SlideShare uma empresa Scribd logo
TEA: INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS
Reflexão COMO  PODEREMOS TRABALHAR COM  ESSAS CARACTERÍSTICAS DE LINGUAGEM E FALA NO CONTEXTO EDUCATIVO ?
Aguardar, observar e ouvir tudo o que a criança tem para manifestar: gestos, vocalizações e olhares; Não atuar de forma diretiva e controladora, dando oportunidade para a criança manifestar seus desejos, interesses e necessidades; Fornecer oportunidades que favoreçam a comunicação e saber aguardar uma resposta; Usar linguagem compatível com as possibilidades de compreensão pela criança; Interpretar atos não intencionais como se fossem atos comunicativos intencionais; Não dar automaticamente as coisas para a criança: aguardar que ela tome iniciativa para solicitar os objetos; ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
Conhecer as capacidades comunicativas típicas de cada criança e saber que é esse recurso que se pode contar no momento da interação com elas; Solicitar pouco de suas capacidades ou exigir acima do que ela pode responder significa possível quebra de interação por falta de sintonia entre os interlocutores; Garantir a proximidade física e o contato face a face: esta facilita o intercambio comunicativo; Imitar sistematicamente o que a criança faz é uma forma eficiente de chegar ao seu nível: é como sintonizar na mesma estação em que ela opera; Dar nome as coisas, de modo natural. Nomear sistematicamente objetos e ações aumenta a possibilidade de compreensão, assim como conduz ao uso de palavras novas;  ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
As situações do dia a dia devem ser adaptadas de modo que levem a criança a usar a linguagem como um meio privilegiado de ação; Criar pequenos problemas cujas soluções impliquem atos comunicativos, ex: dar a mamadeira vazia na hora de tomar o leite, apresentar uma caixa sem o conteúdo que habitualmente à criança encontra dentro dela e assim por diante. Aguardar as atitudes da criança para resolver situações como esta; Fizermos comunicativas suas ecolalias; Antes de iniciar a comunicação, devemos: captar sua atenção, chamando-a por seu nome, colocando-nos em seu campo de visão, fazendo sons, movimentando objetos diante dela, usando ajuda física se for necessário. ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
O QUE DEVE SER EVITADO Tomar sistematicamente a iniciativa da comunicação; Ficar testando a capacidade das crianças com ordens e perguntas; Ficar dirigindo a ação da criança, dizendo como deve agir ou proceder; Interromper o silencio que corresponde ao tempo de espera que deve dar para que a criança tome a iniciativa da comunicação; Ficar falando no lugar da criança; Falar em excesso sem dar tempo para criança responder ao tomar a iniciativa. ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
Os objetivos gerais serão: a) criar um contexto comunicativo, com sinalizadores (p.ex . Pecs) para as crianças com TEA  não-verbal; b)  informar adequadamente sobre a personalidade do autista; c)  favorecer a adequação ao contexto escolar; d) realizar dá forma mais semelhante possível a sequencia habitual de atividades de seu grupo de idade; e)  favorecer períodos de interação com crianças e adultos; f) seguir ordens simples (dê, tome, pegue, sente-se...) individualmente e em grupo; g) favorecer a participação da criança com seu grupo de companheiros. INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS
O ensino estruturado envolve organizar a sala de aula além de garantir que os processos e estilos de ensino sejam adequados aos alunos com TEA. E usar: A informação visual para tornar as coisas mais significativas, para incentivar a aprendizagem e a independência; A organização física e estrutura 'maneira de arrumar os movéis', os materiais e o espaço em geral para acrescentar significado e contexto ao ambiente.Por exemplo, usar cores diferentes para designar uma área para diferentes atividades. INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS Devemos adaptar o conteúdo da linguagem; se for possível, relacionar as emissões verbais com objetos, ações,etc.Explicar o que está se fazendo,o que se vai fazer e o que se fez. Usar a linguagem para revisar eventos que acabaram de terminar: pessoas que foram vistas, coisas que aconteceram.(Farrell, 2009)
Horários diários envolvem aspectos como esquemas de atividade e diários visuais, quer escritos, quer com figuras, desenhos ou objetos representativos, para ajudar o aluno a organizar seus movimentos de lugar para lugar e de atividade para atividade.Por exemplo,um objeto de transição pode ser mostrado a criança para indicar o que ela deve fazer a seguir (por exemplo, a figura de um casaco para indicar que é hora de sair para o recreio). Uma sequência simples pode ser indicada por bandejas com etiquetas 'primeiro' e  'depois' , contendo itens necessários para duas tarefas diferentes. Oferecer alternativas nos horários podem incentivar a escolha e a tomada de decisão  por parte dos alunos. A estrutura e as informações visuais referentes a taredas e atividades específicas precisam seguir exemplos de clareza visual (codificação por cores, utilizar caixas organizadoras). INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS
 
Sugestões de Atividades Atividades Sensoriais  Atividades sensoriais  geralmente são muito benéficas. Elas podem encourajar a comunicação e interação social. São ótimas atividades para estimular os sistemas sensoriais vestibular, tátil, visual, auditivo, e propriocepção.Algumas idéias incluem:  Saquinhos sensoriais preenchidos com arroz, aveia, feijão ou outra textura  Mesa com potes de água Brinquedos de parquinho  Exercícios com bolas
Sugestões de Atividades Jogos de Tabuleiro para crianças com TEA Jogos de tabuleiro são excelentes para crianças autistas porque proveêm muitas oportunidades de aprendizado. As crianças apredem a esperar, estabelecer turnos no diálogo, e referenciar outros. Também ajuda como lição para contagem numérica, cores e sequencia lógica, além de ajudar no brincar.
Sugestões de Atividades Música é uma excelente ferramenta que muitas crianças amam. Incorporar músicas nos jogos para crianças com TEA ajuda na rotina e no desenvolvimento de linguagem.
Sugestões de Atividades Atividades de imitação Imitação é uma dificuldade para muitas crianças autistas. Inicie a imitação pelas ações da criança seguidos de modelos para ela imitar de volta.
 
Sugestões de Atividades Atividades para com crianças com TEA  Leia um livro em voz alta. Peça aos alunos para ver a capa do livro e pergunte para eles o que conta o livro. Modificação dessa atividade para crianças autistas é: aponte para os personagens do livro na capa e pergunte ao aluno: O que é isso? E, depois, que ele responder a maneira dele, diga : Sim!! Muito bem.... A historia é sobre ... Faça cartões com cada personagem do livro, colocando seus nomes. Depois, mostre ao aluno para que possa apontar e 'conversar ' sobre esse personagem em terminada parte do livro. Esse apoio visual nos alunos com TEA, ajuda ao desenvolvimento de novos vocábulos.
Sugestões de Atividades Para trabalhar sequencia: solicite ao aluno a ordenação em sequencia correta das figuras do livro (primeiro, segundo, terceiro ou começo, meio e fim). Cole as figuras em sequencia correta numa cartolina. Modificaçação desta atividade para um aluno autista é, se houve dificuldade, reduzir para dois cartões, por exemplo, cenas referentes ao inicio e ao fim do que conta no livro. Para trabalhar matemática (contagem): em um livro por exemplo que fale sobre cachorro, pegue papel oficio colorido e escreva 1 cachorro, 2 cachorros, 3 cachorros, com a miniatura de cachorro disposta em cima.
Sugestões de Atividades O aluno irá contar o número correto de miniaturas colocadas em cada folha de papel. Modificação desta atividade para uma criança com TEA, seria: se houver dificuldade ou a habilidade estiver sendo iniciada na criança, faça, por exemplo, 5 linhas para os 5 cachorros que estão na folha e peça ao aluno para colocar cada cachorro em uma linha para fazer a contagem.Gradualmente, ele irá aprendendo.
Sugestões de Atividades Poderá ser trabalhado também opostos: separar cola, tesoura, papel, figuras do cachorro limpo e sujo. Solicitar ao aluno que coloque no papel figuras do cachorro sujo e limpo, alternando.
Sugestões de Atividades Fonemas: Letra d Desenhe a letra `D`, e separe cola e glitter. Veja o nome e o som da letra `d`. Veja que animal no livro que leram começa com 'd'. Os alunos cobrem com seus dedos a letra, euquanto dizem o som da letra. Os alunos 'escrevem' a letra 'd' com cola no desenho, e então derrama glitter por cima da cola.
BRINQUEDOS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM
JOGOS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM ESQ UEMA CORPORAL ALFABETO SILÁBICO
JOGOS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM QUEBRA-CABEÇA – ANIMAIS E FILHOTES COM DEDOCHES CONJUNTO DE SEQUÊNCIA LÓGICA
LIVROS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM
Para mais informações... http://comospesnofuturo.blogspot.com/2010/05/orientacoes-para-atendimento-de-alunos.html http://autismolicaodevida.blogspot.com/2011/01/inclusao-escolar-da-crianca-com-autismo.html
Obrigado!!!  Email: sandraefernandes@hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
Carlos Junior
 
Autismo
AutismoAutismo
ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO
  ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO  ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO
ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO
marciarejane
 
Ensinar a criança com autismo
Ensinar a criança com autismoEnsinar a criança com autismo
Ensinar a criança com autismo
ausendanunes
 
35 metodo teacch
35 metodo teacch35 metodo teacch
35 metodo teacch
SimoneHelenDrumond
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoO papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
Amanda Barbosa
 
Dificuldades De Aprendizagem
Dificuldades De AprendizagemDificuldades De Aprendizagem
Dificuldades De Aprendizagem
Maristela Couto
 
Estudo de caso
Estudo de caso Estudo de caso
Estudo de caso
cefaprodematupa
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
VIROUCLIPTAQ
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Anaí Peña
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
Zélia Cordeiro
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Raline Guimaraes
 
inclusão social
inclusão socialinclusão social
inclusão social
elisabatista7
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
guest1f39a4
 
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
Isabela Rodrigues
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
Aurivan
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Almeida Emilene Santos
 
Psicomotricidade
PsicomotricidadePsicomotricidade
Psicomotricidade
Instituto Consciência GO
 

Mais procurados (20)

Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO
  ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO  ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO
ALTAS HABILIDADES - SUPERDOTAÇÃO
 
Ensinar a criança com autismo
Ensinar a criança com autismoEnsinar a criança com autismo
Ensinar a criança com autismo
 
35 metodo teacch
35 metodo teacch35 metodo teacch
35 metodo teacch
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
 
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoO papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
 
Dificuldades De Aprendizagem
Dificuldades De AprendizagemDificuldades De Aprendizagem
Dificuldades De Aprendizagem
 
Estudo de caso
Estudo de caso Estudo de caso
Estudo de caso
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
 
inclusão social
inclusão socialinclusão social
inclusão social
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Psicomotricidade
PsicomotricidadePsicomotricidade
Psicomotricidade
 

Destaque

80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
SimoneHelenDrumond
 
Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...
Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...
Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...
Autismo Brasil
 
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
Amanda Barbosa
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
Genilson Costa e Silva
 
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGDTRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
Emanoele freitas
 
Autismo
AutismoAutismo
93 metodos para pessoas autistas
93 metodos para pessoas autistas93 metodos para pessoas autistas
93 metodos para pessoas autistas
SimoneHelenDrumond
 
Jogos e atividades para Autista
Jogos e atividades para AutistaJogos e atividades para Autista
Jogos e atividades para Autista
Pri Domingos
 
75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do autista por simone helen drumond
75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do  autista por simone helen drumond75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do  autista por simone helen drumond
75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do autista por simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas
50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas
50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas
Graça Sousa
 
Relatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumond
Relatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumondRelatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumond
Relatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...
Amanda Barbosa
 
JOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWS
JOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWSJOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWS
JOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWS
andriws porto alegre
 
Ajude nos a-aprender_aba
Ajude nos a-aprender_abaAjude nos a-aprender_aba
Ajude nos a-aprender_aba
Aline Fernandes
 
Autismo marisa
Autismo  marisaAutismo  marisa
Autismo marisa
Karen Araki
 
curso Autismo
curso Autismocurso Autismo
curso Autismo
HELENICEAN
 
Jogos Educativos na Escola
Jogos Educativos na EscolaJogos Educativos na Escola
Jogos Educativos na Escola
Professora Ana Maria
 
Autismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & Realidade
Autismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & RealidadeAutismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & Realidade
Autismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & Realidade
Autismo & Realidade
 
Autismo e doenças invasivas do desenvolvimento
Autismo e doenças invasivas do desenvolvimentoAutismo e doenças invasivas do desenvolvimento
Autismo e doenças invasivas do desenvolvimento
João Antônio Granzotti
 

Destaque (20)

80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
 
Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...
Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...
Guia de orientação sobre o manejo comportamental de crianças com Autismo em c...
 
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
 
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGDTRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
93 metodos para pessoas autistas
93 metodos para pessoas autistas93 metodos para pessoas autistas
93 metodos para pessoas autistas
 
Jogos e atividades para Autista
Jogos e atividades para AutistaJogos e atividades para Autista
Jogos e atividades para Autista
 
75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do autista por simone helen drumond
75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do  autista por simone helen drumond75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do  autista por simone helen drumond
75 jogos e brincadeiras na aprendizagem do autista por simone helen drumond
 
50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas
50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas
50 Ideias e Sugestões de Atividades e Jogos Para Suas Aulas
 
Relatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumond
Relatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumondRelatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumond
Relatorios aprendizagem diferenciada vol 5 simone helen drumond
 
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO UM ESTUDO REALIZADO EM DUAS ESCOLAS DA R...
 
JOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWS
JOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWSJOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWS
JOGOS EDUCATIVOS DO ANDRIWS
 
Newest dps
Newest dpsNewest dps
Newest dps
 
Ajude nos a-aprender_aba
Ajude nos a-aprender_abaAjude nos a-aprender_aba
Ajude nos a-aprender_aba
 
Autismo marisa
Autismo  marisaAutismo  marisa
Autismo marisa
 
curso Autismo
curso Autismocurso Autismo
curso Autismo
 
Jogos Educativos na Escola
Jogos Educativos na EscolaJogos Educativos na Escola
Jogos Educativos na Escola
 
Autismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & Realidade
Autismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & RealidadeAutismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & Realidade
Autismo e inclusão: Questões Jurídicas - Autismo & Realidade
 
Autismo e doenças invasivas do desenvolvimento
Autismo e doenças invasivas do desenvolvimentoAutismo e doenças invasivas do desenvolvimento
Autismo e doenças invasivas do desenvolvimento
 

Semelhante a Tea intervenção em contextos educativos

Alfabetização um desafio constante
Alfabetização   um desafio constanteAlfabetização   um desafio constante
Alfabetização um desafio constante
Roberta Trezza S. Souza
 
Jogo seducação infantil
Jogo seducação infantilJogo seducação infantil
Jogo seducação infantil
Denise Rodrigues
 
Como as crianças aprendem e se comportam
Como as crianças aprendem e se comportamComo as crianças aprendem e se comportam
Como as crianças aprendem e se comportam
Nuricel Aguilera
 
Modelo re..[1]
Modelo re..[1]Modelo re..[1]
Modelo re..[1]
Francineteproinfo
 
101 ideias para brincar e ensinar autistas di casto
101 ideias para brincar e ensinar autistas   di casto101 ideias para brincar e ensinar autistas   di casto
101 ideias para brincar e ensinar autistas di casto
LucianaCarvalho154
 
Características comunicativas e linguísticas
Características comunicativas e linguísticasCaracterísticas comunicativas e linguísticas
Características comunicativas e linguísticas
Diana Sousa
 
Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]
Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]
Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]
Claudia Ortolan Ortolan
 
Tp1
Tp1Tp1
Maternal
MaternalMaternal
Maternal
Fernanda Loure
 
Projeto teoria e prática da alfabetização
Projeto teoria e prática da alfabetizaçãoProjeto teoria e prática da alfabetização
Projeto teoria e prática da alfabetização
AlineGarotti
 
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)
Silvania silva
 
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagemTratamento das dificuldades_de_aprendizagem
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem
Regina Couto
 
Workshop IV
Workshop IVWorkshop IV
Workshop IV
Bruna Moreno
 
Reunião com pais projeto de intervenção
Reunião com pais   projeto de intervençãoReunião com pais   projeto de intervenção
Reunião com pais projeto de intervenção
Fabiano Belini
 
A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...
A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...
A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...
Capacitações Pedagógicas
 
ABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptx
ABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptxABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptx
ABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptx
magdasilva693470
 
Como lidar com crianças autistas na escola
Como lidar com crianças autistas na escolaComo lidar com crianças autistas na escola
Como lidar com crianças autistas na escola
maria joana
 
andreia
andreiaandreia
Transtorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencaoTranstorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencao
68bomfim
 
Modificando os métodos de ensino
Modificando os métodos de ensinoModificando os métodos de ensino
Modificando os métodos de ensino
Cíntia Macedo
 

Semelhante a Tea intervenção em contextos educativos (20)

Alfabetização um desafio constante
Alfabetização   um desafio constanteAlfabetização   um desafio constante
Alfabetização um desafio constante
 
Jogo seducação infantil
Jogo seducação infantilJogo seducação infantil
Jogo seducação infantil
 
Como as crianças aprendem e se comportam
Como as crianças aprendem e se comportamComo as crianças aprendem e se comportam
Como as crianças aprendem e se comportam
 
Modelo re..[1]
Modelo re..[1]Modelo re..[1]
Modelo re..[1]
 
101 ideias para brincar e ensinar autistas di casto
101 ideias para brincar e ensinar autistas   di casto101 ideias para brincar e ensinar autistas   di casto
101 ideias para brincar e ensinar autistas di casto
 
Características comunicativas e linguísticas
Características comunicativas e linguísticasCaracterísticas comunicativas e linguísticas
Características comunicativas e linguísticas
 
Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]
Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]
Sobre as atividades permanentes de alfabetiza%c3%a7%c3%a3o[1]
 
Tp1
Tp1Tp1
Tp1
 
Maternal
MaternalMaternal
Maternal
 
Projeto teoria e prática da alfabetização
Projeto teoria e prática da alfabetizaçãoProjeto teoria e prática da alfabetização
Projeto teoria e prática da alfabetização
 
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem (1)
 
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagemTratamento das dificuldades_de_aprendizagem
Tratamento das dificuldades_de_aprendizagem
 
Workshop IV
Workshop IVWorkshop IV
Workshop IV
 
Reunião com pais projeto de intervenção
Reunião com pais   projeto de intervençãoReunião com pais   projeto de intervenção
Reunião com pais projeto de intervenção
 
A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...
A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...
A escola que ensina: A prática dos novos saberes no processo de ensino e apre...
 
ABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptx
ABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptxABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptx
ABA CURSO ABA%20%E2%80%93%20aula%206.pptx
 
Como lidar com crianças autistas na escola
Como lidar com crianças autistas na escolaComo lidar com crianças autistas na escola
Como lidar com crianças autistas na escola
 
andreia
andreiaandreia
andreia
 
Transtorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencaoTranstorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencao
 
Modificando os métodos de ensino
Modificando os métodos de ensinoModificando os métodos de ensino
Modificando os métodos de ensino
 

Mais de craeditgd

Lidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem videoLidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem video
craeditgd
 
Sistemas
 Sistemas Sistemas
Sistemas
craeditgd
 
PdI
PdIPdI
Dicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamento
Dicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamentoDicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamento
Dicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamento
craeditgd
 
Características sobressalentes da lggm e fala em crianças com tea
Características sobressalentes da lggm e fala em crianças com teaCaracterísticas sobressalentes da lggm e fala em crianças com tea
Características sobressalentes da lggm e fala em crianças com tea
craeditgd
 
Craedi apresentação
Craedi apresentaçãoCraedi apresentação
Craedi apresentação
craeditgd
 
Deficiência Mental, Autismo
Deficiência Mental, AutismoDeficiência Mental, Autismo
Deficiência Mental, Autismo
craeditgd
 

Mais de craeditgd (7)

Lidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem videoLidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem video
 
Sistemas
 Sistemas Sistemas
Sistemas
 
PdI
PdIPdI
PdI
 
Dicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamento
Dicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamentoDicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamento
Dicas para o dia a dia curso de aperfeiçoamento
 
Características sobressalentes da lggm e fala em crianças com tea
Características sobressalentes da lggm e fala em crianças com teaCaracterísticas sobressalentes da lggm e fala em crianças com tea
Características sobressalentes da lggm e fala em crianças com tea
 
Craedi apresentação
Craedi apresentaçãoCraedi apresentação
Craedi apresentação
 
Deficiência Mental, Autismo
Deficiência Mental, AutismoDeficiência Mental, Autismo
Deficiência Mental, Autismo
 

Tea intervenção em contextos educativos

  • 1. TEA: INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS
  • 2. Reflexão COMO PODEREMOS TRABALHAR COM ESSAS CARACTERÍSTICAS DE LINGUAGEM E FALA NO CONTEXTO EDUCATIVO ?
  • 3. Aguardar, observar e ouvir tudo o que a criança tem para manifestar: gestos, vocalizações e olhares; Não atuar de forma diretiva e controladora, dando oportunidade para a criança manifestar seus desejos, interesses e necessidades; Fornecer oportunidades que favoreçam a comunicação e saber aguardar uma resposta; Usar linguagem compatível com as possibilidades de compreensão pela criança; Interpretar atos não intencionais como se fossem atos comunicativos intencionais; Não dar automaticamente as coisas para a criança: aguardar que ela tome iniciativa para solicitar os objetos; ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
  • 4. Conhecer as capacidades comunicativas típicas de cada criança e saber que é esse recurso que se pode contar no momento da interação com elas; Solicitar pouco de suas capacidades ou exigir acima do que ela pode responder significa possível quebra de interação por falta de sintonia entre os interlocutores; Garantir a proximidade física e o contato face a face: esta facilita o intercambio comunicativo; Imitar sistematicamente o que a criança faz é uma forma eficiente de chegar ao seu nível: é como sintonizar na mesma estação em que ela opera; Dar nome as coisas, de modo natural. Nomear sistematicamente objetos e ações aumenta a possibilidade de compreensão, assim como conduz ao uso de palavras novas; ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
  • 5. As situações do dia a dia devem ser adaptadas de modo que levem a criança a usar a linguagem como um meio privilegiado de ação; Criar pequenos problemas cujas soluções impliquem atos comunicativos, ex: dar a mamadeira vazia na hora de tomar o leite, apresentar uma caixa sem o conteúdo que habitualmente à criança encontra dentro dela e assim por diante. Aguardar as atitudes da criança para resolver situações como esta; Fizermos comunicativas suas ecolalias; Antes de iniciar a comunicação, devemos: captar sua atenção, chamando-a por seu nome, colocando-nos em seu campo de visão, fazendo sons, movimentando objetos diante dela, usando ajuda física se for necessário. ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
  • 6. O QUE DEVE SER EVITADO Tomar sistematicamente a iniciativa da comunicação; Ficar testando a capacidade das crianças com ordens e perguntas; Ficar dirigindo a ação da criança, dizendo como deve agir ou proceder; Interromper o silencio que corresponde ao tempo de espera que deve dar para que a criança tome a iniciativa da comunicação; Ficar falando no lugar da criança; Falar em excesso sem dar tempo para criança responder ao tomar a iniciativa. ESTRATÉGIAS PARA PROFESSORES DE CRIANÇAS COM TEA
  • 7. Os objetivos gerais serão: a) criar um contexto comunicativo, com sinalizadores (p.ex . Pecs) para as crianças com TEA não-verbal; b) informar adequadamente sobre a personalidade do autista; c) favorecer a adequação ao contexto escolar; d) realizar dá forma mais semelhante possível a sequencia habitual de atividades de seu grupo de idade; e) favorecer períodos de interação com crianças e adultos; f) seguir ordens simples (dê, tome, pegue, sente-se...) individualmente e em grupo; g) favorecer a participação da criança com seu grupo de companheiros. INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS
  • 8. O ensino estruturado envolve organizar a sala de aula além de garantir que os processos e estilos de ensino sejam adequados aos alunos com TEA. E usar: A informação visual para tornar as coisas mais significativas, para incentivar a aprendizagem e a independência; A organização física e estrutura 'maneira de arrumar os movéis', os materiais e o espaço em geral para acrescentar significado e contexto ao ambiente.Por exemplo, usar cores diferentes para designar uma área para diferentes atividades. INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS Devemos adaptar o conteúdo da linguagem; se for possível, relacionar as emissões verbais com objetos, ações,etc.Explicar o que está se fazendo,o que se vai fazer e o que se fez. Usar a linguagem para revisar eventos que acabaram de terminar: pessoas que foram vistas, coisas que aconteceram.(Farrell, 2009)
  • 9. Horários diários envolvem aspectos como esquemas de atividade e diários visuais, quer escritos, quer com figuras, desenhos ou objetos representativos, para ajudar o aluno a organizar seus movimentos de lugar para lugar e de atividade para atividade.Por exemplo,um objeto de transição pode ser mostrado a criança para indicar o que ela deve fazer a seguir (por exemplo, a figura de um casaco para indicar que é hora de sair para o recreio). Uma sequência simples pode ser indicada por bandejas com etiquetas 'primeiro' e 'depois' , contendo itens necessários para duas tarefas diferentes. Oferecer alternativas nos horários podem incentivar a escolha e a tomada de decisão por parte dos alunos. A estrutura e as informações visuais referentes a taredas e atividades específicas precisam seguir exemplos de clareza visual (codificação por cores, utilizar caixas organizadoras). INTERVENÇÃO EM CONTEXTOS EDUCATIVOS
  • 10.  
  • 11. Sugestões de Atividades Atividades Sensoriais Atividades sensoriais geralmente são muito benéficas. Elas podem encourajar a comunicação e interação social. São ótimas atividades para estimular os sistemas sensoriais vestibular, tátil, visual, auditivo, e propriocepção.Algumas idéias incluem: Saquinhos sensoriais preenchidos com arroz, aveia, feijão ou outra textura Mesa com potes de água Brinquedos de parquinho Exercícios com bolas
  • 12. Sugestões de Atividades Jogos de Tabuleiro para crianças com TEA Jogos de tabuleiro são excelentes para crianças autistas porque proveêm muitas oportunidades de aprendizado. As crianças apredem a esperar, estabelecer turnos no diálogo, e referenciar outros. Também ajuda como lição para contagem numérica, cores e sequencia lógica, além de ajudar no brincar.
  • 13. Sugestões de Atividades Música é uma excelente ferramenta que muitas crianças amam. Incorporar músicas nos jogos para crianças com TEA ajuda na rotina e no desenvolvimento de linguagem.
  • 14. Sugestões de Atividades Atividades de imitação Imitação é uma dificuldade para muitas crianças autistas. Inicie a imitação pelas ações da criança seguidos de modelos para ela imitar de volta.
  • 15.  
  • 16. Sugestões de Atividades Atividades para com crianças com TEA Leia um livro em voz alta. Peça aos alunos para ver a capa do livro e pergunte para eles o que conta o livro. Modificação dessa atividade para crianças autistas é: aponte para os personagens do livro na capa e pergunte ao aluno: O que é isso? E, depois, que ele responder a maneira dele, diga : Sim!! Muito bem.... A historia é sobre ... Faça cartões com cada personagem do livro, colocando seus nomes. Depois, mostre ao aluno para que possa apontar e 'conversar ' sobre esse personagem em terminada parte do livro. Esse apoio visual nos alunos com TEA, ajuda ao desenvolvimento de novos vocábulos.
  • 17. Sugestões de Atividades Para trabalhar sequencia: solicite ao aluno a ordenação em sequencia correta das figuras do livro (primeiro, segundo, terceiro ou começo, meio e fim). Cole as figuras em sequencia correta numa cartolina. Modificaçação desta atividade para um aluno autista é, se houve dificuldade, reduzir para dois cartões, por exemplo, cenas referentes ao inicio e ao fim do que conta no livro. Para trabalhar matemática (contagem): em um livro por exemplo que fale sobre cachorro, pegue papel oficio colorido e escreva 1 cachorro, 2 cachorros, 3 cachorros, com a miniatura de cachorro disposta em cima.
  • 18. Sugestões de Atividades O aluno irá contar o número correto de miniaturas colocadas em cada folha de papel. Modificação desta atividade para uma criança com TEA, seria: se houver dificuldade ou a habilidade estiver sendo iniciada na criança, faça, por exemplo, 5 linhas para os 5 cachorros que estão na folha e peça ao aluno para colocar cada cachorro em uma linha para fazer a contagem.Gradualmente, ele irá aprendendo.
  • 19. Sugestões de Atividades Poderá ser trabalhado também opostos: separar cola, tesoura, papel, figuras do cachorro limpo e sujo. Solicitar ao aluno que coloque no papel figuras do cachorro sujo e limpo, alternando.
  • 20. Sugestões de Atividades Fonemas: Letra d Desenhe a letra `D`, e separe cola e glitter. Veja o nome e o som da letra `d`. Veja que animal no livro que leram começa com 'd'. Os alunos cobrem com seus dedos a letra, euquanto dizem o som da letra. Os alunos 'escrevem' a letra 'd' com cola no desenho, e então derrama glitter por cima da cola.
  • 22. JOGOS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM ESQ UEMA CORPORAL ALFABETO SILÁBICO
  • 23. JOGOS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM QUEBRA-CABEÇA – ANIMAIS E FILHOTES COM DEDOCHES CONJUNTO DE SEQUÊNCIA LÓGICA
  • 24. LIVROS QUE ESTIMULAM A LINGUAGEM
  • 25. Para mais informações... http://comospesnofuturo.blogspot.com/2010/05/orientacoes-para-atendimento-de-alunos.html http://autismolicaodevida.blogspot.com/2011/01/inclusao-escolar-da-crianca-com-autismo.html
  • 26. Obrigado!!! Email: sandraefernandes@hotmail.com