SlideShare uma empresa Scribd logo
Veja um modelo(fictício):
RELATÓRIO PEDAGÓGICO
(Cabeçalho)
1 – Identificação
Nome da Instituição, aluno (dados pessoais), professor, ano/série em curso,
local e data).
2 – Recomendações gerais:
• Recomenda-se zelo em relação aos dados da vida do aluno, no sentido de
evitar que os mesmos sejam divulgados a pessoas não envolvidas no processo
ensino-aprendizagem, preservando dessa forma a individualidade do aluno;
• Solicita-se zelo em relação aos dados da avaliação que possam gerar dúvidas
ou má interpretação. Sugerimos que neste caso, seja procurada imediatamente a
equipe responsável pelo trabalho;
• As informações contidas neste relatório foram colhidas no período..._.
Convém ressaltar que as mesmas se referem a este momento da
vida escolar do aluno e, portanto, estão sujeitas a mudanças
contínuas, de acordo com o processo de desenvolvimento dinâmico
e evolutivo do ser humano.
3 – Identificação da equipe:
(dados dos profissionais que compõem a equipe multidisciplinar)
4 – Motivo do Encaminhamento
(principal queixa e origem da solicitação: escola, família, profissionais da
saúde).
5 – Síntese da investigação:
Após encaminhamento do aluno (avaliação pedagógica e comportamento em
sala de aula e ambientes da escola) foi solicitado à professora um relatório do
desempenho escolar do aluno.
A Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem observou o aluno em sala de
aula e em outros ambientes da escola, análise de material da criança e entrevista
com a mãe. O aluno após se sentir acolhido e familiarizado com o ambiente e
com a Equipe participou de vários encontros lúdicos, significativos com fins
avaliativos.
O aluno de conformação física forte evidencia estar bem fisicamente, estatura
normal para sua idade, apresentou-se com os cabelos bem cortados à moda
atual dos garotos da sua idade, uniforme limpo demonstrando cultivar bons
hábitos e cuidados com a higiene.
Foram observados na sala de aula, nos ambientes da escola e na Sala da Equipe
de Apoio à Aprendizagem a sua interação social e conhecimentos adquiridos de
acordo com sua idade e ano em curso (série): a atenção, orientação, memória,
inteligência, afetividade, pensamento lógico, senso crítico, verbalização,
psicomotricidade, comportamento e linguagem escrita, leitura interpretação e
oralidade.
O aluno com 9 (nove) anos de idade, cursando o 4º ano (séries iniciais), sem
nenhuma repetência após se sentir acolhido e estimulado pela Equipe de Apoio
Pedagógico, apresentou-se nos diversos momentos da avaliação com
tranquilidade, humor estável, comunicativo e uma postura sugerindo afetivo
triste. Interagiu bem, com naturalidade, através do contato de olhos inconstante
sugerindo, em alguns momentos de seus relatos da vida diária, um pouco de
tensão e ansiedade.
Durante a entrevista “L” manteve uma atividade motora com poucos
movimentos físicos, pouca gesticulação, expressão facial triste, pouca alteração
na expressividade, a mesma entonação de voz: baixa de vez em quando uma leve
gagueira, com relatos longos e detalhados, usando constantemente a expressão
“às vezes”.A atitude do aluno ante a pedagoga/avaliadora foi amigável,
cooperativa.
O aluno com 9 (nove) anos de idade, cursando o 4º ano, sem nenhuma
repetência após se sentir acolhido e estimulado pela Equipe de Apoio
Pedagógico, apresentou-se nos diversos momentos da avaliação com
tranquilidade, humor estável, comunicativo e uma postura sugerindo afetivo
triste. Interagiu bem, com naturalidade, através do contato de olhos inconstante
sugerindo, em alguns momentos de seus relatos da vida diária, um pouco de
tensão e ansiedade.
Durante a entrevista “L” manteve uma atividade motora com poucos
movimentos físicos, pouca gesticulação, expressão facial triste, pouca alteração
na expressividade, a mesma entonação de voz: baixa, de vez em quando uma
leve gagueira, com relatos longos e detalhados, usando constantemente a
expressão “às vezes”.
O aluno despertou durante a entrevista uma sensação de inacessibilidade à
realidade de seus posicionamentos e sentimentos em relação á família,
evidenciando sentir-se "estigmatizado”, pela mesma, associando esta evidência
ao relato da mãe. Em relação à escola assinalou ser uma atividade prazerosa.
*Estes primeiros parágrafos da Síntese da Investigação-
configuram uma introdução muito importante, pois são
mencionados os aspectos gerais do aluno: físico, emocional, mental
e motor - dentro de uma situação de conforto que foi lhe foi
favorecida. Estes aspectos são os primeiros indicativos que darão
consistência à anamnese, entrevista com a mãe (importantíssima)
e nortearão os caminhos da interpretação das avaliações dos
fatores ligados às queixas apresentadas. São aspectos importantes
ao avaliador pedagógico quanto ao psicólogo, fonoaudiólogo,
neurologista, enfim ao profissional da saúde que dará continuidade
ao processo investigativo, ou simplesmente ao professor caso as
causas sejam evidenciadas, nesta avaliação, e dirimidas através de
ações do professor, da família e do acompanhamento da Equipe.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Parecer de uma aluno com dificuldade em matemática
Parecer de uma aluno com dificuldade em matemáticaParecer de uma aluno com dificuldade em matemática
Parecer de uma aluno com dificuldade em matemática
SimoneHelenDrumond
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
straraposa
 
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Erkv
 
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitadoParecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
SimoneHelenDrumond
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Plano de aee
Plano de aeePlano de aee
Plano de aee
ceciliaconserva
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
SimoneHelenDrumond
 
Relatório
RelatórioRelatório
Relatório
Assis Queiroz
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
Roseanne Funchal Olivieira
 
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Kelry Carvalho
 
Planejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodoPlanejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodo
SimoneHelenDrumond
 
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRelatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Raquel Becker
 
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Paulo Alves de Araujo
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
SimoneHelenDrumond
 
Sugestões de palavras e expressões para o uso em relatórios
Sugestões de palavras e expressões para o uso   em relatóriosSugestões de palavras e expressões para o uso   em relatórios
Sugestões de palavras e expressões para o uso em relatórios
ELIANE GARCIA
 
Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42
SimoneHelenDrumond
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
Fabiana Lopes
 
Caderno Pedagogico Autismo
Caderno Pedagogico AutismoCaderno Pedagogico Autismo
Caderno Pedagogico Autismo
Sarah Olliver
 
Apostila das quadrinhas e textos complementares
  Apostila das quadrinhas e textos complementares  Apostila das quadrinhas e textos complementares
Apostila das quadrinhas e textos complementares
Francisco Moura
 
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
SimoneHelenDrumond
 

Mais procurados (20)

Parecer de uma aluno com dificuldade em matemática
Parecer de uma aluno com dificuldade em matemáticaParecer de uma aluno com dificuldade em matemática
Parecer de uma aluno com dificuldade em matemática
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
 
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
 
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitadoParecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
 
Plano de aee
Plano de aeePlano de aee
Plano de aee
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
 
Relatório
RelatórioRelatório
Relatório
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
 
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1Modelo  de plano de desenvolvimento individual 1
Modelo de plano de desenvolvimento individual 1
 
Planejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodoPlanejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodo
 
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRelatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
 
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
 
Sugestões de palavras e expressões para o uso em relatórios
Sugestões de palavras e expressões para o uso   em relatóriosSugestões de palavras e expressões para o uso   em relatórios
Sugestões de palavras e expressões para o uso em relatórios
 
Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
 
Caderno Pedagogico Autismo
Caderno Pedagogico AutismoCaderno Pedagogico Autismo
Caderno Pedagogico Autismo
 
Apostila das quadrinhas e textos complementares
  Apostila das quadrinhas e textos complementares  Apostila das quadrinhas e textos complementares
Apostila das quadrinhas e textos complementares
 
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
 

Destaque

Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
Silvio Medeiros
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
Melissa Oliveira
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
Victor Said
 
Wallon - aula de psicologia
Wallon  -  aula de  psicologiaWallon  -  aula de  psicologia
Wallon - aula de psicologia
Fatinha Bretas
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágio
UFMA e UEMA
 
Inserçao da criança na creche
Inserçao da criança na crecheInserçao da criança na creche
Inserçao da criança na creche
Fatinha Bretas
 
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursosDocumento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
Carlos Junior
 
Sap 2009
Sap 2009Sap 2009
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
Jorge Barbosa
 
Relatório de Estágio em Educação Ambiental
Relatório de Estágio em Educação AmbientalRelatório de Estágio em Educação Ambiental
Relatório de Estágio em Educação Ambiental
Marcio Nicknig
 
ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPI
ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPIESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPI
ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPI
UFMA e UEMA
 
Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.
Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.
Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.
pipatcleopoldina
 
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdPlano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Lucinaldo Tenório
 
Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2
Superestagio
 
Como atuar com o AEE
Como atuar com o AEEComo atuar com o AEE
Como atuar com o AEE
Natália Rodrigues
 
PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8
ElieneDias
 
A rotina de um autista
A rotina de um autistaA rotina de um autista
A rotina de um autista
SimoneHelenDrumond
 
Plano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento IndividualPlano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento Individual
Diogo Santos
 

Destaque (19)

Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
 
Wallon - aula de psicologia
Wallon  -  aula de  psicologiaWallon  -  aula de  psicologia
Wallon - aula de psicologia
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágio
 
Inserçao da criança na creche
Inserçao da criança na crecheInserçao da criança na creche
Inserçao da criança na creche
 
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursosDocumento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
 
Sap 2009
Sap 2009Sap 2009
Sap 2009
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
 
Relatório de Estágio em Educação Ambiental
Relatório de Estágio em Educação AmbientalRelatório de Estágio em Educação Ambiental
Relatório de Estágio em Educação Ambiental
 
ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPI
ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPIESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPI
ESTÁGIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL-FAEPI
 
Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.
Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.
Modelo de Plano de Desenvolvimento Individual para alunos com deficiência.
 
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdPlano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
 
Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2
 
Como atuar com o AEE
Como atuar com o AEEComo atuar com o AEE
Como atuar com o AEE
 
PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8 PNAIC - Ano 3 unidade 8
PNAIC - Ano 3 unidade 8
 
modelo relatório
modelo relatóriomodelo relatório
modelo relatório
 
A rotina de um autista
A rotina de um autistaA rotina de um autista
A rotina de um autista
 
Plano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento IndividualPlano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento Individual
 

Semelhante a Modelo relatório pedagogico aluno especial

Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...
Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...
Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...
Esequias Caetano
 
Diagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoDiagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico Psicopedagógico
Rochelle Arruda
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Mariana Willendorff Oliveira
 
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodramaA prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
Jéssica Santos
 
O ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdf
O ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdfO ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdf
O ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdf
laizmassuchetto
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Como interagir com o aluno 2006
Como interagir com o aluno 2006Como interagir com o aluno 2006
Como interagir com o aluno 2006
Maria Masarela Passos
 
Diagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoDiagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogico
Sinara Duarte
 
Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
Diagnóstico Psicopedagógico ClínicoAulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de OliveiraDiagnóstico Psicopedagógico ClínicoAulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
Bia Paula
 
81 quero-crescer
81 quero-crescer81 quero-crescer
81 quero-crescer
profrosane
 
81 quero-crescer
81 quero-crescer81 quero-crescer
81 quero-crescer
profrosane
 
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio ProfissionalppsxSLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
FranciscoMata65
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
Andrea Cortelazzi
 
A criança em idade pré escolar
A criança em idade pré escolarA criança em idade pré escolar
A criança em idade pré escolar
EU O Escutismo
 
Sindrome de down
Sindrome de downSindrome de down
Sindrome de down
Marta Elini Borges
 
Sindrome de down
Sindrome de downSindrome de down
Sindrome de down
Vivian Paixão
 
A brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprendeA brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprende
CatiaDuarte_1
 
A brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprendeA brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprende
Ana Teresa
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
Patricia Rodrigues
 
Transtornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimentoTranstornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimento
Caio Maximino
 

Semelhante a Modelo relatório pedagogico aluno especial (20)

Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...
Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...
Palestra Hélida Reis - Dia Mundial da Conscientização do Autismo/ Autismo: De...
 
Diagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoDiagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico Psicopedagógico
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
 
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodramaA prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
 
O ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdf
O ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdfO ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdf
O ACOMPANHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO DIANTE DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.pdf
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Dislexia
 
Como interagir com o aluno 2006
Como interagir com o aluno 2006Como interagir com o aluno 2006
Como interagir com o aluno 2006
 
Diagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoDiagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogico
 
Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
Diagnóstico Psicopedagógico ClínicoAulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de OliveiraDiagnóstico Psicopedagógico ClínicoAulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
 
81 quero-crescer
81 quero-crescer81 quero-crescer
81 quero-crescer
 
81 quero-crescer
81 quero-crescer81 quero-crescer
81 quero-crescer
 
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio ProfissionalppsxSLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
 
A criança em idade pré escolar
A criança em idade pré escolarA criança em idade pré escolar
A criança em idade pré escolar
 
Sindrome de down
Sindrome de downSindrome de down
Sindrome de down
 
Sindrome de down
Sindrome de downSindrome de down
Sindrome de down
 
A brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprendeA brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprende
 
A brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprendeA brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprende
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
 
Transtornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimentoTranstornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimento
 

Mais de straraposa

Modelo de Plano de aula de acordo com a BNCC
Modelo de Plano de aula de acordo com a BNCCModelo de Plano de aula de acordo com a BNCC
Modelo de Plano de aula de acordo com a BNCC
straraposa
 
Dimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCC
Dimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCCDimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCC
Dimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCC
straraposa
 
Material digital de apoio ao professor - A cor de Coraline
Material digital de apoio ao professor -  A cor de CoralineMaterial digital de apoio ao professor -  A cor de Coraline
Material digital de apoio ao professor - A cor de Coraline
straraposa
 
BNCC - Material para o professor
BNCC - Material para o professorBNCC - Material para o professor
BNCC - Material para o professor
straraposa
 
Guia pratico - Autismo
Guia pratico - AutismoGuia pratico - Autismo
Guia pratico - Autismo
straraposa
 
Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254
Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254
Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254
straraposa
 
Números colecaojovemcientista
Números colecaojovemcientistaNúmeros colecaojovemcientista
Números colecaojovemcientista
straraposa
 
Movimento colecaojovemcientista
Movimento colecaojovemcientistaMovimento colecaojovemcientista
Movimento colecaojovemcientista
straraposa
 
Ar colecaojovemcientista
Ar colecaojovemcientistaAr colecaojovemcientista
Ar colecaojovemcientista
straraposa
 
Agua colecaojovemcientista
Agua colecaojovemcientistaAgua colecaojovemcientista
Agua colecaojovemcientista
straraposa
 
ECA e LDB
ECA e LDBECA e LDB
ECA e LDB
straraposa
 
Estela kaufman simposio 2006 argentina 16 05 06
Estela kaufman   simposio 2006 argentina 16 05 06Estela kaufman   simposio 2006 argentina 16 05 06
Estela kaufman simposio 2006 argentina 16 05 06
straraposa
 
Norma eca projeto eca
Norma eca   projeto ecaNorma eca   projeto eca
Norma eca projeto eca
straraposa
 
O vestido azul
O vestido azulO vestido azul
O vestido azul
straraposa
 
Planejamento pedagogico
Planejamento pedagogicoPlanejamento pedagogico
Planejamento pedagogico
straraposa
 
Como fazer fichamento de texto
Como fazer fichamento de textoComo fazer fichamento de texto
Como fazer fichamento de texto
straraposa
 
Artes plásticas
Artes plásticasArtes plásticas
Artes plásticas
straraposa
 

Mais de straraposa (17)

Modelo de Plano de aula de acordo com a BNCC
Modelo de Plano de aula de acordo com a BNCCModelo de Plano de aula de acordo com a BNCC
Modelo de Plano de aula de acordo com a BNCC
 
Dimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCC
Dimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCCDimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCC
Dimensões e Desenvolvimento das Competências Gerais da BNCC
 
Material digital de apoio ao professor - A cor de Coraline
Material digital de apoio ao professor -  A cor de CoralineMaterial digital de apoio ao professor -  A cor de Coraline
Material digital de apoio ao professor - A cor de Coraline
 
BNCC - Material para o professor
BNCC - Material para o professorBNCC - Material para o professor
BNCC - Material para o professor
 
Guia pratico - Autismo
Guia pratico - AutismoGuia pratico - Autismo
Guia pratico - Autismo
 
Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254
Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254
Anateberosky aprenderalereaescrever-3745436254
 
Números colecaojovemcientista
Números colecaojovemcientistaNúmeros colecaojovemcientista
Números colecaojovemcientista
 
Movimento colecaojovemcientista
Movimento colecaojovemcientistaMovimento colecaojovemcientista
Movimento colecaojovemcientista
 
Ar colecaojovemcientista
Ar colecaojovemcientistaAr colecaojovemcientista
Ar colecaojovemcientista
 
Agua colecaojovemcientista
Agua colecaojovemcientistaAgua colecaojovemcientista
Agua colecaojovemcientista
 
ECA e LDB
ECA e LDBECA e LDB
ECA e LDB
 
Estela kaufman simposio 2006 argentina 16 05 06
Estela kaufman   simposio 2006 argentina 16 05 06Estela kaufman   simposio 2006 argentina 16 05 06
Estela kaufman simposio 2006 argentina 16 05 06
 
Norma eca projeto eca
Norma eca   projeto ecaNorma eca   projeto eca
Norma eca projeto eca
 
O vestido azul
O vestido azulO vestido azul
O vestido azul
 
Planejamento pedagogico
Planejamento pedagogicoPlanejamento pedagogico
Planejamento pedagogico
 
Como fazer fichamento de texto
Como fazer fichamento de textoComo fazer fichamento de texto
Como fazer fichamento de texto
 
Artes plásticas
Artes plásticasArtes plásticas
Artes plásticas
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 

Modelo relatório pedagogico aluno especial

  • 1. Veja um modelo(fictício): RELATÓRIO PEDAGÓGICO (Cabeçalho) 1 – Identificação Nome da Instituição, aluno (dados pessoais), professor, ano/série em curso, local e data). 2 – Recomendações gerais: • Recomenda-se zelo em relação aos dados da vida do aluno, no sentido de evitar que os mesmos sejam divulgados a pessoas não envolvidas no processo ensino-aprendizagem, preservando dessa forma a individualidade do aluno; • Solicita-se zelo em relação aos dados da avaliação que possam gerar dúvidas ou má interpretação. Sugerimos que neste caso, seja procurada imediatamente a equipe responsável pelo trabalho; • As informações contidas neste relatório foram colhidas no período..._. Convém ressaltar que as mesmas se referem a este momento da vida escolar do aluno e, portanto, estão sujeitas a mudanças contínuas, de acordo com o processo de desenvolvimento dinâmico e evolutivo do ser humano. 3 – Identificação da equipe: (dados dos profissionais que compõem a equipe multidisciplinar) 4 – Motivo do Encaminhamento (principal queixa e origem da solicitação: escola, família, profissionais da saúde). 5 – Síntese da investigação: Após encaminhamento do aluno (avaliação pedagógica e comportamento em sala de aula e ambientes da escola) foi solicitado à professora um relatório do desempenho escolar do aluno. A Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem observou o aluno em sala de aula e em outros ambientes da escola, análise de material da criança e entrevista com a mãe. O aluno após se sentir acolhido e familiarizado com o ambiente e com a Equipe participou de vários encontros lúdicos, significativos com fins avaliativos.
  • 2. O aluno de conformação física forte evidencia estar bem fisicamente, estatura normal para sua idade, apresentou-se com os cabelos bem cortados à moda atual dos garotos da sua idade, uniforme limpo demonstrando cultivar bons hábitos e cuidados com a higiene. Foram observados na sala de aula, nos ambientes da escola e na Sala da Equipe de Apoio à Aprendizagem a sua interação social e conhecimentos adquiridos de acordo com sua idade e ano em curso (série): a atenção, orientação, memória, inteligência, afetividade, pensamento lógico, senso crítico, verbalização, psicomotricidade, comportamento e linguagem escrita, leitura interpretação e oralidade. O aluno com 9 (nove) anos de idade, cursando o 4º ano (séries iniciais), sem nenhuma repetência após se sentir acolhido e estimulado pela Equipe de Apoio Pedagógico, apresentou-se nos diversos momentos da avaliação com tranquilidade, humor estável, comunicativo e uma postura sugerindo afetivo triste. Interagiu bem, com naturalidade, através do contato de olhos inconstante sugerindo, em alguns momentos de seus relatos da vida diária, um pouco de tensão e ansiedade. Durante a entrevista “L” manteve uma atividade motora com poucos movimentos físicos, pouca gesticulação, expressão facial triste, pouca alteração na expressividade, a mesma entonação de voz: baixa de vez em quando uma leve gagueira, com relatos longos e detalhados, usando constantemente a expressão “às vezes”.A atitude do aluno ante a pedagoga/avaliadora foi amigável, cooperativa. O aluno com 9 (nove) anos de idade, cursando o 4º ano, sem nenhuma repetência após se sentir acolhido e estimulado pela Equipe de Apoio Pedagógico, apresentou-se nos diversos momentos da avaliação com tranquilidade, humor estável, comunicativo e uma postura sugerindo afetivo triste. Interagiu bem, com naturalidade, através do contato de olhos inconstante sugerindo, em alguns momentos de seus relatos da vida diária, um pouco de tensão e ansiedade. Durante a entrevista “L” manteve uma atividade motora com poucos movimentos físicos, pouca gesticulação, expressão facial triste, pouca alteração na expressividade, a mesma entonação de voz: baixa, de vez em quando uma leve gagueira, com relatos longos e detalhados, usando constantemente a expressão “às vezes”. O aluno despertou durante a entrevista uma sensação de inacessibilidade à realidade de seus posicionamentos e sentimentos em relação á família, evidenciando sentir-se "estigmatizado”, pela mesma, associando esta evidência ao relato da mãe. Em relação à escola assinalou ser uma atividade prazerosa. *Estes primeiros parágrafos da Síntese da Investigação- configuram uma introdução muito importante, pois são mencionados os aspectos gerais do aluno: físico, emocional, mental
  • 3. e motor - dentro de uma situação de conforto que foi lhe foi favorecida. Estes aspectos são os primeiros indicativos que darão consistência à anamnese, entrevista com a mãe (importantíssima) e nortearão os caminhos da interpretação das avaliações dos fatores ligados às queixas apresentadas. São aspectos importantes ao avaliador pedagógico quanto ao psicólogo, fonoaudiólogo, neurologista, enfim ao profissional da saúde que dará continuidade ao processo investigativo, ou simplesmente ao professor caso as causas sejam evidenciadas, nesta avaliação, e dirimidas através de ações do professor, da família e do acompanhamento da Equipe.