ORIENTAÇÕESTEÓRICO- METODOLÓGICAS     ENSINO MÉDIO                                                               FILOSOFIA...
que esse processo interativo de formação não ocorre só no âmbito da filosofia, mas também noâmbito de todas as disciplinas...
Assim, os eixos organizadores das atividades de Filosofia no ensino médio têm por objetivos:    •   Capacidade crítico-ana...
Na 2ª unidade do ensino de filosofia no ensino médio objetiva-se:    • Adentrar na discussão em torno das concepções antro...
Componente Curricular: FilosofiaENSINO MÉDIO                     ANO 2º                                   UNIDADE: 3      ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Otm filosofia

4.612 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.612
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Otm filosofia

  1. 1. ORIENTAÇÕESTEÓRICO- METODOLÓGICAS ENSINO MÉDIO FILOSOFIA É coerente se falar em educação filosófica no contexto da Educação Básica? Quer dizer,no contexto do direito à educação como condição para o exercício da cidadania ativa econtemporânea? Em princípio dois aspectos merecem considerações: primeiro que a iniciaçãofilosófica é de grande relevância, em particular, para os adolescentes, visando à constituição deum sujeito capaz de pensar autonomamente, segundo que o exercício pleno da cidadania exigeum compromisso dos professores, no âmbito curricular e pedagógico que não se restringe aodomínio de um acervo de conteúdos informativos. Portanto, não se trata de oferecer aosestudantes uma erudição acadêmica, mais de ajudá-los a desenvolver uma forma de apreensão ede vivência da própria condição humana, o amadurecimento de uma experiência á altura dadignidade dessa condição, experiência a partir da qual possam conduzir sua existência histórica. Por isso, não se pode perder de vista que o que está em pauta é a formação, ou seja, umavontade utópica, a que não cabe jamais renunciar: explicitar pedagogicamente ao adolescente osentido de sua existência, subsidiando-o na compreensão do lugar que ele ocupa na realidadehistórica de seu mundo. Subsidiar o jovem aprendiz a ler seu mundo para se ler nele. O que se objetiva é subsidiar os adolescentes com vistas à conquista e a prática doexercício de uma reflexão capaz de assegurar-lhes, com autonomia e consistência, umacompreensão mais segura dos sentidos, conceituais e valorativos, que norteiam sua prática e,conseqüentemente, sua existência, sem descontextuá-la frente às condições históricas reais emque ela se desenrola. Isso exige dos professores uma inflexão na prática do ensino de Filosofia, de modo que sepossa levar o estudante do ensino médio ao exercício desse pensamento, à apreensão do sentidode sua existência, o que deve ser feito mediante um processo interativo do adolescente com omundo de sua experiência existencial. Esse diálogo supõe mediações, dentre as quais sedestacam aquelas exercidas pelo professor, pelo currículo e pelos conteúdos das disciplinas. É
  2. 2. que esse processo interativo de formação não ocorre só no âmbito da filosofia, mas também noâmbito de todas as disciplinas. Essa mediação formativa se enfatiza no caso da Filosofia porque ela se coloca essafinalidade de forma explicita direta e imediata, na medida em que procura subsidiar o sujeitoeducando a ressignificar sua experiência do mundo. E ela faz isso com a ajuda do conhecimento. Mas retornar a experiência de vida não é mover-se no imediatismo espontaneista daemocionalidade dos sujeitos singulares, como se fosse o cultivo de uma subjetividade intimistae sentimental. Daí o necessário cuidado para não transformarmos nossas aulas em sessões desensibilização emocional, apelando para sentimento pessoal dos educandos. Isso não é cabível nainteração pedagógica da Filosofia, pois cabe e ela inclusive pensar sobre a dimensão emocionaldo ser humano. É pela mediação da reflexão conceitual que o aprendiz deve lidar inclusive comsua própria emocionalidade. A Filosofia não pode ser confundida com um processo terapêuticoou com uma modalidade de autoajuda. Não se trata de desconhecer e de subestimar a relevânciadessa dimensão afetivo-emocional, imaginativa, de todos nós, mas de marcar a especificidade doexercício da reflexão racional, que opera como uma atividade de simbolização conceitual. O exercício da mediação sobre os temas da existência humana pressupõe a mediação deconceitos e categorias, que não surgem espontaneamente e que são necessárias para filosofar.Para lidar com conceitos, precisamos de um mínimo de familiaridade com o acervo culturalque constitui o campo filosófico, ou seja, com a cultura filosófica acumulada. Porqueutilizaremos os pensadores distantes de nós no tempo e no espaço na medida em que elespensaram ou pensam os problemas que atravessam a existência humana. Mas, deles nosapropriaremos ancorados na problematização da experiência dos educandos. Superando umaabordagem puramente filosófica de seus textos. Ao estabelecermos um dialogo com o texto,devemos dialogar com o contexto, ou seja, com a realidade multifacetada do existir queenvolve o pensador. Desse modo, as orientações teórico-metodológicas da prática pedagógica do professor deFilosofia são voltadas para a formação de estudantes nos contextos de interação autor-texto-leitore nas práticas socioculturais contemporâneas que necessitam de conhecimento de Filosofia. Partindo da concepção de Filosofia como uma forma de pensar que nos ajuda acompreender melhor quem somos, como vivemos, qual é nosso modo de existência. Sob essaperspectiva, tais orientações são vistas como referenciais estruturadores das práticas de ensino daFilosofia como possibilitadora da capacidade de ler e escrever de modo filosófico textos dediferentes estruturas e registros.
  3. 3. Assim, os eixos organizadores das atividades de Filosofia no ensino médio têm por objetivos: • Capacidade crítico-analítica: fornecer condições à constituição de uma atividade propriamente reflexiva por parte dos estudantes, proporcionando a compreensão da necessidade de exercitar o discernimento crítico frente a temas e questões da filosofia, por meio de debates, discussões e polêmicas oriundos de várias fontes pedagógicas (recursos didáticos). • Capacidade argumentativa: desenvolver a capacidade de analisar, interpretar, relacionar, problematizar, articular e conceber idéias nos âmbitos dos questionamentos postos pelo discurso filosófico, através de um coerente e consistente manuseio da própria língua, o qual deve ser verificado tanto na oralidade como na escrita. • Capacidade de organização dos raciocínios: impulsionar a construção de competências referentes à capacidade de organizar e concatenar os próprios raciocínios de modo claro e bem fundamentado, recorrendo à prática da leitura e interpretação de textos filosóficos, à produção de textos e à participação nos debates e discussões em sala de aula. • Postura filosófica: criar junto aos estudantes uma atitude e um posicionamento ante os diversos problemas filosóficos que implique a pré-ocupação em questionar, em investigar e ampliar de modo significativo o próprio conhecimento, enquanto forma perene de exercício do pensamento, caracterizador do filosofar. Assim, na 1ª unidade do ensino de filosofia no ensino médio objetiva-se: • Instrumentalizar os estudantes na postura filosófica, possibilitando a construção de conhecimento em torno das etapas da atitude filosófica, bem como, munindo-os do espaço necessário ao desenvolvimento da reflexão filosófica. • Apresentar o contexto histórico-cultural em que surge a filosofia enquanto resposta racional à forma quimérica dos mitos, proporcionando-os o contato com uma forma historicamente privilegiada de experiência crítica que consiste no discurso filosófico.Componente Curricular: FilosofiaENSINO MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 1 ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS 1. O problema da racionalidade (filosofia, razão e ciência) • Conceituação de filosofia e do ato de filosofar • Contextualização da reflexão filosófica • Retextualização das narrativas mitológicas do discurso filosófico. • Identificação das condições que preparam o surgimento da filosofia (condições históricas, econômicas, sociais e culturais).
  4. 4. Na 2ª unidade do ensino de filosofia no ensino médio objetiva-se: • Adentrar na discussão em torno das concepções antropológicas no âmbito da filosofia. • Compreender a dimensão cultural do homem enquanto estrutura fundamental de sua constituição, percebendo-o como produtor de saber. • Examinar a maneira como transformamos o saber em práticas existenciais efetivas • Refletir sobre as conseqüências éticas da utilização dos saberes e técnicas oriundos das ciências para a consolidação de vivências significativas e projetos coletivos.Componente Curricular: FilosofiaENSINO MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 2 ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS 1. Do homem ao problema do conhecimento • Problematização da questão antropológica: quem ou o que somos? • Compreensão da condição humana e da dimensão da cultura • Distinções entre o homem da cultura moderna e da pós-moderna • Conceituação de senso comum e atitude crítica: saber e ignorância • Tematização da questão do conhecimento: conhecimento mítico, filosófico e científico Na 3ª unidade do ensino de filosofia no ensino médio objetiva-se: • Tratar da esfera da comunicabilidade enquanto domínio fundamental da existência humana. • Analisar as questões filosóficas condizentes à aproximação entre linguagem e pensamento. • Demonstrar as várias questões que compõem a problemática da liberdade e suas implicações na cotidianidade.
  5. 5. Componente Curricular: FilosofiaENSINO MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 3 ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS 3. Os domínios da linguagem e da liberdade • Discussão em torno da importância da comunicação • Percepção da dinâmica entre linguagem e pensamento: falamos da mesma coisa? • Contextualização do problema da liberdade • Investigação das noções de determinismo e fatalismo Na 4ª unidade do ensino de filosofia no ensino médio objetiva-se: • Explorar o problema da atual crise de valores da atual sociedade, reconhecendo a necessidade fundamental da reflexão ético-filosófica na construção de novas formas de e agir frente às vicissitudes e os desafios do mundo contemporâneo. • Compreender a esfera das relações de poder entre os homens, para assim entender a dimensão sociopolítica. • Conceber a importância e inevitabilidade de nossa condição como cidadãos e cidadãs. • Produzir argumentos em torno da vigência ou não vigência de uma conduta cidadã no contexto da realidade brasileira.ENSINO MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 4 ORIENTAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS 2. Problemas de filosofia prática (ética e política) • Conceituação de ética e moral: a questão dos valores • Identificação da dimensão política: poder e governo • Problematização das noções de democracia e cidadania: indiferença e participação política • Compreensão da relação entre ética e política

×