Antígeno Anticorpo

43.271 visualizações

Publicada em

Aula sobre Antigeno Anticorpo Imunologia Básica ICS UFBA

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
43.271
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
323
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
511
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Antígeno Anticorpo

  1. 1. Antígeno e Estrutura do Anticorpo
  2. 2. Antígenos-definições <ul><li>Imunógeno: substância que pode induzir uma resposta imune. </li></ul><ul><li>Antígeno: qualquer substância que pode se ligar a anticorpos. </li></ul>
  3. 3. Antígenos-definições <ul><li>Hapteno: não induz a produção de anticorpos, mas podem se ligar a eles, uma vez que a resposta tenha se produzido. </li></ul><ul><li>Epitopo ou determinante antigênico : porção do antígeno que se liga no anticorpo. </li></ul>
  4. 4. A produção de Acs pode ser induzida por haptenos ou antígenos completos.
  5. 5. Propriedades intrínsecas dos antígenos proteicos que influenciam a imunogenicidade
  6. 6. Adjuvantes.
  7. 7. Dose de antígeno usada na imunização inicial afeta a resposta de anticorpos primária e secundária.
  8. 8. Fatores que influenciam a resposta ao antígeno.
  9. 9. Antígenos e epítopos dos linfócitos B <ul><li>Acs contra proteinas nativas são geralmente dirigidos contra resíduos situados na superfície. </li></ul><ul><li>O local de ligação do Ag em qualquer molécula de Ac possui um tamanho fixo ( 3 a 6 resíduos de aas. ou açúcares. </li></ul><ul><li>A maioria dos epítopos reconhecidos pelos linfócitos B são conformacionais. </li></ul>
  10. 10. Anticorpos se ligam à superfície das proteinas
  11. 11. Antígenos e epítopos de linfócitos T <ul><li>O linfócito T não reconhece antígenos livres, porém reconhecem epítopos associados às moléculas do MHC sobre a superfície das CAA. </li></ul><ul><li>Portanto, o linfócito T reconhece epítopos sequenciais. </li></ul>
  12. 12. Imunodominância <ul><li>Os resíduos dentro de um determinado epítopo que contribuem de modo desproporcional para as interações com um Ac ou TCR são denominados imunodominantes. </li></ul><ul><li>Podem também proporcionar maior afinidade de ligação com o Ac ou TCR. </li></ul>
  13. 13. Antígenos Timo-dependentes <ul><li>Para que ocorra a produção de anticorpos contra a maioria dos antígenos, o linfócito B recebe dois sinais: um é próprio reconhecimento antigênico e o outro é fornecido pelo linfócito T </li></ul>
  14. 14. Antígenos Timo-independentes <ul><li>Ag timo-independentes são aqueles que induzem uma resposta humoral sem a participação de linfócitos T. </li></ul><ul><li>A maioria destes antígenos são polímeros compostos de numerosa unidades químicas repetitivas, que podem ativar o linfocito B por ligação cruzada a receptores de superfície específicos. </li></ul><ul><li>Não induzem memória imunológica. </li></ul>
  15. 15. Imunoglobulina ou Anticorpo
  16. 16. Imunoglobulina ou Anticorpo
  17. 17. Estrutura da molécula de anticorpo
  18. 18. Digestão da Ig por enzimas
  19. 19. Regiões de hipervariabilidade
  20. 20. Forças de atração intermoleculares
  21. 21. A bi-funcionalidade da molécula de Ac MICRÓBIO 2 - NÃO SE LIGA AO ANTICORPO LIGAÇÃO DO Fc AO FAGÓCITO Fab Uma região da molécula é responsável pela ligação ao antígeno enquanto uma região diferente promove as chamadas atividades biológicas, que incluem a fixação do complemento,a ligação da imunoglobulina à tecidos do hospedeiro, às várias células do sistema imune etc. Fc
  22. 22. Especificidade da molécula de anticorpo Os anticorpos são altamente específicos para a conformação tridimensional do epítopo . EPÍTOPO
  23. 23. Respostas policlonais As moléculas de anticorpo não se ligam ao antígeno como um todo. Vários anticorpos podem reconhecer um mesmo antígeno , com cada molécula ligando-se a uma região restrita (epítopo).
  24. 24. Ligação do Ag ao sítio combinatório do Ac.
  25. 25. Organização genômica das cadeias leve e pesadas da Igs
  26. 26. Rearranjo gênico das cadeias pesadas das Igs
  27. 27. Rearranjo gênico das cadeias leves das Igs
  28. 28. Número de segmentos nos genes das Igs humanas
  29. 29. Determinantes isotípicos
  30. 30. Determinantes isotípicos
  31. 31. Determinantes idiotípicos
  32. 32. Isotipos de Imunoglobulinas
  33. 33. Isotipos de Imunoglobulinas
  34. 34. Isotipos de Imunoglobulinas
  35. 35. Isotipos de Imunoglobulinas
  36. 36. Subclasses de IgG humana
  37. 37. Estrutura da IgA secretora
  38. 38. Formação da IgA secretora
  39. 39. Propriedades físicas das Igs humanas

×