Planejamento

4.211 visualizações

Publicada em

Descrevendo sobre como planejar

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.211
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.049
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
181
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento

  1. 1. PLANEJAMENTO A arte de planejar Os planos de ação para o novo ano (reportagem de Nova Escola de fevereiro de 1998) http://revistaescola.abril.com.br/edicoes/0138/aberto/mt_246891.shtml#topo
  2. 2. 1. Bússola e relógio na bagagem <ul><li>Comece preparando minuciosamente as reuniões que terá com sua equipe. Estabeleça, como objetivo, conseguir envolver a maior parte da escola no processo de planejamento que se inicia. Para tanto, estabeleça os seguintes pontos: </li></ul><ul><ul><li>Quais as etapas do processo? </li></ul></ul><ul><ul><li>Que procedimentos serão usados em cada uma? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quais recursos materiais a equipe terá à disposição (cartazes, transparências, vídeos, livros, CD-ROMs, documentos, programas de computação)? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto tempo cada atividade irá demandar? </li></ul></ul><ul><ul><li>Que indicadores concretos mostrarão a você que o objetivo foi atingido? </li></ul></ul>
  3. 3. 2. As estratégias de ação <ul><li>Boas táticas criam condições para que os profissionais envolvidos aprendam uns com os outros e se sintam seguros o bastante para errar e aprender com os próprios erros, são elas: </li></ul><ul><ul><li>Simplicidade . Seis etapas são mais que suficientes no seu plano de ação para o novo ano. Procedimentos muito complicados fazem com que os participantes se confundam e percam o interesse. </li></ul></ul><ul><ul><li>Objetividade . As técnicas precisam conduzir a algum resultado observável, como uma declaração, um pôster, um cartaz, um vídeo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Transparência . Todo mundo deve perceber com clareza oque está acontecendo e pedir maiores explicações, se necessário. </li></ul></ul>
  4. 4. 3. Modelo para toda a equipe <ul><li>Lembre-se: é seu papel convidar e até mesmo desafiar os professores a experimentar novas atitudes em relação aos alunos — e você deve ser capaz de demonstrá-las na prática. </li></ul><ul><li>Crie um ambiente agradável, de respeito mútuo e confiança. Os professores certamente levarão essa atmosfera para a sala de aula. </li></ul>
  5. 5. 4. Um passinho à frente, por favor! <ul><li>Cooperação gera eficiência e, portanto, economiza tempo e dinheiro. Só tem um detalhe: boas intenções, apenas, não produzem opiniões compartilhadas. Você deve recorrer a estratégias que possibilitem o consenso. </li></ul><ul><li>O primeiro passo é romper o isolamento. Em muitas escolas, os docentes mal conhecem os valores pedagógicos, educacionais e didáticos do vizinho de sala. </li></ul><ul><li>Mostre a eles que, no grupo, há muitas diferenças sim — e isso é saudável. Mas também existem vários pontos em comum. </li></ul>
  6. 6. 5. O mapa da mina <ul><li>A partir dos resultados da avaliação do ano passado, situe a equipe em relação a temas como desempenho dos alunos, recuperação das dificuldades de aprendizagem, trabalho interdisciplinar, convivência, interação com a comunidade, orçamento, manutenção do prédio e dos equipamentos. </li></ul><ul><li>O uso de gráficos e transparências poderá tornar sua exposição mais objetiva e dinâmica. Importante: enfatize os avanços e as realizações. As dificuldades devem ser apresentadas não como fracassos, mas como desafios a enfrentar. </li></ul>
  7. 7. 6. Escola unida: a missão <ul><li>Tendo como pano de fundo a realidade da escola e seus desafios, e considerando os valores comuns previamente identificados, os profissionais devem ser estimulados a explicitar, em uma declaração sintética, seus principais objetivos em relação aos alunos. </li></ul><ul><li>Quando direção, professores e funcionários têm clareza do propósito de seu trabalho e quando todos compartilham desse propósito, a escola conquista uma identidade, uma imagem que pode ser exibida e defendida diante da comunidade. </li></ul><ul><li>Todos expressam o mesmo objetivo, a mesma atitude. A equipe, unida, pode visualizar o futuro desejado e as trilhas que levam a ele. </li></ul>
  8. 8. 7. Estão todos de acordo? <ul><li>A partir da declaração da missão elaborada em conjunto, faça uma lista das decisões que a equipe precisa tomar e procure garantir o máximo possível de consenso sobre elas. Eis alguns pontos-chave na tomada de decisões. </li></ul><ul><li>Se a equipe se convenceu, por exemplo, de que pouco adianta ensinar o aluno de forma mecânica, como ela pretende se capacitar para utilizar um outro tipo de metodologia? </li></ul><ul><li>Para quê, como e quando deve-se avaliar os alunos e o próprio desempenho? </li></ul><ul><li>Que regras de convivência o grupo concorda em demonstrar e passar adiante? </li></ul><ul><li>Como devem ser as reuniões com os pais e as mães dos alunos </li></ul>
  9. 9. 8. Vocês aqui, vocês acolá <ul><li>Em vez de solicitar o preenchimento de uma série de formulários, estimule os professores de cada área a refletir sobre o que é essencial ensinar em suas disciplinas durante o ano. </li></ul><ul><li>Nas reuniões por série, convide os docentes a decidir as atividades culturais, artísticas e esportivas que irão desenvolver de forma interdisciplinar. </li></ul><ul><li>É o momento de pensar como integrar ao currículo os temas transversais que constam dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): meio ambiente, pluralidade cultural, orientação sexual, saúde e ética. </li></ul>
  10. 10. 9. Enfim, a estréia <ul><li>Junto com os professores e funcionários, organize uma recepção calorosa aos alunos no primeiro dia de aula. Programe a chegada deles por série, dando destaque especial aos calouros da quinta. </li></ul><ul><li>Por Boudewijn van Velzen, sociólogo e coordenador de assuntos internacionais do Centro Nacional pelo Aperfeiçoamento das Escolas, em Utrecht, na Holanda; e Madza Ednir, assessora da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo </li></ul>
  11. 11. Um por todos... <ul><li>Definir a missão da escola é o clímax do planejamento. Para evitar devaneios e perda de tempo em sua elaboração, o passo-a-passo a seguir pode servir como roteiro de trabalho. </li></ul><ul><li>Forme pequenos grupos, com quatro a cinco elementos. </li></ul><ul><li>Os grupos devem produzir um mote que expresse a essência do trabalho na escola. O mote deixará claro o que a equipe faz, de que forma e com que objetivo. </li></ul><ul><li>Terminado o trabalho, cada grupo apresenta sua frase aos demais. </li></ul><ul><li>Durante a apresentação, levante os temas comuns e os mais aprovados. </li></ul><ul><li>Esses temas são palavras-chave que devem constar na elaboração da missão. </li></ul>

×