Órgãos linfóides

23.875 visualizações

Publicada em

Aula Teórica Imunologia I - ICS 045 - Órgãos linfóides

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
23.875
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
385
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Órgãos linfóides

  1. 1. Células e tecidos do sistema imunológico
  2. 2. CD4+ T cell-mediated inflammatory response Differentiation IL-12 Expansion Basófilo Th1 IFN-gamma IL-4 APC Th0 IL4, IL5, IL13 Th2Activation IL-6, TGF-b MHC II Th17 IL-17 CD80 CD86 CD40 TGF-beta Treg IL-10, TGF-beta
  3. 3. T CD8+ CD8+ CD8+ Granules: Activation Perforin MHC I GranzimeLinfócito B Th2 B Plasmócito IL4, IL5, IL13
  4. 4. Órgãos LinfóidesÓrgãos linfóides centrais ou primários:- Medula óssea- TimoÓrgãos linfóides periféricos ou secundários:- Baço- Linfonodos-Tecidos linfóides associados à mucosa ( MALT )
  5. 5. Órgãos LinfóidesAs placas de Peyer: local importante de sensibilização doslinfócitos em resposta aos antígenos que penetram pelassuperfícies da mucosa do intestino delgado.Os órgãos linfóides protegem diferentes regiões doorganismo: o baço responde aos antígenos hematogênicos, oslinfonodos respondem aos antígenos carregados pela linfa e oMALT protege as superfícies mucosas.Existe um tráfego contínuo dos linfócitos: da correntesanguínea para os tecidos linfóides e, novamente, para osangue via ducto torácico.
  6. 6. Principais órgãos linfóides e suas localizações Linfonodos Uma cadeia como exemplo.A medula óssea A medula óssea hematogênica no indivíduo O timoadulto é encontrada nas cristas ilíacas e no esterno O baço 14GRANT, 1993 “MALT”: apêndice, placas de Peyer, tonsilas...
  7. 7. MEDULA ÓSSEA• Na medula óssea são geradas as células precursoras dos linfócitos T que migram para o timo.• Os linfócitos B são gerados e se diferenciam, a partir de células precursoras, na própria medula óssea.• A proliferação e maturação das células precursoras na medula óssea é estimulada por citocinas, algumas também chamadas fatores estimulantes de colônias (CSF). Ex: GM-CSF, G-CSF• As citocinas hematopoiéticas são produzidas por células do estroma,macrófagos da medula óssea, e por linfócitos T estimulados por antíge-nos. 15
  8. 8. MEDULA ÓSSEA TRABÉCULAA medula é uma estruturareticular semelhante a umaesponja, localizada entrelongas trabéculas. 16
  9. 9. Células do sangue Os espaços nessa estrutura ficam cheios de células adiposas e de precursores de células sanguíneas, que amadurecem e saem por meio de uma densa rede de seios vasculares. Célula precursora de célula do sangueTodas as células do sangue têm origem numa célula indiferenciada comum, que se diferencia em linhagens eritrocítica, megacariocítica, granulocítica, monocítica e linfocítica. 17
  10. 10. TIMO• O timo tem uma rica irrigação vascular e vasos linfáticos eferentesque drenam para os linfonodos mediastinais. A circulação de célulaspara dentro do timo se dá pelas vênulas de endotélio alto.• Dispersas por todo o timo, além dos linfócitos T, estão célulasreticulares epiteliais, células dendríticas interdigitantes (IDC) emacrófagos. Na medula, encontramos os corpúsculos de Hassall, quesão compostos de espirais de células reticulares epiteliais.• O córtex contém uma coleção densa de linfócitos T. A medula, decoloração mais clara, é mais escassamente povoada por linfócitos. As vênulas de endotélio alto estão presentes no timo e em alguns órgãos linfóides secun- dários. Elas são a principal via de chegada de linfócitos endereçados para esses órgãos. 18
  11. 11. TIMO TIMO Septo interlobular Lóbulo tímicoLocalização e e estruturado timo Localização estrutura do timo 19
  12. 12. ESTRUTURA DO TIMO lóbulo tímico córtex medula córtex células reticulares epiteliais linfócitos medulacórtex: tecido linfóide densomedula: tecido linfóide frouxo corpúsculo de Hassall20
  13. 13. TIMO TIMO JOVEM Córtex Medula TIMO ADULTO Corpúsculo de HassallT. Adiposo 21
  14. 14. Depois de maduros, os linfócitos T deixam o timo e migram para outros tecidos. timo medula timo timo órg. secundários tonsila linfonodos baço medula óssea (esterno) placas de Peyer apêndice cecal 23
  15. 15. LINFONODOS Vasos linfáticos Nos linfonodos: aferentes Córtex: externo (folículos – zona B) e interno (paracór- tex – zona T). Medula: seios e cordões. Seios sub- capsulares Centro germinativo Paracórtex Cordões medulares Trabécula Seios medularesSeio peritrabecular Vasos linfáticos Cápsula fibrosa eferentes 24
  16. 16. Resumindo:CápsulaSeios subcapsularesTrabéculasSeios peritrabecularesFolículos (F)Paracórtex (P)Seios medularesCordões medulares (MC) 25 Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
  17. 17. A camada medular apresenta os seios medulares, que como os seios subcapsulares e peritrabeculares, são compostos por um emaranhado de células mononu-cleares fagocíticas e atravessados pela linfa que chega pelos vasos linfáticos aferentes e sai pelos vasos linfá-ticos eferentes. Entre os seios, encontramos os cordões medulares, onde além de linfócitos existem outros tipos celulares, como plasmócitos. seios cordões 26
  18. 18. Apresentação antigênica nos linfonodos célula dendrítica linfó- citos 27
  19. 19. BAÇOC: cápsula; T: trabéculas; WP: polpa branca; RP: polpa vermelha. 28 Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
  20. 20. BAÇOPolpa branca, polpa vermelha e distribuição das células imunocompetentes Polpa branca Polpa vermelha Área de Linfócitos B Área de Linfócitos T Área de células reti- culares/macrófagos Hemácias 29
  21. 21. BAÇO bainha periarteriolar (zona T)folículocom centro polpa vermelhagerminativoárea B polpa branca folículo bainha 30
  22. 22. • Agregados de tecido linfóide não encapsulado são encontrados particularmente na lâmina própria e na submucosa dos tratos gastrointestinal, genitourinário e respiratório. São genericamente designados por tecido linfóide associado à mucosa (MALT).• Esses agregados incluem as placas de Peyer no intestino delgado (íleo), as tonsilas na faringe e os folí- culos linfóides submucosos no apêndice e em toda a via aérea superior. APÊNDICE O apêndice cecal abriga um grande número de linfócitos e centros germinativos (CG), que aparecem como áreas mais claras na figura ao lado. TONSILA CG CG A tonsila palatina é limitada por uma camada de con- juntivo internamente e por um epitélio na superfície lu- minal. Possui criptas. Os centros germinativos (CG). 31

×