Currículo

53.477 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação

Currículo

  1. 1. Desenho Curricular Profº Leonidas Lopes da Silva
  2. 2. EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI CONHECER SER FAZER CONVIVER EDUCAÇÃO
  3. 3. Elementos do Currículo O QUE ENSINAR? OBJETIVOS CONTEÚDOS INTENÇÕES EDUCATIVAS
  4. 4. Quando Ensinar? DIMENSÃO TEMPORAL Critérios para ordenar e seqüenciar os objetivos e conteúdos. Critérios para distribuir esses objetivos e conteúdo ao longo das unidades do trabalho escolar que constituem uma determinada etapa educativa. O que o aluno é capaz de fazer e aprender num momento dado.
  5. 5. Como Ensinar? Planejamento das atividades e recursos necessários do processo ensino-aprendizagem.
  6. 6. O Quê Avaliar? TODO O PROCESSO Rendimento do Aluno <ul><li>Avaliação do Desenho </li></ul><ul><li>Realizado pela Equipe </li></ul><ul><li>Dos Professores ; </li></ul>O desenvolvimento das Habilidades assinaladas nos objetivos ( conteúdos conceptuais, procedimentais e atitudinais adequados à faixa étaria
  7. 7. Como Avaliar? Estabelecendo critérios de avaliação para cada processo de ensino-aprendizagem (etapa, ciclo, curso, etc.
  8. 8. Quando Avaliar? AVALIAÇÃO INICIAL FORMATIVA SOMATIVA Detectar a capacidade e conhecimentos prévios. Comprovar os avanços e dificuldades no processo. Saber se tem alcançada a aprendizagem pretendida.
  9. 9. TEORIA CURRICULAR <ul><li>Forma como o currículo é definido pelos diferentes autores; </li></ul><ul><li>Questão central: saber qual conhecimento deve ser ensinado – o quê? ( o que eles ou elas devem se tornar?); </li></ul><ul><li>Resultado de uma seleção (currículo). </li></ul>
  10. 10. CURRÍCULO <ul><li>Latim – curriculum (pista de corrida) </li></ul><ul><li>Universidade de Glasgon – 1633 </li></ul><ul><li>Jesuítas – 2ª metade do séc. XVI (disciplina – ordenação estruturada de cursos acadêmicos) </li></ul><ul><li>Ratio Studiorum – esquema de estudo </li></ul>
  11. 11. TEORIAS DO CURRÍCULO <ul><li>T radicionais : neutras, científicas, desinteressadas ( ensino, aprendizagem, avaliação, metodologia, didática, organização, planejamento, eficiência e objetivos). </li></ul><ul><li>Representantes : F. Bobbitt (1918); Caswell e Campbell (1935); R. Tyler (1949); Zacharias e Whithe (1964). </li></ul>
  12. 12. TEORIAS DO CURRÍCULO <ul><li>Teoria Crítica : ideologia, reprodução cultural e social, poder, classe social, capitalismo, relações sociais de produção, conscientização, emancipação e libertação, curríulo oculto, resistência. </li></ul><ul><li>Representantes : Paulo Freire (1970) A Pedagogia do Oprimido </li></ul><ul><li>- L. Althusser (1970) – A Ideologia e os Aparelhos Ideológicos do Estado </li></ul>
  13. 13. TEORIAS DO CURRÍCULO <ul><li>Pós-crítica : identidade, alteridade, diferença, significação e discurso, saber-poder, representação, cultura, gênero, raça, etnia, sexualidade, multiculturalismo. </li></ul>
  14. 14. CURRÍCULO <ul><li>É aquela série de coisas que as crianças devem fazer e experimentar para desenvolver habilidades que as capacitem para decidir assuntos da vida adulta. </li></ul>BOBBIT F. 1918
  15. 15. CURRÍCULO <ul><li>Bobbit – The Curriculum (1918) </li></ul><ul><li>Sistema Educacional = Indústria </li></ul><ul><li>Estabelecer Objetivos – Habilidades </li></ul><ul><li>Modelo voltado para a economia </li></ul><ul><li>Princípios da administração científica ( organização F. Taylor) </li></ul><ul><li>Palavra-chave - Eficiência </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Que objetivos educacionais deve atingir a escola? Objetivos e conteúdos </li></ul><ul><li>Como selecionar experiências de aprendizagem que possam ser vantajosas para alcançar os objetivos? Orientações didáticas </li></ul><ul><li>Como podem ser organizadas as experiências de ensino-aprendizagem para um ensino eficaz? </li></ul><ul><li>Como ter certeza de que esses objetivos estão sendo alcançados? Avaliação </li></ul>TYLER, 1949
  17. 17. <ul><li>Projeto de controle de ensino e aprendizagem (da atividade prática da escola); </li></ul><ul><li>Primórdios do currículo (séc. XVII) associação entre o conceito de ordem e método, instrumento facilitador da administração escolar. </li></ul>CURRÍCULO
  18. 18. <ul><li>Domínio do campo do currículo – Estados Unidos, América Latina, Brasil; </li></ul><ul><li>Centro do modelo – Organização e desenvolvimento; </li></ul><ul><li>Currículo – Questão técnica; </li></ul><ul><li>Inclusão da psicologia e das disciplinas acadêmicas; </li></ul><ul><li>Objetivos – Filosofia social e psicologia da aprendizagem; </li></ul><ul><li>Orientação comportamentalista. </li></ul>CURRÍCULO TYLER
  19. 19. <ul><li>“ Princípios Básicos de Currículo e Ensino” </li></ul><ul><li>Ralph Tyler (1949) – fundamentos da construção de propostas curriculares no Brasil. </li></ul><ul><li>Objetivos do Livro: </li></ul><ul><li>- Desenvolver uma base racional para considerar, analisar e interpretar o currículo e programa de ensino de uma instituição educacional. </li></ul>CURRÍCULO E PROGRAMAS
  20. 20. <ul><li>Quatro questões fundamentais que permitem a elaboração de qualquer currículo ou programa da disciplina (plano de ensino); </li></ul><ul><li>Não se preocupava com: </li></ul><ul><li>a organização do sistema, pressupondo-a como dada </li></ul>BASE RACIONAL DO CURRÍCULO - TYLER
  21. 21. AGRUPAMENTO DOS CONCEITOS DE CURRÍCULO (ÂNGULO, 1994) CURRÍCULO COMO CONTEÚDO CURRÍCULO COMO PLANEJAMENTO CURRÍCULO COMO REALIDADE INTERATIVA
  22. 22. CURRÍCULOS TRADICIONAIS EDUCAÇÃO BÁSICA <ul><li>Formular objetivos; </li></ul><ul><li>Selecionar conteúdos; </li></ul><ul><li>Definir e propor atividades; </li></ul><ul><li>Realizar avaliações sobre conteúdos. </li></ul>
  23. 23. CURRÍCULOS TRADICIONAIS PRODUZIRAM <ul><li>Desempenhos fracionados; </li></ul><ul><li>Individualismo; estruturas rígidas; </li></ul><ul><li>Desintegração; </li></ul><ul><li>Unidisciplinaridade. </li></ul>TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTO MEDIANTE <ul><li>Estruturas de poder e controle; </li></ul><ul><li>Avaliação tradicional (intuição, improvisação, memorização e repetição de esquemas, caráter punitivo; </li></ul>
  24. 24. RE – AGRUPAMENTO DO CURRÍCULO <ul><li>Representação – explicação, análise, formulação de teorias, compreensão, interpretação. </li></ul><ul><li>Ação – atuação para mudar e transformar. </li></ul>
  25. 25. DESENHO CURRICULAR <ul><li>Objetivo Principal – Elaborar o currículo. </li></ul><ul><li>Currículo – Resultado do processo de desenho ou planejamento curricular. </li></ul>
  26. 26. FUENTES, H. (1996) <ul><li>O Desenho Curricular é um processo voltado para a elaboração da concepção de um nível dado e ao processo de ensino-aprendizagem que permite sua formação. Ele compreende a elaboração da estratégia essencial do currículo e do processo de ensino-aprendizagem em nível de disciplina, unidade didática e que estende-se além dos sistemas, da sala de aula e de cada uma das atividades docentes. </li></ul>
  27. 27. DIMENSÕES DO CURRÍCULO TEÓRICA METODOLÓGICA PRÁTICA <ul><li>Fundamentos e enfoques curriculares </li></ul><ul><li>Modelos curriculares e desenho curricular </li></ul><ul><li>Execução </li></ul>
  28. 28. <ul><li>Marco legal, Sociológicos, Psicológicos, Pedagógicos, Epistemológicos ( Coll, 1991 ); </li></ul><ul><li>Antropológicos (o ponto de contato entre antropologia e curriculum é a cultura). Barrios et, al., 1993 </li></ul>FUNDAMENTOS
  29. 29. FUNDAMENTOS DO DESENHO CURRICULAR <ul><li>Bases ou conhecimentos, sobre os quais elaborar a estrutura curricular, devendo garantir uma unidade de pensamento que dê coerência às diferentes ciências que intervem na mesma. </li></ul>
  30. 30. <ul><li>Os fundamentos do curriculum são as posições teóricas que adotamos perante três elementos chaves do fato educacional: o homem, o meio e o método. </li></ul><ul><li>O diagnóstico das bases deve realizar-se a partir das respostas aos seguintes questionamentos: </li></ul><ul><li>Qual formação deseja? </li></ul><ul><li>Quem a deseja? </li></ul><ul><li>Porque se deseja essa formação? </li></ul>Villarroel, 1990
  31. 31. <ul><li>Pérez Gómez (1980) </li></ul><ul><li>Currículo como estrutura organizada de conhecimentos: </li></ul><ul><li>Ênfase na função transmissora e formadora da escola; </li></ul><ul><li>Concepção disciplinar do conhecimento; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de modos de pensamento irreflexivo sobre a natureza e a experiência do homem. </li></ul>CLASSIFICAÇÃO DOS ENFOQUES CURRICULARES
  32. 32. <ul><li>Pérez Gómez (1980) </li></ul><ul><li>Currículo como estrutura organizada de conhecimentos: </li></ul><ul><li>Ênfase na função transmissora e formadora da escola; </li></ul><ul><li>Concepção disciplinar do conhecimento; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de modos de pensamento irreflexivo sobre a natureza e a experiência do homem. </li></ul>CLASSIFICAÇÃO DOS ENFOQUES CURRICULARES
  33. 33. <ul><li>Elaboração do currículo centrada na: </li></ul><ul><li>Expressão da estrutura substantiva e sintática dos conteúdos e processos, de conceitos e métodos; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de modos peculiares de pensamento (Schawh, Phenix e Belth). </li></ul>
  34. 34. MOVIMENTOS CULTURAIS <ul><li>A sociedade econômica globalizada; </li></ul><ul><li>A revolução cognitiva; </li></ul><ul><li>O pensamento da modernidade. </li></ul>
  35. 35. <ul><li>Currículo como plano de instrução: </li></ul><ul><li>Documento que planeja a aprendizagem; </li></ul><ul><li>Elaboração e especificação dos objetivos, conteúdos, atividades e estratégias. </li></ul><ul><li>Currículo como conjunto de experiências de aprendizagem: </li></ul><ul><li>Contraposição ao currículo como programa; </li></ul><ul><li>Conjunto de experiências educativas palnejadas, propiciadas pelo docente e a instituição escolar (Tyler, Alexander, Saylor). </li></ul>
  36. 36. <ul><li>Currículo como reconstrução do conhecimento e proposta de ação: </li></ul><ul><li>Análise da prática curricular; </li></ul><ul><li>Solução de problemas em função de novos conhecimentos (Eisner e Stenhouse). </li></ul>
  37. 37. 1. DESENHO 2. DESENVOLVIMENTO 3. AVALIAÇÃO (Alvarez de Zayas, 1995) 1. DESENHO 2. EXECUÇÃO 3. AVALIAÇÃO (Fraga R. 1996)
  38. 38. <ul><li>Processo através do qual comprova-se a validade do desenho em seu conjunto, determina-se em que medida sua projeção, implementação prática e resultados tem respondido às demandas que a sociedade coloca perante às instituições educativas. </li></ul>AVALIAÇÃO DO DESENHO CURRICULAR
  39. 39. <ul><li>Sistemática </li></ul><ul><li>Modalidade Investigativa </li></ul><ul><li>Avaliação do Trabalho Pedagógico </li></ul><ul><li>Avaliação da Aprendizagem </li></ul><ul><li>Avaliação do Desenho Curricular </li></ul><ul><li>Avaliação Institucional </li></ul>AVALIAÇÃO
  40. 40. DESENHO CURRICULAR BASE CÉSAR COLL E O NÍVEIS DE CONCRETIZAÇÃO DO DESENHO CURRICULAR PROJETO CURRICULAR CENTRO PROGRAMAÇÕES CURRICULARES DA SALA DE AULA
  41. 41. DESENHO CURRICULAR BASE <ul><li>PCNs </li></ul><ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>Conteúdos </li></ul><ul><li>Orientações metodológicas e de avaliação </li></ul><ul><li>Caráter geral, abarca grandes etapas educativas: infantil, ensino fundamental e médio </li></ul>
  42. 42. PROJETO CURRICULAR CENTRO <ul><li>Equipe docente da escola; </li></ul><ul><li>Definição dos objetivos e conteúdos por ciclos; </li></ul><ul><li>Contextualização das orientações metodológicas e de avaliação. </li></ul>
  43. 43. PROGRAMAÇÕES CURRICULARES DA AULA <ul><li>Professor; </li></ul><ul><li>Unidades Didáticas; </li></ul><ul><li>Unidade Didática: </li></ul><ul><li>Desenho e desenvolvimento do 3º nível de concretização do currículo – passo prévio e indispensável à prática docente. </li></ul><ul><li>Unidade – Representa um processo completo de ensino-aprendizagem. </li></ul><ul><li>Didática – É a unidade elementar de programação da ação pedagógica. </li></ul>
  44. 44. ASPECTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA UNIDADE DIDÁTICA <ul><li>Discrição da Unidade Didática </li></ul><ul><li>1.1. Semestre, Bimestre e Trimestre </li></ul><ul><li>1.2. Duração em semanas </li></ul><ul><li>1.3. Propósito geral </li></ul><ul><li>1.4. Projeção social das atividades desta unidade </li></ul><ul><li>1.5. Justificativa do porque realizar esta prática </li></ul>
  45. 45. 2. A Unidade Didática e sua vinculação com o Projeto Educativo da Escola 2.1. Características significativas do bairro e da escola 2.2. Material e instalações 2.3. Características dos alunos 3. A Unidade Didática no Marco do Projeto Curricular da Escola 3.1. Revisão de objetivos e conteúdos 3.2. Relações de interdisciplinaridade com outras áreas
  46. 46. 4. Vinculação da Unidade Didática com o Desenho Curricular - Base 4.1. Objetivos de Área 4.2. Objetivos do Ciclo 4.3. Objetivos Didático 4.4. Conteúdos 4.4.1 Conceitos (Saber) 4.4.2 . Procedimentos (Saber Fazer) 4.4.3. Atitudes (Valorizar)

×