SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
•Comportamentalista– João
•Cognitivista – Sabrina
•Construtivismo - Wilson
•Sócio – integracionista - Marcelo
As teorias E-R (estímulo-resposta) também chamadas de
teorias conexionistas não são novas, há estudos datados
desde o século passado pelos estudiosos abaixo:

Ivan P. Pavlov      (1849-1936)
John B. Watson      (1878-1958)
Edward L. Thorndike (1874-1949)


Abordagens mais recentes também foram feitas pelos
estudiosos Clark L. Hull (1884-1952), Edwin R. Guthrie (1886-
1959) e por B. F. Skinner (1904-1990).
Skinner nasceu em Susquehanna,
Pennsylvania; graduou-se em inglês
no Hamilton College, em Nova
Iorque, e fez mestrado e doutorado
em psicologia em Harvard, onde,
posteriormente foi professor durante
mais de 40 anos.
A abordagem skinneriana é essencialmente periférica, ela
procurou observar as variáveis de input e output, ela não leva
em consideração o meio do processo de aprendizagem que
se dá entre o início que é o estímulo, e o fim que é a
resposta.

Variáveis de input:
Estímulo                (mexe com os sentidos)
Reforço                 (aumento da ocorrência)
Contingências de reforço(ação de reforço repetida)

Variáveis de output – respostas ou comportamentos:
Operantes               (opera o meio)
Respondentes            (reflexo involuntário)
Teoria do reforço

“O comportamento é controlado por conseqüências”

As pessoas procuram adquirir condutas para adquirir
recompensas e não punições.

Uma recompensa pode ser ruim ou não tão boa para quem
ganha como é para a pessoa que está dando.
Pode-se analisar se é boa ou não se o ato para qual foi dada
teve um aumento em sua incidência.

Reforço ruim ou negativo é aquela que diminui a freqüência
do ato para o qual foi dado.
Condicionamento

Para Skinner condicionamento é o procedimento em dar um
reforço positivo à uma atividade com o objetivo de aumentar
a sua freqüência.

Quando a freqüência de uma resposta foi aumentada devido
ao condicionamento então dizemos que foi condicionada.

Condicionamento X Aprendizagem
Na aprendizagem não há regras explícitas, e adquiri-se
através de integração com o meio, muda-se o
comportamento humano por experiências, não é
condicionada.
Extinção e esquecimento

Extinção       Suspensão do reforço
               Oportunidade de resposta
               Redução na freqüência

Objetivo       Resposta com mesma freqüência, porém
               sem reforço

Esquecimento   Suspensão do reforço
               Falta de oportunidade de resposta
               Término de resposta

Objetivo       Fim de um comportamento
Discriminação

Condicionar uma resposta na presença de um estímulo e
extinguí-la na presença de outro, exemplo:


E1 > Resposta   >Reforço positivo

E2 > Resposta   >Não é aplicado reforço


Este comportamento condicionará maior freqüência da
resposta com o estímulo 1 e extinguir a mesma resposta
estimulada pelo 2.
O processo instrucional para Skinner

Na perspectiva Skinneriana, o ensino se dá apenas quando o
que precisa ser ensinado pode ser colocado sob controle de
certas contingencias de reforço.

O papel do professor no processo instrucional é do de
arranjar as contingencias de reforço, de modo a possibilitar
ou aumentar a probabilidade de que o aprendiz exiba o
comportamento terminal, isto é, que ele dê a resposta
desejada (a ser aprendida).
Exemplo (conceito)

1.Verificação imediata: o aluno aprende melhor quando
verifica sua resposta imediatamente.

2.Ritmo próprio: cada aluno pode trabalhar tão rápida ou
lentamente quanto desejar

3.Teste do programa: teste por meio da atuação do aluno. Se
a apresentação de algum quadro não estiver clara, isto se
refletirá nas respostas do estudantes.
Exemplo (conceito)

4. Ritmo próprio: cada aluno pode trabalhar tão rápida ou
lentamente quanto desejar

5 . Teste do programa: teste por meio da atuação do aluno.
Se a apresentação de algum quadro não estiver clara, isto se
refletirá nas respostas do estudantes.
Exemplo (prática)

Textos com lacunas de modo a evitar erros, que o
aprendiz vai preenchendo com o seu próprio ritmo e
imediatamente verificando se acertou.

A resposta correta deve estar de alguma maneira oculta.
Ao preencher corretamente uma lacuna, o aluno se sente
reforçado e portanto, estimulado a continuar
desenvolvendo o programa.
Aprendizado onde há um processo que envolve a interação
da nova informação com a estrutura de conhecimento do
aluno

Professor é mediador, facilita entre estímulos e respostas.


Teoria adequada para projetos onde o público alvo já possui
modelos e concepções existentes.
Psicólogo da Educação , nasceu na cidade de
Nova York (Estados Unidos), com formação
acadêmica, em território canadense dedicou-
se à educação no intuito de buscar as
melhorias necessárias ao verdadeiro
aprendizado.
Procura explicar os mecanismos internos que ocorrem na
mente humana com relação ao aprendizado e á estruturação
do Conhecimento.


A ciência cognitiva ou ciência da cognição é normalmente
definida como o estudo científico da mente ou da
inteligência. (Wikipédia)
Identificar, acompanhar as dificuldades do aluno, interagindo.

Estrutura cognitiva - A estrutura cognitiva é o conteúdo total e
organizado de idéias de um dado indivíduo; ou ênfase que se
dá é na aquisição, armazenamento e organização das id, no
contexto da aprendizagem de certos assuntos, refere-se ao
conteúdo e organização de suas idéias naquela área particular
de conhecimento.

Para Ausubel (1989), a aprendizagem consiste na “ampliação”
da estrutura cognitiva, através da incorporação de novas idéias
ao aluno, dependendo do tipo de relacionamento que se tem
entre as idéias já existentes nesta estrutura e as novas que se
estão internalizando, pode ocorrer um aprendizado que varia do
mecânico ao significativo.
O Construtivismo é uma teoria que ampara o indivíduo nos
aspectos cognitivos, sociais e afetivos do comportamento.


O conhecimento não é uma cópia da realidade, mas sim,
uma construção do ser humano.


O desenvolvimento da inteligência humana é determinado
pelas ações mútuas entre o sujeito e objeto.
Nasceu na cidade de Neuchâtel (Suíça) em
9/08/1896 e morreu em 17/9/1980. Especializou-se
em psicologia evolutiva e no estudo de
epistemologia genética.

Pequisas
Pesquisou sobre as características do
pensamento infantil com crianças francesas e
também com deficientes mentais.
Em 1921 escreveu suas primeiras teorias
pedagógicas.
Idéias:
Implantar nos espaços de aprendizagem uma metodologia
inovadora que busca formar cidadãos criativos e críticos.


"O principal objetivo da educação é criar indivíduos
capazes de fazer coisas novas e não simplesmente
repetir o que as outras gerações fizeram." Jean Piaget
A primeira teoria construtivista foi elaborada por Jean Piaget
a partir dos seus estudos, baseado no desenvolvimento
cognitivo humano.
Os métodos utilizados são através de experiências,
pesquisas e buscas para resolver os problemas.

O papel do professor é passivo, ou seja, ele é um orientador,
mediador e criador de conflitos.

O papel do aluno é ativo, ou seja, a construção do
conhecimento é fruto de sua ação.
Sala de Aula Tradicional              Sala de Aula Construtivista

 Estudantes trabalham sozinhos.           Estudantes trabalham em grupos.

O acompanhamento do currículo pré-      Busca pelas questões levantadas
estabelecido é altamente valorizado.    pelos alunos é altamente valorizada.

As atividades curriculares baseiam-se   Baseiam-se em fontes primárias de
em livros-texto e de exercícios.        dados e materiais manipuláveis.
Avaliação da aprendizagem é vista       Avaliação da aprendizagem está
como separada do ensino e ocorre,       interligada ao ensino e ocorre através
quase sempre, através de testes.        da observação do professor sobre o
                                        trabalho dos estudantes.
Lev Semenovich Vygotsky nasceu em
1896 na Rússia, morreu ao 38 anos.

Foi formado em Direito, História e
Filosofia nas Universidades de Moscou
e A. L. Shanyavskii.
• Teoria construtivista

• Teoria preocupada com o papel do ambiente,
das pessoas e da cultura na aprendizagem

• Complementação à teoria Construtivista de
Piaget
A aprendizagem é um processo construído
pelas interações:

•Do sujeito com outros indivíduos

•Do sujeito com o seu meio
A ZDP é um nível que começa com o real estágio
de desenvolvimento do indivíduo, até o seu nível
potencial de desenvolvimento.
A aprendizagem é uma experiência social
mediada pela utilização de:

•Instrumentos

• Signos
Ao mediador cabe a tarefa de:
•Motivar
•Evitar a rotina
•Criar conflitos
•Liberar o aluno para que ele chegue a sua
própria conclusão e para serem sujeitos
conscientes de sua autonomia social.
• Deixar o aluno envolver-se em conflitos cognitivos e exprimir
os seus pontos de vista

• Transformar idéias em palavras, desenhos, construções, ou
em qualquer outra coisa que possa ser compreendida pelo
outro

• Criar várias formas de transferir para o aluno a
responsabilidade pela aprendizagem

• Planear o tamanho dos grupos de modo a manter os
diálogos significativos e úteis

• Em algumas situações, interações casuais podem ajudar a
aprender, mas também podem multiplicar mal-entendidos
• O aluno exerce um papel ativo

• Responsável pela construção do seu
conhecimento
• Não levar em conta a existência da ZDP

• Propor atividades fora dos limites da ZPD

• Ensino baseado na expectativa de que os
aluno estejam "prontos"
A aprendizagem é resultado da interação
social e compartilhamento de significados
socialmente aceitos, dentro do estágio atual e
potencial do aluno, considerando o aluno
inserido numa sociedade e em uma cultura
que determina esse conhecimento.
Teorias Pedagógica de Aprendizagem

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piagetpibidsociais
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetManô Araújo
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemThais1976
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Jorge Barbosa
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetAnaí Peña
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRiaSilvia Marina Anaruma
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEAclecio Dantas
 
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunosneliane frança
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoThiago de Almeida
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointMárcio Emílio
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemDébora Silveira
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagemAlba Mate Mate
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemna educação
 
Slide psicologia da aprendizagem-posgraduacao
Slide psicologia da aprendizagem-posgraduacaoSlide psicologia da aprendizagem-posgraduacao
Slide psicologia da aprendizagem-posgraduacaoestudosacademicospedag
 

Mais procurados (20)

Desenvolvimento piaget
Desenvolvimento   piagetDesenvolvimento   piaget
Desenvolvimento piaget
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADE
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
 
Behaviorismo
BehaviorismoBehaviorismo
Behaviorismo
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Piaget completo
Piaget completoPiaget completo
Piaget completo
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
 
Slide psicologia da aprendizagem-posgraduacao
Slide psicologia da aprendizagem-posgraduacaoSlide psicologia da aprendizagem-posgraduacao
Slide psicologia da aprendizagem-posgraduacao
 

Destaque (19)

Tipos De Aprendizagem
Tipos De AprendizagemTipos De Aprendizagem
Tipos De Aprendizagem
 
Psicologia da Educação
Psicologia da EducaçãoPsicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da Aprendizagem
 
Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacional
 
PSICOLOGIA ESCOLAR
PSICOLOGIA ESCOLARPSICOLOGIA ESCOLAR
PSICOLOGIA ESCOLAR
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacional
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Processo de Aprendizagem
Processo de AprendizagemProcesso de Aprendizagem
Processo de Aprendizagem
 
Cérebro e Aprendizagem
Cérebro e AprendizagemCérebro e Aprendizagem
Cérebro e Aprendizagem
 
Construtivismo[1]
Construtivismo[1]Construtivismo[1]
Construtivismo[1]
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Psicologia do desenvolvimento- Idoso
Psicologia  do desenvolvimento- IdosoPsicologia  do desenvolvimento- Idoso
Psicologia do desenvolvimento- Idoso
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Desenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
Desenvolvimento Psicossocial - Erik ErikssonDesenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
Desenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
 
Aprendizagem
AprendizagemAprendizagem
Aprendizagem
 
Teorias Construtivistas
Teorias ConstrutivistasTeorias Construtivistas
Teorias Construtivistas
 
Jean piaget
Jean piagetJean piaget
Jean piaget
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 

Semelhante a Teorias Pedagógica de Aprendizagem

Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rsMárcio Emílio
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemSUZILEY
 
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistasOrientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistasfamiliaestagio
 
Teorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalhoTeorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalhoRoseli2012
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemAna Medeiros
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemQuelen Fogaça
 
FPIF - Aprendizagem
FPIF - AprendizagemFPIF - Aprendizagem
FPIF - AprendizagemAPMTorres
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimentomarcaocampos
 
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOPressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOMagno Oliveira
 
Teorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseTeorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseEduardo Lopes
 
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)Márcia Franco
 
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveiraTeorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveiraCamilaAbreuFontes
 
As teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamAs teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamJuliana Rodrigues
 

Semelhante a Teorias Pedagógica de Aprendizagem (20)

Tecnologia Lte
Tecnologia LteTecnologia Lte
Tecnologia Lte
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Módulo1 évelin severo
Módulo1 évelin severoMódulo1 évelin severo
Módulo1 évelin severo
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistasOrientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
 
Teorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalhoTeorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalho
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Abordagens de ensino
Abordagens de ensinoAbordagens de ensino
Abordagens de ensino
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
FPIF - Aprendizagem
FPIF - AprendizagemFPIF - Aprendizagem
FPIF - Aprendizagem
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
 
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOPressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
 
Teorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseTeorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sintese
 
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01 (1)
 
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01
Psicologiadaaprendizagem 140124113741-phpapp01
 
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveiraTeorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
 
As teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamAs teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focam
 

Mais de Sabrina Mariana

Gestão de Projeto - Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto  -  Fast Shop Mega StoreGestão de Projeto  -  Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto - Fast Shop Mega StoreSabrina Mariana
 
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilGestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilSabrina Mariana
 
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)Sabrina Mariana
 
Gestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco BrasilidadeGestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco BrasilidadeSabrina Mariana
 
Apresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivotaApresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivotaSabrina Mariana
 
Apresentação árvore do conhecimento - final 2
Apresentação   árvore do conhecimento - final 2Apresentação   árvore do conhecimento - final 2
Apresentação árvore do conhecimento - final 2Sabrina Mariana
 
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STOREEAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORESabrina Mariana
 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORECURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORESabrina Mariana
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO Sabrina Mariana
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURASabrina Mariana
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURASabrina Mariana
 

Mais de Sabrina Mariana (13)

Gestão de Projeto - Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto  -  Fast Shop Mega StoreGestão de Projeto  -  Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto - Fast Shop Mega Store
 
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilGestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
 
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
 
Aula de Dot Project
Aula de Dot ProjectAula de Dot Project
Aula de Dot Project
 
Gestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco BrasilidadeGestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco Brasilidade
 
Apresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivotaApresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivota
 
Apresentação árvore do conhecimento - final 2
Apresentação   árvore do conhecimento - final 2Apresentação   árvore do conhecimento - final 2
Apresentação árvore do conhecimento - final 2
 
Versao final risco
Versao final riscoVersao final risco
Versao final risco
 
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STOREEAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORECURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
 

Teorias Pedagógica de Aprendizagem

  • 1. •Comportamentalista– João •Cognitivista – Sabrina •Construtivismo - Wilson •Sócio – integracionista - Marcelo
  • 2. As teorias E-R (estímulo-resposta) também chamadas de teorias conexionistas não são novas, há estudos datados desde o século passado pelos estudiosos abaixo: Ivan P. Pavlov (1849-1936) John B. Watson (1878-1958) Edward L. Thorndike (1874-1949) Abordagens mais recentes também foram feitas pelos estudiosos Clark L. Hull (1884-1952), Edwin R. Guthrie (1886- 1959) e por B. F. Skinner (1904-1990).
  • 3. Skinner nasceu em Susquehanna, Pennsylvania; graduou-se em inglês no Hamilton College, em Nova Iorque, e fez mestrado e doutorado em psicologia em Harvard, onde, posteriormente foi professor durante mais de 40 anos.
  • 4. A abordagem skinneriana é essencialmente periférica, ela procurou observar as variáveis de input e output, ela não leva em consideração o meio do processo de aprendizagem que se dá entre o início que é o estímulo, e o fim que é a resposta. Variáveis de input: Estímulo (mexe com os sentidos) Reforço (aumento da ocorrência) Contingências de reforço(ação de reforço repetida) Variáveis de output – respostas ou comportamentos: Operantes (opera o meio) Respondentes (reflexo involuntário)
  • 5. Teoria do reforço “O comportamento é controlado por conseqüências” As pessoas procuram adquirir condutas para adquirir recompensas e não punições. Uma recompensa pode ser ruim ou não tão boa para quem ganha como é para a pessoa que está dando. Pode-se analisar se é boa ou não se o ato para qual foi dada teve um aumento em sua incidência. Reforço ruim ou negativo é aquela que diminui a freqüência do ato para o qual foi dado.
  • 6. Condicionamento Para Skinner condicionamento é o procedimento em dar um reforço positivo à uma atividade com o objetivo de aumentar a sua freqüência. Quando a freqüência de uma resposta foi aumentada devido ao condicionamento então dizemos que foi condicionada. Condicionamento X Aprendizagem Na aprendizagem não há regras explícitas, e adquiri-se através de integração com o meio, muda-se o comportamento humano por experiências, não é condicionada.
  • 7. Extinção e esquecimento Extinção Suspensão do reforço Oportunidade de resposta Redução na freqüência Objetivo Resposta com mesma freqüência, porém sem reforço Esquecimento Suspensão do reforço Falta de oportunidade de resposta Término de resposta Objetivo Fim de um comportamento
  • 8. Discriminação Condicionar uma resposta na presença de um estímulo e extinguí-la na presença de outro, exemplo: E1 > Resposta >Reforço positivo E2 > Resposta >Não é aplicado reforço Este comportamento condicionará maior freqüência da resposta com o estímulo 1 e extinguir a mesma resposta estimulada pelo 2.
  • 9. O processo instrucional para Skinner Na perspectiva Skinneriana, o ensino se dá apenas quando o que precisa ser ensinado pode ser colocado sob controle de certas contingencias de reforço. O papel do professor no processo instrucional é do de arranjar as contingencias de reforço, de modo a possibilitar ou aumentar a probabilidade de que o aprendiz exiba o comportamento terminal, isto é, que ele dê a resposta desejada (a ser aprendida).
  • 10. Exemplo (conceito) 1.Verificação imediata: o aluno aprende melhor quando verifica sua resposta imediatamente. 2.Ritmo próprio: cada aluno pode trabalhar tão rápida ou lentamente quanto desejar 3.Teste do programa: teste por meio da atuação do aluno. Se a apresentação de algum quadro não estiver clara, isto se refletirá nas respostas do estudantes.
  • 11. Exemplo (conceito) 4. Ritmo próprio: cada aluno pode trabalhar tão rápida ou lentamente quanto desejar 5 . Teste do programa: teste por meio da atuação do aluno. Se a apresentação de algum quadro não estiver clara, isto se refletirá nas respostas do estudantes.
  • 12. Exemplo (prática) Textos com lacunas de modo a evitar erros, que o aprendiz vai preenchendo com o seu próprio ritmo e imediatamente verificando se acertou. A resposta correta deve estar de alguma maneira oculta. Ao preencher corretamente uma lacuna, o aluno se sente reforçado e portanto, estimulado a continuar desenvolvendo o programa.
  • 13. Aprendizado onde há um processo que envolve a interação da nova informação com a estrutura de conhecimento do aluno Professor é mediador, facilita entre estímulos e respostas. Teoria adequada para projetos onde o público alvo já possui modelos e concepções existentes.
  • 14. Psicólogo da Educação , nasceu na cidade de Nova York (Estados Unidos), com formação acadêmica, em território canadense dedicou- se à educação no intuito de buscar as melhorias necessárias ao verdadeiro aprendizado.
  • 15. Procura explicar os mecanismos internos que ocorrem na mente humana com relação ao aprendizado e á estruturação do Conhecimento. A ciência cognitiva ou ciência da cognição é normalmente definida como o estudo científico da mente ou da inteligência. (Wikipédia)
  • 16. Identificar, acompanhar as dificuldades do aluno, interagindo. Estrutura cognitiva - A estrutura cognitiva é o conteúdo total e organizado de idéias de um dado indivíduo; ou ênfase que se dá é na aquisição, armazenamento e organização das id, no contexto da aprendizagem de certos assuntos, refere-se ao conteúdo e organização de suas idéias naquela área particular de conhecimento. Para Ausubel (1989), a aprendizagem consiste na “ampliação” da estrutura cognitiva, através da incorporação de novas idéias ao aluno, dependendo do tipo de relacionamento que se tem entre as idéias já existentes nesta estrutura e as novas que se estão internalizando, pode ocorrer um aprendizado que varia do mecânico ao significativo.
  • 17. O Construtivismo é uma teoria que ampara o indivíduo nos aspectos cognitivos, sociais e afetivos do comportamento. O conhecimento não é uma cópia da realidade, mas sim, uma construção do ser humano. O desenvolvimento da inteligência humana é determinado pelas ações mútuas entre o sujeito e objeto.
  • 18. Nasceu na cidade de Neuchâtel (Suíça) em 9/08/1896 e morreu em 17/9/1980. Especializou-se em psicologia evolutiva e no estudo de epistemologia genética. Pequisas Pesquisou sobre as características do pensamento infantil com crianças francesas e também com deficientes mentais. Em 1921 escreveu suas primeiras teorias pedagógicas.
  • 19. Idéias: Implantar nos espaços de aprendizagem uma metodologia inovadora que busca formar cidadãos criativos e críticos. "O principal objetivo da educação é criar indivíduos capazes de fazer coisas novas e não simplesmente repetir o que as outras gerações fizeram." Jean Piaget
  • 20. A primeira teoria construtivista foi elaborada por Jean Piaget a partir dos seus estudos, baseado no desenvolvimento cognitivo humano.
  • 21. Os métodos utilizados são através de experiências, pesquisas e buscas para resolver os problemas. O papel do professor é passivo, ou seja, ele é um orientador, mediador e criador de conflitos. O papel do aluno é ativo, ou seja, a construção do conhecimento é fruto de sua ação.
  • 22. Sala de Aula Tradicional Sala de Aula Construtivista Estudantes trabalham sozinhos. Estudantes trabalham em grupos. O acompanhamento do currículo pré- Busca pelas questões levantadas estabelecido é altamente valorizado. pelos alunos é altamente valorizada. As atividades curriculares baseiam-se Baseiam-se em fontes primárias de em livros-texto e de exercícios. dados e materiais manipuláveis. Avaliação da aprendizagem é vista Avaliação da aprendizagem está como separada do ensino e ocorre, interligada ao ensino e ocorre através quase sempre, através de testes. da observação do professor sobre o trabalho dos estudantes.
  • 23. Lev Semenovich Vygotsky nasceu em 1896 na Rússia, morreu ao 38 anos. Foi formado em Direito, História e Filosofia nas Universidades de Moscou e A. L. Shanyavskii.
  • 24. • Teoria construtivista • Teoria preocupada com o papel do ambiente, das pessoas e da cultura na aprendizagem • Complementação à teoria Construtivista de Piaget
  • 25. A aprendizagem é um processo construído pelas interações: •Do sujeito com outros indivíduos •Do sujeito com o seu meio
  • 26. A ZDP é um nível que começa com o real estágio de desenvolvimento do indivíduo, até o seu nível potencial de desenvolvimento.
  • 27. A aprendizagem é uma experiência social mediada pela utilização de: •Instrumentos • Signos
  • 28. Ao mediador cabe a tarefa de: •Motivar •Evitar a rotina •Criar conflitos •Liberar o aluno para que ele chegue a sua própria conclusão e para serem sujeitos conscientes de sua autonomia social.
  • 29. • Deixar o aluno envolver-se em conflitos cognitivos e exprimir os seus pontos de vista • Transformar idéias em palavras, desenhos, construções, ou em qualquer outra coisa que possa ser compreendida pelo outro • Criar várias formas de transferir para o aluno a responsabilidade pela aprendizagem • Planear o tamanho dos grupos de modo a manter os diálogos significativos e úteis • Em algumas situações, interações casuais podem ajudar a aprender, mas também podem multiplicar mal-entendidos
  • 30. • O aluno exerce um papel ativo • Responsável pela construção do seu conhecimento
  • 31. • Não levar em conta a existência da ZDP • Propor atividades fora dos limites da ZPD • Ensino baseado na expectativa de que os aluno estejam "prontos"
  • 32. A aprendizagem é resultado da interação social e compartilhamento de significados socialmente aceitos, dentro do estágio atual e potencial do aluno, considerando o aluno inserido numa sociedade e em uma cultura que determina esse conhecimento.