SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Planejamento e Práxis Pedagógica:
As contribuições docentes para a
potencializar conhecimentos.
Ivanilson Lima
Quais as minhas expectativas?
O que espero de um encontro com essa temática?
Como espero me sentir ao final desse dia?
O desarme é necessário
Meu Desarmamento é
Intolerância
Qual o seu desarmamento?
Protagonismo Juvenil
- Que tipo de jovens queremos formar?
- Que potenciais verifico nesses jovens?
- Quais pontos de atenção?
- Quais atores influenciam esses jovens em sua
prática diária?
- Como posso colaborar para potencializar esses
jovens na sua atuação cotidiana?
Co-responsabilidade
- Como percebo a responsabilidade dos meus alunos
sobre seu aprendizado?
- Como percebo o compromisso dos atores ligados ao
aluno com o aprendizado?
- Como me vejo nesse processo?
- Quais estratégias já desenvolvi para proporcionar a
busca pelo conhecimento dos alunos?
- Conheço as práticas dos meus pares na busca dessa
responsabilidade discente pelo aprendizado?
- Como posso contribuir para potencializar essa
responsabilidade dos jovens?
Replicabilidade
- Quais iniciativas dos jovens merecem destaque e
reconhecimento em nossa realidade?
- Quais iniciativas preciso concentrar esforços para
fazer os jovens de minha escola serem protagonistas
e responsáveis por seu aprendizado?
- Quais iniciativas negativas precisamos desencorajar?
- Como posso verificar minhas ações e de meus pares
que merecem destaque e reconhecimento?
- Quais momentos verifiquei na escola que considero
merecer replicabilidade?
Pedagogia da Presença
Plenitude Pessoal e Profissional
PDCA
Planejamento Político Pedagógico
Qual o propósito da escola?
Qual meu propósito enquanto professor?
Qual meu propósito com cada etapa?
Planejar para o Bom Desempenho Acadêmico
Planejamento -> Plano de Aula.
- Progredir do planejamento para os planos;
- Traçar objetivos para atingir metas;
- Determinar avaliação para verificar eficácia;
- Decidir suas atividades.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Qual o meu propósito com essa aula?
Planejar para o Bom Desempenho Acadêmico
Planos de Aula
- O que meus alunos vão entender hoje?
- Que resultado eu espero com o conteúdo?
- Como esse resultado se relaciona com o que vou planejar para amanhã e
para os alunos continuarem aprendendo nos anos vindouros?
“Grandes aulas começam com o planejamento e especificamente com o ‘planejamento da
unidade’: planejar uma sequência de objetivos, um ou talvez dois por aula, para um longo
período de tempo [...]”
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Qual meu propósito com cada atividade?
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Um objetivo eficaz deve ser viável, ou seja, deve ter tamanho que possa caber
em uma aula.
Para se chegar a análises complexas, deve-se partir dos pontos necessários
para se desenvolver tais habilidades.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Um objetivo eficaz deve ser escrito de forma que seu sucesso possa ser
medido, tentando estabelecer alguma forma de avaliar se os alunos alcançaram.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Um objetivo eficaz deve guiar as atividades, ao invés de apenas justifica-lo.
Ou seja, primeiro devemos determinar um objetivo a ser alcançado e depois
usar uma atividade que colabore para atingirmos o mesmo.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Um objetivo eficaz deve focar quais conhecimentos são essenciais para o
aprendizado efetivo do currículo e do Plano de Ensino, descrevendo e dando
possibilidade do próximo passo rumo ao engrandecimento intelectual discente.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Quando o seu objetivo estiver completo e claro para você. Deixe claro para
todos e em uma linguagem simples, de forma que os alunos também visualizem e
compreendam o porque das atividades escolhidas para alcançá-lo, assim como eles
poderão dar um feedback mais preciso e consciente para você analisar.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
“Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenômeno, o
mais simples é o melhor” (William Ockhan, filósofo inglês).
Use então os métodos que você verifique funcionarem melhor para isso
sempre que estiver consciente do efeito positivo dos mesmos para sua aula.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Os melhores planos de aula são os que trabalham um dos objetivos da melhor
forma possível para se conseguir alcançar toda a série de objetivos e metas que se
espera que os alunos possam alcançar.
Os objetivos devem definir como avaliar os resultados antes mesmo da escolha
da atividade que se pretende realizar. Deve-se pensar não apenas no professor, mas
no que os alunos farão em cada parte da aula prevista.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
Uma parte essencial que a maioria dos professores já usam, mas que as vezes
esquecem de adaptar a realidade das atividades propostas é o espaço física da sala
no momento de sua aula.
O professor deve se perguntar como será a interação dos alunos com ele e em
grupos e o tamanho desses grupos.
LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
Planejando para Garantir Bom Desempenho Acadêmico.
Planejamento Escolar
i. Porque planejar?
ii. Qual a importância de se integrar os planejamentos
entre todos que compõem a equipe?
iii. Como formalizar o planejamento para avaliações
futuras?
iv. Como o planejamento colabora com a práxis docente?
v. Qual a importância do acompanhamento da gestão
pedagógica do planejamento das ações?
vi. Quais os instrumentos utilizados para formalizar os
planejamentos? Como avalio a importância e
colaboração que eles trazem?
vii. Eu uso das ferramentas acordadas com o grupo? Se
não, porque?
Planejamento Coletivo – Proposta
Semana I – Diário
Semana II ou III* – Planejamentos Individuais
Semana II ou III* – Formações
Semana IV – Planejamento Mensal
* Dependendo das programações do calendário letivo
do ano.
Planejamento Individual – Proposta
1º Semana: utilizar para estudo, correção de
avaliações parciais e/ou readequações do
planejamento do mês.
Obs.: quando for subsequente as avaliações
bimestrais, primar por finalização das notas.
2ª Semana: utilizar estudo, reformulação/finalização
de alguma avaliação, correção de avaliações parciais.
3ª e 4ª Semana: utilizar para estudo, construção de
materiais para o mês subsequente; pesquisas (livros ou
web) e/ou materiais complementares e correção de
avaliações.
Resgatando o Princípio
Como avalio as expectativas elencadas no inicio do
encontro?
Avaliando a Formação
Que Bom!
Que Pena!
Que Tal!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
PamelaAschoff
 
Pauta formativa pnaic 4º encontro
Pauta formativa pnaic   4º encontroPauta formativa pnaic   4º encontro
Pauta formativa pnaic 4º encontro
pnaicdertsis
 

Mais procurados (20)

Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
 
Avaliação na educação infantil novo
Avaliação na educação infantil novoAvaliação na educação infantil novo
Avaliação na educação infantil novo
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Avaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funçõesAvaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funções
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Oficina 3 avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Oficina 3  avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...Oficina 3  avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Oficina 3 avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
 
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCPlanejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
 
PdI
PdIPdI
PdI
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
 
Pauta formativa pnaic 4º encontro
Pauta formativa pnaic   4º encontroPauta formativa pnaic   4º encontro
Pauta formativa pnaic 4º encontro
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 

Destaque

Projeto memoria cfp513 - 2012
Projeto memoria   cfp513 - 2012Projeto memoria   cfp513 - 2012
Projeto memoria cfp513 - 2012
senaijg
 
A educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - Senai
A educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - SenaiA educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - Senai
A educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - Senai
Centro Paula Souza
 
Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves
Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alvesSemana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves
Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves
SMEdeItabaianinha
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
mgno42
 
Pauta reunião cms janeiro2013
Pauta reunião cms   janeiro2013Pauta reunião cms   janeiro2013
Pauta reunião cms janeiro2013
Cms Carangola
 
Pauta de formação
Pauta de formaçãoPauta de formação
Pauta de formação
aplima71
 
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Sabrina Mariana
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Instituto Consciência GO
 

Destaque (20)

Projeto memoria cfp513 - 2012
Projeto memoria   cfp513 - 2012Projeto memoria   cfp513 - 2012
Projeto memoria cfp513 - 2012
 
A educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - Senai
A educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - SenaiA educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - Senai
A educação Profissional e a Inclusão de Pessoas com Deficiência - Senai
 
2012 introducao
2012 introducao2012 introducao
2012 introducao
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Pauta abril
Pauta abrilPauta abril
Pauta abril
 
Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves
Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alvesSemana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves
Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves
 
Reunião dos pastores da Região do Cariri
Reunião dos pastores da Região do CaririReunião dos pastores da Região do Cariri
Reunião dos pastores da Região do Cariri
 
Reunião com equipe gestora primeira
Reunião com equipe gestora primeiraReunião com equipe gestora primeira
Reunião com equipe gestora primeira
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Pauta reunião cms janeiro2013
Pauta reunião cms   janeiro2013Pauta reunião cms   janeiro2013
Pauta reunião cms janeiro2013
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
Características do obreiro coluna
Características do obreiro colunaCaracterísticas do obreiro coluna
Características do obreiro coluna
 
Lição 1 O perfil bíblico de um líder
Lição 1 O perfil bíblico de um líderLição 1 O perfil bíblico de um líder
Lição 1 O perfil bíblico de um líder
 
Estudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da IgrejaEstudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da Igreja
 
Pauta da reunião
Pauta da reuniãoPauta da reunião
Pauta da reunião
 
Pauta de formação
Pauta de formaçãoPauta de formação
Pauta de formação
 
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
 
Slides semana pedagógica
Slides  semana pedagógicaSlides  semana pedagógica
Slides semana pedagógica
 
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosasSemana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
 

Semelhante a Planejamento e Práxis Pedagógica

1º encontro aprender em parceria
1º encontro aprender em parceria1º encontro aprender em parceria
1º encontro aprender em parceria
claudia_francez
 
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Acácio Duarte
 
roteiro_de_estudos.pdf ffgffffgggggggggg
roteiro_de_estudos.pdf ffgffffggggggggggroteiro_de_estudos.pdf ffgffffgggggggggg
roteiro_de_estudos.pdf ffgffffgggggggggg
2024mhfs
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor
Claudio Lima
 
A atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógicoA atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógico
Ivaneide B S
 
Planejamento pedagogico
Planejamento pedagogicoPlanejamento pedagogico
Planejamento pedagogico
straraposa
 

Semelhante a Planejamento e Práxis Pedagógica (20)

1º encontro aprender em parceria
1º encontro aprender em parceria1º encontro aprender em parceria
1º encontro aprender em parceria
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aula
 
1ª Formação de 2020.pptx
1ª Formação de 2020.pptx1ª Formação de 2020.pptx
1ª Formação de 2020.pptx
 
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Aula 2 didatica do ensino supeior   copiaAula 2 didatica do ensino supeior   copia
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
 
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
 
Formação
FormaçãoFormação
Formação
 
Observacao sala aula
Observacao sala aulaObservacao sala aula
Observacao sala aula
 
Dificuldade de aprendizagem.2
Dificuldade de aprendizagem.2Dificuldade de aprendizagem.2
Dificuldade de aprendizagem.2
 
ApresentaçãO Final
ApresentaçãO FinalApresentaçãO Final
ApresentaçãO Final
 
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
 
MAIA_Relatório_RosalinaSimãoNunes.pdf
MAIA_Relatório_RosalinaSimãoNunes.pdfMAIA_Relatório_RosalinaSimãoNunes.pdf
MAIA_Relatório_RosalinaSimãoNunes.pdf
 
Avaliação de projetos
Avaliação de projetosAvaliação de projetos
Avaliação de projetos
 
Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
 
Planejamento 2014 dia 3
Planejamento 2014   dia 3Planejamento 2014   dia 3
Planejamento 2014 dia 3
 
roteiro_de_estudos.pdf ffgffffgggggggggg
roteiro_de_estudos.pdf ffgffffggggggggggroteiro_de_estudos.pdf ffgffffgggggggggg
roteiro_de_estudos.pdf ffgffffgggggggggg
 
Gestão lider
Gestão   liderGestão   lider
Gestão lider
 
Oficina_Recomposição_PE (1) - Mata Norte.pptx
Oficina_Recomposição_PE (1) - Mata Norte.pptxOficina_Recomposição_PE (1) - Mata Norte.pptx
Oficina_Recomposição_PE (1) - Mata Norte.pptx
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor
 
A atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógicoA atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógico
 
Planejamento pedagogico
Planejamento pedagogicoPlanejamento pedagogico
Planejamento pedagogico
 

Mais de Ivanilson Lima

Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à Música
Ivanilson Lima
 

Mais de Ivanilson Lima (20)

Introdução a Ciência Geográfica
Introdução a Ciência GeográficaIntrodução a Ciência Geográfica
Introdução a Ciência Geográfica
 
Formação Territorial do Brasil
Formação Territorial do BrasilFormação Territorial do Brasil
Formação Territorial do Brasil
 
Capitalismo: Geopolítica, Globalização e Cidades Capitalistas
Capitalismo:  Geopolítica, Globalização e Cidades CapitalistasCapitalismo:  Geopolítica, Globalização e Cidades Capitalistas
Capitalismo: Geopolítica, Globalização e Cidades Capitalistas
 
A Nova Ordem Mundial e o Multilateralismo
A Nova Ordem Mundial e o MultilateralismoA Nova Ordem Mundial e o Multilateralismo
A Nova Ordem Mundial e o Multilateralismo
 
A Guerra Fria e o Fim da URSS
A Guerra Fria e o Fim da URSSA Guerra Fria e o Fim da URSS
A Guerra Fria e o Fim da URSS
 
Comércio Internacional e Blocos Econômicos
Comércio Internacional e Blocos EconômicosComércio Internacional e Blocos Econômicos
Comércio Internacional e Blocos Econômicos
 
Exercícios Cartografia 01
Exercícios Cartografia 01Exercícios Cartografia 01
Exercícios Cartografia 01
 
Sistematização e Correntes Geográficas
Sistematização e Correntes GeográficasSistematização e Correntes Geográficas
Sistematização e Correntes Geográficas
 
Capitalismo Informacional
Capitalismo InformacionalCapitalismo Informacional
Capitalismo Informacional
 
Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)
Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)
Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)
 
Capitalismo Financeiro
Capitalismo FinanceiroCapitalismo Financeiro
Capitalismo Financeiro
 
Capitalismo Industrial
Capitalismo IndustrialCapitalismo Industrial
Capitalismo Industrial
 
Capitalismo Comercial
Capitalismo ComercialCapitalismo Comercial
Capitalismo Comercial
 
Introdução à Ciência Geográfica
Introdução à Ciência GeográficaIntrodução à Ciência Geográfica
Introdução à Ciência Geográfica
 
Relatorio dragao da-paz
Relatorio dragao da-pazRelatorio dragao da-paz
Relatorio dragao da-paz
 
Dragão da Paz - Guia do Facilitador
Dragão da Paz - Guia do FacilitadorDragão da Paz - Guia do Facilitador
Dragão da Paz - Guia do Facilitador
 
Roteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaRoteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de Vida
 
Jogo Dragão da Paz - Fases Iniciais
Jogo Dragão da Paz - Fases IniciaisJogo Dragão da Paz - Fases Iniciais
Jogo Dragão da Paz - Fases Iniciais
 
Apresentação Jogo Dragão da Paz
Apresentação Jogo Dragão da Paz Apresentação Jogo Dragão da Paz
Apresentação Jogo Dragão da Paz
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à Música
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 

Planejamento e Práxis Pedagógica

  • 1. Planejamento e Práxis Pedagógica: As contribuições docentes para a potencializar conhecimentos. Ivanilson Lima
  • 2. Quais as minhas expectativas? O que espero de um encontro com essa temática? Como espero me sentir ao final desse dia?
  • 3. O desarme é necessário
  • 5. Qual o seu desarmamento?
  • 6. Protagonismo Juvenil - Que tipo de jovens queremos formar? - Que potenciais verifico nesses jovens? - Quais pontos de atenção? - Quais atores influenciam esses jovens em sua prática diária? - Como posso colaborar para potencializar esses jovens na sua atuação cotidiana?
  • 7. Co-responsabilidade - Como percebo a responsabilidade dos meus alunos sobre seu aprendizado? - Como percebo o compromisso dos atores ligados ao aluno com o aprendizado? - Como me vejo nesse processo? - Quais estratégias já desenvolvi para proporcionar a busca pelo conhecimento dos alunos? - Conheço as práticas dos meus pares na busca dessa responsabilidade discente pelo aprendizado? - Como posso contribuir para potencializar essa responsabilidade dos jovens?
  • 8. Replicabilidade - Quais iniciativas dos jovens merecem destaque e reconhecimento em nossa realidade? - Quais iniciativas preciso concentrar esforços para fazer os jovens de minha escola serem protagonistas e responsáveis por seu aprendizado? - Quais iniciativas negativas precisamos desencorajar? - Como posso verificar minhas ações e de meus pares que merecem destaque e reconhecimento? - Quais momentos verifiquei na escola que considero merecer replicabilidade?
  • 10. Plenitude Pessoal e Profissional
  • 11. PDCA
  • 12.
  • 14. Qual o propósito da escola?
  • 15. Qual meu propósito enquanto professor?
  • 16. Qual meu propósito com cada etapa?
  • 17. Planejar para o Bom Desempenho Acadêmico Planejamento -> Plano de Aula. - Progredir do planejamento para os planos; - Traçar objetivos para atingir metas; - Determinar avaliação para verificar eficácia; - Decidir suas atividades. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 18. Qual o meu propósito com essa aula?
  • 19. Planejar para o Bom Desempenho Acadêmico Planos de Aula - O que meus alunos vão entender hoje? - Que resultado eu espero com o conteúdo? - Como esse resultado se relaciona com o que vou planejar para amanhã e para os alunos continuarem aprendendo nos anos vindouros? “Grandes aulas começam com o planejamento e especificamente com o ‘planejamento da unidade’: planejar uma sequência de objetivos, um ou talvez dois por aula, para um longo período de tempo [...]” LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 20. Qual meu propósito com cada atividade?
  • 21. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido
  • 22. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Um objetivo eficaz deve ser viável, ou seja, deve ter tamanho que possa caber em uma aula. Para se chegar a análises complexas, deve-se partir dos pontos necessários para se desenvolver tais habilidades. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 23. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Um objetivo eficaz deve ser escrito de forma que seu sucesso possa ser medido, tentando estabelecer alguma forma de avaliar se os alunos alcançaram. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 24. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Um objetivo eficaz deve guiar as atividades, ao invés de apenas justifica-lo. Ou seja, primeiro devemos determinar um objetivo a ser alcançado e depois usar uma atividade que colabore para atingirmos o mesmo. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 25. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Um objetivo eficaz deve focar quais conhecimentos são essenciais para o aprendizado efetivo do currículo e do Plano de Ensino, descrevendo e dando possibilidade do próximo passo rumo ao engrandecimento intelectual discente. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 26. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Quando o seu objetivo estiver completo e claro para você. Deixe claro para todos e em uma linguagem simples, de forma que os alunos também visualizem e compreendam o porque das atividades escolhidas para alcançá-lo, assim como eles poderão dar um feedback mais preciso e consciente para você analisar. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 27. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido “Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenômeno, o mais simples é o melhor” (William Ockhan, filósofo inglês). Use então os métodos que você verifique funcionarem melhor para isso sempre que estiver consciente do efeito positivo dos mesmos para sua aula. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 28. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Os melhores planos de aula são os que trabalham um dos objetivos da melhor forma possível para se conseguir alcançar toda a série de objetivos e metas que se espera que os alunos possam alcançar. Os objetivos devem definir como avaliar os resultados antes mesmo da escolha da atividade que se pretende realizar. Deve-se pensar não apenas no professor, mas no que os alunos farão em cada parte da aula prevista. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 29. Objetivo Tosco para o Objetivo Polido Uma parte essencial que a maioria dos professores já usam, mas que as vezes esquecem de adaptar a realidade das atividades propostas é o espaço física da sala no momento de sua aula. O professor deve se perguntar como será a interação dos alunos com ele e em grupos e o tamanho desses grupos. LEMOV, Doug. Aula Nota 10: 49 técnicas para ser um professor campeão de audiência. São Paulo: Fundação Lemman, 2011.
  • 30. Planejando para Garantir Bom Desempenho Acadêmico.
  • 31. Planejamento Escolar i. Porque planejar? ii. Qual a importância de se integrar os planejamentos entre todos que compõem a equipe? iii. Como formalizar o planejamento para avaliações futuras? iv. Como o planejamento colabora com a práxis docente? v. Qual a importância do acompanhamento da gestão pedagógica do planejamento das ações? vi. Quais os instrumentos utilizados para formalizar os planejamentos? Como avalio a importância e colaboração que eles trazem? vii. Eu uso das ferramentas acordadas com o grupo? Se não, porque?
  • 32. Planejamento Coletivo – Proposta Semana I – Diário Semana II ou III* – Planejamentos Individuais Semana II ou III* – Formações Semana IV – Planejamento Mensal * Dependendo das programações do calendário letivo do ano.
  • 33. Planejamento Individual – Proposta 1º Semana: utilizar para estudo, correção de avaliações parciais e/ou readequações do planejamento do mês. Obs.: quando for subsequente as avaliações bimestrais, primar por finalização das notas. 2ª Semana: utilizar estudo, reformulação/finalização de alguma avaliação, correção de avaliações parciais. 3ª e 4ª Semana: utilizar para estudo, construção de materiais para o mês subsequente; pesquisas (livros ou web) e/ou materiais complementares e correção de avaliações.
  • 34. Resgatando o Princípio Como avalio as expectativas elencadas no inicio do encontro?
  • 35. Avaliando a Formação Que Bom! Que Pena! Que Tal!