SlideShare uma empresa Scribd logo
1




    ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCRITOR
                  LUÍZ AUGUSTO CRISPIM

               TURMA – EJA ALFABETIZAÇÃO (CICLO I)
                   EMPREGADAS DOMÉSTICAS
               Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente Carlos1




    PROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ
                          SUB – TEMA: Escola Limpa.




                                JOÃO PESSOA – PB
                                 - Março/Abril de 2012-



1
  Pedagoga com área de aprofundamento em Educação de Jovens e Adultos. No momento está
fazendo especialização em Educação de Jovens e adultos pela UFPB e Pesquisadora bolsista
do Projeto NUEJA – Núcleo de Referência em Educação de Jovens e Adultos da Paraíba
(História e Memória), coordenado pela Profa. Dra. Emília Prestes. É colaboradora do Grupo
Articulador do Fórum de EJA da Paraíba e da Cátedra Unesco Paulo Freire, coordenado pelo
Prof.Dr. Timothy Ireland.
2

       Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente Carlos




PROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ
               SUBTEMA: Escola Limpa.




                   Relatório final das ações realizadas no primeiro
                   bimestre (Março/Abril - 2012) na turma de EJA
                   Ciclo I, da Escola Municipal Luís Augusto Crispim ,
                   entregue no dia 26 de Abril de 2012 a direção e
                   supervisão da Escola.




                   JOÃO PESSOA – PB
                    - Março/Abril de 2012-
3

                                               SUMÁRIO

1. Apresentação.................................................................................        04

2. Justificativa.....................................................................................   05

3. Objetivo Geral................................................................................       06

4. Objetivos específicos.....................................................................           07

5. Conteúdos......................................................................................      08

     5.1.     Língua Portuguesa..............................................................           08

     5.2.     Matemática..........................................................................      08

     5.3.     Estudo da Sociedade e da Natureza...................................                      09


6. Metodologia....................................................................................      09

7. Recursos.........................................................................................    10


8. Avaliação........................................................................................    10


9. Referências.....................................................................................     10


10. Relatório Final.................................................................................    11

     10.1. Identificação da turma..........................................................             11

     10.2. Atividades de desenvolvidas................................................                  13

     10.3. Algumas considerações.......................................................                 19

11. Anexos..........................................................................................    20
4


     APRESENTAÇÃO


      O presente relatório é resultado das ações pedagógicas realizadas no
primeiro bimestre na turma de EJA, Ciclo I, tendo em vista o Tema Gerador
„Cultura de Paz‟ e o Subtema „Escola Limpa‟.
      A turma é composta por vinte um (23) alunos/as, distribuídos entre vinte
(20) mulheres e três (03) homens2, os quais, dez (10) são alfabetizados e onze
11) ainda estão em processo de alfabetização. Todas as mulheres são
empregadas domésticas e vinculadas ao Sindicato das Trabalhadoras
Domésticas de João Pessoa e Região.
      A implantação desta turma é resultado de inúmeras reivindicações do
sindicato juntamente a Secretaria de Educação do Município de João Pessoa,
objetivando obter aulas de alfabetização e futuramente ter acesso a cursos
profissionalizantes, tendo em vista a capacitação e profissionalização dos/das
alunos/as, proporcionando, deste modo, melhor qualidade de vida a todos da
turma. Vale destacar, que a turma de EJA iniciou no dia 12 de Março de 2012,
na Escola Municipal Luís Augusto Crispim, no bairro dos Ipês. Porém, o presente
relatório descreve as ações e resultados ocorridos neste período. Considerando
as orientações das supervisoras da escola, o presente relatório inicialmente
apresenta uma justificativa em torno do Tema Geral e Subtema, fundamentando
as ações pedagógicas em torno do temas „patrimônio Publico‟ e „Escola Limpa‟.
      Posteriormente é apresentado o Objetivo Geral e os Específicos, visando
explicitar com clareza o direcionamento da educadora da turma. Após este
momento, são apresentados os conteúdos ensinados, os quais foram divididos
em: conteúdos da Língua Portuguesa, conteúdos de Matemática e conteúdos da
área de Estudos da Sociedade e da Natureza (História, Geografia e Ciências).
      Após a definição dos objetivos e dos conteúdos, foi definida a metodologia
adotada. A metodologia adotada considerou as especificidades3 da turma de
EJA. Deste modo, a perspectiva freireana foi incorporada não apenas no
2
  Os homens matriculados são casados e estudam na turma juntamente com suas esposas. Eles
se matricularam na turma para estudar e também motivar as esposas a permanecer na escola –
Relato dos alunos
3
  A turma é composta de alunos/as vinculados ao sindicato das empregadas domésticas.
Todos/as tem consciência politica e lutam pelos seus direitos. São trabalhadores e
trabalhadoras, homens e mulheres, pais e mães de família, oriundos das classes populares, mas
portadores de saberes adquiridos ao longo de suas vivências.
5

planejamento das aulas, mas também na sua prática. O diálogo ocupou um
lugar central na explicação, exposição e problematização dos conteúdos.
      Para finalizar, explicitamos os recursos utilizados, as estratégias de
avaliação e o relatório final das ações, incluindo uma breve identificação da
turma em formato de gráficos e a descrição detalhadamente das aulas.


    JUSTIFICATIVA


       Apesar dos avanços culturais e tecnológicos, muitas escolas públicas
convivem cotidianamente com o problema da depredação do seu Patrimônio,
sendo os próprios alunos um dos principais responsáveis por tais ações. Eles
não    estabelecem   relação    entre   a    escola   e    sua   história   pessoal
siginificativamente, com isso os alunos não desenvolvem laços afetivos com o
ambiente escolar.
       Tendo em vista esta problemática, nós pedagogos e pedagogas da
Escola Municipal Luiz Augusto Crispim, defendemos que a Educação possibilita
o despertar da consciência de que é fundamental a prática da conservação e
preservação do patrimônio público, principalmente das escolas, alvos constantes
dos atos de vandalismo e violência que provocam por vezes a destruição total
de bens públicos. Em consequência deste fato concreto, objetivamos
conscientizar os alunos de que anualmente milhões de reais oriundos da receita
de tributos arrecadados, pagos pela população são investidos em patrimônios
públicos para o usufruto de todos. Para tanto, consideramos pertinente a
compreensão por parte dos alunos do conceito de Patrimônio Público, tendo em
vista promover o comprometimento com um Bem coletivo, ou seja, de direito de
todos. Assim Holanda (1988) define patrimônio como:
                     Bem, ou conjunto de bens culturais ou naturais, de valor
                     reconhecido para determinada localidade, região, pais, ou para a
                     humanidade, e que, ao se tornar (em) protegido(s), como, por
                     exemplo, pelo tombamento, deve(m) ser preservado(s) para o
                     usufruto de todos os cidadãos.

       Já a palavra patrimônio, segundo Chauí (1992) é originaria do Latim,
derivada da palavra “pater”, ou seja, um legado deixado de pai para filho.
Entende-se também como um conjunto de bens produzidos por uma geração,
que são deixados as gerações futuras, para que, desta forma, haja a valorização
6

desses, contribuindo com o despertar do sentimento de cidadania, de
“pertencimento” a algum lugar. Deste modo, a preservação do patrimônio traz a
preservação viva da historia, onde esta deixa de ser “puramente imaginaria”
passando a ser “realidade histórica”.
      No conjunto dos patrimônios públicos, históricos e cultural presente em
todas as sociedades, a escola é o lugar onde todos tem acesso por direito e
precisa ser conservada e valorizada. Todavia, infelizmente a destruição do
patrimônio público é uma realidade no contexto das escolas. Partindo desta
realidade concreta, o presente projeto tem a intencionalidade de constituir
sujeitos ativos, críticos e éticos no que tange ao comprometimento com a
preservação e conservação do patrimônio público, sendo a escola o início do
exercício da cidadania.
      A preservação do Patrimônio Público engloba todas as ações que
beneficiam a manutenção de um bem cultural ou um bem comum, o que inclui a
criação   de   leis,   realização   de   projetos   de   conservação,   restauração,
intervenções no entorno do bem público. Tais ações têm como objetivo principal
manter a autenticidade históricas e integridade do patrimônio público para que
as novas gerações possa desfrutar desse bem.
      Esta incumbência inicia-se com ações de todo o Estado (Estado
Democrático de Direito). Esta incumbência é legalizada na Constituição Federal
de 1988, em seu Art. 23 assegurando que é de competência comum da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: I – “zelar pela guarda da
Constituição, das leis e das instituições democráticas e conservar o patrimônio
público; IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracterização de obras de
arte e de outros bens de valor histórico, artístico ou cultural”. Apesar da
legalidade em torno da responsabilidade da União, dos Estados e Municípios
quanto a preservação, manutenção do patrimônio público, não estamos isentos,
enquanto sujeitos de direitos e deveres, de contribuir com a preservação do bem
público. Assim postula o Art. 216:
                       Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza
                       material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto,
                       portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos
                       diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais
                       se incluem: I - as formas de expressão; II - os modos de criar,
                       fazer e viver; III - as criações científicas, artísticas e
                       tecnológicas; IV - as obras, objetos, documentos, edificações e
                       demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
7

                       V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico,
                       artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico. §
                       1.º O poder público, com a colaboração da comunidade,
                       promoverá e protegerá o patrimônio cultural brasileiro, por meio
                       de      inventários,  registros,   vigilância,  tombamento        e
                       desapropriação, e de outras formas de acautelamento e
                       preservação... § 4.º Os danos e ameaças ao patrimônio cultural
                       serão punidos, na forma da lei.(Constituição Federal, 1988).

      Tendo em vista a especificidade da temática “preservação do patrimônio
público – Escola Limpa”, a ações pedagógicas do projeto em tela consiste na
melhoria do ambiente físico da Escola. Para tanto, primamos pela formação ética
de todos para o exercício pleno da cidadania; pela construção da autonomia do
aluno na interação com seu ambiente; pelo desenvolvimento de uma pedagogia
democrática e dialógica; pela transformação de atitudes e comportamentos,
favorecendo a preservação do patrimônio público escolar; pela construção
coletiva de posturas e ações para a conservação dos bens patrimoniais móveis e
imóveis das escolas.
   Visando dar efetividade ao que foi mencionado anteriormente, propomos a
seguir algumas ações pedagógicas a serem realizadas na turma de EJA - Ciclo
I no bimestre Março e Abril/2012. Portanto, o planejamento e a execução das
ações pedagógicas se desenvolvam em um ambiente que intencionalmente
favoreça o alargamento das possibilidades do aluno de vivenciar práticas
solidárias, situações argumentativas e de reflexão crítica sobre a própria
aprendizagem.


    OBJETIVO GERAL:


   1. Desempenhar de modo consciente e responsável nos alunos da EJA a
      consciência da importância de seu papel na valorização do Patrimônio
      Público, sendo a Escola Municipal Luiz Augusto Crispim, como lócus para
      o exercício de sua conservação e preservação. Valorizando a
      democracia, desenvolvendo atitudes participativas, possibilitando aos
      alunos o conhecimento dos seus direitos e deveres para o exercício pleno
      da cidadania.
8

 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1. Conscientizar os alunos de que a Escola é um espaço público, a qual
   pertence a todos;
2. Problematizar o conceito de PATRIMÔNIO e PÚBLICO, tendo em vista
   conscientizar os alunos dos seus direitos e deveres enquanto cidadãos;
3. Apresentar mediante o uso de imagens (fotografia) os diversos
   patrimônios Públicos na cidade de João Pessoa, objetivando promover o
   sentimento de responsabilidade nos alunos, inclusive com a Escola, tendo
   em vista a sua conservação;
4. Promover constantes diálogos sobre a importância do Patrimônio Público
   enquanto um espaço coletivo e não privado;
5. Utilizar as palavras geradoras PATRIMÔNIO e PÚBLICO para alfabetizar
   os alunos, os quais possam dominar o mecanismo e os recursos do
   sistema de representação escrita, compreendendo suas funções.
6. Valorizar a vida e sua qualidade como bens pessoais e coletivos,
   desenvolver atitudes responsáveis com relação à saúde e à educação
   das futuras gerações.
7. Compreender as relações que os homens estabelecem com os demais
   elementos da natureza e desenvolver atitudes positivas com relação à
   preservação do Patrimônio Público e do meio ambiente.


 CONTEÚDOS
 PORTUGUÊS PARA O BIMESTRE MARÇO/ABRIL
1. História do alfabeto;
2. Letras, sílabas e palavras;
3. Encontros vocálicos e consonantal;
4. Segmentação das palavras,
5. Sentido e posicionamento da escrita
6. Substantivos – Próprio e Comum (número e grau)
7. Verbo (o que é um verbo?)


 MATEMÁTICA PARA O BIMESTRE MARÇO/ABRIL
1. O surgimento dos números;
2. Números naturais;
9

   3. Unidade e Dezena
   4. Adição e subtração com números naturais


    ÁREA DE ESTUDOS DA SOCIEDADE E DA NATUREZA - HISTÓRIA,
      CIÊNCIAS E GEOGRAFIA
   1. Reconhecer o valor do patrimônio público e respeitando-o tendo em vista
      sua conservação e preservação – apresentação de fotos de vários
      patrimônios na cidade de João Pessoa.
   2. Espaços rurais e urbanos;
   3. Sistema respiratório – cuidando da saúde (a importância da preservação
      da natureza) – Cuidando da escola e demais patrimônios públicos estou
      contribuindo com o meio ambiente;
   4. Nossa história – observar mudanças ocorridas no passado e no presente
   5. A páscoa judaica e a páscoa cristã.


    METODOLOGIA


      A metodologia parte dos pressupostos pedagógicos freireanos, onde a
problematização, a dialogicidade possibilite mudanças atitudinais quanto à
valorização e importância de nosso papel (aluno e professor) no cuidado com o
outro e com o patrimônio publico em geral, e com a escola em particular.
      Inicialmente será realizada a identificação da turma, objetivando conhecer
suas especificidades, o universo vocabular em que estão inseridos e o nível que
a turma se encontra.
      Considerando o Tema geral e o Subtema, na exposição dos conteúdos
curriculares as palavras geradoras: PATRIMÔNIO, PÚBLICO, ESCOLA, LIMPA,
serão consideradas no planejamento. Portanto, de modo interdisciplinar os
conteúdo curriculares serão ministrados, objetivando aprofundar o diálogo sobre
a conservação e preservação da escola.
10

    RECUROS


      Quadro branco, folhas brancas, lápis e caneta, cartaz e fichas individuais
com o alfabeto (letra de forma e cursiva, maiúsculas e minúsculas), fichas com
letras para montar, cartolinas, tesoura, cola, lápis de colorir, revistas, mapa da
cidade de João Pessoa, plano de ruas do bairro, literatura de cordel, poemas,
listas de preços, anúncios de produtos com preços, DVD, slides (Power point),
Data show, Van Para levar os alunos ao Teatro Santa Rosa.


    AVALIAÇÃO


      Considerando a metodologia adotada – pedagogia freireana - onde o
diálogo na EJA é considerado relevante, bem como o educar para o exercício da
cidadania e da democracia, de modo que o aluno supere o papel de sujeito
passivo, passando a ser crítico; ativo e participativo na construção de uma
sociedade melhor. Nesse sentindo, a avaliação do aproveitamento dos alunos
deverá ser processual, sistemática e cumulativa, realizada pela educadora ao
longo do bimestre de acordo com os objetivos previstos, relacionados aos
diversos conteúdos e mediante os diferentes instrumentos, com prevalência nos
aspectos qualitativos sobre os quantitativos.




    REFERÊNCIAS



BRASIL, Constituição da Republica Federativa do Brasil. 05 de outubro de 1988.
Acesso em:

CHAUI, Marilena. Política cultural, cultura política e patrimônio histórico. In:
O direito a memoria – patrimônio histórico e cidadania. Departamento do
patrimônio histórico de São Paulo. São Paulo, SP. 1992.

HOLANDA, Aurélio B. Dicionário Aurélio Escolar da Língua Portuguesa. 1
ed. Rio de Janeiro, RJ: Editora Nova Fronteira. 1988.
11

             RELATÓRIO FINAL


       I.     IDENTIFICAÇÃO DA TURMA
                     GRÁFICO 1 – NÍVEL APRENDIZAGEM DA TURMA – DADOS INICIAIS




                                 Fonte: questionário realizado com a turma



                                        ASPECTOS SOCIAIS


     GRÁFICO 2 – QUANTIDADE DE ALUNOS                            GRÁFICO 3 - NATURALIDADE
                   POR GÊNERO




Fonte: questionário realizado com a turma                    Fonte: questionário realizado com a turma
12

          GRÁFICO 4 – RAÇA                        GRÁFICO 45- ESTADO CIVIL




Fonte: questionário realizado com a turma   Fonte: questionário realizado com a turma




    GRÁFICO 5 – TÊM FILHOS GRÁFICO              GRÁFICO 7 – OPÇÃO RELIGIOSA




Fonte: questionário realizado com a turma   Fonte: questionário realizado com a turma
13

                                      ASPECTOS CULTURAIS

                               GRÁFICO 8 – QUANTO TEMPO SEM ESTUDAR?




                               Fonte: questionário realizado com a turma


GRÁFICO 9 – PROGRAMAÇÃO TELEVISIVA                            GRÁFICO 10 – GÊNERO MUSÍCAL
       QUE MAIS VER. GRÁFICO




 Fonte: questionário realizado com a turma                Fonte: questionário realizado com a turma
14

                       GRÁFICO 11 – PATRIMÔNIO PÚBLICO




                   Fonte: questionário realizado com a turma



II.   Cronograma das atividades desenvolvidas em sala de aula


                  PLANO DE AULA DE MARÇO/2012

SEMANAS                  CONTEÚDO                        ATIVIDADES
 Primeira    1. História:                         1. História:      identificar
 semana         1. O que é história?;                algumas            fontes
  (12-16)       2. Qual a importância da             históricas: fotografias,
                   História?                         jornal que retrate o
            2. Português:                            patrimônio Público e
                1. A história do alfabeto –          patrimônio Cultural;
                   conhecendo um pouco da 2. Português: foi feita a
                   trajetória da escrita até os      leitura da literatura de
                   dias atuais;                      cordel     „Sonho       de
                2. A escola é nosso patrimônio       menina‟      (ver      em
                   Público e tudo que a constitui    anexo), da autora
                   – cadeira, mesa, quadro,          lurdinete. Em grupo os
                   cantina, banheiro, biblioteca     fizeram atividade com
                   etc. Portanto precisamos          as       fichas         de
                   cuidar e conservar nosso          alfabetização,
                   patrimônio.                       considerando            as
            3. Matemática: A história dos            palavras     estudadas.
                números. Como a ideia de             Retirando as palavras
                quantidade era trabalhada até a      as     vogais     e     as
                elaboração da numeração que          consoantes;
15

              temos atualmente – conhecendo 3. Matemática: atividade
              os números naturais.             no livro didático. Foi
                                               solicitado aos alunos
                                               que      na    próxima
                                               semana       levassem
                                               encartes            de
                                               supermercados para
                                               realizarmos algumas
                                               somas.

Segunda    1. Português: Família silábica P – 1. Português: Uso das
Semana        palavra geradora PATRIMÔNIO           fichas da SEDUP de
 (19-23)      PÚBLICO        e      substantivo     alfabetização            –
              (conceito).                           trabalhando a família
           2. Matemática: unidade e dezena          silábica P. Uso do
              e adição – atividade feita no         Poema „Fazer o que?‟
              caderno e no livro.                   (ver em anexo)
                                                2. Matemática: Uso dos
                                                    encartes               de
                                                    supermercados            –
                                                    foram feitas duas lista
                                                    de feira, contendo os
                                                    mesmos          produtos.
                                                    Posteriormente         os
                                                    alunos iriam somar em
                                                    dupla       e      depois
                                                    responderíamos
                                                    coletivamente, visando
                                                    verificar a diferença de
                                                    preço        de       dois
                                                    supermercados
                                                    diferentes.
Terceira   1. Ciências: Sistema Respiratório 1. Ciências:           Atividade
semana     2. Português:       revisando     os     no livro de ciências;
 (26-30)      encontros vocálicos (AI, EI, OI, 2. Português: uso das
              UI, ÃO) e consonantais (TR, FR,       fichas de alfabetização
              GR, CR, e PR);                        da SEDUP e atividade
           3. História: Ida ao Teatro Santa         feita na lousa. uso do
              Rosa no dia 28/03 para ver a          cordel Ser Nordestino
              peça nacional: Outro I Coletivo       (autora:           Salete
              improviso;                            França) para que os
                                                    alunos grifassem as
                                                    palavras que com
                                                    encontros vocálicos e
                                                    consonantais.
                                                 3. Antes de peça iniciar,
                                                    foi apresentada          a
                                                    arquitetura do teatro
                                                    Santa      Rosa       aos
                                                    alunos, tendo em vista
                                                    que eles pudessem
16

                                              perceber as mudanças
                                              ocorridas         na
                                              arquitetura ao longo
                                              da história;




             PLANO DE AULA DE ABRIL/2012


SEMANAS            CONTEÚDOS                      ATIVIDADES
 Primeira    1. História: historia da 1. História:        Responder
 semana         colonização       e     os    questões referente ao
 (02 – 04)      modelos de famílias em        conteúdo
                diversos períodos da          apresentado,     tendo
                história; Família silábica    em vista revisar o
                P, tendo como palavra         conteúdo;
                geradora                   2. Português: Uso de
                PORTUGUESES                   ficha da SEDUP que
             2. Português: Revisão da         traz palavras para
                aula anterior, tendo em       serem     completadas
                vista     formar    outras    com a família silábica
                palavras com a família        P;    Leitura   textual
                silábica P. A partir das      (texto que contem
                palavras os alunos foram      várias palavras que
                identificando            a    iniciam com P).
                quantidade de letras, de 3. Páscoa: Foi feito um
                vogais e consoantes;          painel em grupo – Ver
                Substantivo:     grau    e    tópico 2, dos dias 09 a
                número do substantivo.        13/04.
             3. Filme sobre a vida de
                Jesus – Páscoa. Esta
                aula       foi   realizada
                coletivamente com todas
                as turma no auditório da
                escola. Aula organizada
                pelos educadores.

Segunda      1. Matemática – Unidade, 1. Matemática:       Aula
semana          dezena      e     centena expositiva.        A
(09 - 13)       (revisão). Subtração;     atividade de unidade,
             2. Português – produção      dezena e centena foi
                textual e uso da imagem   realizada   com     o
                para      reproduzir    a Ábaco, onde cada
                páscoa;                   aluno representava o
             3. Matemática              – número apresentado
                Subtração;                pela professora. Com
             4. Português - Família       relação a subtração,
                silábica T (frase: O      encaminhado      uma
17

                 PATRIMÔNIO PÚBLICO             atividade no livro
                 É DE TODOS); TODOS             didático.
                 (Palavra        geradora); 2. Português:
                 separação silábica das         Considerando a aula
                 palavras       construídas     do dia 4, foi efetivada
                 pela turma, as quais,          uma atividade com o
                 contém a letra T;              uso de recortes de
              5. Tempos      simples     do     imagens e um texto
                 verbo – estrutura verbal       produzido em grupo,
                 (presente,        pretérito    tendo        em       vista
                 perfeito e pretérito mais      expressarem               a
                 que perfeito).                 compreensão            dos
                                                alunos em torno dos
                                                vídeos        sobre       a
                                                páscoa apresentados
                                                no dia 04/04. Foi
                                                produzido um grande
                                                painel coletivamente
                                             3. Matemática: Aula de
                                                Revisão – subtração.
                                                Foi       utilizado       o
                                                material dourado para
                                                que       os        alunos
                                                visualizassem             a
                                                subtração de            um
                                                determinado valor de
                                                outro;
                                             4. Português:              Foi
                                                usadas       fichas      de
                                                alfabetização          com
                                                palavras que contém
                                                a letra T. a partir das
                                                fichas      os      alunos
                                                completariam             as
                                                silabas                 que
                                                estivessem faltando
                                                nas palavras. Com
                                                relação ao verbo, foi
                                                apresentada            uma
                                                mensagem (produzida
                                                por uma aluna) para
                                                que identificassem os
                                                verbos                    e
                                                descrevessem              o
                                                tempo do verbo.
Terceira    1. Revisão de todos os            1. As            atividades,
Semana         conteúdos referentes ao            denominadas            de
(16 – 20)      mês de Março e Abril,              reforço, foi mediante
               tendo     em      vista     o      a     realização       de
               aprofundamento            do       atividades no livro
               conteúdo e esclarecimento          didático.      Os/     as
18

                   das dúvidas. Este momento           alunos/as, devido ao
                   foi necessário, pelo fato de        trabalho,           não
                   alguns alunos faltarem              conseguem efetivar
                   algumas     aulas,    sendo         as          atividades
                   estas importantes para o            solicitadas        para
                   desempenho da turma na              serem feitas nos
                   semana de avaliação.                livros    em      casa.
                2. Considerando o fato de a            Portanto,        diante
                   turma                      ser      desta realidade, as
                   predominantemente                   atividades        estão
                   composta por empregadas             sendo feitas na sala
                   domésticas, no dia 18 foi           de                  aula
                   transmitido      o      filme       individualmente com
                   „Histórias Cruzadas‟. Este          o acompanhamento
                   filme retrata uma série de          da     professora      e
                   preconceitos                 e      coletivamente,       na
                   discriminação       sofridas        tentativa            de
                   pelas           empregadas          aprofundar e tirar
                   domestica na Cidade do              dúvidas. Na medida
                   Mississipi nos Estados              em        que         as
                   Unidos nos anos 70.                 atividades          são
                                                       feitas, as questões
                                                       são problematizadas
                                                       mediante o diálogo e
                                                       escrita na lousa.
Quarta semana   1. Semana    de avaliação           3. Avaliação            de
   (23 -27)        Fechamento   do     1º              português – 23/04;
                   bimestre;                        4. Avaliação            de
                2. Conclusão do relatório              matemática – 24/04;
                   final.                           5. Avaliação d Estudos
                                                       da Sociedade e da
                                                       Natureza - História,
                                                       Ciências E Geografia
                                                       –      25/04.      Esta
                                                       avaliação            foi
                                                       predominantemente
                                                       de              caráter
                                                       qualitativa.       Cada
                                                       aluno produziu um
                                                       pequeno        folheto,
                                                       objetivando         sua
                                                       compreensão         dos
                                                       conteúdos sobre o
                                                       patrimônio Público,
                                                       a importância da
                                                       escola           limpa,
                                                       considerando           o
                                                       espaço geográfico,
                                                       as          mudanças
                                                       ocorridas ao longo
                                                       da história com os
19

                                                         patrimônios, e a
                                                         importância de sua
                                                         conservação para a
                                                         história do povo e
                                                         para nosso bem
                                                         estar.




    ALGUMAS CONSIDERAÇÕES


       O presente relatório expressa resultados da identificação da turma,
visando conhecer detalhadamente um pouco das vivências dos alunos/as, seu
universo vocabular e a cosmovisão de individualmente e coletivamente. Este
levantamento do perfil da turma possibilita direcionar o planejamento da
educadora, possibilitando ressignificar à prática pedagógica, tendo em vista
promover uma aprendizagem significativa. Neste momento do relatório foram
considerados os aspectos sociais e culturais.
       Vale destacar, que minha atuação frente ao planejamento das aulas
considerou os projetos da escola, mas especificamente o do primeiro bimestre,
sendo o Tema Central ‟Patrimônio Público‟ e o Subtema “Escola Limpa”.
Todavia, não foi descartada a contextualização dos conteúdos da turma, ou seja,
foi levado em conta o nível que a turma inicialmente se encontrava, o gênero, a
etnia, o trabalho, os saberes prévios, etc...
       Para finalizar, a turma demonstra ter determinação, força de vontade em
dar continuidade aos estudos. A Relação professor/a e aluno/a tem sido regada
pelo diálogo, pelo sentimento de solidariedade, pelo altruísmo e reflexão crítica
frente a problematização dos conteúdos frente a realidade concreta dos sujeitos.
20




ANEXOS
21

ANEXO 1 – SLIDES: APRESENTAÇÃO DO CONCEITO DE PATRIMÔNIO
                   PÚBLICO E IMAGENS.
22
23

ANEXO 2 – SLIDES: PRODUÇÃO DE CARTÕES – ESCOLA LIMPA
24
25

ANEXO 3 – SLIDES: PRODUÇÃO DO PAINEL SOBRE A PÁSCOA
26

           ANEXO 4 - ALGUMAS FICHAS4 (SEDUP) DE ALFABETIZAÇÃO
                               ULTILIZADAS




4
    Fichas da associação SEDUP – Serviço de Educação Popular.
27

    ANEXO 5 - LITERATURAS ULTILIZADAS - LITERATURA DE CORDEL5




5
 Os cordéis são produções de duas alunas regular do PROEJA do IFPB. O primeiro cordel é de
autoria da Josefa Lurdinete Pessoa Moreira e o segundo da aluna Salete França.
28




                              ANEXO 5 - O POEMA ULTILIZADO6




6
    Poema do livro de GUESESA, Ricardo. Eu mesmo. CBjE: Rio de Janeiro, 2008. P. 12-13

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
Edilania Batalha Batalha
 
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Professora Cida
 
Modelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEAModelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEA
Lisraelle Silva
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
simonclark
 
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Angela Maria
 
Relatório
RelatórioRelatório
Relatório
Assis Queiroz
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
Fabiana Lopes
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
Victor Said
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
straraposa
 
Plano de aee
Plano de aeePlano de aee
Plano de aee
ceciliaconserva
 
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de AlfabetizaçãoApostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Iolanda Sá
 
Apostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdf
Apostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdfApostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdf
Apostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdf
Andrea Rodrigues
 
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Erkv
 
Plano aula matematica
Plano aula matematicaPlano aula matematica
Plano aula matematica
ivanetesantos
 
5° ano relatorios
5° ano relatorios5° ano relatorios
5° ano relatorios
Lucas Kaaio
 
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetizaçãoAvaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Isa ...
 
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularRelatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Nethy Marques
 
Avaliação bimestral de historia
Avaliação bimestral de historiaAvaliação bimestral de historia
Avaliação bimestral de historia
Maria Aparecida Mendes
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
SimoneHelenDrumond
 
Pareceres do 1º ano 2º semestre
Pareceres do 1º ano    2º semestrePareceres do 1º ano    2º semestre
Pareceres do 1º ano 2º semestre
Araceli Kleemann
 

Mais procurados (20)

Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012
 
Modelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEAModelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEA
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
 
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
 
Relatório
RelatórioRelatório
Relatório
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
 
Plano de aee
Plano de aeePlano de aee
Plano de aee
 
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de AlfabetizaçãoApostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
Apostila da Educação Infantil Nível I e II e Ciclo de Alfabetização
 
Apostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdf
Apostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdfApostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdf
Apostila de ensino religioso 3º ao 5ºano pdf
 
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
 
Plano aula matematica
Plano aula matematicaPlano aula matematica
Plano aula matematica
 
5° ano relatorios
5° ano relatorios5° ano relatorios
5° ano relatorios
 
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetizaçãoAvaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
 
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularRelatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
 
Avaliação bimestral de historia
Avaliação bimestral de historiaAvaliação bimestral de historia
Avaliação bimestral de historia
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
 
Pareceres do 1º ano 2º semestre
Pareceres do 1º ano    2º semestrePareceres do 1º ano    2º semestre
Pareceres do 1º ano 2º semestre
 

Destaque

Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
SimoneHelenDrumond
 
Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4
Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4
Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4
Marcelo Auler
 
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
pascoalnaib
 
Projeto EJA_ 2º bimestre - Profa. Dafiana Carlos
Projeto  EJA_ 2º bimestre - Profa.  Dafiana CarlosProjeto  EJA_ 2º bimestre - Profa.  Dafiana Carlos
Projeto EJA_ 2º bimestre - Profa. Dafiana Carlos
DafianaCarlos
 
Relatório ensino fundamental 6ºano lingua portuguesa
Relatório ensino fundamental 6ºano   lingua portuguesaRelatório ensino fundamental 6ºano   lingua portuguesa
Relatório ensino fundamental 6ºano lingua portuguesa
Wilson Barbieri
 
Programa Mais Educação - Relatório das Atividades _ 1º bimestre
Programa Mais Educação  - Relatório das Atividades _ 1º bimestrePrograma Mais Educação  - Relatório das Atividades _ 1º bimestre
Programa Mais Educação - Relatório das Atividades _ 1º bimestre
Patrícia Fernanda da Costa Santos
 
1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas
josivaldopassos
 
Como atuar com o AEE
Como atuar com o AEEComo atuar com o AEE
Como atuar com o AEE
Natália Rodrigues
 
PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8
ElieneDias
 
Wallon - aula de psicologia
Wallon  -  aula de  psicologiaWallon  -  aula de  psicologia
Wallon - aula de psicologia
Fatinha Bretas
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
Giselle Coutinho
 
Inserçao da criança na creche
Inserçao da criança na crecheInserçao da criança na creche
Inserçao da criança na creche
Fatinha Bretas
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
Arte Tecnologia
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental
URCA - Universidade Regional do Cariri
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
Silvio Medeiros
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
Melissa Oliveira
 

Destaque (18)

Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
 
Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4
Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4
Relatório e voto do juiz Adel Americo Dias de Oliveira no TRF4
 
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
 
Projeto EJA_ 2º bimestre - Profa. Dafiana Carlos
Projeto  EJA_ 2º bimestre - Profa.  Dafiana CarlosProjeto  EJA_ 2º bimestre - Profa.  Dafiana Carlos
Projeto EJA_ 2º bimestre - Profa. Dafiana Carlos
 
Relatório ensino fundamental 6ºano lingua portuguesa
Relatório ensino fundamental 6ºano   lingua portuguesaRelatório ensino fundamental 6ºano   lingua portuguesa
Relatório ensino fundamental 6ºano lingua portuguesa
 
Programa Mais Educação - Relatório das Atividades _ 1º bimestre
Programa Mais Educação  - Relatório das Atividades _ 1º bimestrePrograma Mais Educação  - Relatório das Atividades _ 1º bimestre
Programa Mais Educação - Relatório das Atividades _ 1º bimestre
 
1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas
 
Como atuar com o AEE
Como atuar com o AEEComo atuar com o AEE
Como atuar com o AEE
 
PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8
 
Wallon - aula de psicologia
Wallon  -  aula de  psicologiaWallon  -  aula de  psicologia
Wallon - aula de psicologia
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
 
Inserçao da criança na creche
Inserçao da criança na crecheInserçao da criança na creche
Inserçao da criança na creche
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
 
Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
 
Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
 

Semelhante a Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.

Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
DafianaCarlos
 
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Projeto estágio séries iniciais  set-2014Projeto estágio séries iniciais  set-2014
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Solange Coutinho
 
Planejamento com sugestões de atividades e avaliação ciências ef
Planejamento com sugestões de atividades e avaliação   ciências efPlanejamento com sugestões de atividades e avaliação   ciências ef
Planejamento com sugestões de atividades e avaliação ciências ef
Cristino Renato da Silva
 
Pppfinal18 3-14
Pppfinal18 3-14Pppfinal18 3-14
Limgua inglesa
Limgua inglesaLimgua inglesa
Limgua inglesa
Tatiane Bortolli
 
ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas
ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas
ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas
josinalda
 
Caderno 2 2ª etapa pacto
Caderno 2   2ª etapa pactoCaderno 2   2ª etapa pacto
Caderno 2 2ª etapa pacto
Adri Ruas
 
Pratica de ensino
Pratica de ensinoPratica de ensino
Pratica de ensino
FABIANA CRISTINA MIRANDA
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
Leilany Campos
 
Estudo sobre as aecs
Estudo sobre as aecsEstudo sobre as aecs
Estudo sobre as aecs
Elviravilas3
 
Ocepe abril2016
Ocepe abril2016Ocepe abril2016
Ocepe abril2016
Susana Pereira
 
INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAISINCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
GlauciaAS
 
Formação de docentes
Formação de docentesFormação de docentes
Formação de docentes
rosangelamenta
 
Vivenciando novas experiências na educação de jovens e adultos
Vivenciando novas experiências na educação de jovens e adultosVivenciando novas experiências na educação de jovens e adultos
Vivenciando novas experiências na educação de jovens e adultos
pedagogianh
 
Projeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUA
Projeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUAProjeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUA
Projeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUA
DMEDPraia
 
Jornal blog
Jornal blogJornal blog
Jornal blog
etianalucia
 
Orientações curriculares do estado do acre ensino fundamental.
Orientações curriculares do estado do acre   ensino fundamental.Orientações curriculares do estado do acre   ensino fundamental.
Orientações curriculares do estado do acre ensino fundamental.
Mauro Uchoa
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Patricia Fcm
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Patricia Fcm
 
Eja slides
Eja  slidesEja  slides
Eja slides
lks5
 

Semelhante a Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012. (20)

Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
 
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Projeto estágio séries iniciais  set-2014Projeto estágio séries iniciais  set-2014
Projeto estágio séries iniciais set-2014
 
Planejamento com sugestões de atividades e avaliação ciências ef
Planejamento com sugestões de atividades e avaliação   ciências efPlanejamento com sugestões de atividades e avaliação   ciências ef
Planejamento com sugestões de atividades e avaliação ciências ef
 
Pppfinal18 3-14
Pppfinal18 3-14Pppfinal18 3-14
Pppfinal18 3-14
 
Limgua inglesa
Limgua inglesaLimgua inglesa
Limgua inglesa
 
ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas
ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas
ETAPA II- Caderno 2 Ciências Humanas
 
Caderno 2 2ª etapa pacto
Caderno 2   2ª etapa pactoCaderno 2   2ª etapa pacto
Caderno 2 2ª etapa pacto
 
Pratica de ensino
Pratica de ensinoPratica de ensino
Pratica de ensino
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
Estudo sobre as aecs
Estudo sobre as aecsEstudo sobre as aecs
Estudo sobre as aecs
 
Ocepe abril2016
Ocepe abril2016Ocepe abril2016
Ocepe abril2016
 
INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAISINCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
 
Formação de docentes
Formação de docentesFormação de docentes
Formação de docentes
 
Vivenciando novas experiências na educação de jovens e adultos
Vivenciando novas experiências na educação de jovens e adultosVivenciando novas experiências na educação de jovens e adultos
Vivenciando novas experiências na educação de jovens e adultos
 
Projeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUA
Projeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUAProjeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUA
Projeto Educativo - PÓLO EDUCATIVO III – B DE PONTA D´ÁGUA
 
Jornal blog
Jornal blogJornal blog
Jornal blog
 
Orientações curriculares do estado do acre ensino fundamental.
Orientações curriculares do estado do acre   ensino fundamental.Orientações curriculares do estado do acre   ensino fundamental.
Orientações curriculares do estado do acre ensino fundamental.
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
 
Eja slides
Eja  slidesEja  slides
Eja slides
 

Mais de DafianaCarlos

Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
DafianaCarlos
 
CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...
CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...
CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...
DafianaCarlos
 
PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015
PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015
PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015
DafianaCarlos
 
ANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADE
ANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADEANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADE
ANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADE
DafianaCarlos
 
TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015
TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015
TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015
DafianaCarlos
 
ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...
ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...
ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...
DafianaCarlos
 
PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIO
PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIOPROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIO
PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIO
DafianaCarlos
 
Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...
Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...
Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...
DafianaCarlos
 
Hachetetepe n5
Hachetetepe n5Hachetetepe n5
Hachetetepe n5
DafianaCarlos
 
Dois manuais de história para professores histórias de sua produção
Dois manuais de história para professores  histórias de sua produçãoDois manuais de história para professores  histórias de sua produção
Dois manuais de história para professores histórias de sua produção
DafianaCarlos
 
O interlocutor nas propostas de produção textual no livro didático
O interlocutor nas propostas de produção textual no livro didáticoO interlocutor nas propostas de produção textual no livro didático
O interlocutor nas propostas de produção textual no livro didático
DafianaCarlos
 
Livros didáticos em dimensões materiais e simbólicas
Livros didáticos em dimensões materiais e simbólicasLivros didáticos em dimensões materiais e simbólicas
Livros didáticos em dimensões materiais e simbólicas
DafianaCarlos
 
Autores e editores de compêndios e livros de leitura
Autores e editores de compêndios e livros de leituraAutores e editores de compêndios e livros de leitura
Autores e editores de compêndios e livros de leitura
DafianaCarlos
 
Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...
Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...
Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...
DafianaCarlos
 
Migração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasil
Migração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasilMigração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasil
Migração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasil
DafianaCarlos
 
Letramento leitura da palavra e leitura do mundo
Letramento leitura da palavra e leitura do mundoLetramento leitura da palavra e leitura do mundo
Letramento leitura da palavra e leitura do mundo
DafianaCarlos
 
A formação inicial do educador de jovens e adultos
A formação inicial do educador de jovens e adultosA formação inicial do educador de jovens e adultos
A formação inicial do educador de jovens e adultos
DafianaCarlos
 
Leitura da imagem
Leitura da imagemLeitura da imagem
Leitura da imagem
DafianaCarlos
 
Imagem e ceticismo
Imagem e ceticismoImagem e ceticismo
Imagem e ceticismo
DafianaCarlos
 
EDUCANDO O OLHAR
EDUCANDO O OLHAREDUCANDO O OLHAR
EDUCANDO O OLHAR
DafianaCarlos
 

Mais de DafianaCarlos (20)

Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
 
CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...
CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...
CARLOS,Erenildo João. A formação do discurso sobre a educação de adultos no B...
 
PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015
PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015
PROGRAMAÇÃO DAS RODAS DE DIÁLOGO V EEV 2015
 
ANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADE
ANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADEANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADE
ANAIS DO V ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E VISUALIDADE
 
TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015
TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015
TRABALHOS APROVADOS PARA O VEEV 2015
 
ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...
ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...
ANAIS: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFACES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇÃO, CINEMA E RE...
 
PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIO
PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIOPROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIO
PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO_COLÓQUIO INTERFACES DO IMAGINÁRIO
 
Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...
Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...
Trabalhos aprovados_I COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERFASES DO IMAGINÁRIO: EDUCAÇ...
 
Hachetetepe n5
Hachetetepe n5Hachetetepe n5
Hachetetepe n5
 
Dois manuais de história para professores histórias de sua produção
Dois manuais de história para professores  histórias de sua produçãoDois manuais de história para professores  histórias de sua produção
Dois manuais de história para professores histórias de sua produção
 
O interlocutor nas propostas de produção textual no livro didático
O interlocutor nas propostas de produção textual no livro didáticoO interlocutor nas propostas de produção textual no livro didático
O interlocutor nas propostas de produção textual no livro didático
 
Livros didáticos em dimensões materiais e simbólicas
Livros didáticos em dimensões materiais e simbólicasLivros didáticos em dimensões materiais e simbólicas
Livros didáticos em dimensões materiais e simbólicas
 
Autores e editores de compêndios e livros de leitura
Autores e editores de compêndios e livros de leituraAutores e editores de compêndios e livros de leitura
Autores e editores de compêndios e livros de leitura
 
Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...
Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...
Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo em foco o...
 
Migração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasil
Migração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasilMigração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasil
Migração, diversidade cultural e educação de jovens e adultos no brasil
 
Letramento leitura da palavra e leitura do mundo
Letramento leitura da palavra e leitura do mundoLetramento leitura da palavra e leitura do mundo
Letramento leitura da palavra e leitura do mundo
 
A formação inicial do educador de jovens e adultos
A formação inicial do educador de jovens e adultosA formação inicial do educador de jovens e adultos
A formação inicial do educador de jovens e adultos
 
Leitura da imagem
Leitura da imagemLeitura da imagem
Leitura da imagem
 
Imagem e ceticismo
Imagem e ceticismoImagem e ceticismo
Imagem e ceticismo
 
EDUCANDO O OLHAR
EDUCANDO O OLHAREDUCANDO O OLHAR
EDUCANDO O OLHAR
 

Último

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 

Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.

  • 1. 1 ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCRITOR LUÍZ AUGUSTO CRISPIM TURMA – EJA ALFABETIZAÇÃO (CICLO I) EMPREGADAS DOMÉSTICAS Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente Carlos1 PROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ SUB – TEMA: Escola Limpa. JOÃO PESSOA – PB - Março/Abril de 2012- 1 Pedagoga com área de aprofundamento em Educação de Jovens e Adultos. No momento está fazendo especialização em Educação de Jovens e adultos pela UFPB e Pesquisadora bolsista do Projeto NUEJA – Núcleo de Referência em Educação de Jovens e Adultos da Paraíba (História e Memória), coordenado pela Profa. Dra. Emília Prestes. É colaboradora do Grupo Articulador do Fórum de EJA da Paraíba e da Cátedra Unesco Paulo Freire, coordenado pelo Prof.Dr. Timothy Ireland.
  • 2. 2 Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente Carlos PROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ SUBTEMA: Escola Limpa. Relatório final das ações realizadas no primeiro bimestre (Março/Abril - 2012) na turma de EJA Ciclo I, da Escola Municipal Luís Augusto Crispim , entregue no dia 26 de Abril de 2012 a direção e supervisão da Escola. JOÃO PESSOA – PB - Março/Abril de 2012-
  • 3. 3 SUMÁRIO 1. Apresentação................................................................................. 04 2. Justificativa..................................................................................... 05 3. Objetivo Geral................................................................................ 06 4. Objetivos específicos..................................................................... 07 5. Conteúdos...................................................................................... 08 5.1. Língua Portuguesa.............................................................. 08 5.2. Matemática.......................................................................... 08 5.3. Estudo da Sociedade e da Natureza................................... 09 6. Metodologia.................................................................................... 09 7. Recursos......................................................................................... 10 8. Avaliação........................................................................................ 10 9. Referências..................................................................................... 10 10. Relatório Final................................................................................. 11 10.1. Identificação da turma.......................................................... 11 10.2. Atividades de desenvolvidas................................................ 13 10.3. Algumas considerações....................................................... 19 11. Anexos.......................................................................................... 20
  • 4. 4  APRESENTAÇÃO O presente relatório é resultado das ações pedagógicas realizadas no primeiro bimestre na turma de EJA, Ciclo I, tendo em vista o Tema Gerador „Cultura de Paz‟ e o Subtema „Escola Limpa‟. A turma é composta por vinte um (23) alunos/as, distribuídos entre vinte (20) mulheres e três (03) homens2, os quais, dez (10) são alfabetizados e onze 11) ainda estão em processo de alfabetização. Todas as mulheres são empregadas domésticas e vinculadas ao Sindicato das Trabalhadoras Domésticas de João Pessoa e Região. A implantação desta turma é resultado de inúmeras reivindicações do sindicato juntamente a Secretaria de Educação do Município de João Pessoa, objetivando obter aulas de alfabetização e futuramente ter acesso a cursos profissionalizantes, tendo em vista a capacitação e profissionalização dos/das alunos/as, proporcionando, deste modo, melhor qualidade de vida a todos da turma. Vale destacar, que a turma de EJA iniciou no dia 12 de Março de 2012, na Escola Municipal Luís Augusto Crispim, no bairro dos Ipês. Porém, o presente relatório descreve as ações e resultados ocorridos neste período. Considerando as orientações das supervisoras da escola, o presente relatório inicialmente apresenta uma justificativa em torno do Tema Geral e Subtema, fundamentando as ações pedagógicas em torno do temas „patrimônio Publico‟ e „Escola Limpa‟. Posteriormente é apresentado o Objetivo Geral e os Específicos, visando explicitar com clareza o direcionamento da educadora da turma. Após este momento, são apresentados os conteúdos ensinados, os quais foram divididos em: conteúdos da Língua Portuguesa, conteúdos de Matemática e conteúdos da área de Estudos da Sociedade e da Natureza (História, Geografia e Ciências). Após a definição dos objetivos e dos conteúdos, foi definida a metodologia adotada. A metodologia adotada considerou as especificidades3 da turma de EJA. Deste modo, a perspectiva freireana foi incorporada não apenas no 2 Os homens matriculados são casados e estudam na turma juntamente com suas esposas. Eles se matricularam na turma para estudar e também motivar as esposas a permanecer na escola – Relato dos alunos 3 A turma é composta de alunos/as vinculados ao sindicato das empregadas domésticas. Todos/as tem consciência politica e lutam pelos seus direitos. São trabalhadores e trabalhadoras, homens e mulheres, pais e mães de família, oriundos das classes populares, mas portadores de saberes adquiridos ao longo de suas vivências.
  • 5. 5 planejamento das aulas, mas também na sua prática. O diálogo ocupou um lugar central na explicação, exposição e problematização dos conteúdos. Para finalizar, explicitamos os recursos utilizados, as estratégias de avaliação e o relatório final das ações, incluindo uma breve identificação da turma em formato de gráficos e a descrição detalhadamente das aulas.  JUSTIFICATIVA Apesar dos avanços culturais e tecnológicos, muitas escolas públicas convivem cotidianamente com o problema da depredação do seu Patrimônio, sendo os próprios alunos um dos principais responsáveis por tais ações. Eles não estabelecem relação entre a escola e sua história pessoal siginificativamente, com isso os alunos não desenvolvem laços afetivos com o ambiente escolar. Tendo em vista esta problemática, nós pedagogos e pedagogas da Escola Municipal Luiz Augusto Crispim, defendemos que a Educação possibilita o despertar da consciência de que é fundamental a prática da conservação e preservação do patrimônio público, principalmente das escolas, alvos constantes dos atos de vandalismo e violência que provocam por vezes a destruição total de bens públicos. Em consequência deste fato concreto, objetivamos conscientizar os alunos de que anualmente milhões de reais oriundos da receita de tributos arrecadados, pagos pela população são investidos em patrimônios públicos para o usufruto de todos. Para tanto, consideramos pertinente a compreensão por parte dos alunos do conceito de Patrimônio Público, tendo em vista promover o comprometimento com um Bem coletivo, ou seja, de direito de todos. Assim Holanda (1988) define patrimônio como: Bem, ou conjunto de bens culturais ou naturais, de valor reconhecido para determinada localidade, região, pais, ou para a humanidade, e que, ao se tornar (em) protegido(s), como, por exemplo, pelo tombamento, deve(m) ser preservado(s) para o usufruto de todos os cidadãos. Já a palavra patrimônio, segundo Chauí (1992) é originaria do Latim, derivada da palavra “pater”, ou seja, um legado deixado de pai para filho. Entende-se também como um conjunto de bens produzidos por uma geração, que são deixados as gerações futuras, para que, desta forma, haja a valorização
  • 6. 6 desses, contribuindo com o despertar do sentimento de cidadania, de “pertencimento” a algum lugar. Deste modo, a preservação do patrimônio traz a preservação viva da historia, onde esta deixa de ser “puramente imaginaria” passando a ser “realidade histórica”. No conjunto dos patrimônios públicos, históricos e cultural presente em todas as sociedades, a escola é o lugar onde todos tem acesso por direito e precisa ser conservada e valorizada. Todavia, infelizmente a destruição do patrimônio público é uma realidade no contexto das escolas. Partindo desta realidade concreta, o presente projeto tem a intencionalidade de constituir sujeitos ativos, críticos e éticos no que tange ao comprometimento com a preservação e conservação do patrimônio público, sendo a escola o início do exercício da cidadania. A preservação do Patrimônio Público engloba todas as ações que beneficiam a manutenção de um bem cultural ou um bem comum, o que inclui a criação de leis, realização de projetos de conservação, restauração, intervenções no entorno do bem público. Tais ações têm como objetivo principal manter a autenticidade históricas e integridade do patrimônio público para que as novas gerações possa desfrutar desse bem. Esta incumbência inicia-se com ações de todo o Estado (Estado Democrático de Direito). Esta incumbência é legalizada na Constituição Federal de 1988, em seu Art. 23 assegurando que é de competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: I – “zelar pela guarda da Constituição, das leis e das instituições democráticas e conservar o patrimônio público; IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracterização de obras de arte e de outros bens de valor histórico, artístico ou cultural”. Apesar da legalidade em torno da responsabilidade da União, dos Estados e Municípios quanto a preservação, manutenção do patrimônio público, não estamos isentos, enquanto sujeitos de direitos e deveres, de contribuir com a preservação do bem público. Assim postula o Art. 216: Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem: I - as formas de expressão; II - os modos de criar, fazer e viver; III - as criações científicas, artísticas e tecnológicas; IV - as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
  • 7. 7 V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico. § 1.º O poder público, com a colaboração da comunidade, promoverá e protegerá o patrimônio cultural brasileiro, por meio de inventários, registros, vigilância, tombamento e desapropriação, e de outras formas de acautelamento e preservação... § 4.º Os danos e ameaças ao patrimônio cultural serão punidos, na forma da lei.(Constituição Federal, 1988). Tendo em vista a especificidade da temática “preservação do patrimônio público – Escola Limpa”, a ações pedagógicas do projeto em tela consiste na melhoria do ambiente físico da Escola. Para tanto, primamos pela formação ética de todos para o exercício pleno da cidadania; pela construção da autonomia do aluno na interação com seu ambiente; pelo desenvolvimento de uma pedagogia democrática e dialógica; pela transformação de atitudes e comportamentos, favorecendo a preservação do patrimônio público escolar; pela construção coletiva de posturas e ações para a conservação dos bens patrimoniais móveis e imóveis das escolas. Visando dar efetividade ao que foi mencionado anteriormente, propomos a seguir algumas ações pedagógicas a serem realizadas na turma de EJA - Ciclo I no bimestre Março e Abril/2012. Portanto, o planejamento e a execução das ações pedagógicas se desenvolvam em um ambiente que intencionalmente favoreça o alargamento das possibilidades do aluno de vivenciar práticas solidárias, situações argumentativas e de reflexão crítica sobre a própria aprendizagem.  OBJETIVO GERAL: 1. Desempenhar de modo consciente e responsável nos alunos da EJA a consciência da importância de seu papel na valorização do Patrimônio Público, sendo a Escola Municipal Luiz Augusto Crispim, como lócus para o exercício de sua conservação e preservação. Valorizando a democracia, desenvolvendo atitudes participativas, possibilitando aos alunos o conhecimento dos seus direitos e deveres para o exercício pleno da cidadania.
  • 8. 8  OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Conscientizar os alunos de que a Escola é um espaço público, a qual pertence a todos; 2. Problematizar o conceito de PATRIMÔNIO e PÚBLICO, tendo em vista conscientizar os alunos dos seus direitos e deveres enquanto cidadãos; 3. Apresentar mediante o uso de imagens (fotografia) os diversos patrimônios Públicos na cidade de João Pessoa, objetivando promover o sentimento de responsabilidade nos alunos, inclusive com a Escola, tendo em vista a sua conservação; 4. Promover constantes diálogos sobre a importância do Patrimônio Público enquanto um espaço coletivo e não privado; 5. Utilizar as palavras geradoras PATRIMÔNIO e PÚBLICO para alfabetizar os alunos, os quais possam dominar o mecanismo e os recursos do sistema de representação escrita, compreendendo suas funções. 6. Valorizar a vida e sua qualidade como bens pessoais e coletivos, desenvolver atitudes responsáveis com relação à saúde e à educação das futuras gerações. 7. Compreender as relações que os homens estabelecem com os demais elementos da natureza e desenvolver atitudes positivas com relação à preservação do Patrimônio Público e do meio ambiente.  CONTEÚDOS  PORTUGUÊS PARA O BIMESTRE MARÇO/ABRIL 1. História do alfabeto; 2. Letras, sílabas e palavras; 3. Encontros vocálicos e consonantal; 4. Segmentação das palavras, 5. Sentido e posicionamento da escrita 6. Substantivos – Próprio e Comum (número e grau) 7. Verbo (o que é um verbo?)  MATEMÁTICA PARA O BIMESTRE MARÇO/ABRIL 1. O surgimento dos números; 2. Números naturais;
  • 9. 9 3. Unidade e Dezena 4. Adição e subtração com números naturais  ÁREA DE ESTUDOS DA SOCIEDADE E DA NATUREZA - HISTÓRIA, CIÊNCIAS E GEOGRAFIA 1. Reconhecer o valor do patrimônio público e respeitando-o tendo em vista sua conservação e preservação – apresentação de fotos de vários patrimônios na cidade de João Pessoa. 2. Espaços rurais e urbanos; 3. Sistema respiratório – cuidando da saúde (a importância da preservação da natureza) – Cuidando da escola e demais patrimônios públicos estou contribuindo com o meio ambiente; 4. Nossa história – observar mudanças ocorridas no passado e no presente 5. A páscoa judaica e a páscoa cristã.  METODOLOGIA A metodologia parte dos pressupostos pedagógicos freireanos, onde a problematização, a dialogicidade possibilite mudanças atitudinais quanto à valorização e importância de nosso papel (aluno e professor) no cuidado com o outro e com o patrimônio publico em geral, e com a escola em particular. Inicialmente será realizada a identificação da turma, objetivando conhecer suas especificidades, o universo vocabular em que estão inseridos e o nível que a turma se encontra. Considerando o Tema geral e o Subtema, na exposição dos conteúdos curriculares as palavras geradoras: PATRIMÔNIO, PÚBLICO, ESCOLA, LIMPA, serão consideradas no planejamento. Portanto, de modo interdisciplinar os conteúdo curriculares serão ministrados, objetivando aprofundar o diálogo sobre a conservação e preservação da escola.
  • 10. 10  RECUROS Quadro branco, folhas brancas, lápis e caneta, cartaz e fichas individuais com o alfabeto (letra de forma e cursiva, maiúsculas e minúsculas), fichas com letras para montar, cartolinas, tesoura, cola, lápis de colorir, revistas, mapa da cidade de João Pessoa, plano de ruas do bairro, literatura de cordel, poemas, listas de preços, anúncios de produtos com preços, DVD, slides (Power point), Data show, Van Para levar os alunos ao Teatro Santa Rosa.  AVALIAÇÃO Considerando a metodologia adotada – pedagogia freireana - onde o diálogo na EJA é considerado relevante, bem como o educar para o exercício da cidadania e da democracia, de modo que o aluno supere o papel de sujeito passivo, passando a ser crítico; ativo e participativo na construção de uma sociedade melhor. Nesse sentindo, a avaliação do aproveitamento dos alunos deverá ser processual, sistemática e cumulativa, realizada pela educadora ao longo do bimestre de acordo com os objetivos previstos, relacionados aos diversos conteúdos e mediante os diferentes instrumentos, com prevalência nos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.  REFERÊNCIAS BRASIL, Constituição da Republica Federativa do Brasil. 05 de outubro de 1988. Acesso em: CHAUI, Marilena. Política cultural, cultura política e patrimônio histórico. In: O direito a memoria – patrimônio histórico e cidadania. Departamento do patrimônio histórico de São Paulo. São Paulo, SP. 1992. HOLANDA, Aurélio B. Dicionário Aurélio Escolar da Língua Portuguesa. 1 ed. Rio de Janeiro, RJ: Editora Nova Fronteira. 1988.
  • 11. 11  RELATÓRIO FINAL I. IDENTIFICAÇÃO DA TURMA GRÁFICO 1 – NÍVEL APRENDIZAGEM DA TURMA – DADOS INICIAIS Fonte: questionário realizado com a turma ASPECTOS SOCIAIS GRÁFICO 2 – QUANTIDADE DE ALUNOS GRÁFICO 3 - NATURALIDADE POR GÊNERO Fonte: questionário realizado com a turma Fonte: questionário realizado com a turma
  • 12. 12 GRÁFICO 4 – RAÇA GRÁFICO 45- ESTADO CIVIL Fonte: questionário realizado com a turma Fonte: questionário realizado com a turma GRÁFICO 5 – TÊM FILHOS GRÁFICO GRÁFICO 7 – OPÇÃO RELIGIOSA Fonte: questionário realizado com a turma Fonte: questionário realizado com a turma
  • 13. 13 ASPECTOS CULTURAIS GRÁFICO 8 – QUANTO TEMPO SEM ESTUDAR? Fonte: questionário realizado com a turma GRÁFICO 9 – PROGRAMAÇÃO TELEVISIVA GRÁFICO 10 – GÊNERO MUSÍCAL QUE MAIS VER. GRÁFICO Fonte: questionário realizado com a turma Fonte: questionário realizado com a turma
  • 14. 14 GRÁFICO 11 – PATRIMÔNIO PÚBLICO Fonte: questionário realizado com a turma II. Cronograma das atividades desenvolvidas em sala de aula PLANO DE AULA DE MARÇO/2012 SEMANAS CONTEÚDO ATIVIDADES Primeira 1. História: 1. História: identificar semana 1. O que é história?; algumas fontes (12-16) 2. Qual a importância da históricas: fotografias, História? jornal que retrate o 2. Português: patrimônio Público e 1. A história do alfabeto – patrimônio Cultural; conhecendo um pouco da 2. Português: foi feita a trajetória da escrita até os leitura da literatura de dias atuais; cordel „Sonho de 2. A escola é nosso patrimônio menina‟ (ver em Público e tudo que a constitui anexo), da autora – cadeira, mesa, quadro, lurdinete. Em grupo os cantina, banheiro, biblioteca fizeram atividade com etc. Portanto precisamos as fichas de cuidar e conservar nosso alfabetização, patrimônio. considerando as 3. Matemática: A história dos palavras estudadas. números. Como a ideia de Retirando as palavras quantidade era trabalhada até a as vogais e as elaboração da numeração que consoantes;
  • 15. 15 temos atualmente – conhecendo 3. Matemática: atividade os números naturais. no livro didático. Foi solicitado aos alunos que na próxima semana levassem encartes de supermercados para realizarmos algumas somas. Segunda 1. Português: Família silábica P – 1. Português: Uso das Semana palavra geradora PATRIMÔNIO fichas da SEDUP de (19-23) PÚBLICO e substantivo alfabetização – (conceito). trabalhando a família 2. Matemática: unidade e dezena silábica P. Uso do e adição – atividade feita no Poema „Fazer o que?‟ caderno e no livro. (ver em anexo) 2. Matemática: Uso dos encartes de supermercados – foram feitas duas lista de feira, contendo os mesmos produtos. Posteriormente os alunos iriam somar em dupla e depois responderíamos coletivamente, visando verificar a diferença de preço de dois supermercados diferentes. Terceira 1. Ciências: Sistema Respiratório 1. Ciências: Atividade semana 2. Português: revisando os no livro de ciências; (26-30) encontros vocálicos (AI, EI, OI, 2. Português: uso das UI, ÃO) e consonantais (TR, FR, fichas de alfabetização GR, CR, e PR); da SEDUP e atividade 3. História: Ida ao Teatro Santa feita na lousa. uso do Rosa no dia 28/03 para ver a cordel Ser Nordestino peça nacional: Outro I Coletivo (autora: Salete improviso; França) para que os alunos grifassem as palavras que com encontros vocálicos e consonantais. 3. Antes de peça iniciar, foi apresentada a arquitetura do teatro Santa Rosa aos alunos, tendo em vista que eles pudessem
  • 16. 16 perceber as mudanças ocorridas na arquitetura ao longo da história; PLANO DE AULA DE ABRIL/2012 SEMANAS CONTEÚDOS ATIVIDADES Primeira 1. História: historia da 1. História: Responder semana colonização e os questões referente ao (02 – 04) modelos de famílias em conteúdo diversos períodos da apresentado, tendo história; Família silábica em vista revisar o P, tendo como palavra conteúdo; geradora 2. Português: Uso de PORTUGUESES ficha da SEDUP que 2. Português: Revisão da traz palavras para aula anterior, tendo em serem completadas vista formar outras com a família silábica palavras com a família P; Leitura textual silábica P. A partir das (texto que contem palavras os alunos foram várias palavras que identificando a iniciam com P). quantidade de letras, de 3. Páscoa: Foi feito um vogais e consoantes; painel em grupo – Ver Substantivo: grau e tópico 2, dos dias 09 a número do substantivo. 13/04. 3. Filme sobre a vida de Jesus – Páscoa. Esta aula foi realizada coletivamente com todas as turma no auditório da escola. Aula organizada pelos educadores. Segunda 1. Matemática – Unidade, 1. Matemática: Aula semana dezena e centena expositiva. A (09 - 13) (revisão). Subtração; atividade de unidade, 2. Português – produção dezena e centena foi textual e uso da imagem realizada com o para reproduzir a Ábaco, onde cada páscoa; aluno representava o 3. Matemática – número apresentado Subtração; pela professora. Com 4. Português - Família relação a subtração, silábica T (frase: O encaminhado uma
  • 17. 17 PATRIMÔNIO PÚBLICO atividade no livro É DE TODOS); TODOS didático. (Palavra geradora); 2. Português: separação silábica das Considerando a aula palavras construídas do dia 4, foi efetivada pela turma, as quais, uma atividade com o contém a letra T; uso de recortes de 5. Tempos simples do imagens e um texto verbo – estrutura verbal produzido em grupo, (presente, pretérito tendo em vista perfeito e pretérito mais expressarem a que perfeito). compreensão dos alunos em torno dos vídeos sobre a páscoa apresentados no dia 04/04. Foi produzido um grande painel coletivamente 3. Matemática: Aula de Revisão – subtração. Foi utilizado o material dourado para que os alunos visualizassem a subtração de um determinado valor de outro; 4. Português: Foi usadas fichas de alfabetização com palavras que contém a letra T. a partir das fichas os alunos completariam as silabas que estivessem faltando nas palavras. Com relação ao verbo, foi apresentada uma mensagem (produzida por uma aluna) para que identificassem os verbos e descrevessem o tempo do verbo. Terceira 1. Revisão de todos os 1. As atividades, Semana conteúdos referentes ao denominadas de (16 – 20) mês de Março e Abril, reforço, foi mediante tendo em vista o a realização de aprofundamento do atividades no livro conteúdo e esclarecimento didático. Os/ as
  • 18. 18 das dúvidas. Este momento alunos/as, devido ao foi necessário, pelo fato de trabalho, não alguns alunos faltarem conseguem efetivar algumas aulas, sendo as atividades estas importantes para o solicitadas para desempenho da turma na serem feitas nos semana de avaliação. livros em casa. 2. Considerando o fato de a Portanto, diante turma ser desta realidade, as predominantemente atividades estão composta por empregadas sendo feitas na sala domésticas, no dia 18 foi de aula transmitido o filme individualmente com „Histórias Cruzadas‟. Este o acompanhamento filme retrata uma série de da professora e preconceitos e coletivamente, na discriminação sofridas tentativa de pelas empregadas aprofundar e tirar domestica na Cidade do dúvidas. Na medida Mississipi nos Estados em que as Unidos nos anos 70. atividades são feitas, as questões são problematizadas mediante o diálogo e escrita na lousa. Quarta semana 1. Semana de avaliação 3. Avaliação de (23 -27) Fechamento do 1º português – 23/04; bimestre; 4. Avaliação de 2. Conclusão do relatório matemática – 24/04; final. 5. Avaliação d Estudos da Sociedade e da Natureza - História, Ciências E Geografia – 25/04. Esta avaliação foi predominantemente de caráter qualitativa. Cada aluno produziu um pequeno folheto, objetivando sua compreensão dos conteúdos sobre o patrimônio Público, a importância da escola limpa, considerando o espaço geográfico, as mudanças ocorridas ao longo da história com os
  • 19. 19 patrimônios, e a importância de sua conservação para a história do povo e para nosso bem estar.  ALGUMAS CONSIDERAÇÕES O presente relatório expressa resultados da identificação da turma, visando conhecer detalhadamente um pouco das vivências dos alunos/as, seu universo vocabular e a cosmovisão de individualmente e coletivamente. Este levantamento do perfil da turma possibilita direcionar o planejamento da educadora, possibilitando ressignificar à prática pedagógica, tendo em vista promover uma aprendizagem significativa. Neste momento do relatório foram considerados os aspectos sociais e culturais. Vale destacar, que minha atuação frente ao planejamento das aulas considerou os projetos da escola, mas especificamente o do primeiro bimestre, sendo o Tema Central ‟Patrimônio Público‟ e o Subtema “Escola Limpa”. Todavia, não foi descartada a contextualização dos conteúdos da turma, ou seja, foi levado em conta o nível que a turma inicialmente se encontrava, o gênero, a etnia, o trabalho, os saberes prévios, etc... Para finalizar, a turma demonstra ter determinação, força de vontade em dar continuidade aos estudos. A Relação professor/a e aluno/a tem sido regada pelo diálogo, pelo sentimento de solidariedade, pelo altruísmo e reflexão crítica frente a problematização dos conteúdos frente a realidade concreta dos sujeitos.
  • 21. 21 ANEXO 1 – SLIDES: APRESENTAÇÃO DO CONCEITO DE PATRIMÔNIO PÚBLICO E IMAGENS.
  • 22. 22
  • 23. 23 ANEXO 2 – SLIDES: PRODUÇÃO DE CARTÕES – ESCOLA LIMPA
  • 24. 24
  • 25. 25 ANEXO 3 – SLIDES: PRODUÇÃO DO PAINEL SOBRE A PÁSCOA
  • 26. 26 ANEXO 4 - ALGUMAS FICHAS4 (SEDUP) DE ALFABETIZAÇÃO ULTILIZADAS 4 Fichas da associação SEDUP – Serviço de Educação Popular.
  • 27. 27 ANEXO 5 - LITERATURAS ULTILIZADAS - LITERATURA DE CORDEL5 5 Os cordéis são produções de duas alunas regular do PROEJA do IFPB. O primeiro cordel é de autoria da Josefa Lurdinete Pessoa Moreira e o segundo da aluna Salete França.
  • 28. 28 ANEXO 5 - O POEMA ULTILIZADO6 6 Poema do livro de GUESESA, Ricardo. Eu mesmo. CBjE: Rio de Janeiro, 2008. P. 12-13