SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Personas e Cenários
Ergonomia e Interação Humano-Computador
Patrícia Carrion
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Por que precisamos de Personas?
(PRUITT & ADLIN, 2010)
Não importa o que designers estejam projetando, construindo ou ajudando a
construir, espera-se que os produtos (incluindo softwares, hardwares, bens de
consumo e serviços) sejam úteis, apreciados e rentáveis.
Porém, ainda que projetar produtos com base no que as pessoas precisam e
querem de verdade pareça óbvio, colocar os usuários no centro do processo de
concepção e desenvolvimento é extremamente difícil.
Fazer design centrado no usuário não é algo natural. A tendência mais natural
é ser autocentrado, o que se traduz numa abordagem de design de produto com
base nos desejos e necessidades do próprio designer (mesmo que, por vezes, ele
não seja realmente um usuário do produto).
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Por que precisamos de Personas?
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
“Self-centered design results in inadequate products.”
Usuários são complicados e variados. É preciso grande esforço para compreender
as suas necessidades, desejos , preferências e comportamentos.
A noção de personas foi criada por Alan Cooper e popularizada em seu livro de
1999, “The inmates are running the asylum: [Why high-tech products drive us
crazy and how to restore the sanity]”.
As personas colocam um rosto no usuário – uma imagem memorável e
envolvente que transmite informações sobre os usuários para a equipe de
desenvolvimento do produto.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Exemplo: COOPER et al, 2014
Abordagem 1: Se você tentar criar um automóvel que agrade a todos os
motoristas possíveis, você acaba com um carro com recursos demais e que agrada
a ninguém. Quanto aos softwares, muitas vezes eles são projetados para agradar a
um número máximo de usuários, resultando em uma baixa satisfação do usuário.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Exemplo: COOPER et al, 2014
Abordagem 2: Ao projetar carros diferentes para pessoas diferentes, com
objetivos específicos distintos, podemos criar projetos que pessoas com
necessidades semelhantes às dos nossos motoristas-alvo também possam achar
satisfatórias. O mesmo vale para o design de produtos digitais e softwares.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Por que precisamos de Personas?
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
Sobre as abordagens citadas:
”Ter opções excessivas pode fazer com que as pessoas se sintam mais
aprisionadas, menos felizes, e menos capazes de tomar boas decisões do que
fariam se tivessem menos opções.”
(SCHWARTZ, 2004 apud PRUITT & ADLIN, 2010)
"Ao criar um produto que satisfaça a um público amplo de usuários, você
[designer] terá muito mais sucesso projetando para uma única pessoa."
(COOPER, 1999 apud PRUITT & ADLIN, 2010)
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Por que precisamos de Personas?
(COOPER et al, 2014)
Pode-se utilizar personas a fim de evitar algumas armadilhas de design. As
personas podem ajudar a resolver três questões de design que surgem durante o
desenvolvimento do produto: o Usuário-elástico, o Design Autorreferenciado
e os Casos Extremos.
> Usuário-elástico
Satisfazer os usuários dos produtos é a meta do designer, porém a imprecisão
do termo“usuário”pode ser prejudicial como uma ferramenta de design.
Isso porque cada pessoa da equipe de desenvolvimento tem suas próprias
concepções de quem é o usuário e quais as necessidades dele.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Por que precisamos de Personas?
(COOPER et al, 2014) [continuação...]
> Usuário-elástico [continuação...]
Na hora de tomar decisões sobre o produto, esse "usuário" torna-se elástico,
pois convenientemente se dobra e estica para se encaixar nas opiniões e
pressupostos de cada designer.
“A falta de precisão sobre o usuário pode levar a uma falta de clareza sobre
como o produto deve se comportar.”
> Design Autorreferenciado (ou Autocentrado)
Projetos com design autorreferenciado ocorrem quando os designers e
desenvolvedores projetam suas próprias metas, motivações, habilidades e
modelos mentais no desenvolvimento de um produto.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Por que precisamos de Personas?
(COOPER et al, 2014) [continuação...]
> Design Autorreferenciado (ou Autocentrado) [continuação...]
O público do produto acaba não se estendendo para além das pessoas com
características iguais às do designer, o que não é apropriado para a maioria dos
produtos.
> Casos Extremos (Edge Cases)
O desenvolvimento de projetos não deve focar em situações que podem
acontecer, mas que geralmente não acontecem para a maioria dos usuários.
Esses casos devem ser concebidos e programados pela equipe, porém não
devem ser o foco do projeto. Personas auxiliam a priorizar as funcionalidade
com clareza.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
O que são Personas?
“Uma persona é um arquétipo de um usuário que pode ajudar a decidir sobre
as características do produto, navegação, interações, e na estética.”
(GOODWIN, 2002)
“Personas nos fornecem uma maneira precisa de pensar e comunicar sobre como
grupos de usuários se comportam, como pensam, o que querem realizar e por
quê. Personas não são pessoas reais, mas elas são montadas a partir dos
comportamentos e motivações de usuários reais que encontramos em pesquisas.”
(COOPER et al, 2014)
"Personas são descrições detalhadas de pessoas imaginárias, construídas a
partir de dados sobre pessoas reais. (...) São personagens fictícias, representações
específicas e concretas de usuários-alvo.”(PRUITT & ADLIN, 2010)
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
O que são Personas? [continuação...]
Em suma: Personas são representações realistas dos principais segmentos de
público de um produto, ou seja, são descrições detalhadas de usuários típicos do
sistema a ser projetado, para os quais os projetistas guiarão o processo de design.
– Personas ajudam o design centrado no usuário a ser possível;
– Elas colocam o foco em usuários específicos, ao invés de em "todo mundo”;
– As personas devem se basear de forma qualitativa e quantitativa em pesquisas,
e devem capturar as características dos usuários;
– Elas são personagens fictícias, formadas com base em conhecimento prévio
sobre usuários reais. Mesmo não sendo pessoas reais, elas não devem ser
representações idealizadas;
– Personas não devem ser recicladas para novos projetos. Cada persona é feita
especificamente para cada projeto.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Como obter dados?
(COOPER et al, 2014)
Personas devem ser baseadas na observação do mundo real. As principais fontes
de dados utilizadas para sintetizar personas são:
– Entrevistas contextuais e observação dos usuários reais e potenciais – prestando
atenção no que“não está sendo dito”;
– Entrevistas com usuários fora dos seus contextos de uso;
– Informações sobre os usuários fornecidas por stakeholders e especialistas;
– Dados de pesquisa de mercado, tais como grupos focais e questionários;
– Dados recolhidos a partir de revisões de literatura.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Aplicabilidade de Personas
Personas ajudam a concentrar as decisões em torno dos componentes do sistema
e/ou produto, adicionando uma camada de consideração com as necessidades
do mundo real. Elas também oferecem uma maneira rápida e barata para testar e
priorizar as características em todo o processo de desenvolvimento. Além disso, as
personas podem ajudar:
– Stakeholders a avaliarem novas ideias de recursos para o site/produto;
– Arquitetos de Informação a desenvolverem wireframes bem embasados e a
preverem comportamentos de interface;
– Designers e desenvolvedores a decidirem qual abordagem seguir e a criarem a
aparência geral do site/produto com base no comportamento do usuário;
– Redatores a garantirem que o conteúdo do site é escrito para o público adequado.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Modelagem de Personas
(PRUITT & ADLIN, 2010)
Ao decidir quais as características devem ser incluídas em cada persona, é válido
pensar sobre os tipos de informação que serão mais úteis para o projeto em
desenvolvimento.
É recomendável incluir pelo menos algumas informações de cada uma das
seguintes categorias:
> Identificação
– Nome / Idade / Sexo
– Frase ou citação que represente a persona
– Breve descrição
– Foto, ilustração ou breve descrição de características físicas
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Modelagem de Personas
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
> Papéis e Tarefas
– Empresa específica ou indústria na qual trabalha
– Cargo ou função
– Atividades típicas e responsabilidades
– Interações com outras personas, sistemas e/ou produtos
> Objetivos
– A curto e/ou a longo prazo
– Motivações
– Objetivos relacionados ao trabalho
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Modelagem de Personas
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
> Objetivos [continuação...]
– Expectativas em relação ao produto
– Objetivos e aspirações gerais de vida
– Desejos explícitos e implícitos para o produto
> Segmentação / Dados Demográficos
– Renda e poder de compra
– Região ou cidade, estado, país onde reside
– Nível educacional
– Estado civil
– Informação cultural
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Modelagem de Personas
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
> Habilidades e Conhecimentos
– Uso de computadores e Internet
– Produtos utilizados com frequência
– Nível de domínio com tecnologias
– Habilidades especiais
> Contextos / Ambientes
– Equipamentos (conexão de rede , marca, browser, sistema operacional)
– Descrição de "Um dia na vida..." – linha do tempo de um dia típico
– Localização de uso do produto
– Atividades domésticas e de lazer
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Modelagem de Personas
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
> Detalhes Pessoais
– Traços de personalidade
– Valores e atitudes (opiniões políticas, religião)
– Medos, fobias e obstáculos
– Artefatos pessoais (carros, gadgets)
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Formatos de apresentação de Personas
(BROWN, 2010)
É importante, para um melhor entendimento das personas, organizar as
informações em formatos lógicos e fáceis de ler. Dependendo da quantidade de
pesquisa do usuário que foi conduzida e da natureza de sua organização, personas
podem ser dispostas das seguintes maneiras:
> Narrativa: conta uma história, o que torna a persona mais real – porém, não é
fácil identificar "de relance" as características dela.
> Tabela: Formato bom para projetos que precisam comparar e entender as
necessidades de diferentes personas.
> Rápido e Direto (Quick-and-Dirty): Funciona melhor em situações em que não
há pesquisas suficientes.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Exemplos de Personas
> Marcelo Araújo, 36 anos, Programador de Interfaces
Marcelo começou a trabalhar como freelancer, fazendo websites
para amigos enquanto cursava Ciência da Computação na UFMG.
Trabalha há 14 anos em uma empresa de desenvolvimento de
softwares, porém sonha em abrir seu próprio negócio. Entres seus
interesses na área têm-se: Arquitetura da Informação, Gerência
de Projetos e Webstandards.
Quando sai uma nova tecnologia, Marcelo é o primeiro a questionar
sua aplicabilidade. Se ele pudesse, colocaria um freio no mercado para
que se diminua a produção de novas tecnologias até que se melhore as
já existentes. "Não é preciso reinventar a roda" é uma das frases que ele mais
gosta. Marcelo não é um líder carismático, mas sabe organizar muito bem uma equipe, se precisar. É um bom
planejador porque faz de tudo para cumprir os prazos combinados, mesmo em condições precárias de
orçamento e prazos curtos. Infelizmente, outras pessoas se aproveitam dessa sua qualidade para mantê-lo
constantemente sob pressão e isso lhe causa grande frustração. "Um dia eu chuto o pau-da-barraca", diz ele,
consigo mesmo, quando está nervoso.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Exemplos de Personas
Nome Ana Paula Assad
Vida Pessoal
Ana Paula vive com o marido, o filho de 2 anos e a
enteada de 13 em um apartamento em Perdizes,
bairro paulista de classe média e alta.
Profissão Advogada. Sócio-fundadora de escritório.
Vida Profissional
Bacharel em Direito pela USP, possui Especialização
em Direito Empresarial do Trabalho pela FGV. É
advogada com experiência em assessoria jurídica
corporativa, atuante em consultoria Trabalhista.
Atividades no uso de
computadores e Internet
Utiliza desktop para atividades voltadas ao trabalho,
como motores de busca (Google) e e-mail, tanto no
escritório quanto em casa. Ocasionalmente, faz
compras online de roupas e livros. Acessa e-mail
também pelo tablet e/ou smartphone.
Acesso à Internet
(em horas/semana)
25 a 35 horas por semana
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Personas e o design baseado em Cenários
(PRUITT & ADLIN, 2010)
"A persona é estática, mas torna-se dinâmica quando é inserida nas ações do
cenário. No cenário, a persona estará em um contexto, em uma situação
específica e terá um objetivo específico." (NIELSEN, 2003a, p. 1 apud
PRUITT & ADLIN, 2010)
Uma vez que a equipe tem uma visão e um plano global de desenvolvimento, é
hora de projetar os elementos do produto.
Integradas a cenários, as personas ajudam na tomada de decisões sobre
características específicas e elementos de design.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Personas e o design baseado em Cenários
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
"Um cenário é uma história escrita que descreve o uso futuro de um sistema ou
de um website a partir de um ponto de vista específico, e muitas vezes fictício,
do usuário." (NIELSEN, 2002 apud PRUITT & ADLIN, 2010)
Os cenários descrevem em detalhes como o produto será utilizado, uma vez que
são construídos a partir do ponto de vista de uma ou mais personas. Geralmente,
eles incluem:
– Um usuário específico;
– Uma determinada tarefa ou situação;
– Os resultado esperados e objetivos da tarefa claramente definidos;
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Personas e o design baseado em Cenários
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
– Informações sobre procedimentos ou fluxo de tarefas;
– Um período de tempo;
– Referências de recursos específicos / funcionalidades que o usuário poderá
precisar e/ou usar.
Cenários walkthrough são, provavelmente, o tipo mais comum e conhecido de
cenário. Eles demonstram a funcionalidade em uso por meio de personas, no
formato passo-a-passo.
Eles fornecem o contexto e as medidas tomadas para alcançar um objetivo.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Personas e o design baseado em Cenários
(PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...]
O cenário pode se escrito formalmente, servindo como documentação de
projeto, ou ser criado enquanto se discute questões de projeto. Essa técnica pode
ser utilizada ao se discutir as funcionalidade de um produto e/ou quando é
necessário defender ou justificar um fluxo de interação.
Ao contrários das personas, cenários não se baseiam em dados reais, são
apenas imaginados, previstos.
No entanto, aliados a personas bem embasadas na realidade, o cenário também
estará bem embasado. Consequentemente, a situação prevista (cenário) terá alta
probabilidade de se realizar.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Tipos de Cenários
(COOPER, 2014)
> Cenários Objetivos (ou Baseados em Tarefas): afirmam o que o usuário
quer, porém sem incluir informações de como ele deve completar o cenário.
Cenários objetivos podem ser úteis para ajudar a definir o conteúdo e a arquitetura
de um site. Exemplo:
João está planejando uma viagem com a família e deseja procurar boas ofertas de hospedagem
para o destino escolhido. Ele espera poder escolher o melhor custo-benefício em hotéis bem
recomendados.
> Cenários Elaborados: dão mais detalhes sobre a história da persona, a fim de
dar à equipe de desenvolvimento uma compreensão mais profunda dos usuários e
de como as características destes podem ajudar ou dificultar a interação com o
produto.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Tipos de Cenários
(COOPER, 2014) [continuação...]
> Cenários Elaborados [continuação...]
Exemplos:
Luiza é secretária em um escritório de contabilidade e precisa fazer uma planilha com cálculos
corriqueiros numa sala com várias outras pessoas falando alto. Ela não consegue se concentrar
direito e tem um prazo curto para realizar a tarefa. Resolve então procurar alguma forma
automatizada de inserir os dados. Por sorte, o software encontrado permite inserir dados
passo-a-passo e fazer os cálculos mais comuns.
Ricardo quer abrir uma pasta no Windows e acessar um memorando de orçamentos. No entanto,
a pasta está cheia de planilhas que ele também quer conferir enquanto lê os detalhes do
orçamento. As planilhas são tão grandes que quase ocupam toda a tela. Ele decide redimensionar
as planilhas, movê-las parcialmente para fora da tela, abrir a pasta, depois o memorando. Assim,
redimensiona e reposiciona também o memorando para continuar a trabalhar.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Referências Bibliográficas
BROWN, Dan M. Communicating design: developing web site documentation
for design and planning. New Riders, 2010.
COOPER, Alan et al. About Face: The essentials of interaction design. John Wiley
& Sons, 2014.
GOODWIN, Kim. Getting from research to personas: Harnessing the power of
data. Cooper Newsletter, 2002.
PRUITT, John; ADLIN, Tamara. The persona lifecycle: keeping people in mind
throughout product design. Morgan Kaufmann, 2010.
Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
Proposta de Exercício
> Elaboração do Perfil do Usuário
– Trace os perfis de alunos e professores da PUC-Rio que deverão utilizar o
sistema da universidade. Identifique quais perguntas de uma entrevista ou de um
questionário fornecem as informações necessárias para traçar esses perfis.
> Elaboração de Personas
– Com base nos perfis de alunos e professores traçados anteriormente, crie o
elenco de personas que representam os usuários do seu sistema.
> Elaboração de Cenários
– Elabore cenários de problema para as personas atingirem seus objetivos.
Considere os objetivos mais frequentes e os menos frequentes de cada persona.
Indique quais perguntas devem ser respondidas ou endereçadas pelo cenário.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comum
O UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comumO UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comum
O UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comum
UXConf BR
 
AULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMO
AULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMOAULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMO
AULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMO
aulasdejornalismo
 

Mais procurados (20)

Perfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHC
Perfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHCPerfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHC
Perfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHC
 
Arquitetura de Informação: história, definição e seus elementos
Arquitetura de Informação: história, definição e seus elementosArquitetura de Informação: história, definição e seus elementos
Arquitetura de Informação: história, definição e seus elementos
 
Internet das Coisas: Conceitos e Aplicações
Internet das Coisas: Conceitos e AplicaçõesInternet das Coisas: Conceitos e Aplicações
Internet das Coisas: Conceitos e Aplicações
 
Design Centrado no Usuário para Interface Digital
Design Centrado no Usuário para Interface DigitalDesign Centrado no Usuário para Interface Digital
Design Centrado no Usuário para Interface Digital
 
O UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comum
O UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comumO UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comum
O UX Writing e a padronização de informações: em busca de uma língua em comum
 
Um quase papo sobre UX Writing
Um quase papo sobre UX WritingUm quase papo sobre UX Writing
Um quase papo sobre UX Writing
 
Design Emocional
Design EmocionalDesign Emocional
Design Emocional
 
What is UX?
What is UX?What is UX?
What is UX?
 
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
 
Aula Mobile Marketing Completa
Aula Mobile Marketing CompletaAula Mobile Marketing Completa
Aula Mobile Marketing Completa
 
Redes e Plataformas Digitais - Comportamento Digital e Redes Sociais 2022
Redes e Plataformas Digitais - Comportamento Digital e Redes Sociais 2022Redes e Plataformas Digitais - Comportamento Digital e Redes Sociais 2022
Redes e Plataformas Digitais - Comportamento Digital e Redes Sociais 2022
 
UX & UI Design: Differentiate through design
UX & UI Design: Differentiate through designUX & UI Design: Differentiate through design
UX & UI Design: Differentiate through design
 
Jornalismo Empresarial
Jornalismo EmpresarialJornalismo Empresarial
Jornalismo Empresarial
 
UX - User Experience Design and Principles
UX - User Experience Design and PrinciplesUX - User Experience Design and Principles
UX - User Experience Design and Principles
 
UX Lesson 5: Information Architecture
UX Lesson 5: Information ArchitectureUX Lesson 5: Information Architecture
UX Lesson 5: Information Architecture
 
What is UX, in 10 Slides
What is UX, in 10 SlidesWhat is UX, in 10 Slides
What is UX, in 10 Slides
 
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
Mapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e PrototipagemMapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e Prototipagem
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
 
AULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMO
AULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMOAULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMO
AULA 3 - JORNALISMO NA INTERNET E FASES DO JORNALISMO
 
UX - UI DESIGN / MÉTODOS
UX - UI DESIGN / MÉTODOSUX - UI DESIGN / MÉTODOS
UX - UI DESIGN / MÉTODOS
 
comunicaoempresarial
comunicaoempresarialcomunicaoempresarial
comunicaoempresarial
 

Destaque

Mapa de Empatia e Persona
Mapa de Empatia e PersonaMapa de Empatia e Persona
Mapa de Empatia e Persona
smvfm
 
Proposições educação infantil
Proposições educação infantilProposições educação infantil
Proposições educação infantil
Cintia Resende
 
Desenvolvimento Web centrado no usuário
Desenvolvimento Web centrado no usuárioDesenvolvimento Web centrado no usuário
Desenvolvimento Web centrado no usuário
websemlimites
 
DoençAs Ocupacionais Do Sist. Osteomusculares
DoençAs Ocupacionais Do Sist. OsteomuscularesDoençAs Ocupacionais Do Sist. Osteomusculares
DoençAs Ocupacionais Do Sist. Osteomusculares
betozaki
 
Apresentação Perguntas + Personas
Apresentação Perguntas + PersonasApresentação Perguntas + Personas
Apresentação Perguntas + Personas
bhtem2014
 

Destaque (20)

Mapa de Empatia e Persona
Mapa de Empatia e PersonaMapa de Empatia e Persona
Mapa de Empatia e Persona
 
Personas: O que são? Onde vivem? Como funcionam?
Personas: O que são? Onde vivem? Como funcionam?Personas: O que são? Onde vivem? Como funcionam?
Personas: O que são? Onde vivem? Como funcionam?
 
Personas - Quem fala com as marcas nas redes sociais?
Personas - Quem fala com as marcas nas redes sociais?Personas - Quem fala com as marcas nas redes sociais?
Personas - Quem fala com as marcas nas redes sociais?
 
Personas na prática - Um estudo de caso (re)pensado
Personas na prática - Um estudo de caso (re)pensadoPersonas na prática - Um estudo de caso (re)pensado
Personas na prática - Um estudo de caso (re)pensado
 
Proposições educação infantil
Proposições educação infantilProposições educação infantil
Proposições educação infantil
 
Desenvolvimento Web centrado no usuário
Desenvolvimento Web centrado no usuárioDesenvolvimento Web centrado no usuário
Desenvolvimento Web centrado no usuário
 
O que são Personas e por que usá-las?
O que são Personas e por que usá-las?O que são Personas e por que usá-las?
O que são Personas e por que usá-las?
 
Projeto de Interfaces - Aula 02
Projeto de Interfaces - Aula 02Projeto de Interfaces - Aula 02
Projeto de Interfaces - Aula 02
 
2 ll 5
2 ll 52 ll 5
2 ll 5
 
Droiit. Consultoria en Marketing Digital
Droiit. Consultoria en Marketing DigitalDroiit. Consultoria en Marketing Digital
Droiit. Consultoria en Marketing Digital
 
DoençAs Ocupacionais Do Sist. Osteomusculares
DoençAs Ocupacionais Do Sist. OsteomuscularesDoençAs Ocupacionais Do Sist. Osteomusculares
DoençAs Ocupacionais Do Sist. Osteomusculares
 
Projeto de Interfaces - Aula 01
Projeto de Interfaces - Aula 01Projeto de Interfaces - Aula 01
Projeto de Interfaces - Aula 01
 
Aula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores HumanosAula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores Humanos
 
Desing thinking
Desing thinkingDesing thinking
Desing thinking
 
Como Criar Uma Persona e Ajudar a Sua Empresa a Vender Mais
Como Criar Uma Persona e Ajudar a Sua Empresa a Vender MaisComo Criar Uma Persona e Ajudar a Sua Empresa a Vender Mais
Como Criar Uma Persona e Ajudar a Sua Empresa a Vender Mais
 
Apresentação Perguntas + Personas
Apresentação Perguntas + PersonasApresentação Perguntas + Personas
Apresentação Perguntas + Personas
 
Buyer Personas
Buyer PersonasBuyer Personas
Buyer Personas
 
8. buyer personas
8. buyer personas8. buyer personas
8. buyer personas
 
Beklijf Aanpak ContentMarketingStrategie
Beklijf Aanpak ContentMarketingStrategieBeklijf Aanpak ContentMarketingStrategie
Beklijf Aanpak ContentMarketingStrategie
 
Comportamento do consumidor digital aula2
Comportamento do consumidor digital   aula2Comportamento do consumidor digital   aula2
Comportamento do consumidor digital aula2
 

Semelhante a Personas e Cenários

Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
Erico Fileno
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
Erico Fileno
 

Semelhante a Personas e Cenários (20)

Arquitetura de informação
Arquitetura de informaçãoArquitetura de informação
Arquitetura de informação
 
Palestra UX Etec - 22_04
Palestra UX Etec - 22_04Palestra UX Etec - 22_04
Palestra UX Etec - 22_04
 
Desenvolvimento Centrado no Usuário
Desenvolvimento Centrado no UsuárioDesenvolvimento Centrado no Usuário
Desenvolvimento Centrado no Usuário
 
UX & Product Thinking - modulo fundamentos
UX & Product Thinking - modulo fundamentosUX & Product Thinking - modulo fundamentos
UX & Product Thinking - modulo fundamentos
 
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
 
Workshop • UX design •
Workshop • UX design •  Workshop • UX design •
Workshop • UX design •
 
Design Thinking na prática - Como foi usada a metodologia para desenvolver um...
Design Thinking na prática - Como foi usada a metodologia para desenvolver um...Design Thinking na prática - Como foi usada a metodologia para desenvolver um...
Design Thinking na prática - Como foi usada a metodologia para desenvolver um...
 
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
Os desafios do Arquiteto de Informação como UX Expert: Criatividade e Inovação.
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Semana SEBRAE de Tecnologia e Inovação 2015 - Victor Gonçalves
Semana SEBRAE de Tecnologia e Inovação 2015 - Victor GonçalvesSemana SEBRAE de Tecnologia e Inovação 2015 - Victor Gonçalves
Semana SEBRAE de Tecnologia e Inovação 2015 - Victor Gonçalves
 
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
[Palestra UNICAP] UX Design - Projetando Soluções e Experiências
 
Cd - aulas 06 e 07
Cd - aulas 06 e 07Cd - aulas 06 e 07
Cd - aulas 06 e 07
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da Informação
 
Design antecipatório para projetos zero interface - Campus Party 2017
Design antecipatório para projetos zero interface - Campus Party 2017Design antecipatório para projetos zero interface - Campus Party 2017
Design antecipatório para projetos zero interface - Campus Party 2017
 
Design Antecipatório para projetos zero interface - 2017 Campus Party -
Design Antecipatório para projetos zero interface - 2017 Campus Party -Design Antecipatório para projetos zero interface - 2017 Campus Party -
Design Antecipatório para projetos zero interface - 2017 Campus Party -
 
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
 
UX Culture
UX Culture UX Culture
UX Culture
 
Design Thinking na Indústria
Design Thinking na IndústriaDesign Thinking na Indústria
Design Thinking na Indústria
 
User eXperience
User eXperienceUser eXperience
User eXperience
 

Personas e Cenários

  • 1. Personas e Cenários Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
  • 2. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Por que precisamos de Personas? (PRUITT & ADLIN, 2010) Não importa o que designers estejam projetando, construindo ou ajudando a construir, espera-se que os produtos (incluindo softwares, hardwares, bens de consumo e serviços) sejam úteis, apreciados e rentáveis. Porém, ainda que projetar produtos com base no que as pessoas precisam e querem de verdade pareça óbvio, colocar os usuários no centro do processo de concepção e desenvolvimento é extremamente difícil. Fazer design centrado no usuário não é algo natural. A tendência mais natural é ser autocentrado, o que se traduz numa abordagem de design de produto com base nos desejos e necessidades do próprio designer (mesmo que, por vezes, ele não seja realmente um usuário do produto).
  • 3. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Por que precisamos de Personas? (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] “Self-centered design results in inadequate products.” Usuários são complicados e variados. É preciso grande esforço para compreender as suas necessidades, desejos , preferências e comportamentos. A noção de personas foi criada por Alan Cooper e popularizada em seu livro de 1999, “The inmates are running the asylum: [Why high-tech products drive us crazy and how to restore the sanity]”. As personas colocam um rosto no usuário – uma imagem memorável e envolvente que transmite informações sobre os usuários para a equipe de desenvolvimento do produto.
  • 4. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Exemplo: COOPER et al, 2014 Abordagem 1: Se você tentar criar um automóvel que agrade a todos os motoristas possíveis, você acaba com um carro com recursos demais e que agrada a ninguém. Quanto aos softwares, muitas vezes eles são projetados para agradar a um número máximo de usuários, resultando em uma baixa satisfação do usuário.
  • 5. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
  • 6. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Exemplo: COOPER et al, 2014 Abordagem 2: Ao projetar carros diferentes para pessoas diferentes, com objetivos específicos distintos, podemos criar projetos que pessoas com necessidades semelhantes às dos nossos motoristas-alvo também possam achar satisfatórias. O mesmo vale para o design de produtos digitais e softwares.
  • 7. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion
  • 8. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Por que precisamos de Personas? (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] Sobre as abordagens citadas: ”Ter opções excessivas pode fazer com que as pessoas se sintam mais aprisionadas, menos felizes, e menos capazes de tomar boas decisões do que fariam se tivessem menos opções.” (SCHWARTZ, 2004 apud PRUITT & ADLIN, 2010) "Ao criar um produto que satisfaça a um público amplo de usuários, você [designer] terá muito mais sucesso projetando para uma única pessoa." (COOPER, 1999 apud PRUITT & ADLIN, 2010)
  • 9. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Por que precisamos de Personas? (COOPER et al, 2014) Pode-se utilizar personas a fim de evitar algumas armadilhas de design. As personas podem ajudar a resolver três questões de design que surgem durante o desenvolvimento do produto: o Usuário-elástico, o Design Autorreferenciado e os Casos Extremos. > Usuário-elástico Satisfazer os usuários dos produtos é a meta do designer, porém a imprecisão do termo“usuário”pode ser prejudicial como uma ferramenta de design. Isso porque cada pessoa da equipe de desenvolvimento tem suas próprias concepções de quem é o usuário e quais as necessidades dele.
  • 10. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Por que precisamos de Personas? (COOPER et al, 2014) [continuação...] > Usuário-elástico [continuação...] Na hora de tomar decisões sobre o produto, esse "usuário" torna-se elástico, pois convenientemente se dobra e estica para se encaixar nas opiniões e pressupostos de cada designer. “A falta de precisão sobre o usuário pode levar a uma falta de clareza sobre como o produto deve se comportar.” > Design Autorreferenciado (ou Autocentrado) Projetos com design autorreferenciado ocorrem quando os designers e desenvolvedores projetam suas próprias metas, motivações, habilidades e modelos mentais no desenvolvimento de um produto.
  • 11. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Por que precisamos de Personas? (COOPER et al, 2014) [continuação...] > Design Autorreferenciado (ou Autocentrado) [continuação...] O público do produto acaba não se estendendo para além das pessoas com características iguais às do designer, o que não é apropriado para a maioria dos produtos. > Casos Extremos (Edge Cases) O desenvolvimento de projetos não deve focar em situações que podem acontecer, mas que geralmente não acontecem para a maioria dos usuários. Esses casos devem ser concebidos e programados pela equipe, porém não devem ser o foco do projeto. Personas auxiliam a priorizar as funcionalidade com clareza.
  • 12. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion O que são Personas? “Uma persona é um arquétipo de um usuário que pode ajudar a decidir sobre as características do produto, navegação, interações, e na estética.” (GOODWIN, 2002) “Personas nos fornecem uma maneira precisa de pensar e comunicar sobre como grupos de usuários se comportam, como pensam, o que querem realizar e por quê. Personas não são pessoas reais, mas elas são montadas a partir dos comportamentos e motivações de usuários reais que encontramos em pesquisas.” (COOPER et al, 2014) "Personas são descrições detalhadas de pessoas imaginárias, construídas a partir de dados sobre pessoas reais. (...) São personagens fictícias, representações específicas e concretas de usuários-alvo.”(PRUITT & ADLIN, 2010)
  • 13. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion O que são Personas? [continuação...] Em suma: Personas são representações realistas dos principais segmentos de público de um produto, ou seja, são descrições detalhadas de usuários típicos do sistema a ser projetado, para os quais os projetistas guiarão o processo de design. – Personas ajudam o design centrado no usuário a ser possível; – Elas colocam o foco em usuários específicos, ao invés de em "todo mundo”; – As personas devem se basear de forma qualitativa e quantitativa em pesquisas, e devem capturar as características dos usuários; – Elas são personagens fictícias, formadas com base em conhecimento prévio sobre usuários reais. Mesmo não sendo pessoas reais, elas não devem ser representações idealizadas; – Personas não devem ser recicladas para novos projetos. Cada persona é feita especificamente para cada projeto.
  • 14. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Como obter dados? (COOPER et al, 2014) Personas devem ser baseadas na observação do mundo real. As principais fontes de dados utilizadas para sintetizar personas são: – Entrevistas contextuais e observação dos usuários reais e potenciais – prestando atenção no que“não está sendo dito”; – Entrevistas com usuários fora dos seus contextos de uso; – Informações sobre os usuários fornecidas por stakeholders e especialistas; – Dados de pesquisa de mercado, tais como grupos focais e questionários; – Dados recolhidos a partir de revisões de literatura.
  • 15. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Aplicabilidade de Personas Personas ajudam a concentrar as decisões em torno dos componentes do sistema e/ou produto, adicionando uma camada de consideração com as necessidades do mundo real. Elas também oferecem uma maneira rápida e barata para testar e priorizar as características em todo o processo de desenvolvimento. Além disso, as personas podem ajudar: – Stakeholders a avaliarem novas ideias de recursos para o site/produto; – Arquitetos de Informação a desenvolverem wireframes bem embasados e a preverem comportamentos de interface; – Designers e desenvolvedores a decidirem qual abordagem seguir e a criarem a aparência geral do site/produto com base no comportamento do usuário; – Redatores a garantirem que o conteúdo do site é escrito para o público adequado.
  • 16. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Modelagem de Personas (PRUITT & ADLIN, 2010) Ao decidir quais as características devem ser incluídas em cada persona, é válido pensar sobre os tipos de informação que serão mais úteis para o projeto em desenvolvimento. É recomendável incluir pelo menos algumas informações de cada uma das seguintes categorias: > Identificação – Nome / Idade / Sexo – Frase ou citação que represente a persona – Breve descrição – Foto, ilustração ou breve descrição de características físicas
  • 17. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Modelagem de Personas (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] > Papéis e Tarefas – Empresa específica ou indústria na qual trabalha – Cargo ou função – Atividades típicas e responsabilidades – Interações com outras personas, sistemas e/ou produtos > Objetivos – A curto e/ou a longo prazo – Motivações – Objetivos relacionados ao trabalho
  • 18. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Modelagem de Personas (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] > Objetivos [continuação...] – Expectativas em relação ao produto – Objetivos e aspirações gerais de vida – Desejos explícitos e implícitos para o produto > Segmentação / Dados Demográficos – Renda e poder de compra – Região ou cidade, estado, país onde reside – Nível educacional – Estado civil – Informação cultural
  • 19. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Modelagem de Personas (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] > Habilidades e Conhecimentos – Uso de computadores e Internet – Produtos utilizados com frequência – Nível de domínio com tecnologias – Habilidades especiais > Contextos / Ambientes – Equipamentos (conexão de rede , marca, browser, sistema operacional) – Descrição de "Um dia na vida..." – linha do tempo de um dia típico – Localização de uso do produto – Atividades domésticas e de lazer
  • 20. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Modelagem de Personas (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] > Detalhes Pessoais – Traços de personalidade – Valores e atitudes (opiniões políticas, religião) – Medos, fobias e obstáculos – Artefatos pessoais (carros, gadgets)
  • 21. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Formatos de apresentação de Personas (BROWN, 2010) É importante, para um melhor entendimento das personas, organizar as informações em formatos lógicos e fáceis de ler. Dependendo da quantidade de pesquisa do usuário que foi conduzida e da natureza de sua organização, personas podem ser dispostas das seguintes maneiras: > Narrativa: conta uma história, o que torna a persona mais real – porém, não é fácil identificar "de relance" as características dela. > Tabela: Formato bom para projetos que precisam comparar e entender as necessidades de diferentes personas. > Rápido e Direto (Quick-and-Dirty): Funciona melhor em situações em que não há pesquisas suficientes.
  • 22. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Exemplos de Personas > Marcelo Araújo, 36 anos, Programador de Interfaces Marcelo começou a trabalhar como freelancer, fazendo websites para amigos enquanto cursava Ciência da Computação na UFMG. Trabalha há 14 anos em uma empresa de desenvolvimento de softwares, porém sonha em abrir seu próprio negócio. Entres seus interesses na área têm-se: Arquitetura da Informação, Gerência de Projetos e Webstandards. Quando sai uma nova tecnologia, Marcelo é o primeiro a questionar sua aplicabilidade. Se ele pudesse, colocaria um freio no mercado para que se diminua a produção de novas tecnologias até que se melhore as já existentes. "Não é preciso reinventar a roda" é uma das frases que ele mais gosta. Marcelo não é um líder carismático, mas sabe organizar muito bem uma equipe, se precisar. É um bom planejador porque faz de tudo para cumprir os prazos combinados, mesmo em condições precárias de orçamento e prazos curtos. Infelizmente, outras pessoas se aproveitam dessa sua qualidade para mantê-lo constantemente sob pressão e isso lhe causa grande frustração. "Um dia eu chuto o pau-da-barraca", diz ele, consigo mesmo, quando está nervoso.
  • 23. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Exemplos de Personas Nome Ana Paula Assad Vida Pessoal Ana Paula vive com o marido, o filho de 2 anos e a enteada de 13 em um apartamento em Perdizes, bairro paulista de classe média e alta. Profissão Advogada. Sócio-fundadora de escritório. Vida Profissional Bacharel em Direito pela USP, possui Especialização em Direito Empresarial do Trabalho pela FGV. É advogada com experiência em assessoria jurídica corporativa, atuante em consultoria Trabalhista. Atividades no uso de computadores e Internet Utiliza desktop para atividades voltadas ao trabalho, como motores de busca (Google) e e-mail, tanto no escritório quanto em casa. Ocasionalmente, faz compras online de roupas e livros. Acessa e-mail também pelo tablet e/ou smartphone. Acesso à Internet (em horas/semana) 25 a 35 horas por semana
  • 24. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Personas e o design baseado em Cenários (PRUITT & ADLIN, 2010) "A persona é estática, mas torna-se dinâmica quando é inserida nas ações do cenário. No cenário, a persona estará em um contexto, em uma situação específica e terá um objetivo específico." (NIELSEN, 2003a, p. 1 apud PRUITT & ADLIN, 2010) Uma vez que a equipe tem uma visão e um plano global de desenvolvimento, é hora de projetar os elementos do produto. Integradas a cenários, as personas ajudam na tomada de decisões sobre características específicas e elementos de design.
  • 25. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Personas e o design baseado em Cenários (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] "Um cenário é uma história escrita que descreve o uso futuro de um sistema ou de um website a partir de um ponto de vista específico, e muitas vezes fictício, do usuário." (NIELSEN, 2002 apud PRUITT & ADLIN, 2010) Os cenários descrevem em detalhes como o produto será utilizado, uma vez que são construídos a partir do ponto de vista de uma ou mais personas. Geralmente, eles incluem: – Um usuário específico; – Uma determinada tarefa ou situação; – Os resultado esperados e objetivos da tarefa claramente definidos;
  • 26. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Personas e o design baseado em Cenários (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] – Informações sobre procedimentos ou fluxo de tarefas; – Um período de tempo; – Referências de recursos específicos / funcionalidades que o usuário poderá precisar e/ou usar. Cenários walkthrough são, provavelmente, o tipo mais comum e conhecido de cenário. Eles demonstram a funcionalidade em uso por meio de personas, no formato passo-a-passo. Eles fornecem o contexto e as medidas tomadas para alcançar um objetivo.
  • 27. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Personas e o design baseado em Cenários (PRUITT & ADLIN, 2010) [continuação...] O cenário pode se escrito formalmente, servindo como documentação de projeto, ou ser criado enquanto se discute questões de projeto. Essa técnica pode ser utilizada ao se discutir as funcionalidade de um produto e/ou quando é necessário defender ou justificar um fluxo de interação. Ao contrários das personas, cenários não se baseiam em dados reais, são apenas imaginados, previstos. No entanto, aliados a personas bem embasadas na realidade, o cenário também estará bem embasado. Consequentemente, a situação prevista (cenário) terá alta probabilidade de se realizar.
  • 28. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Tipos de Cenários (COOPER, 2014) > Cenários Objetivos (ou Baseados em Tarefas): afirmam o que o usuário quer, porém sem incluir informações de como ele deve completar o cenário. Cenários objetivos podem ser úteis para ajudar a definir o conteúdo e a arquitetura de um site. Exemplo: João está planejando uma viagem com a família e deseja procurar boas ofertas de hospedagem para o destino escolhido. Ele espera poder escolher o melhor custo-benefício em hotéis bem recomendados. > Cenários Elaborados: dão mais detalhes sobre a história da persona, a fim de dar à equipe de desenvolvimento uma compreensão mais profunda dos usuários e de como as características destes podem ajudar ou dificultar a interação com o produto.
  • 29. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Tipos de Cenários (COOPER, 2014) [continuação...] > Cenários Elaborados [continuação...] Exemplos: Luiza é secretária em um escritório de contabilidade e precisa fazer uma planilha com cálculos corriqueiros numa sala com várias outras pessoas falando alto. Ela não consegue se concentrar direito e tem um prazo curto para realizar a tarefa. Resolve então procurar alguma forma automatizada de inserir os dados. Por sorte, o software encontrado permite inserir dados passo-a-passo e fazer os cálculos mais comuns. Ricardo quer abrir uma pasta no Windows e acessar um memorando de orçamentos. No entanto, a pasta está cheia de planilhas que ele também quer conferir enquanto lê os detalhes do orçamento. As planilhas são tão grandes que quase ocupam toda a tela. Ele decide redimensionar as planilhas, movê-las parcialmente para fora da tela, abrir a pasta, depois o memorando. Assim, redimensiona e reposiciona também o memorando para continuar a trabalhar.
  • 30. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Referências Bibliográficas BROWN, Dan M. Communicating design: developing web site documentation for design and planning. New Riders, 2010. COOPER, Alan et al. About Face: The essentials of interaction design. John Wiley & Sons, 2014. GOODWIN, Kim. Getting from research to personas: Harnessing the power of data. Cooper Newsletter, 2002. PRUITT, John; ADLIN, Tamara. The persona lifecycle: keeping people in mind throughout product design. Morgan Kaufmann, 2010.
  • 31. Personas e Cenários | Ergonomia e Interação Humano-Computador Patrícia Carrion Proposta de Exercício > Elaboração do Perfil do Usuário – Trace os perfis de alunos e professores da PUC-Rio que deverão utilizar o sistema da universidade. Identifique quais perguntas de uma entrevista ou de um questionário fornecem as informações necessárias para traçar esses perfis. > Elaboração de Personas – Com base nos perfis de alunos e professores traçados anteriormente, crie o elenco de personas que representam os usuários do seu sistema. > Elaboração de Cenários – Elabore cenários de problema para as personas atingirem seus objetivos. Considere os objetivos mais frequentes e os menos frequentes de cada persona. Indique quais perguntas devem ser respondidas ou endereçadas pelo cenário.