
sociedade via o mundo.
 Foi durante este período que os artistas passaram a se ver como
figuras mais do que importantes na sociedade, e responsáveis
por captar a verdadeira essência da natureza humana, não
somente retratar o cotidiano. Começou então uma fase de
desconstrução da criatividade. Era um período de guerras,
evoluções tecnológicas e confusão, que fez com que os artistas
desejassem compreender o que estava se passando, através
do conhecimento e experimentação de todas as novidades que
estavam acontecendo.
Foi durante este pensamento caótico que surgiram as correntes
de vanguarda, que passaram a separar os estilos do período da
arte moderna.
IMPRESSIONISMO
 O Impressionismo foi um movimento artístico (artes plásticas e música) que surgiu na
França no final do século XIX. Este movimento é considerado o marco inicial da arte
moderna. O nome “impressionismo” deriva de uma obra de Monet chamada
Impressão, Sol Nascente (1872).
 Características do impressionismo nas artes plásticas:
 - Ênfase nos temas da natureza, principalmente de paisagens;
 - Uso de técnicas de pintura que valorização a ação da luz natural;
 - Valorização da decomposição das cores;
 - Pinceladas soltas buscando os movimentos da cena retratada;
 - Uso de efeitos de sombras coloridas e luminosas.
IMPRESSÃO, SOL NASCENTE – CLAUDE MONET 1872
MULHER COM SOMBRINHA
CLAUDE MONET
1875
A BOIA VERMELHA
PAUL SIGNAC
EXPRESSIONISMO
 Em oposição ao Impressionismo, o Expressionismo surge no final do século XIX
com características que ressaltam a subjetividade. Neste movimento, a intenção do
artista é de recriar o mundo e não apenas a de absorvê-lo da mesma forma que é
visto. Aqui ele se opõe à objetividade da imagem, destacando, em contrapartida, o
subjetivismo da expressão.
 Características do Expressionismo nas artes plásticas:
 Seu marco ocorreu na Alemanha, onde atingiu vários pintores num momento em
que o país atravessava um período de guerra.
 As obras de arte expressionistas mostram o estado psicológico e as denúncias
sociais de uma sociedade que se considerava doente e na carência de um mundo
melhor.
 Pode-se dizer que o Expressionismo foi mais que uma forma de expressão, ele foi
uma atitude em prol dos valores humanos num momento em que politicamente
isto era o que menos interessava.
 O principal precursor deste movimento foi o pintor holandês Vincent Van Gogh,
que, com seu estilo único, já manifestava, através de sua arte, os primeiros sinais
do expressionismo. Outro importante pintor expressionista foi o norueguês Edvard
Munch.
VICENT VAN GOGH
VICENT VAN GOGH
EDVARD MUNCH
FAUVISMO
 O fauvismo foi um movimento artístico do começo do século XX. Teve inicio em 1901,
embora tenha ganhado esta denominação somente em 1905. A palavra tem origem no
vocábulo francês fauves que significa feras. Este movimento seguiu características
expressionistas. O artista plástico Henri Matisse é conhecido como o pai deste movimento
artístico. O artista plástico Henri Matisse é conhecido como o pai deste movimento
artístico.
 Características do Fauvismo nas artes plásticas:
 - Uso de cores intensas (rojo, verde, amarelo, azul e vermelho);
 - Busca de estabelecer harmonia, tranqüilidade, pureza e equilíbrio nas obras de arte;
 - Uso de formatos planos, grandes, simples e com traços largos;
 - Intenção de demonstrar sentimentos nas obras;
 - Temas preferidos: cenas urbanas e rurais, retratos, ambientes internos, nus e cenas ao ar
livre.
HARMONIA EM
VERMELHO
HENRI MATISSE
A DANÇA – HENRI MATISSE
ANDRE DERAIN
DADAÍSMO
 O dadaísmo foi um movimento artístico que surgiu na Europa (cidade Suíça de Zurique)
no ano de 1916. Possuía como característica principal a ruptura com as formas de arte
tradicionais. Portanto, o dadaísmo foi um movimento com forte conteúdo anárquico. O
próprio nome do movimento deriva de um termo inglês infantil: dadá (brinquedo,
cavalo de pau). Daí, observa-se a falta de sentido e a quebra com o tradicional deste
movimento. O artista plástico Marcel Duchamp é conhecido como o pai deste
movimento artístico.
 Características do Dadaísmo nas artes plásticas:
 - Objetos comuns do cotidiano são apresentados de uma nova forma e dentro de um
contexto artístico;
 - Irreverência artística;
 - Combate às formas de arte institucionalizadas;
 - Crítica ao capitalismo e ao consumismo;
 - Ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica.
 - Uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias,
músicas, jornais, etc) na composição das obras de artes plásticas;
 - Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos
políticos do mundo.
A FONTE
MARCEL DUCHAMP
RODA DE BICICLETA
MARCEL DUCHAMP
CUBISMO
 Este movimento artístico tem seu surgimento no século XX e é considerado o mais
influente deste período. Com suas formas geométricas representadas, na maioria
das vezes, por cubos e cilindros, a arte cubista rompeu com os padrões estéticos
que primavam pela perfeição das formas na busca da imagem realista da natureza.
O marco inicial do Cubismo ocorreu em Paris, em 1907, com a tela Les Demoiselles
d''Avignon, pintura que Pablo Picasso levou um ano para finalizar.
 Fases do Cubismo:
 - Cubismo cézanniano (entre os anos de 1907 e 1909) - é a fase que dá início ao
Cubismo. Período marcado pela forte presença das obras de Paul Cézanne.
 - Cubismo Analítico (entre os anos de 1910 e 1912) - fase marcada pela união dos
trabalhos criados separadamente por Picasso e Braque.
 - Cubismo Sintético (entre os anos de 1913 e 1914) - fase marcada pelo uso de
formas decorativas e cores marcantes.
LES DEMOISELLES D''AVIGNON
PABLO PICASSO
GUERNICA
PABLO PICASSO
MULHER SENTADA
PABLO PICASSO
SURREALISMO
 O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente
influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do
inconsciente na criatividade do ser humano. O marco de início do surrealismo foi a publicação
do Manifesto Surrealista, feito pelo poeta e psiquiatra francês André Breton, em 1924. Neste
manifesto, foram declarados os principais princípios do movimento surrealista: ausência da
lógica, adoção de uma realidade "maravilhosa" (superior), exaltação da liberdade de criação,
entre outros. Os artistas ligados ao surrealismo, além de rejeitarem os valores ditados pela
burguesia, vão criar obras repletas de humor, sonhos, utopias e qualquer informação contrária a
lógica.
 Foi através da pintura que as ideias do surrealismo foram melhor expressadas. Através da tela e
das tintas, os artistas plásticos colocam suas emoções, seu inconsciente e representavam o
mundo concreto.
 O movimento artístico dividiu-se em duas correntes. A primeira, representada principalmente
por Salvador Dalí, trabalha com a distorção e justaposição de imagens conhecidas. Sua obra
mais conhecida neste estilo é A Persistência da Memória. Nesta obra, aparecem relógios
desenhados de tal forma que parecem estar derretendo.
 Os artistas da segunda corrente libertam a mente e dão vazão ao inconsciente, sem nenhum
controle da razão. Joan Miró e Max Ernst representam muito bem esta corrente. As telas saem
com formas curvas, linhas fluidas e com muitas cores. O Carnaval de Arlequim e A Cantora
Melancólica, são duas pinturas de Miró que representam muito bem esta vertente do
surrealismo.
PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA – SALVADOR DALI
SALVADOR DALI
SALVADOR DALI
ABSTRACIONISMO
 A arte abstrata surgiu no começo do século XX, na Europa, no contexto do
movimento de Arte Moderna. O precursor da arte abstrata foi o artista russo
Kandinsky. Com suas pinceladas rápidas de cores fortes, transmitindo um
sentimento violento, Kandinsky marcou seu estilo abstracionista. Outro artista que
ganhou grande destaque no cenário da arte abstrata do começo do século XX foi o
holandês Piet Mondrian. Quando a arte abstrata surgiu no começo do século XX,
provocou muita polêmica e indignação. A elite europeia ficou chocada com
aqueles formatos considerados “estranhos” e de mau gosto. A arte abstrata
quebrou com o tradicionalismo, que buscava sempre a representação realista da
vida e das coisas, tentando imitar com perfeição a natureza. Na arte abstrata o
artista trabalha muito com conceitos, intuições e sentimentos, provocando nas
pessoas, que visualizam a obra, uma série de interpretações. Portanto, na arte
abstrata, uma mesma obra de arte pode ser vista, sentida e interpretada de várias
formas.
Kandinsky
Kandinsky
PIET MONDRIAN
ARTE MODERNA NO BRASIL
 Objetivando romper com os padrões antigos, os artistas modernos buscam constantemente
novas formas de expressão e, para isto, utilizam recursos como cores vivas, figuras
deformadas, cubos e cenas sem lógica. O marco inicial do movimento modernista brasileiro
foi a realização da Semana de Arte Moderna de 1922, onde diversos artistas plásticos e
escritores apresentaram ao público uma nova forma de expressão. Este evento ocorreu no
Teatro Municipal de São Paulo.
 Não foi fácil para estes artistas serem aceitos pela crítica que já estava acostumada com
padrões estéticos bem definidos, mas, aos poucos, suas exposições foram aumentando e o
público passou a aceitar e entender as obras modernistas.
 A Arte Moderna está exposta em muitos lugares, em São Paulo ela pode ser vista no Museu
de Arte Moderna, nas Bienais e também em outras formas de exposições que buscam
estimular esta forma de expressão.
 Destacam-se como artistas modernistas brasileiros: Di Cavalcanti, Vicente do Rêgo, Anita
Malfatti, Lasar Segall, Victor Brecheret, Tarsilla do Amaral e Ismael Nery.
 A Semana de Arte Moderna ocorreu no Teatro Municipal de São Paulo, em 1922,
tendo como objetivo mostrar as novas tendências artísticas que já vigoravam na
Europa. Esta nova forma de expressão não foi compreendida pela elite paulista,
que era influenciada pelas formas estéticas europeias mais conservadoras. O
idealizador deste evento artístico e cultural foi o pintor Di Cavalcanti.
 Em um período repleto de agitações, os intelectuais brasileiros se viram em um
momento em que precisavam abandonar os valores estéticos antigos, ainda muito
apreciados em nosso país, para dar lugar a um novo estilo completamente
contrário, e do qual, não se sabia ao certo o rumo a ser seguido.
 No Brasil, o descontentamento com o estilo anterior foi bem mais explorado no
campo da literatura, com maior ênfase na poesia. Entre os escritores modernistas
destacam-se: Oswald de Andrade, Guilherme de Almeida e Manuel Bandeira. Na
pintura, destacou-se Anita Malfatti, que realizou a primeira exposição modernista
brasileira em 1917. Suas obras, influenciadas pelo cubismo, expressionismo e
futurismo, escandalizaram a sociedade da época. Monteiro Lobato não poupou
críticas à pintora, contudo, este episódio serviu como incentivo para a realização da
Semana de Arte Moderna.
 A Semana, realizada entre 11 e 18 de fevereiro de 1922, foi a explosão de ideias
inovadoras que aboliam por completo a perfeição estética tão apreciada no século
XIX. Os artistas brasileiros buscavam uma identidade própria e a liberdade de
expressão; com este propósito, experimentavam diferentes caminhos sem definir
nenhum padrão. Isto culminou com a incompreensão e com a completa
insatisfação de todos que foram assistir a este novo movimento. Logo na abertura,
Manuel Bandeira, ao recitar seu poema Os sapos, foi desaprovado pela plateia
através de muitas vaias e gritos.
 Embora tenha sido alvo de muitas críticas, a Semana de Arte Moderna só foi
adquirir sua real importância ao inserir suas ideias ao longo do tempo. O
movimento modernista continuou a expandir-se por divulgações através da Revista
Antropofágica e da Revista Klaxon, e também pelos seguintes movimentos:
Movimento Pau-Brasil, Grupo da Anta, Verde-Amarelismo e pelo Movimento
Antropofágico.
 Todo novo movimento artístico é uma ruptura com os padrões utilizados pelo
anterior, isto vale para todas as formas de expressões, sejam elas através da
pintura, literatura, escultura, poesia, etc. Ocorre que nem sempre o novo é bem
aceito, isto foi bastante evidente no caso do Modernismo, que, a principio, chocou
por fugir completamente da estética europeia tradicional que influenciava os
artistas brasileiros.
 Curiosidades sobre a Semana de Arte Moderna:
 - Durante a leitura do poema "Os Sapos", de Manuel Bandeira (leitura feita por
Ronald de Carvalho) , o público presente no Teatro Municipal fez coro e
a leitura, mostrando desta forma a desaprovação.
 - No dia 17 de fevereiro, Villa-Lobos fez uma apresentação musical. Entrou no
palco calçando num pé um sapato e em outro um chinelo. O público vaiou, pois
considerou a atitude futurista e desrespeitosa. Depois, foi esclarecido que Villa-
Lobos entrou desta forma, pois estava com um calo no pé.
ABAPORU
TARSILA DO AMARAL
PESCADOR – TARSILA DO AMARAL
A ESTUDANTE
ANITA MALFATTI
BANANAL - LASAR SEGALL
CINCO MOSSAS DE GURATINGUETÁ
DI CAVALCANTE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
cafumilena
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
Aline Corso
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
pagodes
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
Turmasthera
 
Land Art
Land ArtLand Art
Op art
Op artOp art
Op art
sheilabeca
 
Cubismo
CubismoCubismo
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Andrea Garcia
 
Arte e tecnologia
Arte e tecnologiaArte e tecnologia
Arte e tecnologia
Cristiane Seibt
 
Aula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteAula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arte
Lila Donato
 
História da dança
História da dançaHistória da dança
História da dança
Isaque Marques Pascoal
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
Mary Lopes
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
Experiências Português
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
Jesrayne Nascimento
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
CEF16
 
Arte Contemporânea brasileira
Arte Contemporânea brasileiraArte Contemporânea brasileira
Arte Contemporânea brasileira
Luan Lucena
 
Arte Afro-Brasileira
Arte Afro-BrasileiraArte Afro-Brasileira
Arte Afro-Brasileira
Rodrigo Retka
 

Mais procurados (20)

Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
 
Land Art
Land ArtLand Art
Land Art
 
Op art
Op artOp art
Op art
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Arte e tecnologia
Arte e tecnologiaArte e tecnologia
Arte e tecnologia
 
Aula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteAula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arte
 
História da dança
História da dançaHistória da dança
História da dança
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Arte Contemporânea brasileira
Arte Contemporânea brasileiraArte Contemporânea brasileira
Arte Contemporânea brasileira
 
Arte Afro-Brasileira
Arte Afro-BrasileiraArte Afro-Brasileira
Arte Afro-Brasileira
 

Destaque

Folha de Boituva nº 2783
Folha de Boituva nº 2783Folha de Boituva nº 2783
Folha de Boituva nº 2783
Luciano Frontelle
 
Igarapava 53
Igarapava 53Igarapava 53
Diário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de GuarujáDiário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de Guarujá
prefeituraguaruja
 
Folha de Boituva 2784
Folha de Boituva 2784 Folha de Boituva 2784
Folha de Boituva 2784
Luciano Frontelle
 
Eleiçoes municipais 2012 itararé (1)
Eleiçoes municipais 2012   itararé (1)Eleiçoes municipais 2012   itararé (1)
Eleiçoes municipais 2012 itararé (1)
Educadora Fafit
 
Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11
Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11
Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11
Prefeitura de Guarujá
 
Diário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de GuarujáDiário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de Guarujá
prefeituraguaruja
 
Avaré e suas bandas musicais
Avaré e suas bandas musicaisAvaré e suas bandas musicais
Avaré e suas bandas musicais
Guilherme Ferrari
 
Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013
Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013
Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013
prefeituraguaruja
 
Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12
Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12
Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12
Prefeitura de Guarujá
 
Para que servem os jornais[2012]
Para que servem os jornais[2012]Para que servem os jornais[2012]
Para que servem os jornais[2012]
labteotonio
 
Gabriel monteiro
Gabriel monteiroGabriel monteiro
Gabriel monteiro
Carlos Elson Cunha
 
Argentina
ArgentinaArgentina
Argentina
Matheus Oliveira
 
Aparecida document
Aparecida documentAparecida document
Cajobi Presidente
Cajobi PresidenteCajobi Presidente
Cajobi Presidente
Leonardo Concon
 
Guaraci Estadual
Guaraci EstadualGuaraci Estadual
Guaraci Estadual
Leonardo Concon
 
Cajobi Senador
Cajobi SenadorCajobi Senador
Cajobi Senador
Leonardo Concon
 
La Vista CalçAda Barra Bonita E Mail
La Vista   CalçAda Barra Bonita E MailLa Vista   CalçAda Barra Bonita E Mail
La Vista CalçAda Barra Bonita E Mailimoveisdorio
 
IPB em Echaporã
IPB em EchaporãIPB em Echaporã
IPB em Echaporã
gilberto bueno filho
 
Barra Bonita - Eclusa
Barra Bonita - EclusaBarra Bonita - Eclusa
Barra Bonita - Eclusa
Amadeu Wolff
 

Destaque (20)

Folha de Boituva nº 2783
Folha de Boituva nº 2783Folha de Boituva nº 2783
Folha de Boituva nº 2783
 
Igarapava 53
Igarapava 53Igarapava 53
Igarapava 53
 
Diário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de GuarujáDiário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de Guarujá
 
Folha de Boituva 2784
Folha de Boituva 2784 Folha de Boituva 2784
Folha de Boituva 2784
 
Eleiçoes municipais 2012 itararé (1)
Eleiçoes municipais 2012   itararé (1)Eleiçoes municipais 2012   itararé (1)
Eleiçoes municipais 2012 itararé (1)
 
Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11
Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11
Diário Oficial de Guarujá - 21-12-11
 
Diário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de GuarujáDiário Oficial de Guarujá
Diário Oficial de Guarujá
 
Avaré e suas bandas musicais
Avaré e suas bandas musicaisAvaré e suas bandas musicais
Avaré e suas bandas musicais
 
Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013
Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013
Diário Oficial de Guarujá - 10/08/2013
 
Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12
Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12
Diário Oficial de Guarujá - 16-05-12
 
Para que servem os jornais[2012]
Para que servem os jornais[2012]Para que servem os jornais[2012]
Para que servem os jornais[2012]
 
Gabriel monteiro
Gabriel monteiroGabriel monteiro
Gabriel monteiro
 
Argentina
ArgentinaArgentina
Argentina
 
Aparecida document
Aparecida documentAparecida document
Aparecida document
 
Cajobi Presidente
Cajobi PresidenteCajobi Presidente
Cajobi Presidente
 
Guaraci Estadual
Guaraci EstadualGuaraci Estadual
Guaraci Estadual
 
Cajobi Senador
Cajobi SenadorCajobi Senador
Cajobi Senador
 
La Vista CalçAda Barra Bonita E Mail
La Vista   CalçAda Barra Bonita E MailLa Vista   CalçAda Barra Bonita E Mail
La Vista CalçAda Barra Bonita E Mail
 
IPB em Echaporã
IPB em EchaporãIPB em Echaporã
IPB em Echaporã
 
Barra Bonita - Eclusa
Barra Bonita - EclusaBarra Bonita - Eclusa
Barra Bonita - Eclusa
 

Semelhante a Arte moderna

O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
Michele Wilbert
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Lú Carvalho
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
Aline Raposo
 
Vanguardas Européias
Vanguardas EuropéiasVanguardas Européias
Vanguardas Européias
Arcelino Barbosa
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
Lú Carvalho
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma CavalcantiVanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Telma Cavalcanti
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
Andrea Dressler
 
Arte
ArteArte
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
ammarahmonteiro
 
Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
713773
 
A Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XXA Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XX
MartadeAmorimMendona
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
ceufaias
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
Sofia Oliveira
 
Vanguardas
VanguardasVanguardas
Vanguardas
Luma Thais
 
A Arte
A ArteA Arte
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
Itamir Beserra
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Gabriel Ferraciolli
 
Processos criativos em artes visuais
Processos criativos em artes  visuais  Processos criativos em artes  visuais
Processos criativos em artes visuais
Ediléia de Brito
 
Artemoderna4 131002090047-phpapp02
Artemoderna4 131002090047-phpapp02Artemoderna4 131002090047-phpapp02
Artemoderna4 131002090047-phpapp02
jessicabatistamuniz
 

Semelhante a Arte moderna (20)

O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
Vanguardas Européias
Vanguardas EuropéiasVanguardas Européias
Vanguardas Européias
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma CavalcantiVanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
Vanguardas europeias - Profª Telma Cavalcanti
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
 
Arte
ArteArte
Arte
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
 
Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
 
A Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XXA Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XX
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
 
Vanguardas
VanguardasVanguardas
Vanguardas
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
Processos criativos em artes visuais
Processos criativos em artes  visuais  Processos criativos em artes  visuais
Processos criativos em artes visuais
 
Artemoderna4 131002090047-phpapp02
Artemoderna4 131002090047-phpapp02Artemoderna4 131002090047-phpapp02
Artemoderna4 131002090047-phpapp02
 

Mais de Ana Paula Silva

Arte na Roma Antiga
Arte na Roma AntigaArte na Roma Antiga
Arte na Roma Antiga
Ana Paula Silva
 
A arte na Grécia Antiga
A arte na Grécia AntigaA arte na Grécia Antiga
A arte na Grécia Antiga
Ana Paula Silva
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
Linha do Tempo da Minha Vida
Linha do Tempo da Minha VidaLinha do Tempo da Minha Vida
Linha do Tempo da Minha Vida
Ana Paula Silva
 
Cardápio I - Abril
Cardápio I - AbrilCardápio I - Abril
Cardápio I - Abril
Ana Paula Silva
 
Cardápio II - Abril
Cardápio II - AbrilCardápio II - Abril
Cardápio II - Abril
Ana Paula Silva
 
Cardápio II - Abril
Cardápio II - AbrilCardápio II - Abril
Cardápio II - Abril
Ana Paula Silva
 
Cardápio I - Junho
Cardápio I - JunhoCardápio I - Junho
Cardápio I - Junho
Ana Paula Silva
 
Cardápio II - Junho
Cardápio II - JunhoCardápio II - Junho
Cardápio II - Junho
Ana Paula Silva
 
Cardápio III - Junho
Cardápio III - JunhoCardápio III - Junho
Cardápio III - Junho
Ana Paula Silva
 
Cardápio I - Maio
Cardápio I - MaioCardápio I - Maio
Cardápio I - Maio
Ana Paula Silva
 
Cardápio II - Maio
Cardápio II - MaioCardápio II - Maio
Cardápio II - Maio
Ana Paula Silva
 
Cardápio III - Maio
Cardápio III - MaioCardápio III - Maio
Cardápio III - Maio
Ana Paula Silva
 
Cardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
Cardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoCardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
Cardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
Ana Paula Silva
 
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2
Ana Paula Silva
 
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1
Ana Paula Silva
 
Apresentação Novo Plano de Carreira Magistério
Apresentação Novo Plano de Carreira MagistérioApresentação Novo Plano de Carreira Magistério
Apresentação Novo Plano de Carreira Magistério
Ana Paula Silva
 
Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.
Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.
Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.
Ana Paula Silva
 
Cartilha ABDA sobre TDAH
Cartilha ABDA sobre TDAHCartilha ABDA sobre TDAH
Cartilha ABDA sobre TDAH
Ana Paula Silva
 
Cartilha da Inclusão Escolar
Cartilha da Inclusão EscolarCartilha da Inclusão Escolar
Cartilha da Inclusão Escolar
Ana Paula Silva
 

Mais de Ana Paula Silva (20)

Arte na Roma Antiga
Arte na Roma AntigaArte na Roma Antiga
Arte na Roma Antiga
 
A arte na Grécia Antiga
A arte na Grécia AntigaA arte na Grécia Antiga
A arte na Grécia Antiga
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Linha do Tempo da Minha Vida
Linha do Tempo da Minha VidaLinha do Tempo da Minha Vida
Linha do Tempo da Minha Vida
 
Cardápio I - Abril
Cardápio I - AbrilCardápio I - Abril
Cardápio I - Abril
 
Cardápio II - Abril
Cardápio II - AbrilCardápio II - Abril
Cardápio II - Abril
 
Cardápio II - Abril
Cardápio II - AbrilCardápio II - Abril
Cardápio II - Abril
 
Cardápio I - Junho
Cardápio I - JunhoCardápio I - Junho
Cardápio I - Junho
 
Cardápio II - Junho
Cardápio II - JunhoCardápio II - Junho
Cardápio II - Junho
 
Cardápio III - Junho
Cardápio III - JunhoCardápio III - Junho
Cardápio III - Junho
 
Cardápio I - Maio
Cardápio I - MaioCardápio I - Maio
Cardápio I - Maio
 
Cardápio II - Maio
Cardápio II - MaioCardápio II - Maio
Cardápio II - Maio
 
Cardápio III - Maio
Cardápio III - MaioCardápio III - Maio
Cardápio III - Maio
 
Cardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
Cardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoCardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
Cardápio de Março - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
 
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 2
 
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1
Caderno de Soluções - OBI 2015 - Nível 1
 
Apresentação Novo Plano de Carreira Magistério
Apresentação Novo Plano de Carreira MagistérioApresentação Novo Plano de Carreira Magistério
Apresentação Novo Plano de Carreira Magistério
 
Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.
Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.
Projeto Diversidade Religiosa e Direitos Humanos.
 
Cartilha ABDA sobre TDAH
Cartilha ABDA sobre TDAHCartilha ABDA sobre TDAH
Cartilha ABDA sobre TDAH
 
Cartilha da Inclusão Escolar
Cartilha da Inclusão EscolarCartilha da Inclusão Escolar
Cartilha da Inclusão Escolar
 

Último

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 

Último (20)

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 

Arte moderna

  • 1. ARTE MODERNA FINAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SÉCULO XX PROF: DAIANA BERLINCK
  • 2.  Arte Moderna é o termo que designa qualquer expressão e produção artística que ocorreu no final do século XIX até meados do século XX. Englobam este período os mais diferentes tipos de arte como: pintura, literatura, música, escultura, fotografia e arquitetura. Na Arte Moderna podemos ver claramente a influência da Revolução Industrial e suas máquinas a vapor, a fotografia, o cinema e uma produção científica voltada ao estudo da mente. Foi uma época em que tudo mudava muito rapidamente e de forma caótica e desorganizada. Por isso foi marcada pela sensação de que tudo é efêmero, e com uma sensação de realidade fragmentada. Estas são as sensações que sentimos quando estamos diante de alguma obra criada durante o período do Modernismo.
  • 3.  Os artistas desta época acreditavam que qualquer obra que mostrasse a realidade como ela é, estava ultrapassada. Para eles, era preciso criar uma nova forma de ver e sentir o mundo, em todas as suas expressões, a fim de mudar a forma como toda a sociedade via o mundo.  Foi durante este período que os artistas passaram a se ver como figuras mais do que importantes na sociedade, e responsáveis por captar a verdadeira essência da natureza humana, não somente retratar o cotidiano. Começou então uma fase de desconstrução da criatividade. Era um período de guerras, evoluções tecnológicas e confusão, que fez com que os artistas desejassem compreender o que estava se passando, através do conhecimento e experimentação de todas as novidades que estavam acontecendo.
  • 4. Foi durante este pensamento caótico que surgiram as correntes de vanguarda, que passaram a separar os estilos do período da arte moderna.
  • 5. IMPRESSIONISMO  O Impressionismo foi um movimento artístico (artes plásticas e música) que surgiu na França no final do século XIX. Este movimento é considerado o marco inicial da arte moderna. O nome “impressionismo” deriva de uma obra de Monet chamada Impressão, Sol Nascente (1872).  Características do impressionismo nas artes plásticas:  - Ênfase nos temas da natureza, principalmente de paisagens;  - Uso de técnicas de pintura que valorização a ação da luz natural;  - Valorização da decomposição das cores;  - Pinceladas soltas buscando os movimentos da cena retratada;  - Uso de efeitos de sombras coloridas e luminosas.
  • 6. IMPRESSÃO, SOL NASCENTE – CLAUDE MONET 1872
  • 9. EXPRESSIONISMO  Em oposição ao Impressionismo, o Expressionismo surge no final do século XIX com características que ressaltam a subjetividade. Neste movimento, a intenção do artista é de recriar o mundo e não apenas a de absorvê-lo da mesma forma que é visto. Aqui ele se opõe à objetividade da imagem, destacando, em contrapartida, o subjetivismo da expressão.  Características do Expressionismo nas artes plásticas:  Seu marco ocorreu na Alemanha, onde atingiu vários pintores num momento em que o país atravessava um período de guerra.  As obras de arte expressionistas mostram o estado psicológico e as denúncias sociais de uma sociedade que se considerava doente e na carência de um mundo melhor.  Pode-se dizer que o Expressionismo foi mais que uma forma de expressão, ele foi uma atitude em prol dos valores humanos num momento em que politicamente isto era o que menos interessava.  O principal precursor deste movimento foi o pintor holandês Vincent Van Gogh, que, com seu estilo único, já manifestava, através de sua arte, os primeiros sinais do expressionismo. Outro importante pintor expressionista foi o norueguês Edvard Munch.
  • 13. FAUVISMO  O fauvismo foi um movimento artístico do começo do século XX. Teve inicio em 1901, embora tenha ganhado esta denominação somente em 1905. A palavra tem origem no vocábulo francês fauves que significa feras. Este movimento seguiu características expressionistas. O artista plástico Henri Matisse é conhecido como o pai deste movimento artístico. O artista plástico Henri Matisse é conhecido como o pai deste movimento artístico.  Características do Fauvismo nas artes plásticas:  - Uso de cores intensas (rojo, verde, amarelo, azul e vermelho);  - Busca de estabelecer harmonia, tranqüilidade, pureza e equilíbrio nas obras de arte;  - Uso de formatos planos, grandes, simples e com traços largos;  - Intenção de demonstrar sentimentos nas obras;  - Temas preferidos: cenas urbanas e rurais, retratos, ambientes internos, nus e cenas ao ar livre.
  • 15. A DANÇA – HENRI MATISSE
  • 17. DADAÍSMO  O dadaísmo foi um movimento artístico que surgiu na Europa (cidade Suíça de Zurique) no ano de 1916. Possuía como característica principal a ruptura com as formas de arte tradicionais. Portanto, o dadaísmo foi um movimento com forte conteúdo anárquico. O próprio nome do movimento deriva de um termo inglês infantil: dadá (brinquedo, cavalo de pau). Daí, observa-se a falta de sentido e a quebra com o tradicional deste movimento. O artista plástico Marcel Duchamp é conhecido como o pai deste movimento artístico.  Características do Dadaísmo nas artes plásticas:  - Objetos comuns do cotidiano são apresentados de uma nova forma e dentro de um contexto artístico;  - Irreverência artística;  - Combate às formas de arte institucionalizadas;  - Crítica ao capitalismo e ao consumismo;  - Ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica.  - Uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc) na composição das obras de artes plásticas;  - Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo.
  • 20. CUBISMO  Este movimento artístico tem seu surgimento no século XX e é considerado o mais influente deste período. Com suas formas geométricas representadas, na maioria das vezes, por cubos e cilindros, a arte cubista rompeu com os padrões estéticos que primavam pela perfeição das formas na busca da imagem realista da natureza. O marco inicial do Cubismo ocorreu em Paris, em 1907, com a tela Les Demoiselles d''Avignon, pintura que Pablo Picasso levou um ano para finalizar.  Fases do Cubismo:  - Cubismo cézanniano (entre os anos de 1907 e 1909) - é a fase que dá início ao Cubismo. Período marcado pela forte presença das obras de Paul Cézanne.  - Cubismo Analítico (entre os anos de 1910 e 1912) - fase marcada pela união dos trabalhos criados separadamente por Picasso e Braque.  - Cubismo Sintético (entre os anos de 1913 e 1914) - fase marcada pelo uso de formas decorativas e cores marcantes.
  • 24. SURREALISMO  O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do inconsciente na criatividade do ser humano. O marco de início do surrealismo foi a publicação do Manifesto Surrealista, feito pelo poeta e psiquiatra francês André Breton, em 1924. Neste manifesto, foram declarados os principais princípios do movimento surrealista: ausência da lógica, adoção de uma realidade "maravilhosa" (superior), exaltação da liberdade de criação, entre outros. Os artistas ligados ao surrealismo, além de rejeitarem os valores ditados pela burguesia, vão criar obras repletas de humor, sonhos, utopias e qualquer informação contrária a lógica.  Foi através da pintura que as ideias do surrealismo foram melhor expressadas. Através da tela e das tintas, os artistas plásticos colocam suas emoções, seu inconsciente e representavam o mundo concreto.  O movimento artístico dividiu-se em duas correntes. A primeira, representada principalmente por Salvador Dalí, trabalha com a distorção e justaposição de imagens conhecidas. Sua obra mais conhecida neste estilo é A Persistência da Memória. Nesta obra, aparecem relógios desenhados de tal forma que parecem estar derretendo.  Os artistas da segunda corrente libertam a mente e dão vazão ao inconsciente, sem nenhum controle da razão. Joan Miró e Max Ernst representam muito bem esta corrente. As telas saem com formas curvas, linhas fluidas e com muitas cores. O Carnaval de Arlequim e A Cantora Melancólica, são duas pinturas de Miró que representam muito bem esta vertente do surrealismo.
  • 25. PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA – SALVADOR DALI
  • 28. ABSTRACIONISMO  A arte abstrata surgiu no começo do século XX, na Europa, no contexto do movimento de Arte Moderna. O precursor da arte abstrata foi o artista russo Kandinsky. Com suas pinceladas rápidas de cores fortes, transmitindo um sentimento violento, Kandinsky marcou seu estilo abstracionista. Outro artista que ganhou grande destaque no cenário da arte abstrata do começo do século XX foi o holandês Piet Mondrian. Quando a arte abstrata surgiu no começo do século XX, provocou muita polêmica e indignação. A elite europeia ficou chocada com aqueles formatos considerados “estranhos” e de mau gosto. A arte abstrata quebrou com o tradicionalismo, que buscava sempre a representação realista da vida e das coisas, tentando imitar com perfeição a natureza. Na arte abstrata o artista trabalha muito com conceitos, intuições e sentimentos, provocando nas pessoas, que visualizam a obra, uma série de interpretações. Portanto, na arte abstrata, uma mesma obra de arte pode ser vista, sentida e interpretada de várias formas.
  • 32. ARTE MODERNA NO BRASIL  Objetivando romper com os padrões antigos, os artistas modernos buscam constantemente novas formas de expressão e, para isto, utilizam recursos como cores vivas, figuras deformadas, cubos e cenas sem lógica. O marco inicial do movimento modernista brasileiro foi a realização da Semana de Arte Moderna de 1922, onde diversos artistas plásticos e escritores apresentaram ao público uma nova forma de expressão. Este evento ocorreu no Teatro Municipal de São Paulo.  Não foi fácil para estes artistas serem aceitos pela crítica que já estava acostumada com padrões estéticos bem definidos, mas, aos poucos, suas exposições foram aumentando e o público passou a aceitar e entender as obras modernistas.  A Arte Moderna está exposta em muitos lugares, em São Paulo ela pode ser vista no Museu de Arte Moderna, nas Bienais e também em outras formas de exposições que buscam estimular esta forma de expressão.  Destacam-se como artistas modernistas brasileiros: Di Cavalcanti, Vicente do Rêgo, Anita Malfatti, Lasar Segall, Victor Brecheret, Tarsilla do Amaral e Ismael Nery.
  • 33.  A Semana de Arte Moderna ocorreu no Teatro Municipal de São Paulo, em 1922, tendo como objetivo mostrar as novas tendências artísticas que já vigoravam na Europa. Esta nova forma de expressão não foi compreendida pela elite paulista, que era influenciada pelas formas estéticas europeias mais conservadoras. O idealizador deste evento artístico e cultural foi o pintor Di Cavalcanti.  Em um período repleto de agitações, os intelectuais brasileiros se viram em um momento em que precisavam abandonar os valores estéticos antigos, ainda muito apreciados em nosso país, para dar lugar a um novo estilo completamente contrário, e do qual, não se sabia ao certo o rumo a ser seguido.  No Brasil, o descontentamento com o estilo anterior foi bem mais explorado no campo da literatura, com maior ênfase na poesia. Entre os escritores modernistas destacam-se: Oswald de Andrade, Guilherme de Almeida e Manuel Bandeira. Na pintura, destacou-se Anita Malfatti, que realizou a primeira exposição modernista brasileira em 1917. Suas obras, influenciadas pelo cubismo, expressionismo e futurismo, escandalizaram a sociedade da época. Monteiro Lobato não poupou críticas à pintora, contudo, este episódio serviu como incentivo para a realização da Semana de Arte Moderna.
  • 34.  A Semana, realizada entre 11 e 18 de fevereiro de 1922, foi a explosão de ideias inovadoras que aboliam por completo a perfeição estética tão apreciada no século XIX. Os artistas brasileiros buscavam uma identidade própria e a liberdade de expressão; com este propósito, experimentavam diferentes caminhos sem definir nenhum padrão. Isto culminou com a incompreensão e com a completa insatisfação de todos que foram assistir a este novo movimento. Logo na abertura, Manuel Bandeira, ao recitar seu poema Os sapos, foi desaprovado pela plateia através de muitas vaias e gritos.  Embora tenha sido alvo de muitas críticas, a Semana de Arte Moderna só foi adquirir sua real importância ao inserir suas ideias ao longo do tempo. O movimento modernista continuou a expandir-se por divulgações através da Revista Antropofágica e da Revista Klaxon, e também pelos seguintes movimentos: Movimento Pau-Brasil, Grupo da Anta, Verde-Amarelismo e pelo Movimento Antropofágico.  Todo novo movimento artístico é uma ruptura com os padrões utilizados pelo anterior, isto vale para todas as formas de expressões, sejam elas através da pintura, literatura, escultura, poesia, etc. Ocorre que nem sempre o novo é bem aceito, isto foi bastante evidente no caso do Modernismo, que, a principio, chocou por fugir completamente da estética europeia tradicional que influenciava os artistas brasileiros.
  • 35.  Curiosidades sobre a Semana de Arte Moderna:  - Durante a leitura do poema "Os Sapos", de Manuel Bandeira (leitura feita por Ronald de Carvalho) , o público presente no Teatro Municipal fez coro e a leitura, mostrando desta forma a desaprovação.  - No dia 17 de fevereiro, Villa-Lobos fez uma apresentação musical. Entrou no palco calçando num pé um sapato e em outro um chinelo. O público vaiou, pois considerou a atitude futurista e desrespeitosa. Depois, foi esclarecido que Villa- Lobos entrou desta forma, pois estava com um calo no pé.
  • 37. PESCADOR – TARSILA DO AMARAL
  • 39. BANANAL - LASAR SEGALL
  • 40. CINCO MOSSAS DE GURATINGUETÁ DI CAVALCANTE