SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 67
Baixar para ler offline
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
   GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METÓDOLÓGICAS


               CURSO NORMAL MÉDIO




               NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                      PRÁTICA

           COMPONENTES CURRICULARES

      DIDÁTICA E AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

                DIDÁTICA DA HISTÓRIA

               DIDÁTICA DA GEOGRAFIA

          DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS

              DIDÁTICA DA MATEMÁTICA

               DIDÁTICA DA LINGUAGEM

            DIDÁTICA DO ENSINO DA ARTE

                PRÁTICA PEDAGÓGICA




               RECIFE, NOV/2009
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS


             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                     PRÁTICA



        COMPONENTES CURRICULARES


  DIDÁTICA E AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM




                     RECIFE, NOV/2009
                                                       2
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS
                              CURSO NORMAL MÉDIO

NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA E AVALIAÇÃO DA
APRENDIZAGEM.

ANO 1º:                                                    UNIDADE: 1

EMENTA:     Concepção    de    Educação,   Didática,   Avaliação   e   Avaliação   da
Aprendizagem. Sistema de avaliação. O processo de ensino aprendizagem – os
sujeitos do processo. Planejamento da aprendizagem enquanto processo de
organização do ensino-aprendizagem. Avaliação da aprendizagem. A dinâmica da
sala de aula.

OBJETO DE ESTUDO:        A Didática e suas relações na aprendizagem

OBJETIVO: Compreender a Didática como estudo e investigação permanente dos
condicionantes que interatuam nas relações entre prática, conhecimento e
aprendizagem.

                 ORIENTAÇÕES TEÓRICAS METODOLÓGICAS

      Apresentação do conceito de Didática.
      Estudo da história da Didática nos períodos de 1549 a 1930 e de 1930 até os
      dias atuais. (VEIGA 1991).
      Pesquisa bibliográfica sobre os pressupostos epistemológicos seguida de
      posterior socialização no grande grupo.
      Compreensão do papel da didática na atividade escolar e na construção da
      identidade do profissional docente a partir dos estudos de Pimenta, 2000.
      Discussão sobre a concepção de Educação, de Homem e de Mundo que
      orientam as aprendizagens, através de um Painel Integrado.
      Reconhecimento da Função Social da Escola, a partir do conhecimento prévio
      dos alunos da articulação entre os textos estudados e as vivências na escola
      campo.



   Avaliação: processual formativa



                                                                                    3
ANO: 1º                                             UNIDADE: 2

OBJETIVO:    Compreender a        avaliação como processo de       construção    do
conhecimento e importância da relação professor-aluno-conhecimento como
condição de organização do ensino e aprendizagem.


OBJETO DE ESTUDO: A avaliação enquanto processo de construção do
conhecimento.

                               ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

      Debate sobre a tríade professor x aluno x conhecimento e sua importância no
       processo de construção do conhecimento, a partir de leituras prévias e
       questões elaboradas decorrente dos estudos em pequenos grupos.
      Apresentação das diferentes concepções de Avaliação, identificando seus
       autores.
      Produções em duplas a respeito do conceito de Avaliação, levando em
       consideração       a   Avaliação   da   Aprendizagem,   enfatizando      suas
       especificidades.
      Apresentação dos diferentes enfoques da Avaliação da Aprendizagem e suas
       conseqüências sociais através de entrevista com professores e/alunos,
       relacionando-os com os textos estudados sobre a temática.
      Análise das entrevistas realizadas com os professores e alunos em pequenos
       grupos com orientação da professora.
      Compreensão do sentido e significado da avaliação, observando ao avaliar:
       Para que? Por quê? Para quem? A quem? E o que avaliar, através da
       exposição dialogada do professor.
      Estudo de texto sobre: As funções e etapas da avaliação, com socialização
       para o grande grupo e avaliação da professora.
      Apreensão dos diferentes sistemas de Avaliação Externa: Externa (Prova
       Brasil, SAEP, Provinha Brasil).
      Apropriação de atitudes de pesquisa e de professor-pesquisador, através da
       utilização dos instrumentos teórico-metodológicos observação e entrevista,
       no processo de construção do conhecimento.



Avaliação: processual formativa



                                                                                   4
ANO: 1º                                           UNIDADE: 3
OBJETIVO: Conhecer a organização do trabalho pedagógico como condição do
pensar e do saber fazer docente, tendo a planejamento da prática educativa como
uma atividade para a construção de uma escola democrática.

OBJETO DE ESTUDO: A organização do trabalho pedagógico

                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

O trabalho Pedagógico

          Compreensão do conceito de planejamento enquanto reflexão crítica da
          prática social pedagógica, através da exposição dialogada.
          Apresentação dos diferentes tipos de planejamento.
          Pesquisa sobre o Planejamento do Sistema Educacional; do Projeto Político
          Pedagógico e do plano de Ensino e Plano de Aula, analisando a
          importância, as características, e as singularidades destes, na prática
          pedagógica.
          Estudo da aula como forma de organização do ensino enfatizando a
          estruturação didática e os tipos, utilizando como articulação da teoria-
          prática, a observação (enquanto procedimento teórico-metodológico).
          Apreensão dos elementos constituintes da organização do trabalho
          pedagógico: objetivos, conteúdos, métodos e processos de ensino(
          educador x educando x conhecimento x sala de aula) e da sua importância
          no pensar e fazer docente.
          Realização de trabalhos teóricos de elaboração individual, oportunizando
          leituras e discussões coletivas.


Avaliação: processual formativa




ANO: 1º                                                     UNIDADE :4

OBJETIVO: Compreender a Didática e a Avaliação como estruturantes do processo
de construção do conhecimento, expressando os saberes necessários à prática
docente no contexto da elaboração de um plano de atividade de ensino.


OBJETO DE ESTUDO: Análise da avaliação do ensino-aprendizagem



                                                                                 5
ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

       Estudo de caso de práticas avaliativas e instrumentos de avaliação da
      aprendizagem, nos diferentes níveis da Educação Infantil e aos iniciais do
      Ensino Fundamental, analisando cada caso de acordo com a literatura
      estudada.
      Estudo em grupo, objetivando analisar: a avaliação institucional, a avaliação
      do processo de ensino-aprendizagem e auto-avaliação com socialização
      através de apresentação dos grupos.
      Construção do Plano de Aula, articulando aos métodos e processos de ensino
      vivenciados na sala de aula, com a fundamentação teórica estudada.
      Socialização dos planos de aula, sua importância e dificuldades no processo
      de construção do plano, com orientação da professora, na re-construção dos
      itens que se fizerem necessários.
      Análise da prática docente x planejamento e avaliação da aprendizagem,
      priorizando a articulação entre as temáticas analisadas, a partir de situações
      práticas.
      Pesquisa dos diferentes tipos de projetos existentes na escola, suas
      especificidades e aplicações.
      Elaboração de síntese individual sobre os diferentes tipos de projetos e suas
      especificidades para o grande grupo com intervenção da professora.


Avaliação: processual formativa


REFERÊNCIAS

BEHRENS, M. A. O Paradigma Emergente a Prática Pedagógica. 3ª edição.
Curitiba: Universitária Champagnat, 2003.
___________. Paradigma da Complexidade: Metodologia de projetos, contratos
didáticos e portfólios. Petrópolis Rio de janeiro. Vozes, 2006.
BUFFA, Ester. Ideologias em Conflitos: Escola Pública e Escola Privada. São
Paulo. Cortez e Moraes 1979.
CANDAU, Vera M (org.) A Didática em Questão, Petrópolis. Vozes, 1988
      _____ Rumo à Nova Didática. Petrópolis: Vozes, 1988.
CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: Elementos para uma Teoria. Porto
Alegre: Artes Médica Sul Ltda., 2000.
FREEIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2005.
                                                                                      6
GOMEZ, A. I. e SACRISTAN, J. Gimeno. Compreender e Transformar o Ensino.
Porto Alegre: Artmed, 1998.
HERNANDEZ E Ventura – A Organização do Currículo por Projeto de Trabalho.
HOFFMAN, Jussara. Pontos e Contra Pontos: do pensar ao agir em avaliação.
Porto Alegre: Mediação, 1998.
______Avaliação: Mito e Desafio: Uma perspectiva construtivista: Porto Alegre;
Mediação,        2005.
_____Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à
universidade: Porto Alegre; Mediação, 2003.
LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo Cortez, 1999
______ Democratização da Escola Pública – A Pedagogia Crítico-Social dos
Conteúdos ed. Loyola 1989
LUCK, Heloísa. Pedagogia Interdisciplinar Fundamentos Teórico-Metodológicos.
8ª ed. Petropolis Vozes 2000
LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar 10ª ed. Cortez
MORETTO, Vasco Pedro. Prova: Um Momento Privilegiado de Estudo não Um
Acerto de Contas. Rio de Janeiro DP& A, 2003
PILETTI, Claudino. Didática Geral São Paulo, Ática 1995.
ROMANOWSKI, Joana Paulin et al.(orgs.) Conhecimento Local e Conhecimento
Universal :Formação Docente, Aprendizado e Ensino. Curitiba: Champagnat, 2005, Vol.
1 e 5 XII ENDIPE.
WEISZ Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo, Editora Ática,
2001
ZABALA, A Prática Educativa: Como Ensinar. Porto Alegre Artmed 1998




                                                                               7
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS



             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                     PRÁTICA

        COMPONENTES CURRICULARES


             DIDÁTICA DA HISTÓRIA




                     RECIFE, NOV/2009
                                                       8
ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

                              CURSO NORMAL MÉDIO

NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA HISTÓRIA


EMENTA: Estudo dos Fundamentos do Ensino e Aprendizagem da História, voltados
para a prática de ensino na Educação Infantil, dos anos iniciais do Ensino
Fundamental. O tempo histórico, o espaço, a cultura e as relações sociais. O Saber
Histórico. O aluno enquanto sujeito histórico. Fontes de Pesquisa. Os PCNs e as
Propostas Curriculares. Perspectivas e Alternativas atuais no Ensino de História. A
dinâmica da sala de aula e suas relações. A Avaliação no Ensino de História.

OBJETO DE ESTUDO: O Processo de Ensino e Aprendizagem da História

ANO: 3º                                                           UNIDADE: 1


OBJETIVOS: Refletir sobre os fundamentos que norteiam o Ensino de História na
Educação Infantil e no Ens. Fundamental.
Compreender os conceitos básicos da prática pedagógica do ensino de História:
tempo, espaço, cultura e relações sociais.


                  ORIENTAÇÕES TEÓRICAS-METODOLÓGICAS
Fundamentos do Ensino Aprendizagem da História
Estudo reflexivo sobre os fundamentos que estruturam o Ensino da História na
Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino      Fundamental com apresentação
de síntese pelos grupos.
Apreensão dos conceitos de tempo, espaço, cultura e relações sociais, comparando-
os com o vivido e correntes historiográficas.
Reflexão sobre a compreensão de grupo social, tempo, cultura, trabalho, memória,
diversidade cultural no processo de construção e apropriação do saber histórico.
Percepção de diferentes processos de se ensinar-aprender a construção do saber
histórico, a partir de metodologia apresentadas pelo professor.
Análise de possíveis formas de se integrar as aulas de História com outros
componentes através de projetos didáticos.

Avaliação: processual e formativa.

                                                                                   9
ANO: 3º                                                               UNIDADE: 2

OBJETIVOS: Identificar as Perspectivas e alternativas do ensino de história hoje,
relacionando-as com as vivências da sala de aula na Educação Infantil.
       Conhecer a dinâmica da sala de aula e a prática docente no ensino de
História.
       Analisar o contexto da sala de aula em articulação com a interação professor
x aluno x conhecimento x planejamento x material didático x construção de saberes.

                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

             O Ensino de História na Educação Infantil
             Reconhecimento do papel das relações sociais e /ou interações na
             aprendizagem.
             Estudo em grupo sobre ensino de história e suas especificidades na
             Educação Infantil.
             Análise do currículo de história na Educação Infantil.
             Análise de documentos e referenciais que norteiam o ensino de História
             na Educação Infantil.
             Compreensão do sentido e significado da Avaliação de História na Ed.
             Infantil.
             Conhecimento das perspectivas e alternativas do ensino de história.
             Os sujeitos do processo: professor x aluno em busca de saberes.

Avaliação: processual e formativa


ANO: 3º                                                               UNIDADE: 3

OBJETIVOS: Compreender a investigação como processo de construção do saber
histórico no Ensino Fundamental.
               Saber-se ator e autor da História.
               Analisar diferentes fontes de pesquisa.
               Realizar estudos do PCNs identificando situações que possam ser
                 adaptadas às realidades da sala de aula.

                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

A Construção de saberes no Ensino Fundamental

                                                                                   10
Construção do saber histórico a partir do método da investigação.
       Estudo em grupo: análise das diferentes fontes de pesquisa histórica.
       Vivência de pesquisa como proposta de estratégia de ensino através de
       projeto temático.
       Compreensão da construção de saber histórico enquanto fruto de uma
       construção social.
       Reconhecimento de que o homem/mulher é ator e autor da história, através
       de pesquisa sobre a história de alunos e professores.
       Análise de documentos e referenciais que norteiam o ensino de História no
       Ensino Fundamental.
       Análise do currículo de história no Ensino Fundamental.
       Conhecimento de critérios para seleção de conteúdos da História.
       O professor enquanto pesquisador da sua prática (autor e ator da s/ história).

Avaliação: processual e formativa


ANO: 3º                                                            UNIDADE: 4

OBJETIVOS:        Estabelecer uma análise comparativa entre as observações
realizadas da prática docente do professor da Escola Campo e a teoria estudada.
                  Compreender a especificidade da Avaliação no Ensino de História
no Ensino Fundamental.
                  Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula e/ou
projetos interdisciplinares.


                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

Relação docente discente na construção do saber:

 Análise comparativa entre as experiências vivenciadas na escola campo e a teoria
 estudada na sala de aula; (estudo em grupo).
 Estruturação do plano de aula, adequando a avaliação aos objetivos da aula (ou
 projetos interdisciplinares).
 Elaboração do material didático pedagógico de suporte para organização da aula.
 Verificação do tempo adequado a realização das atividades com as idades dos
 alunos a serem trabalhados.
 Reflexão sobre a importância da transposição didática das aulas de história
 atentando para o processo de construção do saber histórico.

                                                                                    11
Socialização e avaliação dos planos de aula atendendo aos critérios de avaliação,
 estabelecidos previamente entre alunos e professor.

Avaliação: processual e formativa


REFERÊNCIAS
BRASIL, Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais –
PCN. História de 1ª a 4ª séries. Brasília:MEC/SEF.1997

BORGES, V. P. O QUÉ HISTÓRIA? 16ª ed. Ed. Brasiliense, 1991
BITTENCOURT, C. O Ensino de História fundamentos e métodos. São Paulo:
Cortez, 2004.
__________ (ORG). O SABER HISTÓRICO EM SALA DE AULA. SÃO PAULO
CONTEXTO. 1999
CARRETERO, Alberto Rosa e Maria Fernanda Gonzalez (org.) Ensino de História e
memória coletiva. Porto Alegre; Artmed, 2007..
FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de Ensino de História:
experiências, reflexões e aprendizados. Campinas, SP. Papirus. 2003.
__________Caminhos da História Ensinada. Campinas SP. Papirus, 1993
LEANDRO, Karnal (org ) História na sala de aula: conceitos ; práticas e
propostas. 2ª edição São Paulo: Contexto, 2004
MARSON, A. Reflexões Sobre Procedimento Histórico IN anpuh Repensando a
Historia. Rio de Janeiro; Marco Zero, 1984
NADAI Elza – Um Projeto de Montagem de Recursos Didáticos Aplicados à
História. Anais do VIII Simpósio Nacional da ANPUH, São Paulo, 1976
NEMI, AL. L Didática da História o Tempo Vivido: São Paulo FTD 1996
PENTEADO, H. D. Metodologia do Ensino da História e Geografia. Ed. Cortez,
São Paulo, 1992
PROENÇA, M. C. Ensinar e Aprender História. Lisboa. Horizonte S/D
SILVA, Marcos, Selva Guimarães Fonseca. Ensinar História no século XXI: em
busca do tempo entendido. Campinas SP. Papirus, 2007.
SÔNIA L. N.(org.) Repensando o Ensino de História 6ª Ed. Cortez ANO:
SCHIMIDT, Maria Auxiliadora. Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004.




                                                                               12
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
   GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METÓDOLÓGICAS


               CURSO NORMAL MÉDIO




              NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                      PRÁTICA

         COMPONENTES CURRICULARES


           DIDÁTICA DAS LINGUAGENS




                      RECIFE, dez/2009
                                                        13
ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS
                               CURSO NORMAL MÉDIO


NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS LINGUAGENS

EMENTA:        O Ensino/Aprendizagem da linguagem oral na escola. Conceitos de
Oralidade, Letramento e Alfabetização e suas relações na sociedade e na escola. A
especificidade da Avaliação em Língua Portuguesa.

OBJETO DE ESTUDO: A linguagem como interação entre sujeitos, conhecimento e
o meio social.



ANO: 2º                                                     UNIDADE 1

OBJETIVO: Analisar os processos de ensino/aprendizagem da linguagem oral na
escola.

                             ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

O Ensino/aprendizagem da linguagem oral na escola.
   o Conhecimento do conceito de linguagem oral.
   o      Reflexão sobre o ensino/aprendizagem oral na escola (seleção de objetivos e
   prioridades do ensino).
   o Análise de gêneros orais: (debate, exposição oral, entrevista, história oral)
   o Análise de livros didáticos e de práticas pedagógicas voltadas para o ensino
   da oralidade.
   o Elaboração de atividades para desenvolver a competência de produção e
   compreensão de gêneros orais.
   o Compreensão do que e como avaliar o ensino/aprendizagem da oralidade.

Avaliação: processual e formativa.



ANO: 2º                                                     UNIDADE 2

OBJETIVOS:            Analisar os Conceitos de Oralidade, Letramento e Alfabetização.


                                                                                     14
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

Compreensão dos conceitos de:
                o Oralidade              Letramento autônomo
                o    Letramento          Teoria do Contínuo
                o    Alfabetização        Letramento ideológico
Alfabetização e Letramento
                o Conhecimento dos processos de ensino/aprendizagem
                o Compreensão dos conceitos e interfaces no processo
                     pedagógico.
O sistema alfabético da Escrita
                o Estudo da Evolução histórica e princípios constituintes;
                o Conhecimento do sistema alfabético.
                o Análise de práticas pedagógicas voltadas para o
                     ensino/aprendizagem da base alfabética.
                o Elaboração de atividades voltadas para o ensino/aprendizagem
                     do sistema alfabético da escrita.
                o Discussão sobre o que e como avaliar no processo de
                     ensino/aprendizagem do sistema alfabético da escrita.



ANO:2º                                                        UNIDADE 3

OBJETIVOS : Construir e analisar instrumentos de avaliação considerando as
especificidades da Avaliação em Língua Portuguesa, com base nos pressupostos
presentes em documentos oficiais e Referenciais Curriculares que norteiam as
concepções do ensino/aprendizagem da Língua Portuguesa.

                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS

Avaliação em Língua Portuguesa:
   o Conhecimento; das matrizes de Referência de Avaliação.
   o Conhecimento das escalas de proficiência em leitura.
   o Estudo          dos Sistemas de Avaliação ( SAEB,PROVA BRASIL E SAEPE).
   o Estudo de critérios para análise e elaboração de instrumentos de avaliação.

Construção e Análise de instrumentos de Avaliação:
            o        Sobre o ensino/aprendizagem da linguagem oral.
            o        Sobre o ensino/aprendizagem da leitura e escrita.

                                                                                   15
o      Elaboração de critérios de avaliação para as temáticas.



ANO: 2º                                                        UNIDADE 4

OBJETIVOS: Analisar as relações entre Oralidade, Letramento e Alfabetização na
sociedade e na escola, compreendendo a linguagem como instrumento de inserção
social.



                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS


          Linguagem e sociedade;
o         Compreensão do Conceito de Linguagem e de domínios discursivos.
o         Compreensão da linguagem como constituinte das identidades sociais.
o         Discussão sobre as variações lingüísticas e de preconceitos lingüísticos.
o         Debate sobre as relações entre escola e demais esferas sociais.

AVALIAÇÃO: processual e formativa


                ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS
                           CURSO NORMAL MÉDIO


NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS LINGUAGENS


EMENTA:          O pensamento e a linguagem na criança. O Ensino da Leitura e da
escrita. Os Diferentes Gêneros textuais. O ensino da Ortografia. A Produção de
textos.

OBJETO DE ESTUDO: A linguagem escrita e suas implicações


ANO: 3º                                                        UNIDADE 1
OBJETIVO: Compreender o pensamento e a linguagem da criança a partir dos
fundamentos da psicogênese da língua escrita.

                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

                O Pensamento e a linguagem da criança

                                                                                      16
Conhecimento da Psicogênese da língua escrita.
                           Compreensão do processo de construção da escrita.
                           Conhecimento e identificação dos níveis da escrita.
                           Reconhecimento das dificuldades de aprendizagem dos
                           alunos em processo de alfabetização.
                            Elaboração de análise sobre problemas de aprendizagem
                           da escrita.

AVALIAÇÃO: processual e formativa.


ANO: 3º                                                    UNIDADE 2
OBJETIVOS: Analisar as concepções da leitura e escrita e suas implicações
pedagógicas.


                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

            O ensino da leitura
                   Estudo das teorias sobre leitura e implicações para a prática
                    docente.
                   Compreensão da importância da leitura para a Formação de
                    leitores.
                   Compreensão dos processos cognitivos e estratégias de leitura.
                   Estudo dos processos de avaliação da leitura na escola.
AVALIAÇÃO: processual e formativa.



ANO: 3º                                                    UNIDADE 3

OBJETIVO: Apreender os processos do ensino e aprendizagem da Ortografia.

                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

               •    Estudo da Evolução histórica do ensino da ortografia do
                    português.
               •    Compreensão      dos   processos    cognitivos   envolvidos    em
                    diferentes tipos de convenções ortográficas.
               •    Conhecimento da norma ortográfica: tipos de convenções
                    ortográficas.
               •    Análise das práticas voltadas para a aprendizagem da ortografia.

                                                                                   17
•    Análise de livros didáticos e outros recursos usados para o
                     ensino da ortografia.

AVALIAÇÃO: processual e formativa

ANO: 3º                                                     UNIDADE 4

OBJETIVOS: Analisar os diferentes gêneros textuais.
             Compreender os processos do ensino aprendizagem da produção de
 textos.

                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

            Os Gêneros textuais
                     Compreensão dos conceitos básicos.
                     Conhecimento da dimensão histórico-social.
                     Conhecimento da teoria do gênero textual e progressão escolar.
                     Compreensão da diversidade textual: domínios discursivos e
                     produção de cultura.
            Produção de texto
                     Estudo da teoria sobre a produção de textos e as implicações
                     para a prática docente.
                     Pesquisa sobre das condições de produção de texto na escola e
                     fora dela.
                     Análise dos processos cognitivos e estratégias de produção de
                     textos.
                     Estudo sobre a compreensão da intervenção do professor como
                     mediador da situação de produção.
                     Análise do processo de avaliação do texto escrito.
Avaliação: processual formativa.



                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS
                               CURSO NORMAL MÉDIO


NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS LINGUAGENS




                                                                                     18
EMENTA: Estudo do Currículo e do Ensino da Língua Portuguesa. Documentos
Oficiais e Referenciais Curriculares. Princípios norteadores. O livro didático.
OBJETO DE ESTUDO: O Currículo da Língua Portuguesa no Ensino Fundamental e
na Educação Infantil.



ANO: 4º                                                       UNIDADE 1

OBJETIVO: Compreender os princípios norteadores que estruturam o Currículo da
Língua Portuguesa.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

      O Currículo e o ensino da Língua Portuguesa da Educação Infantil
          o Estudo de concepções de língua e das implicações sobre o ensino.
          o Conhecimento dos objetivos do ensino da língua portuguesa.
          o Conhecimento da organização dos eixos de ensino.
          o Conhecimento das Funções do ensino da língua portuguesa.

Avaliação: processual formativa.


ANO: 4º                                                       UNIDADE 2

OBJETIVO: Compreender os princípios norteadores que estruturam o Currículo da
Língua Portuguesa.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

O Currículo e o ensino da Língua Portuguesa do Ensino Fundamental
          o Estudo de concepções de língua e das implicações sobre o ensino.
          o Conhecimento dos objetivos do ensino da língua portuguesa.
          o Conhecimento da organização dos eixos de ensino.
          o Estudo das Funções do ensino da língua portuguesa.
Avaliação: processual formativa


ANO: 4º                                                       UNIDADE 3

OBJETIVOS: Analisar os Documentos Legais e os Referenciais Curriculares para o
ensino da Língua Portuguesa



                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS
                                                                                  19
o Análise dos Referenciais Curriculares.
          o Conhecimento dos documentos oficiais s/ o currículo da língua
             portuguesa.
          o Leitura e discussão dos fundamentos legais que regem o ensino da
             Língua Portuguesa.
          o Reflexão sobre objetivos, conteúdos e orientações didáticas presentes
             nos referenciais compreendendo-os como
             um elemento a mais na construção da reflexão sobre a prática docente.
Avaliação: processual formativa


ANO: 4º                                                    UNIDADE 4

OBJETIVOS: Analisar livros didáticos da Língua Portuguesa, avaliando a adequação
das suas concepções teóricas no processo de ensino aprendizagem, acerca do
ensino da língua materna, numa perspectiva sociointeracionista.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

             O Livro didático:
                           Análise de livros didáticos;
                              da alfabetização;
                              dos anos iniciais do Ensino Fundamental;
                              conhecimento e utilização dos critérios do PNLD.
                           Discussão sobre a transposição didática das concepções
                           teóricas que norteiam o ensino da Língua Portuguesa.

Avaliação: processual e formativa.


REFERÊNCIAS

SOLÉ, Isabel. Estratégias de Leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998;
TERZI, S.B. A construção da Leitura: uma experiência com crianças de meio
iletrados. Campinas; Pontes, Ed. Unicampi, 1995
SUASSUNA, L. Ensino da língua portuguesa: uma abordagem pragmática,
Campinas: Papirus, 1995.
KATO, M. A concepção da Escrita pela criança. 2ª ed. Campinas: Pontes, 1992;



                                                                                  20
LAJOLO, M. & ZILBERMAN, M. L. R. Literatura Infantil brasileira: história &
histórias. São Paulo: Ática, 1984.
NETO, A.G. A produção de textos na Escola. 4ª Ed. São Paulo; Loyola 1996
ANTUNES, Irandé. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola
Editorial, 2003.
________________ Lutar com Palavras: coesão e coerência. São Paulo:
Parábola Editorial, 2004.
BAGNO, Marcos. Preconceito Lingüístico: o que é e como se faz. Rio de Janeiro:
Edições Loiola, 2003.
BARBOSA, José Juvêncio. Alfabetização e Leitura. São Paulo: Editora Cortez,
1990.
BRYAN, Peter. BRADLEY, Lynette. Problemas de leitura na criança. Porto Alegre.
Artes Médicas. 1987.
CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização & Lingüística. São Paulo. Editora Scipione.
2005.
CARVALHO, Marlene. Guia Prático do Alfabetizador. São Paulo. Ática.
FERREIRO, Emília. TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Porto
Alegre. Artes Médicas. 1985.
FOUCAMBERT. Jean. A Leitura em Questão. Porto Alegre. Artes Médicas. 1987.
GROSSI, Esther Pillar. Didática da Alfabetização. Vol. I, II e III. Rio de Janeiro. Paz
e Terra. 1990.
JOLIBERT, Josette. Formando Crianças Produtoras de Textos. Porto Alegre.
Artes Médicas. 1994.
JOLIBERT, Josette. Formando Crianças Leitoras. Porto Alegre. Artes Médicas.
1994.
LEMLE. Marlene. Guia Teórico do Alfabetizador. São Paulo. Ática.
MORAIS, Artur Gomes de (org.) O aprendizado da Ortografia. Belo Horizonte
MARCUSCHI, Luís Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização.
São Paulo: Cortez, 2001.
_______________________ Compreensão de Texto: Algumas Reflexões In
DIONISIO, A. P. e BEZERRA, M. A. O Livro Didático de Português: múltiplos olhares.
Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2001.
SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte:
Autêntica, 2000.




                                                                                     21
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS


             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO


                     PRÁTICA



          COMPONENTE CURRICULAR


           DIDÁTICA DA MATEMÁTICA




                     RECIFE, NOV/2009

                                                       22
ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS
                          CURSO NORMAL MÉDIO

NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA

Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA MATEMÁTICA

EMENTA: Os Números Naturais e seu Desenvolvimento Histórico. Ensino e
Aprendizagem da Representação Numérica e das Operações com Números
Naturais. Tendências Atuais do Ensino das Operações Numéricas. Os números
Racionais   Absolutos:    História,   Representação    e   Processos     de   Ensino    e
Aprendizagem.

OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino-aprendizagem da matemática nos
anos iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Infantil.

ANO: 2º                                                       UNIDADE: 1

OBJETIVOS: Compreender os conceitos matemáticos pertinentes às idéias de
Número Natural e de Número Racional absoluto relacionando-os a seu
desenvolvimento histórico.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

1-    Quanto a História da Matemática
Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de número (Natural e
Racional Absoluto) e de suas abordagens de ensino;
2- Quanto a Resolução de Problemas
             Conhecimento      da     noção   de   problema   e    da    construção    de
             procedimentos e atitudes para sua resolução
3- Quanto ao uso de Novas Tecnologias
             Utilização   de    vídeos    como     organizadores    de    conteúdos    e
             implementadores do debate e da reflexão sobre eles.
4- Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
             Utilização de jogos para o desenvolvimento de práticas educativas e ou
             socialização do conhecimento.
             Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da
             Matemática (através de seminários)


AVALIAÇÃO: processual e formativa.



                                                                                       23
ANO: 2                                               UNIDADE: 2

OBJETIVO: Analisar as abordagens teórico-metodológicas para o ensino de Número
Natural e de Número Racional Absoluto


                 ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

   1. Quanto a História da Matemática
             Conhecimento Histórico da Didática da Matemática quanto ao ensino
             das noções de número;
   2. Quanto a Resolução de Problemas
              Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação
   didática em sala de aula
   3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
              Utilização   de   vídeos    como    organizadores   de   conteúdos   e
   implementadores do debate e da reflexão sobre eles.
   4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
              Utilização de jogos para o desenvolvimento de práticas educativas e
   ou socialização do conhecimento.
             Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da
             Matemática (através de seminários)
AVALIAÇÃO: processual e formativa


ANO: 2                                               UNIDADE: 3

OBJETIVO: Discutir os algoritmos utilizados na realização das operações com
números naturais e racionais absolutos;



                 ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

     1. Quanto a História da Matemática
          Conhecimento do desenvolvimento histórico dos algoritmos operacionais
          (em IN e Q+) e sua relação com os sistemas de numeração.

     2. Quanto a Resolução de Problemas
           Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação
   didática em sala de aula.


                                                                                   24
3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
           Utilização da calculadora como implementadora de cálculos numéricos
    mais rápidos e/ou mais extensos;

     4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
           Confecção de material didático e sua utilização
           Utilização de jogos para o desenvolvimento de práticas educativas e ou
      socialização do conhecimento.
            Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática
(através de seminários)
AVALIAÇÃO: processual e formativa.



ANO: 2                                               UNIDADE: 4

OBJETIVO: Relacionar os conteúdos trabalhados com suas aplicações em situações
do cotidiano.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO –METODOLÓGICAS


   1. Quanto a História da Matemática
         Compreensão da origem e desenvolvimento histórico da noção de
   aplicação de uma teoria matemática;

   2. Quanto a Resolução de Problemas
          Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática
      em sala de aula;
   3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
         Pesquisa e uso de novos softwares para auxiliar as atividades escolares;
         Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores
         do debate e da reflexão sobre eles

   4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
          Confecção de material didático e sua utilização
          Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática
(através de seminários)

AVALIAÇÃO: processual e formativa

                                                                                    25
ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS
                              CURSO NORMAL MÉDIO

NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA MATEMÁTICA
EMENTA: Origem e Desenvolvimento das Noções Elementares da Geometria.
Ensino e Aprendizagem de Noções Geométricas Básicas (Forma, Tamanho, ponto,
Reta, Plano, Espaço) Conceito Geométrico como Ângulos e Figuras Geométricas (no
plano e no espaço). A Noção de Medida e Suas Aplicações. Tendências Modernas
no Ensino de Geometria Elementar.


OBJETO DE ESTUDO:          Os processos de ensino-aprendizagem da matemática
nos anos iniciais do Ens. Fundamental e da Educação Infantil.


ANO: 3º                                                     UNIDADE : 1


OBJETIVOS: Analisar o desenvolvimento histórico dos conceitos básicos da
               geometria e de sua inserção no contexto Escolar.


                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS
1-Quanto a História da Matemática
      Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas
      abordagens de ensino;
      Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico,
      contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes.
2-Quanto a Resolução de Problemas
      O uso de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em
sala de aula
      A noção de problema e a construção de procedimentos e atitudes para sua
resolução
3-Quanto ao uso de Novas Tecnologias
      Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do
debate e da reflexão sobre eles.
4-Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas



                                                                             26
Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática
(através de seminários)
AVALIAÇÃO: processual e formativa.



ANO: 3º                                             UNIDADE: 2

OBJETIVOS:           Articular as noções geométricas com seus correspondentes no
               mundo físico e desenvolver os argumentos usados em seu processo de
               ensino /aprendizagem

                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

 1.   Quanto a História da Matemática
      Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas
      abordagens de ensino;
      Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico,
      contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes.
 2.   Quanto a Resolução de Problemas
      Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em
sala de aula
      Compreensão da noção de problema e da construção de procedimentos e
atitudes para sua resolução
 3.   Quanto ao uso de Novas Tecnologias
      Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do
      debate e da reflexão sobre eles.
 4.   Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
      Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática
(através de seminários)
      Construção de instrumentos de avaliação diversificados.
     .
AVALIAÇÃO: processual e formativa



ANO: 3º                                             UNIDADE: 3

OBJETIVOS:           Favorecer a construção de modelos geométricos para o
processo de ensino/aprendizagem e utilizá-los na prática docente;


                                                                               27
ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS
 1. Quanto a História da Matemática
Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas
abordagens de ensino;
Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico,
contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes.
 2.   Quanto a Resolução de Problemas
      Utilização de situações/problemas como ponto de partida da ação didática em
sala de aula
      Compreensão da noção de problema e da construção de procedimentos e
atitudes para sua resolução;
      Análise das especificidades dos problemas geométricos;
 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
      Implementação de softwares computacionais para a construção geométrica e
      sua exploração na percepção de invariantes geométricos.
      Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do
debate e da reflexão sobre eles.
 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
      Confecção e uso de modelos geométricos a partir de materiais concretos
      Exploração de invariantes geométricos pelo uso de tais materiais.
       Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática
(através de seminários)
AVALIAÇÃO: processual e formativa



ANO: 3º                                             UNIDADE: 4

OBJETIVOS:            Compreender a noção de Medidas de Grandezas Geométricas e
contextualizá-las.



                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

 1. Quanto a História da Matemática
      Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas
      abordagens de ensino;



                                                                               28
Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico,
      contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes.
 2. Quanto a Resolução de Problemas
      Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em
sala de aula
      Compreensão da noção de problema e da construção de procedimentos e
atitudes para sua resolução.


 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
      Implementação de softwares computacionais para a construção geométrica e
      sua exploração na percepção de invariantes geométricos.
      Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do
      debate e da reflexão sobre eles.
 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
      Exploração do espaço da sala de aula na compreensão da noção de medida;
      Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática
(através de seminários),Construção de instrumentos de medidas.
AVALIAÇÃO: processual e formativa



                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS
                               CURSO NORMAL MÉDIO

NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA

Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA MATEMÁTICA

EMENTA: A Noção de Transposição Didática. Construção de Seqüência Didática.
Abordagens no Ensino Aprendizagem de Combinatória Elementar. A inserção da
noção de probabilidade e de conhecimentos básicos de Estatística no ensino
elementar. Currículo, Planejamento e Avaliação no Ensino de Matemática.

OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino/aprendizagem da matemática nos
anos iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Infantil.



ANO: 4º                                             UNIDADE:1

OBJETIVO: Discutir a Noção de Transposição Didática

                                                                              29
ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

1-Quanto a História da Matemática
      A discussão sobre as possibilidades da Didática da Matemática em sua
dimensão temporal, com ênfase na situação atual.
      Conhecimento da Didática Francesa Moderna: Idéias Chaves e
Possibilidades;
2-Quanto a Resolução de Problemas
      Utilização da Noção de situação-problema como possibilidade de discussão
das questões de ensino da matemática
      Elementar.
3-Quanto ao uso de Novas Tecnologias
      Discussão sobre as possibilidades do uso das novas tecnologias no ensino da
matemática elementar.
4-Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
      O Currículo de matemática para o ensino elementar (através de seminários);
      Análise da funcionalidade do uso do material concreto para o ensino da
matemática.
AVALIAÇÃO: processual e formativa




ANO: 4º                                               UNIDADE: 2

OBJETIVOS:          Compreender as possibilidades da resolução de problemas
como conteúdo para o ensino elementar; Analisar o caso das transposições didáticas
das noções de Combinatória.



                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

1. Quanto a História da Matemática
      Compreensão da inserção do conhecimento matemático como conteúdo de
ensino;
2. Quanto a Resolução de Problemas
      Compreensão do raciocínio combinatório como implementador da resolução
de problemas matemáticos;
3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias

                                                                                 30
Utilização   das   novas    tecnologias       para   problemas    elementares   de
Combinatória;
4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
       Planejamento das ações de ensino (através de seminários);
       Estruturação de um plano de aula, e/ou projeto interdisciplinar
       Construção e utilização de jogos no ensino de combinatória.


AVALIAÇÃO: processual e formativa


ANO: 4º                                                         UNIDADE: 3

OBJETIVO: Analisar o caso das Transposições Didáticas para a Noção de
Probabilidades

                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS


    1. Quanto a História da Matemática           .
       Discussão sobre o percurso histórico do livro didático da matemática
elementar quanto a noção de probabilidade..

    2. Quanto a Resolução de Problemas
       Conhecimento de Estratégias de ensino para problemas elementares de
Probabilidade.
    3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
       Utilização das novas tecnologias no ensino aprendizagem de problemas
elementares de Probabilidade.


    4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
          A modelagem no ensino de matemática (através de seminários);
          Construção e utilização de jogos para o ensino de Probabilidades
          Discussão e análise sobre a utilização dos jogos.


AVALIAÇÃO: processual e formativa


ANO: 4º                                                                 UNIDADE: 4

OBJETIVOS:            Analisar o caso das Transposições Didáticas das Noções de
Estatística.
                                                                                       31
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

   1. Quanto a História da Matemática
        Discussão sobre as possibilidades da Didática da Matemática em sua
dimensão temporal, com ênfase na situação atual
   2. Quanto a Resolução de Problemas
        Conhecimento das noções de Estatística para o ensino elementar: incursão
através de problemas.
   3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias
        Utilização das novas tecnologias para o ensino aprendizagem de Estatística
Elementar.
   4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas
        Discussão dos Fundamentos para uma Didática da Matemática Elementar
(através de seminários);
        Construção e utilização de jogos para o ensino de Probabilidades
        Elaboração de um projeto de avaliação a ser utilizado na estruturação do
        plano de aula construído na segunda    unidade.


AVALIAÇÃO: processual e formativa

REFERÊNCIAS

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇAO. Parâmetros Curriculares Nacionais para
o Ensino fundamental – Matemática. 1ª a 4ª série. MEC/ SEF, Brasília, 1997.
BIEMBENGUT, Maria Salett. Nelson Hein. Modelagem matemática no ensino. São
Paulo: Contexto, 2003.
BITTAR, Marilena e FREITAS, José Luiz Magalhães de. Fundamentos e
Metodologia de matemática para os ciclos iniciais do ensino fundamental. – 2ª.
ed. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2005.
DANTE, Luiz Roberto, Didática da Matemática na Pré-Escola. São Paulo: Ática,
1991.
JARANDILHA, Daniela e SPLENDORE, Leila. Matemática já não é Problema! São
Paulo: Cortez, 2005.
PERNAMBUCO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CULTURA E ESPORTES.
Subsídios para a organização da prática pedagógica nas escolas normal
médio, 1992.

                                                                                   32
_________. Referenciais Curriculares para o Curso Normal Médio. Recife: 2006.
_________. UNDIME. Base Curricular Comum para o Estado de Pernambuco.
Recife: 2006.
PIRES, Célia Maria Carolino Pires. Currículos de Matemática: da organização
linear à idéia de rede. São Paulo: FTD, 2000.
TOLEDO, Marília & TOLEDO, Mauro. Didática de Matemática: como dois e dois.
A construção da matemática. São Paulo: FTD, 1997.
NUNES, Terezinha; CAMPOS, Tânia Maria Mendonça; SANDRA, Magina; PETER,
Bryant. Educação Matemática: Números e Operações numéricas. São Paulo:
Cortez, 2005.
PAVANELLO, Regina Maria (org.). Matemática nas séries iniciais do ensino
fundamental: A pesquisa e a sala de aula. Coleção SBEM. Vol. 2. São Paulo:
SBEM, 2004.
NETO, Ernesto Rosa. Didática da Matemática São Paulo: Ática, 2006.
CARVALHO, Dione Lucchesi. Metodologia do Ensino da Matemática. São Paulo:
Cortez, 1994.
KAMII, Constance. A criança e o número. Campinas: Papirus, 1989.
ZUNINO Delia Lerner de. A Matemática na escola: aqui e agora. Trad. Juan Açuña
Llores. – 2ª ed. – Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.




                                                                            33
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS


             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO


                     PRÁTICA


        COMPONENTES CURRICULARES


         DIDÁTICA DO ENSINO DA ARTE




                     RECIFE, NOV/2009
                                                       34
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS
                              CURSO NORMAL MÉDIO
                       NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
       Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DO ENSINO DA ARTE
EMENTA: Estudo dos Pressupostos históricos, filosóficos que fundamentam a Arte.
O homem e sua relação com o mundo. A práxis em Arte/educação. A Abordagem
triangular. As dimensões estéticas éticas e artísticas. Conexões entre Educação e
Arte. O Ensino e aprendizagem da Arte


OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino aprendizagem da ARTE.

ANO:4º                                                      UNIDADE 1


OBJETIVOS:Identificar os aspectos legais da história da Arte/Educação no Brasil.
               Diferenciar o conceito de Arte-Atividade e Arte-conhecimento,
identificadas nos aspectos legais da história da Arte/Educação no Brasil.
               Apreender princípios, concepções, metodologia e avaliação do
ensino-aprendizagem da Arte na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino
Fundamental.
               Compreender as tendências pedagógicas do ensino de Arte no Brasil.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

          •   Compreensão dos aspectos legais da Arte/Educação no Brasil.
          •   Construção do conceito de Arte.
          •   Análise comparativa das concepções de Educação Artística (Lei
              5692/71) e de Arte Educação (LDBEM 9394/96).
          •   Reconhecimento da trajetória política, cultural, social e histórica da
              Arte/Educação no Brasil.
          •   Análise das tendências pedagógicas do Ensino de Arte no Brasil.
          •   Estudo dos pressupostos históricos, filosóficos, pedagógicos e didáticos
              que fundamentam o processo de ensino aprendizagem da Arte na
              Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental.

ANO:4º                                                      UNIDADE 2


OBJETIVOS:          Analisar o papel do arte/educador na práxis do ensino de Arte.
                                                                                     35
Estudar os PCNs e referenciais para o Ensino de Arte na
 Educação Infantil e anos inicias do Ensino Fundamental.


                           ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

          •   Contextualização dos referenciais do Ensino da Arte com a realidade
              cultural do povo.
          •   Reconhecimento da Abordagem Triangular
          •   Análise     do   papel   do   arte/educador   no   processo   de   ensino
              aprendizagem.
          •   Estudo dos referenciais para o ensino da Arte na (Educação Infantil e
              Ensino Fundamental) sugestões de práticas que possam adaptá-las às
              turmas.
          •   Compreensão do papel do Arte/Educador na formação de leitores
              críticos do mundo.


ANO:4º                                                        UNIDADE 3


OBJETIVOS:              Refletir sobre questões multiculturais e a estética do cotidiano
visando desenvolver o pensamento divergente crítico e analítico em que se articulam
processos sensíveis com processos cognitivos.
                 Reconhecer a importância do respeito à identidade, diversidade
cultural, interculturalidade e a estética do cotidiano para o desenvolvimento da
criatividade no educando.


                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

    •   Discussão de possibilidades de inserção da criança no ambiente cultural e a
        inventividade
    •   Percepção da influência de pensar sobre si mesmo e sobre o mundo e a
        produção de arte.
    •   Criação de momentos educativos que favoreçam a expressividade infantil nas
        diferentes    linguagens (artes visuais, dança, teatro e música).
    •   Conhecimento das diferentes manifestações Culturais produzidas e em
        produção no Brasil.
    •   Compreensão de que o desenvolvimento da criatividade esta relacionando
        com respeito a identidade; diversidade cultural, interculturalidade e estética
        do cotidiano.
                                                                                     36
ANO:4º                                                          UNIDADE 4


OBJETIVOS:              Compreender a Arte como produção de conhecimento e
saberes a partir de vivências arteducativas.
                        Perceber a Arte como inerente à origem e função da vida
humana considerando e respeitando as especificidades culturais.
                        Reconhecer a especificidade da aula de arte enquanto espaço
de diálogo, alegria e exploração.
                        Compreender a especificidade da Avaliação no ensino de Arte
(Educação Infantil e Ensino Fundamental).
                        Construir plano de aula e/ou projeto Interdisciplinar.
                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

         •   Análise comparativa entre as vivências na escola campo de estudo e a
             teoria estudada.
         •   Estruturação do plano de aula (ou projeto interdisciplinar) integrando a
             avaliação aos objetivos do ensino.
         •   Elaboração do material didático pedagógico de suporte para construção
             da aula.
         •   Socialização dos planos de aula, para serem avaliados pelo grande
             grupo e professor.
         •   Utilização nas aulas dinâmica como jogo simbólico; jogo dramático; jogo
             teatral; apreciação musical.
         •   Exploração/estruturação de ruídos, sons, ritmos, movimentos;
         •   Reconhecimento da importância de trazer o lúdico para a sala de aula.
         •   Compreensão da importância do diálogo interdisciplinar entre as
             linguagens de Arte: arte visual, teatro, dança e música.
         •   Conhecimento das especificidades da Avaliação no Ensino de Arte.
         •   Utilização do conhecimento de ARTE como ponto de referência para
             projetos interdisciplinares.



REFERÊNCIAS

BARBOSA, Ana Mae. (org.) Inquietações e mudanças no ensino da arte. São
Paulo: Cortez, 2002.
_________________. Arte-educação: leitura no subsolo. São Paulo: Cortez, 1997.
                                                                                     37
_________________. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 1991.
    _________________. Arte Educação: Conflitos e acertos. São Paulo: Maxlimonard,
    1998.
    BOAL, A. 200 exercícios e jogos para o ator e o não-ator com vontade de dizer
    algo através do teatro. 7ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira S/A, 1997
    BORGES, M. Como formar crianças alegres e sabidas na base da fantasia. Nova
    Escola. Ano VIII, São Paulo, Nº 67, pp.32-38, junho de 1993.
    BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 5.692/71, de 11 de

.   agosto de 1971.
    ______. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte Vol.6. Brasília: MEC/SEEF,
    1997. 130 p.
    BRESSAN, Wilson J. Educar Cantando: a função educativa da música popular.
    Petrópolis, Vozes, RJ. 2000.
    CHEVALIER, Jean GREERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos. mitos, sonhos,
    costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. 11ª edição. Tradução Vera
    da Costa e Silva et all, Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1997.
    CANDAU, Vera Maria & LELIS, Isabel Alice. A relação teoria-prática na formação
    do educador. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro: ABT, 12 (55): 12-18, 1983.
    CAMAROTTI, marco.A linguagem no Teatro Infantil. 2ª edição. Recife; Editora
    Universitária, 2002
    COLI, Jorge. O que é arte. São Paulo: Brasiliense,1999.
    COURTNEY, Richard. Jogo, teatro e pensamento. São Paulo: Perspectiva, 2001.
    CUNHA, Maria de Lourdes e outros. A arte como processo educativo. Rio de
    Janeiro: Funarte, 2000.
    DERDYK, Edith. Formas de Pensar o Desenho: Desenvolvimento do Grafismo
    Infantil. São Paulo: Editora Scipione, 1994.
    DONDIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual, tr.j.L.Carmanjo, São Paulo:
    Martins Fontes, (1973), 2003.
    DUARTE, João Franscico. Fundamentos estéticos da educação. São Paulo:
    Cortez, 1999
    DUARTE, João Franscico. Por que arte educação. São Paulo: Papirus, 1998
    EDWARDS, Betty. Desenhando com o Lado Direito do Cérebro, Editora Tecnofrint
    S/A, 1984
    FERRAZ, Maria Heloisa C.T. & FUSARI, Maria Felisminda de R. Metodologia do
    ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2000.


                                                                                          38
FIGUEIREDO, M. L. História da Arte para crianças. São Paulo. Editora Pioneira,
1991. 6ª edição.
FUSARI, Maria Felisminda de R. & FERRAZ, Maria Heloisa C. T. Arte na educação
escolar. São Paulo: Cortez, 1992.
GENTILE, P. Um mundo de imagens para ler. Nova Escola, São Paulo, Nº 161, pp.
45 a 49, abril de 2003.
GOMBRICH, E.H. A História da arte. Editora Guanabara.
GOMES FILHO, João. Gestalt do Objeto. Sistema de Leitura Visual da Forma. 6ª
ed. São Paulo: Editora Escrituras, 2004.
HERNÁNDES,Fernando.Cultura          visual   mudança     educativa   e   projeto   de
trabalho.Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.
JAPIASSU, Ricardo. Metodologia do ensino de teatro. Campinas: Papirus, 2001 .
MARTINS, Miriam Celeste et all. Didática do ensino de arte - A língua do mundo -
Poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.
MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo:
Cortez, 2000.
____________. A cabeça bem feita. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2001.
NÒVOA, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992
PEDROSA, Israel. O Universo da Cor. Rio de Janeiro: Editora SENAC Nacional,
2003.
PEIXOTO, F. O que é Teatro. São Paulo. Editora Brasiliense, 1980. 7ª edição.
PERAZZO, Luiz & VALENÇA, Máslova T. Elementos da Forma. Rio de Janeiro:
Editora SENAC Nacional, 1997.
PONCE, Aníbal. Educação e luta de classes. São Paulo: Cortez, 1995.
PORCHER, L. Educação Artística: luxo ou necessidade? São Paulo. Editora
Summus, 1982. 5ª edição.
PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Editora Ática, 2001.
PIAGET, J. A educação artística e a psicologia da criança. Traduzido do espanhol
por CRUZ, Chagas Edna e publicado na Revista Pedagógica, janeiro-junho de 1996,
Vol. XII Nº 21, pp. 137-139. SP
READ, Herbert. Educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
REVERBEL, O. Teatro na Sala de Aula. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio
Editora, 1979.
RIPELLINO, A.M. Maiakóvski        O teatro de vanguarda. São Paulo: Perspectiva,
1971.


                                                                                   39
SANTANA, P. A. Teatro e Formação de Professores. São Luís: Editora Edufma,
2000.
SANTOS, B. L. V. Atenção! Crianças brincando! In: CUNHA, Suzana Rangel Vieira
da (Org.). Cor, Som e Movimento. 2ª edição. Porto Alegre: Editora Mediação, 2001.
SCHNAIDERMAN, B. A poética de Maiakóvski. São Paulo: Perspectiva, 1984.
SLADE, Peter. O Jogo Dramático Infantil. 7ª edição. São Paulo: Summus, 1978.
(Coleção Novas Buscas em Educação Volume 2).
SPOLIN, V. O Jogo teatral no livro do diretor. São Paulo: Editora Perspectiva,
1985.
___________. Improvisação para o teatro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1979.
TOURINHO, Irene. Transformações no Ensino de Arte: algumas questões para
uma reflexão conjunta. In: BARBOSA, Ana Mae (org.) Inquietações e mudanças no
ensino da arte:As mutações do conceito e da prática: São Paulo: Cortez, 2002.
VASCONCELOS,        Mário    (org.)   Criatividade:   Psicologia,   Educação        e
conhecimento do novo. São Paulo: Moderna, 2001.
VYGOTSKY, L.S. Psicologia da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1998.




                                                                                 40
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS

             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                     PRÁTICA


        COMPONENTES CURRICULARES


            DIDÁTICA DA GEOGRAFIA



                     RECIFE, NOV/2009
                                                       41
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS
                               CURSO NORMAL MÉDIO
                        NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA GEOGRAFIA

EMENTA: Estudos dos conceitos básicos, dos referenciais pedagógicos e didáticos
para uma prática do ensino de Geografia dos anos iniciais do ensino Fundamental e
na Educação Infantil. A Geografia, Escola e Construção do Conhecimento. Os PCNs
e as Propostas Curriculares. A sala de aula espaço de construção e produção de
saberes. A avaliação no Ensino de Geografia.


OBJETO DE ESTUDO: O Processo de Ensino e Aprendizagem da Geografia.


ANO: 4º                                                       UNIDADE: 1


OBJETIVOS:           Apreender     os   conceitos   básicos   da   Geografia   (espaço,
paisagem, lugar, região, território).
                  Refletir sobre a relação do homem com o espaço geográfico, sua
transformação e preservação.



                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS


       Compreensão dos conceitos básicos do ensino da Geografia (espaço,
       paisagem, lugar, território).
       Reflexão sobre espaço, lugar, paisagem, território enquanto finitos e
       necessários de preservação.
       Análise sobre a paisagem, o espaço, e o lugar que a escola ocupa e como
       este é percebido pelos educandos.
Avaliação: Processual e formativa.


ANO: 4º
                                                   UNIDADE: 2
 OBJETIVOS:        Proporcionar a reflexão sobre o conhecimento geográfico e sua
 representação na perspectiva da formação cidadã do educando.
                     Construir a noção de espaço (orientação espaço-temporal); e
 alfabetização cartográfica.

                                                                                     42
Estudar a Geografia tendo o aluno e o seu contexto geográfico
 como ponto de partida.
                         Identificar   as   características   e   importância   social   da
 construção do saber geográfico.
                      Conhecer e representar o espaço de convivência escolar.


                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS

      Introdução das noções de espaço e leitura cartográficas.
      Conhecimento de noções de orientação espacial e localização geográfica,
      Conhecimento o espaço geográfico (escola, comunidade, regiões).
      Apresentação em diferentes formas: o espaço percorrido entre a escola e a
      residência.
      Os setores da escola (cantina, direção, sanitários, parques, entrada).
       A comunidade circunvizinha; o bairro, entre outros.
Percepção das características e relevância social da construção do saber geográfico.
Avaliação: Processual e formativa




ANO: 4º                                                                UNIDADE: 3


OBJETIVOS:           Realizar estudos do PCNs identificando situações que possam
ser adaptadas às realidades da sala de aula.
                     Analisar documentos e referenciais que norteiam o ensino de
 Geografia no Ensino Fundamental e Educação. Infantil.
                     Compreender o currículo de Geografia do Ensino Fundamental e
 da Educação Infantil.
                     Analisar e selecionar livros e conteúdos obedecendo a critérios
 previamente definidos e estudados.


                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS


             Identificação nos PCNs de situações didático - pedagógicas para
adaptá-las á sala de aula.
             Compreensão das especificidades do Currículo do Ensino Fundamental
e da Educação Infantil, com vistas a aplicá-las posteriormente.

                                                                                         43
Análise e seleção de livros didáticos a partir do PNLD
               Apreensão de critérios para selecionar conteúdo de acordo com a
turma a ser trabalhada

Avaliação: Processual e formativa


ANO: 4º                                                        UNIDADE: 4


OBJETIVOS:        Estabelecer uma        análise comparativa   entre as      observações
realizadas, a teoria estudada.
                     Compreender a especificidade da Avaliação no Ensino de Geografia
no Ensino Fundamental.
.                    Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula.


                      ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

        Relação docente discente na construção do saber:

                 Análise comparativa entre as experiências vivenciadas e a teoria
          estudada na sala de aula.
                  Estruturação do plano de aula, integrando a avaliação aos objetivos
          da aula.
                  Elaboração do material didático pedagógico de suporte para o ensino
          do conteúdo proposto para a aula.
                  Verificação do tempo adequado à realização das atividades com as
          idades dos alunos a serem trabalhados.
                 Reflexão sobre a importância da transposição didática das aulas de
          Geografia atentando para o processo de construção dos saberes.
                 Utilização do conhecimento geográfico como ponto de referência para
          projetos interdisciplinares.
Avaliação: Processual e formativa

REFERÊNCIAS

    ALMEIDA, Rosângela Doin de – Do desenho ao mapa: iniciação cartográfica
    na escola: 3 Ed. – São Paulo : Contexto, 2004 – (Caminhos da Geografia).
    ------------ ( org.) – Cartografia escolar São Paulo , Contexto, 2007.
    BRASIL,     Secretaria     do    Ensino   Fundamental.   Parâmetros      Curriculares
    Nacionais – PCN. Geografia de 1ª a 4ª séries. Brasília:MEC/SEF.1997

                                                                                       44
CARVALHO, Maria Inez da Silva de Souza. Fim de século: a escola e a
Geografia, 2ª. Ed – Ijuí : Ed. Unijuí, 2004.
CARLOS, Ana Fani A. (org.) A Geografia na sala de aula (Repensando o
ensino. 6ª. ed. São Paulo: Contexto, 2004.
CAVALCANTI,       Lana   de   Sousa.    Geografia,   escola   e   construção   de
conhecimentos. Campinas, São Paulo: Papirus, 1998 – (Coleção Magistério:
Formação e trabalho Pedagógico).
CASTROGIOVANNI, Antonio Carlos, Roselane Zordan               Costella. Brincar e
cartografar com os diferentes mundos geográficos: a alfabetização
espacial. Porto Alegre: Edipucrs, 2006.
SIMIELI, Maria Elena. Geografia, São Paulo, Ed Ática, 2005 (Coleção meu
espaço meu tempo) 4 vol.




                                                                               45
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS


             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                     PRÁTICA

        COMPONENTES CURRICULARES

       DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS




                     RECIFE, dez/2009
                                                       46
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS
                             CURSO NORMAL MÉDIO
NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA

Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS

EMENTA: Estudos dos conceitos básicos, dos referenciais pedagógicos e didáticos
para uma prática do ensino das Ciências Naturais na Educação Infantil e anos
iniciais do Ensino Fundamental. Concepção de Ciência. Histórico das Ciências
Naturais. O papel da Experimentação no Ensino de Ciências. A Natureza e o Ser
Humano, a Sociedade, a Ciência e a Tecnologia. Os PCNs e as Propostas
Curriculares. Critérios estruturantes para o ensino das Ciências: conteúdo,
metodologia e o papel do professor.

OBJETO DE ESTUDO: O processo de ensino aprendizagem das Ciências Naturais

ANO: 3º                                                     UNIDADE: 1

OBJETIVOS:
          •   Conceituar Ciências.
          •   Conhecer o histórico das Ciências Naturais.
          •   Compreender a relação existente ente a Natureza, o Ser Humano, e a
              Ética.



                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

   •   Construção do conceito de ciências a partir da discussão sobre o que é
       Ciências? (problematização)
   •   Estudo do histórico das Ciências Naturais.
   •   Apresentação do conceito de Ciências através de uma retrospectiva histórica
       destacando aspectos relevantes da sociedade, da ciência e tecnologia, em
       cada momento histórico destacado.
   •   Trabalho em grupo a partir de questões elaboradas na discussão anterior com
       proposição de uma resenha por grupo.


AVALIAÇÃO : processual e formativa.




                                                                               47
ANO: 3º                                                           UNIDADE: 2

OBJETIVOS:

          •   Identificar os aspectos políticos e culturais que interferem no Ensino
          das Ciências Naturais.
          •   Compreender a relação entre sociedade, ciência e tecnologia com
          vistas à sustentabilidade do planeta Terra.


                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

   •   Reflexão sobre os aspectos políticos e culturais que interferem no Ensino e
       Aprendizagem das Ciências Naturais.
   •   Compreensão da relação entre a Natureza e Ser humano e a importância da
       formação de atitudes cidadãs.
   •   Compreensão da relação entre sociedade, ciência e tecnologia a partir de
       pesquisas e fóruns de discussão.
   •   Discussão sobre a interferência do conhecimento da Ciência e as relações
       Éticas entre a Natureza e o Ser Humano.
   •   Trabalho em grupo a partir de questões elaboradas na discussão anterior com
       proposição de uma resenha por grupo.

AVALIAÇÃO: processual e formativa.


ANO: 3º                                                           UNIDADE: 3
OBJETIVOS:

   •   Conhecer o currículo de Ciências Naturais do Ensino Fundamental e
       Educação Infantil.
   •   Analisar os PCNs e Referenciais Curriculares e a BCC/PE compreendendo
       seus princípios filosóficos.


                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

• Discussão sobre o Currículo do Ensino Fundamental (anos iniciais) e da
  Educação Infantil com vistas a construir autonomia para posicionar-se sobre o
  mesmo a partir de fóruns, seminários etc.
• Análise do currículo de Ciências na Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos
  iniciais) através de trabalhos em grupo, socializados e em seguida, sistematizado
  em forma de resenha.
                                                                                     48
• Compreensão dos princípios filosóficos que estruturam os PCNs; e Referencias
  Curriculares que norteiam o ensino das Ciências e a BCC/PE, estabelecendo uma
  análise comparativa, apresentada em formato de seminário, com produção escrita
  para a professora.

   AVALIAÇÃO: processual e formativa.


   ANO: 3º                                                     UNIDADE: 4

   OBJETIVOS:
Analisar livros didáticos (PNLD) pertinentes a Educação Infantil e Ensino
Fundamental (anos iniciais).
Selecionar conteúdos     obedecendo a    critérios   estudados, que   atendam   a
necessidade da Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais) tendo por
base a BCC de Pernambuco.



                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS

Analise de livros didáticos (PNLD) pertinentes a Educação Infantil e Ensino
Fundamental (anos iniciais).
Seleção de conteúdos a partir da apreensão dos critérios estudados, que atendam a
necessidade da Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais); tendo por
base a BCC de Pernambuco.

AVALIAÇÃO: processual e formativa.


                 ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS


CURSO NORMAL MÉDIO
NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA

Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS

EMENTA: A sala de aula, espaço de pesquisa e descobertas, outros espaços. A
Avaliação no Ensino das Ciências Naturais. A transposição didática nas aulas de
Ciências Naturais.

OBJETO DE ESTUDO: O processo de ensino aprendizagem das Ciências Naturais.

ANO: 4º                                                  UNIDADE: 1

                                                                                49
OBJETIVOS:

 Compreender a sala de aula de ciências enquanto espaço de curiosidades,
 investigação, pesquisa descobertas diálogos,e construção de saberes.
 Apreender os conceitos básicos que estruturam o ensino das Ciências Naturais.

                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

       Iniciação da orientação de Pesquisa a partir de observação, problematização,
investigação (sistematizada através de relatórios científicos, sínteses, relatos de
experiência...).
       Compreensão da especificidade da sala de aula de ciências, enquanto espaço
de incentivo a curiosidade, a investigação, a pesquisa e de outros ambientes nos
quais aconteça, produção de saberes.
       Discussão sobre a valorização da importância da estimulação do diálogo nos
pequenos grupos, das trocas significativas surgidas das hipóteses testadas a partir
da reflexão e discussões nos grupos de trabalho.
AVALIAÇÃO : processual e formativa.
.


ANO: 4º                                                             UNIDADE: 2

OBJETIVOS:
          Compreender a importância da Experimentação como estratégia do ensino
          – aprendizagem de Ciências.
          Orientar a iniciação à pesquisa científica.


                   ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

• Realização de atividades experimentais como proposta de estratégia de ensino
  aprendizagem das Ciências, a partir do método científico.
• Socialização das observações vivenciadas, nas escolas campo de estudo das
  aulas de ciências, (articular com Pesq. e prát.).
AVALIAÇÃO: processual e formativa.

ANO: 4º                                                             UNIDADE: 3
OBJETIVOS: Estabelecer uma análise comparativa entre, as observações
realizadas na prática docente do professor na,escola campo e a teoria estudada,
sintetizadas através de produção de texto em dupla ou individual.

                                                                                 50
Compreender as especificidades da Avaliação no Ensino de Ciências
      no Ensino Fundamental (anos iniciais) e Educação Infantil.


                       ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

• Conhecimento das especificidades da Avaliação no Ensino de Ciências na Educação
     Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais).
• Analise de instrumentos de Avaliação de Ciências realizados, nas aulas de Ciência,
     na escola campo de estudo.
• Estruturação do plano de aula observando a articulação entre a avaliação e os
     objetivos de ensino proposto no plano.
• Elaboração do material didático pedagógico de suporte para construção da aula de
     Ciências.
    AVALIAÇÃO: processual e formativa.


    ANO: 4º                                                          UNIDADE: 4

    OBJETIVOS:
        • Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula e/ou projetos
      interdisciplinares.

                           ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

•    Reflexão sobre a importância da transposição didática nas aulas de Ciências
     enquanto estratégia facilitadora no processo de construção dos saberes científicos.
•    Utilização do conhecimento das Ciências como ponto de referência para projetos
     interdisciplinares.
•    Comparação entre o processo de ensino aprendizagem estudado e o conhecimento
     específico de Ciências e os procedimentos de pesquisa, (OBSERVAÇÃO) realizado
     na escola campo.
    AVALIAÇÃO: processual e formativa.

    REFERÊNCIAS
      • BRASIL, Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares
          Nacionais – PCN. Ciências Naturais de 1ª a 4ª séries. Brasília: MEC/SEF.
          1997
       • GADOTTI, Moacir. História das idéias pedagógicas. São Paulo: Editora
          Ática, 1995.


                                                                                      51
• PERNAMBUCO. Secretaria de Educação, Cultura e Esportes. Diretoria de
   Educação Escolar. Subsídios para organização prática pedagógica nas
   escolas: ciências e biologia/ Secretaria de Educação, Cultura, e Esportes de
   Pernambuco. Recife: SECE, 1992. 1.CURRÍCULO – CIÊNCIAS E BIOLOGIA.
   2. Programa 1992. Ciências e Biologia. 3. Proposta Educacional, 1992.
• SANTOS, F. M. T. DOS; GREGCA, I. M. (org.) A pesquisa em ensino de
   ciências no Brasil e suas metodologias. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006.
• MORAES, R. (org.) Construtivismo e ensino de ciências. Reflexões
   epistemológicas. Porto Alegre: EDIPCRS, 2000.




                                                                             52
SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
  GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO




    PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-
            METÓDOLÓGICAS


             CURSO NORMAL MÉDIO




             NÚCLEO DE FORMAÇÃO

                     PRÁTICA


        COMPONENTES CURRICULARES


             PRÁTICA PEDAGÓGICA




                     RECIFE, NOV/2009
                                                       53
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS
                      NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
             Análise do Componente Curricular: Prática Pedagógica

ANO: 1º                                                            UNIDADE: 1

EMENTA: Estudo da prática educacional escolar. Formas de organização e gestão.
Aspectos legislativos. Condições do Trabalho Educativo. Processos de Construção
do sucesso e fracasso escolar. Evasão. História da Escola.

OBJETO DE ESTUDO: O espaço de aprendizagem e de inserção profissional

OBJETIVOS: Compreender o componente curricular; Prática Pedagógica; Integrar o
discente com o espaço de profissionalização; Desenvolver atitudes de pesquisa e do
professor pesquisador.


EIXO INTEGRADOR; Educação escolar, a escola enquanto instituição social, a
escola e a realidade brasileira.

             ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS
   1. O componente Prática Pedagógica
             Estudo do componente Prática Pedagógica. (Concepções, requisitos,
      importância; concepção de estágio x prática).
             Reconhecimento do núcleo de Prática como articulador da formação
      docente.
             Estudo das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de
      Professores na modalidade Normal Médio (Parecer CEB/CNE nº 01/99).
      Princípios organizadores do Currículo, da Formação Docente e suas
      articulações.
   2. A Educação Escolar
              Definição das Escolas Campo de Estudo.
             Orientação de como adentrar na escola (1º contato).
             Estudo para realização de observação etnográfica a partir de
      orientações prévias (o que vai ser observado e com qual objetivo).
             Discussão sobre a concepção de pesquisa e do professor-pesquisador.
             Apreensão de atitudes de pesquisa e do professor-pesquisador.
             Reconhecimento da importância da Ética no futuro espaço de exercício
      profissional.
                                                                                54
Socialização da primeira impressão sobre a escola.
              Iniciação aos procedimentos de Pesquisa; leitura; fichamento,           e
       elaboração de instrumentos (observação, entrevistas, questionário)
              Orientação para elaboração do Relatório Parcial, anunciando as
       dúvidas e possíveis problemas identificados que mereçam aprofundamentos.
              Caracterização do papel da Escola na sociedade brasileira

AVALIAÇÃO: Processual; Elaboração e re-elaboração de Relatórios parcial e final.
Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. – Produção escrita
individual e coletiva, e auto-avaliação.




ANO: 1º                                              UNIDADE : 2
OBJETIVOS: Conhecer e analisar a realidade do espaço de exercício profissional.(
escola campo de estudo)

              ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS

1. .Conhecendo a Escola-Campo de Estudo

   • Conhecimento da História da Escola campo de estudo; do seu entorno; e da
       comunidade.
   • Pesquisa de Campo: diagnóstico da escola, enfatizando gestão escolar;a
       cultura organizativa escolar, gestão pedagógica, seus sujeitos e articulação
       com o processo ensino – aprendizagem, relação professor x        aluno; aluno x
       aluno, educador de apoio x professor X professor x aluno; aluno x aluno x
       escola x comunidade.
   • Socialização das idas e vindas da Escola Campo.
   •   Análise dos aspectos observados e vivenciadas a luz da teoria estudada.
   •   Discussão sobre O que é a Escola? O que é uma Escola? O que é uma
       escola Pública?
   •   Compreensão da Função social da Escola a partir da discussão proposta no
       item anterior.
   •   Realização de Entrevistas ou Questionários e roteiros de Observação com as
       pessoas da comunidade educativa e ou do entorno da escola
   •   Análise   dos     instrumentos   teórico-metodológicos   aplicados   (entrevista,
       observação, questionário).


                                                                                     55
•   Análise dos problemas detectados durante a observação e socialização no
       grupo.
   •   Orientação para elaboração do Relatório parcial.

AVALIAÇÃO: Processual; Elaboração e re-elaboração de Relatórios parcial e final.
Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. – Produção escrita
individual e coletiva, e auto-avaliação.



ANO: 1º                                                          UNIDADE :3

OBJETIVOS: Apreender a realidade do espaço de exercício profissional.

                ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS

2 . Estrutura e Organização da Escola: Prática Escolar

       Estudo do processo de construção do sucesso / fracasso escolar.
       Pesquisa das causas e conseqüências da Evasão Escolar.
       Compreensão dos aspectos da legislação que estruturam a escola LDB
  9394/96.
       Realização de Entrevistas com gestores, professores, aluno secretaria sobre
  as ações propostas para a superação dos problemas detectados.
       Conhecimento das condições do trabalho Educativo.
       Seleção do problema identificado e/ou tema para construção do projeto de
  intervenção da prática pedagógica.
       Orientações sobre a Elaboração do Relatório Parcial e do Projeto de
  Intervenção da Prática Pedagógica.



AVALIAÇÃO: Processual, elaboração e re-elaboração de relatórios parcial e final.
Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. Produção escrita
individual e coletiva, e auto-avaliação.



ANO: 1º                                                          UNIDADE :4

OBJETIVOS: Compreendera realidade do espaço de exercício profissional em
relação à prática gestora

                     ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS
                                                                                    56
Estrutura e Organização da Escola:
     A gestão na Escola
       Reconhecimento do tipo de gestão da escola.
       Estudo do Projeto Político Pedagógico da Escola Campo de Estudo.
       Análise do tipo de gestão da Escola bem com o tipo proposto no projeto
       Político Pedagógico.
       Conhecimento de formas de se organizar reuniões pedagógicas, conselhos de
       classe, reuniões de pais e mestres, trabalhos comunitários e plantões
       pedagógicos.
       Verificação da existência de articulação dos Projetos Escolares e sua
       articulação com o PPP.
       Relação do gestor com os diversos setores da Instituição Escolar.
       Organização do Projeto de Intervenção e socialização no grupo classe.
       Orientação sobre a elaboração do Relatório Final, confrontando com os
       estudos sobre a realidade educacional brasileira.
       (OBS.) O Relatório Final deverá conterá síntese das discussões dos três
       relatórios anteriores que têm um objeto de estudo definido.


AVALIAÇÃO: Processual, elaboração e re-elaboração de relatórios parcial e final.
Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. – Produção escrita
individual e coletiva, e auto-avaliação.

                  ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA
Análise do Componente Curricular: Prática Pedagógica


EMENTA: Estudo da prática pedagógica da sala de aula Especificidade dos saberes
e competências do profissional do Ensino Fundamental (anos iniciais). O Trabalho
Pedagógico.      O Currículo do Ensino Fundamental. Vivência do Projeto de
Intervenção.


OBJETO DE ESTUDO: As diferentes relações no interior da sala de aula do
Ensino Fundamental.

EIXO INTEGRADOR: A sala de aula enquanto espaço de interação, construção e
produção de saberes e práticas.
                                                                                   57
ANO: 2º                                            UNIDADE : 1


OBJETIVOS: Aproximar o discente com a sala de aula; Analisar as diferentes
relações no interior da sala de aula do Ensino Fundamental (anos iniciais);
Estabelecer conexões entre a dinâmica escolar e a sala de aula.



                    ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS;

      Intervenção da Prática Pedagógica
      Ressignificação do Projeto de intervenção.
      Apresentação do Projeto de Intervenção para apreciação da gestão
       administrativa e de ensino da escola Campo de Estudo.
      Aplicação do Projeto de Intervenção.
      Estudo dos fundamentos e diretrizes da B.C.C de Pernambuco.
      Pesquisa sobre o que é ensinar e o que é aprender, a partir dos diferentes
       autores selecionados.
      Conhecimento das competências básicas para o exercício da docência a partir
       da LDB e suas articulação com os 4 Pilares da Educação.
      Elaboração do relatório Parcial.



ANO: 2º                                                UNIDADE : 2
.
OBJETIVOS: Aproximar o discente com a sala de aula. Analisar as diferentes
relações no interior da sala de aula do Ensino Fundamental. (anos iniciais)
Estabelecer conexões entre a dinâmica escolar e a sala de aula.

              ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS

          •   Continuação da Aplicação do Projeto de Intervenção.
              Estudo do histórico do Ensino Fundamental (anos iniciais).
              Pesquisa sobre as relações interpessoais na sala de aula; da dinâmica,
              rotina e formas de sistematização.
              Estudo das diferentes formas de avaliar no Ensino Fundamental (anos
              iniciais).
              Conhecimento da Instrução Avaliativa que rege o processo de avaliação
              das escolas estaduais em PE.


                                                                                    58
Análise, a partir das observações, das atitudes do professor na
            construção dos saberes da docência em relação à prática do docente na
            sala de aula do Ensino Fundamental ( anos iniciais).
            Elaboração do Relatório Parcial.


ANO: 2º                                                             UNIDADE :3

OBJETIVOS:
Aproximar o discente com a sala de aula; Compreender as especificidades
curriculares do Ensino Fundamental e suas aplicações no contexto da sala de aula.


      ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS

      Continuação da Aplicação do Projeto de Intervenção.
      Discussão sobre o currículo do Ensino do Ensino Fundamental suas
      especificidades e aplicação no contexto da sala de aula.
      Seminário temático: Os PCNs, enfocando (princípios, objetivos, avaliação,
      conteúdos).
      Análise comparativa entre os fundamentos da BCC e dos PCNs.
      Pesquisa sobre os livros didáticos adotados na escola campo de estudo.
      Realização de Entrevista com professores sobre o processo de seleção dos
      livros didáticos, adotados.
      Estudo do texto: Livro Didático função pedagógica como papel cultural –
      BCC/PE .
      Análise dos livros didáticos, por grupos a partir de critérios previamente
      estabelecidos (PNLD).
      Conhecimento das OTMs do Ensino Fundamental ( anos iniciais) e o fluxo de
      aula vivenciados na rede estadual.
      Orientação da Elaboração do Relatório Final.


ANO: 2º                                                             UNIDADE : 4

OBJETIVOS: Apreender os conceitos estruturantes do planejamento do trabalho
pedagógico.
              Articular elementos teóricos e práticos vivenciados sem perder de vista
a dinâmica escolar. Vivenciar o projeto de Intervenção.


                                                                                   59
ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS


      Continuação da Vivência do Projeto de Intervenção Pedagógica.
      Pesquisa de diferentes tipos de aula e recursos materiais adequados a sua
      organização.
      Observação das aulas dos diferentes componentes curriculares, analisando-
      os a partir do referencial teórico estudado.
      Elaboração de um relatório dos diferentes componentes observados conforme
      orientação do professor formador.
      Seleção de conteúdos para elaboração de aulas.
      Estudo sobre a seqüência didática.
      Elaboração de planos de aula; articulando os objetivos da aula com os da
      avaliação.
      Socialização dos planos de aula para avaliação do professor e do grupo-
      classe.
      Avaliação Final do Projeto de Intervenção Pedagógica pelo professor
      formador e gestão pedagógica da escola campo de estudo.
      Elaboração do Relatório Final.
(OBS.) O Relatório Final deverá conterá síntese das discussões dos três relatórios
anteriores que têm um objeto de estudo definido.


AVALIAÇÃO: Processual, elaboração e re-elaboração de relatórios. Planejamento e
vivência.




                                                                               60
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio
Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteAula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteKelly da Silva
 
O pedagogo e a educação não-formal
O pedagogo e a educação não-formalO pedagogo e a educação não-formal
O pedagogo e a educação não-formalprofamiriamnavarro
 
Libâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlosLibâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlosSoares Junior
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosUlisses Vakirtzis
 
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕESDIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕESValdeci Correia
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoNaysa Taboada
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicasCÉSAR TAVARES
 

Mais procurados (20)

Competencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escolaCompetencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escola
 
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteAula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 
Slide oficinas Capacitação de Educação Inclusiva
Slide oficinas Capacitação de Educação InclusivaSlide oficinas Capacitação de Educação Inclusiva
Slide oficinas Capacitação de Educação Inclusiva
 
O pedagogo e a educação não-formal
O pedagogo e a educação não-formalO pedagogo e a educação não-formal
O pedagogo e a educação não-formal
 
Slides gestão escolar
Slides gestão escolarSlides gestão escolar
Slides gestão escolar
 
Libâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlosLibâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlos
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Ppp slide
Ppp slidePpp slide
Ppp slide
 
Dermeval Saviani
Dermeval Saviani Dermeval Saviani
Dermeval Saviani
 
modelo-de-projeto-politico-pedagogico
modelo-de-projeto-politico-pedagogicomodelo-de-projeto-politico-pedagogico
modelo-de-projeto-politico-pedagogico
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕESDIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
 
Pedagogia Renovada
Pedagogia RenovadaPedagogia Renovada
Pedagogia Renovada
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
A Escola Nova
A Escola Nova A Escola Nova
A Escola Nova
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 

Destaque (20)

Plano de aula do magistério
Plano de aula do magistérioPlano de aula do magistério
Plano de aula do magistério
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 
Formação professores curso normal
Formação professores curso normalFormação professores curso normal
Formação professores curso normal
 
Reorientação Curricular Curso Normal
Reorientação Curricular Curso NormalReorientação Curricular Curso Normal
Reorientação Curricular Curso Normal
 
Otm filosofia
Otm   filosofiaOtm   filosofia
Otm filosofia
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
 
Fundamentos da Didática
Fundamentos da DidáticaFundamentos da Didática
Fundamentos da Didática
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Plano de aula pronto
Plano de aula prontoPlano de aula pronto
Plano de aula pronto
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
 
Otm sociologia
Otm sociologiaOtm sociologia
Otm sociologia
 
Otm filosofia
Otm filosofiaOtm filosofia
Otm filosofia
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Formação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de cienciasFormação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de ciencias
 
Planos de aula
Planos de aulaPlanos de aula
Planos de aula
 
Aividades ludicas jogos em sala de aula
Aividades ludicas   jogos em sala de aulaAividades ludicas   jogos em sala de aula
Aividades ludicas jogos em sala de aula
 
Plano de aula musica
Plano de aula musicaPlano de aula musica
Plano de aula musica
 
Maternal plano anual
Maternal plano anualMaternal plano anual
Maternal plano anual
 

Semelhante a Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio

Plano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarPlano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarafavaliacao
 
Didatica atv09 plano de ensino
Didatica atv09 plano de ensinoDidatica atv09 plano de ensino
Didatica atv09 plano de ensinoaline totti
 
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino MédioOT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino MédioClaudia Elisabete Silva
 
Buscando significado didatica_pos_suzana_gomes
Buscando significado didatica_pos_suzana_gomesBuscando significado didatica_pos_suzana_gomes
Buscando significado didatica_pos_suzana_gomesRadar Ufmg
 
Artigo a didática na formação pedagógica de professores
Artigo   a didática na formação pedagógica de professoresArtigo   a didática na formação pedagógica de professores
Artigo a didática na formação pedagógica de professoresRonilson de Souza Luiz
 
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃOAVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃOjpsales
 
Pesquisa ação crítico colaborativa e reflexão
Pesquisa ação crítico colaborativa e reflexãoPesquisa ação crítico colaborativa e reflexão
Pesquisa ação crítico colaborativa e reflexãotelasnorte1
 
Plano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarPlano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarafavaliacao
 
Guia da disciplina Didática
Guia da disciplina DidáticaGuia da disciplina Didática
Guia da disciplina DidáticaRosiane Freitas
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCristina Ferreira
 

Semelhante a Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio (20)

Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 
Plano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarPlano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborar
 
Didatica atv09 plano de ensino
Didatica atv09 plano de ensinoDidatica atv09 plano de ensino
Didatica atv09 plano de ensino
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino MédioOT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
 
Buscando significado didatica_pos_suzana_gomes
Buscando significado didatica_pos_suzana_gomesBuscando significado didatica_pos_suzana_gomes
Buscando significado didatica_pos_suzana_gomes
 
7.1 resumo Zabala
7.1 resumo Zabala7.1 resumo Zabala
7.1 resumo Zabala
 
Artigo a didática na formação pedagógica de professores
Artigo   a didática na formação pedagógica de professoresArtigo   a didática na formação pedagógica de professores
Artigo a didática na formação pedagógica de professores
 
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃOAVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
 
Currículo
CurrículoCurrículo
Currículo
 
Aula 1 unidade 1
Aula 1 unidade 1Aula 1 unidade 1
Aula 1 unidade 1
 
Didatica geral
Didatica geralDidatica geral
Didatica geral
 
Pesquisa ação crítico colaborativa e reflexão
Pesquisa ação crítico colaborativa e reflexãoPesquisa ação crítico colaborativa e reflexão
Pesquisa ação crítico colaborativa e reflexão
 
Plano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarPlano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborar
 
Didática+histórico --
Didática+histórico --Didática+histórico --
Didática+histórico --
 
Slide didatica ementa
Slide didatica ementaSlide didatica ementa
Slide didatica ementa
 
Guia da disciplina Didática
Guia da disciplina DidáticaGuia da disciplina Didática
Guia da disciplina Didática
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
 

Mais de Flávia Maria

Mais de Flávia Maria (19)

O papel do_educador_de_apoio
O papel do_educador_de_apoioO papel do_educador_de_apoio
O papel do_educador_de_apoio
 
Ciencias naturais 2
Ciencias naturais 2Ciencias naturais 2
Ciencias naturais 2
 
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvasConteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
 
Bccport
BccportBccport
Bccport
 
Bccmat
BccmatBccmat
Bccmat
 
Otm edu..
Otm   edu..Otm   edu..
Otm edu..
 
Otm normal médio novas tecnologias
Otm normal médio   novas tecnologiasOtm normal médio   novas tecnologias
Otm normal médio novas tecnologias
 
Otm mat 1 9 ef
Otm mat 1 9 efOtm mat 1 9 ef
Otm mat 1 9 ef
 
Otm mat 1 8 ef
Otm mat 1 8 efOtm mat 1 8 ef
Otm mat 1 8 ef
 
Otm ling portuguesa fundamental1º ao 9ºano
Otm   ling portuguesa fundamental1º ao 9ºanoOtm   ling portuguesa fundamental1º ao 9ºano
Otm ling portuguesa fundamental1º ao 9ºano
 
MatemáTica Otm
MatemáTica OtmMatemáTica Otm
MatemáTica Otm
 
LíNgua Portuguesa Otm
LíNgua Portuguesa OtmLíNgua Portuguesa Otm
LíNgua Portuguesa Otm
 
Otm química
Otm químicaOtm química
Otm química
 
Otm história
Otm históriaOtm história
Otm história
 
Otm geografia
Otm geografiaOtm geografia
Otm geografia
 
Otm física
Otm físicaOtm física
Otm física
 
Otm biologia
Otm biologiaOtm biologia
Otm biologia
 
Otm artes
Otm artesOtm artes
Otm artes
 
Otm Espanhol
Otm   EspanholOtm   Espanhol
Otm Espanhol
 

Orientações teórico-metodológicas para curso normal médio

  • 1. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA E AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DIDÁTICA DA HISTÓRIA DIDÁTICA DA GEOGRAFIA DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS DIDÁTICA DA MATEMÁTICA DIDÁTICA DA LINGUAGEM DIDÁTICA DO ENSINO DA ARTE PRÁTICA PEDAGÓGICA RECIFE, NOV/2009
  • 2. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA E AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM RECIFE, NOV/2009 2
  • 3. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA E AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM. ANO 1º: UNIDADE: 1 EMENTA: Concepção de Educação, Didática, Avaliação e Avaliação da Aprendizagem. Sistema de avaliação. O processo de ensino aprendizagem – os sujeitos do processo. Planejamento da aprendizagem enquanto processo de organização do ensino-aprendizagem. Avaliação da aprendizagem. A dinâmica da sala de aula. OBJETO DE ESTUDO: A Didática e suas relações na aprendizagem OBJETIVO: Compreender a Didática como estudo e investigação permanente dos condicionantes que interatuam nas relações entre prática, conhecimento e aprendizagem. ORIENTAÇÕES TEÓRICAS METODOLÓGICAS Apresentação do conceito de Didática. Estudo da história da Didática nos períodos de 1549 a 1930 e de 1930 até os dias atuais. (VEIGA 1991). Pesquisa bibliográfica sobre os pressupostos epistemológicos seguida de posterior socialização no grande grupo. Compreensão do papel da didática na atividade escolar e na construção da identidade do profissional docente a partir dos estudos de Pimenta, 2000. Discussão sobre a concepção de Educação, de Homem e de Mundo que orientam as aprendizagens, através de um Painel Integrado. Reconhecimento da Função Social da Escola, a partir do conhecimento prévio dos alunos da articulação entre os textos estudados e as vivências na escola campo. Avaliação: processual formativa 3
  • 4. ANO: 1º UNIDADE: 2 OBJETIVO: Compreender a avaliação como processo de construção do conhecimento e importância da relação professor-aluno-conhecimento como condição de organização do ensino e aprendizagem. OBJETO DE ESTUDO: A avaliação enquanto processo de construção do conhecimento. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS Debate sobre a tríade professor x aluno x conhecimento e sua importância no processo de construção do conhecimento, a partir de leituras prévias e questões elaboradas decorrente dos estudos em pequenos grupos. Apresentação das diferentes concepções de Avaliação, identificando seus autores. Produções em duplas a respeito do conceito de Avaliação, levando em consideração a Avaliação da Aprendizagem, enfatizando suas especificidades. Apresentação dos diferentes enfoques da Avaliação da Aprendizagem e suas conseqüências sociais através de entrevista com professores e/alunos, relacionando-os com os textos estudados sobre a temática. Análise das entrevistas realizadas com os professores e alunos em pequenos grupos com orientação da professora. Compreensão do sentido e significado da avaliação, observando ao avaliar: Para que? Por quê? Para quem? A quem? E o que avaliar, através da exposição dialogada do professor. Estudo de texto sobre: As funções e etapas da avaliação, com socialização para o grande grupo e avaliação da professora. Apreensão dos diferentes sistemas de Avaliação Externa: Externa (Prova Brasil, SAEP, Provinha Brasil). Apropriação de atitudes de pesquisa e de professor-pesquisador, através da utilização dos instrumentos teórico-metodológicos observação e entrevista, no processo de construção do conhecimento. Avaliação: processual formativa 4
  • 5. ANO: 1º UNIDADE: 3 OBJETIVO: Conhecer a organização do trabalho pedagógico como condição do pensar e do saber fazer docente, tendo a planejamento da prática educativa como uma atividade para a construção de uma escola democrática. OBJETO DE ESTUDO: A organização do trabalho pedagógico ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS O trabalho Pedagógico Compreensão do conceito de planejamento enquanto reflexão crítica da prática social pedagógica, através da exposição dialogada. Apresentação dos diferentes tipos de planejamento. Pesquisa sobre o Planejamento do Sistema Educacional; do Projeto Político Pedagógico e do plano de Ensino e Plano de Aula, analisando a importância, as características, e as singularidades destes, na prática pedagógica. Estudo da aula como forma de organização do ensino enfatizando a estruturação didática e os tipos, utilizando como articulação da teoria- prática, a observação (enquanto procedimento teórico-metodológico). Apreensão dos elementos constituintes da organização do trabalho pedagógico: objetivos, conteúdos, métodos e processos de ensino( educador x educando x conhecimento x sala de aula) e da sua importância no pensar e fazer docente. Realização de trabalhos teóricos de elaboração individual, oportunizando leituras e discussões coletivas. Avaliação: processual formativa ANO: 1º UNIDADE :4 OBJETIVO: Compreender a Didática e a Avaliação como estruturantes do processo de construção do conhecimento, expressando os saberes necessários à prática docente no contexto da elaboração de um plano de atividade de ensino. OBJETO DE ESTUDO: Análise da avaliação do ensino-aprendizagem 5
  • 6. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS Estudo de caso de práticas avaliativas e instrumentos de avaliação da aprendizagem, nos diferentes níveis da Educação Infantil e aos iniciais do Ensino Fundamental, analisando cada caso de acordo com a literatura estudada. Estudo em grupo, objetivando analisar: a avaliação institucional, a avaliação do processo de ensino-aprendizagem e auto-avaliação com socialização através de apresentação dos grupos. Construção do Plano de Aula, articulando aos métodos e processos de ensino vivenciados na sala de aula, com a fundamentação teórica estudada. Socialização dos planos de aula, sua importância e dificuldades no processo de construção do plano, com orientação da professora, na re-construção dos itens que se fizerem necessários. Análise da prática docente x planejamento e avaliação da aprendizagem, priorizando a articulação entre as temáticas analisadas, a partir de situações práticas. Pesquisa dos diferentes tipos de projetos existentes na escola, suas especificidades e aplicações. Elaboração de síntese individual sobre os diferentes tipos de projetos e suas especificidades para o grande grupo com intervenção da professora. Avaliação: processual formativa REFERÊNCIAS BEHRENS, M. A. O Paradigma Emergente a Prática Pedagógica. 3ª edição. Curitiba: Universitária Champagnat, 2003. ___________. Paradigma da Complexidade: Metodologia de projetos, contratos didáticos e portfólios. Petrópolis Rio de janeiro. Vozes, 2006. BUFFA, Ester. Ideologias em Conflitos: Escola Pública e Escola Privada. São Paulo. Cortez e Moraes 1979. CANDAU, Vera M (org.) A Didática em Questão, Petrópolis. Vozes, 1988 _____ Rumo à Nova Didática. Petrópolis: Vozes, 1988. CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: Elementos para uma Teoria. Porto Alegre: Artes Médica Sul Ltda., 2000. FREEIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2005. 6
  • 7. GOMEZ, A. I. e SACRISTAN, J. Gimeno. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998. HERNANDEZ E Ventura – A Organização do Currículo por Projeto de Trabalho. HOFFMAN, Jussara. Pontos e Contra Pontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 1998. ______Avaliação: Mito e Desafio: Uma perspectiva construtivista: Porto Alegre; Mediação, 2005. _____Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade: Porto Alegre; Mediação, 2003. LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo Cortez, 1999 ______ Democratização da Escola Pública – A Pedagogia Crítico-Social dos Conteúdos ed. Loyola 1989 LUCK, Heloísa. Pedagogia Interdisciplinar Fundamentos Teórico-Metodológicos. 8ª ed. Petropolis Vozes 2000 LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar 10ª ed. Cortez MORETTO, Vasco Pedro. Prova: Um Momento Privilegiado de Estudo não Um Acerto de Contas. Rio de Janeiro DP& A, 2003 PILETTI, Claudino. Didática Geral São Paulo, Ática 1995. ROMANOWSKI, Joana Paulin et al.(orgs.) Conhecimento Local e Conhecimento Universal :Formação Docente, Aprendizado e Ensino. Curitiba: Champagnat, 2005, Vol. 1 e 5 XII ENDIPE. WEISZ Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo, Editora Ática, 2001 ZABALA, A Prática Educativa: Como Ensinar. Porto Alegre Artmed 1998 7
  • 8. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA DA HISTÓRIA RECIFE, NOV/2009 8
  • 9. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA HISTÓRIA EMENTA: Estudo dos Fundamentos do Ensino e Aprendizagem da História, voltados para a prática de ensino na Educação Infantil, dos anos iniciais do Ensino Fundamental. O tempo histórico, o espaço, a cultura e as relações sociais. O Saber Histórico. O aluno enquanto sujeito histórico. Fontes de Pesquisa. Os PCNs e as Propostas Curriculares. Perspectivas e Alternativas atuais no Ensino de História. A dinâmica da sala de aula e suas relações. A Avaliação no Ensino de História. OBJETO DE ESTUDO: O Processo de Ensino e Aprendizagem da História ANO: 3º UNIDADE: 1 OBJETIVOS: Refletir sobre os fundamentos que norteiam o Ensino de História na Educação Infantil e no Ens. Fundamental. Compreender os conceitos básicos da prática pedagógica do ensino de História: tempo, espaço, cultura e relações sociais. ORIENTAÇÕES TEÓRICAS-METODOLÓGICAS Fundamentos do Ensino Aprendizagem da História Estudo reflexivo sobre os fundamentos que estruturam o Ensino da História na Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental com apresentação de síntese pelos grupos. Apreensão dos conceitos de tempo, espaço, cultura e relações sociais, comparando- os com o vivido e correntes historiográficas. Reflexão sobre a compreensão de grupo social, tempo, cultura, trabalho, memória, diversidade cultural no processo de construção e apropriação do saber histórico. Percepção de diferentes processos de se ensinar-aprender a construção do saber histórico, a partir de metodologia apresentadas pelo professor. Análise de possíveis formas de se integrar as aulas de História com outros componentes através de projetos didáticos. Avaliação: processual e formativa. 9
  • 10. ANO: 3º UNIDADE: 2 OBJETIVOS: Identificar as Perspectivas e alternativas do ensino de história hoje, relacionando-as com as vivências da sala de aula na Educação Infantil. Conhecer a dinâmica da sala de aula e a prática docente no ensino de História. Analisar o contexto da sala de aula em articulação com a interação professor x aluno x conhecimento x planejamento x material didático x construção de saberes. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS O Ensino de História na Educação Infantil Reconhecimento do papel das relações sociais e /ou interações na aprendizagem. Estudo em grupo sobre ensino de história e suas especificidades na Educação Infantil. Análise do currículo de história na Educação Infantil. Análise de documentos e referenciais que norteiam o ensino de História na Educação Infantil. Compreensão do sentido e significado da Avaliação de História na Ed. Infantil. Conhecimento das perspectivas e alternativas do ensino de história. Os sujeitos do processo: professor x aluno em busca de saberes. Avaliação: processual e formativa ANO: 3º UNIDADE: 3 OBJETIVOS: Compreender a investigação como processo de construção do saber histórico no Ensino Fundamental. Saber-se ator e autor da História. Analisar diferentes fontes de pesquisa. Realizar estudos do PCNs identificando situações que possam ser adaptadas às realidades da sala de aula. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS A Construção de saberes no Ensino Fundamental 10
  • 11. Construção do saber histórico a partir do método da investigação. Estudo em grupo: análise das diferentes fontes de pesquisa histórica. Vivência de pesquisa como proposta de estratégia de ensino através de projeto temático. Compreensão da construção de saber histórico enquanto fruto de uma construção social. Reconhecimento de que o homem/mulher é ator e autor da história, através de pesquisa sobre a história de alunos e professores. Análise de documentos e referenciais que norteiam o ensino de História no Ensino Fundamental. Análise do currículo de história no Ensino Fundamental. Conhecimento de critérios para seleção de conteúdos da História. O professor enquanto pesquisador da sua prática (autor e ator da s/ história). Avaliação: processual e formativa ANO: 3º UNIDADE: 4 OBJETIVOS: Estabelecer uma análise comparativa entre as observações realizadas da prática docente do professor da Escola Campo e a teoria estudada. Compreender a especificidade da Avaliação no Ensino de História no Ensino Fundamental. Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula e/ou projetos interdisciplinares. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS Relação docente discente na construção do saber: Análise comparativa entre as experiências vivenciadas na escola campo e a teoria estudada na sala de aula; (estudo em grupo). Estruturação do plano de aula, adequando a avaliação aos objetivos da aula (ou projetos interdisciplinares). Elaboração do material didático pedagógico de suporte para organização da aula. Verificação do tempo adequado a realização das atividades com as idades dos alunos a serem trabalhados. Reflexão sobre a importância da transposição didática das aulas de história atentando para o processo de construção do saber histórico. 11
  • 12. Socialização e avaliação dos planos de aula atendendo aos critérios de avaliação, estabelecidos previamente entre alunos e professor. Avaliação: processual e formativa REFERÊNCIAS BRASIL, Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN. História de 1ª a 4ª séries. Brasília:MEC/SEF.1997 BORGES, V. P. O QUÉ HISTÓRIA? 16ª ed. Ed. Brasiliense, 1991 BITTENCOURT, C. O Ensino de História fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004. __________ (ORG). O SABER HISTÓRICO EM SALA DE AULA. SÃO PAULO CONTEXTO. 1999 CARRETERO, Alberto Rosa e Maria Fernanda Gonzalez (org.) Ensino de História e memória coletiva. Porto Alegre; Artmed, 2007.. FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de Ensino de História: experiências, reflexões e aprendizados. Campinas, SP. Papirus. 2003. __________Caminhos da História Ensinada. Campinas SP. Papirus, 1993 LEANDRO, Karnal (org ) História na sala de aula: conceitos ; práticas e propostas. 2ª edição São Paulo: Contexto, 2004 MARSON, A. Reflexões Sobre Procedimento Histórico IN anpuh Repensando a Historia. Rio de Janeiro; Marco Zero, 1984 NADAI Elza – Um Projeto de Montagem de Recursos Didáticos Aplicados à História. Anais do VIII Simpósio Nacional da ANPUH, São Paulo, 1976 NEMI, AL. L Didática da História o Tempo Vivido: São Paulo FTD 1996 PENTEADO, H. D. Metodologia do Ensino da História e Geografia. Ed. Cortez, São Paulo, 1992 PROENÇA, M. C. Ensinar e Aprender História. Lisboa. Horizonte S/D SILVA, Marcos, Selva Guimarães Fonseca. Ensinar História no século XXI: em busca do tempo entendido. Campinas SP. Papirus, 2007. SÔNIA L. N.(org.) Repensando o Ensino de História 6ª Ed. Cortez ANO: SCHIMIDT, Maria Auxiliadora. Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004. 12
  • 13. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA DAS LINGUAGENS RECIFE, dez/2009 13
  • 14. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS LINGUAGENS EMENTA: O Ensino/Aprendizagem da linguagem oral na escola. Conceitos de Oralidade, Letramento e Alfabetização e suas relações na sociedade e na escola. A especificidade da Avaliação em Língua Portuguesa. OBJETO DE ESTUDO: A linguagem como interação entre sujeitos, conhecimento e o meio social. ANO: 2º UNIDADE 1 OBJETIVO: Analisar os processos de ensino/aprendizagem da linguagem oral na escola. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS O Ensino/aprendizagem da linguagem oral na escola. o Conhecimento do conceito de linguagem oral. o Reflexão sobre o ensino/aprendizagem oral na escola (seleção de objetivos e prioridades do ensino). o Análise de gêneros orais: (debate, exposição oral, entrevista, história oral) o Análise de livros didáticos e de práticas pedagógicas voltadas para o ensino da oralidade. o Elaboração de atividades para desenvolver a competência de produção e compreensão de gêneros orais. o Compreensão do que e como avaliar o ensino/aprendizagem da oralidade. Avaliação: processual e formativa. ANO: 2º UNIDADE 2 OBJETIVOS: Analisar os Conceitos de Oralidade, Letramento e Alfabetização. 14
  • 15. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Compreensão dos conceitos de: o Oralidade Letramento autônomo o Letramento Teoria do Contínuo o Alfabetização Letramento ideológico Alfabetização e Letramento o Conhecimento dos processos de ensino/aprendizagem o Compreensão dos conceitos e interfaces no processo pedagógico. O sistema alfabético da Escrita o Estudo da Evolução histórica e princípios constituintes; o Conhecimento do sistema alfabético. o Análise de práticas pedagógicas voltadas para o ensino/aprendizagem da base alfabética. o Elaboração de atividades voltadas para o ensino/aprendizagem do sistema alfabético da escrita. o Discussão sobre o que e como avaliar no processo de ensino/aprendizagem do sistema alfabético da escrita. ANO:2º UNIDADE 3 OBJETIVOS : Construir e analisar instrumentos de avaliação considerando as especificidades da Avaliação em Língua Portuguesa, com base nos pressupostos presentes em documentos oficiais e Referenciais Curriculares que norteiam as concepções do ensino/aprendizagem da Língua Portuguesa. ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS Avaliação em Língua Portuguesa: o Conhecimento; das matrizes de Referência de Avaliação. o Conhecimento das escalas de proficiência em leitura. o Estudo dos Sistemas de Avaliação ( SAEB,PROVA BRASIL E SAEPE). o Estudo de critérios para análise e elaboração de instrumentos de avaliação. Construção e Análise de instrumentos de Avaliação: o Sobre o ensino/aprendizagem da linguagem oral. o Sobre o ensino/aprendizagem da leitura e escrita. 15
  • 16. o Elaboração de critérios de avaliação para as temáticas. ANO: 2º UNIDADE 4 OBJETIVOS: Analisar as relações entre Oralidade, Letramento e Alfabetização na sociedade e na escola, compreendendo a linguagem como instrumento de inserção social. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS Linguagem e sociedade; o Compreensão do Conceito de Linguagem e de domínios discursivos. o Compreensão da linguagem como constituinte das identidades sociais. o Discussão sobre as variações lingüísticas e de preconceitos lingüísticos. o Debate sobre as relações entre escola e demais esferas sociais. AVALIAÇÃO: processual e formativa ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS LINGUAGENS EMENTA: O pensamento e a linguagem na criança. O Ensino da Leitura e da escrita. Os Diferentes Gêneros textuais. O ensino da Ortografia. A Produção de textos. OBJETO DE ESTUDO: A linguagem escrita e suas implicações ANO: 3º UNIDADE 1 OBJETIVO: Compreender o pensamento e a linguagem da criança a partir dos fundamentos da psicogênese da língua escrita. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS O Pensamento e a linguagem da criança 16
  • 17. Conhecimento da Psicogênese da língua escrita. Compreensão do processo de construção da escrita. Conhecimento e identificação dos níveis da escrita. Reconhecimento das dificuldades de aprendizagem dos alunos em processo de alfabetização. Elaboração de análise sobre problemas de aprendizagem da escrita. AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 3º UNIDADE 2 OBJETIVOS: Analisar as concepções da leitura e escrita e suas implicações pedagógicas. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS O ensino da leitura Estudo das teorias sobre leitura e implicações para a prática docente. Compreensão da importância da leitura para a Formação de leitores. Compreensão dos processos cognitivos e estratégias de leitura. Estudo dos processos de avaliação da leitura na escola. AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 3º UNIDADE 3 OBJETIVO: Apreender os processos do ensino e aprendizagem da Ortografia. ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS • Estudo da Evolução histórica do ensino da ortografia do português. • Compreensão dos processos cognitivos envolvidos em diferentes tipos de convenções ortográficas. • Conhecimento da norma ortográfica: tipos de convenções ortográficas. • Análise das práticas voltadas para a aprendizagem da ortografia. 17
  • 18. Análise de livros didáticos e outros recursos usados para o ensino da ortografia. AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 3º UNIDADE 4 OBJETIVOS: Analisar os diferentes gêneros textuais. Compreender os processos do ensino aprendizagem da produção de textos. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Os Gêneros textuais Compreensão dos conceitos básicos. Conhecimento da dimensão histórico-social. Conhecimento da teoria do gênero textual e progressão escolar. Compreensão da diversidade textual: domínios discursivos e produção de cultura. Produção de texto Estudo da teoria sobre a produção de textos e as implicações para a prática docente. Pesquisa sobre das condições de produção de texto na escola e fora dela. Análise dos processos cognitivos e estratégias de produção de textos. Estudo sobre a compreensão da intervenção do professor como mediador da situação de produção. Análise do processo de avaliação do texto escrito. Avaliação: processual formativa. ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS LINGUAGENS 18
  • 19. EMENTA: Estudo do Currículo e do Ensino da Língua Portuguesa. Documentos Oficiais e Referenciais Curriculares. Princípios norteadores. O livro didático. OBJETO DE ESTUDO: O Currículo da Língua Portuguesa no Ensino Fundamental e na Educação Infantil. ANO: 4º UNIDADE 1 OBJETIVO: Compreender os princípios norteadores que estruturam o Currículo da Língua Portuguesa. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS O Currículo e o ensino da Língua Portuguesa da Educação Infantil o Estudo de concepções de língua e das implicações sobre o ensino. o Conhecimento dos objetivos do ensino da língua portuguesa. o Conhecimento da organização dos eixos de ensino. o Conhecimento das Funções do ensino da língua portuguesa. Avaliação: processual formativa. ANO: 4º UNIDADE 2 OBJETIVO: Compreender os princípios norteadores que estruturam o Currículo da Língua Portuguesa. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS O Currículo e o ensino da Língua Portuguesa do Ensino Fundamental o Estudo de concepções de língua e das implicações sobre o ensino. o Conhecimento dos objetivos do ensino da língua portuguesa. o Conhecimento da organização dos eixos de ensino. o Estudo das Funções do ensino da língua portuguesa. Avaliação: processual formativa ANO: 4º UNIDADE 3 OBJETIVOS: Analisar os Documentos Legais e os Referenciais Curriculares para o ensino da Língua Portuguesa ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS 19
  • 20. o Análise dos Referenciais Curriculares. o Conhecimento dos documentos oficiais s/ o currículo da língua portuguesa. o Leitura e discussão dos fundamentos legais que regem o ensino da Língua Portuguesa. o Reflexão sobre objetivos, conteúdos e orientações didáticas presentes nos referenciais compreendendo-os como um elemento a mais na construção da reflexão sobre a prática docente. Avaliação: processual formativa ANO: 4º UNIDADE 4 OBJETIVOS: Analisar livros didáticos da Língua Portuguesa, avaliando a adequação das suas concepções teóricas no processo de ensino aprendizagem, acerca do ensino da língua materna, numa perspectiva sociointeracionista. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS O Livro didático: Análise de livros didáticos; da alfabetização; dos anos iniciais do Ensino Fundamental; conhecimento e utilização dos critérios do PNLD. Discussão sobre a transposição didática das concepções teóricas que norteiam o ensino da Língua Portuguesa. Avaliação: processual e formativa. REFERÊNCIAS SOLÉ, Isabel. Estratégias de Leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998; TERZI, S.B. A construção da Leitura: uma experiência com crianças de meio iletrados. Campinas; Pontes, Ed. Unicampi, 1995 SUASSUNA, L. Ensino da língua portuguesa: uma abordagem pragmática, Campinas: Papirus, 1995. KATO, M. A concepção da Escrita pela criança. 2ª ed. Campinas: Pontes, 1992; 20
  • 21. LAJOLO, M. & ZILBERMAN, M. L. R. Literatura Infantil brasileira: história & histórias. São Paulo: Ática, 1984. NETO, A.G. A produção de textos na Escola. 4ª Ed. São Paulo; Loyola 1996 ANTUNES, Irandé. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003. ________________ Lutar com Palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola Editorial, 2004. BAGNO, Marcos. Preconceito Lingüístico: o que é e como se faz. Rio de Janeiro: Edições Loiola, 2003. BARBOSA, José Juvêncio. Alfabetização e Leitura. São Paulo: Editora Cortez, 1990. BRYAN, Peter. BRADLEY, Lynette. Problemas de leitura na criança. Porto Alegre. Artes Médicas. 1987. CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização & Lingüística. São Paulo. Editora Scipione. 2005. CARVALHO, Marlene. Guia Prático do Alfabetizador. São Paulo. Ática. FERREIRO, Emília. TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre. Artes Médicas. 1985. FOUCAMBERT. Jean. A Leitura em Questão. Porto Alegre. Artes Médicas. 1987. GROSSI, Esther Pillar. Didática da Alfabetização. Vol. I, II e III. Rio de Janeiro. Paz e Terra. 1990. JOLIBERT, Josette. Formando Crianças Produtoras de Textos. Porto Alegre. Artes Médicas. 1994. JOLIBERT, Josette. Formando Crianças Leitoras. Porto Alegre. Artes Médicas. 1994. LEMLE. Marlene. Guia Teórico do Alfabetizador. São Paulo. Ática. MORAIS, Artur Gomes de (org.) O aprendizado da Ortografia. Belo Horizonte MARCUSCHI, Luís Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2001. _______________________ Compreensão de Texto: Algumas Reflexões In DIONISIO, A. P. e BEZERRA, M. A. O Livro Didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2001. SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. 21
  • 22. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTE CURRICULAR DIDÁTICA DA MATEMÁTICA RECIFE, NOV/2009 22
  • 23. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA MATEMÁTICA EMENTA: Os Números Naturais e seu Desenvolvimento Histórico. Ensino e Aprendizagem da Representação Numérica e das Operações com Números Naturais. Tendências Atuais do Ensino das Operações Numéricas. Os números Racionais Absolutos: História, Representação e Processos de Ensino e Aprendizagem. OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino-aprendizagem da matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Infantil. ANO: 2º UNIDADE: 1 OBJETIVOS: Compreender os conceitos matemáticos pertinentes às idéias de Número Natural e de Número Racional absoluto relacionando-os a seu desenvolvimento histórico. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1- Quanto a História da Matemática Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de número (Natural e Racional Absoluto) e de suas abordagens de ensino; 2- Quanto a Resolução de Problemas Conhecimento da noção de problema e da construção de procedimentos e atitudes para sua resolução 3- Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles. 4- Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Utilização de jogos para o desenvolvimento de práticas educativas e ou socialização do conhecimento. Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) AVALIAÇÃO: processual e formativa. 23
  • 24. ANO: 2 UNIDADE: 2 OBJETIVO: Analisar as abordagens teórico-metodológicas para o ensino de Número Natural e de Número Racional Absoluto ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Conhecimento Histórico da Didática da Matemática quanto ao ensino das noções de número; 2. Quanto a Resolução de Problemas Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles. 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Utilização de jogos para o desenvolvimento de práticas educativas e ou socialização do conhecimento. Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 2 UNIDADE: 3 OBJETIVO: Discutir os algoritmos utilizados na realização das operações com números naturais e racionais absolutos; ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Conhecimento do desenvolvimento histórico dos algoritmos operacionais (em IN e Q+) e sua relação com os sistemas de numeração. 2. Quanto a Resolução de Problemas Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula. 24
  • 25. 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização da calculadora como implementadora de cálculos numéricos mais rápidos e/ou mais extensos; 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Confecção de material didático e sua utilização Utilização de jogos para o desenvolvimento de práticas educativas e ou socialização do conhecimento. Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 2 UNIDADE: 4 OBJETIVO: Relacionar os conteúdos trabalhados com suas aplicações em situações do cotidiano. ORIENTAÇÕES TEÓRICO –METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Compreensão da origem e desenvolvimento histórico da noção de aplicação de uma teoria matemática; 2. Quanto a Resolução de Problemas Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula; 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Pesquisa e uso de novos softwares para auxiliar as atividades escolares; Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Confecção de material didático e sua utilização Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) AVALIAÇÃO: processual e formativa 25
  • 26. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA MATEMÁTICA EMENTA: Origem e Desenvolvimento das Noções Elementares da Geometria. Ensino e Aprendizagem de Noções Geométricas Básicas (Forma, Tamanho, ponto, Reta, Plano, Espaço) Conceito Geométrico como Ângulos e Figuras Geométricas (no plano e no espaço). A Noção de Medida e Suas Aplicações. Tendências Modernas no Ensino de Geometria Elementar. OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino-aprendizagem da matemática nos anos iniciais do Ens. Fundamental e da Educação Infantil. ANO: 3º UNIDADE : 1 OBJETIVOS: Analisar o desenvolvimento histórico dos conceitos básicos da geometria e de sua inserção no contexto Escolar. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1-Quanto a História da Matemática Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas abordagens de ensino; Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico, contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes. 2-Quanto a Resolução de Problemas O uso de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula A noção de problema e a construção de procedimentos e atitudes para sua resolução 3-Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles. 4-Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas 26
  • 27. Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 3º UNIDADE: 2 OBJETIVOS: Articular as noções geométricas com seus correspondentes no mundo físico e desenvolver os argumentos usados em seu processo de ensino /aprendizagem ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas abordagens de ensino; Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico, contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes. 2. Quanto a Resolução de Problemas Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula Compreensão da noção de problema e da construção de procedimentos e atitudes para sua resolução 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles. 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) Construção de instrumentos de avaliação diversificados. . AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 3º UNIDADE: 3 OBJETIVOS: Favorecer a construção de modelos geométricos para o processo de ensino/aprendizagem e utilizá-los na prática docente; 27
  • 28. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas abordagens de ensino; Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico, contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes. 2. Quanto a Resolução de Problemas Utilização de situações/problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula Compreensão da noção de problema e da construção de procedimentos e atitudes para sua resolução; Análise das especificidades dos problemas geométricos; 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Implementação de softwares computacionais para a construção geométrica e sua exploração na percepção de invariantes geométricos. Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles. 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Confecção e uso de modelos geométricos a partir de materiais concretos Exploração de invariantes geométricos pelo uso de tais materiais. Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários) AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 3º UNIDADE: 4 OBJETIVOS: Compreender a noção de Medidas de Grandezas Geométricas e contextualizá-las. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Compreensão do desenvolvimento histórico das noções de Geometria e suas abordagens de ensino; 28
  • 29. Utilização desta compreensão para percepção da noção de modelo científico, contrapondo as noções geométricas com as noções físicas correspondentes. 2. Quanto a Resolução de Problemas Utilização de situações-problemas como ponto de partida da ação didática em sala de aula Compreensão da noção de problema e da construção de procedimentos e atitudes para sua resolução. 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Implementação de softwares computacionais para a construção geométrica e sua exploração na percepção de invariantes geométricos. Utilização de vídeos como organizadores de conteúdos e implementadores do debate e da reflexão sobre eles. 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Exploração do espaço da sala de aula na compreensão da noção de medida; Discussão sobre a especificidade da Avaliação no ensino da Matemática (através de seminários),Construção de instrumentos de medidas. AVALIAÇÃO: processual e formativa ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA MATEMÁTICA EMENTA: A Noção de Transposição Didática. Construção de Seqüência Didática. Abordagens no Ensino Aprendizagem de Combinatória Elementar. A inserção da noção de probabilidade e de conhecimentos básicos de Estatística no ensino elementar. Currículo, Planejamento e Avaliação no Ensino de Matemática. OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino/aprendizagem da matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Infantil. ANO: 4º UNIDADE:1 OBJETIVO: Discutir a Noção de Transposição Didática 29
  • 30. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1-Quanto a História da Matemática A discussão sobre as possibilidades da Didática da Matemática em sua dimensão temporal, com ênfase na situação atual. Conhecimento da Didática Francesa Moderna: Idéias Chaves e Possibilidades; 2-Quanto a Resolução de Problemas Utilização da Noção de situação-problema como possibilidade de discussão das questões de ensino da matemática Elementar. 3-Quanto ao uso de Novas Tecnologias Discussão sobre as possibilidades do uso das novas tecnologias no ensino da matemática elementar. 4-Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas O Currículo de matemática para o ensino elementar (através de seminários); Análise da funcionalidade do uso do material concreto para o ensino da matemática. AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 4º UNIDADE: 2 OBJETIVOS: Compreender as possibilidades da resolução de problemas como conteúdo para o ensino elementar; Analisar o caso das transposições didáticas das noções de Combinatória. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Compreensão da inserção do conhecimento matemático como conteúdo de ensino; 2. Quanto a Resolução de Problemas Compreensão do raciocínio combinatório como implementador da resolução de problemas matemáticos; 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias 30
  • 31. Utilização das novas tecnologias para problemas elementares de Combinatória; 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Planejamento das ações de ensino (através de seminários); Estruturação de um plano de aula, e/ou projeto interdisciplinar Construção e utilização de jogos no ensino de combinatória. AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 4º UNIDADE: 3 OBJETIVO: Analisar o caso das Transposições Didáticas para a Noção de Probabilidades ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática . Discussão sobre o percurso histórico do livro didático da matemática elementar quanto a noção de probabilidade.. 2. Quanto a Resolução de Problemas Conhecimento de Estratégias de ensino para problemas elementares de Probabilidade. 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização das novas tecnologias no ensino aprendizagem de problemas elementares de Probabilidade. 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas A modelagem no ensino de matemática (através de seminários); Construção e utilização de jogos para o ensino de Probabilidades Discussão e análise sobre a utilização dos jogos. AVALIAÇÃO: processual e formativa ANO: 4º UNIDADE: 4 OBJETIVOS: Analisar o caso das Transposições Didáticas das Noções de Estatística. 31
  • 32. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS 1. Quanto a História da Matemática Discussão sobre as possibilidades da Didática da Matemática em sua dimensão temporal, com ênfase na situação atual 2. Quanto a Resolução de Problemas Conhecimento das noções de Estatística para o ensino elementar: incursão através de problemas. 3. Quanto ao uso de Novas Tecnologias Utilização das novas tecnologias para o ensino aprendizagem de Estatística Elementar. 4. Quanto às Oficinas-Didático-Pedagógicas Discussão dos Fundamentos para uma Didática da Matemática Elementar (através de seminários); Construção e utilização de jogos para o ensino de Probabilidades Elaboração de um projeto de avaliação a ser utilizado na estruturação do plano de aula construído na segunda unidade. AVALIAÇÃO: processual e formativa REFERÊNCIAS BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇAO. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino fundamental – Matemática. 1ª a 4ª série. MEC/ SEF, Brasília, 1997. BIEMBENGUT, Maria Salett. Nelson Hein. Modelagem matemática no ensino. São Paulo: Contexto, 2003. BITTAR, Marilena e FREITAS, José Luiz Magalhães de. Fundamentos e Metodologia de matemática para os ciclos iniciais do ensino fundamental. – 2ª. ed. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2005. DANTE, Luiz Roberto, Didática da Matemática na Pré-Escola. São Paulo: Ática, 1991. JARANDILHA, Daniela e SPLENDORE, Leila. Matemática já não é Problema! São Paulo: Cortez, 2005. PERNAMBUCO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CULTURA E ESPORTES. Subsídios para a organização da prática pedagógica nas escolas normal médio, 1992. 32
  • 33. _________. Referenciais Curriculares para o Curso Normal Médio. Recife: 2006. _________. UNDIME. Base Curricular Comum para o Estado de Pernambuco. Recife: 2006. PIRES, Célia Maria Carolino Pires. Currículos de Matemática: da organização linear à idéia de rede. São Paulo: FTD, 2000. TOLEDO, Marília & TOLEDO, Mauro. Didática de Matemática: como dois e dois. A construção da matemática. São Paulo: FTD, 1997. NUNES, Terezinha; CAMPOS, Tânia Maria Mendonça; SANDRA, Magina; PETER, Bryant. Educação Matemática: Números e Operações numéricas. São Paulo: Cortez, 2005. PAVANELLO, Regina Maria (org.). Matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: A pesquisa e a sala de aula. Coleção SBEM. Vol. 2. São Paulo: SBEM, 2004. NETO, Ernesto Rosa. Didática da Matemática São Paulo: Ática, 2006. CARVALHO, Dione Lucchesi. Metodologia do Ensino da Matemática. São Paulo: Cortez, 1994. KAMII, Constance. A criança e o número. Campinas: Papirus, 1989. ZUNINO Delia Lerner de. A Matemática na escola: aqui e agora. Trad. Juan Açuña Llores. – 2ª ed. – Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. 33
  • 34. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA DO ENSINO DA ARTE RECIFE, NOV/2009 34
  • 35. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DO ENSINO DA ARTE EMENTA: Estudo dos Pressupostos históricos, filosóficos que fundamentam a Arte. O homem e sua relação com o mundo. A práxis em Arte/educação. A Abordagem triangular. As dimensões estéticas éticas e artísticas. Conexões entre Educação e Arte. O Ensino e aprendizagem da Arte OBJETO DE ESTUDO: Os processos de ensino aprendizagem da ARTE. ANO:4º UNIDADE 1 OBJETIVOS:Identificar os aspectos legais da história da Arte/Educação no Brasil. Diferenciar o conceito de Arte-Atividade e Arte-conhecimento, identificadas nos aspectos legais da história da Arte/Educação no Brasil. Apreender princípios, concepções, metodologia e avaliação do ensino-aprendizagem da Arte na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. Compreender as tendências pedagógicas do ensino de Arte no Brasil. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Compreensão dos aspectos legais da Arte/Educação no Brasil. • Construção do conceito de Arte. • Análise comparativa das concepções de Educação Artística (Lei 5692/71) e de Arte Educação (LDBEM 9394/96). • Reconhecimento da trajetória política, cultural, social e histórica da Arte/Educação no Brasil. • Análise das tendências pedagógicas do Ensino de Arte no Brasil. • Estudo dos pressupostos históricos, filosóficos, pedagógicos e didáticos que fundamentam o processo de ensino aprendizagem da Arte na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. ANO:4º UNIDADE 2 OBJETIVOS: Analisar o papel do arte/educador na práxis do ensino de Arte. 35
  • 36. Estudar os PCNs e referenciais para o Ensino de Arte na Educação Infantil e anos inicias do Ensino Fundamental. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Contextualização dos referenciais do Ensino da Arte com a realidade cultural do povo. • Reconhecimento da Abordagem Triangular • Análise do papel do arte/educador no processo de ensino aprendizagem. • Estudo dos referenciais para o ensino da Arte na (Educação Infantil e Ensino Fundamental) sugestões de práticas que possam adaptá-las às turmas. • Compreensão do papel do Arte/Educador na formação de leitores críticos do mundo. ANO:4º UNIDADE 3 OBJETIVOS: Refletir sobre questões multiculturais e a estética do cotidiano visando desenvolver o pensamento divergente crítico e analítico em que se articulam processos sensíveis com processos cognitivos. Reconhecer a importância do respeito à identidade, diversidade cultural, interculturalidade e a estética do cotidiano para o desenvolvimento da criatividade no educando. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Discussão de possibilidades de inserção da criança no ambiente cultural e a inventividade • Percepção da influência de pensar sobre si mesmo e sobre o mundo e a produção de arte. • Criação de momentos educativos que favoreçam a expressividade infantil nas diferentes linguagens (artes visuais, dança, teatro e música). • Conhecimento das diferentes manifestações Culturais produzidas e em produção no Brasil. • Compreensão de que o desenvolvimento da criatividade esta relacionando com respeito a identidade; diversidade cultural, interculturalidade e estética do cotidiano. 36
  • 37. ANO:4º UNIDADE 4 OBJETIVOS: Compreender a Arte como produção de conhecimento e saberes a partir de vivências arteducativas. Perceber a Arte como inerente à origem e função da vida humana considerando e respeitando as especificidades culturais. Reconhecer a especificidade da aula de arte enquanto espaço de diálogo, alegria e exploração. Compreender a especificidade da Avaliação no ensino de Arte (Educação Infantil e Ensino Fundamental). Construir plano de aula e/ou projeto Interdisciplinar. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Análise comparativa entre as vivências na escola campo de estudo e a teoria estudada. • Estruturação do plano de aula (ou projeto interdisciplinar) integrando a avaliação aos objetivos do ensino. • Elaboração do material didático pedagógico de suporte para construção da aula. • Socialização dos planos de aula, para serem avaliados pelo grande grupo e professor. • Utilização nas aulas dinâmica como jogo simbólico; jogo dramático; jogo teatral; apreciação musical. • Exploração/estruturação de ruídos, sons, ritmos, movimentos; • Reconhecimento da importância de trazer o lúdico para a sala de aula. • Compreensão da importância do diálogo interdisciplinar entre as linguagens de Arte: arte visual, teatro, dança e música. • Conhecimento das especificidades da Avaliação no Ensino de Arte. • Utilização do conhecimento de ARTE como ponto de referência para projetos interdisciplinares. REFERÊNCIAS BARBOSA, Ana Mae. (org.) Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2002. _________________. Arte-educação: leitura no subsolo. São Paulo: Cortez, 1997. 37
  • 38. _________________. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 1991. _________________. Arte Educação: Conflitos e acertos. São Paulo: Maxlimonard, 1998. BOAL, A. 200 exercícios e jogos para o ator e o não-ator com vontade de dizer algo através do teatro. 7ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira S/A, 1997 BORGES, M. Como formar crianças alegres e sabidas na base da fantasia. Nova Escola. Ano VIII, São Paulo, Nº 67, pp.32-38, junho de 1993. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 5.692/71, de 11 de . agosto de 1971. ______. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte Vol.6. Brasília: MEC/SEEF, 1997. 130 p. BRESSAN, Wilson J. Educar Cantando: a função educativa da música popular. Petrópolis, Vozes, RJ. 2000. CHEVALIER, Jean GREERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos. mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. 11ª edição. Tradução Vera da Costa e Silva et all, Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1997. CANDAU, Vera Maria & LELIS, Isabel Alice. A relação teoria-prática na formação do educador. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro: ABT, 12 (55): 12-18, 1983. CAMAROTTI, marco.A linguagem no Teatro Infantil. 2ª edição. Recife; Editora Universitária, 2002 COLI, Jorge. O que é arte. São Paulo: Brasiliense,1999. COURTNEY, Richard. Jogo, teatro e pensamento. São Paulo: Perspectiva, 2001. CUNHA, Maria de Lourdes e outros. A arte como processo educativo. Rio de Janeiro: Funarte, 2000. DERDYK, Edith. Formas de Pensar o Desenho: Desenvolvimento do Grafismo Infantil. São Paulo: Editora Scipione, 1994. DONDIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual, tr.j.L.Carmanjo, São Paulo: Martins Fontes, (1973), 2003. DUARTE, João Franscico. Fundamentos estéticos da educação. São Paulo: Cortez, 1999 DUARTE, João Franscico. Por que arte educação. São Paulo: Papirus, 1998 EDWARDS, Betty. Desenhando com o Lado Direito do Cérebro, Editora Tecnofrint S/A, 1984 FERRAZ, Maria Heloisa C.T. & FUSARI, Maria Felisminda de R. Metodologia do ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2000. 38
  • 39. FIGUEIREDO, M. L. História da Arte para crianças. São Paulo. Editora Pioneira, 1991. 6ª edição. FUSARI, Maria Felisminda de R. & FERRAZ, Maria Heloisa C. T. Arte na educação escolar. São Paulo: Cortez, 1992. GENTILE, P. Um mundo de imagens para ler. Nova Escola, São Paulo, Nº 161, pp. 45 a 49, abril de 2003. GOMBRICH, E.H. A História da arte. Editora Guanabara. GOMES FILHO, João. Gestalt do Objeto. Sistema de Leitura Visual da Forma. 6ª ed. São Paulo: Editora Escrituras, 2004. HERNÁNDES,Fernando.Cultura visual mudança educativa e projeto de trabalho.Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000. JAPIASSU, Ricardo. Metodologia do ensino de teatro. Campinas: Papirus, 2001 . MARTINS, Miriam Celeste et all. Didática do ensino de arte - A língua do mundo - Poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2000. ____________. A cabeça bem feita. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2001. NÒVOA, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992 PEDROSA, Israel. O Universo da Cor. Rio de Janeiro: Editora SENAC Nacional, 2003. PEIXOTO, F. O que é Teatro. São Paulo. Editora Brasiliense, 1980. 7ª edição. PERAZZO, Luiz & VALENÇA, Máslova T. Elementos da Forma. Rio de Janeiro: Editora SENAC Nacional, 1997. PONCE, Aníbal. Educação e luta de classes. São Paulo: Cortez, 1995. PORCHER, L. Educação Artística: luxo ou necessidade? São Paulo. Editora Summus, 1982. 5ª edição. PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Editora Ática, 2001. PIAGET, J. A educação artística e a psicologia da criança. Traduzido do espanhol por CRUZ, Chagas Edna e publicado na Revista Pedagógica, janeiro-junho de 1996, Vol. XII Nº 21, pp. 137-139. SP READ, Herbert. Educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes, 2001. REVERBEL, O. Teatro na Sala de Aula. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1979. RIPELLINO, A.M. Maiakóvski O teatro de vanguarda. São Paulo: Perspectiva, 1971. 39
  • 40. SANTANA, P. A. Teatro e Formação de Professores. São Luís: Editora Edufma, 2000. SANTOS, B. L. V. Atenção! Crianças brincando! In: CUNHA, Suzana Rangel Vieira da (Org.). Cor, Som e Movimento. 2ª edição. Porto Alegre: Editora Mediação, 2001. SCHNAIDERMAN, B. A poética de Maiakóvski. São Paulo: Perspectiva, 1984. SLADE, Peter. O Jogo Dramático Infantil. 7ª edição. São Paulo: Summus, 1978. (Coleção Novas Buscas em Educação Volume 2). SPOLIN, V. O Jogo teatral no livro do diretor. São Paulo: Editora Perspectiva, 1985. ___________. Improvisação para o teatro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1979. TOURINHO, Irene. Transformações no Ensino de Arte: algumas questões para uma reflexão conjunta. In: BARBOSA, Ana Mae (org.) Inquietações e mudanças no ensino da arte:As mutações do conceito e da prática: São Paulo: Cortez, 2002. VASCONCELOS, Mário (org.) Criatividade: Psicologia, Educação e conhecimento do novo. São Paulo: Moderna, 2001. VYGOTSKY, L.S. Psicologia da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 40
  • 41. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA DA GEOGRAFIA RECIFE, NOV/2009 41
  • 42. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DA GEOGRAFIA EMENTA: Estudos dos conceitos básicos, dos referenciais pedagógicos e didáticos para uma prática do ensino de Geografia dos anos iniciais do ensino Fundamental e na Educação Infantil. A Geografia, Escola e Construção do Conhecimento. Os PCNs e as Propostas Curriculares. A sala de aula espaço de construção e produção de saberes. A avaliação no Ensino de Geografia. OBJETO DE ESTUDO: O Processo de Ensino e Aprendizagem da Geografia. ANO: 4º UNIDADE: 1 OBJETIVOS: Apreender os conceitos básicos da Geografia (espaço, paisagem, lugar, região, território). Refletir sobre a relação do homem com o espaço geográfico, sua transformação e preservação. ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS Compreensão dos conceitos básicos do ensino da Geografia (espaço, paisagem, lugar, território). Reflexão sobre espaço, lugar, paisagem, território enquanto finitos e necessários de preservação. Análise sobre a paisagem, o espaço, e o lugar que a escola ocupa e como este é percebido pelos educandos. Avaliação: Processual e formativa. ANO: 4º UNIDADE: 2 OBJETIVOS: Proporcionar a reflexão sobre o conhecimento geográfico e sua representação na perspectiva da formação cidadã do educando. Construir a noção de espaço (orientação espaço-temporal); e alfabetização cartográfica. 42
  • 43. Estudar a Geografia tendo o aluno e o seu contexto geográfico como ponto de partida. Identificar as características e importância social da construção do saber geográfico. Conhecer e representar o espaço de convivência escolar. ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS Introdução das noções de espaço e leitura cartográficas. Conhecimento de noções de orientação espacial e localização geográfica, Conhecimento o espaço geográfico (escola, comunidade, regiões). Apresentação em diferentes formas: o espaço percorrido entre a escola e a residência. Os setores da escola (cantina, direção, sanitários, parques, entrada). A comunidade circunvizinha; o bairro, entre outros. Percepção das características e relevância social da construção do saber geográfico. Avaliação: Processual e formativa ANO: 4º UNIDADE: 3 OBJETIVOS: Realizar estudos do PCNs identificando situações que possam ser adaptadas às realidades da sala de aula. Analisar documentos e referenciais que norteiam o ensino de Geografia no Ensino Fundamental e Educação. Infantil. Compreender o currículo de Geografia do Ensino Fundamental e da Educação Infantil. Analisar e selecionar livros e conteúdos obedecendo a critérios previamente definidos e estudados. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Identificação nos PCNs de situações didático - pedagógicas para adaptá-las á sala de aula. Compreensão das especificidades do Currículo do Ensino Fundamental e da Educação Infantil, com vistas a aplicá-las posteriormente. 43
  • 44. Análise e seleção de livros didáticos a partir do PNLD Apreensão de critérios para selecionar conteúdo de acordo com a turma a ser trabalhada Avaliação: Processual e formativa ANO: 4º UNIDADE: 4 OBJETIVOS: Estabelecer uma análise comparativa entre as observações realizadas, a teoria estudada. Compreender a especificidade da Avaliação no Ensino de Geografia no Ensino Fundamental. . Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Relação docente discente na construção do saber: Análise comparativa entre as experiências vivenciadas e a teoria estudada na sala de aula. Estruturação do plano de aula, integrando a avaliação aos objetivos da aula. Elaboração do material didático pedagógico de suporte para o ensino do conteúdo proposto para a aula. Verificação do tempo adequado à realização das atividades com as idades dos alunos a serem trabalhados. Reflexão sobre a importância da transposição didática das aulas de Geografia atentando para o processo de construção dos saberes. Utilização do conhecimento geográfico como ponto de referência para projetos interdisciplinares. Avaliação: Processual e formativa REFERÊNCIAS ALMEIDA, Rosângela Doin de – Do desenho ao mapa: iniciação cartográfica na escola: 3 Ed. – São Paulo : Contexto, 2004 – (Caminhos da Geografia). ------------ ( org.) – Cartografia escolar São Paulo , Contexto, 2007. BRASIL, Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN. Geografia de 1ª a 4ª séries. Brasília:MEC/SEF.1997 44
  • 45. CARVALHO, Maria Inez da Silva de Souza. Fim de século: a escola e a Geografia, 2ª. Ed – Ijuí : Ed. Unijuí, 2004. CARLOS, Ana Fani A. (org.) A Geografia na sala de aula (Repensando o ensino. 6ª. ed. São Paulo: Contexto, 2004. CAVALCANTI, Lana de Sousa. Geografia, escola e construção de conhecimentos. Campinas, São Paulo: Papirus, 1998 – (Coleção Magistério: Formação e trabalho Pedagógico). CASTROGIOVANNI, Antonio Carlos, Roselane Zordan Costella. Brincar e cartografar com os diferentes mundos geográficos: a alfabetização espacial. Porto Alegre: Edipucrs, 2006. SIMIELI, Maria Elena. Geografia, São Paulo, Ed Ática, 2005 (Coleção meu espaço meu tempo) 4 vol. 45
  • 46. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS RECIFE, dez/2009 46
  • 47. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS EMENTA: Estudos dos conceitos básicos, dos referenciais pedagógicos e didáticos para uma prática do ensino das Ciências Naturais na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. Concepção de Ciência. Histórico das Ciências Naturais. O papel da Experimentação no Ensino de Ciências. A Natureza e o Ser Humano, a Sociedade, a Ciência e a Tecnologia. Os PCNs e as Propostas Curriculares. Critérios estruturantes para o ensino das Ciências: conteúdo, metodologia e o papel do professor. OBJETO DE ESTUDO: O processo de ensino aprendizagem das Ciências Naturais ANO: 3º UNIDADE: 1 OBJETIVOS: • Conceituar Ciências. • Conhecer o histórico das Ciências Naturais. • Compreender a relação existente ente a Natureza, o Ser Humano, e a Ética. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Construção do conceito de ciências a partir da discussão sobre o que é Ciências? (problematização) • Estudo do histórico das Ciências Naturais. • Apresentação do conceito de Ciências através de uma retrospectiva histórica destacando aspectos relevantes da sociedade, da ciência e tecnologia, em cada momento histórico destacado. • Trabalho em grupo a partir de questões elaboradas na discussão anterior com proposição de uma resenha por grupo. AVALIAÇÃO : processual e formativa. 47
  • 48. ANO: 3º UNIDADE: 2 OBJETIVOS: • Identificar os aspectos políticos e culturais que interferem no Ensino das Ciências Naturais. • Compreender a relação entre sociedade, ciência e tecnologia com vistas à sustentabilidade do planeta Terra. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Reflexão sobre os aspectos políticos e culturais que interferem no Ensino e Aprendizagem das Ciências Naturais. • Compreensão da relação entre a Natureza e Ser humano e a importância da formação de atitudes cidadãs. • Compreensão da relação entre sociedade, ciência e tecnologia a partir de pesquisas e fóruns de discussão. • Discussão sobre a interferência do conhecimento da Ciência e as relações Éticas entre a Natureza e o Ser Humano. • Trabalho em grupo a partir de questões elaboradas na discussão anterior com proposição de uma resenha por grupo. AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 3º UNIDADE: 3 OBJETIVOS: • Conhecer o currículo de Ciências Naturais do Ensino Fundamental e Educação Infantil. • Analisar os PCNs e Referenciais Curriculares e a BCC/PE compreendendo seus princípios filosóficos. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS • Discussão sobre o Currículo do Ensino Fundamental (anos iniciais) e da Educação Infantil com vistas a construir autonomia para posicionar-se sobre o mesmo a partir de fóruns, seminários etc. • Análise do currículo de Ciências na Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais) através de trabalhos em grupo, socializados e em seguida, sistematizado em forma de resenha. 48
  • 49. • Compreensão dos princípios filosóficos que estruturam os PCNs; e Referencias Curriculares que norteiam o ensino das Ciências e a BCC/PE, estabelecendo uma análise comparativa, apresentada em formato de seminário, com produção escrita para a professora. AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 3º UNIDADE: 4 OBJETIVOS: Analisar livros didáticos (PNLD) pertinentes a Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais). Selecionar conteúdos obedecendo a critérios estudados, que atendam a necessidade da Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais) tendo por base a BCC de Pernambuco. ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METODOLÓGICAS Analise de livros didáticos (PNLD) pertinentes a Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais). Seleção de conteúdos a partir da apreensão dos critérios estudados, que atendam a necessidade da Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais); tendo por base a BCC de Pernambuco. AVALIAÇÃO: processual e formativa. ORIENTAÇÕES TEÓRICO – METODOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS NATURAIS EMENTA: A sala de aula, espaço de pesquisa e descobertas, outros espaços. A Avaliação no Ensino das Ciências Naturais. A transposição didática nas aulas de Ciências Naturais. OBJETO DE ESTUDO: O processo de ensino aprendizagem das Ciências Naturais. ANO: 4º UNIDADE: 1 49
  • 50. OBJETIVOS: Compreender a sala de aula de ciências enquanto espaço de curiosidades, investigação, pesquisa descobertas diálogos,e construção de saberes. Apreender os conceitos básicos que estruturam o ensino das Ciências Naturais. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Iniciação da orientação de Pesquisa a partir de observação, problematização, investigação (sistematizada através de relatórios científicos, sínteses, relatos de experiência...). Compreensão da especificidade da sala de aula de ciências, enquanto espaço de incentivo a curiosidade, a investigação, a pesquisa e de outros ambientes nos quais aconteça, produção de saberes. Discussão sobre a valorização da importância da estimulação do diálogo nos pequenos grupos, das trocas significativas surgidas das hipóteses testadas a partir da reflexão e discussões nos grupos de trabalho. AVALIAÇÃO : processual e formativa. . ANO: 4º UNIDADE: 2 OBJETIVOS: Compreender a importância da Experimentação como estratégia do ensino – aprendizagem de Ciências. Orientar a iniciação à pesquisa científica. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Realização de atividades experimentais como proposta de estratégia de ensino aprendizagem das Ciências, a partir do método científico. • Socialização das observações vivenciadas, nas escolas campo de estudo das aulas de ciências, (articular com Pesq. e prát.). AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 4º UNIDADE: 3 OBJETIVOS: Estabelecer uma análise comparativa entre, as observações realizadas na prática docente do professor na,escola campo e a teoria estudada, sintetizadas através de produção de texto em dupla ou individual. 50
  • 51. Compreender as especificidades da Avaliação no Ensino de Ciências no Ensino Fundamental (anos iniciais) e Educação Infantil. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Conhecimento das especificidades da Avaliação no Ensino de Ciências na Educação Infantil e Ensino Fundamental (anos iniciais). • Analise de instrumentos de Avaliação de Ciências realizados, nas aulas de Ciência, na escola campo de estudo. • Estruturação do plano de aula observando a articulação entre a avaliação e os objetivos de ensino proposto no plano. • Elaboração do material didático pedagógico de suporte para construção da aula de Ciências. AVALIAÇÃO: processual e formativa. ANO: 4º UNIDADE: 4 OBJETIVOS: • Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula e/ou projetos interdisciplinares. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS • Reflexão sobre a importância da transposição didática nas aulas de Ciências enquanto estratégia facilitadora no processo de construção dos saberes científicos. • Utilização do conhecimento das Ciências como ponto de referência para projetos interdisciplinares. • Comparação entre o processo de ensino aprendizagem estudado e o conhecimento específico de Ciências e os procedimentos de pesquisa, (OBSERVAÇÃO) realizado na escola campo. AVALIAÇÃO: processual e formativa. REFERÊNCIAS • BRASIL, Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN. Ciências Naturais de 1ª a 4ª séries. Brasília: MEC/SEF. 1997 • GADOTTI, Moacir. História das idéias pedagógicas. São Paulo: Editora Ática, 1995. 51
  • 52. • PERNAMBUCO. Secretaria de Educação, Cultura e Esportes. Diretoria de Educação Escolar. Subsídios para organização prática pedagógica nas escolas: ciências e biologia/ Secretaria de Educação, Cultura, e Esportes de Pernambuco. Recife: SECE, 1992. 1.CURRÍCULO – CIÊNCIAS E BIOLOGIA. 2. Programa 1992. Ciências e Biologia. 3. Proposta Educacional, 1992. • SANTOS, F. M. T. DOS; GREGCA, I. M. (org.) A pesquisa em ensino de ciências no Brasil e suas metodologias. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006. • MORAES, R. (org.) Construtivismo e ensino de ciências. Reflexões epistemológicas. Porto Alegre: EDIPCRS, 2000. 52
  • 53. SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO ENSINO MÉDIO PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES TEÓRICO- METÓDOLÓGICAS CURSO NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO PRÁTICA COMPONENTES CURRICULARES PRÁTICA PEDAGÓGICA RECIFE, NOV/2009 53
  • 54. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: Prática Pedagógica ANO: 1º UNIDADE: 1 EMENTA: Estudo da prática educacional escolar. Formas de organização e gestão. Aspectos legislativos. Condições do Trabalho Educativo. Processos de Construção do sucesso e fracasso escolar. Evasão. História da Escola. OBJETO DE ESTUDO: O espaço de aprendizagem e de inserção profissional OBJETIVOS: Compreender o componente curricular; Prática Pedagógica; Integrar o discente com o espaço de profissionalização; Desenvolver atitudes de pesquisa e do professor pesquisador. EIXO INTEGRADOR; Educação escolar, a escola enquanto instituição social, a escola e a realidade brasileira. ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS 1. O componente Prática Pedagógica Estudo do componente Prática Pedagógica. (Concepções, requisitos, importância; concepção de estágio x prática). Reconhecimento do núcleo de Prática como articulador da formação docente. Estudo das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores na modalidade Normal Médio (Parecer CEB/CNE nº 01/99). Princípios organizadores do Currículo, da Formação Docente e suas articulações. 2. A Educação Escolar Definição das Escolas Campo de Estudo. Orientação de como adentrar na escola (1º contato). Estudo para realização de observação etnográfica a partir de orientações prévias (o que vai ser observado e com qual objetivo). Discussão sobre a concepção de pesquisa e do professor-pesquisador. Apreensão de atitudes de pesquisa e do professor-pesquisador. Reconhecimento da importância da Ética no futuro espaço de exercício profissional. 54
  • 55. Socialização da primeira impressão sobre a escola. Iniciação aos procedimentos de Pesquisa; leitura; fichamento, e elaboração de instrumentos (observação, entrevistas, questionário) Orientação para elaboração do Relatório Parcial, anunciando as dúvidas e possíveis problemas identificados que mereçam aprofundamentos. Caracterização do papel da Escola na sociedade brasileira AVALIAÇÃO: Processual; Elaboração e re-elaboração de Relatórios parcial e final. Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. – Produção escrita individual e coletiva, e auto-avaliação. ANO: 1º UNIDADE : 2 OBJETIVOS: Conhecer e analisar a realidade do espaço de exercício profissional.( escola campo de estudo) ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS 1. .Conhecendo a Escola-Campo de Estudo • Conhecimento da História da Escola campo de estudo; do seu entorno; e da comunidade. • Pesquisa de Campo: diagnóstico da escola, enfatizando gestão escolar;a cultura organizativa escolar, gestão pedagógica, seus sujeitos e articulação com o processo ensino – aprendizagem, relação professor x aluno; aluno x aluno, educador de apoio x professor X professor x aluno; aluno x aluno x escola x comunidade. • Socialização das idas e vindas da Escola Campo. • Análise dos aspectos observados e vivenciadas a luz da teoria estudada. • Discussão sobre O que é a Escola? O que é uma Escola? O que é uma escola Pública? • Compreensão da Função social da Escola a partir da discussão proposta no item anterior. • Realização de Entrevistas ou Questionários e roteiros de Observação com as pessoas da comunidade educativa e ou do entorno da escola • Análise dos instrumentos teórico-metodológicos aplicados (entrevista, observação, questionário). 55
  • 56. Análise dos problemas detectados durante a observação e socialização no grupo. • Orientação para elaboração do Relatório parcial. AVALIAÇÃO: Processual; Elaboração e re-elaboração de Relatórios parcial e final. Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. – Produção escrita individual e coletiva, e auto-avaliação. ANO: 1º UNIDADE :3 OBJETIVOS: Apreender a realidade do espaço de exercício profissional. ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS 2 . Estrutura e Organização da Escola: Prática Escolar Estudo do processo de construção do sucesso / fracasso escolar. Pesquisa das causas e conseqüências da Evasão Escolar. Compreensão dos aspectos da legislação que estruturam a escola LDB 9394/96. Realização de Entrevistas com gestores, professores, aluno secretaria sobre as ações propostas para a superação dos problemas detectados. Conhecimento das condições do trabalho Educativo. Seleção do problema identificado e/ou tema para construção do projeto de intervenção da prática pedagógica. Orientações sobre a Elaboração do Relatório Parcial e do Projeto de Intervenção da Prática Pedagógica. AVALIAÇÃO: Processual, elaboração e re-elaboração de relatórios parcial e final. Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. Produção escrita individual e coletiva, e auto-avaliação. ANO: 1º UNIDADE :4 OBJETIVOS: Compreendera realidade do espaço de exercício profissional em relação à prática gestora ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS 56
  • 57. Estrutura e Organização da Escola: A gestão na Escola Reconhecimento do tipo de gestão da escola. Estudo do Projeto Político Pedagógico da Escola Campo de Estudo. Análise do tipo de gestão da Escola bem com o tipo proposto no projeto Político Pedagógico. Conhecimento de formas de se organizar reuniões pedagógicas, conselhos de classe, reuniões de pais e mestres, trabalhos comunitários e plantões pedagógicos. Verificação da existência de articulação dos Projetos Escolares e sua articulação com o PPP. Relação do gestor com os diversos setores da Instituição Escolar. Organização do Projeto de Intervenção e socialização no grupo classe. Orientação sobre a elaboração do Relatório Final, confrontando com os estudos sobre a realidade educacional brasileira. (OBS.) O Relatório Final deverá conterá síntese das discussões dos três relatórios anteriores que têm um objeto de estudo definido. AVALIAÇÃO: Processual, elaboração e re-elaboração de relatórios parcial e final. Socialização – Participação individual nos seminários temáticos. – Produção escrita individual e coletiva, e auto-avaliação. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS NÚCLEO DE FORMAÇÃO – PRÁTICA Análise do Componente Curricular: Prática Pedagógica EMENTA: Estudo da prática pedagógica da sala de aula Especificidade dos saberes e competências do profissional do Ensino Fundamental (anos iniciais). O Trabalho Pedagógico. O Currículo do Ensino Fundamental. Vivência do Projeto de Intervenção. OBJETO DE ESTUDO: As diferentes relações no interior da sala de aula do Ensino Fundamental. EIXO INTEGRADOR: A sala de aula enquanto espaço de interação, construção e produção de saberes e práticas. 57
  • 58. ANO: 2º UNIDADE : 1 OBJETIVOS: Aproximar o discente com a sala de aula; Analisar as diferentes relações no interior da sala de aula do Ensino Fundamental (anos iniciais); Estabelecer conexões entre a dinâmica escolar e a sala de aula. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS; Intervenção da Prática Pedagógica Ressignificação do Projeto de intervenção. Apresentação do Projeto de Intervenção para apreciação da gestão administrativa e de ensino da escola Campo de Estudo. Aplicação do Projeto de Intervenção. Estudo dos fundamentos e diretrizes da B.C.C de Pernambuco. Pesquisa sobre o que é ensinar e o que é aprender, a partir dos diferentes autores selecionados. Conhecimento das competências básicas para o exercício da docência a partir da LDB e suas articulação com os 4 Pilares da Educação. Elaboração do relatório Parcial. ANO: 2º UNIDADE : 2 . OBJETIVOS: Aproximar o discente com a sala de aula. Analisar as diferentes relações no interior da sala de aula do Ensino Fundamental. (anos iniciais) Estabelecer conexões entre a dinâmica escolar e a sala de aula. ORIENTAÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS • Continuação da Aplicação do Projeto de Intervenção. Estudo do histórico do Ensino Fundamental (anos iniciais). Pesquisa sobre as relações interpessoais na sala de aula; da dinâmica, rotina e formas de sistematização. Estudo das diferentes formas de avaliar no Ensino Fundamental (anos iniciais). Conhecimento da Instrução Avaliativa que rege o processo de avaliação das escolas estaduais em PE. 58
  • 59. Análise, a partir das observações, das atitudes do professor na construção dos saberes da docência em relação à prática do docente na sala de aula do Ensino Fundamental ( anos iniciais). Elaboração do Relatório Parcial. ANO: 2º UNIDADE :3 OBJETIVOS: Aproximar o discente com a sala de aula; Compreender as especificidades curriculares do Ensino Fundamental e suas aplicações no contexto da sala de aula. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Continuação da Aplicação do Projeto de Intervenção. Discussão sobre o currículo do Ensino do Ensino Fundamental suas especificidades e aplicação no contexto da sala de aula. Seminário temático: Os PCNs, enfocando (princípios, objetivos, avaliação, conteúdos). Análise comparativa entre os fundamentos da BCC e dos PCNs. Pesquisa sobre os livros didáticos adotados na escola campo de estudo. Realização de Entrevista com professores sobre o processo de seleção dos livros didáticos, adotados. Estudo do texto: Livro Didático função pedagógica como papel cultural – BCC/PE . Análise dos livros didáticos, por grupos a partir de critérios previamente estabelecidos (PNLD). Conhecimento das OTMs do Ensino Fundamental ( anos iniciais) e o fluxo de aula vivenciados na rede estadual. Orientação da Elaboração do Relatório Final. ANO: 2º UNIDADE : 4 OBJETIVOS: Apreender os conceitos estruturantes do planejamento do trabalho pedagógico. Articular elementos teóricos e práticos vivenciados sem perder de vista a dinâmica escolar. Vivenciar o projeto de Intervenção. 59
  • 60. ORIENTAÇÕES TEÓRICO - METODOLÓGICAS Continuação da Vivência do Projeto de Intervenção Pedagógica. Pesquisa de diferentes tipos de aula e recursos materiais adequados a sua organização. Observação das aulas dos diferentes componentes curriculares, analisando- os a partir do referencial teórico estudado. Elaboração de um relatório dos diferentes componentes observados conforme orientação do professor formador. Seleção de conteúdos para elaboração de aulas. Estudo sobre a seqüência didática. Elaboração de planos de aula; articulando os objetivos da aula com os da avaliação. Socialização dos planos de aula para avaliação do professor e do grupo- classe. Avaliação Final do Projeto de Intervenção Pedagógica pelo professor formador e gestão pedagógica da escola campo de estudo. Elaboração do Relatório Final. (OBS.) O Relatório Final deverá conterá síntese das discussões dos três relatórios anteriores que têm um objeto de estudo definido. AVALIAÇÃO: Processual, elaboração e re-elaboração de relatórios. Planejamento e vivência. 60