SlideShare uma empresa Scribd logo
HENRI   WALLON Wallon: Psicogênise da Pessoa Completa A gênese da inteligência para Wallon é biológica e social, ou seja, o ser humano é organicamente social e sua estrutura orgânica supõe a intervenção da cultura. Nesse sentido, a teoria do desenvolvimento cognitivo de Wallon é centrada na psicogênese da pessoa completa.
HENRI   WALLON É por meio da emoção que se estabelecem as relações entre o organismo e o meio. A teoria Walloniana postula que o componente orgânico depende do meio social para ser atendido em suas necessidades de sobrevivência. Para Wallon, a emoção é orgânica, significa que é a primeira manifestação do psiquismo, que vai realizar “a transição entre o estado orgânico do ser e a sua etapa cognitiva, racional, que só pode ser atingida através da mediação cultural, isto é social”
HENRI   WALLON Piaget traça a biografia da inteligência Wallon realiza uma psicogênese da pessoa Os dois utilizavam a análise genética para a compreensão dos processos psíquicos . Piaget analisa a gênese da lógica, ao passo que Wallon analisa a gênese do homem em suas relações iniciais com outros homens.
HENRI   WALLON Wallon foi contemporâneo de Sigmund Freud (18561939), de Jean Piaget (18961980) e de Lev Vygotsky (18961934). Para ele, o desenvolvimento infantil fazia parte de um contexto em que as relações interpessoais, históricas e culturais eram privilegiadas. Henri Wallon define o ser humano como uma pessoa geneticamente social, dizendo: “ Jamais pude dissociar o biológico do social, não porque os creia redutíveis entre si, mas porque, no homem, eles me parecem tão estreitamente complementares, desde o nascimento, que a vida psíquica só pode ser encarada tendo em vista suas relações recíprocas”. (WALLON, apud Werebe & NadelBrulfert, 1986, p.8)
HENRI   WALLON Biografia Nasceu em 1879 na França. Viveu toda sua vida em Paris. E morreu em 1962. Antes de chegar a Psicologia e à Educação, passou pela Filosofia e pela Medicina.
HENRI   WALLON Atuou como médico em instituições psiquiátricas até 1931, atendendo crianças com deficiências neurológicas e distúrbios de comportamento. Ele via e escola como um contexto privilegiado para o estudo da criança. Acreditava que a Pedagogia oferecia campos de observação à Psicologia e questões para investigação.
HENRI   WALLON O projeto teórico de Wallon, em sua vertente de psicólogo, é a psicogênese da pessoa, isto é, estudar a gênese dos processos que constituem o psiquismo humano . Por meio do estudo da criança, concentrou seus estudos nas fases iniciais da infância, a intenção é compreender como vai se embricando, articulando, a complexidade de campos e fatores que constitui o psiquismo humano, tendo ressalvado seu limite, que é estudar o campo da consciência.
HENRI   WALLON Considerava que a escola deveria perceber a criança como um ser total, concreto e ativo e de manter-se em contato com o meio social. Estágios do Desenvolvimento Mental 1º Estágio: impulsivo-emocional (1º ano de vida) Ocorre no 1° ano de vida. A predominância da afetividade orienta as primeiras reações do bebê às pessoas, as quais intermediam sua relação com o mundo físico;
HENRI   WALLON Impulsividade motora; Atividade monopolizada pelas necessidades fisiológicas; A impulsividade vai se transformando em expressividade e forma de comunicação com o outro; Estabelecimento de relações entre suas manifestações e as reações do meio humano; Emoção como instrumento de interação.
HENRI   WALLON 2º Estágio -Sensório-motor e projetivo : vai até os 3 anos.  A aquisição da marcha e da preensão dão à criança maior autonomia na manipulação de objetos e na exploração dos espaços. Ocorre o desenvolvimento da função simbólica e da linguagem. O termo projetivo refere-se ao fato da ação do pensamento precisar dos gestos para se exteriorizar. O ato mental "projeta-se" em atos motores.
HENRI   WALLON 3º Estágio - Personalismo : dos 3 aos 6 anos.  Desenvolve-se a construção da consciência de si mediante as interações sociais, reorientando o interesse das crianças pelas pessoas; Construção da consciência de si pela interação social (é a diferenciação psíquica da criança em relação ao outro); Necessidade de manifestação expressiva (espaço e permissão para a ação); A criança já se auto denomina “eu”, “mim”; Marcada por 3 fases: Oposição - A criança precisa se opor ao outro para demarcar seu espaço, em busca da afirmação de si. Sedução - criança sente necessidade de ser admirada Imitação - criança busca incorporar o outro imitando-o
HENRI   WALLON 4º Estágio - Categorial :  (6-11/12 anos) cognitivo – construção do real Os progressos intelectuais dirigem o interesse da criança para as coisas, para o conhecimento e conquista do mundo exterior; Pensamento pré-categorial até os 9-10 anos; Superação gradual do sincretismo do pensamento; Capacidade de autodisciplina mental (atenção); Inteligência discursica (pensamento por pares); A formação de categorias intelectuais possibilita à criança a identificação, a análise, a definição e a classificação dos objetos ou acontecimentos . Aquisição da capacidade conceitual.
HENRI   WALLON 5º Estágio - Predominância funcional :  Adolescência (11-12 anos) afetivo – construção de si Ocorrência de modificações fisiológicas impostas pelo amadurecimento sexual; Necessidade de reorganização do esquema corporal; Nova definição dos contornos da personalidade; Envolve questões pessoais, morais e existenciais.
HENRI   WALLON A Emoção na teoria de Wallon  A afetividade precede nitidamente o aparecimento das condutas cognitivas e as possibilita, daí a afirmação de que estimular a afetividade é nutrir a inteligência; A emoção, tipo particular de manifestação afetiva, é o primeiro recurso de que o ser humano dispõe para comunicar-se e interagir com o outro; As emoções são expressivas e contagiosas; As emoções são antagônicas às atividades reflexivas: “A razão nasce da emoção e sobrevive de sua morte”
HENRI   WALLON O Movimento na teoria de Wallon  As necessidades cinéticas, de movimento, e as necessidades posturais são imprescindíveis ao desenvolvimento infantil; “ Quem sustenta o pensamento no início é a motricidade, que será depois inibida por ele.” (DANTAS, 1990); A redução da motricidade exterior e o progressivo ajustamento do movimento ao mundo físico está ligada, também, à possibilidade de controle voluntário sobre o ato motor. O controle da criança sobre suas próprias ações, o que Wallon denominou de “autodisciplinas mentais”, é um processo lento e gradual que depende de fatores orgânicos e sociais.
HENRI   WALLON  Contribuições da teoria de Wallon na Educação   O meio, que inclui os objetos físicos e as relações humanas, é de extrema importância para o desenvolvimento da pessoa. Neste sentido, é de fundamental importância que o ambiente físico das instituições de Educação Infantil seja planejado e estruturado de acordo com as características e possibilidades das crianças; O papel do outro na construção do conhecimento é indiscutível. Dessa forma, as interações da criança com a professora e com as outras crianças tornam-se condição para a construção não só de conhecimentos, mas da sua personalidade como um todo.
HENRI   WALLON O professor deixa de ser o agente exclusivo de informação e formação das crianças, uma vez que a interação com as outras crianças também assume um papel fundamental no desenvolvimento e aprendizagem de cada uma delas. Seu papel, contudo, é de extrema importância já que é ele quem irá possibilitar e mediar as interações das crianças entre si e delas com os objetos de conhecimento; A prática pedagógica precisa ser pautada nas necessidades das crianças como um todo e promover o seu desenvolvimento em todos os aspectos: afetivo, cognitivo e motor.
HENRI   WALLON O movimento é imprescindível ao desenvolvimento da criança. Dessa forma, as  instituições de Educação Infantil devem prever espaços onde elas possam realizar movimentos amplos como correr, pular, rolar… e as professoras devem ser flexíveis em relação à disciplina motora não exigindo, por exemplo, que as crianças permaneçam muito tempo na mesma posição; A brincadeira também assume um lugar essencial no desenvolvimento da criança e, dessa forma,  as professoras precisam programar atividades em que elas possam usufruir desses espaços e prever  tempo suficiente para que as brincadeiras surjam, se desenvolvam e se encerrem;
HENRI   WALLON  A emoção ocupa um lugar privilegiado no desenvolvimento do sujeito, em especial da criança pequena e, portanto, verifica-se a necessidade de uma boa relação afetiva entre a professora e a criança no contexto da Educação Infantil; Os conflitos, crises e contradições são pontos fecundos para a compreensão da pessoa humana. Sabendo da importância e necessidade das condutas de oposição da criança em relação ao outro para o processo de construção de sua personalidade a professora pode atribuir um valor positivo ao conflito e procurar estratégias pedagógicas para contornar as situações que envolvem maior descontrole emocional.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
LD35
 
Wallon
WallonWallon
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
Poliana Tavares
 
A abordagem histórico cultural de lev vigotski
A abordagem histórico cultural de lev vigotskiA abordagem histórico cultural de lev vigotski
A abordagem histórico cultural de lev vigotski
Pedro Victor Modesto Batista
 
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educaçãoPNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
ElieneDias
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADE
Aclecio Dantas
 
Aula sobre vygotsky
Aula sobre vygotskyAula sobre vygotsky
Aula sobre vygotsky
Diego Alvarez
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Thiago de Almeida
 
Desenvolvimento piaget
Desenvolvimento   piagetDesenvolvimento   piaget
Desenvolvimento piaget
Lusiane Carvalho da Silva
 
Aula sobre wallon
Aula sobre wallonAula sobre wallon
Aula sobre wallon
Diego Alvarez
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
Roshelly Milanez
 
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
Elisms88
 
Desenvolvimento Infantil
Desenvolvimento InfantilDesenvolvimento Infantil
Desenvolvimento Infantil
estercotrim
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x Vygotsky
Elcielle .
 
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistóricaVygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Thiago de Almeida
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da Aprendizagem
Cassia Dias
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Marcelo Assis
 
Vygotski
VygotskiVygotski
Fase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimentoFase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimento
Gil Pereira
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Jorge Barbosa
 

Mais procurados (20)

Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
 
Wallon
WallonWallon
Wallon
 
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
 
A abordagem histórico cultural de lev vigotski
A abordagem histórico cultural de lev vigotskiA abordagem histórico cultural de lev vigotski
A abordagem histórico cultural de lev vigotski
 
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educaçãoPNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADE
 
Aula sobre vygotsky
Aula sobre vygotskyAula sobre vygotsky
Aula sobre vygotsky
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Desenvolvimento piaget
Desenvolvimento   piagetDesenvolvimento   piaget
Desenvolvimento piaget
 
Aula sobre wallon
Aula sobre wallonAula sobre wallon
Aula sobre wallon
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
 
Desenvolvimento Infantil
Desenvolvimento InfantilDesenvolvimento Infantil
Desenvolvimento Infantil
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x Vygotsky
 
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistóricaVygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistórica
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da Aprendizagem
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Vygotski
VygotskiVygotski
Vygotski
 
Fase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimentoFase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimento
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
 

Destaque

Inserçao da criança na creche
Inserçao da criança na crecheInserçao da criança na creche
Inserçao da criança na creche
Fatinha Bretas
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
SimoneHelenDrumond
 
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitadoParecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
SimoneHelenDrumond
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
Melissa Oliveira
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
Edilania Batalha Batalha
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Modelo relatório pedagogico aluno especial
Modelo relatório pedagogico aluno especialModelo relatório pedagogico aluno especial
Modelo relatório pedagogico aluno especial
straraposa
 
Resumo adeus professor adeus professora?
Resumo adeus professor adeus professora?Resumo adeus professor adeus professora?
Resumo adeus professor adeus professora?
cdanielly88
 
Pratica educativa e sociedade
Pratica educativa e sociedadePratica educativa e sociedade
Pratica educativa e sociedade
asocamargo
 
Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...
Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...
Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...
expeditoantonio
 
5° ano relatorios
5° ano relatorios5° ano relatorios
5° ano relatorios
Lucas Kaaio
 
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012. Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
DafianaCarlos
 
Plano de aula medida de comprimento
Plano de aula medida de comprimentoPlano de aula medida de comprimento
Plano de aula medida de comprimento
ivanetesantos
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
Arte Tecnologia
 
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
SimoneHelenDrumond
 
Planejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodoPlanejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodo
SimoneHelenDrumond
 
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Kelry Carvalho
 
Projeto Dengue
Projeto Dengue Projeto Dengue

Destaque (19)

Inserçao da criança na creche
Inserçao da criança na crecheInserçao da criança na creche
Inserçao da criança na creche
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
 
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitadoParecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
 
Modelo relatório pedagogico aluno especial
Modelo relatório pedagogico aluno especialModelo relatório pedagogico aluno especial
Modelo relatório pedagogico aluno especial
 
Resumo adeus professor adeus professora?
Resumo adeus professor adeus professora?Resumo adeus professor adeus professora?
Resumo adeus professor adeus professora?
 
Pratica educativa e sociedade
Pratica educativa e sociedadePratica educativa e sociedade
Pratica educativa e sociedade
 
Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...
Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...
Construindo noções de espaço, formas e medidas a partir de meios não convenci...
 
5° ano relatorios
5° ano relatorios5° ano relatorios
5° ano relatorios
 
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012. Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
 
Plano de aula medida de comprimento
Plano de aula medida de comprimentoPlano de aula medida de comprimento
Plano de aula medida de comprimento
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
 
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
 
Planejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodoPlanejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodo
 
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
 
Projeto Dengue
Projeto Dengue Projeto Dengue
Projeto Dengue
 

Semelhante a Wallon - aula de psicologia

Referencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallonReferencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallon
angelafreire
 
A abordagem de henri wallon
A abordagem de henri wallonA abordagem de henri wallon
A abordagem de henri wallon
Arnaldo Alves
 
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe   wallon 2 psicologiaHenri paul hyacinthe   wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Ana Rita Rochynski
 
HENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.ppt
HENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.pptHENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.ppt
HENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.ppt
lililele2022
 
HENRI WALLON - Bruno Marques.ppt
HENRI WALLON - Bruno Marques.pptHENRI WALLON - Bruno Marques.ppt
HENRI WALLON - Bruno Marques.ppt
ssuserf58c5a
 
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe   wallon 2 psicologiaHenri paul hyacinthe   wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Ana Rita Rochynski
 
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
SimoneHelenDrumond
 
40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
AlineMelo123
 
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumondArtigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogicoA relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
espacoartedeaprender
 
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogicoA relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
espacoartedeaprender
 
Henriwallon
HenriwallonHenriwallon
Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)
Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)
Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)
Marcos Paterra
 
Wallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Wallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidadeWallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Wallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidade
rikardofs
 
Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Desenvolvimento motor e psicomotricidadeDesenvolvimento motor e psicomotricidade
Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Arnaldo Alves
 
Desenvolvimento Motor e Psicomotricidade.ppt
Desenvolvimento Motor e Psicomotricidade.pptDesenvolvimento Motor e Psicomotricidade.ppt
Desenvolvimento Motor e Psicomotricidade.ppt
vitorevitor77
 
Rev03 04
Rev03 04Rev03 04
Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )
Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )
Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )
Educação Infantil
 
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
williamwmo
 
Henri wallon
Henri wallonHenri wallon
Henri wallon
Marlete Outeiro
 

Semelhante a Wallon - aula de psicologia (20)

Referencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallonReferencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallon
 
A abordagem de henri wallon
A abordagem de henri wallonA abordagem de henri wallon
A abordagem de henri wallon
 
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe   wallon 2 psicologiaHenri paul hyacinthe   wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
 
HENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.ppt
HENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.pptHENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.ppt
HENRI WALLON autor excelente muito boa a escrita_apresentação.ppt
 
HENRI WALLON - Bruno Marques.ppt
HENRI WALLON - Bruno Marques.pptHENRI WALLON - Bruno Marques.ppt
HENRI WALLON - Bruno Marques.ppt
 
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe   wallon 2 psicologiaHenri paul hyacinthe   wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
 
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
 
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumondArtigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
 
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogicoA relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
 
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogicoA relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
A relacao entre_afetividade_e_aprendizagem_num_olhar_psicopedagogico
 
Henriwallon
HenriwallonHenriwallon
Henriwallon
 
Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)
Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)
Desenvolvimento motor e psicomotricidade (1)
 
Wallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Wallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidadeWallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Wallon - Desenvolvimento motor e psicomotricidade
 
Desenvolvimento motor e psicomotricidade
Desenvolvimento motor e psicomotricidadeDesenvolvimento motor e psicomotricidade
Desenvolvimento motor e psicomotricidade
 
Desenvolvimento Motor e Psicomotricidade.ppt
Desenvolvimento Motor e Psicomotricidade.pptDesenvolvimento Motor e Psicomotricidade.ppt
Desenvolvimento Motor e Psicomotricidade.ppt
 
Rev03 04
Rev03 04Rev03 04
Rev03 04
 
Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )
Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )
Slide Teoria Wallon (Pedagoga Claudia de Oliveira Andrade )
 
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
 
Henri wallon
Henri wallonHenri wallon
Henri wallon
 

Mais de Fatinha Bretas

Uniabeu museu nacional - ufrj
Uniabeu   museu nacional - ufrjUniabeu   museu nacional - ufrj
Uniabeu museu nacional - ufrj
Fatinha Bretas
 
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamentalTeoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Fatinha Bretas
 
Concepção de infancia
Concepção de infanciaConcepção de infancia
Concepção de infancia
Fatinha Bretas
 
Método
 Método Método
Método
Fatinha Bretas
 
Método
 Método Método
Método
Fatinha Bretas
 
PALESTRA - ÉTICA
PALESTRA - ÉTICA PALESTRA - ÉTICA
PALESTRA - ÉTICA
Fatinha Bretas
 
Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhos
Fatinha Bretas
 
Ciencias e tecnologia
Ciencias e tecnologiaCiencias e tecnologia
Ciencias e tecnologia
Fatinha Bretas
 

Mais de Fatinha Bretas (8)

Uniabeu museu nacional - ufrj
Uniabeu   museu nacional - ufrjUniabeu   museu nacional - ufrj
Uniabeu museu nacional - ufrj
 
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamentalTeoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
 
Concepção de infancia
Concepção de infanciaConcepção de infancia
Concepção de infancia
 
Método
 Método Método
Método
 
Método
 Método Método
Método
 
PALESTRA - ÉTICA
PALESTRA - ÉTICA PALESTRA - ÉTICA
PALESTRA - ÉTICA
 
Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhos
 
Ciencias e tecnologia
Ciencias e tecnologiaCiencias e tecnologia
Ciencias e tecnologia
 

Wallon - aula de psicologia

  • 1. HENRI WALLON Wallon: Psicogênise da Pessoa Completa A gênese da inteligência para Wallon é biológica e social, ou seja, o ser humano é organicamente social e sua estrutura orgânica supõe a intervenção da cultura. Nesse sentido, a teoria do desenvolvimento cognitivo de Wallon é centrada na psicogênese da pessoa completa.
  • 2. HENRI WALLON É por meio da emoção que se estabelecem as relações entre o organismo e o meio. A teoria Walloniana postula que o componente orgânico depende do meio social para ser atendido em suas necessidades de sobrevivência. Para Wallon, a emoção é orgânica, significa que é a primeira manifestação do psiquismo, que vai realizar “a transição entre o estado orgânico do ser e a sua etapa cognitiva, racional, que só pode ser atingida através da mediação cultural, isto é social”
  • 3. HENRI WALLON Piaget traça a biografia da inteligência Wallon realiza uma psicogênese da pessoa Os dois utilizavam a análise genética para a compreensão dos processos psíquicos . Piaget analisa a gênese da lógica, ao passo que Wallon analisa a gênese do homem em suas relações iniciais com outros homens.
  • 4. HENRI WALLON Wallon foi contemporâneo de Sigmund Freud (18561939), de Jean Piaget (18961980) e de Lev Vygotsky (18961934). Para ele, o desenvolvimento infantil fazia parte de um contexto em que as relações interpessoais, históricas e culturais eram privilegiadas. Henri Wallon define o ser humano como uma pessoa geneticamente social, dizendo: “ Jamais pude dissociar o biológico do social, não porque os creia redutíveis entre si, mas porque, no homem, eles me parecem tão estreitamente complementares, desde o nascimento, que a vida psíquica só pode ser encarada tendo em vista suas relações recíprocas”. (WALLON, apud Werebe & NadelBrulfert, 1986, p.8)
  • 5. HENRI WALLON Biografia Nasceu em 1879 na França. Viveu toda sua vida em Paris. E morreu em 1962. Antes de chegar a Psicologia e à Educação, passou pela Filosofia e pela Medicina.
  • 6. HENRI WALLON Atuou como médico em instituições psiquiátricas até 1931, atendendo crianças com deficiências neurológicas e distúrbios de comportamento. Ele via e escola como um contexto privilegiado para o estudo da criança. Acreditava que a Pedagogia oferecia campos de observação à Psicologia e questões para investigação.
  • 7. HENRI WALLON O projeto teórico de Wallon, em sua vertente de psicólogo, é a psicogênese da pessoa, isto é, estudar a gênese dos processos que constituem o psiquismo humano . Por meio do estudo da criança, concentrou seus estudos nas fases iniciais da infância, a intenção é compreender como vai se embricando, articulando, a complexidade de campos e fatores que constitui o psiquismo humano, tendo ressalvado seu limite, que é estudar o campo da consciência.
  • 8. HENRI WALLON Considerava que a escola deveria perceber a criança como um ser total, concreto e ativo e de manter-se em contato com o meio social. Estágios do Desenvolvimento Mental 1º Estágio: impulsivo-emocional (1º ano de vida) Ocorre no 1° ano de vida. A predominância da afetividade orienta as primeiras reações do bebê às pessoas, as quais intermediam sua relação com o mundo físico;
  • 9. HENRI WALLON Impulsividade motora; Atividade monopolizada pelas necessidades fisiológicas; A impulsividade vai se transformando em expressividade e forma de comunicação com o outro; Estabelecimento de relações entre suas manifestações e as reações do meio humano; Emoção como instrumento de interação.
  • 10. HENRI WALLON 2º Estágio -Sensório-motor e projetivo : vai até os 3 anos. A aquisição da marcha e da preensão dão à criança maior autonomia na manipulação de objetos e na exploração dos espaços. Ocorre o desenvolvimento da função simbólica e da linguagem. O termo projetivo refere-se ao fato da ação do pensamento precisar dos gestos para se exteriorizar. O ato mental "projeta-se" em atos motores.
  • 11. HENRI WALLON 3º Estágio - Personalismo : dos 3 aos 6 anos. Desenvolve-se a construção da consciência de si mediante as interações sociais, reorientando o interesse das crianças pelas pessoas; Construção da consciência de si pela interação social (é a diferenciação psíquica da criança em relação ao outro); Necessidade de manifestação expressiva (espaço e permissão para a ação); A criança já se auto denomina “eu”, “mim”; Marcada por 3 fases: Oposição - A criança precisa se opor ao outro para demarcar seu espaço, em busca da afirmação de si. Sedução - criança sente necessidade de ser admirada Imitação - criança busca incorporar o outro imitando-o
  • 12. HENRI WALLON 4º Estágio - Categorial : (6-11/12 anos) cognitivo – construção do real Os progressos intelectuais dirigem o interesse da criança para as coisas, para o conhecimento e conquista do mundo exterior; Pensamento pré-categorial até os 9-10 anos; Superação gradual do sincretismo do pensamento; Capacidade de autodisciplina mental (atenção); Inteligência discursica (pensamento por pares); A formação de categorias intelectuais possibilita à criança a identificação, a análise, a definição e a classificação dos objetos ou acontecimentos . Aquisição da capacidade conceitual.
  • 13. HENRI WALLON 5º Estágio - Predominância funcional : Adolescência (11-12 anos) afetivo – construção de si Ocorrência de modificações fisiológicas impostas pelo amadurecimento sexual; Necessidade de reorganização do esquema corporal; Nova definição dos contornos da personalidade; Envolve questões pessoais, morais e existenciais.
  • 14. HENRI WALLON A Emoção na teoria de Wallon A afetividade precede nitidamente o aparecimento das condutas cognitivas e as possibilita, daí a afirmação de que estimular a afetividade é nutrir a inteligência; A emoção, tipo particular de manifestação afetiva, é o primeiro recurso de que o ser humano dispõe para comunicar-se e interagir com o outro; As emoções são expressivas e contagiosas; As emoções são antagônicas às atividades reflexivas: “A razão nasce da emoção e sobrevive de sua morte”
  • 15. HENRI WALLON O Movimento na teoria de Wallon As necessidades cinéticas, de movimento, e as necessidades posturais são imprescindíveis ao desenvolvimento infantil; “ Quem sustenta o pensamento no início é a motricidade, que será depois inibida por ele.” (DANTAS, 1990); A redução da motricidade exterior e o progressivo ajustamento do movimento ao mundo físico está ligada, também, à possibilidade de controle voluntário sobre o ato motor. O controle da criança sobre suas próprias ações, o que Wallon denominou de “autodisciplinas mentais”, é um processo lento e gradual que depende de fatores orgânicos e sociais.
  • 16. HENRI WALLON Contribuições da teoria de Wallon na Educação O meio, que inclui os objetos físicos e as relações humanas, é de extrema importância para o desenvolvimento da pessoa. Neste sentido, é de fundamental importância que o ambiente físico das instituições de Educação Infantil seja planejado e estruturado de acordo com as características e possibilidades das crianças; O papel do outro na construção do conhecimento é indiscutível. Dessa forma, as interações da criança com a professora e com as outras crianças tornam-se condição para a construção não só de conhecimentos, mas da sua personalidade como um todo.
  • 17. HENRI WALLON O professor deixa de ser o agente exclusivo de informação e formação das crianças, uma vez que a interação com as outras crianças também assume um papel fundamental no desenvolvimento e aprendizagem de cada uma delas. Seu papel, contudo, é de extrema importância já que é ele quem irá possibilitar e mediar as interações das crianças entre si e delas com os objetos de conhecimento; A prática pedagógica precisa ser pautada nas necessidades das crianças como um todo e promover o seu desenvolvimento em todos os aspectos: afetivo, cognitivo e motor.
  • 18. HENRI WALLON O movimento é imprescindível ao desenvolvimento da criança. Dessa forma, as instituições de Educação Infantil devem prever espaços onde elas possam realizar movimentos amplos como correr, pular, rolar… e as professoras devem ser flexíveis em relação à disciplina motora não exigindo, por exemplo, que as crianças permaneçam muito tempo na mesma posição; A brincadeira também assume um lugar essencial no desenvolvimento da criança e, dessa forma, as professoras precisam programar atividades em que elas possam usufruir desses espaços e prever tempo suficiente para que as brincadeiras surjam, se desenvolvam e se encerrem;
  • 19. HENRI WALLON A emoção ocupa um lugar privilegiado no desenvolvimento do sujeito, em especial da criança pequena e, portanto, verifica-se a necessidade de uma boa relação afetiva entre a professora e a criança no contexto da Educação Infantil; Os conflitos, crises e contradições são pontos fecundos para a compreensão da pessoa humana. Sabendo da importância e necessidade das condutas de oposição da criança em relação ao outro para o processo de construção de sua personalidade a professora pode atribuir um valor positivo ao conflito e procurar estratégias pedagógicas para contornar as situações que envolvem maior descontrole emocional.