SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
Guias alimentares - Parte 2
1ª edição 2006 2ª edição 2014
Por que revisar os guias alimentares?
Transformações
sociais, políticas e
econômicas
Alteração do
padrão alimentar
população
Transição
epidemiológica e
nutricional
Transição nutricional
Desnutrição Obesidade
Vigitel
 Apresentação
 Preâmbulo
 Introdução
 Capítulo 1. Princípios
 Capítulo 2. A escolha dos alimentos
 Capítulo 3. Dos alimentos à refeição
 Capítulo 4. O ato de comer e a comensalidade
 Capítulo 5. A compreensão e a superação dos obstáculos
 Dez passos para uma alimentação adequada e saudável
 Para saber mais
Capítulo 1
Princípios
Nutrientes
Alimentos
Combinação
Modo de comer
Dimensão cultural
Dimensão social
Alimentação diz respeito à ingestão de nutrientes, como também aos alimentos que contêm e
fornecem os nutrientes, a como alimentos são combinados entre si e preparados, a características
do modo de comer e às dimensões culturais e sociais das práticas alimentares. Todos esses
aspectos influenciam a saúde e o bem-estar.
1. ALIMENTAÇÃO É MAIS QUE INGESTÃO DE NUTRIENTES
2. RECOMENDAÇÕES SOBRE ALIMENTAÇÃO DEVEM ESTAR EM SINTONIA COM SEU TEMPO
Recomendações feitas por guias alimentares devem levar em conta o cenário da
evolução da alimentação e das condições de saúde da população.
Recomendações sobre alimentação devem levar em conta o impacto das formas de produção e
distribuição dos alimentos sobre a justiça social e a integridade no ambiente.
3. Alimentação adequada e saudável deriva de sistema alimentar socialmente
e ambientalmente sustentável
Perfumes Maquiagem
4. Diferentes saberes geram conhecimento para a formulação de guias alimentares
Em face das várias dimensões da alimentação e da complexa relação entre essas dimensões e a
saúde e o bem-estar das pessoas, o conhecimento necessário para elaborar recomendações
sobre alimentação é gerado por diferentes saberes.
5. GUIAS ALIMENTARES AMPLIAM A AUTONOMIA NAS ESCOLHAS ALIMENTARES
O acesso a informações confiáveis sobre características e determinantes da alimentação
adequada e saudável contribui para que pessoas, famílias e comunidades ampliem a
autonomia para fazer escolhas alimentares e para que exijam o cumprimento do direito
humano à alimentação adequada e saudável(DHAA).
Capítulo 2
A escolha dos alimentos
Perfumes Maquiagem
IN NATURA
MINIMAMENTE PROCESSADOS
ÓLEOS, GORDURAS, SAL
E AÇÚCAR
PROCESSADOS ULTRAPROCESSADOS
CLASSIFICAÇÃO PROCESSAMENTO
IN NATURA
MINIMAMENTE PROCESSADOS
RECOMENDAÇÃO
Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação.
ÓLEOS, GORDURAS, SAL
E AÇÚCAR
Produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e
usados para criar preparações culinárias.
RECOMENDAÇÃO
Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar
preparações culinárias.
PROCESSADOS
Alimentos processados são produtos
relativamente simples e antigos fabricados
essencialmente com a adição de sal ou açúcar
(ou outra substância de uso culinário como óleo
ou vinagre) a um alimento in natura ou
minimamente processado.
RECOMENDAÇÃO
Limite o uso de alimentos processados, consumindo-os, em pequenas quantidades, como ingredientes de
preparações culinárias ou como parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente
processados
Os ingredientes e métodos usados na fabricação de alimentos processados – como conservas de
legumes, compota de frutas, queijos e pães – alteram de modo desfavorável a composição
nutricional dos alimentos dos quais derivam.
ULTRAPROCESSADOS
Formulações industriais feitas inteiramente ou majoritariamente de substâncias extraídas de alimentos (óleos,
gorduras, açúcar, amido, proteínas), derivadas de constituintes de alimentos (gorduras hidrogenadas, amido
modificado) ou sintetizadas em laboratório com base em matérias orgânicas como petróleo e carvão (corantes,
aromatizantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para dotar os produtos de propriedades
sensoriais atraentes). Técnicas de manufatura incluem extrusão, moldagem, e pré-processamento por fritura ou
cozimento.
:
RECOMENDAÇÃO
EVITE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS.
 Leitura da lista de ingredientes, presente no rótulo dos alimentos processados e
ultraprocessados;
 Número elevado de ingredientes (cinco ou mais);
 Ingredientes com nomes pouco familiares e não usados em preparações culinárias.
Como diferenciar alimentos processados dos ultraprocessados?
Faça de alimentos in natura ou minimamente processados
a base de sua alimentação.
....................
Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas
quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar
preparações culinárias.
....................
Limite o uso de alimentos processados, consumindo-os, em
pequenas quantidades, como ingredientes de preparações
culinárias ou como parte de refeições baseadas em
alimentos in natura ou minimamente processados.
....................
Evite alimentos ultraprocessados.
RECOMENDAÇÕES
REGRA DE OURO:
Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a
alimentos ultraprocessados.
Capítulo 3
Dos alimentos à mesa
Orientações específicas para a população brasileira sobre como combinar alimentos na forma de refeições.
A alimentação dos brasileiros.
Alimentação que
privilegia alimentos
in natura e
minimamente
processados
Alimentação
variada e que
contempla os
diversos grupos
de alimentos
Alimentação que
tradicionalmente
já faz parte dos
hábitos
alimentares do
brasileiro
Valorização
da cultura
alimentar
local
Capítulo 4
O ato de comer e a comensalidade
O ato de comer e as dimensões deste
ato influenciam o aproveitamento
dos alimentos consumidos e o prazer
proporcionado pela alimentação.
Comer em ambientes apropriados
Comer em companhia
Comer com regularidade e com atenção
Procure fazer suas refeições diárias em horários semelhantes.
Evite “beliscar” nos intervalos entre as refeições.
Coma sempre devagar e desfrute o que está comendo, sem se envolver em outra atividade.
Procure comer sempre em locais limpos, confortáveis e tranquilos e onde não haja estímulos para o consumo de
quantidades ilimitadas de alimentos.
Sempre que possível, prefira comer em companhia, com familiares, amigos ou colegas de trabalho ou escola.
Procure compartilhar também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições.
Capítulo
A compreensão e a superação de obstáculos
:
Informação
Há muitas informações sobre alimentação e saúde, mas poucas são de fontes confiáveis.
Potenciais obstáculos para a adoção das recomendações deste guia
Oferta
Alimentos ultraprocessados são encontrados em toda parte, sempre acompanhados de muita
propaganda, descontos e promoções, enquanto alimentos in natura ou minimamente processados
nem sempre são comercializados em locais próximos às casas das pessoas.
Custo
Embora legumes, verduras e frutas possam ter preço superior ao de alguns alimentos
ultraprocessados, o custo total de uma alimentação baseada em alimentos in natura ou
minimamente processados ainda é menor no Brasil do que o custo de uma alimentação baseada em
alimentos ultraprocessados.
Habilidades culinárias
O enfraquecimento da transmissão de habilidades culinárias entre gerações favorece o consumo
de alimentos ultraprocessados.
Tempo
Para algumas pessoas, as recomendações deste guia podem implicar a dedicação de mais
tempo à alimentação.
Publicidade
A publicidade de alimentos ultraprocessados domina os anúncios comerciais de
alimentos, frequentemente veicula informações incorretas ou incompletas sobre
alimentação e atinge, sobretudo, crianças e jovens.
Dez passos para uma alimentação adequada e saudável
Perfumes Maquiagem
Perfumes Maquiagem
Perfumes Maquiagem
Perfumes Maquiagem
Perfumes Maquiagem
Perfumes Maquiagem
RECOMENDAÇÃO 1 Estimule o consumo diário de feijão.
ORIENTAÇÃO: estimule o consumo diário de feijão ou outras leguminosas, preferencialmente
no almoço e no jantar.
RECOMENDAÇÃO 2 Oriente que se evite o consumo de bebidas adoçadas.
ORIENTAÇÃO: oriente que os idosos evitem o consumo de bebidas adoçadas, tais como
refrigerante, suco de caixinha, suco em pó e refrescos (também chamadas de bebidas
ultraprocessadas).
RECOMENDAÇÃO 3 Oriente que se evite o consumo de alimentos ultraprocessados.
ORIENTAÇÃO: Oriente que hambúrguer e/ou embutidos (linguiças, salsicha, presunto,
mortadela, salames), macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote ou biscoitos salgados ou
recheados, doces ou guloseimas são alimentos ultraprocessados e devem ser evitados.
RECOMENDAÇÃO 4 Oriente o consumo diário de legumes e verduras.
ORIENTAÇÃO: Oriente o consumo diário de legumes e verduras no almoço e no jantar
(acompanhando, por exemplo, a combinação do arroz com feijão).
RECOMENDAÇÃO 5 Oriente o consumo diário de frutas.
ORIENTAÇÃO: Estimule o consumo diário de frutas, sendo preferencialmente inteiras, em vez de sucos.
RECOMENDAÇÃO 6 Oriente que o usuário coma em ambientes apropriados e com atenção.
ORIENTAÇÃO: Oriente que o usuário se alimente com regularidade e atenção (sem televisão, celular ou
computador, comer na mesa de trabalho, em pé ou andando ou dentro de carros ou transportes
públicos). Faça as refeições sempre que possível em companhia com a família ou amigos.
Orientações adicionais
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileiraGuia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileiraLetícia Spina Tapia
 
Nutricao na atencao basica
Nutricao na atencao basicaNutricao na atencao basica
Nutricao na atencao basicaFilipe Mello
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestanteNutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestanteKetlenBatista
 
Manual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor RotulagemManual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor RotulagemFernanda Sampaio
 
Avaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso Gestacional
Avaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso GestacionalAvaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso Gestacional
Avaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso Gestacionalmarianagusmao39
 
Nutrição e Câncer
Nutrição e CâncerNutrição e Câncer
Nutrição e CâncerOncoguia
 
Terapia nutricional com vídeo
Terapia nutricional com vídeoTerapia nutricional com vídeo
Terapia nutricional com vídeoJamille Salvador
 
Alimentação na 1ª infância
Alimentação na 1ª infânciaAlimentação na 1ª infância
Alimentação na 1ª infânciabecresforte
 
Slide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdf
Slide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdfSlide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdf
Slide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdfpastoraAna
 

Mais procurados (20)

Nutriçao
NutriçaoNutriçao
Nutriçao
 
Gestores de uan
Gestores de uanGestores de uan
Gestores de uan
 
Guia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileiraGuia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileira
 
Nutricao na atencao basica
Nutricao na atencao basicaNutricao na atencao basica
Nutricao na atencao basica
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestanteNutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
 
Manual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor RotulagemManual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor Rotulagem
 
PLANEJAMENTO FISICO DE UMA UAN
PLANEJAMENTO FISICO DE UMA UANPLANEJAMENTO FISICO DE UMA UAN
PLANEJAMENTO FISICO DE UMA UAN
 
Palestra educação nutricional
Palestra educação nutricionalPalestra educação nutricional
Palestra educação nutricional
 
Conheca Gorduras
Conheca GordurasConheca Gorduras
Conheca Gorduras
 
Avaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso Gestacional
Avaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso GestacionalAvaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso Gestacional
Avaliação do Estado Nutricional e do Ganho de peso Gestacional
 
Piramide Alimentar
Piramide AlimentarPiramide Alimentar
Piramide Alimentar
 
Alimentação saudável slides
Alimentação saudável slidesAlimentação saudável slides
Alimentação saudável slides
 
Tecnica dietetica
Tecnica dieteticaTecnica dietetica
Tecnica dietetica
 
Nutrição e Câncer
Nutrição e CâncerNutrição e Câncer
Nutrição e Câncer
 
Terapia nutricional com vídeo
Terapia nutricional com vídeoTerapia nutricional com vídeo
Terapia nutricional com vídeo
 
Tipos de dietas hospitalares
Tipos de dietas hospitalaresTipos de dietas hospitalares
Tipos de dietas hospitalares
 
Alimentação na 1ª infância
Alimentação na 1ª infânciaAlimentação na 1ª infância
Alimentação na 1ª infância
 
TERAPIA NUTRICIONAL
TERAPIA NUTRICIONALTERAPIA NUTRICIONAL
TERAPIA NUTRICIONAL
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável
 
Slide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdf
Slide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdfSlide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdf
Slide Aula 1 - Noções Básicas de Nutrição e Dietética.pdf
 

Semelhante a Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx

Cuidados com a alimentação
Cuidados com a alimentaçãoCuidados com a alimentação
Cuidados com a alimentaçãoCLESIOANDRADE
 
Super herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveisSuper herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveisjoana silva
 
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptxAULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptxadrianaalvesgw
 
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches SaudáveisCartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches SaudáveisDr. Benevenuto
 
1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.ppt1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.pptCristelaRomo
 
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdfCliaMachado11
 
Slide aparecida vigano
Slide aparecida viganoSlide aparecida vigano
Slide aparecida viganoCida2011
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudávelkassionline
 
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02tsunamidaiquiri
 
guias alimentares.pdf
guias alimentares.pdfguias alimentares.pdf
guias alimentares.pdfAmandaMota53
 
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03tsunamidaiquiri
 
Cartilha Lanche Gostoso
Cartilha Lanche GostosoCartilha Lanche Gostoso
Cartilha Lanche GostosoMaisVitamina
 
A alimentação
A alimentaçãoA alimentação
A alimentaçãoe.ferreira
 
E-book À Roda Da Alimentação & Yammi
E-book À Roda Da Alimentação & YammiE-book À Roda Da Alimentação & Yammi
E-book À Roda Da Alimentação & YammiJoaquim Rocha
 
Nutrição ii e-learning
Nutrição ii   e-learningNutrição ii   e-learning
Nutrição ii e-learninge.ferreira
 

Semelhante a Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx (20)

capaGUIA.pdf
capaGUIA.pdfcapaGUIA.pdf
capaGUIA.pdf
 
Cuidados com a alimentação
Cuidados com a alimentaçãoCuidados com a alimentação
Cuidados com a alimentação
 
Super herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveisSuper herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveis
 
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptxAULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
 
dez_passos_hiperdia.pptx
dez_passos_hiperdia.pptxdez_passos_hiperdia.pptx
dez_passos_hiperdia.pptx
 
dez_passos_hiperdia.pptx
dez_passos_hiperdia.pptxdez_passos_hiperdia.pptx
dez_passos_hiperdia.pptx
 
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches SaudáveisCartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
 
sld1.ppsx
sld1.ppsxsld1.ppsx
sld1.ppsx
 
1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.ppt1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.ppt
 
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
 
Slide aparecida vigano
Slide aparecida viganoSlide aparecida vigano
Slide aparecida vigano
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável
 
Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavelAlimentacao saudavel
Alimentacao saudavel
 
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
 
guias alimentares.pdf
guias alimentares.pdfguias alimentares.pdf
guias alimentares.pdf
 
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 03
 
Cartilha Lanche Gostoso
Cartilha Lanche GostosoCartilha Lanche Gostoso
Cartilha Lanche Gostoso
 
A alimentação
A alimentaçãoA alimentação
A alimentação
 
E-book À Roda Da Alimentação & Yammi
E-book À Roda Da Alimentação & YammiE-book À Roda Da Alimentação & Yammi
E-book À Roda Da Alimentação & Yammi
 
Nutrição ii e-learning
Nutrição ii   e-learningNutrição ii   e-learning
Nutrição ii e-learning
 

Último

Saúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptx
Saúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptxSaúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptx
Saúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptxrebecasuhivc
 
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetríciaPuerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetríciaJoyceDamasio2
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?carloslins20
 
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.FabioCorreia46
 
Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para AdolescentesApresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para AdolescentesVanessaXLncolis
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfboxac76813
 

Último (6)

Saúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptx
Saúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptxSaúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptx
Saúde da Pessoa Negra e o papel da Psicologia.pptx
 
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetríciaPuerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
 
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
 
Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para AdolescentesApresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 

Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx

  • 2.
  • 3. 1ª edição 2006 2ª edição 2014 Por que revisar os guias alimentares? Transformações sociais, políticas e econômicas Alteração do padrão alimentar população Transição epidemiológica e nutricional
  • 5.
  • 7.  Apresentação  Preâmbulo  Introdução  Capítulo 1. Princípios  Capítulo 2. A escolha dos alimentos  Capítulo 3. Dos alimentos à refeição  Capítulo 4. O ato de comer e a comensalidade  Capítulo 5. A compreensão e a superação dos obstáculos  Dez passos para uma alimentação adequada e saudável  Para saber mais
  • 9. Nutrientes Alimentos Combinação Modo de comer Dimensão cultural Dimensão social Alimentação diz respeito à ingestão de nutrientes, como também aos alimentos que contêm e fornecem os nutrientes, a como alimentos são combinados entre si e preparados, a características do modo de comer e às dimensões culturais e sociais das práticas alimentares. Todos esses aspectos influenciam a saúde e o bem-estar. 1. ALIMENTAÇÃO É MAIS QUE INGESTÃO DE NUTRIENTES
  • 10. 2. RECOMENDAÇÕES SOBRE ALIMENTAÇÃO DEVEM ESTAR EM SINTONIA COM SEU TEMPO Recomendações feitas por guias alimentares devem levar em conta o cenário da evolução da alimentação e das condições de saúde da população.
  • 11. Recomendações sobre alimentação devem levar em conta o impacto das formas de produção e distribuição dos alimentos sobre a justiça social e a integridade no ambiente. 3. Alimentação adequada e saudável deriva de sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável
  • 12. Perfumes Maquiagem 4. Diferentes saberes geram conhecimento para a formulação de guias alimentares Em face das várias dimensões da alimentação e da complexa relação entre essas dimensões e a saúde e o bem-estar das pessoas, o conhecimento necessário para elaborar recomendações sobre alimentação é gerado por diferentes saberes.
  • 13. 5. GUIAS ALIMENTARES AMPLIAM A AUTONOMIA NAS ESCOLHAS ALIMENTARES O acesso a informações confiáveis sobre características e determinantes da alimentação adequada e saudável contribui para que pessoas, famílias e comunidades ampliem a autonomia para fazer escolhas alimentares e para que exijam o cumprimento do direito humano à alimentação adequada e saudável(DHAA).
  • 14. Capítulo 2 A escolha dos alimentos
  • 15. Perfumes Maquiagem IN NATURA MINIMAMENTE PROCESSADOS ÓLEOS, GORDURAS, SAL E AÇÚCAR PROCESSADOS ULTRAPROCESSADOS CLASSIFICAÇÃO PROCESSAMENTO
  • 16. IN NATURA MINIMAMENTE PROCESSADOS RECOMENDAÇÃO Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação.
  • 17.
  • 18.
  • 19. ÓLEOS, GORDURAS, SAL E AÇÚCAR Produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e usados para criar preparações culinárias. RECOMENDAÇÃO Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias.
  • 20. PROCESSADOS Alimentos processados são produtos relativamente simples e antigos fabricados essencialmente com a adição de sal ou açúcar (ou outra substância de uso culinário como óleo ou vinagre) a um alimento in natura ou minimamente processado. RECOMENDAÇÃO Limite o uso de alimentos processados, consumindo-os, em pequenas quantidades, como ingredientes de preparações culinárias ou como parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados Os ingredientes e métodos usados na fabricação de alimentos processados – como conservas de legumes, compota de frutas, queijos e pães – alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos dos quais derivam.
  • 21. ULTRAPROCESSADOS Formulações industriais feitas inteiramente ou majoritariamente de substâncias extraídas de alimentos (óleos, gorduras, açúcar, amido, proteínas), derivadas de constituintes de alimentos (gorduras hidrogenadas, amido modificado) ou sintetizadas em laboratório com base em matérias orgânicas como petróleo e carvão (corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para dotar os produtos de propriedades sensoriais atraentes). Técnicas de manufatura incluem extrusão, moldagem, e pré-processamento por fritura ou cozimento.
  • 23.
  • 24.  Leitura da lista de ingredientes, presente no rótulo dos alimentos processados e ultraprocessados;  Número elevado de ingredientes (cinco ou mais);  Ingredientes com nomes pouco familiares e não usados em preparações culinárias. Como diferenciar alimentos processados dos ultraprocessados?
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29. Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação. .................... Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias. .................... Limite o uso de alimentos processados, consumindo-os, em pequenas quantidades, como ingredientes de preparações culinárias ou como parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados. .................... Evite alimentos ultraprocessados. RECOMENDAÇÕES REGRA DE OURO: Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultraprocessados.
  • 31. Orientações específicas para a população brasileira sobre como combinar alimentos na forma de refeições. A alimentação dos brasileiros.
  • 32. Alimentação que privilegia alimentos in natura e minimamente processados Alimentação variada e que contempla os diversos grupos de alimentos Alimentação que tradicionalmente já faz parte dos hábitos alimentares do brasileiro Valorização da cultura alimentar local
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39. Capítulo 4 O ato de comer e a comensalidade
  • 40. O ato de comer e as dimensões deste ato influenciam o aproveitamento dos alimentos consumidos e o prazer proporcionado pela alimentação. Comer em ambientes apropriados Comer em companhia Comer com regularidade e com atenção Procure fazer suas refeições diárias em horários semelhantes. Evite “beliscar” nos intervalos entre as refeições. Coma sempre devagar e desfrute o que está comendo, sem se envolver em outra atividade. Procure comer sempre em locais limpos, confortáveis e tranquilos e onde não haja estímulos para o consumo de quantidades ilimitadas de alimentos. Sempre que possível, prefira comer em companhia, com familiares, amigos ou colegas de trabalho ou escola. Procure compartilhar também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições.
  • 41. Capítulo A compreensão e a superação de obstáculos
  • 42. : Informação Há muitas informações sobre alimentação e saúde, mas poucas são de fontes confiáveis. Potenciais obstáculos para a adoção das recomendações deste guia Oferta Alimentos ultraprocessados são encontrados em toda parte, sempre acompanhados de muita propaganda, descontos e promoções, enquanto alimentos in natura ou minimamente processados nem sempre são comercializados em locais próximos às casas das pessoas.
  • 43. Custo Embora legumes, verduras e frutas possam ter preço superior ao de alguns alimentos ultraprocessados, o custo total de uma alimentação baseada em alimentos in natura ou minimamente processados ainda é menor no Brasil do que o custo de uma alimentação baseada em alimentos ultraprocessados. Habilidades culinárias O enfraquecimento da transmissão de habilidades culinárias entre gerações favorece o consumo de alimentos ultraprocessados.
  • 44. Tempo Para algumas pessoas, as recomendações deste guia podem implicar a dedicação de mais tempo à alimentação. Publicidade A publicidade de alimentos ultraprocessados domina os anúncios comerciais de alimentos, frequentemente veicula informações incorretas ou incompletas sobre alimentação e atinge, sobretudo, crianças e jovens.
  • 45. Dez passos para uma alimentação adequada e saudável
  • 51.
  • 53.
  • 54.
  • 55. RECOMENDAÇÃO 1 Estimule o consumo diário de feijão. ORIENTAÇÃO: estimule o consumo diário de feijão ou outras leguminosas, preferencialmente no almoço e no jantar. RECOMENDAÇÃO 2 Oriente que se evite o consumo de bebidas adoçadas. ORIENTAÇÃO: oriente que os idosos evitem o consumo de bebidas adoçadas, tais como refrigerante, suco de caixinha, suco em pó e refrescos (também chamadas de bebidas ultraprocessadas). RECOMENDAÇÃO 3 Oriente que se evite o consumo de alimentos ultraprocessados. ORIENTAÇÃO: Oriente que hambúrguer e/ou embutidos (linguiças, salsicha, presunto, mortadela, salames), macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote ou biscoitos salgados ou recheados, doces ou guloseimas são alimentos ultraprocessados e devem ser evitados.
  • 56. RECOMENDAÇÃO 4 Oriente o consumo diário de legumes e verduras. ORIENTAÇÃO: Oriente o consumo diário de legumes e verduras no almoço e no jantar (acompanhando, por exemplo, a combinação do arroz com feijão). RECOMENDAÇÃO 5 Oriente o consumo diário de frutas. ORIENTAÇÃO: Estimule o consumo diário de frutas, sendo preferencialmente inteiras, em vez de sucos. RECOMENDAÇÃO 6 Oriente que o usuário coma em ambientes apropriados e com atenção. ORIENTAÇÃO: Oriente que o usuário se alimente com regularidade e atenção (sem televisão, celular ou computador, comer na mesa de trabalho, em pé ou andando ou dentro de carros ou transportes públicos). Faça as refeições sempre que possível em companhia com a família ou amigos.