SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
O Planejamento Estratégico, Tático e
Operacional
Prof. Eliseu Fortolan
Prof. Eliseu Fortolan
É importante saber...
• É a finalidade da existência de uma organização e está
intimamente ligada aos objetivos institucionais. Representa a
razão de ser da empresa. Geralmente não é alterada.
Missão
• É a posição que a organização pretende alcançar em um
determinado tempo. As ambições da organização criam um
clima de envolvimento e comprometimento com o futuro dela.
Visão
• É um conjunto de características que forma a identidade das
organizações e como elas interagem com os clientes,
fornecedores e como meio ambiente.
Valores
Prof. Eliseu Fortolan
Exemplos de Missão...
“Satisfazer as necessidades dos clientes e superar as
expectativas deles, atuando com princípios éticos, respeitando a
sociedade e o meio ambiente. Trabalhar com espírito de servir,
promovendo o bem estar das pessoas e traduzindo essas
intenções em valores percebíveis pelos clientes, conquistando a
fidelidade dele e assegurando o crescimento e a evolução do
negócio”.
“Suprir as necessidades de alimentação do ser humano, com
produtos saborosos e saudáveis. Criar valor para o acionista,
para o cliente e para o consumidor, contribuindo para o
crescimento dos colaboradores”.
Prof. Eliseu Fortolan
Exemplos de Visão...
“Crescer de forma sustentável seguindo os princípios Toyota de
gestão, tornando-se referência em qualidade e atendimento,
consolidando a marca no mercado local e global, realizando o
melhor atendimento, mantendo acima de tudo a alegria,
harmonia e satisfação no ambiente organizacional”.
A empresa “se diferenciará pela imagem de sua marca, por
excelência nos serviços, inovação e qualidade dos produtos".
Prof. Eliseu Fortolan
Planejamento
 Conceito genérico
Decidir antecipadamente o que será feito a curto, médio ou a longo prazo. Futuro agradável.
Planejamento Estratégico
Planejamento Tático
Planejamento Operacional
 Finalidade
Alcançar os objetivos e metas, tanto os empresarial quanto os social. Esses objetivos e metas
também podem ser chamados de micro e macroeconômico.
Prof. Eliseu Fortolan
Definição dos Planejamentos
 Planejamento Estratégico
O processo administrativo que estabelece a melhor direção a ser adotada pela empresa,
visando uma ótima interação com os ambientes externo e interno, operando de forma
inovadora e diferenciada, influenciando todos os colaboradores.
Proporciona vantagens competitivas frente aos
concorrentes e conduz as empresas ao crescimento e à
sobrevivência.
Prof. Eliseu Fortolan
Definição dos Planejamentos
 Planejamento Tático
Tem como finalidade melhorar os resultados de um determinado setor ou subsetor e não da
a empresa como um todo, trabalhando com a desfragmentação dos objetivos estabelecidos
no planejamento estratégico.
 Planejamento Operacional
Enfoca em identificar procedimentos e processos específicos
requeridos nos níveis mais baixos de uma organização.
Ele descreve os detalhes necessários para as
operações diárias.
Prof. Eliseu Fortolan
A sequência lógica do Planejamento Estratégico
Qual a posição atual da empresa?
Quais os objetivos e as metas da empresa?
Qual é a realidade do mercado?
Quais são as estratégias possíveis?
Qual é a melhor estratégia?
Implementação do Planejamento Estratégico.
Prof. Eliseu Fortolan
O Planejamento Estratégico
 As cinco forças de Porter
Michael Porter identificou cinco forças que determinam a atratividade de um segmento em
longo prazo.
Concorrentes
Fornecedores
Compradores
Substitutos
Novos concorrentes
Prof. Eliseu Fortolan
As cinco forças de Porter
 Concorrentes
Um segmento não será atrativo se possuir concorrentes poderosos, e barreiras à saída
grandes. Essas condições do segmento levarão os concorrentes a enfrentarem guerra de
preços, batalha de propaganda e lançamentos de novos produtos.
 Fornecedores
Não é atrativo aquele segmento cujo preço do produto a ser fornecido pela empresa
depender apenas de um fornecedor, tendo ele o poder de ditar o preço pelo qual o produto
será vendido.
 Pouca opção de suprimento;
 Produto importante.
Prof. Eliseu Fortolan
As cinco forças de Porter
 Compradores
Tentarão forçar uma queda dos preços, exigirão mais qualidade e colocarão os concorrentes
uns contra os outros. Para se protegerem é necessário que as empresas busquem
compradores que necessitam do produto, que possuem uma menor capacidade de
negociação e que tem dificuldade em mudar de fornecedor.
 Substitutos
Limitam os preços e os lucros de um segmento quando existem em um segmento, podendo
fazer com que o produto ofertado seja facilmente trocado por outro. Preços e tendências
devem ser monitorados constantemente para manter o produto a frente dos demais.
Prof. Eliseu Fortolan
As cinco forças de Porter
 Novos concorrentes
O melhor segmento é aquele que possui altas barreiras para entrada e baixas barreiras para
a saída.
 Dificuldades para o ingresso de novos concorrentes;
 Facilidades para a saída da concorrência.
Prof. Eliseu Fortolan
O Planejamento Estratégico
Forças
Elemento internos que
contribuem para o negócio
Fraquezas
Elementos internos que
dificultam o negócio
Oportunidades
Elementos externos que
contribuem para o negócio
Ameaças
Elementos externos que
dificultam o negócio
Análise
SWOT
Prof. Eliseu Fortolan
A Análise SWOT
 Finalidade
Analisar o ambiente interno e externo da organização a fim de estruturar um plano de ação
para reduzir os riscos e aumentar as chances de sucesso da empresa, anulando os pontos
fracos e enfocando nos pontos fortes.
Incentiva o gestor a analisar sua empresa sob
diversas perspectivas de forma simples,
objetiva e propositiva
Estratégias Competitivas
Prof. Eliseu Fortolan
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia Competitiva
 Conceito
Entende-se como a tomada de decisões no que tange a atitudes ofensivas ou defensivas no
sentido de dominar um determinado setor e adquirir habilidades para lidar com as cinco
forças competitivas. O resultado será um retorno superior ao investimento.
 Finalidade
Maximizar os resultados empresarial para que estes sejam sempre superiores aos valores do
investimento, tanto o inicial como o incremental.
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégias Competitivas
No entendimento de Michael Porter existem somente três estratégias bem sucedidas e
internamente coerentes para ter um desempenho superior ao dos concorrentes. No entanto,
ele mesmo admite que as empresas encontraram diversas formas para sedimentar a
superioridade.
Estratégia de foco
Estratégia de custo
Estratégia de diferenciação
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Custo
 Não a tenhamos como sinônimo de baixa qualidade do produto ou serviço, mas uma
atenção total à gerencia dos custos, principalmente os fixos, uma vez que estes impactam
diretamente o preço oferecido ao cliente.
 A empresa centra seus esforços na busca de eficiência produtiva, na ampliação do volume
de produção e na minimização de gastos com propaganda, assistência técnica, distribuição,
pesquisa e desenvolvimento, entre outros.
O preço é um dos principais atrativos para o consumidor.
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Custo
 Algumas ações para reduzir custos
 Reengenharia do produto
 Manter somente o básico, excluindo os extras
 Redução ou eliminação de atividades supérfluas
 Reengenharia do processo produtivo
 Redução dos custos logísticos
Prof. Eliseu Fortolan
Riscos da Estratégia de Custo
 Atenção total somente à fabricação
 MP de qualidade
 MDO qualificada
 P & D
 Obsolescência do produto
 P & P
 Anonimato da marca
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Custo
 Exemplos de empresas com estratégia de custos
 Azul – linhas aéreas
 Bic – canetas esferográficas
 Walmart – rede varejistas
Estratégia de Custo
A empresa apresenta condições de
produzir a um custo inferior ao dos
concorrentes
A empresa pratica preços
iguais aos dos concorrentes e
gera mais lucro
A empresa pratica preços
menores que os concorrentes
e amplia o marketshare
Lógica de vantagens
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Diferenciação
 Esta é uma resposta à estratégia de custo, porque viabiliza a singularidade dos produtos ou
serviços subsidiando a fixação de um preço de venda diferenciado. No entanto, pouco
importante para o cliente dado à agregação de valor ao produto ou serviço.
 Na contramão da estratégia de custo, onde somente um concorrente é o verdadeiro líder,
pode haver diferentes concorrentes exercendo a diferenciação, cada qual enfatizando um
atributo diferente dos demais.
Os atributos são os principais atrativos para o consumidor.
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Diferenciação
• Desempenho, conformidade, durabilidade, confiabilidade, adequação
ao uso, outros.
Produto
• Entrega, instalação, consultoria, conserto, outros.
Serviços
• Aparência, competência, cordialidade, credibilidade, confiabilidade,
responsabilidade, comunicação, outros.
Pessoal
• Embalagem, formas, cores, outros.
Imagem
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Diferenciação
 Alguns exemplos de atributos que tornam o produto ou o serviço uno.
 A qualidade do produto
 A qualidade do atendimento
 A qualidade do ambiente
 A estrutura física e tecnológica
 O estilo do produto
 O prestígio proporcionado
Prof. Eliseu Fortolan
Riscos da Estratégia de Diferenciação
 Diferenciação excessiva
 Elevação do preço do produto
 Enfoque exagerado no produto
 Similaridade do produto no futuro
 Decadência do atributo diferenciador
 Ignorar as mudanças de hábitos ou gostos
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Diferenciação
 Exemplos de empresas com estratégia de diferenciação
 Coca Cola – companhia de refrigerantes
 Mont Blanc – canetas esferográficas
 McDonald’s – Fastfoods
Estratégia de Diferenciação
A empresa insere atributos no
produto que a torna diferente dos
concorrentes
A empresa pratica preços
iguais aos dos concorrentes e
aumenta o marketshare
A empresa pratica preços
premiuns e gera mais lucros
que os concorrentes
Lógica de vantagens
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Foco
 A estratégia de foco difere-se das demais porque a empresa decide conscientemente atingir
apenas um segmento restrito do mercado consumidor. Portanto, por meio do custo ou da
diferenciação, a empresa será especialista em atender pequenos segmentos, também
chamados de nichos de mercado.
 Risco da estratégia de foco
O público alvo pode não apresentar “volume de operações”
que viabilize a sustentabilidade a estratégia adotada.
Prof. Eliseu Fortolan
Estratégia de Foco
 Exemplos de empresas com estratégia de foco
 Ferrari, Jaguar, Mercedes, BMW – indústrias automotivas
 Azzaro – perfumes masculinos
 Armani – moda social masculina
 Vitor Hugo – acessórios feminino
 Lojas de 1,99 – utilidades domésticas
 Frango Assado – lojas de conveniências
 Alfaiataria, “plus size”, roupas brancas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
alemartins10
 

Mais procurados (20)

Práticas Administrativas - Aulas 3 e 4
Práticas Administrativas - Aulas 3 e 4Práticas Administrativas - Aulas 3 e 4
Práticas Administrativas - Aulas 3 e 4
 
CHA - Conhecimento, Habilidade e Atitude.
CHA - Conhecimento, Habilidade e Atitude.CHA - Conhecimento, Habilidade e Atitude.
CHA - Conhecimento, Habilidade e Atitude.
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 
Introd aux adm 2411 (1)
Introd aux adm 2411 (1)Introd aux adm 2411 (1)
Introd aux adm 2411 (1)
 
Gestão do Tempo
Gestão do TempoGestão do Tempo
Gestão do Tempo
 
Funções da Administração
Funções da AdministraçãoFunções da Administração
Funções da Administração
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
 
Gestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégicoGestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégico
 
Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégiasTreinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
 
Gestão do Tempo e Produtividade - Conceitos e Ferramentas
Gestão do Tempo e Produtividade - Conceitos e FerramentasGestão do Tempo e Produtividade - Conceitos e Ferramentas
Gestão do Tempo e Produtividade - Conceitos e Ferramentas
 
Treinamento & Desenvolvimento
Treinamento & DesenvolvimentoTreinamento & Desenvolvimento
Treinamento & Desenvolvimento
 
Aula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de PessoasAula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de Pessoas
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão OrganizacionalAula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 

Semelhante a Planejamento Empresarial

Ig Capitulo8
Ig Capitulo8Ig Capitulo8
Ig Capitulo8
jmcosta
 
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
wilson pereira dos santos
 
Conceitos de gestao_e_perfil_do_gestor
Conceitos de gestao_e_perfil_do_gestorConceitos de gestao_e_perfil_do_gestor
Conceitos de gestao_e_perfil_do_gestor
Sesc Rio
 
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Lara Selem
 
Aula 2 ucam jpa 2013.1 avaliaçao de empresas
Aula 2 ucam jpa 2013.1   avaliaçao de empresasAula 2 ucam jpa 2013.1   avaliaçao de empresas
Aula 2 ucam jpa 2013.1 avaliaçao de empresas
Angelo Peres
 

Semelhante a Planejamento Empresarial (20)

Pós Endomarketing e comunicação corporativa
Pós Endomarketing e comunicação corporativaPós Endomarketing e comunicação corporativa
Pós Endomarketing e comunicação corporativa
 
Planejamento Estratégio
Planejamento EstratégioPlanejamento Estratégio
Planejamento Estratégio
 
Apresentação insitucional
Apresentação insitucionalApresentação insitucional
Apresentação insitucional
 
Ig Capitulo8
Ig Capitulo8Ig Capitulo8
Ig Capitulo8
 
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
 
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de NegóciosInstituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
 
Conceitos de gestao_e_perfil_do_gestor
Conceitos de gestao_e_perfil_do_gestorConceitos de gestao_e_perfil_do_gestor
Conceitos de gestao_e_perfil_do_gestor
 
Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
 
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
 
Mini-curso de Marketing e Gestão Empresarial para Dentistas
Mini-curso de Marketing e Gestão Empresarial para DentistasMini-curso de Marketing e Gestão Empresarial para Dentistas
Mini-curso de Marketing e Gestão Empresarial para Dentistas
 
Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Aula 2 ucam jpa 2013.1 avaliaçao de empresas
Aula 2 ucam jpa 2013.1   avaliaçao de empresasAula 2 ucam jpa 2013.1   avaliaçao de empresas
Aula 2 ucam jpa 2013.1 avaliaçao de empresas
 
Endomarketing: fundamentos e princípios
Endomarketing: fundamentos e princípiosEndomarketing: fundamentos e princípios
Endomarketing: fundamentos e princípios
 
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico DígitroSeminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
 
Planear
PlanearPlanear
Planear
 
Estratégia empresarial
Estratégia empresarialEstratégia empresarial
Estratégia empresarial
 
Grupo3 g3 na_hiring the best
Grupo3 g3 na_hiring the bestGrupo3 g3 na_hiring the best
Grupo3 g3 na_hiring the best
 
Planejamento Estratégico, Tático e Operacional
Planejamento Estratégico, Tático e OperacionalPlanejamento Estratégico, Tático e Operacional
Planejamento Estratégico, Tático e Operacional
 
Endomarketing a base para a estruturação das empresas e organizações para o ...
Endomarketing a base para a estruturação das empresas e  organizações para o ...Endomarketing a base para a estruturação das empresas e  organizações para o ...
Endomarketing a base para a estruturação das empresas e organizações para o ...
 
Pós Consultoria de Recursos Humanos (RH)
Pós Consultoria de Recursos Humanos (RH)Pós Consultoria de Recursos Humanos (RH)
Pós Consultoria de Recursos Humanos (RH)
 

Mais de Eliseu Fortolan

Mais de Eliseu Fortolan (20)

Teoria da Burocracia
Teoria da BurocraciaTeoria da Burocracia
Teoria da Burocracia
 
Legislação Trabalhista
Legislação TrabalhistaLegislação Trabalhista
Legislação Trabalhista
 
Classificação das empresas e regimes tributários
Classificação das empresas e regimes tributáriosClassificação das empresas e regimes tributários
Classificação das empresas e regimes tributários
 
Gestão Empresarial
Gestão EmpresarialGestão Empresarial
Gestão Empresarial
 
Gestão da Qualidade
Gestão da QualidadeGestão da Qualidade
Gestão da Qualidade
 
Licitações Públicas
Licitações PúblicasLicitações Públicas
Licitações Públicas
 
Métodos de avaliação de estoques
Métodos de avaliação de estoquesMétodos de avaliação de estoques
Métodos de avaliação de estoques
 
Cálculo e Contabilização da Folha de Pagamento
Cálculo e Contabilização da Folha de PagamentoCálculo e Contabilização da Folha de Pagamento
Cálculo e Contabilização da Folha de Pagamento
 
Gestão da Melhoria Contínua
Gestão da Melhoria ContínuaGestão da Melhoria Contínua
Gestão da Melhoria Contínua
 
Gestão da Qualidade
Gestão da QualidadeGestão da Qualidade
Gestão da Qualidade
 
Regressão linear múltipla
Regressão linear múltipla Regressão linear múltipla
Regressão linear múltipla
 
Reforma trabalhista
Reforma trabalhistaReforma trabalhista
Reforma trabalhista
 
Legislação Empresarial
Legislação EmpresarialLegislação Empresarial
Legislação Empresarial
 
Legislação Empresarial e Legislação Trabalhista
Legislação Empresarial e Legislação TrabalhistaLegislação Empresarial e Legislação Trabalhista
Legislação Empresarial e Legislação Trabalhista
 
Legislação Trabalhista
Legislação TrabalhistaLegislação Trabalhista
Legislação Trabalhista
 
Contabilidade de Custo: uma ferramenta gerencial e estratégica
Contabilidade de Custo: uma ferramenta gerencial e estratégicaContabilidade de Custo: uma ferramenta gerencial e estratégica
Contabilidade de Custo: uma ferramenta gerencial e estratégica
 
Introdução à Contabilidade
Introdução à ContabilidadeIntrodução à Contabilidade
Introdução à Contabilidade
 
Introdução à Gestão Empresarial
Introdução à Gestão EmpresarialIntrodução à Gestão Empresarial
Introdução à Gestão Empresarial
 
Introdução à Legislação Empresarial
Introdução à Legislação EmpresarialIntrodução à Legislação Empresarial
Introdução à Legislação Empresarial
 
Introdução à Gestão Financeira
Introdução à Gestão FinanceiraIntrodução à Gestão Financeira
Introdução à Gestão Financeira
 

Último

Último (8)

Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 

Planejamento Empresarial

  • 1. O Planejamento Estratégico, Tático e Operacional Prof. Eliseu Fortolan
  • 2. Prof. Eliseu Fortolan É importante saber... • É a finalidade da existência de uma organização e está intimamente ligada aos objetivos institucionais. Representa a razão de ser da empresa. Geralmente não é alterada. Missão • É a posição que a organização pretende alcançar em um determinado tempo. As ambições da organização criam um clima de envolvimento e comprometimento com o futuro dela. Visão • É um conjunto de características que forma a identidade das organizações e como elas interagem com os clientes, fornecedores e como meio ambiente. Valores
  • 3. Prof. Eliseu Fortolan Exemplos de Missão... “Satisfazer as necessidades dos clientes e superar as expectativas deles, atuando com princípios éticos, respeitando a sociedade e o meio ambiente. Trabalhar com espírito de servir, promovendo o bem estar das pessoas e traduzindo essas intenções em valores percebíveis pelos clientes, conquistando a fidelidade dele e assegurando o crescimento e a evolução do negócio”. “Suprir as necessidades de alimentação do ser humano, com produtos saborosos e saudáveis. Criar valor para o acionista, para o cliente e para o consumidor, contribuindo para o crescimento dos colaboradores”.
  • 4. Prof. Eliseu Fortolan Exemplos de Visão... “Crescer de forma sustentável seguindo os princípios Toyota de gestão, tornando-se referência em qualidade e atendimento, consolidando a marca no mercado local e global, realizando o melhor atendimento, mantendo acima de tudo a alegria, harmonia e satisfação no ambiente organizacional”. A empresa “se diferenciará pela imagem de sua marca, por excelência nos serviços, inovação e qualidade dos produtos".
  • 5. Prof. Eliseu Fortolan Planejamento  Conceito genérico Decidir antecipadamente o que será feito a curto, médio ou a longo prazo. Futuro agradável. Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional  Finalidade Alcançar os objetivos e metas, tanto os empresarial quanto os social. Esses objetivos e metas também podem ser chamados de micro e macroeconômico.
  • 6. Prof. Eliseu Fortolan Definição dos Planejamentos  Planejamento Estratégico O processo administrativo que estabelece a melhor direção a ser adotada pela empresa, visando uma ótima interação com os ambientes externo e interno, operando de forma inovadora e diferenciada, influenciando todos os colaboradores. Proporciona vantagens competitivas frente aos concorrentes e conduz as empresas ao crescimento e à sobrevivência.
  • 7. Prof. Eliseu Fortolan Definição dos Planejamentos  Planejamento Tático Tem como finalidade melhorar os resultados de um determinado setor ou subsetor e não da a empresa como um todo, trabalhando com a desfragmentação dos objetivos estabelecidos no planejamento estratégico.  Planejamento Operacional Enfoca em identificar procedimentos e processos específicos requeridos nos níveis mais baixos de uma organização. Ele descreve os detalhes necessários para as operações diárias.
  • 8. Prof. Eliseu Fortolan A sequência lógica do Planejamento Estratégico Qual a posição atual da empresa? Quais os objetivos e as metas da empresa? Qual é a realidade do mercado? Quais são as estratégias possíveis? Qual é a melhor estratégia? Implementação do Planejamento Estratégico.
  • 9. Prof. Eliseu Fortolan O Planejamento Estratégico  As cinco forças de Porter Michael Porter identificou cinco forças que determinam a atratividade de um segmento em longo prazo. Concorrentes Fornecedores Compradores Substitutos Novos concorrentes
  • 10. Prof. Eliseu Fortolan As cinco forças de Porter  Concorrentes Um segmento não será atrativo se possuir concorrentes poderosos, e barreiras à saída grandes. Essas condições do segmento levarão os concorrentes a enfrentarem guerra de preços, batalha de propaganda e lançamentos de novos produtos.  Fornecedores Não é atrativo aquele segmento cujo preço do produto a ser fornecido pela empresa depender apenas de um fornecedor, tendo ele o poder de ditar o preço pelo qual o produto será vendido.  Pouca opção de suprimento;  Produto importante.
  • 11. Prof. Eliseu Fortolan As cinco forças de Porter  Compradores Tentarão forçar uma queda dos preços, exigirão mais qualidade e colocarão os concorrentes uns contra os outros. Para se protegerem é necessário que as empresas busquem compradores que necessitam do produto, que possuem uma menor capacidade de negociação e que tem dificuldade em mudar de fornecedor.  Substitutos Limitam os preços e os lucros de um segmento quando existem em um segmento, podendo fazer com que o produto ofertado seja facilmente trocado por outro. Preços e tendências devem ser monitorados constantemente para manter o produto a frente dos demais.
  • 12. Prof. Eliseu Fortolan As cinco forças de Porter  Novos concorrentes O melhor segmento é aquele que possui altas barreiras para entrada e baixas barreiras para a saída.  Dificuldades para o ingresso de novos concorrentes;  Facilidades para a saída da concorrência.
  • 13. Prof. Eliseu Fortolan O Planejamento Estratégico Forças Elemento internos que contribuem para o negócio Fraquezas Elementos internos que dificultam o negócio Oportunidades Elementos externos que contribuem para o negócio Ameaças Elementos externos que dificultam o negócio Análise SWOT
  • 14. Prof. Eliseu Fortolan A Análise SWOT  Finalidade Analisar o ambiente interno e externo da organização a fim de estruturar um plano de ação para reduzir os riscos e aumentar as chances de sucesso da empresa, anulando os pontos fracos e enfocando nos pontos fortes. Incentiva o gestor a analisar sua empresa sob diversas perspectivas de forma simples, objetiva e propositiva
  • 16. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia Competitiva  Conceito Entende-se como a tomada de decisões no que tange a atitudes ofensivas ou defensivas no sentido de dominar um determinado setor e adquirir habilidades para lidar com as cinco forças competitivas. O resultado será um retorno superior ao investimento.  Finalidade Maximizar os resultados empresarial para que estes sejam sempre superiores aos valores do investimento, tanto o inicial como o incremental.
  • 17. Prof. Eliseu Fortolan Estratégias Competitivas No entendimento de Michael Porter existem somente três estratégias bem sucedidas e internamente coerentes para ter um desempenho superior ao dos concorrentes. No entanto, ele mesmo admite que as empresas encontraram diversas formas para sedimentar a superioridade. Estratégia de foco Estratégia de custo Estratégia de diferenciação
  • 18. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Custo  Não a tenhamos como sinônimo de baixa qualidade do produto ou serviço, mas uma atenção total à gerencia dos custos, principalmente os fixos, uma vez que estes impactam diretamente o preço oferecido ao cliente.  A empresa centra seus esforços na busca de eficiência produtiva, na ampliação do volume de produção e na minimização de gastos com propaganda, assistência técnica, distribuição, pesquisa e desenvolvimento, entre outros. O preço é um dos principais atrativos para o consumidor.
  • 19. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Custo  Algumas ações para reduzir custos  Reengenharia do produto  Manter somente o básico, excluindo os extras  Redução ou eliminação de atividades supérfluas  Reengenharia do processo produtivo  Redução dos custos logísticos
  • 20. Prof. Eliseu Fortolan Riscos da Estratégia de Custo  Atenção total somente à fabricação  MP de qualidade  MDO qualificada  P & D  Obsolescência do produto  P & P  Anonimato da marca
  • 21. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Custo  Exemplos de empresas com estratégia de custos  Azul – linhas aéreas  Bic – canetas esferográficas  Walmart – rede varejistas
  • 22. Estratégia de Custo A empresa apresenta condições de produzir a um custo inferior ao dos concorrentes A empresa pratica preços iguais aos dos concorrentes e gera mais lucro A empresa pratica preços menores que os concorrentes e amplia o marketshare Lógica de vantagens
  • 23. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Diferenciação  Esta é uma resposta à estratégia de custo, porque viabiliza a singularidade dos produtos ou serviços subsidiando a fixação de um preço de venda diferenciado. No entanto, pouco importante para o cliente dado à agregação de valor ao produto ou serviço.  Na contramão da estratégia de custo, onde somente um concorrente é o verdadeiro líder, pode haver diferentes concorrentes exercendo a diferenciação, cada qual enfatizando um atributo diferente dos demais. Os atributos são os principais atrativos para o consumidor.
  • 24. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Diferenciação • Desempenho, conformidade, durabilidade, confiabilidade, adequação ao uso, outros. Produto • Entrega, instalação, consultoria, conserto, outros. Serviços • Aparência, competência, cordialidade, credibilidade, confiabilidade, responsabilidade, comunicação, outros. Pessoal • Embalagem, formas, cores, outros. Imagem
  • 25. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Diferenciação  Alguns exemplos de atributos que tornam o produto ou o serviço uno.  A qualidade do produto  A qualidade do atendimento  A qualidade do ambiente  A estrutura física e tecnológica  O estilo do produto  O prestígio proporcionado
  • 26. Prof. Eliseu Fortolan Riscos da Estratégia de Diferenciação  Diferenciação excessiva  Elevação do preço do produto  Enfoque exagerado no produto  Similaridade do produto no futuro  Decadência do atributo diferenciador  Ignorar as mudanças de hábitos ou gostos
  • 27. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Diferenciação  Exemplos de empresas com estratégia de diferenciação  Coca Cola – companhia de refrigerantes  Mont Blanc – canetas esferográficas  McDonald’s – Fastfoods
  • 28. Estratégia de Diferenciação A empresa insere atributos no produto que a torna diferente dos concorrentes A empresa pratica preços iguais aos dos concorrentes e aumenta o marketshare A empresa pratica preços premiuns e gera mais lucros que os concorrentes Lógica de vantagens
  • 29. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Foco  A estratégia de foco difere-se das demais porque a empresa decide conscientemente atingir apenas um segmento restrito do mercado consumidor. Portanto, por meio do custo ou da diferenciação, a empresa será especialista em atender pequenos segmentos, também chamados de nichos de mercado.  Risco da estratégia de foco O público alvo pode não apresentar “volume de operações” que viabilize a sustentabilidade a estratégia adotada.
  • 30. Prof. Eliseu Fortolan Estratégia de Foco  Exemplos de empresas com estratégia de foco  Ferrari, Jaguar, Mercedes, BMW – indústrias automotivas  Azzaro – perfumes masculinos  Armani – moda social masculina  Vitor Hugo – acessórios feminino  Lojas de 1,99 – utilidades domésticas  Frango Assado – lojas de conveniências  Alfaiataria, “plus size”, roupas brancas