SlideShare uma empresa Scribd logo
Administração de Sistemas de Informação
Prof. Paulo Sérgio Ramão
Sistemas de Informação

Estratégias para o
Conhecimento
e
Empresarial

desenvolvimento do
da
Inteligência
Sistemas de Informação

Inteligência Empresarial...
Ikujiro Nonaka, professor na Universidade de Hitotsubashi é um
dos autores mais citados na área de Gestão do Conhecimento.
Segundo ele, há duas formas de conhecimento: o explícito e o
tácito.
De acordo com o autor, a chave para criação do
conhecimento reside na mobilização e na conversão do
conhecimento tácito. Juntamente com o Prof. Takeuchim propõe
quatro modos de conversão de conhecimento:
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
 Socialização

- conhecimento tácito em conhecimento tácito.

O conhecimento tácito é aquele usado na comunicação entre
pessoas. A experiência compartilhada consiste em ponto
fundamental para a aquisição desse tipo de conhecimento.
Todavia, não é somente a simples transferência de informações.
“É um fazer junto” que supõe confiança mútua e vivência
cotidiana nas situações de trabalho.
Ex.: Quando dois amigos conversam sobre um game, trocando
informações sobre comandos específicos.
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
 Externalização

-

conhecimento

tácito

em

conhecimento

explícito.

Segundo Nonaka e Takeuchi esse é o processo perfeito de criação
do conhecimento, na medida em que o conhecimento tácito se
torna explícito, expresso na forma de metáforas, analogias,
conceitos, hipóteses ou modelos. É provocado pelo diálogo e
pela reflexão entre duas pessoas, grupo e/ou coletividade.
Ex.: Um dos amigos que conversavam sobre um determinado
game resolve sistematizar os conhecimentos tácitos obtidos, e
escreve um manual sobre como operar o game.
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
 Combinação

-

conhecimento

explícito

em

conhecimento

explícito.

É um processo de sistematização de conceitos em um sistema de
conhecimento, e permite a reconfiguração das informações
existentes através da classificação, do acréscimo, da combinação
e da categorização do conhecimento explícito, o que pode levar a
novos conhecimentos. Indivíduos trocam e combinam o
conhecimento através de documentos,
reuniões, conversas
telefônicas ou redes computadorizadas.
Ex.: Pessoas que leram o manual do game acrescentam novos
comandos ou sugestões, adicionando novos conhecimentos.
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
 Internalização

- conhecimento explícito em conhecimento tácito.

A internalização é “o processo de incorporação do conhecimento
explícito no conhecimento tácito”, provocando mudança e
enriquecimento das práticas individuais, grupais e coletivas. A
documentação de experiências (por meio de manuais, livros,
regras e documentos diversos) ajuda as pessoas a internalizarem
suas experiências, ampliando seu conhecimento tácito. Este
processo está intimamente ligado ao “aprender fazendo”.
Ex.: Um indivíduo que leu o manual do game e utiliza, na prática,
as sugestões do mesmo para avançar de fase ou superar
dificuldades.
Sistemas de Informação

Relembrando...
Conforme vimos no modelo de produção japonês, o
conhecimento e a inteligência foram difundidos e ampliados nas
empresas com uma atitude simples. Qual foi ela?
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
A comunicação entre os participantes do processo de produção
viabilizou a transmissão dos conhecimentos tácito e explícito,
gerando e alimentando um círculo que permitiu a conquista de
vantagens competitivas importantes.
A partir de uma interação dinâmica e permanente entre os
conhecimentos tácito e explícito, temos a criação do
Conhecimento Empresarial, representada pela “Espiral do
Conhecimento”.
Sistemas de Informação
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
Embora novas tecnologias e processos tenham surgido desse
novo modelo de proceder em relação às equipes e pessoas
envolvidas no processo, este não é um modelo de gestão
tecnológica mas de gestão do conhecimento.
Ele pode servir, então, como benchmarking, para a administração
de sistemas de informação.
Sistemas de Informação

Criação de conhecimento nas empresas...
Sendo a mudança de atitude – ouvir as pessoas – responsável
pelo estabelecimento de vantagens competitivas, os sistemas de
informação, como uma ferramenta extraordinária para propiciar a
interação entre as pessoas, serão fundamentais para o
desenvolvimento do conhecimento e para a criação e o
desenvolvimento
da inteligência
coletiva no
ambiente
empresarial.
Sistemas de Informação

Exemplos de algumas formas de uso de sistemas de
comunicação em rede, possibilitando a transmissão de
conhecimento explícito e tácito.
Fóruns de debate: Podem ser usados para discussão de temas
específicos, tais como a melhoria do atendimento ao cliente,
melhoria em processos, melhoria da qualidade, dentre outros. As
discussões são mais amplas, voltadas para aspectos diversos de
um determinado tema.

Ao sistematizar ideias para que elas possam ser escritas nos
fóruns, uma pessoa executa o processo de externalização (tácito
para explícito). Ao fazer uma consulta ao fórum, a pessoa pode
fazer o processo de internalização (explícito para tácito).
Sistemas de Informação

Continuação...
Blogs (incluindo fotoblogs, podcasts): Podem ser usados para
auxiliar grupos participantes de projetos específicos. Ao contrário
dos fóruns, onde a conversa é mais livre e abrangente, o blog é
mais restrito e específico, podendo ser usado, por exemplo, no
desenvolvimento de um novo produto ou serviço. Funciona mais
como uma área de relato de informações, experiências ou
necessidades.

Facilitam o processo de combinação (explícito para explícito),
onde o conhecimento explícito é sistematizado, acrescido e
(re)combinado, gerando novos conhecimentos.
Sistemas de Informação

Continuação...
Grupos de email: São muito bons na disseminação e recepção de
novas ideias. Deve-se estimular alguns dos funcionários a
participar de grupos de discussão para que possam coletar
informações potencialmente úteis à empresa.
Contribuem no processo de transmissão do conhecimento tácito,
sendo um ótimo instrumento no processo de socialização (tácito
para tácito).
Sistemas de Informação

Continuação...
Sites: Não se trata do site institucional da empresa, mas de
soluções específicas para grupos de trabalho, projetos e outros.
Ex.: a disponibilização de um site com FAQ (Frequently Asked
Question – Questões Frequentemente Formuladas) para instruir
os colaboradores. O FAQ agiliza os serviços de novos
colaboradores, auxiliando na transmissão de informações e de
conhecimentos consolidados sobre determinados temas.
Auxilia no processo de internalização (explícito para tácito),
sendo que a pessoa verifica o conhecimento já disponível e
soma-o à sua própria experiência.
Sistemas de Informação

Desenvolvendo a inteligência coletiva nas empresas...
À medida que o conhecimento flui entre as diversas áreas da
empresa, com a participação ativa de funcionários e
colaboradores, vai sendo desenvolvida uma inteligência coletiva.
Os participante deixam de ser meros receptores e passam a
colaborar em todo o processo.
Sistemas de Informação

Para finalizar...

A maneira como a organização reúne,
administra e usa a informação determina a
sobrevivência da mesma!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do ConhecimentoComunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Rosângela Florczak
 
Gestão do conhecimento (Knowledge Management)
Gestão do conhecimento (Knowledge Management)Gestão do conhecimento (Knowledge Management)
Gestão do conhecimento (Knowledge Management)
Thiago Arbulu
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO
Sabrina Mariana
 
Intercom2012
Intercom2012Intercom2012
Intercom2012
Rosângela Florczak
 
A Sociedade dos Trabalhadores do Conhecimento
A Sociedade dos Trabalhadores do ConhecimentoA Sociedade dos Trabalhadores do Conhecimento
A Sociedade dos Trabalhadores do Conhecimento
Antonio Mendes Ribeiro
 
Ba modelo criatividade
Ba modelo criatividadeBa modelo criatividade
Ba modelo criatividade
Paulo Cidade
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
Hudson Augusto
 
Gecon intro
Gecon introGecon intro
Gecon intro
Jose Sinotti
 
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do ConhecimentoNovas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Luis Borges Gouveia
 
Gestão do conhecimento
Gestão do conhecimentoGestão do conhecimento
Gestão do conhecimento
FaseLog
 
Uso de ferramentas livres na Gestão do Conhecimento
Uso de ferramentas livres na Gestão do ConhecimentoUso de ferramentas livres na Gestão do Conhecimento
Uso de ferramentas livres na Gestão do Conhecimento
UEPA
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
Elvis Fusco
 
Aula 12 - Gestão do Conhecimento
Aula 12 - Gestão do ConhecimentoAula 12 - Gestão do Conhecimento
Aula 12 - Gestão do Conhecimento
Filipo Mór
 
Gestão do conhecimento empresarial
Gestão do conhecimento empresarialGestão do conhecimento empresarial
Gestão do conhecimento empresarial
Rapport Assessoria
 
Gestão do conhecimento - SBGC e Correios
Gestão do conhecimento - SBGC e CorreiosGestão do conhecimento - SBGC e Correios
Gestão do conhecimento - SBGC e Correios
Nei Grando
 
GC e Competitividade
GC e CompetitividadeGC e Competitividade
GC e Competitividade
Ana Maria Magni Coelho
 
Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual
Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual
Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual
Helena Reis
 
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimentoAula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Carlos Alves
 
Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1
Leonardo Moraes
 
Gecon intro
Gecon introGecon intro
Gecon intro
Jose Sinotti
 

Mais procurados (20)

Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do ConhecimentoComunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
 
Gestão do conhecimento (Knowledge Management)
Gestão do conhecimento (Knowledge Management)Gestão do conhecimento (Knowledge Management)
Gestão do conhecimento (Knowledge Management)
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO
 
Intercom2012
Intercom2012Intercom2012
Intercom2012
 
A Sociedade dos Trabalhadores do Conhecimento
A Sociedade dos Trabalhadores do ConhecimentoA Sociedade dos Trabalhadores do Conhecimento
A Sociedade dos Trabalhadores do Conhecimento
 
Ba modelo criatividade
Ba modelo criatividadeBa modelo criatividade
Ba modelo criatividade
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
 
Gecon intro
Gecon introGecon intro
Gecon intro
 
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do ConhecimentoNovas abordagens para a Gestão do Conhecimento
Novas abordagens para a Gestão do Conhecimento
 
Gestão do conhecimento
Gestão do conhecimentoGestão do conhecimento
Gestão do conhecimento
 
Uso de ferramentas livres na Gestão do Conhecimento
Uso de ferramentas livres na Gestão do ConhecimentoUso de ferramentas livres na Gestão do Conhecimento
Uso de ferramentas livres na Gestão do Conhecimento
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
 
Aula 12 - Gestão do Conhecimento
Aula 12 - Gestão do ConhecimentoAula 12 - Gestão do Conhecimento
Aula 12 - Gestão do Conhecimento
 
Gestão do conhecimento empresarial
Gestão do conhecimento empresarialGestão do conhecimento empresarial
Gestão do conhecimento empresarial
 
Gestão do conhecimento - SBGC e Correios
Gestão do conhecimento - SBGC e CorreiosGestão do conhecimento - SBGC e Correios
Gestão do conhecimento - SBGC e Correios
 
GC e Competitividade
GC e CompetitividadeGC e Competitividade
GC e Competitividade
 
Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual
Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual
Aula gestão do conhecimento e capital intele ctual
 
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimentoAula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
 
Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1
 
Gecon intro
Gecon introGecon intro
Gecon intro
 

Destaque

Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1
Paulo Sérgio Ramão
 
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2
Paulo Sérgio Ramão
 
Administração de Sistemas de Informação - aula 4
Administração de Sistemas de Informação - aula 4Administração de Sistemas de Informação - aula 4
Administração de Sistemas de Informação - aula 4
Paulo Sérgio Ramão
 
Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2
Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2
Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2
Paulo Sérgio Ramão
 
Administração de Sistemas de Informação - aula 3
Administração de Sistemas de Informação - aula 3Administração de Sistemas de Informação - aula 3
Administração de Sistemas de Informação - aula 3
Paulo Sérgio Ramão
 
The Six Highest Performing B2B Blog Post Formats
The Six Highest Performing B2B Blog Post FormatsThe Six Highest Performing B2B Blog Post Formats
The Six Highest Performing B2B Blog Post Formats
Barry Feldman
 
The Outcome Economy
The Outcome EconomyThe Outcome Economy
The Outcome Economy
Helge Tennø
 

Destaque (7)

Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 1
 
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2
Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 2
 
Administração de Sistemas de Informação - aula 4
Administração de Sistemas de Informação - aula 4Administração de Sistemas de Informação - aula 4
Administração de Sistemas de Informação - aula 4
 
Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2
Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2
Administração de Sistemas de Informação - aulas 1 e 2
 
Administração de Sistemas de Informação - aula 3
Administração de Sistemas de Informação - aula 3Administração de Sistemas de Informação - aula 3
Administração de Sistemas de Informação - aula 3
 
The Six Highest Performing B2B Blog Post Formats
The Six Highest Performing B2B Blog Post FormatsThe Six Highest Performing B2B Blog Post Formats
The Six Highest Performing B2B Blog Post Formats
 
The Outcome Economy
The Outcome EconomyThe Outcome Economy
The Outcome Economy
 

Semelhante a Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 3

O gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariais
O gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariaisO gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariais
O gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariais
Paula Carina De Araújo
 
Atps gestão do conhecimento
Atps gestão do conhecimentoAtps gestão do conhecimento
Atps gestão do conhecimento
SIMONE GOUVEA
 
Introdução da Gestão do Conhecimento nas Organizações
Introdução da Gestão do Conhecimento nas OrganizaçõesIntrodução da Gestão do Conhecimento nas Organizações
Introdução da Gestão do Conhecimento nas Organizações
Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento
 
6 gestãodoconhecimento
6 gestãodoconhecimento6 gestãodoconhecimento
6 gestãodoconhecimento
Izabela Leite
 
Gestão do conhecimento
Gestão do conhecimentoGestão do conhecimento
Gestão do conhecimento
JOLV
 
atps Basico Gs Conhecimento
atps Basico Gs Conhecimentoatps Basico Gs Conhecimento
atps Basico Gs Conhecimento
arthfesta
 
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas OrganizaçõesLivro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
Adeildo Caboclo
 
KM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo Básico
KM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo BásicoKM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo Básico
KM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo Básico
Claudia Aparecida de Azevedo
 
Liderança e Gestão do Capital Intelectual
Liderança e Gestão do Capital IntelectualLiderança e Gestão do Capital Intelectual
Liderança e Gestão do Capital Intelectual
Carlos Eduardo Damian Leite
 
Gestão do Conhecimento - FEI / 2010
Gestão do Conhecimento - FEI / 2010Gestão do Conhecimento - FEI / 2010
Gestão do Conhecimento - FEI / 2010
Junior
 
Religiosidade, Altruísmo e Gestão do Conhecimento
Religiosidade, Altruísmo e Gestão do ConhecimentoReligiosidade, Altruísmo e Gestão do Conhecimento
Religiosidade, Altruísmo e Gestão do Conhecimento
Jose Claudio Terra
 
O Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas Organizações
O Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas OrganizaçõesO Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas Organizações
O Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas Organizações
Leonardo Moraes
 
O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...
O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...
O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...
Saint Paul Escola de Negócios
 
Anexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvim
Anexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvimAnexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvim
Anexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvim
Ademir José A. Souza
 
Wiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de caso
Wiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de casoWiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de caso
Wiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de caso
Francisco Aparecido da Silva
 
O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...
O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...
O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...
Luis Borges Gouveia
 
Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)
Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)
Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)
Vinícius Sarti
 
Ebook10 planejamento comunicacao_interna
Ebook10 planejamento comunicacao_internaEbook10 planejamento comunicacao_interna
Ebook10 planejamento comunicacao_interna
Davi Montenegro
 
Gestão do Conhecimento e Tecnologia
Gestão do Conhecimento e TecnologiaGestão do Conhecimento e Tecnologia
Gestão do Conhecimento e Tecnologia
Marcelo Ramos
 
Portais corporativos
Portais corporativosPortais corporativos
Portais corporativos
eduardo-lmendes
 

Semelhante a Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 3 (20)

O gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariais
O gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariaisO gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariais
O gerenciamento do conhecimento nas organizações empresariais
 
Atps gestão do conhecimento
Atps gestão do conhecimentoAtps gestão do conhecimento
Atps gestão do conhecimento
 
Introdução da Gestão do Conhecimento nas Organizações
Introdução da Gestão do Conhecimento nas OrganizaçõesIntrodução da Gestão do Conhecimento nas Organizações
Introdução da Gestão do Conhecimento nas Organizações
 
6 gestãodoconhecimento
6 gestãodoconhecimento6 gestãodoconhecimento
6 gestãodoconhecimento
 
Gestão do conhecimento
Gestão do conhecimentoGestão do conhecimento
Gestão do conhecimento
 
atps Basico Gs Conhecimento
atps Basico Gs Conhecimentoatps Basico Gs Conhecimento
atps Basico Gs Conhecimento
 
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas OrganizaçõesLivro Gestão de Projetos nas Organizações
Livro Gestão de Projetos nas Organizações
 
KM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo Básico
KM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo BásicoKM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo Básico
KM Brasil 2011 Estratégia e Conhecimento um Modelo Básico
 
Liderança e Gestão do Capital Intelectual
Liderança e Gestão do Capital IntelectualLiderança e Gestão do Capital Intelectual
Liderança e Gestão do Capital Intelectual
 
Gestão do Conhecimento - FEI / 2010
Gestão do Conhecimento - FEI / 2010Gestão do Conhecimento - FEI / 2010
Gestão do Conhecimento - FEI / 2010
 
Religiosidade, Altruísmo e Gestão do Conhecimento
Religiosidade, Altruísmo e Gestão do ConhecimentoReligiosidade, Altruísmo e Gestão do Conhecimento
Religiosidade, Altruísmo e Gestão do Conhecimento
 
O Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas Organizações
O Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas OrganizaçõesO Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas Organizações
O Uso Da Informação E O Ciclo Da Informação Nas Organizações
 
O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...
O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...
O processo de transferência de Conhecimento entre corporações multinacionais ...
 
Anexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvim
Anexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvimAnexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvim
Anexo82 gestao conhecimento-paulocesaralvim
 
Wiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de caso
Wiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de casoWiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de caso
Wiki como ferramenta de colaboração em empresas familiares – estudo de caso
 
O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...
O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...
O impacto da rotatividade na Gestão do Conhecimento Organizacional. A rotativ...
 
Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)
Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)
Gestão do Conhecimento - Sistemas de Informação (FEI - 1º sem/2013)
 
Ebook10 planejamento comunicacao_interna
Ebook10 planejamento comunicacao_internaEbook10 planejamento comunicacao_interna
Ebook10 planejamento comunicacao_interna
 
Gestão do Conhecimento e Tecnologia
Gestão do Conhecimento e TecnologiaGestão do Conhecimento e Tecnologia
Gestão do Conhecimento e Tecnologia
 
Portais corporativos
Portais corporativosPortais corporativos
Portais corporativos
 

Último

Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 

Sistemas de Informação - Inteligencia coletiva parte 3

  • 1. Administração de Sistemas de Informação Prof. Paulo Sérgio Ramão
  • 2. Sistemas de Informação Estratégias para o Conhecimento e Empresarial desenvolvimento do da Inteligência
  • 3. Sistemas de Informação Inteligência Empresarial... Ikujiro Nonaka, professor na Universidade de Hitotsubashi é um dos autores mais citados na área de Gestão do Conhecimento. Segundo ele, há duas formas de conhecimento: o explícito e o tácito. De acordo com o autor, a chave para criação do conhecimento reside na mobilização e na conversão do conhecimento tácito. Juntamente com o Prof. Takeuchim propõe quatro modos de conversão de conhecimento:
  • 4. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas...  Socialização - conhecimento tácito em conhecimento tácito. O conhecimento tácito é aquele usado na comunicação entre pessoas. A experiência compartilhada consiste em ponto fundamental para a aquisição desse tipo de conhecimento. Todavia, não é somente a simples transferência de informações. “É um fazer junto” que supõe confiança mútua e vivência cotidiana nas situações de trabalho. Ex.: Quando dois amigos conversam sobre um game, trocando informações sobre comandos específicos.
  • 5. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas...  Externalização - conhecimento tácito em conhecimento explícito. Segundo Nonaka e Takeuchi esse é o processo perfeito de criação do conhecimento, na medida em que o conhecimento tácito se torna explícito, expresso na forma de metáforas, analogias, conceitos, hipóteses ou modelos. É provocado pelo diálogo e pela reflexão entre duas pessoas, grupo e/ou coletividade. Ex.: Um dos amigos que conversavam sobre um determinado game resolve sistematizar os conhecimentos tácitos obtidos, e escreve um manual sobre como operar o game.
  • 6. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas...  Combinação - conhecimento explícito em conhecimento explícito. É um processo de sistematização de conceitos em um sistema de conhecimento, e permite a reconfiguração das informações existentes através da classificação, do acréscimo, da combinação e da categorização do conhecimento explícito, o que pode levar a novos conhecimentos. Indivíduos trocam e combinam o conhecimento através de documentos, reuniões, conversas telefônicas ou redes computadorizadas. Ex.: Pessoas que leram o manual do game acrescentam novos comandos ou sugestões, adicionando novos conhecimentos.
  • 7. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas...  Internalização - conhecimento explícito em conhecimento tácito. A internalização é “o processo de incorporação do conhecimento explícito no conhecimento tácito”, provocando mudança e enriquecimento das práticas individuais, grupais e coletivas. A documentação de experiências (por meio de manuais, livros, regras e documentos diversos) ajuda as pessoas a internalizarem suas experiências, ampliando seu conhecimento tácito. Este processo está intimamente ligado ao “aprender fazendo”. Ex.: Um indivíduo que leu o manual do game e utiliza, na prática, as sugestões do mesmo para avançar de fase ou superar dificuldades.
  • 8. Sistemas de Informação Relembrando... Conforme vimos no modelo de produção japonês, o conhecimento e a inteligência foram difundidos e ampliados nas empresas com uma atitude simples. Qual foi ela?
  • 9. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas... A comunicação entre os participantes do processo de produção viabilizou a transmissão dos conhecimentos tácito e explícito, gerando e alimentando um círculo que permitiu a conquista de vantagens competitivas importantes. A partir de uma interação dinâmica e permanente entre os conhecimentos tácito e explícito, temos a criação do Conhecimento Empresarial, representada pela “Espiral do Conhecimento”.
  • 11. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas... Embora novas tecnologias e processos tenham surgido desse novo modelo de proceder em relação às equipes e pessoas envolvidas no processo, este não é um modelo de gestão tecnológica mas de gestão do conhecimento. Ele pode servir, então, como benchmarking, para a administração de sistemas de informação.
  • 12. Sistemas de Informação Criação de conhecimento nas empresas... Sendo a mudança de atitude – ouvir as pessoas – responsável pelo estabelecimento de vantagens competitivas, os sistemas de informação, como uma ferramenta extraordinária para propiciar a interação entre as pessoas, serão fundamentais para o desenvolvimento do conhecimento e para a criação e o desenvolvimento da inteligência coletiva no ambiente empresarial.
  • 13. Sistemas de Informação Exemplos de algumas formas de uso de sistemas de comunicação em rede, possibilitando a transmissão de conhecimento explícito e tácito. Fóruns de debate: Podem ser usados para discussão de temas específicos, tais como a melhoria do atendimento ao cliente, melhoria em processos, melhoria da qualidade, dentre outros. As discussões são mais amplas, voltadas para aspectos diversos de um determinado tema. Ao sistematizar ideias para que elas possam ser escritas nos fóruns, uma pessoa executa o processo de externalização (tácito para explícito). Ao fazer uma consulta ao fórum, a pessoa pode fazer o processo de internalização (explícito para tácito).
  • 14. Sistemas de Informação Continuação... Blogs (incluindo fotoblogs, podcasts): Podem ser usados para auxiliar grupos participantes de projetos específicos. Ao contrário dos fóruns, onde a conversa é mais livre e abrangente, o blog é mais restrito e específico, podendo ser usado, por exemplo, no desenvolvimento de um novo produto ou serviço. Funciona mais como uma área de relato de informações, experiências ou necessidades. Facilitam o processo de combinação (explícito para explícito), onde o conhecimento explícito é sistematizado, acrescido e (re)combinado, gerando novos conhecimentos.
  • 15. Sistemas de Informação Continuação... Grupos de email: São muito bons na disseminação e recepção de novas ideias. Deve-se estimular alguns dos funcionários a participar de grupos de discussão para que possam coletar informações potencialmente úteis à empresa. Contribuem no processo de transmissão do conhecimento tácito, sendo um ótimo instrumento no processo de socialização (tácito para tácito).
  • 16. Sistemas de Informação Continuação... Sites: Não se trata do site institucional da empresa, mas de soluções específicas para grupos de trabalho, projetos e outros. Ex.: a disponibilização de um site com FAQ (Frequently Asked Question – Questões Frequentemente Formuladas) para instruir os colaboradores. O FAQ agiliza os serviços de novos colaboradores, auxiliando na transmissão de informações e de conhecimentos consolidados sobre determinados temas. Auxilia no processo de internalização (explícito para tácito), sendo que a pessoa verifica o conhecimento já disponível e soma-o à sua própria experiência.
  • 17. Sistemas de Informação Desenvolvendo a inteligência coletiva nas empresas... À medida que o conhecimento flui entre as diversas áreas da empresa, com a participação ativa de funcionários e colaboradores, vai sendo desenvolvida uma inteligência coletiva. Os participante deixam de ser meros receptores e passam a colaborar em todo o processo.
  • 18. Sistemas de Informação Para finalizar... A maneira como a organização reúne, administra e usa a informação determina a sobrevivência da mesma!