SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
Professora Enfermeira Giza Carla Nitz
Especialista em Urgência e Emergência
• Organização
• Estrutura
• Funcionamento
• Clinica: do grego Kline que significa leito,acamado
• Médica: vem do latim medicus e significa cuidar de.
A clínica médica é um setor do hospital onde acontece o
atendimento integral do indivíduo:
 Idade superior a 12 anos.
 Estado crítico ou semi-crítico.
 Não em tratamento cirúrgico.
 Hemodinamicamente estável.
Definição:
Clínica médica compreende um grupo de
especialidades médicas desenvolvidas dentro de
uma unidade hospitalar, organizada segundo um
conjunto de requisitos, onde o paciente internado é
submetido a exames clínicos (anamnese), físicos,
laboratoriais e especiais com a finalidade de definir
um diagnóstico e, a seguir um tratamento específico.
A Assistência de Enfermagem na Clínica Médica:
 Assistência integral - (físico, mental e emocional)
 Estimular o autocuidado.
 Integrar os familiares no cuidado.
 Propiciar a melhor recuperação possível.
 Prevenir danos.
 Proporcionar apoio e conforto
 Realizar dos cuidados de enfermagem.
Organização e estrutura:
A unidade do paciente, seja ambiente individualizado
(quarto) ou espaço coletivo (enfermaria), deve
proporcionar-lhe completa segurança e bem-estar,
considerando que é o espaço físico hospitalar onde
permanece a maior parte do tempo durante o período de
internação. É basicamente composta por :
 Cama,
 Mesa de cabeceira,
 Cadeira
 Mesa de refeições
 Escadinha.
 Campainha para chamar o profissional de enfermagem.
Organização e estrutura:
O estado de conservação do teto, piso e
paredes, instalação elétrica e hidráulica,
disposição do mobiliário e os espaços para a
movimentação do paciente, da equipe e dos
equipamentos são padronizados e
fiscalizados para garantir a segurança do
cliente.
(Aula 1 - leitura complementar)
Funcionamento da unidade:O setor conta com
uma equipe multiprofissional e com serviços de apoio.
Equipe multiprofissional:
Médico da rotina e especialistas;
Enfermeiro assistencial e coordenador;
Fisioterapeutas;
Técnicos de enfermagem;
Auxiliar administrativo;
Serviço de limpeza exclusivo.
Funcionamento da unidade:O setor conta com
uma equipe multiprofissional e com serviços de apoio.
Serviços de apoio:
Assistência nutricional,
fonoaudiológica, psicológica,
odontológica e assistência social;
Especialidades médicas;
Serviço de laboratório clínico;
Serviço de radiografia móvel;
Funcionamento da unidade
Equipe de Enfermagem
Objetivo:
Proporcionar ambiente terapêutico
adequado aos pacientes com patologias
diversificadas em regime de internação e
manter grau de qualidade na assistência
prestada aos pacientes.
Técnico de Enfermagem
Atribuições:
 Seguir as normatizações previstas nos
instrumentos gerenciais e assistenciais da Divisão
de Enfermagem;
 Receber e passar o plantão de sua
responsabilidade, dentro do horário
estabelecido pela Instituição;
 Comunicar ao enfermeiro, sua chefia imediata,
quaisquer inconformidades ocorridas nas
unidades, sejam administrativa e/ou assistencial;
 Estimular o cliente para o autocuidado (higiene,
vestimenta e alimentação), realizando para ele
os procedimentos que ele não tem capacidade,
competência ou recusa a fazê-lo;
 Ofertar alimentos via oral e enteral;
 Observar, reconhecer e descrever sinais e
sintomas ao nível de sua qualificação;
 Acompanhar o paciente e seu
responsável no momento da alta
hospitalar;
 Prestar cuidados de higiene e conforto ao
cliente e zelar por sua segurança;
 Implementar, relatar e checar as
prescrições de enfermagem e médica,
rigorosamente;
 Zelar pela limpeza, organização e
conservação de equipamentos e outros
materiais de bens da unidade;
 Prestar cuidados de enfermagem nos
tratamentos clínicos, cirúrgicos e
procedimentos diagnósticos;
 Executar os POPs, sob a sua competência,
conforme vigente em órgão de classe
competente e descritos no livro institucional
"Procedimentos Operacionais Padrão em
Enfermagem", tais como:
 Administrar medicamentos por via oral,
enteral e parenteral;
 Realizar curativos de feridas operatórias,
fixadores externos, drenos, cateteres
intravasculares centrais e periféricos,
traqueostomia e feridas crônicas
superficiais e sem complicações;
 Quantificar e registrar débito de sondas,
drenos e coletores;
 Coletar amostra de material para
exames laboratoriais;
 Instalar dispositivos de oxigenoterapia
de baixo e de médio fluxo;
 Realizar limpeza e desinfecção
concorrente e terminal de unidade e
do posto de enfermagem;
 Promover a arrumação de cama;
 Cuidados com o corpo após a morte;
 Colher material para exames laboratoriais;
 Puncionar acesso venoso periférico.
 Participar de atividades de educação em
saúde, conforme programação do Serviço
de Educação e Pesquisa em Enfermagem;
 Executar os trabalhos de rotina vinculados
à admissão, transferência e alta de
clientes;
 Participar no planejamento, execução e
avaliação do transporte intra-hospitalar de
baixo, médio e de alto risco;
 Auxiliar o enfermeiro e o médico no
preparo e execução de procedimentos
privativos;
 Atender aos chamados dos clientes e dos
acompanhantes;
 Anotar no prontuário do cliente (impresso
ou eletrônico) os cuidados de enfermagem
prestados, as orientações feitas e a
presença de intercorrências, com precisão,
objetividade e clareza;
 Prestar informações e esclarecimentos
sob sua competência aos familiares de
clientes durante as visitas;
 Manter vigilância permanente aos
clientes, identificando suas necessidades
objetivas e subjetivas;
 Desempenhar atividades que lhes forem
delegadas, desde que sejam compatíveis
com a sua função e competência;
 Colaborar com os alunos e professores nos
estágios supervisionados;
 Cumprir as demais atribuições da
categoria elencadas no Regulamento
Interno da Divisão de Enfermagem.
 Participar de pesquisas técnicas e
científicas na área da saúde;
 Colaborar com o ensino dos graduandos e
pós-graduandos de enfermagem e demais
cursos;
 Recepcionar os pacientes no momento da
admissão, orientando os mesmos e seus
familiares.
 Atuar com ética e humanidade no
atendimento aos pacientes e seus
familiares;
 Demais atividades afins.
Atividades:
1. No original grego e latin, qual o significado de
Clínica médica? E qual sua importância.
2. Descreva o tipo de cliente nas internações em
clinica medica.
3. Defina clinica médica.
4. De exemplos de assistência de enfermagem na
clinica médica.
5. Descreva a unidade do cliente e sua composição
básica.
Atividades:
6. Quem são os profissionais que compõe a equipe
multiprofissional da Clinica médica?
7. Quais são os serviços de apoio importantes para o
funcionamento da clinica medica?
8. Qual o objetivo em comum da esquipe de
enfermagem em clinica médica?
9. *Quem são os profissionais que compõem a equipe
de enfermagem em clínica médica hospitalar?
10.*Cite 10 exemplos da atuação de cada membro
da equipe de enfermagem em clínica medica.
*PDF –aula 1- atribuições da equipe de enfermagem.
Técnico de Enfermagem
• Atribuições:
• Leitura complementar – Normas de
Funcionamento da clinica médica: do Hospital
de Clínicas da Universidade Federal do
Triângulo Mineiro:
• http://www2.ebserh.gov.br/web/hc-
uftm/clinica-medica. Acessado em 01/04/21,
13:00hs.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf

Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica
Jackson Silva
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptx
ssuser51d27c1
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Aula 5_Gestão hospitalar.pptx
Aula 5_Gestão hospitalar.pptxAula 5_Gestão hospitalar.pptx
Aula 5_Gestão hospitalar.pptx
joanaires52
 
4preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-211212193741
4preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-2112121937414preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-211212193741
4preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-211212193741
mary brito
 

Semelhante a Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf (20)

Praticas em farmacia clinica apostila
Praticas em farmacia clinica   apostilaPraticas em farmacia clinica   apostila
Praticas em farmacia clinica apostila
 
Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica
 
Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01
Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01
Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01
 
UPA - O que faz un enfermeiro (aula 10).PDF
UPA - O que faz un enfermeiro (aula 10).PDFUPA - O que faz un enfermeiro (aula 10).PDF
UPA - O que faz un enfermeiro (aula 10).PDF
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptx
 
Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1
 
Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1
 
acreditação em centro cirúrgico
acreditação em centro cirúrgicoacreditação em centro cirúrgico
acreditação em centro cirúrgico
 
SAE 1.pptx
SAE 1.pptxSAE 1.pptx
SAE 1.pptx
 
Aula de Psicologia Hospitalar psico.pptx
Aula de Psicologia Hospitalar psico.pptxAula de Psicologia Hospitalar psico.pptx
Aula de Psicologia Hospitalar psico.pptx
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Ua 3.slides
Ua 3.slidesUa 3.slides
Ua 3.slides
 
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdftc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Universidade Corporativa para Área da Saúde
Universidade Corporativa para Área da SaúdeUniversidade Corporativa para Área da Saúde
Universidade Corporativa para Área da Saúde
 
Aula 5_Gestão hospitalar.pptx
Aula 5_Gestão hospitalar.pptxAula 5_Gestão hospitalar.pptx
Aula 5_Gestão hospitalar.pptx
 
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdfAula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
 
UE 18 PB Aula 1 e 2- Introdução Estrutura e Organização dos serviços de UE.pdf
UE 18 PB Aula 1 e 2-  Introdução Estrutura e Organização dos serviços de UE.pdfUE 18 PB Aula 1 e 2-  Introdução Estrutura e Organização dos serviços de UE.pdf
UE 18 PB Aula 1 e 2- Introdução Estrutura e Organização dos serviços de UE.pdf
 
4preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-211212193741
4preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-2112121937414preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-211212193741
4preginaenfcirrgicatextocentrocirrgico14 10-211212193741
 
Slide Centro Cirúrgico
Slide Centro CirúrgicoSlide Centro Cirúrgico
Slide Centro Cirúrgico
 

Mais de Giza Carla Nitz

Mais de Giza Carla Nitz (20)

Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdfAula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
Aula 6 - Primeiros Socorros - Choque Elétrico .pdf
 
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdfAula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
Aula 3 - Primeiros Socorros - FRATURA - HEMORRAGIA .pdf
 
Aula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdf
Aula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdfAula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdf
Aula 1 - Primeiros Socorros - PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA .pdf
 
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdfAula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
 
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdfAula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
Aula 4 - Centro Cirúrgico -Materiais.pdf
 
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais - Pacotes -.pdf
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais -  Pacotes -.pdfAula 3- CME - Tipos de Instrumentais -  Pacotes -.pdf
Aula 3- CME - Tipos de Instrumentais - Pacotes -.pdf
 
Aula 3- Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Aula 3-  Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdfAula 3-  Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
Aula 3- Conhecendo o Instrumental Cirúrgico.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte III.pdf
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte II.pdf
 
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdfAula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
Aula 2- CME - Central de Material Esterelizado - Parte 1.pdf
 
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Cirurgica -organização, estrutura, funcionamento.pdf
 
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdfAula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
 
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdfAula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
Aula 12 - SAUDE COLETIVA- Imunização .pdf
 
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdfAula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte II.pdf
 
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdfAula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
Aula 11 - Prevenção e Controle da Hanseníase e Tuberculose - Parte I.pdf
 
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdfAula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
Aula 10 - Doenças Causadas Por Ectoparasitas.pdf
 
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdfAula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
 

Último

01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
IANAHAAS
 
fratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferiorfratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferior
IvaneSales
 

Último (9)

Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para AdolescentesApresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
 
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptxTEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
 
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
 
SISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemas
SISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemasSISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemas
SISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemas
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetríciaPuerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
 
Tecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuronios
Tecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuroniosTecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuronios
Tecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuronios
 
fratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferiorfratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferior
 
Atividade sistema muscular.pdfatividfades
Atividade sistema muscular.pdfatividfadesAtividade sistema muscular.pdfatividfades
Atividade sistema muscular.pdfatividfades
 

Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf

  • 1. Professora Enfermeira Giza Carla Nitz Especialista em Urgência e Emergência
  • 3. • Clinica: do grego Kline que significa leito,acamado • Médica: vem do latim medicus e significa cuidar de. A clínica médica é um setor do hospital onde acontece o atendimento integral do indivíduo:  Idade superior a 12 anos.  Estado crítico ou semi-crítico.  Não em tratamento cirúrgico.  Hemodinamicamente estável.
  • 4. Definição: Clínica médica compreende um grupo de especialidades médicas desenvolvidas dentro de uma unidade hospitalar, organizada segundo um conjunto de requisitos, onde o paciente internado é submetido a exames clínicos (anamnese), físicos, laboratoriais e especiais com a finalidade de definir um diagnóstico e, a seguir um tratamento específico.
  • 5. A Assistência de Enfermagem na Clínica Médica:  Assistência integral - (físico, mental e emocional)  Estimular o autocuidado.  Integrar os familiares no cuidado.  Propiciar a melhor recuperação possível.  Prevenir danos.  Proporcionar apoio e conforto  Realizar dos cuidados de enfermagem.
  • 6. Organização e estrutura: A unidade do paciente, seja ambiente individualizado (quarto) ou espaço coletivo (enfermaria), deve proporcionar-lhe completa segurança e bem-estar, considerando que é o espaço físico hospitalar onde permanece a maior parte do tempo durante o período de internação. É basicamente composta por :  Cama,  Mesa de cabeceira,  Cadeira  Mesa de refeições  Escadinha.  Campainha para chamar o profissional de enfermagem.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Organização e estrutura: O estado de conservação do teto, piso e paredes, instalação elétrica e hidráulica, disposição do mobiliário e os espaços para a movimentação do paciente, da equipe e dos equipamentos são padronizados e fiscalizados para garantir a segurança do cliente. (Aula 1 - leitura complementar)
  • 10. Funcionamento da unidade:O setor conta com uma equipe multiprofissional e com serviços de apoio. Equipe multiprofissional: Médico da rotina e especialistas; Enfermeiro assistencial e coordenador; Fisioterapeutas; Técnicos de enfermagem; Auxiliar administrativo; Serviço de limpeza exclusivo.
  • 11. Funcionamento da unidade:O setor conta com uma equipe multiprofissional e com serviços de apoio. Serviços de apoio: Assistência nutricional, fonoaudiológica, psicológica, odontológica e assistência social; Especialidades médicas; Serviço de laboratório clínico; Serviço de radiografia móvel;
  • 12. Funcionamento da unidade Equipe de Enfermagem Objetivo: Proporcionar ambiente terapêutico adequado aos pacientes com patologias diversificadas em regime de internação e manter grau de qualidade na assistência prestada aos pacientes.
  • 13. Técnico de Enfermagem Atribuições:  Seguir as normatizações previstas nos instrumentos gerenciais e assistenciais da Divisão de Enfermagem;  Receber e passar o plantão de sua responsabilidade, dentro do horário estabelecido pela Instituição;  Comunicar ao enfermeiro, sua chefia imediata, quaisquer inconformidades ocorridas nas unidades, sejam administrativa e/ou assistencial;  Estimular o cliente para o autocuidado (higiene, vestimenta e alimentação), realizando para ele os procedimentos que ele não tem capacidade, competência ou recusa a fazê-lo;
  • 14.  Ofertar alimentos via oral e enteral;  Observar, reconhecer e descrever sinais e sintomas ao nível de sua qualificação;  Acompanhar o paciente e seu responsável no momento da alta hospitalar;  Prestar cuidados de higiene e conforto ao cliente e zelar por sua segurança;  Implementar, relatar e checar as prescrições de enfermagem e médica, rigorosamente;  Zelar pela limpeza, organização e conservação de equipamentos e outros materiais de bens da unidade;
  • 15.  Prestar cuidados de enfermagem nos tratamentos clínicos, cirúrgicos e procedimentos diagnósticos;  Executar os POPs, sob a sua competência, conforme vigente em órgão de classe competente e descritos no livro institucional "Procedimentos Operacionais Padrão em Enfermagem", tais como:  Administrar medicamentos por via oral, enteral e parenteral;  Realizar curativos de feridas operatórias, fixadores externos, drenos, cateteres intravasculares centrais e periféricos, traqueostomia e feridas crônicas superficiais e sem complicações;
  • 16.  Quantificar e registrar débito de sondas, drenos e coletores;  Coletar amostra de material para exames laboratoriais;  Instalar dispositivos de oxigenoterapia de baixo e de médio fluxo;  Realizar limpeza e desinfecção concorrente e terminal de unidade e do posto de enfermagem;
  • 17.  Promover a arrumação de cama;  Cuidados com o corpo após a morte;  Colher material para exames laboratoriais;  Puncionar acesso venoso periférico.  Participar de atividades de educação em saúde, conforme programação do Serviço de Educação e Pesquisa em Enfermagem;  Executar os trabalhos de rotina vinculados à admissão, transferência e alta de clientes;
  • 18.  Participar no planejamento, execução e avaliação do transporte intra-hospitalar de baixo, médio e de alto risco;  Auxiliar o enfermeiro e o médico no preparo e execução de procedimentos privativos;  Atender aos chamados dos clientes e dos acompanhantes;  Anotar no prontuário do cliente (impresso ou eletrônico) os cuidados de enfermagem prestados, as orientações feitas e a presença de intercorrências, com precisão, objetividade e clareza;
  • 19.  Prestar informações e esclarecimentos sob sua competência aos familiares de clientes durante as visitas;  Manter vigilância permanente aos clientes, identificando suas necessidades objetivas e subjetivas;  Desempenhar atividades que lhes forem delegadas, desde que sejam compatíveis com a sua função e competência;  Colaborar com os alunos e professores nos estágios supervisionados;  Cumprir as demais atribuições da categoria elencadas no Regulamento Interno da Divisão de Enfermagem.
  • 20.  Participar de pesquisas técnicas e científicas na área da saúde;  Colaborar com o ensino dos graduandos e pós-graduandos de enfermagem e demais cursos;  Recepcionar os pacientes no momento da admissão, orientando os mesmos e seus familiares.  Atuar com ética e humanidade no atendimento aos pacientes e seus familiares;  Demais atividades afins.
  • 21. Atividades: 1. No original grego e latin, qual o significado de Clínica médica? E qual sua importância. 2. Descreva o tipo de cliente nas internações em clinica medica. 3. Defina clinica médica. 4. De exemplos de assistência de enfermagem na clinica médica. 5. Descreva a unidade do cliente e sua composição básica.
  • 22. Atividades: 6. Quem são os profissionais que compõe a equipe multiprofissional da Clinica médica? 7. Quais são os serviços de apoio importantes para o funcionamento da clinica medica? 8. Qual o objetivo em comum da esquipe de enfermagem em clinica médica? 9. *Quem são os profissionais que compõem a equipe de enfermagem em clínica médica hospitalar? 10.*Cite 10 exemplos da atuação de cada membro da equipe de enfermagem em clínica medica. *PDF –aula 1- atribuições da equipe de enfermagem.
  • 23. Técnico de Enfermagem • Atribuições: • Leitura complementar – Normas de Funcionamento da clinica médica: do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro: • http://www2.ebserh.gov.br/web/hc- uftm/clinica-medica. Acessado em 01/04/21, 13:00hs.