SlideShare uma empresa Scribd logo
Imagem:googleimagens.com
É o sistema responsável pela defesa do organismo contra a ação de agente
patogênicos(que causam doenças).Ex:Vírus, bactérias e parasitas ou internos
(células cancerígenas).
A pele, as mucosas, a acidez gástrica, as
lágrimas e a saliva são chamadas de
barreiras físicas.
Mas, quando uma bactéria consegue
ultrapassar essas barreiras protetoras, entra
em cena o sistema imunitário, também
conhecido como sistema imunológico.
Ele é formado pelo timo, baço, gânglios
linfáticos, amídalas e por diversas células de
defesa, chamadas de glóbulos brancos.
Essas células circulam pelo sangue e atuam
como uma frente de proteção, que age de
forma específica contra cada tipo de invasor.
Macrófagos:São células que estão constantemente se movimentando
nos tecidos ou circulando no sangue (são chamados de monócitos
quando estão no sangue) e que têm a função de retirar por meio de
ingestão (fagocitose) as células mortas, resíduos celulares, agentes
estranhos ao organismo etc. Essas células são as primeiras do sistema
imune a entrar em ação no processo de defesa do organismo.
Linfócitos – são um tipo de leucócito (glóbulo branco)
presente no sangue. Existem três tipos principais de
linfócitos que atuam na resposta imunológica:
Linfócitos B – são as células responsáveis pela produção
de anticorpos quando maduras(substâncias específicas para
atacar cada tipo de invasor).Nesta fase são chamadas de
plasmócitos.
Linfócitos T matadores – também chamadas de células
CDB ou citotóxicos, possuem a função de detectar e destruir
células anormais ou infectadas por vírus, bem como células
estranhas ao corpo.
Linfócitos T auxiliadores – também chamadas de células
CD4, são responsáveis por estimular a atuação dos linfócitos na
produção de anticorpos, através da mensagem recebida pelos
macrófagos da entrada de agentes estranhos no corpo. A
ativação dos linfócitos T matadores e dos linfócitos B depende
do funcionamento dos linfócitos T auxiliadores.
Todas as moléculas dos anticorpos têm
uma estrutura básica em forma de y. Uma
molécula de anticorpo divide-se em regiões
variáveis e constantes. A região constante
determina a que antígeno se unirá ao
anticorpo.A região constante determina a
classe de anticorpo.(IgG,IgM,IgD,IgE ou
IgA).
São proteínas usadas pelo sistema
imunológico para identificar e neutralizar
corpos estranhos como bactérias, vírus ou
células tumorais. Um anticorpo reconhece
um alvo específico, o antígeno, presente nas
células estranhas ao organismo. Estrutura básica em
Y dos anticorpos
1º O invasor é detectado pelos macrófagos,que o combate diretamente e
comunica aos demais componentes do sistema imune sobre a invasão.
Essa substância é parcialmente digerida pelos macrófagos, exposto na
superfície de suas membranas.2º Os linfócitos auxiliadores reconhecem
os antígenos e se ligam a eles para combatê-los. Neste momento estes
linfócitos também liberam compostos denominados interleucinas, que
ativam e estimulam a multiplicação de linfócitos T auxiliadores.3º Estes
novos linfócitos intensificação o combate ao invasor e liberam outros
tipos de interleucinas, que estimulam os linfócitos T matadores e os
linfócitos B. Este processo ocorre até que os antígenos desapareçam.
OBS:No nosso organismo há um mecanismo que acelera o combate de
invasores que já tiveram contato. Este mecanismo se chama memória
imunitária e ocorre através do armazenamento de linfócitos especiais,
que atuaram em processos imunitários passados. Estas células, por
armazenar a capacidade de reconhecer determinados antígenos, são
denominadas de células de memória. Quando um novo ataque ocorre,
por antígenos conhecidos, estas células são ativadas e estimuladas a se
reproduzirem, de forma muito mais rápida do que no primeiro contato
com esses invasores.
A primeira coisa que você deve aprender é que os dois agem como
imunizadores, mas são usados em diferentes situações.
A diferença entre os soros e as vacinas está no fato dos soros já
conterem os anticorpos necessários para combater uma determinada
doença ou intoxicação, enquanto que as vacinas contêm agentes
infecciosos incapazes de provocar a doença (a vacina é inócua), mas
que induzem o sistema imunológico da pessoa a produzir anticorpos,
evitando a contração da doença. Portanto, o soro é curativo,
enquanto a vacina é, essencialmente, preventiva.
Sistema Imunológico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
Ricardo Portela
 
Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passiva
Messias Miranda
 
Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02
Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02
Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02
Guilherme Wendel
 
Conceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema ImuneConceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema Imune
Lys Duarte
 
Imunidade Adquirida - Humoral
Imunidade Adquirida - HumoralImunidade Adquirida - Humoral
Imunidade Adquirida - Humoral
Isabel Lopes
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
Israel Lima
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
Catir
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
Andreza Campos
 
Imunologia - Vacinas
Imunologia - VacinasImunologia - Vacinas
Imunologia - Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Imunologia I
Imunologia IImunologia I
Imunologia I
LABIMUNO UFBA
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
Janine Rafael
 
Inflamação
InflamaçãoInflamação
Inflamação
Safia Naser
 
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa
LABIMUNO UFBA
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
LABIMUNO UFBA
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
César Milani
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
Gildo Crispim
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo I
LABIMUNO UFBA
 
Imunidade adaptativa
Imunidade adaptativaImunidade adaptativa
Imunidade adaptativa
Silas Gouveia
 

Mais procurados (20)

ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
 
Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passiva
 
Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02
Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02
Sistemaimunolgico 120618081705-phpapp02
 
Conceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema ImuneConceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema Imune
 
Imunidade Adquirida - Humoral
Imunidade Adquirida - HumoralImunidade Adquirida - Humoral
Imunidade Adquirida - Humoral
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
Imunologia - Vacinas
Imunologia - VacinasImunologia - Vacinas
Imunologia - Vacinas
 
Imunologia I
Imunologia IImunologia I
Imunologia I
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
 
Inflamação
InflamaçãoInflamação
Inflamação
 
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo I
 
Imunidade adaptativa
Imunidade adaptativaImunidade adaptativa
Imunidade adaptativa
 

Destaque

Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
Ernesto Silva
 
Patogenia
PatogeniaPatogenia
Patogenia
Tatiana Santos
 
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogasAgentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Pedro Filho
 
Introducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema ImuneIntroducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema Imune
LABIMUNO UFBA
 
Drogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianasDrogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianas
lubioq123
 
patogenicidad bacteriana
 patogenicidad bacteriana patogenicidad bacteriana
patogenicidad bacteriana
FUTUROS ODONTOLOGOS
 
Patogenia Microbiana
Patogenia MicrobianaPatogenia Microbiana
Patogenia Microbiana
Maria Constanza Bl Enfermera
 
Mecanismos de patogenia viral
Mecanismos de patogenia viralMecanismos de patogenia viral
Mecanismos de patogenia viral
Paula Mesa
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.
Jaqueline Almeida
 
Fatores de virulência
Fatores de virulênciaFatores de virulência
Fatores de virulência
dapab
 
Aula antimicrobianos
Aula antimicrobianosAula antimicrobianos
Aula antimicrobianos
Amanda Valle Pinhatti
 
Mecanismos de la patogenia bacteriana
Mecanismos de la patogenia bacterianaMecanismos de la patogenia bacteriana
Mecanismos de la patogenia bacteriana
Susana Gurrola
 
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianosMecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
nanaqueiroz
 

Destaque (13)

Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
 
Patogenia
PatogeniaPatogenia
Patogenia
 
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogasAgentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
 
Introducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema ImuneIntroducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema Imune
 
Drogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianasDrogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianas
 
patogenicidad bacteriana
 patogenicidad bacteriana patogenicidad bacteriana
patogenicidad bacteriana
 
Patogenia Microbiana
Patogenia MicrobianaPatogenia Microbiana
Patogenia Microbiana
 
Mecanismos de patogenia viral
Mecanismos de patogenia viralMecanismos de patogenia viral
Mecanismos de patogenia viral
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antimicrobianos.
 
Fatores de virulência
Fatores de virulênciaFatores de virulência
Fatores de virulência
 
Aula antimicrobianos
Aula antimicrobianosAula antimicrobianos
Aula antimicrobianos
 
Mecanismos de la patogenia bacteriana
Mecanismos de la patogenia bacterianaMecanismos de la patogenia bacteriana
Mecanismos de la patogenia bacteriana
 
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianosMecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
 

Semelhante a Sistema Imunológico

Imunologia INTRODUÇÃO BÁSCICA
Imunologia INTRODUÇÃO BÁSCICAImunologia INTRODUÇÃO BÁSCICA
Imunologia INTRODUÇÃO BÁSCICA
Karen Cardoso
 
Sistema imunitario
Sistema imunitarioSistema imunitario
Sistema imunitario
bridges
 
Tecido sanguineo e seu papel na imunidade
Tecido sanguineo e seu papel na imunidadeTecido sanguineo e seu papel na imunidade
Tecido sanguineo e seu papel na imunidade
whybells
 
3- CÉLULAS DO SI.pptx
3- CÉLULAS DO SI.pptx3- CÉLULAS DO SI.pptx
3- CÉLULAS DO SI.pptx
RayanneKaroline
 
Sistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12ºSistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12º
trawwr
 
T rabalho de anatomia
T rabalho de anatomiaT rabalho de anatomia
T rabalho de anatomia
Esteticista Tati Maia
 
O que é imunologia
O que é imunologiaO que é imunologia
O que é imunologia
Roberta Irvolino
 
Resposta Imune Adaptativa.pptx
Resposta Imune Adaptativa.pptxResposta Imune Adaptativa.pptx
Resposta Imune Adaptativa.pptx
JooSantana94
 
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºanoSistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Cátia Teixeira
 
Imunidade celular
Imunidade celularImunidade celular
Imunidade celular
Alex Lino
 
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptxAula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
Claudiomar8
 
Medresumos 2016 mad ii
Medresumos 2016   mad iiMedresumos 2016   mad ii
Medresumos 2016 mad ii
Jucie Vasconcelos
 
Sistema imunologico fisiologia
Sistema imunologico   fisiologiaSistema imunologico   fisiologia
Sistema imunologico fisiologia
Malu Correia
 
Imuno introdução-ao-sistema-imunológico-zago
Imuno introdução-ao-sistema-imunológico-zagoImuno introdução-ao-sistema-imunológico-zago
Imuno introdução-ao-sistema-imunológico-zago
nuria522
 
Cap1 imunologia
Cap1 imunologiaCap1 imunologia
Cap1 imunologia
philhote
 
SISTEMA IMUNOLÓGICO.docx
SISTEMA IMUNOLÓGICO.docxSISTEMA IMUNOLÓGICO.docx
SISTEMA IMUNOLÓGICO.docx
EduardoGomes340723
 
sistemaimunologico-181234560917182134.ppt
sistemaimunologico-181234560917182134.pptsistemaimunologico-181234560917182134.ppt
sistemaimunologico-181234560917182134.ppt
AssisTeixeira2
 
7a série sistema imunológico
7a série   sistema imunológico7a série   sistema imunológico
7a série sistema imunológico
SESI 422 - Americana
 
Imunologia fiocruz
Imunologia fiocruzImunologia fiocruz
Imunologia fiocruz
Viviane Karolina Vivi
 
Sistema Imunitário
Sistema ImunitárioSistema Imunitário
Sistema Imunitário
José A. Moreno
 

Semelhante a Sistema Imunológico (20)

Imunologia INTRODUÇÃO BÁSCICA
Imunologia INTRODUÇÃO BÁSCICAImunologia INTRODUÇÃO BÁSCICA
Imunologia INTRODUÇÃO BÁSCICA
 
Sistema imunitario
Sistema imunitarioSistema imunitario
Sistema imunitario
 
Tecido sanguineo e seu papel na imunidade
Tecido sanguineo e seu papel na imunidadeTecido sanguineo e seu papel na imunidade
Tecido sanguineo e seu papel na imunidade
 
3- CÉLULAS DO SI.pptx
3- CÉLULAS DO SI.pptx3- CÉLULAS DO SI.pptx
3- CÉLULAS DO SI.pptx
 
Sistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12ºSistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12º
 
T rabalho de anatomia
T rabalho de anatomiaT rabalho de anatomia
T rabalho de anatomia
 
O que é imunologia
O que é imunologiaO que é imunologia
O que é imunologia
 
Resposta Imune Adaptativa.pptx
Resposta Imune Adaptativa.pptxResposta Imune Adaptativa.pptx
Resposta Imune Adaptativa.pptx
 
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºanoSistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºano
 
Imunidade celular
Imunidade celularImunidade celular
Imunidade celular
 
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptxAula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
 
Medresumos 2016 mad ii
Medresumos 2016   mad iiMedresumos 2016   mad ii
Medresumos 2016 mad ii
 
Sistema imunologico fisiologia
Sistema imunologico   fisiologiaSistema imunologico   fisiologia
Sistema imunologico fisiologia
 
Imuno introdução-ao-sistema-imunológico-zago
Imuno introdução-ao-sistema-imunológico-zagoImuno introdução-ao-sistema-imunológico-zago
Imuno introdução-ao-sistema-imunológico-zago
 
Cap1 imunologia
Cap1 imunologiaCap1 imunologia
Cap1 imunologia
 
SISTEMA IMUNOLÓGICO.docx
SISTEMA IMUNOLÓGICO.docxSISTEMA IMUNOLÓGICO.docx
SISTEMA IMUNOLÓGICO.docx
 
sistemaimunologico-181234560917182134.ppt
sistemaimunologico-181234560917182134.pptsistemaimunologico-181234560917182134.ppt
sistemaimunologico-181234560917182134.ppt
 
7a série sistema imunológico
7a série   sistema imunológico7a série   sistema imunológico
7a série sistema imunológico
 
Imunologia fiocruz
Imunologia fiocruzImunologia fiocruz
Imunologia fiocruz
 
Sistema Imunitário
Sistema ImunitárioSistema Imunitário
Sistema Imunitário
 

Último

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 

Último (20)

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 

Sistema Imunológico

  • 2. É o sistema responsável pela defesa do organismo contra a ação de agente patogênicos(que causam doenças).Ex:Vírus, bactérias e parasitas ou internos (células cancerígenas). A pele, as mucosas, a acidez gástrica, as lágrimas e a saliva são chamadas de barreiras físicas. Mas, quando uma bactéria consegue ultrapassar essas barreiras protetoras, entra em cena o sistema imunitário, também conhecido como sistema imunológico. Ele é formado pelo timo, baço, gânglios linfáticos, amídalas e por diversas células de defesa, chamadas de glóbulos brancos. Essas células circulam pelo sangue e atuam como uma frente de proteção, que age de forma específica contra cada tipo de invasor.
  • 3. Macrófagos:São células que estão constantemente se movimentando nos tecidos ou circulando no sangue (são chamados de monócitos quando estão no sangue) e que têm a função de retirar por meio de ingestão (fagocitose) as células mortas, resíduos celulares, agentes estranhos ao organismo etc. Essas células são as primeiras do sistema imune a entrar em ação no processo de defesa do organismo.
  • 4. Linfócitos – são um tipo de leucócito (glóbulo branco) presente no sangue. Existem três tipos principais de linfócitos que atuam na resposta imunológica: Linfócitos B – são as células responsáveis pela produção de anticorpos quando maduras(substâncias específicas para atacar cada tipo de invasor).Nesta fase são chamadas de plasmócitos. Linfócitos T matadores – também chamadas de células CDB ou citotóxicos, possuem a função de detectar e destruir células anormais ou infectadas por vírus, bem como células estranhas ao corpo. Linfócitos T auxiliadores – também chamadas de células CD4, são responsáveis por estimular a atuação dos linfócitos na produção de anticorpos, através da mensagem recebida pelos macrófagos da entrada de agentes estranhos no corpo. A ativação dos linfócitos T matadores e dos linfócitos B depende do funcionamento dos linfócitos T auxiliadores.
  • 5.
  • 6. Todas as moléculas dos anticorpos têm uma estrutura básica em forma de y. Uma molécula de anticorpo divide-se em regiões variáveis e constantes. A região constante determina a que antígeno se unirá ao anticorpo.A região constante determina a classe de anticorpo.(IgG,IgM,IgD,IgE ou IgA). São proteínas usadas pelo sistema imunológico para identificar e neutralizar corpos estranhos como bactérias, vírus ou células tumorais. Um anticorpo reconhece um alvo específico, o antígeno, presente nas células estranhas ao organismo. Estrutura básica em Y dos anticorpos
  • 7. 1º O invasor é detectado pelos macrófagos,que o combate diretamente e comunica aos demais componentes do sistema imune sobre a invasão. Essa substância é parcialmente digerida pelos macrófagos, exposto na superfície de suas membranas.2º Os linfócitos auxiliadores reconhecem os antígenos e se ligam a eles para combatê-los. Neste momento estes linfócitos também liberam compostos denominados interleucinas, que ativam e estimulam a multiplicação de linfócitos T auxiliadores.3º Estes novos linfócitos intensificação o combate ao invasor e liberam outros tipos de interleucinas, que estimulam os linfócitos T matadores e os linfócitos B. Este processo ocorre até que os antígenos desapareçam. OBS:No nosso organismo há um mecanismo que acelera o combate de invasores que já tiveram contato. Este mecanismo se chama memória imunitária e ocorre através do armazenamento de linfócitos especiais, que atuaram em processos imunitários passados. Estas células, por armazenar a capacidade de reconhecer determinados antígenos, são denominadas de células de memória. Quando um novo ataque ocorre, por antígenos conhecidos, estas células são ativadas e estimuladas a se reproduzirem, de forma muito mais rápida do que no primeiro contato com esses invasores.
  • 8. A primeira coisa que você deve aprender é que os dois agem como imunizadores, mas são usados em diferentes situações. A diferença entre os soros e as vacinas está no fato dos soros já conterem os anticorpos necessários para combater uma determinada doença ou intoxicação, enquanto que as vacinas contêm agentes infecciosos incapazes de provocar a doença (a vacina é inócua), mas que induzem o sistema imunológico da pessoa a produzir anticorpos, evitando a contração da doença. Portanto, o soro é curativo, enquanto a vacina é, essencialmente, preventiva.